Saltar para o conteúdo

Rendas pouco acessíveis a custos garantidamente milionários

22 Dezembro, 2019

Caro contribuinte, já ouviu falar da Rua Eduardo Bairrada, em Lisboa, onde agora foram disponibilizados 20 apartamentos para arrendamento dito acessível? Na Rua Eduardo Bairrada construiram-se em 2001 dois prédios para habitação social. A taxa de inquilinos que não pagava a respectiva e baixissima renda era de 100%. Em 2015 o arrendamento social acabou (arranjaram-se outras casas para os inquilinos) e anunciou-se que os prédios iam para arrendamento acessível. Gastou-se 1.300.000,00 euros a recuperar os prédios que note-se tinham 14 anos!!! Em Novembro de 2019,  as ex-casas sociais da Eduardo Bairrada surgem miraculadas em fogos recém-construídos para o programa Renda Acessível.

9 comentários leave one →
  1. Manuel Assis Teixeira permalink
    22 Dezembro, 2019 10:24

    Que cambada de aldrabões! É um ” ver se te avias” um “fartar vilanagem” desta maltosa socialista que nos suga com impostos e que nos mente diariamente, sem denúncia porque têm as várias redações controladas! Estamos desgraçados

    Gostar

  2. 22 Dezembro, 2019 11:27

    Helena, não percebi como chegou ao 1.3M€, mas a memória descritiva é esclarecedora :
    »”Pretende-se devolver aos edifícios as necessárias condições de habitabilidade…”
    »”reposição das adequadas condições de funcionamento …”
    »”Colocação de elevadores novos”. (será que não tinha elevadores ?)
    Se fala em “Devolução” e “Reposição”, é porque alguém “suprimiu” qualquer coisa!
    Depois foi quase tudo substituído, porque os ciganos habituados a viver em tendas “climatizadas”, agora não podem viver como 90% dos tugas nativos, em prédios desconfortáveis!
    Não podemos ignorar que estas tangas são apenas pretextos para negócios que duma forma ou outra alimentam os cofres do rato.
    Por isso a comunidade cigana é tão útil aos xuxas.
    Em 14 anos destrói um edifício, dando o “legítimo” pretexto para (re)construir outro, e o rato a facturar …

    Gostar

  3. Luís Lavoura permalink
    22 Dezembro, 2019 18:03

    A Câmara Municipal de Lisboa deveria era guardar estas casas para as arrendar exclusivamente a trabalhadores do Estado que são de fora de Lisboa e que são colocados em Lisboa para trabalhar. Por exemplo, professores. Atualmente há professores que não aceitam vir trabalhar para Lisboa porque não recebem suficiente ordenado para pagar uma renda. Estas casas da CML deveriam ser-lhes exclusivamente destinadas.

    Liked by 1 person

    • Velho do Restelo permalink
      22 Dezembro, 2019 19:44

      Isso era antes da Greta. Agora as grandes cidades já não precisam de professores.
      Os alunos com mais de 15 anos já sabem o suficiente para escrever um cartaz a declarar greve pela coisa climática, e ficam à espera que apareça um berardo qualquer para os patrocinar!
      Depois é só ir ao beija-mão do Toneca e estão lançados na carreira pulhítica … estudar é para totós 🙂

      Gostar

    • José Monteiro permalink
      25 Dezembro, 2019 09:37

      Nada a fazer, perante o geral alheamento dos ‘responsáveis’.
      Na Portela, no quartel do antigo RALIS, disponíveis cerca de uma dezena de grandes blocos, em perfeitas condições de manutenção e de custos de adaptação pouco elevados. Para professores e ou estudantes, por ex.
      Com cozinhas e refeitórios entre outras facilidades.
      Drama, a falta de interesse, a falta de intercomunicação entre os ministérios, a falta de vontade em resolver qq coisa, sem encomendar um exaustivo ‘estudo’ a um grupo de assessores recrutados nas jovens tribos do partido.
      Há mais de uma dezena de anos, em conferências na cidade universitária, alertei a arquitecta Helena Roseta, na mesa com o engenheiro Fernando Nunes da Silva, sobre carência de alojamentos para estudantes, da existência de um conjunto de instalações militares disponíveis ou a vagar. Reacção do Engº Nunes da Silva:mas vi isso na Alemanha, com um lar de estudantes geridos pelos mesmos!
      Pois.

      Gostar

  4. 26 Dezembro, 2019 19:04

    Ó Lena, quanto pagava o Santana Lopes no Palácio do Monsanto?
    Os buracos estão em todo o lado. Os vesgos é que olham para a direita e só veem a esquerda!

    Liked by 1 person

    • MJRB permalink
      26 Janeiro, 2020 18:51

      O Santana, o “inatacável” Santana, raramente utilizava a residência (da CML) em Monsanto. Serviu a sua presidência para alguns (poucos) actos oficiais e…para algumas “escapadelas”– “é a vida, está escrito nas estrelas !”.

      Gostar

  5. Castrol permalink
    26 Janeiro, 2020 12:33

    Xuxalismo ao mais alto nível!!!

    Gostar

Trackbacks

  1. Acham muito caras as remodelações feitas por Isabel dos Santos nos seus apartamentos de Lisboa? | BLASFÉMIAS

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: