Saltar para o conteúdo

o que têm o ps e antónio costa a dizer sobre isto?

1 Fevereiro, 2015
by

«FMI arrasou governo. Portugal só fez um terço das reformas exigidas pela ‘troika’?».

É do senso comum no PS dizer-se que o governo de Passos Coelho «foi muito para além da troika». Isto significa, em linguagem subliminar, que este governo é composto por fanáticos liberais, que impuseram ao país um programa de xiismo fundamentalista, com medidas e reformas muito para além do que se encontrava no memorando assinado pelo Partido Socialista de José Sócrates, onde, graças à sensibilidade social do malogrado ex-primeiro-ministro, se salvaguardavam todos os benefícios sociais que foram perdidos nestes últimos três anos.

Ora, segundo dados oficiais do FMI e da Comissão Europeia, o ímpeto reformista do governo de Passos ficou, afinal, muito aquém do acordado nesse memorando, tendo sido executado pouco mais de 1/3 do que estava planeado.

Assim, talvez não fosse pior que António Costa e o seu PS se definissem sobre como vão negociar com os credores de Portugal: ficam-se pelas medidas timoratas do governo actual? Irão mais além nas reformas e na famigerada «austeridade» que tanto criticam, mas que não é mais do que o resultado dessas medidas? Ou preferem, em definitivo, a via de Alexis Tsipras, que tem sido, no fim de contas, a proposta pelo nosso Bloco de Esquerda, por Francisco Louçã e por Catarina Martins?

Ideias claras são necessárias. Sobretudo para um partido que daqui por seis meses poderá estar a dispor das nossas vidas.

31 comentários leave one →
  1. António Costa é o salvador permalink
    1 Fevereiro, 2015 17:15

    Eu sou assim. É inadmissível que este governo tenha aumentado a divida no ano passado em 8 mil milhões de euros (resultante do défice), mas nada disse, quando o governo liderado pelo meu amigo Sócrates tinha défices de 11%, equivalente a 17 mil milhões de euros. Aumentar 8 mil milhões de euros é mau, aumentar 17 mil milhões já é bom

    Gostar

  2. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2015 17:43

    “Sobretudo para um partido que daqui por seis meses poderá estar a dispor das nossas vidas.”
    Vade retro marajá.
    O número 2 do 44 é bem pior que ele
    Se os portugueses não aprenderam nada com os últimos governos dos socialistas onde este costa era o n~2, pois será bem feito que os gregos regressem

    Só para recordar

    Gostar

    • 3 Fevereiro, 2015 03:03

      á chega de “tretas”. O fulano ficou em liberdade, mas ninguém soube , se bem!

      Gostar

  3. 1 Fevereiro, 2015 18:00

    É incrível como você ainda acredita nos terroristas do FMI. Há gente capaz de tudo, de inverter as realidades de ver através de binóculos ao contrário só para enganar o pagode e dar a entender que percebem daquilo que dizem e escrevem. Chega de nos enganarem com o FMI. Embusteiros e terroristas económicos é aquilo que na realidade essa gente é e tem sempre sido.

    Gostar

    • Tiradentes permalink
      2 Fevereiro, 2015 09:39

      E o que é o FMI?

      Gostar

      • Tiradentes permalink
        2 Fevereiro, 2015 09:43

        é uma organização terrorista financiada por 188 países para dar cabo deles próprios…..

        Gostar

  4. 1 Fevereiro, 2015 18:42

    O maior problema deste país é a má relação que os políticos têm com a verdade e, consequentemente, com a realidade. Navegam numa nuvem de opacidade, onde todas as más actuações são as dos opositores e as deles, às vezes piores, como é o caso, são sempre louváveis. É desonestidade que campeia, e este caminho só nos irá levar ao descalabro. Desde que começamos a receber apoios da UE para realizar obras, algumas vezes mal planeadas e sem acompanhamento necessário, que tem sido um fartar vilanagem. As nossas desgraças, ininterruptamente, têm um percurso de mais de 20 anos e todos os governos têm responsabilidade nisso, quer por incompetência, quer por compadrio com os agentes que, lateralmente, têm financiado os partido do tal malfadado “arco do poder”. Era precisa uma nova cultura democrática, mas com estes mestres nada pode mudar.

    Gostar

  5. 1 Fevereiro, 2015 18:43

    Costa já explicou ao grupo parlamentar que a dívida não é renegociável e muito menos para não pagar.
    Um dia também vai dizer isso ao País.
    E nesse dia cortará o subsídio à fundação de son ami Soares e de caminho à da Augusta Esposa.
    E assim a troika começará a ficar contente.
    Graças a Deus.

    Gostar

  6. 1 Fevereiro, 2015 18:47

    “Ideias claras”, vindas deste P”S” ? Quanto menos ideias e promessas, melhor para o ACosta. E o “maralhal” que já está ansioso pelo salvador, agradece que não lhe coloquem ideias na cabeça para pensar e…mais tarde recordar.

    Gostar

  7. LTR permalink
    1 Fevereiro, 2015 19:04

    Ideias claras? Ouça o discurso de hoje do homem e pasme! Palha, palha, e mais palha sem um átomo de opções políticas. Tudo são desejos, críticas a situações cujo contexto ou parcialidade da verdade ele próprio molda, distorções, omissões, etc. Temos de nos unir, de estar disponíveis, vamos ao Algarve em Abril, isto está muito mal, o país agora endividou-se e em 2011 estava tudo bem, e coisas do género. É de um vazio que até mete medo. Consegue ser quase igual ao Ferro.

    Gostar

    • 1 Fevereiro, 2015 20:22

      Costa e Ferro “ambos os dois” (como di$$e certa vez um dos patrocinadore$ do P”S”) estão na política como profissão. Se atingirem lugares de destaque envaidecem-se e ficam servis; caso contrário, o ordenado certo e a vaidade pessoal chega-lhes — pobres diabos, envaidecerem-se só por serem conhecidos no rectângulo…

      Gostar

  8. Marquês Barão permalink
    1 Fevereiro, 2015 19:08

    Carregar Costas. É disto que o meu povo gosta.

    Gostar

  9. 1 Fevereiro, 2015 21:30

    O PSD só teria a ganhar com esta avaliação do FMI, se tiver o bom senso de romper com os elogios à Troika, pelas razões que dou neste post: http://marques-mendes.blogspot.pt/2015/02/podemos-evitar-repetir-os-erros-dos.html

    Gostar

  10. licas permalink
    1 Fevereiro, 2015 22:13

    Meus caros blasfemos : o que o Costa pretendeu dizer é muito simples,
    1/3 > 1. Temos aqui um matemático “e peras” . . .

    Gostar

  11. Beirao dos Sete Costados permalink
    1 Fevereiro, 2015 22:31

    Nao temos politicos em Portugal. Ha uns “politiqueirozitos”, mais aprendizes que outra coisa qualquer. O que gostam e de ser tratados por “dotor”. Dentro da cachimonia nao teem grande coisa nem nunca provaram nada na via. Aprenderam a viver da chulice (a custa dos outros) e povo continua a acredita nestas bestas – sejam eles de cor forem – nenhum deles presta.
    Os gregos estao a dar uma licao a UE (apesar de serem de esquerda ou direita – nao interessa!) pelo patriotismo que mostram ao quererem uma alternativa para a situacao catastrofica em que se encontram. Sabem que a divida e impagavel e apenas querem uma alternativa. Depois de 5 anos de austeridade estao muito pior, cansados de promessas e nao teem esperancas no futuro. Em Portugal ainda a procissao vai no adro, esperem (mas sentados) por alguma melhora.

    Gostar

  12. Euro2cent permalink
    1 Fevereiro, 2015 22:54

    > Ideias claras são necessárias.

    Alguém está tristemente enganado.

    Mais precisamente, alguém está enganado, e nós estamos tristemente lixados por causa disso.

    (Isto nota-se mais desde o “século das luzes”, quando começaram a ter “ideias claras” a torto e a direito, com correspondentes mortícinios para ficar tudo bem esclarecido.)

    Gostar

  13. Luís Marques permalink
    1 Fevereiro, 2015 23:15

    O António Costa e o PS não vão dizer nada sobre isto porra, nem nós lhes vamos perguntar, é esse o problema.

    Gostar

  14. Procópio permalink
    2 Fevereiro, 2015 00:31

    O PS está perante a idiotice grega como está perante todos os assuntos, alheio.
    Vamos esperar o que aí vem. Eu se fosse ao costa não estava descansado.
    Mas ele lá sabe se com o apoio do pacheco, da sic e dos aventais, consegue enganar meio mundo. Da Grécia não vem bom vento para ninguém.

    Gostar

  15. Castrol permalink
    2 Fevereiro, 2015 01:06

    O Sr António Costa tem um tique que me deixa nervoso:

    Quando a conversa não lhe interessa, ou é confrontado com a realidade dos factos, assobia para o lado.

    Qualquer dia cai-lhe o assobio…

    Gostar

  16. 2 Fevereiro, 2015 01:16

    http://www.publico.pt/sociedade/noticia/ocde-diz-que-portugal-cortou-o-dobro-na-saude-do-que-acordou-com-a-troika-1582923

    O curioso aqui é que parte das medidas que este “governo” decidiu rejeitar eram coisas que afectariam interesses privados, tais como reduzir os pagamentos para as escolas com contratos de associação.

    Ou seja, este “governo” foi para além da troika nos cortes aos estado social, mas aquém da troika no combate À corrupção, ao clientelismo, e aos interesses privados.

    O PSD merece tornar-se no “PASOK”, já que fez um trabalho tão semelhante.

    Gostar

    • Nuno permalink
      2 Fevereiro, 2015 01:50

      Renegociar PPPs na área da saúde, baixar os preços dos medicamentos para o estado e promover a prescrição por princípio activo, é cortar no estado social.

      As escolas com contratos de educação é que são “interesses privados.”

      Já se tivesse sido ao contrário, eram os interesses obscuros da área da saúde que tinham impedido o governo de cortar.

      Gostar

      • 2 Fevereiro, 2015 02:36

        Que bela anedota essa, então os cortes na saúde que foram o dobro do acordado foram todas essas que descreve, sem cortes na prestação de serviços, sem aumento da mortalidade, sem um certo ministro a dizer que «700 mortos em urgências em Janeiro nada tem de assustador».

        Seria difícil, já que no que diz respeito a renegociações das PPPs este governo basicamente começou logo por cortar as as suas armas negociais, no que foi atacado pela TIAC e defendido pelo PS esse outro partido do centrão. Afinal, as PPPs são a obra do regime, aprovadas pelos deputados de ambas as bancadas, e surgindo em todos os governos pós moeda única, desde Guterres a Durão, continuando com Sócrates. Todas as renegociações de PPPs aconteceram em circunstâncias de enorme promiscuidade e falta de transparência e resultaram em ganhos muito duvidosos para o estado, como aliás as privatizações ao desbarato em que este governo se tornou perito.

        Lá subir taxas moderadoras e cortar nas prestações sociais souberam, mas ferir os interesses instalados, nem sequer de um leve beliscão foram capazes.

        Gostar

  17. Luís permalink
    2 Fevereiro, 2015 02:21

    «Ou seja, este “governo” foi para além da troika nos cortes aos estado social, mas aquém da troika no combate À corrupção, ao clientelismo, e aos interesses privados.

    O PSD merece tornar-se no “PASOK”, já que fez um trabalho tão semelhante.»

    Estou farto de escrever nos comentários deste blogue que a actual maioria defende interesses obscuros em prejuízo do bem comum.

    Não é só com os colégios privados: muitos são uma negociata obscura que conheci por dentro onde se «vendem» médias internas elevadas para facilitar o acesso ao Superior, mormente a Medicina. Isto está provado por um estudo da Universidade do Porto que recorre a uma elevada amostra.

    A banha da cobra da «economia social» visa favorecer um ramo muito obscuro e mal escrutinado do Estado Paralelo: as IPSSs com destaque para as Misericórdias. Acredito que uma profunda reforma do Estado Social permitiria um corte substancial das verbas destinadas à imbecil «economia social». O mesmo Governo que corta nas prestações sociais e dificulta o acesso às mesma empurra os pobres para o assistencialismo, onde muitos boys e girls encontram o seu emprego bem remunerado…

    Temos ainda a caricata situação dos jogos sociais, que na realidade é um mecanismo de transferência maciça de dinheiro da classe média-baixa e das classes mais desfavorecidas para o Estado e para a Santa Casa. Prefiro o modelo de jogo e apostas inglês, ao menos no Reino Unido o jogo e as apostas dão emprego, há abertura total à concorrência, é gerada riqueza, há transparência, a carga fiscal é justa e há defesa dos direitos do consumidor.

    O liberalismo PSD consiste em entregar a privados, o que faz o Estado, sem reduzir a carga fiscal… para criar rendas garantidas em sectores como o «negócio da pobreza», Saúde e Educação.

    Outro exemplo de defesa de interesses em prejuízo da vontade da maioria dos portugueses: a estúpida taxa sobre os discos rígidos.

    Ainda tive alguma esperança quando Álvaro dos Santos Pereira e Vítor Gaspar estavam no poder mas desde que saíram o Governo, na minha opinião, morreu. Paz à sua alma.

    Gostar

    • manuel permalink
      2 Fevereiro, 2015 11:34

      Concordo, mas o dramático é que o PS não vai mexer nisso tudo e pior, nem diz o que fará!

      Gostar

  18. campus permalink
    2 Fevereiro, 2015 11:00

    Pedir ideias claras ao Costa….. Ah Ah AAAAhhhhh Ah Ah AAAAHHHHH !

    Gostar

  19. carla permalink
    2 Fevereiro, 2015 13:00

    Não fizeram reformas no setor da energia e dos combustíveis, nem reduziram as altas comissões das PPP’s … não despediram na função pública os não sei quantos mil trabalhadores – aniquilação total da classe média – mas para lá caminham, mais lentamente. Claro, a troika não está satisfeita. Digamos que este Governo, para chegar perto das metas do défice, aplicou medidas do lado da receita (impostos, taxas e taxinhas), e muito menos do lado daquela despesa chamada “benefícios aos grandes grupos económicos”… preferiu retirar ao Estado Social já tão pouco sustentável o pouco que este detinha. O que quer dizer que as fontes de despesa excessiva continuam lá, nada mudou. Só se empobreceu o povo. Logo, claro que a Troika não está satisfeita porque se fez em excesso de um lado (muito além do sugerido pela Troika) e muito pouco do outro onde está efetivamente o foco do problema.

    Gostar

  20. PiErre permalink
    2 Fevereiro, 2015 16:38

    O que se aproveita do Costa é aquela voz de barítono. Nada mais.

    Gostar

  21. Buiça permalink
    2 Fevereiro, 2015 23:21

    É tudo uma questão de “Atitude”… com Costa a “europa” vai mudar de “Atitude”, o astral vai logo melhorar por a opinião publicada mudar logo de “Atitude”, o défice será logo relativizado com toda uma nova “Atitude”, os impostos serão encarados com a tal “Atitude” global e nao estar agora a esmiuçar o que aumenta e o que baixa, nao nos preocupemos com detalhes, com a “Atitude” certa tudo vai ao sítio.
    Ah e não se esqueçam de lhe dar maioria absoluta.
    Seria a única “Atitude” correcta da vossa parte.
    Porque sim, porque “já chega” de “tudo isto”.

    Eu sei que ainda faltam muitos meses, mas até agora é isto que temos. E provavelmente vai tudo caír outra vez na esparrela.

    Gostar

  22. 3 Fevereiro, 2015 03:00

    Costa, por certo, vai CUMPRIR a palavra dada. Nenhuma retrete municipal, permanecerá pública. PAGA TAXA – só lá vão ricos e funcionários PÚBICOS !

    Gostar

  23. Slint permalink
    3 Fevereiro, 2015 18:00

    O que é que o Costa tem a dizer sobre isso? Não sei, nem me importa. O que eu tenho a dizer sobre isso? É claramente uma encomenda do governo para que as pessoas possam dizer algo do género: “Afinal este governo até gosta muito de nós e não segue tudo o que a troika diz”
    Só se deixa enganar quem quer. Ano de eleições….nada de novo.

    Gostar

Trackbacks

  1. Rui A. não percebe mas faz-se um desenho – Aventar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: