Skip to content

Melhor não violarem ninguém

27 Setembro, 2016

Recebi, nos últimos dias, algumas mensagens acerca da minha misoginia, brutalidade, bestialidade e grunhideira. O habitual, previsível como um chá a meio da tarde, algo que nos reconforta para o resto do dia. Porém, um anónimo “ya, eu sou de esquerda, yo” sugeriu que eu fiz um apelo à violação da Mariana Mortágua. Primeiro ri: é altamente implausível por todos os motivos imagináveis, incluindo alguém desgraçar a vida só porque eu o teria – eventualmente – sugerido, achar que a Mariana tem fetiche por assaltos na rua por gajos espadaúdos que não sejam como os xoninhas que apoiam o Bloco é o mesmo que um apelo à violação. Se há coisa que parece evidente é que os desejos de Mariana não são concretizáveis, incluíndo esse, caso seja mesmo real. Depois, sorri ao pensar que isso era um pretexto para poder evidenciar – mais uma vez – o quão a esquerda revolucionária está sempre preparada para dar pancada, mas nunca preparada para a receber. Depois, ainda, achei piada quando fui ver que essa micro-indignação é sobre aquilo que acham o máximo na rádio pública sob a batuta da dupla Quadros e Nogueira. Mais à frente, fui ler o que escrevi e constatei que intui um desejo de Mortágua de uma rua mais musculosa, daquele tipo de rua que é boa para a revolução e depois, quando começa a incomodar, é transformada em carnificina pelos dirigentes revolucionários. Depois, deixei de perceber a acusação: então a deputada propõe roubar proprietários e não está disposta a ser assaltada ela própria? E a igualdade? E a justa distribuição de riqueza? E a torre de marfim que a esquerda impoluta inventa para si própria para justificar as suas atrocidades? E a imbecilidade dos dirigentes do Bloco que, deixando queimar a ex-estrelinha da sorte Mortágua, fazem um favor aos socialistas, os que nem têm que anunciar nada excepto, nas entrelinhas, o rumo ao colapso da tesouraria? A forma como Mariana se expôs é que é anormal. Não é acusando-me de misóginia, brutalidade, bestialidade e grunhideira – o meu pequeno-almoço – que apagam a vossa própria inépcia para estarem no lado da governação. Vocês são o protesto, não são o governo. Cinjam-se ao que sabem fazer, que é cantar “Grândola, Vila Morena” a meio de apresentações em teatros com quartos-de-banho unissexo com o charro no bolso.

Ah! E agora um apelo formal: por favor, não violem a Mariana Mortágua, OK? Não violem ninguém. Isso é mau. Já agora, não assaltem ninguém, OK? Isso é mau. E, para a próxima, acho que deviam – mesmo – escolher um alvo que se incomode com o que se diz dele.

Advertisements
56 comentários leave one →
  1. PiErre permalink
    27 Setembro, 2016 10:20

    1º- Não há desejos reais. Os desejos são sempre imaginários.
    2º- Violar é tocar viola.

    Gostar

  2. Licas permalink
    27 Setembro, 2016 10:40

    “violação da Mariana Mortagua”? olha,este gajo sonhou com o mickey spillane.ó pá,vai fazer a unica coisa que sabes fazer(e mal):vender biblias.

    Gostar

    • holonist permalink
      27 Setembro, 2016 10:57

      Oh Licas , porque que nao vais fazer aquilo que tu sabes fazer bem ? Comer baldes de merda!

      Gostar

      • Licas permalink
        27 Setembro, 2016 11:57

        leva-os pra fatima,e coloca as biblias sebentas,la dentro.

        Gostar

      • ABC permalink
        27 Setembro, 2016 12:10

        Holonist, não percas muito tempo com alguns licas que começam a aparecer por aqui, mas que já são veteranos doutras paragens. A táctica é a mesma, os IPs também, só mudam os nicks.
        Trata-se de inserir à marretada, em qualquer fórum, obscenidades, para provocar duas reacções:
        – responder na mesma moeda a avacalhar a coisa
        – desviar as atenções do assunto principal
        São os chamados trolls, e o único modo de os eliminar é passar adiante. Ler não vale a pena, dar ratings também não.

        Gostar

  3. honi soit qui mal y pense permalink
    27 Setembro, 2016 10:53

    here it is

    Gostar

    • PiErre permalink
      27 Setembro, 2016 13:38

      Isso é o Alcorão, pá!

      Gostar

      • honi soit qui mal y pense permalink
        27 Setembro, 2016 14:52

        Não é nada . É o Mickey Spillane , o escritor .

        Gostar

      • honi soit qui mal y pense permalink
        27 Setembro, 2016 14:53

        O livro aberto é as páginas amarelas .

        Gostar

    • Licas permalink
      27 Setembro, 2016 16:22

      honi soit:fala-se no spillane,e falam no alcorão.isto chama-se maniqueismo.de qualquer form,dou mais uma ajuda.o tiger mann(personagem dos livros do spillane) era um espião anti-comuna.querem que faça um desenho?

      Gostar

      • sam permalink
        28 Setembro, 2016 00:04

        A Gente de Smiley 🙂

        Gostar

      • honi soit qui mal y pense permalink
        28 Setembro, 2016 10:13

        Jovem … era mais nesta série do Spillane …a Velda …anos 70, e 80 .

        Gostar

  4. 27 Setembro, 2016 11:09

    Eu diria justa uma declaração do género: “Mariana, partia-te o mealheiro todo”, depois de ela ter sugerido partir o mealheiro de toda a gente.

    Liked by 1 person

  5. honi soit qui mal y pense permalink
    27 Setembro, 2016 11:20


    =

    Gostar

  6. 27 Setembro, 2016 11:52

    Violar a esganiçada?

    Talvez um imberbe adolescente virgem sinta tesão por tal aventesma… de outro jeito só mesmo violada por um objecto tipo bastão de beisebol ou algo semelhante.

    Não é fácil encontrar alguém com vontade de violar tal coisa.

    Gostar

  7. ABC permalink
    27 Setembro, 2016 12:18

    Violar a Mariana? Que maldade. Talvez precise duma boa foda, não sei. Talvez. Talvez se levar umas boas fodas sinta menos necessidade de foder toda a gente. Talvez. Não sei, não a conheço. De vez em quando sinto a mão dela a tentar entrar-me no bolso, mas acho que é por interesse, não é por amor.

    Gostar

  8. Carlos Alberto Ilharco permalink
    27 Setembro, 2016 12:19

    Desculpem sair do tom,
    A foto aqui publicada, é de uma mulher altamente desejável e, isto sou eu a sonhar, que deseja.
    Se a parte masculina (e sei lá alguma feminina) que vem aqui, não pensa assim, estamos muito mal.
    Já basta aquele que vêm no livro do Saraiva.
    Arrebitem-se.

    Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      27 Setembro, 2016 12:26

      recomendável …

      não digam asneiras … deixem lá a rapariga vender as ideias deles … contrargumentem com elevação e sabedoria … há eleições … eles não queriam , mas há …

      Gostar

      • honi soit qui mal y pense permalink
        27 Setembro, 2016 12:28

        ou assim :

        Gostar

  9. António C. Mendes permalink
    27 Setembro, 2016 12:45

    Ando há cerca de um mês por várias paragens longínquas que me obrigaram a fazer umas visitas muito esporádicas a esta casa. Não é necessariamente mau. Permite olhar com um bocadinho mais de distância, o que por vezes é positivo.
    Mas deu para perceber que, ao VC (ainda bem) ainda não lhe doem os dedos; há na rua um novo documento de lucidez que comprarei assim que puder (não é o do Saraiva – esse peço emprestado aos Arlindos, Bolotas e Licas); o BE vai rebentar com qualquer coisa (parte do PS, parte do PC, com ele próprio, connosco); a rádio publica acolheu um par de atrasados mentais inimputáveis (que ouvi por acaso no carro esta manhã e não qualificarei) pagos por nós para arregimentar gerações.

    P.S. Já me esquecia. E há o coiso!! Há sempre o coiso!! Para o bem e para o mal, nunca nos livraremos do coiso (fosga-se)!!!!!!

    Gostar

  10. Roger Vilar Russo permalink
    27 Setembro, 2016 12:55

    Normalmente quem fala em em barco quer embarcar…

    Gostar

  11. licas permalink
    27 Setembro, 2016 16:00

    Uma deputada da moda

    Ela julga-se um portento
    No limite do autismo
    Semblante de ar atento
    Julgando o Capitalismo
    Essa tal vil invenção
    Que mata a População.

    Papá assaltava Bancos
    Da ignóbiç Burguesia,
    Amante de solavancos
    Eis como ele agia:
    Para si ficava o saldo,
    Gozava como fidalgo.

    Vai a filha no intento
    Dos humanos resgatar,
    Continua no momento
    Em constante objurgar:
    Socialismo p’rá frente
    Progresso já evidente.

    licas fecit

    Gostar

    • PiErre permalink
      27 Setembro, 2016 20:40

      Olha, reapareceu agora o Licas de Camões. Já tardava!…

      Gostar

  12. Manuel permalink
    27 Setembro, 2016 16:14

    Essa Mariana muito elogiada pelo Ricardo Salgado, anda a passar todos os limites. No último fim de semana foi para os Açores incendiar a banca e com ameaças ao Santander, por acaso, o único banco onde se pode colocar dinheiro, Disse a deputada que como o Santander não resolve o problema dos lesados do Banif, então os Açorianos deviam transferir o dinheiro do Santander para a CGD. A esquerdopatia da MM começa a constituir um sério problema económico-financeiro. As suas palavras são terrorismo financeiro.

    Gostar

    • António Castro permalink
      27 Setembro, 2016 16:34

      Deixa a “piquena” sossegada. Ingressou na política, e por definição, só vai para político quem não sabe fazer mais nada.

      Liked by 2 people

      • Manuel permalink
        27 Setembro, 2016 16:47

        A conversa dela começou a mexer com o direito de propriedade e a situação tem de ser de confronto.

        Gostar

    • Licas permalink
      27 Setembro, 2016 17:14

      “confronto” senhor? “terrorismo financeiro” senhor? o pá,afinal isto de tirar nabos da pucara,é facil.p.s.-bem me parecia,que deixar entrar neotontos no psd ia dar este resultado.

      Gostar

      • 27 Setembro, 2016 18:10

        Vou bloquear esta pessoa. O motivo pelo qual o vou bloquear é por usar o nome de outro (que não usa um IP de um ministério para comentar). Opte por outro nome e siga a marinha.

        Gostar

      • António C. Mendes permalink
        28 Setembro, 2016 10:30

        “Opte por outro nome”!!! Lindo!! Mas mantenha o IP que a gente paga.

        Gostar

  13. Arlindo da Costa permalink
    27 Setembro, 2016 16:59

    Também vou pedir para ninguém violar o ilustre articulista…

    Por favor tenham pena dele.

    Gostar

    • 27 Setembro, 2016 18:03

      Agradeço. Mesmo que isso implique conter-se.

      Liked by 1 person

      • Manuel permalink
        27 Setembro, 2016 18:26

        Efectivamente a conversa do Licas parecia-me de uma pessoa pouco coerente, já entendi, afinal havia outro” Licas” e que anda aqui a ilidir causas com um IP de um ministério e pago pelos nossos impostos.

        Gostar

  14. 27 Setembro, 2016 18:29

    KGWC
    (keep the good work, Cunha)

    Gostar

  15. pita permalink
    27 Setembro, 2016 18:57

    Invoco para si o que espero ser bem aceite. Elimine o lixo que aparece nos comentários. Muito poucos se aproveitam. Só servem para que quem quer «a informação» se afaste: é sempre aquela…
    Eu também sei de IPs e técnicas de eliminação de abortos mentais. Pode aproveita-las em seu proveito.

    Liked by 1 person

    • sam permalink
      28 Setembro, 2016 00:26

      Coisa problemática: é fácil as boas intenções acabarem numa campanha de eugenismo cibernético. Os resultados, patentes na esmagadora maioria dos blogues de esquerda, são no mínimo confrangedores.

      Gostar

  16. brunopeixe permalink
    28 Setembro, 2016 12:14

    “E, para a próxima, acho que deviam – mesmo – escolher um alvo que se incomode com o que se diz dele.” incomodas-te tão pouco que até te deste ao trabalho de escrever isto.

    Gostar

  17. 28 Setembro, 2016 15:08

    vitorcunha…és só uma besta. qualquer outro adjectivo seria redundante.

    Gostar

  18. Tesla permalink
    29 Setembro, 2016 10:37

    Viva o pluralismo, a democracia, o multicultiralismo! Contudo, sempre sobre a mordaça do politicamente aceitável.. Ai a querida, “piquena”, caso estivesse verdadeiramente no poder, nem sei o que faria de plural, democrático ou multicultural!

    Gostar

  19. 29 Setembro, 2016 20:52

    vitorcunha, um pedido de esclarecimento, por causa de uma discussão sobre o alegado “apelo à violação”: o que querias dizer com “ser assaltada na rua por brutamontes cheios de testosterona”? Sem ambiguidades. Cumprimentos.

    Gostar

    • 29 Setembro, 2016 23:03

      Queria dizer: ser assaltada na rua por brutamontes cheios de testosterona. Pode ser por esticão.

      Gostar

    • 29 Setembro, 2016 23:05

      Estou a brincar. Queria dizer, na realidade, que Proust nunca sentiu a dor de ler Proust.

      Liked by 1 person

    • 29 Setembro, 2016 23:08

      Continuo a brincar. Mas agora vou falar a sério. Queria dizer que o Corbyn pode sugerir linchar quem quiser mediante o aplauso da esquerda que apoia a Geringonça. http://www.dailymail.co.uk/news/article-2832286/Labour-MPs-cheered-jokes-lynching-Tory-minister-killing-royal-sick-alternative-poppy-day-comedy-night.html

      Também falava a sério sobre Proust.

      Gostar

    • 1 Outubro, 2016 09:47

      Vitor, estou longe de ser esquerdista, mas vou explicar o motivo da minha pergunta.
      Segundo muitos apoiantes do Bloco, apelaste à violação ou descreveste uma violação sexual, e que só dirias algo similar relativamente a uma mulher.

      Um deles argumentou que como usaste a expressão “cheios de testosterona”, só poderias estar a referir a homens com desejos sexuais, porque interpreta-a como «como homens com necessidades de “esvaziar os tomates”», em vez de posse de características viris, como na massa muscular – o que me parece ser a interpretação mais óbvio, tendo em conta que disseste: “que contrastem com os xoninhas”, e por ser o modo como a expressão é vulgarmente usada.

      Sempre achei que ser assaltado significa ser roubado com violência. É o que está nos dicionários e o Bloco de Esquerda é o partido onde se usa mais o termo “assalto” que os seus apoiantes deveriam saber qual é o seu significado.

      Nem sei como sabem se dirias ou não algo similar a uma mulher, mas o texto não é suficiente para se tirar uma conclusão dessas, nem é bom como argumento.

      Gostar

      • 1 Outubro, 2016 09:51

        “Nem sei como sabem se dirias ou não algo similar a uma mulher” = “Nem sei como sabem se dirias ou não algo similar a um homem”

        Gostar

      • 1 Outubro, 2016 10:55

        Não há nada a explicar. Eu escrevo um texto, as pessoas gostam, não gostam ou são indiferentes a ele. Se desperto o desejo de “defensores da liberdade” com forquilhas em matilha, isso é só o bónus.

        Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: