Skip to content

Quer Conhecer o Carácter de Alguém?Dê-lhe poder!

20 Fevereiro, 2017

Digam lá o que disserem, o caso CGD está a ser espantosamente revelador. É uma autêntica injecção contra anos de falsas teorias de que a esquerda é moralmente, eticamente e politicamente superior à direita. Num espaço de apenas um ano, com elas todas no governo graças a esta aliança inédita de Costa com comunistas e radicais de esquerda, podemos testemunhar que esta governação opaca, onde não faltaram mentiras, maroscas, ilegalidades, inconstitucionalidades e abusos de poder, já ultrapassou a média anterior. E não vai ficar por aqui…

Incapazes de admitir os erros, assim que são apanhados em flagrante, contorcem-se todos como minhocas desprovidas de espinha dorsal, mas pouco se ralando com isso. Mantêm a postura com a maior cara de pau, sem complexos por não serem sequer convincentes. E ainda acrescentam mais umas quantas mentiras para povo ignorante comer. Afinal, mentir em governação não é crime a não ser nos países desenvolvidos. Por isso, estão safos. E depois, quando se tem um Presidente da República a defender o indefensável por estar metido até ao pescoço nas mentiras do governo, melhor ainda. É ele próprio a encerrar o assunto “morto” por diversas vezes, mas que não consegue enterrar. A não ser a ele próprio…

Junte-se ainda a prestação deprimente de Mariana Mortágua, a tal menina tão tenaz a crucificar banqueiros em CPI’s e Galamba, o eterno boy contorcionista do PS, que numa tentativa desesperada de branquear as culpas de Centeno, Marcelo e Costa, “eutanasiaram-se” ao vivo e a cores, em directo na TV. Incrível. Um momento épico digno de registo para memória futura. Para não falar de  Estrela Serrano que veio colocar a cereja no topo do bolo afirmando taxativamente que Domingues foi útil na capitalização da CGD junto da UE, logo, usá-lo desta forma era perfeitamente aceitável. Assim sendo, a culpa é de quem se pôs a jeito. E afirma-o com toda a clareza sem medo… Simplesmente assustador.

Assim, como se não bastasse a incapacidade de gerir o país com políticas responsáveis, acrescenta-se a falta de carácter e qualidade humana de todos os protagonistas desta criação a que lhe chamaram e bem, geringonça. O problema é o rasto destrutivo que deixa na sociedade. Porque não se limitam a gerir mal: provocam falências. Não se limitam a mentir: destroem a credibilidade de um país inteiro quer internamente, quer perante o exterior. Não se limitam a usar o poder: amordaçam todos (cidadãos, comunicação social, oposição) os que puserem em causa seus lugares.

Agora, e por muito que tentem, jamais poderão esconder que as belas teorias marxistas apenas escondiam, aqui como noutros lugares do Mundo,  a sede de poder que depois de saciada, provocou amnésia nas mentes brilhantes dos defensores do povo para  transformar a governação numa ditadura de esquerda.

Já dizia Abraham Lincoln e muito bem: “… se quiser pôr à prova o carácter de um homem, dê-lhe poder”.

Fact check!

Advertisements
36 comentários leave one →
  1. LTR permalink
    20 Fevereiro, 2017 13:43

    Esqueceu-se da ocultação, uma das caraterísticas fundamentais do socratismo. Já vamos na ocultação ostensiva ao parlamento em debate quinzenal, enquanto o presidente se pavoneia dizendo, no fundo, que os tempos justificam os atropelos. Não se iludam, porque isto vai ter um preço.

    Liked by 1 person

  2. Nuno permalink
    20 Fevereiro, 2017 13:47

    Não foi Edite Estrela, foi a Estrela Serrano.

    Liked by 1 person

  3. LTR permalink
    20 Fevereiro, 2017 14:00

    Só para refrescar a memória:

    -Os cofres estavam cheios (como estamos hoje?)
    -Havia folga (e subiram aos combustíveis?)
    -As pessoas não eram números (Sampaio e acólitos em parte incerta)
    -Havia mais vida para além do défice (Sampaio e acólitos em parte incerta)
    -Portugal era governado de fora (Costa era o tipo que ia mudar a Europa e bater o pé)
    -O investimento era baixo (cortou-se – quem vier a seguir vai levar com a pedra)
    -A dívida estava a crescer (com adiamentos, ainda por cima subiu)

    Agora, o grande trunfo do governo é cumprir com o ditado e até exceder os resultados prometidos à UE e FMI, tudo girando em volta do défice. E vamos seguindo, contentes e alegres, contraindo dívida para pagar obrigações mensais.

    Liked by 1 person

    • 20 Fevereiro, 2017 19:28

      Óptimo.

      Uma rectificação: essa, de as pessoas não serem números, foi lema do AGuterres.

      Gostar

  4. Manuel permalink
    20 Fevereiro, 2017 14:01

    Além do que escreveu e bem, quero que a oposição insista na exigência da apresentação da lista dos maiores devedores à CGD. Uma ordem do tribunal da relação não se cumpre? Nem na Venezuela! Desaparecem 5000 milhões na CGD e não há responsáveis? Porque não salvaguardaram o interesse público?Pedi 50000euros, exigiram hipoteca e exame médico numa clínica marcada pela caixa. Querem enganar quem? Ricardo Salgado(BES) e Oliveira e Costa(BPN) não explicam tudo.

    Liked by 1 person

    • LTR permalink
      20 Fevereiro, 2017 14:03

      Levou a caixa de robalos? 🙂

      Gostar

      • Manuel permalink
        20 Fevereiro, 2017 14:11

        Infelizmente sei como se conseguem os grandes empréstimos, mas como se entendeu pelas palavras do juiz Calos Alexandre,sem delação, a justiça não consegue chegar a muita corrupção que é quase sistémica.

        Gostar

      • LTR permalink
        20 Fevereiro, 2017 15:22

        Aí está uma boa questão para os jornalistas nas próximas legislativas: em vez de perguntarem aos candidatos se vão ou não subir o salário mínimo, aproveitar para perguntar “promete implementar a delação premiada no primeiro ano de mandato?”.

        Gostar

    • antónio permalink
      20 Fevereiro, 2017 21:12

      A geringonça já tornou Portugal numa Venezuela, o modus operandi da geringonça é semelhante, ou seja, bloqueio anti-democrático da maioria parlamentar a todo e qualquer inquérito ou revelação incómoda com a conivência do presidente da assembleia da república, em suma o Portugal de hoje é uma ditadura disfarçada de democracia muito semelhante ao vivido presentemente na Venezuela.

      Liked by 1 person

  5. javitudo permalink
    20 Fevereiro, 2017 14:21

    Não podemos deixar em branco quem furtou os 5000 milhões.
    Entre eles estão amigos de amigos ocultos ligados a rede que nos amordaça
    Com o dinheiro que roubaram compram jornalistas e chefes de redação.
    Quem são os chefes controladores das notícias e do putedo?
    Para desespero dos capos, nem todos se deixam comprar.
    A “omertá” é partilhada pela esquerda socrática, pelo triângulo banhista/kosta/C. Costa e pelas lapas agarradas ao poder.
    O problema deles é que já se ouvem alguns estilhaços.

    Liked by 1 person

    • Manuel permalink
      20 Fevereiro, 2017 14:38

      Existe também uma direita implicada, por acaso ou não, o Passos quando decidiu a resolução do BES deu-lhes com o martelo bem pesado na cabeçorra. Penso que o próprio Passos nem sabia no que se estava a meter, pois na altura, já se ouvia da elite financeira o seguinte pensamento: “se o BES cair, a CGD vai atrás”. Eventualmente, pode ter sido o BCE a decidir tudo, farto da corrupção sistémica do sistema financeiro; reiterou novamente quando mandou entregar ao Santander o Banif depois de expurgado do lixo tóxico.

      Gostar

    • antónio permalink
      20 Fevereiro, 2017 21:16

      Tenho para mim que os 5000 milhões é o que permitirá à CGD manter-se á tona sem se afogar. Desconfio que o buraco deve ser de pelo menos o dobro se não for mais. Por isso querem bloquear toda a informação sobre a CGD para que o cidadão contribuinte desconheça a verdadeira dimensão da catástrofe.

      Liked by 1 person

  6. oscar maximo permalink
    20 Fevereiro, 2017 14:42

    Recomendo sobre o tema o texto de António Barreto no Sorumbático, passe a publicidade, mas cuidado para não apanhar o Alfredo Barroso pela frente.

    Gostar

    • antónio permalink
      20 Fevereiro, 2017 21:18

      Esse Barroso não é o que dizia ao antigo Bispo Martins de Setúbal aquando da segunda bancarrota que fome era na Etiópia e no Brasil ?? Caso seja esse é um bom jarreta. Pode ser que apareça por lá alguém que lhe espeto duas lostras nas ventas.

      Gostar

  7. 20 Fevereiro, 2017 15:54

    “… se quiser pôr à prova o carácter de um homem, dê-lhe poder” Corretíssimo! Já vi acontecer muito por aí :/

    Liked by 1 person

  8. Rão Arques permalink
    20 Fevereiro, 2017 17:46

    Marcelo ao banco do réus. Quando ainda se ouve o eco das suas palavras a incitar os jornalistas a não se vergarem perante interesses instalados, vem agora sem corar de vergonha dizer-nos ponto final e calem o bico como eu.

    Liked by 1 person

  9. Anónimo permalink
    20 Fevereiro, 2017 18:21

    LTR 20 Fevereiro, 2017 15:22

    “Aí está uma boa questão para os jornalistas nas próximas legislativas: em vez de perguntarem aos candidatos se …”.

    Santa inocência.

    Gostar

  10. Anónimo permalink
    20 Fevereiro, 2017 19:00

    Nomeadamente quanto o poder é obtido, e sobretudo MANTIDO, de forma abusiva.

    Liked by 1 person

  11. 20 Fevereiro, 2017 19:38

    Óptimo post.
    Mas não batam muito no MCenteno, senão o homem ainda chora ou imita num debate na ARepública a MLourdes Rodrigues virando-se para o JSócrates: “mas eles não me deixam falar…”.

    Liked by 1 person

  12. 20 Fevereiro, 2017 19:44

    A direita ainda não percebeu o absurdo que é continuar a cavalgar esta estória da CGD.

    Não têm mais nada a que se agarrar, é certo, depois de o diabo dos números não ter aparecido.

    Mas, acreditem, estes textos são ridículos.

    Gostar

    • 20 Fevereiro, 2017 19:53

      Absurdo, perigoso e imperdoável é ser governado por mentirosos como o MCenteno, AC-DC, Marcelo & associados.

      Se não temem a Verdade acerca da CGD, deixem que ela surja numa CInquérito, tenham a inteligência e estratégia para humilharem o PSD e o PP.
      O tanas, é que deixam… E a procissão ainda só vai no adro…

      Um dos problemas do P”S” é a Verdade acerca dos tais muuiiiiiitos milhões saídos da CGD ao tempo dos Varas e dos Ferreiras, para o que se sabe.

      Liked by 1 person

  13. 20 Fevereiro, 2017 19:44

    Escreve tão bem que me custa a crer que seja Cristina. Posso ver mais sobre si, noutras paragens (Facebook, livros ?)

    Gostar

  14. Arlindo da Costa permalink
    20 Fevereiro, 2017 19:56

    Esse aforismo aplica-se como uma luva ao Sr. Cavaco Silva.

    Deram-lhe poder e ele transformou-se num mafarrico. Um homem político que ultrapassou todas as barreiras do civismo e da boa educação.

    Gostar

    • 20 Fevereiro, 2017 20:16

      O JSócrates não se transformou; está no seu ADN o que se sabe e o que virá a saber-se.

      Liked by 1 person

    • antónio permalink
      20 Fevereiro, 2017 21:22

      Arlindo, o verdadeiro mafarrico era o tio Barreirinhas mas esses felizmente não foi empoderado.

      Gostar

  15. 20 Fevereiro, 2017 20:24

    Dai-lhe ou dê-lhe. Dei-lhe é que não estou a ver- é no passado

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      20 Fevereiro, 2017 22:07

      Nem me apercebi… Que grande bronca. Obrigada Zazie

      Gostar

      • 21 Fevereiro, 2017 11:12

        De nada. Desculpe ter dito assim mas li o título e soou-me mal.

        Ninguém reparou
        ehehehe

        Liked by 1 person

      • Cristina Miranda permalink
        21 Fevereiro, 2017 13:59

        Mas o pior é que nem dei por isso… Felizmente, no corpo do texto, a mesma frase estava bem. Contudo, estou apavorada porque apesar de ter corrigido de imediato, quando se faz 1 partilha, continua a aparecer com erro!!!!!! Só abrindo depousvo link é q aparece correcto 😦 Que grande bronca! Tenho mesmo de deixar de usar o Tlm para escrever na publicação. A escrita inteligente do Tlm e revisões à pressa, dá nisto 😦 Apreciei sua atenção 🙂

        Gostar

  16. José Domingos permalink
    20 Fevereiro, 2017 21:24

    Mas onde está o dinheiro que foi “retirado” da cgd.
    Estou-me a tornar repetitivo-
    Parabéns pelo texto.

    Liked by 1 person

  17. Mauritano permalink
    21 Fevereiro, 2017 06:31

    Bem sei que os xuxalistas actualmente no poder estão muito longe daquilo que Soares defendeu nos seus tempos de politico lucido. Mas já repararam que a palavra maroscas (de que este governo é um habil utilizador, da marosca e não da palavra em si) é terrivelmente parecida com Marocas (termo carinhoso para M.Soares). LOL

    Liked by 1 person

  18. 21 Fevereiro, 2017 17:06

    Assertivo. (como é habitual)

    Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: