Saltar para o conteúdo

Resgate ou linha de apoio?

12 Junho, 2012

A propósito da Espanha falei ontem na TVI. Aqui deixo também  a sugestão para que vejam isto .

16 comentários leave one →
  1. piscoiso permalink
    12 Junho, 2012 10:11

    E falou em espanhol?

    Gostar

  2. aremandus permalink
    12 Junho, 2012 10:39

    o já rói precisa é de uma linha de apoio de coca.
    e não precisa da sua ajuda, deve ter por lá sabujas de serviço…

    Gostar

  3. pedro permalink
    12 Junho, 2012 10:48

    Dra Helena: Penso que a Espanha como antiga potência imperial não se sujeitará às humilhações de Holandas e finlândias. Ainda há pouco tempo, o 3º duque de alba ,ditava lei nos países baixos. Neste momento, penso que se aproxima o fim do euro e a europa voltará a ser de nações e de conflitos. Estou a ver o tsunami a aproximar-se e não sei para onde fugir .No nosso caso, em que não temos reservas estratégicas de nada ,teremos de apelar a ajudas da lusofonia ,e dos emigrantes.No limite podemos ser província do Brasil.Também concordo consigo, Rajoy esteve mal e não parece melhor que zapatero ,digo eu.

    Gostar

  4. balde-de-cal permalink
    12 Junho, 2012 10:51

    o qi de mais de 50% dos portugueses é inferior ao de um cão que tive.
    nem sabem fazer comentários.
    são um peso morto para os contribuinte pomposamente alcunhados de estado que nada lhe dá de razoável.
    a crise do rectângulo vai durar até ao fim do século. com ou sem Espanha, com ou sem Europa

    Gostar

  5. 12 Junho, 2012 12:20

    Tenho uma grande admiração por Helena Matos. Belíssima analista. Do melhor da direita portuguesa.

    Gostar

  6. piscoiso permalink
    12 Junho, 2012 13:12

    E é parente?

    Gostar

  7. 12 Junho, 2012 15:54

    Vá lá, que nós só fizemos o aeroporto de Beja…

    Gostar

  8. ESMERALDA permalink
    12 Junho, 2012 15:59

    Eu estive a ouvi-la.
    Folgo um pouco em saber que a mania das grandezas também “foi” um efeito do contágio!
    Agora contagiamo-nos também uns aos outros… de outra maneira!

    Gostar

  9. 12 Junho, 2012 16:29

    Piscoiso
    Não é minha parente. Provavelmente será parente de outras famílias. Só sei que era um leitor fiel da Helena Matos no Público e que tive pena da sua saída.

    Gostar

  10. Delfim permalink
    12 Junho, 2012 19:18

    Há um facto subjacente a tudo isto:durante 2 decadas o crescimento da economia Espanhola baseou-se no betão e na especulação do imobiliario.Culpa dos governos ?Sim.Culpa das doutrinas economicas neo-liberais? sem duvida nenhuma O buraco financeiro da banca espanhola ira ser pago pelos contribuintes ? Inquestionavel entetanto os duques ,barões e quejandos continuarão a governar atraves dos Rajoy do momento.Alguma parecença com Portugal? Bem Ricardo Salgado e amigos continuam a estar na crista da onda

    Gostar

  11. JDGF permalink
    12 Junho, 2012 21:47

    Por cá, entraram os ‘homens de negro’ e como se isso não bastasse, logo a seguir, pusemos uns ‘homens cinzentos’ no Governo… Não foi?
    Declaração de interesses: não pertenço à ETA, nem ao Herri Batasuna.

    Gostar

  12. Fincapé permalink
    12 Junho, 2012 22:31

    Há um livro de contos de Fernando Namora, com o título “Resposta a Matilde”, que tem um conto chamado “A Ponte”, se bem me lembro.
    De memória, sujeito a pequenos erros, o conto é assim.
    O governador vai todos os anos a uma terreola onde faz um discurso, integrado numas festas. Todos os anos apresenta uma obra que irá ser executada, para bem dos aldeões.
    Naquele ano, o presidente da junta tenta convencer o presidente da câmara de que seria bom para as populações instalar-se a eletricidade de que o povo ainda não usufruia. “O senhor governador é que sabe”, respondeu o presidente da câmara.
    No dia marcado o governador, homem certamente de muitos méritos, apresenta ao povo, através do seu discurso a sua grande obra: Uma ponte!
    Pergunta o prsidente da junta ao da câmara: mas uma ponte para quê se nós não temos nenhum rio! Responde o outro: deixe lá construir a ponte, homem! O rio logo se vê!
    (A propósito dos aeroportos, que eu já tinha visto na TV, construídos para… nada)

    Gostar

  13. aremandus permalink
    13 Junho, 2012 09:18

    Muito obrigado Fincapé por relembrar aqui o escritos Fernando Namora!

    Gostar

  14. Fincapé permalink
    13 Junho, 2012 14:14

    Não tem de agradecer, aremandus.

    Gostar

Trackbacks

  1. Praça da República » Sobre os aeroportos fantasma

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: