Skip to content

Fábrica de imagens*

4 Junho, 2010

Quando a Frota da Liberdade se fez ao mar com destino a Gaza carregada de activistas e de ajuda humanitária era evidente que, não se vivendo em Gaza nenhuma situação de catástrofe, a dita frota partia em busca de um caso que lhes permitisse trazer o que definem como causa palestiniana para os noticiários.
E tinham boas razões para o tentar: a Intifada teminara; a contestação ao muro que isola a Faixa de Gaza tornou-se um caso encerrado não só porque se tornou evidente (e não por boas razões) que países como a Espanha mantêm muros bem mais intransponíveis em Ceuta e Melilla como sobretudo porque a diminuição drástica do número de atentados suicidas em Israel após a construção do muro terá levado a opinião pública a concluir que a tão contestada edificação tem poupado vidas aos israelitas e aos palestinianos.
Por outro lado, as investigações feitas posteriormente a imagens divulgadas pelos que se dizem defensores da causa palestiniana suscitam cada vez mais dúvidas sobre o que nos é apresentado como um massacre. Em 2006 a falsificação de imagens pelo Hezbollah na guerra do Líbano foi tão grosseira que o termo Pallywood passou a designar aquelas bonecas, vestidos de noiva e crianças enfaixadas espalhados pelo Hezbollah como adereços pelos locais dos combates. Mas muito mais grave que a manipulação destas imagens foi o problema gerado em Setembro de 2000, na sequência da transmissão pela France 2 duma reportagem que, segundo aquela cadeia de televisão, mostrava um rapaz de 12 anos, Mohammed al-Dura, agonizando nos braços do pai. O mundo ficou chocado com a forma de actuar do exército israelita e em Gaza começou a segunda intifada. Investigações posteriores mostraram que nada é o que parece naquela reportagem e por isso não mais se falou de Mohammed al-Dura. Remetida para o esquecimento foi também a menina cuja família foi morta em 2006 numa praia de Gaza. Enquanto os responsáveis pela morte da família de Huda Ghalia pareciam ser israelitas a comoção mundial foi enorme. Quando se percebeu que foi um rocket palestiniano o responsável por aqueles mortos não mais se falou do sucedido naquele dia, desfizeram-se os cordões humanos e os manifestantes arrumaram a indignação junto às bandeiras de Israel grafitadas com suásticas (uma vez na vida podiam colocar-lhe uma foice e um martelo porque no que respeita aos judeus Hitler e Estaline estavam de acordo).
Podia continuar indefinidamente dando exemplos da fábrica de imagens de que se alimentam os autodenominados defensores da causa palestiniana (e escrevo autodenominados porque na verdade o que estes activistas têm feito é contribuir para que os palestinianos não tenham nem o estado a que têm direito nem uma vida normal). Esta fábrica de imagens é fundamental como forma de justificar, no Ocidente, o ódio a Israel e sobretudo para manter em estado de fúria a rua islâmica e os palestinianos na eterna condição de tutelados dos movimentos radicais e dos seus glamorosos amigos da Europa e dos EUA.
O exército israelita tem cometido certamente abusos e os políticos israelitas como os de qualquer democracia enganam-se. Como aconteceu quando estiveram à beira do desastre na guerra do Yom Kippur em 1973 ou quando apostam numa política de colonatos que torna inviáveis umas fronteiras dignas desse nome num futuro estado palestiniano. Do que também não tenho dúvidas é de que Israel é uma democracia que tem como inimigos regimes que fazem do ódio a Israel boa parte da sua demagogia de massas, promovem grupos terroristas e vivem na ânsia duma nova intifada. (A propósito, quem paga os barcos desta frota?) E também não duvido que qualquer país europeu tomaria medidas muito mais drásticas do que Israel caso visse a sua existência posta em causa como acontece com os israelitas. Recordo que a Espanha, no ano de 2002, mobilizou a Armada, a Aviação, o Exército de Terra e a Guarda Civil para desalojar os seis guardas marroquinos que se tinham instalado, por ordens do governo de Marrocos, em Perejil, uma ilhota minúscula cuja soberania a Espanha disputa com Marrocos. Ou experimentasse navegar a dita frota para o Líbano, onde os palestinianos conhecem situações bem mais difíceis do que em Gaza. Ou para o terminal de Rafah, em Gaza, mas que ao contrário da restante costa é controlado pelo Egipto, que por sinal o mantém quase sempre encerrado.
O que aconteceu esta semana foi a criação de um facto em que a Turquia ao apoiar a dita frota assumiu um papel que tem de ser avaliado e em que os activistas transferiram para o mar o local de filmagens da produção de mártires que tanta abertura de noticiário lhes rendeu em terra firme. O exército israelita caiu na ratoeira. Não por ter actuado, pois qualquer outro país teria feito o mesmo em idênticas circunstâncias, mas sim por ter actuado de forma tão desastrada colocando em risco de vida os seus soldados, provocando a morte a várias pessoas e subestimando que muito mais importante do que aquilo que os activistas levavam a bordo era o que eles procuravam trazer: imagens. Conseguiram-no.

*PÚBLICO

About these ads
180 Comentários leave one →
  1. Bloody Mary permalink
    4 Junho, 2010 10:42

    Absolutamente de acordo.
    Grande post!!

  2. joao permalink
    4 Junho, 2010 10:51

    Não vale a pena. A esquerda troglodita anda de braço dado com a revolução verde ( islâmica )e acredita piamente que se os EUA e Israel cairem, os valores da esquerda troglodita ( laicidade, liberdade sexual, de costumes etc ) serão poupados pelos ayatholas de serviço. Sempre a fazer o papel de idiotas úteis desde 1917……

  3. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 11:01

    Situação de catástrofe vivem os Homens Madeirenses:

    Como explicar o facto de os Homens Madeirenses terem menos esperança de vida que os Homens de Gaza…?

    Talvez as “terríveis condições” a “fome” quando se vê mercados cheios de comida sejam propaganda pelos medias e jornalistas da Extrema-Esquerda Europeia aliados aos nazis islâmicos do Hamas.

    http://diario.iol.pt/sociedade/portugal-madeira-sociedade-populacao-jovens-demografia/947286-4071.html

    http://www.channel4.com/news/articles/society/health/factcheck+glasgow+worse+than+gaza/2320267

  4. 4 Junho, 2010 11:08

    Cara Helena,
    Não resiste, pois não? O anticomunismo em si é quase epidérmico!
    Como sabe (ou devia saber) Stálin (e a URSS) foi um dos dirigentes políticos que mais fez pela criação do estado de Israel. Esse facto é reconhecido mesmo na historiografia de Israel.
    Por toda a URSS ocupada foram mortos, lado a lado, judeus de várias ncionalidades da URSS e cidadãos (comunistas e não comunistas). Visitei pessoalmente 3 campos de concentração: Lituânia – onde agora dizem que não se perseguiu os judeus (!!!); Bielorrússia – onde 1/3 da população masculina foi dizimada em 4 anos de guerra; Ucrânia. Em todo o lado o «tratamento» dos nazis foi igual, fossem judeus, ou «subhumanos» eslavos.
    Uma sugestão:
    Vá aqui, http://www.hist-socialismo.com/docs/UmOutroOlharStaline.pdf e pesquise a palavra judeu. Em termos de FACTOS HISTÓRICOS (não falo das conclusões ideológicas) pode ser que aprenda alguma coisa.

  5. K2ou3 permalink
    4 Junho, 2010 11:17

    Muito bem minha cara Helena,
    Se bem que não defenda nenhuma das partes, há culpas parte a parte, há que mostrar a real realidade, as jogadas e mentira quase institucional.
    Quanto a Hitler e Estaline, Hitler mandou alguem fazer, Estaline, dava ele próprio as ordens.

  6. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 11:19

    O anti-comunismo deve ser epidérmico. Um sistema que tudo quer controlar é Tirânico por natureza.

  7. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 11:33

    Mais a mais, é importante reter que 1) antes do bloqueio o numero de misseis e morteiros enviados de Gaza eram aos milhares e mataram mais de 700 israelitas 2) depois do bloqueio o numero de mortes israelitas desceram para apenas meia duzia.

    Conclusão: o bloqueio é uma obrigação e não apenas um dever do governo israelita e deve continuar a ser feito até haver da contraparte palestiniana gente de boa-fé. Por outro lado, o bloqueio não atinge alimentos, mas apenas materiais bélicos. Ainda a registar o facto de os Portos de Gaza ainda não estarem operacionais para receber navios de ajuda; toda e qualquer ajuda internacional tem que ser descarregada em Israel. Israel tem enviado sucessivos camiões de ajuda humanitaria e apenas retem equipamentos militares ou aqueles que facilitam a construção de novos tuneis para o egipto.

    RB

  8. OLP permalink
    4 Junho, 2010 11:33

    #8
    Tanto assim deveria ser, ou mais, quando nos recomendam a recriação da história dos grandes feitos humanitários do dito cujo.
    Será que na dizimação nazi da “história dos factos” está o facto do roubo da totalidade das colheitas de cereais para alimentar as tropas nazis deixando o seu povo a morrer de fome?

  9. 4 Junho, 2010 11:35

    Estaline era um homem de nobres sentimentos, não há dúvida. Por isso matou dezenas de milhões dos seus (eram todos maus), devolveu milhares de judeus refugiados para os alemães em comboios antes da quebra do acordo Ribbentrop-Molotov (tudo má gente) e enviou cereais, petróleo e material de guerra para a guerra humanitária movida por Adolf Hitler, cuja ascensão apoiou, até ser atraiçoado por causa da sua boa fé, conhecida desde os tempos em que violava, matava e sequestrava no Cáucaso. Tudo em nome do bem.
    Deveria ser canonizado!

  10. 4 Junho, 2010 11:49

    é comprar um bilhete só de ida para Helena Matos para que nos relate in loco de como se vive fartamente em Gaza, sem qualquer perigo de catástrofe! Certamente que, no meio dos luxos de Gaza, as suas crónicas sairão mais inspiradas que este amontoado de má fé e mentiras de quem escreve no quentinho da sua casa e não num território sitiado, sem possibilidades de abastecimento!

    O Luistânia Expresso foi a Timor-Leste fazer o mesmo que esta frota, só que os militares da ditadura indonésia não actuara como a Marinha israelita. Isto faz diferença: uma democracia tem responsabilidades acrescidas, sérias, de não se comportar como as ditaduras. Por isso, os EUA só podem ser condenados por Guantánamo. Por isso, Israel só pode ser condenado por este acto tresloucado, que em nada contribui para o diálogo e a pacificação que se deseja.

    E por fim acho graça que Helena Matos ignore coisas como estas:
    “Estamos em vias de nos tornar o Estado pária do mundo”
    Amos Oz
    “Como é que ficámos tão burros?”
    Sima Kadmon, “Yedioth Ahronoth”
    “Durante a guerra do Líbano de 2006 concluí que a minha filha de 15 anos poderia ter conduzido as operações melhor do que o Governo Olmert-Peretz. Fizemos progressos. Hoje é claro para mim que o meu filho de seis anos poderia ter feito muito melhor do que o nosso actual Governo.”
    Ari Shavit
    “Israel está progressivamente a deixar de ser um trunfo e a tornar-se num fardo para os Estados Unidos.”
    Meir Dagan, director da Mossad

  11. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 11:58

    #13

    «O Luistânia Expresso foi a Timor-Leste fazer o mesmo que esta frota, só que os militares da ditadura indonésia não actuara como a Marinha israelita.» M Marujo

    Pois claro que não; as intenções da tripulação eram bem distintas… Tão-pouco a tripulação do Lusitanea se opôs violentamente a qualquer inspecção.

    A questão é práctica, Israel tem a obrigação de inspeccionar o conteudo dos navios que se dirigem para Gaza, porque é daquele território que choviam misseis para Israel.

    RB

  12. 4 Junho, 2010 12:00

    Ricciardi, nunca os indonésios entraram armados até aos dentes no Lusitânia Expresso. Mais: «Para o mentor da viagem do “Lusitânia Expresso” a Timor, Rui Marques, “a situação [com a frota pró-palestiniana] é muito similar, pois a via marítima foi usada para protestar contra uma situação irregular à luz do Direito Internacional. O risco era exactamente igual, embora o objectivo fosse o de ter a maior repercussão possível sem custos humanos. A diferença entre o nosso caso e este reside na reacção à presença das Forças Armadas as quais, como se pode ver, não são nada fáceis”.» [in 24horas]

  13. Nightwish permalink
    4 Junho, 2010 12:03

    Depois de toda a merda que se anda aqui a escrever, defender as mortes desta semana é o cúmulo. Um adeus e fiquem bem no vosso cantinho de extremistas.
    Ainda bem que ninguém vos liga muito.

  14. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 12:04

    Não podemos ver passar navios ao adversário e nada fazer para averiguar sobre o seu conteudo.

    Está provado que o Hamas armado é um perigo para a populção CIVIL de Israel… a fonte de armamente deve continuar a ser controlada, caso contrário continuam a enviar misseis que caem indiscriminadamente entre os civis. Israel, não fazendo sempre tudo bem, pelo menos dirige os seus ataques a alvos militares especificos e só são atingidos civis Palestinianos quando o Hamas utiliza como escudos seres humanos reais.

    RB

  15. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 12:08

    Nightwish, ninguém de bom senso defende mortes; espero que, tambem nessa linha de pensamento, considere as mortes que uma inspeção NÃO efectuada a navios ‘pacifistas’ provocam no lado contrario.

    RB

  16. 4 Junho, 2010 12:12

    “não podemos”?! O Ricciardi toma as dores dos extremistas do Governo de Telavive… o barco, para sua informação, navegava em águas internacionais e ia para Gaza, que não é território israelita.

  17. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 12:16

    Sim M. Marujo, a diferença está na postura; não queira comparar a tripulação do nosso Lusitanea com a tripulação do Flottila… os (pré)objectivos eram bem distintos. Acredita que o Duque de Bragança pegaria num bastão e desatava a malhar nos Indonésios???

    Não acha que seria legitimo aos Indonésios inspecionar o Navio caso suspeitassem que levariamos armamento para a contraparte?

    Tem de distinguir duas coisas… há pessoas de bem e bem intecionadas e há o seu contrário. A tripulação do Flottila era claramente o ultimo caso.

    RB

  18. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 12:18

    Está enganado… Gaza não tem condições de receber´(atracar) navio algum, o porto não está operacional; o que prova que era apenas uma manobra de diversão.

    RB

  19. 4 Junho, 2010 12:25

    Não, não era legítimo os indonésios inspeccionarem o Lusitânia. Era força ocupante, violadora do direito internacional, um Estado sem legitimidade para actuar no espaço marítimo de Timor. E leia quem eu citei no meu comentário: Rui Marques, ele próprio, a comparar o que você diz ser incomparável. Repito, para que perceba: «Para o mentor da viagem do “Lusitânia Expresso” a Timor, Rui Marques, “a situação [com a frota pró-palestiniana] é muito similar, pois a via marítima foi usada para protestar contra uma situação irregular à luz do Direito Internacional. O risco era exactamente igual, embora o objectivo fosse o de ter a maior repercussão possível sem custos humanos. A diferença entre o nosso caso e este reside na reacção à presença das Forças Armadas as quais, como se pode ver, não são nada fáceis”.» [in 24horas]

  20. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 12:30

    “navegava em águas internacionais e ia para Gaza, que não é território israelita.”

    E então? É de Gaza que chovem rockets e está no Poder um Governo que quer destruir Israel, por isso em auto defesa é perfeitamente legítimo bloquear Gaza para verificar se não são transferidas armas.

  21. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 12:31

    “Era força ocupante, violadora do direito internacional, um Estado sem legitimidade para actuar no espaço marítimo de Timor.”

    Precisamente. Porque os Timorenses não atacaram nem queriam a destruição da Indonésia. Percebe a diferença ou ainda não?

  22. 4 Junho, 2010 12:32

    “E então?” às malvas com o direito internacional… não percebo porque ainda não foram estes guerreiros de sofá para Telavive defender o povo israelita de rockets e atacar o Hamas!

  23. 4 Junho, 2010 12:33

    Já Gandhi dizia: “O que está acontecendo na Palestina, não é justificavel por nenhuma moralidade ou código de ética”.
    Aqui tentam justificar o bem-esta do povo de Gaza com fotos, que, ao velas, me fez lembrar o centro comercial da Mouraria e as barracas da Praça de Espanha.
    Porque não se limita Israel ao seu território, porque continuam os colonatos, porque continuam ocupando o que não lhes pertence?
    O poder militar de Israel é dos mais poderosos do mundo.
    Na ultima investida de Israel em Gaza morreram cerca de 500 palestinos, de Israel nem um.
    Eu não gosto de religiões e muito menos de fanático, mas aqui é uma burrice enorme tomar partido dos mais poderosos que tem as suas mãos escorrendo sangue, de milhares de inocentes indefesos

  24. faustífero permalink
    4 Junho, 2010 12:33

    A maior parte dos activistas estavam grávidos.

  25. 4 Junho, 2010 12:34

    Os timorenses atacaram a Indonésia durante quase 30 anos. Chamavam-se Falintil, as forças armadas da Fretilin. Leia mais para aprender, vomite menos disparates.

  26. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 12:37

    “E então?” às malvas com o direito internacional… não percebo porque ainda não foram estes guerreiros de sofá para Telavive defender o povo israelita de rockets e atacar o Hamas!

    A ùnica violação do Direito Internacional é dos navios da esquerda aliada aos neonazis.

    O Hamas envia rockets e Israel faz um bloqueio. Simples.

    O Direito Internacional incluí o Direito de autodefesa. Precisamente o que Israel faz.

  27. 4 Junho, 2010 12:40

    o seu argumentário é tão idiota (vd. segunda frase) que não perderei mais tempo consigo

  28. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 12:41

    “Os timorenses atacaram a Indonésia durante quase 30 anos.”

    Já descemos ao nível da mentira?

    Quantos ataques as Falintil fez contra as cidades e vilas Indonésias?
    A Falintil dizia que nunca seria possível haver paz enquanto a Indonesia existisse?

  29. K2ou3 permalink
    4 Junho, 2010 12:47

    Duas piadas de mau gosto:

    “Eram 700?. Iam fazer o quê?. Descarregar os navios a braços?.”

    “Eram de tão má qualidade, que foram rapidamente devolvidos á procedencia.”

  30. 4 Junho, 2010 12:53

    Cum caraças.
    Até há pouco tempo, havia partidos de esquerda e direita.
    Agora já há navios de esquerda e direita.
    Para a semana há equipas de futebol de esquerda e direita.

  31. Portela Menos 1 permalink
    4 Junho, 2010 12:56

    parece que os posts anteriores de helenafmatos sobre o tema não atingiram o objectivo, a não ser para a claque privada que mantém o espirito fascizante em alta.

  32. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 13:04

    #31 Não fale de direito, please, voce eh um ignorante: alguem ataca um pais navegando em aguas internacionais ? Shut up moron.

  33. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 13:07

    Imam Fethullah Gülen, a controversial and reclusive U.S. resident who is considered Turkey’s most influential religious leader, criticized a Turkish-led flotilla for trying to deliver aid without Israel’s consent.(…)

    He said that when a charity organization linked with his movement wanted to help Gazans, he insisted they get Israel’s permission.

    http://online.wsj.com/article/SB10001424052748704025304575284721280274694.html?mod=WSJEUROPE_hpp_MIDDLESecondStories

  34. Toni permalink
    4 Junho, 2010 13:09

    Cara Helena, transcorri 49 artigos seus, dos quais, confesso, só conhecia os primeiros 14. Constato que muita coisa mudou, como seria natural. De qualquer modo, continua com o mesmo tipo de escrita, fluida e acutilante.
    Parabéns.

  35. 4 Junho, 2010 13:09

    Conhecem o caso do navio Lusitânia?

  36. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 13:10

    “mantém o espirito fascizante em alta.”

    Um pouco de autocrítica?

    O Hamas é de “espirito fascizante”, todos os Palestinos se devem comportar como o Hamas diz. Por isso é que fecham festas, clubes de dança, videoclubes etc…

  37. zazie permalink
    4 Junho, 2010 13:27

    Se não fosse o choradinho e a treta humanista que agora até chamam um insulto a quem o é, ainda continuavam nas lojas de prego de vão-de-escada.

  38. ejsantos permalink
    4 Junho, 2010 13:32

    Excelente post.

  39. L M D permalink
    4 Junho, 2010 13:44

    Eles que se matem por lá todos, deixem-nos é sossegados

  40. zazie permalink
    4 Junho, 2010 13:47

    Esta tipa diz que o exército israelita- o tal das raças de QI superior que açambarcam todos os prémios Nobel- caiu na ratoeira.

    Mas a estúpida devia explicar em que consistiu essa ratoeira- uma série de barcos exclusivamente com gente de todo o mundo, levando medicamentos e comida aos desgraçados que são gente, antes de serem causa de alguém.

    E, fizeram isto, porque ao contrário do que o palonço do Miranda diz, a guerra tem leis. Precisa de tudo nos conformes e escrito no papel.

    E os beneméritos dos magnatas da raça superior nazi-sionista, preferem ter vizinhos a viver na desgraça do que terem-nos comprado com boa vida que só a sabedoria de quem não vive exclusivamente para os seus e considera menos que animais os goiym seria capaz.

    Portanto, o que agora as raças do monte e da necrofilia queriam era conquistar mais um direito de guerra- o do controle em águas que não são deles.

    E tramaram-se. Não só perderam essa pretensão como os palestinianos é que ficaram com mais abertura.

    Se por lá há bestas e trogloditas, nada altera para quem não tem de ser chamado besta troglodita apenas por ser povo a viver colonizado por estrangeiros.

  41. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 13:48

    Os piratas sionistas não abordaram legalmente navios em águas internacionais. Não tinham mandato da ONU para o fazer, único caso em que seria legal a intervenção. Logo são terroristas piratas e cabia aos tripulantes o diíreito de legítima defesa, como eu posso abater um ladrão que entre em minha casa à noite armado.

    É o direito que diz quem tem razão, não os gostos pessoais de cada um. Isto não é um Porto-Benfica, em que as opções de cada um são éticamente neutras. Depois, a missão era humanitária em relação à Gaza mártir, não em relação a piratas assassinos que são também os torcionários do povo irmão palestiniano. Em relação a esses terroristas o direito e a vontade de cada muçulmano é legítimamente linchá-los como nazis que são. Por isso não reconhecem e muito menos obedecem a ordens de respeitar bloqueios ilegais da parte de terroristas islamocidas. Era só o que faltava… o mar alto é livre e os piratas são criminosos. E o dever de socorrer as vítimas do campo de concentração de Gaza é um dever moral absoluto de todo o homem decente que prevalece sobre tudo sem restrições.

    Nós portugueses ficámos em choque em 1999 durante uma semana ao assistir ao massacre dos irmãos timorenses. Eles andam há 60 anos a assistir ao massacre de milhões de irmãos às mãos dos nazis sionistas e americanos, perante a cobardia cúmplice do mundo. Dá para perceber ? A panela está prestes a explodir…

    Logo, a abordagem era já um acto de guerra terrorista, à luz do dirteito internacional, face ao qual assistia aos agredidos o direito de legítima defesa.

    O mesmo se diga à ocupação crininosa da Palestina desde 1948. É o direito que designa o culpado. Não é futebol em que cada um é livre de escolher o lado que prefere.

    Eu não prefiro um povo a outro, não sou racista. Como jurista e cidadão do mundo tenho (e todos têm) a obrigação moral de estar com os agredidos, os ocupados contra os agressores. É isto o direito, são estes os valores morais da Europa e do mundo civilizado. E perante o Direito é manifesto que o israel é o agressor genocida e limpador étnico desde o princípio, e os árabes semitas as vítimas deste novo holocausto anti-semita. É só isto que importa. Mais nada.

    O Hamas é terrorista para alguns governos idiotas europeus ? Também Cabral, Mandela e Xanana o foram, e hoje são heróis da humanidade. Brevemente os heróis do Hamas serão recebidos em todo o mundo com todas as honras e desculpas pelos insultos recebidos, contrários aos valores europeus (terroristas são os ocupantes, sempre). Mas os criminosos sionistas serão perseguidos pela justiça internacional como Mladic e enfrentarão a forca…

  42. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 13:50

    O direito, a moral e a religião é que nos ajudam a separar o bem do mal, a ter valores.

    Falam em democracia no mundo islâmico, mas quem é que a defende e quem é que a impede por todos os meios. Quando há eleições livres (como na Turquia, Palestina, Iraque e Irão) os partidos patrióticos islamistas ganham sempre por maioria absoluta.

    Na Argélia em 1992 o FIS islamista ganhou as primeiras eleições livres: imedistamente o exército fascistas com o apoio dos hipócritas ocidentais deu um golpe e iniciou uma repressão sangrenta dos vencedores nas urnas, o que provocou um terrível guerra civil durante anos. No Egipto Todos sabem que sem a ditadura do fantoche colaboracionista dos americanos Mubarak, a Irmandade muçulmana teria 80 % dos votos. A rua árabe está com os islamistas e aí democracia rima com islamismo libertador. Tal como no Afeganistão com eleições falseadas os americanos instalaram o seu fantoche Karzai.

    Logo, quem é democrata é a resistência islâmica que não teme as urnas, porque o povo está massivamente com a Resistência. Quem defende ditaduras fantoches e corruptas que baixam as calças aos terroristas cruzados e sionistas são estes últimos. O resto são mentiras descaradas e manipulações de médias prostituidos aos cruzados.

    Direitos das mulheres ? No Irão, 60% dos estudantes universitários são mulheres e estas são em geral muito mais felizes que no ocidente decadente e depressivo, com uma queda demográfica sem precedentes, no fim da família, com divórcios generalizados, suicídios, delinquência juvenil, indisciplina nas escolas, enfim falta de coesão social e de valores religiosos e familiares… O ocidente está decadente, anómico, sem valores, sem Deus, afundado num relativismo moral niilista sem saída. No Islão, mas não só, a coesão social e familiar é fortíssima… têm muito mais a ensinar-nos que a aprender connosco…

    O véu ? 99% das mulheres que o usam lá fazem-no voluntariamente, mesmo contra a própria família, e ninguém as proibe como no ocidente ateu… cujo feminismo é considerado decadente e retrógado. E está em crescendo, mesmo o niquab (conheço 13 países islâmicos, incluindo os extraordinários do Golfo…). Vão visitá-los e desintoxiquem-se de clichés racistas. Defendo a liberdade de o usar ou não usar… sou contra fundamentalismos jacobinos e ateus como Sarkozy… que permitem a pornografia e a nudez mas combatem a modéstia e a moral divina…

    O Islão está ao lado do enfraquecido cristianismo na luta contra a blasfémia, o relativismo moral e o ateísmo fundamentalista que pretende proibir simbolos religiosos (crucifixos, véus) no espaço público, e o Papa reconhece essa aliança, fundando o Forum Católico-Muçulmano… O séc XIX será o século das religiões e do fim da decadência ateísta. É a revolução conservadora, ascendente e não decadente como o conservadorismo ocidental.

    Sou ferozmente oposto ao racismo satânico da escumalha assassina cruzada e sionista, que querem lançar o mundo num Armageddon apocalíptico, em que aliás seriam aniquilados, como os seus mestres nazis o foram em 1945…

  43. zazie permalink
    4 Junho, 2010 13:50

    Mas eu acho boa ideia esta de se passar a insultar todos os choradinhos e humanismos.

    É mesmo uma excelente ideia. Acabava-se em segundos os passado das fogueiras da Inquisição e mais os porgroms e mais o holocausto que servem de choradinho para que, à conta disso, tudo o que agora façam seja bom e seja impune.

    Tratem-nos por igual e vão ver como a merda da historieta passa a ser outra.

  44. Critico permalink
    4 Junho, 2010 13:53

    Uma visão por de dentro da antiga U.R.S.S. por Yuri Bezmenov,que não muito diverge dos “novos” motores “políticos” vigentes,e se mais aprofundado,a constatação de terem sido criados pelos mesmos virá á tona,com algumas diferenças,mas no grosso semelhantes.Aconselho o visionamento das 7 partes.

  45. tina permalink
    4 Junho, 2010 13:54

    “A esquerda troglodita anda de braço dado com a revolução verde ( islâmica )e acredita piamente que se os EUA e Israel cairem, os valores da esquerda troglodita ( laicidade, liberdade sexual, de costumes etc ) serão poupados pelos ayatholas de serviço.”

    Neste caso, a aliança entre os radicais de esquerda e islâmicos é na base de serem uns falhados e invejosos. Mas mal a esquerda troglodita mandasse, seriam eles os primeiros a impedir a entrada de muçulmanos e os menos tolerantes com os seus costumes.

  46. zazie permalink
    4 Junho, 2010 13:56

    Eu estou-me perfeitamente nas tintas para causas e nunca falo em povos heróicos e merdas no género.

    Sempre achei isso uma patologia de histéricos.

    E, como é óbvio, aqueles árabes trogloditas, nada têm de simpáticos.

    Mas, esta constatação não obriga ao inverso- ao mais porco que se lê por aqui.

    Aqueles que passam a defender a barbárie dos mais civilizados, em nome da superioridade ética e civilizacional que acham que eles têm mas que não lhes cobram nos actos bárbaros,pior que os dos outros.

    E pior porque, precisamente, têm outra instrução, outra vida boa, outro background que aprenderam por terem há milénios sido corridos dali.

    As superioridades implicam obrigações maiores. E as empatias ou existem por verdadeiro humanismo e defesa de gente a viver em condições vergonhosas para qualquer ser humano, ou então são a mais porca hipocrisia.

    Estes nazi-sionistas só se lembram do humanismo como uma rábula de vitimização a cobrar ao mundo inteiro e a deixar passar como inimputáveis tudo o que no presente fazem.

  47. 4 Junho, 2010 14:06

    Fabuloso e inquestionável artigo.
    Muito bem! Parabéns: muito bem escrito e de argumentos sólidos e irrefutáveis!

  48. 4 Junho, 2010 14:09

    como a Helena não viu, volto a pôr o link aqui… já sei, preferem em bife, mas se estiverem com atenção até vão perceber o que o homem diz por de trás do intérprete:

    Noam Chomsky é judeu. em cima dos acontecimentos, o que ele pensa sobre a política de Israel:

    http://www.agoravox.tv/actualites/international/article/chomsky-invite-exceptionnel-de-ce-26488

  49. zazie permalink
    4 Junho, 2010 14:11

    É uma chatice esta palhaçada da esquerda/direita e da réplica forçada sionista/jihadista não funcionar.

    Pois é. Porque as pessoas inteligentes não vivem de sound byte mongo.

    Pensam por elas mesmas e afastam-se do que sempre cheirou mal, sem precisarem de ir no conto de treta do choradinho das maldades que lhes fizeram noutros tempos.

    Isso é que é choradinho para donas-de-casa.

  50. zazie permalink
    4 Junho, 2010 14:13

    O do galo transgender?

    Estás com saudades?

    Pensava que a tua máezinha te tivesse mandado estar caladinha desde aquele dia.

    Tens andado muito bem-comportadinha comigo, não tens?

    Pois continua e segue os conselhos familiares que é o melhor que tens a fazer.

    Ainda que eu já te tenha dado a minha palavra que nunca contaria nada de privado que tu não contas.

  51. zazie permalink
    4 Junho, 2010 14:15

    Mas tenho o link do galo transgender e de todas as tuas calúnias a quer fazer passar isso como uma cena porno.

    Um reclame – que até foi feito para crianças.

    Era chato ter de pespegar aqui de novo com as tuas imbecilidades.

    Porque eu sei que já levaste raspanete familiar.

  52. Perigoso pró-Israelita permalink
    4 Junho, 2010 14:17

    Noam Chomsky é judeu.

    E depois?!

  53. Perigoso pró-Israelita permalink
    4 Junho, 2010 14:30

    Uma criatura que escreve mais neste espaço do que no seu próprio blog (sim, tem um blog), que nitidamente projecta nos outros experiências traumáticas suas, que por mais cultura que tenha não consegue disfarçar o gene de taberna, que por vezes parece já nem distinguir a verdade das suas mentiras, clearly has issues…

  54. zazie permalink
    4 Junho, 2010 14:30

    Pois é.

    Só é estranho tu seres tão inteligente e precisares de perseguir pessoas estúpidas.

    Pensava que só por ti já tinhas tido convite para fazer parte da redacção dos blasfemos.

    E foi pena teres mandado para o lixo aquele teu brilhante blogue.

    Ainda ganhavas um qualquer concurso pela obra.

  55. Anónimo permalink
    4 Junho, 2010 14:30

    Parece que o nosso Primeiro vai pôr o TGV em Gaza também .

  56. zazie permalink
    4 Junho, 2010 14:31

    Pois tenho um blogue.

    E tu? escreves mais onde?

    Mostra lá as tuas habilidades, já que viste as minhas no Cocanha.

    Eu gostava de poder apreciar as tuas capacidades intelectuais, sem ser aqui a dizer merda.

  57. josé socrates permalink
    4 Junho, 2010 14:33

    Olhe lá !!! Não será só em Gaza !!!

    Vamos pôr um também na Cisjordania a ligar a Basra e a Katmandu .

  58. tina permalink
    4 Junho, 2010 14:33

    Isso dos issues é um eufemismo muito suave Perigoso Pró-Israelita. Ela é completamente marada, daquele tipo de pessoas idosas que vivem sózinhas e tornam-se excêntricas, começam a imaginar coisas. Até as teorias de conspiração que defende encaixam exactamente nesse perfil.

  59. zazie permalink
    4 Junho, 2010 14:34

    Quanto ao problema com os “gros mots” ia jurar que Raymond Queneau é chinês para ti.

    Tu és mais crónica feminina ai a meias com a tinamonga.

    Mas mostra lá o que escreves, sem ser aqui. Já que viste com tretas de peixeira rabeta preocupado com a falta de posts do Cocanha.

    O que escreves tu, sem ser estas merdas sem nexo?

    Mostra o link para o teu blogue, que é para todos poderem apreciar e julgar.

    Eu não escondo nada. tenho e.mail online, tenho blogue, há dezenas de bloggers que me conhecem ao vivo.

    Já tu e a tinamonga podem dizer o mesmo?

    Que fazem v.s na net para além de largarem caganitas mongolóides no Blasfémias?

  60. honni soit qui mal y pense permalink
    4 Junho, 2010 14:35

    Estou a ver que por aqui as coisas estão animadas .
    Isto quando se fala de judeus , aparecem logo os Einsatgruppen do costume …

  61. zazie permalink
    4 Junho, 2010 14:36

    E essa das experiência traumáticas que tu consegues ler através de um monitor também são particularmente inteligentes.

    Imagina que qualquer pessoa podia dizer o mesmíssimo de ti, que até andas para aí com um nick aparvalhado baptizado de “perigoso-pró-israelita”.

    Mordes? É, ou blogas de açaime?

  62. Perigoso pró-Israelita permalink
    4 Junho, 2010 14:38

    Curioso como assumiu logo que estava a falar de si.

    As suas habilidades eram muito mais interessantes quando escrevia no Janela Indiscreta. Aí sim.

  63. tina permalink
    4 Junho, 2010 14:38

    Depois separa as frase com espaços, pensando que as pessoas vão ler o que ela diz (outro sinal do seu débil estado mental). E no fim, acaba sempre a ser insultada e enxovalhada pelos outros. São estas as contribuições da Porno Queen para as discussões blasfémicas. Lixo, lixo, lixo.

  64. 4 Junho, 2010 14:39

    imagens do que se passou no interior dos barcos da flotilha:

  65. Perigoso pró-Israelita permalink
    4 Junho, 2010 14:39

    O nick “Perigoso pró-Israelita” tem uma intenção humorística, ainda que não apreendida por todos…

  66. 4 Junho, 2010 14:48

    Tem sido triste ver o comportamento típico de adepto futebol por parte destes opinion makers sobre a situação Israel/Palestina, mas agora vir dizer que se vive à grande e fartazana bate todos os limites do ridículo.

    Por mim basta, recuso-me a ler outro parágrafo que seja assinado por esta senhora. Blogs como o Blasfémias ou o Cachimbo de Magritte até costumam ter conteúdos muito interessantes, mas estes tiram-me do sério.

  67. mesquita alves permalink
    4 Junho, 2010 14:52

    O dia mais feliz da minha vida, será aquele em que tu e a tua família vivam em condições iguais às de Gaza.

  68. tstopps permalink
    4 Junho, 2010 14:53

    ok fábrica de imagens…é aceite

    mas 1 milhão de enfaixados numa terra que pouco produz…não é uma terra de abundância

    morrem muito menos de cólera ou de disenterias do que noutros países de africa e ásia..

    estão bem alimentaditos

    mas se o nosso vizinho é rico…ou se o nosso vizinho fundou uma cooperativa onde antes era o nosso latifúndio

    é como os palermas que tinham terras em Angola e Moçambique pensam que lá por terem nascido ai têm direitos
    que imbecis….deviam ser todos….

  69. 4 Junho, 2010 14:55

    Zazie é uma personagem dum livro do Raymond Quenaud (escritor francês) do qual foi feito também um filme. Zazie é uma miúda espertalhaça e inconveniente:

    e quando a “nossa” Zazie se lança, com o seu exagero habitual, em comentários infindáveis, digo lá vem a Zazie a metro… não quer dizer que o que ela diz seja sempre despropositado… nem sempre concordo com o fundo do que ela diz, mas acontece que às vezes até estou… mas isso é como com toda a gente em geral… lá porque não concordo algumas vezes, não quer dizer que tenha que discordar sempre!!!…

  70. Perigoso pró-Israelita permalink
    4 Junho, 2010 15:09

    «O dia mais feliz da minha vida, será aquele em que tu e a tua família vivam em condições iguais às de Gaza.»

    O autor desta frase concerteza considera-se pacifista.

  71. 4 Junho, 2010 15:20

    Mais uma vez, excelente poste da Helena. Dá gosto ler mulheres destas..faz lembrar a israelita Caroline Glick ou a Melanie Philips.

    Só uma deixa sobre os bloqueios.
    Contrariamente ao que muita gente pensa, não se aplicam aqui as prescrições das leis sobre liberdade no mar.
    Trata-se de uma situação de “conflito armado, onde as contas são de outro rosário. E esse rosário é o Tratado de Paris [1856] e a Declaração de LOndres [1910]. Para o que nos interessa, o que os tratados dizem é que o bloqueio é LEGAL, quando efectivo, isto é, quando faz parar todos os navios, civis e militares, neutrais ou inimigos

    Os navios neutrais são inspeccionados e se o país que bloqueia encontrar carga que declarou interdita, pode pura e simplesmente apreendê-la, sem indemnizações, nem nada. Foi de resto o que Israel fez há uns meses com um cargueiro que vinha do Irão, carregado de armas.

    Se houver resistência armada, o navio pode ser afundado, depois de se tentar tudo,evidentemente, como por exemplo, abordagem, tiros de aviso, etc.

    Isto quer dizer que se Israel deixar passar navios sem os controlar e ou autorizar, o bloqueio deixa de ser efectivo e torna-se ILEGAL.

    É esta “lawfare” que faz com que os islamistas e os idiotas úteis que berram por certas “causas”, tentam repetidamente furar o bloqueio. É que se o conseguirem algumas vezes, ele torna-se ilegal.

  72. 4 Junho, 2010 15:21

    Olha, aproveita e faz umas cópias.

    A palavra “concerteza” não existe.

  73. 4 Junho, 2010 15:27

    Miguel Marujo dixit:

    “O Luistânia Expresso foi a Timor-Leste fazer o mesmo que esta frota, só que os militares da ditadura indonésia não actuara como a Marinha israelita.”

    Ao primeiro pedido da marinha indonésia, o Lusitânia Express inverteu marcha. O barco turco não obedeceu e tentou furar o bloqueio. Quer comparar o quê? Se o Lusitania Express tivesse tentado passar pela marinha indonésia, o que é que acha que teria acontecido?

  74. 4 Junho, 2010 15:30

    Quanto ao que escrevia no Janela Indiscreta em nada difere do que escrevo no Cocanha.

    São as mesmíssimas historietas sempre com o cuidado de apresentar bibliografia, excepto a minha

    Com a diferença que, num blogue colectivo para onde fui convidada, nunca iria sair do tom geral.

    O Cocanha é só meu- não tenho de prestar contas a ninguém e nem sei quem lá vai, excepto quando deixam comentário. Tal como a Cristina, também nunca quis ter essa treta do sitemeter ou das ligações a outros blogues.

    Não ando na blogo com tenda montada. Não vendo nada.

  75. 4 Junho, 2010 15:35

    Quanto ao que a E-Ko disse, agradeço e retribuo. Também não tenho de estar sempre de acordo, ou preciso de mais afinidades para, caso a caso, poder haver coincidências nos pontos de vista.

    Não será por acaso, mas isso é outra historieta e nada tem a ver com ideologias.

    Há quem goste de ir à boleia em megalomanias do lado do mais forte e há quem prefira sempre o equilíbrio e colocar-se do lado dos mais fracos.

    É o meu caso. Mas sem bandeiras.

  76. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 15:35

    O Lidador chicalhão, o direito internacional da guerra evoluiu bastante desde esse Tratado: A partir de 1946 estamos num mundo completamente novo que não reconhece o jus bellum de todo, com a unica excepção da legitima defesa (eh o caso dos tripulante sabordados por piratas).

    Não me digam que a chicalhada anda tão atrasada em materia de direito da guerra….Tch…

    Então por que eh que Keitel e Jodl, do Oberkommando da Whermacht foram enforcados em Nuremberga ? Eles não cometeram nenhum crime de guerra classico… mas sim desencadearam, com civis do governo, uma guerra unilateral ou preventiva… como o Bush…

    O bloqueio unilateral não tem validade juridica. israel não pode decretar bloqueios nenhuns fora das suas aguas. Ponto e paragrafo. So se for ordenado pela ONU, e sob a autoridade desta.

    Qualquer ataque a um navio civil (para mais da Nato)em alto mar e um acto de guerra e de pirataria. Em rigor, o Art. 5 do Tratado NATO obrigaria os Aliados e declararem guerra ao pais pirata…

    Voce actualize-se ou ainda vai fuzilado…

  77. tina permalink
    4 Junho, 2010 15:37

    ahaha, trabalho, aquela porcaria que ninguêm lê. É mesmo convencida e estúpida.

  78. Perigoso pró-Israelita permalink
    4 Junho, 2010 15:39

    A palavra “concerteza” não existe.

    Tem toda a razão. Obrigado.

  79. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 15:42

    Outro ignorante… O direito eh uma ordem normativa, o que lhe interessa eh o DEVER SER, não o SER. Logo o que eh ou podia ter sido (com base exclusivamente na força) NÃO INTERESSA ABSOLUTAMENTE NADA AO DIREITO.

    So o que DEVE SER interessa. Logo os israelitas ou indonesios podiam de facto ter afundado os barcos, isto eh, tinham força para o fazer, mas não o podiam de jure, de direito. Porque legalmente (do ponto de vista do dever ser) não tinham esse direito. Compreendido ?

  80. 4 Junho, 2010 15:43

    Zazie, não sei se se recorda do barrete que teve de enfiar há uns tempos.

    Agora não tenho mto tempo para a aturar, de resto a sua picaretagem comentarística é saturante e não creio que haja muita gente com pachorra lidar consigo. É cansativo, porra!

    Quanto ao resto, lamento sinceramente o seu problema hormonal.
    Ah, e quanto a gajos com turbante, tenho-lhes tanto medo como o nosso Afonso Henriques tinha à moirama e, acredite ou não, já lidei com eles bem de perto.
    Deixe-se de merdas e venha para o lado dos seus, em vez de andar a fazer figuras tristes a defender abortos e gente de baixo quilate.

    Oriana Fallaci [A raiva e o orgulho], referia-se a mulheres como você taxando-as de LORPAS.

  81. 4 Junho, 2010 15:44

    O trabalho foi outra coisa. Não foi o post.

    Mas é claro que a tinamonga é que é um desperdício pois tinham milhares de pessoas a admirarem aquelas historietas da negreirita em terras da África do Sul.

    Foi uma pena ter mandado para o caixote do lixo a obra-prima.

    E eu nem vou dizer que tem inveja do que eu faço, porque, como disse, tenho um certo pudor em relação aos desgraçadinhos.

  82. tina permalink
    4 Junho, 2010 15:47

    “Deixe-se de merdas e venha para o lado dos seus, em vez de andar a fazer figuras tristes a defender abortos e gente de baixo quilate.”

    Como se entre nós não houvesse também gente de baixo quilate. A Zarilú é precisamente um exemplo disso. E ainda por cima é estúpida que nem uma porta.

  83. 4 Junho, 2010 15:52

    Zazie, um pequeno à parte, aqui para nós que ninguém nos ouve, também não tenho bandeiras, nem no que digo nem nos armários cá de casa… nem nunca fiz parte de partido ou ideologia… apenas uma sensibilidade muito pessoal.

  84. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 15:57

    «O bloqueio unilateral não tem validade juridica.» Euroliberal

    ahahahah

    Havia de ser com o consentimento dos bloqueados não? ahahaha

    Ó homem, o bloqueio é uma opcção que tem que ser efectiva até cumprimento das condições que levaram ao bloqueio. Bloqueios houve e há às dezenas por esse mundo fora, desde logo em Cuba. O bloqueio pode ser extensivel a aguás internacionais desde que seja devidamente fundamentada POSTERIORMENTE. As fundamentações tem validade desde que se cumpra a lei e verificada a impossibilidade logistica de efectuar o bloqueio em tempo util.

    Este caso oferece poucas dúvidas; uma frota foi avisada que entrava em zona restrita; um dos navios escolheu não parar e submeter-se a inspeção; Israel não sabe se o navio leva armamento ou não; solicita e avisa por todos os meios de comunicação e obtem resposta negativa; envia tropas para inspeccionar o navio, tropas esses que são agredidos.

    Só mesmo se os lideres Israelitas fossem completamente irresponsaveis é que deixavam um barco passar sem o submeter a inspecção, sabendo que é por esse meio que o Hamas obtem armamento.

    Quer dizer, os Israelitas deviam deixar passar todos os que se identificassem como ‘pacifistas’?

    Esta gente não vive neste mundo.

    Já agora pergunto por que raio essas frotas não tem descarregado no Egipto? era simples, atracavam nesse país e passavam a fronteira (se estivesse aberta).

    RB

  85. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 15:58

    Esses tratados, duma epoca de positivismo legal reinante, estão completamente ultrapassados pelo jusnaturalismo legal em vigor e que os tribunais internacionais aplicam sem falha.

    Aquele direito da força (um acto de força era sempre legal enquanto houvesse força para o manter) como direito de guerra ilmitado das Nações era a propria negaçao do direito como ordem normativa, não factica. E foi essa concepção perimida a responsavel pelas catastrofes do sec XX. Para esses pseudo-direito positivista, um genocîdio de milhões, como a shoa, seria legal se ordenado da hierarquia competente de uma potencia com meios militares para o executar…

    Em Nuremberga o Tribunal não aplicou Tratados previos. Deduziu dos principios universais e gerais do direito (direito natural) principios (proibição dos crimes de guerra e contra a humanidade, antes inexistentes) que impos durch den Strang (pela corda) aos nazis…

    Os tratados que o Lidador cita estão ha muito revogados, pelo direito internacional da guerra actual, de base jusnaturalista. Ter a força eh irrelevante. EH PRECISO TER, OU ESTAR DO LADO DO DIREITO.

  86. tina permalink
    4 Junho, 2010 16:00

    Pois, falar de sensibilidade com a maior bruta de sempre, grande piada.

  87. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 16:02

    por que eh que burros juridicos vem para aqui escoucear ? Então porque eh que os criminosos serbios estão a ser julgados ? Eles tinham a força para matar muçulmanos e portanto era legal, não seria ?

    O direito mudou. estudem. estamos no sec.XXI.

  88. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 16:07

    Israel não manda no Mediterraneo. Ponto. e se barcos internacionais querem decarrregar directamente em Gaza não tem satisfações a dar aos nazi-sionistas, cujo lugar eh no banco dos reus e na forca, não no banco dos legisladores.

    Para mais, se o bloqueio terrorista não for levantado, barcos de guerra turcos com a cobertura da Nato escoltarão os barcos humanitarios no futuro… ou farão com submarinos um ataque de torpedos e misseis a Haifa e meterão a frota pirata a pique…

  89. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 16:09

    Andas a ver filmes a mais…

    RB

  90. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 16:13

    Por que eh que burros juridicos falam do que não sabem ? nem a proria definição do Direito conhecem. Confundem-no com Força…

  91. 4 Junho, 2010 16:13

    excerto duma emissão 1/4 dum canal francês em que participam o antigo 1º ministro francês Dominique de Villepin, o embaixador e observador permanente da Unesco Elias Sanbar Daniel Shek : especialista do Moyen-Orient
    Bernard Guetta : Editorialista da rádio France Inter e jornal Libération:

  92. 4 Junho, 2010 16:13

    É espantoso o mundo da Helena! Nele há os israelistas (democratas eminentemente bons) e os terroristas do Hamas. Nada mais existe em Gaza. Não há homens, mulheres e crianças em Gaza. Apenas terroristas. Não há homens, mulheres e crianças a sofrer com a falta de alimentos ou de medicamentos. Portanto, quem doa alimentos ou medicamentos só o faz para a ajudar o Hamas. Deveras espantoso este post da Helena! Deveras espantoso pelo seu primarismo!

  93. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 16:13

    Estude sim.

    O Euronazi quer liberdade legal para usar escudos humanos, e usar civis numa guerra, nada de admirar é a sua moral e da Esquerda. Quer destruir as leis da Guerra que protegem civis.

    As leis da Guerra existem por uma razão simples, são as mais eficazes em não recompensar quem viola a separação entre Civis e Militares.

  94. 4 Junho, 2010 16:14

    os vídeos de dailymotion não passam vai o link:

  95. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 16:15

    Isso é que era bom.

    Um gajo sabe que vem aí umas bombas a caminho e está ‘impedido de impedir’ que elas venham, porque alguém que os ‘nazi-sionistas’ não tem direitos.

    Bela teoria.

    RB

  96. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 16:16

    “Não há homens, mulheres e crianças a sofrer com a falta de alimentos ou de medicamentos.” Não não há.

    O Luís Marvão deve ter um problema de leitura. Informe-se.

  97. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 16:17

    O bloqueio só pode parar quando pararem de lancar rockets indiscriminadamente sobre a população de Israel. E isso só acontece quando o fanatismo for afastado do poder da Palestina.

    RB

  98. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 16:17

    Filmes ? Então por que eh que Israel ja pos fim ao bloqueio ? Porque os turcos avisaram os EUA que ou o bloqueio era levantado JA ou enviaria a Marinha para a area para aniquilar os barcos piratas. Com a Turquia não se brinca…

    “Israel: We don’t want a confrontation with Gaza-bound ship ‘Rachel Corrie’–Haaretz, jornal israelita

    Foreign Ministry issues a statement saying Israel has no desire to board the ship; MV Rachel Corrie to reach Israel exclusion zone within 24 hours, organizers say.”

  99. 4 Junho, 2010 16:20

    Para quem tiver dúvidas, ler o
    San Remo Manual on International Law Applicable to Armed Conflict at Sea

    Ainda não é vinculativo, mas é a única coisa que existe nesta área para lá dos tratados que referi.

    O resto é conversa fiada e opiniões cada um tem as suas. Há pelo menos 6 biliões delas.

  100. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 16:21

    É bom repetir que o Bloqueio não incide sobre produtos alimentares. A questão da ajuda humanitaria não se coloca. Nunca Israel barrou a entrada de ajuda alimentar.

    Mais, essas cabeças devem saber, que é precisamente Israel quem mais contribui com ajuda alimentar, médica e de trabalho aos Palestinianos.

    Tem que saber que o problema não são os palestinianos; estes fazem parte da população de Israel (30%); o problema são os fanaticos do hamas e alguns paises vizinhos que os financiam.

    RB

  101. Euroliberal permalink
    4 Junho, 2010 16:22

    Eh fia-te nesse livro e depois ves o que te acontece no TPI…

  102. 4 Junho, 2010 16:23

    Por acaso em Cuba não há nenhum bloqueio, ó Ricciardi. Há um embargo, que é uma coisa diferente. Mas é verdade que os mesmos idiotas úteis das “causas”, berram que há um “bloqueio”.

    Mas não há.
    Eu pelo menos não o senti. Fui lá fazer turismo, ver a pobreza em estado puro, e ninguém me bloqueou…

  103. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 16:25

    Israel saberá lidar com a Turquia, ora recuando ora aumentando a ‘inteligencia’ acerca de futuros flottilas.

    Ninguem quer entrar em confronto. A Turquia não tem qualquer interesse nisso, pelo menos por enquanto.

    RB

  104. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 16:27

    Claro Lidador, há varias formas de o fazer… economico, militar etc… o unico interesse de Israel é o bloqueio para evitar armamnento do hamas.

    RB

  105. 4 Junho, 2010 16:28

    “Israel: We don’t want a confrontation with Gaza-bound ship ‘Rachel Corrie’–Haaretz, jornal israelita”

    POnto 1- Israel não levantou o bloqueio. Referiu apenas, como é normal, que o navio irlandês será avisado para mudar de rumo e se o fizer tudo bem. Se o não fizer, tudo mal e será abordado, como é obvio. Se os “activistas da paz”, resistirem com pacíficos paus e garrafas e “alahus akbars”, levarão no lombo, como é lógico.

    POnto 2- A Turquia anda a fazer algumas asneiras, mas não é parva. As Forças Armadas turcas são grandes, mas não são páreo para as israelitas, cujo edge tecnológico é brutal. E eles sabem bem isso… Uma coisa é bater no peito e berrar de longe..outra é agir.

  106. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 16:33

    O uso de civis para resolver problemas de abastecimento militares só pode ocorrer rasgando com todas as regras dos conflitos.

    Por isso é que a destruição das Regras da Guerra é o objectivo central para a esquerda e os palestinos nazis.

  107. 4 Junho, 2010 16:42

    “Por isso é que a destruição das Regras da Guerra ”

    Verdade. De resto tenho na forja um trabalho de investigação que versa esta área da “Lawfare”.

  108. Arpão permalink
    4 Junho, 2010 16:44

    Hitler e Estaline estavam de acordo mas a Helena também esqueceu-se de citar que eu também estou de acordo.

  109. kkk permalink
    4 Junho, 2010 16:45

    Vir para aqui defender os judeus sionistas terroristas é o cúmulo dos cúmulos!

  110. 4 Junho, 2010 16:47

    O ataque da flotilha é crime de guerra:

    http://lesactualitesdudroit.20minutes-blogs.fr/archive/2010/06/01/attaque-contre-la-flottille-un-crime-de-guerre.html

    “Non, avant d’ouvrir l’enquête, il faut dire l’évidence : c’est un crime de guerre car l’attaque a eu lieu dans les eaux internationales, et la flottille n’est pas partie au conflit armé. L’enquête est nécessaire, mais pour les circonstances aggravantes de violence. Soutenir que l’enquête est nécessaire pour savoir s’il y a un crime de guerre est une injure faite aux victimes.

    Cela résulte de trois constats juridiques.

    Application de la IV° Convention de Genève. Les faits sont intervenus dans le cadre d’un conflit international au sens du droit international humanitaire, Israël justifiant son action par rapport à la question palestinienne. De ce fait, le cadre de toute analyse est bien défini. Il est établi par la Cour Internationale de Justice, le Conseil de Sécurité et toutes les instances internationales que l’Etat d’Israël a la qualité de puissance occupante et doit respecter les obligations de la IVème Convention de Genève, qu’il a ratifiée.

    La flottille n’est pas partie au conflit. Le conflit armé oppose Israël et la Palestine, et les bateaux de la flottille ne sont pas parties au conflit. Ils s’inscrivaient dans une démarche pacifiste et humanitaire visant à apporter des secours à une population victime d’un crime contre l’humanité. Vis-à-vis des combattants, se pose la question de la proportionnalité, mais pas vis-à-vis des tiers. C’est une question de principe.

    Israël n’a aucune autorité dans les eaux internationales. L’agression est intervenue dans les eaux internationales. La Convention sur le droit de la mer de Montego Bay (1982) n’a pas été ratifiée par Israël, mais les dispositions garantissant en haute mer la liberté de circulation et l’interdiction pour tout Etat d’y exercer des actes militaires ont incontestablement valeur coutumières, et sont donc opposables à Israël.

    Article 87. – La haute mer est ouverte à tous les Etats […] Elle comporte : a) la liberté de navigation.

    Article 88. – La haute mer est affectée à des fins pacifiques.

    Article 89. – Aucun Etat ne peut légitimement prétendre soumettre une partie quelconque de la haute mer à sa souveraineté.

    La violence est une circonstance aggravante, mais la violation du droit est établie du seul fait de l’intervention.

    Ces violations graves du droit international se sont accompagnées d’actes sanglants et sauvages, et d’inadmissibles mesures de privation de liberté. L’Etat d’Israël n’a aucun droit sur les occupants de ces bateaux attaqués en haute mer.

    C’est donc une affaire de principe : parler d’enquête pour savoir s’il y a crime, c’est déjà commencer à relativiser. C’est dire que sous certaines conditions une intervention en haute mer par une puissance occupante contre un convoi humanitaire apportant des secours à la population occupée, qui se trouve soumise à un blocus économique, est une chose qui peut se discuter. Non, il n’y a pas de discussion sur le crime. Les seules discussions portent sur les circonstances aggravantes et toute la lumière doit être faite par une enquête pénale.

    se não perceberam, podem pedir que eu traduzo.

  111. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 16:49

    Vir para aqui defender quem quer acabar com a Convenção de Genebra é que é o cúmulo dos cúmulos!

  112. Sertório permalink
    4 Junho, 2010 16:50

    HÁ JORNALISTAS PORTUGUESES QUE ESTÃO A RECEBER BOA «MAÇAROCA» PARA DAREM COBERTURA E JUSTIFICAÇÃO AOS CRIMES DOS JUDEUS!

  113. Perigoso pró-Israelita permalink
    4 Junho, 2010 16:58

    «podem pedir que eu traduzo.»

    Sim, ninguém conhece o tradutor da google, por exemplo.

  114. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 16:59

    “se não perceberam, podem pedir que eu traduzo.”

    Você tem um problema de compreensão de conceitos e de factos:

    “s’inscrivaient dans une démarche pacifiste et humanitaire”

    Obviamente que não. Essa segue todos os dias normalmente por verdadeiras agências humanitárias. O objectivo era abrir o bloqueio para depois de aberto passarem livremente armas. Mesmo que fosse a declaração não basta é preciso a verificação.

    “Israël n’a aucune autorité dans les eaux internationales.”

    Obviamente que tem quando os navios são hostis. Portugal também inspecciona navios na sua ZEE por exemplo.

    Article 89. – Aucun Etat ne peut légitimement prétendre soumettre une partie quelconque de la haute mer à sa souveraineté.

    Obviamente falso, na Guerra das Falklands a Inglaterra tornou área interdita a navios civis 200 milhas nauticas á volta das ilhas.
    O mesmo se passou no Golfo Pérsico.

  115. JJ Pereira permalink
    4 Junho, 2010 17:04

    Muito bem, Helena.
    Nunca é demais desmontar uma vergonhosa operação folclórica/propagandística – reles, de tão óbvia…

  116. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 17:07

    Parece-me clara e legitima a intervenção Israelita, neste caso.

    Da mesma forma que me parece ilegitima a insistência de Israel em Jerusalem Oriental, construindo varias casas naquela zona da cidade. Não é assim que Israel conseguirá a paz.

    RB

  117. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 17:10

    Se isso fosse assim ainda estávamos em Guerra na Europa. Ou entre Portugal e Angola, Moçambique etc.

  118. 4 Junho, 2010 17:27

    Deve chegar amanhã a Gaza:

    O Rachel-Corrie, a bordo do qual viajam quinze pessoas, de nacionalidades irlandesa e malaia, entre as quais um prémio Nobel da paz e um antigo responsável da ONU, transporta mil toneladas de ajuda, segundo os organizadores. Inicialmente, deveria ter feito parte da flotilha impedida de seguir em 21 de maio.

    http://www.lemonde.fr/proche-orient/article/2010/06/04/le-cargo-en-route-pour-gaza-n-est-plus-joignable_1367652_3218.html#ens_id=1228030

  119. 4 Junho, 2010 17:31

    Para os “luckluckies” e outros acólitos do “Israel tem sempre razão…”

    “Agências de ajuda humanitária que operam em Gaza dizem que conseguem, em grande parte, transportar suprimentos básicos como farinha e óleo de cozinha para o território.

    Mas a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês), diz que 61% dos moradores de Gaza vivem em uma situação de “insegurança alimentar”.

    Metade dos 1,5 milhão de moradores de Gaza depende da UNRWA e de seus suprimentos de comida.

    A distribuição de comida pela UNRWA foi suspensa várias vezes desde junho de 2007, como resultado do fechamento das fronteiras ou de racionamento de comida.”

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/05/100531_entendabloqueiogaza_ji.shtml

    PS. Já sei que a BBC está minada pelos perigosos esquerdistas, fundamentalistas, etc.,etc.

  120. Boche permalink
    4 Junho, 2010 17:33

    Israel não existe.

    É uma fábula que se conta às criancinhas.

    Se gostam assim tanto dos sionistas, que os ponham na Sibéria ou no Alasca.

    Como defensor dos animais receio pelos ursos e pelo belo tigre siberiano….

  121. 4 Junho, 2010 17:42

    ó lucklucky, vá ver se chove… lá porque se cometem crimes, por esse mundo fora, e em águas internacionais, não quer dizer que tudo se justifica!

  122. 4 Junho, 2010 17:47

    E-Ko

    Como os pressupostos estão errados – “Ils s’inscrivaient dans une démarche pacifiste et humanitaire visant à apporter des secours à une population victime d’un crime contre l’humanité.” – todo o argumentário perde o significado.

  123. 4 Junho, 2010 17:49

    Ricciardi dixit

    “Ó homem, o bloqueio é uma opcção que tem que ser efectiva até cumprimento das condições que levaram ao bloqueio. Bloqueios houve e há às dezenas por esse mundo fora, desde logo em Cuba.

    Isto é que é uma notícia de última hora. Há um bloqueio em Cuba e não avisaram ninguém?

  124. 4 Junho, 2010 17:57

    -> Não é difícil de perceber: o verdadeiro objectivo da repressão dos Direitos das mulheres… é alcançar uma vantagem competitiva demográfica!…

    —> Estou com os judeus quando eles dizem: ‘não podemos ficar à mercê de pessoal (um exemplo: os islâmicos) cujo grande objectivo é ocupar e dominar novos territórios…’
    —> Estou contra os judeus quando eles são NAZIS-INTOLERANTES para com o – legítimo – Direito de todos os povos autóctones sobreviverem!… Isto é:
    – TODOS os Povos Nativos do Planeta Terra [inclusive os de ‘baixo rendimento demográfico’ (reprodutivo)!… inclusive os economicamente pouco rentáveis!…] devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no Planeta!!!

    P.S.
    -> Para os africanos (e não só) o homem branco é um idiota útil para dominar novos territórios… ou seja: o homem branco fica como bode expiatório… e eles, no fim, ficam com novos territórios.

    ANEXO:
    Pelo legítimo direito ao separatismo: BLOG SEPARATISMO 50-50

  125. 4 Junho, 2010 18:12

    album The final cut – a requiem for a post war dream (1983)

  126. 4 Junho, 2010 18:15

  127. 4 Junho, 2010 18:17

  128. 4 Junho, 2010 18:25

    “Como os pressupostos estão errados – “Ils s’inscrivaient dans une démarche pacifiste et humanitaire visant à apporter des secours à une population victime d’un crime contre l’humanité.” – todo o argumentário perde o significado.”Jcd

    mas isso é o que o Jcd diz… e crê!… e eu não sou obrigada a acreditar em si!…

  129. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 18:41

    «Há um bloqueio em Cuba e não avisaram ninguém?»JCD

    Jcd, experimente levar ‘ajuda humanitária’ a Cuba e logo verá a reacção dos EUA.

    É claro que há bloqueio, militar e economico.

    RB

  130. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 18:43

    Anyway, caro Jcd em que planeta tem vivido nestes ultimos 45 anos de BLOQUEIO a CUBA??

    RB

    • 4 Junho, 2010 19:23

      Caro Ricciardi

      “Anyway, caro Jcd em que planeta tem vivido nestes ultimos 45 anos de BLOQUEIO a CUBA??”

      Meu caro, vou dar-lhe uma notícia: Pode ir a Cuba, entrar e sair à vontade (se não for Cubano e se eles deixarem), pode levar o que quiser, pode vender o que quiser (mais uma vez se eles deixarem e tiverem dinheiro para lhe pagar). Não há nenhuma frota a tapar Havana nem revistam os barcos. Até pode levar muita assistência humanitária que também estão precisados. É a isto que chama ‘bloqueio’?

  131. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 18:56

    Já sei que a BBC está minada pelos perigosos esquerdistas, fundamentalistas, etc.,etc.

    Está, qual a dúvida, não lê ou vê as notícias da BBC?
    E a UNRWA até emprega combatentes do Hamas. A UNRWA que é uma organisação que se existisse para todos os conflitos teria como consequência guerras intermináveis por todo o mundo.

    Porque é que túneis são feitos para contrabandear carros, TV de alta definição e outra tecnologia? Quando Mercados estão cheios de produtos? Certamente haverá gente que terá dificuldades como em Portugal há e certamente haverão mais, mas o retrato que se mostra é de uma catástrofe. E isso é mentira.

    “ó lucklucky, vá ver se chove… lá porque se cometem crimes, por esse mundo fora, e em águas internacionais, não quer dizer que tudo se justifica!”

    Deixe de dizer asneiras, a Royal Navy definir uma àrea de bloqueio às Ilhas não é um crime.

  132. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 18:58

    “Anyway, caro Jcd em que planeta tem vivido nestes ultimos 45 anos de BLOQUEIO a CUBA??”

    Está a gozar espero. Os porto em Cuba estão abertos a qualquer navio que não seja Americano e o espaço aéreo a qualquer avião que não seja americano. E os americanos fecham os olhos ás compras de comida e medicamentos pelo Governo americano na América.

    Aliás é a América que alimenta Cuba.

  133. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 19:02

    U.S. food sales to Cuba hit new peak in 2007
    HAVANA
    Fri Feb 15, 2008 7:30pm EST

    (Reuters) – American producers sold $437.5 million in food to Cuba in 2007, a new peak in value despite Cuban complaints that the Bush administration is hindering trade.

    http://www.reuters.com/article/idUSN1557515120080216

    Despite embargo, U.S. is Cuba’s main food supplier
    By Weissert Will

    Associated Press

    Havana – Since 2003, one country has been the main supplier of food to Fidel Castro’s Cuba: the United States.

    Surprised? You have good company.

    Many Americans think their government’s 45-year-old embargo blocks all trade with the communist government, but the United States is the top supplier of food and agricultural products to Cuba. In fact, many Cubans depend on rations grown in Arkansas and North Dakota for their rice and beans.

    http://www.directorio.org/mediacoverage/note.php?note_id=1422

  134. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 19:04

    Seria melhor que muitos Portugueses deixassem de acreditar nas “verdades” que lhes foram inculcadas nos últimos 20 anos pela Esquerda nos media Portugueses…

  135. 4 Junho, 2010 19:23

    A França e a Inglaterra declararam guerra à Alemanha após esta ter invadido a Polónia.
    E se não o tivessem feito? Que teria acontecido?

  136. 4 Junho, 2010 19:32

    ó Lucklucky,

    como você se engana, se calhar é você que acredita piamente nas “verdades” que jornalistas e teóricos de direita vão destilando nos médias portugueses…

    é que eu vivi mais de duas décadas longe daqui e continuo a consumir muito pouco do que os médias tugas produzem, sejam de esquerda ou de direita!…

  137. Tono Analfabeto permalink
    4 Junho, 2010 19:32

    .
    -Leaked UN report says PYONGYANG is using front companies to export NUCLEAR AND MISSILE TECHNOLOGY TO IRAN, SYRIA AND BURMA

    http://www.guardian.co.uk/world/2010/may/28/north-korea-exporting-nuclear-technology

    .
    -CHINA ban on DOG MEAT draw angry outcry

    .
    -China-Made SHREK GLASSES WITH CADMIUM POISON
    McDonald’s recalls 12 million “Shrek” drinking glasses
    .

    http://www.reuters.com/article/idUSTRE65329220100604?feedType=RSS&feedName=topNews

  138. 4 Junho, 2010 19:45

    e, já agora, em relação à guerra das Maldivas, lucklucky, sabe o que dizia o Jorge Luis Borges – aquele fantástico escritor argentino – que aquela guerra, referindo-se à das Maldivas, era como “dois carecas a baterem-se por um pente” e se coloquei os vídeos dos Pink Floyd mais acima, é porque aí estão algumas das faixas de um disco “the final cut” que tem por tema central a mesma guerra e que teve um sucesso estrondoso no reino unido, porque uma coisa são os sucessos bélicos das nações em determidados contextos políticos e históricos, outra coisa aquilo que os povos sentem…

  139. 4 Junho, 2010 19:48

    “Os fortes fazem como entendem, e os fracos sofrem como devem.” Tucídides

  140. lucklucky permalink
    4 Junho, 2010 20:22

    Malvinas… Maldivas é no Índico não no Atlântico Sul.

    É curioso como despreza os pequenos ou os torna vítimas conforme os seus humores.

    Os habitantes das Falklands não são mais que um pente…

  141. 4 Junho, 2010 20:43

    bom, les Malouines… ou Malvinas, são elas o pente, é que os seus habitantes não precisavam de tal luta para viverem, e só os soldados que lá precisaram delas para morrer… entre militares argentinos e ingleses ainda morreram perto de mil…

  142. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 21:10

    JCD,

    Já percebi que não vive noutro planeta… até conhece Cuba… mas estou agora mais convencido que não presta atenção ao essencial.

    Um bloqueio NÃO é uma restrição total a toda e qualquer entrada de produtos; No caso Cubano o bloqueio mantem-se, no que ao que aqui se discute diz respeito – ARMAMENTO, obviamente.

    RB

    • 4 Junho, 2010 21:49

      Ricciardi

      Sorte a de Cuba. Sem possibilidade de gastar dinheiro em armamento, devem ser bem ricos, os cubanos. E então agora, que já não necessitam ir apoiar guerrilhas em países estrangeiros.

  143. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 21:13

    E, já agora, fique a saber que a importação de cimento e vidro e ferro para Cuba é limitada pelos EUA… ainda teem a ideia que vão construir ums usina nuclear…

    RB

  144. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 21:17

    Mas, enfim, o exemplo de Cuba, hoje em dia é bem mais, digamos… soft. Tempos houveram em que pouca coisa lá entrava; tudo mudou quando a urss deixou de ser a ameaça financiadora de Cuba.

    RB

  145. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 21:21

    Resumindo, o que queria dizer é que, foi legitimo aos EUA fizerem o bloqueio que fizeram a Cuba uma vez que este país representava uma ameaça à segurança americana. Da mesma forma é legitimo a Israel usar os mesmos meios para assegurar a sua segurança interna.

    RB

  146. 4 Junho, 2010 21:36

    Ricciardi, meu caro, não há bloqueio a Cuba. Houve um bloqueio durante a chamada crise dos mísseis.
    Não há navios americanos a impedir a passagem ou a controlar o que quer que seja.
    Está a confundir “bloqueio” com “embargo” que são coisas bem diferentes.
    E ao fazê-lo, está a ceder à doutrinação da língua de pau da esquerda tonta que agita o “bloqueio” para justificar a miséria de Cuba.
    Repetindo, para que fique claro: NÃO HÁ BLOQUEIO A CUBA!

  147. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 21:40

    Lidador,

    Epá chame os nomes que quiser à coisa; o problema não está na semantica…

    Embora o grau de restrições seja menor do que era no ano 2000, ainda existe principalmente se se tratar de produtos militares.

    Para mais informações, faça o favor de digitar no google a palavra bloqueio a cuba e veja a quantidade de artigos sobre o assunto.

    RB

  148. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 21:45

    LIDADOR,

    Não quero saber de esquerda ou direita… se leu os artigos da ONU acerca de cuba no google concordará que hoje já não se justifica qualquer bloqueio a CUBA. É um exagero que não é admissivel e esse exagero tem apenas um nome… bloqueio a ideologia politica. Os EUA ainda recentemente (Bush) disseram que não levantam qualquer bloqueio a Cuba enquanto o regime comunista se mantivesse.

    Ora, isto é uma idiotice; uma coisa é defender um bloqueio com base na ideia de SEGURANÇA outra coisa é bloquear um país porque não se gosta do regime politico.

    RB

  149. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 21:48

    Anyway, para grande pena minha, em 2007 a ONU votou maioritáriamente o fim do BLOQUEIO a Cuba, com a excepção de três paises… os EUA, ISrael e um outro qualquer.

    RB

  150. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 21:51

    Pois, seria bom de facto JCD, mas o petroleo de CUBA não serve para fins comerciais e o açucar já não vale o que valia…

    RB

  151. OLP permalink
    4 Junho, 2010 21:58

    Gostei foi da afirmaçao:
    “Com a Turquia não se brinca.”
    Caso os palestinianos tivessem o mesmo problema com os Turcos já não existiam era palestinianos nehuns, tal como fizeram com os Arménios e fazem com os Curdos.
    E ALI, na Turquia não há DIREITO nenhum, nem do antigo nem do novo, aquele DIREITO que permite a turcos dizimarem, Sudaneses chacinarem, chineses ocuparem e colonizarem e angolanos exterminarem cabindas.
    Esse é o DIREITO aquele novinho em folha, o mesmo que permite lançar uma fatwa internacional.
    ò se é de DIREITO…. direito ou esquerdo mas sempre direito.

  152. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 22:13

    Pois, o problema daquela gente que os lidera… arrepia-me de facto aquele tipo de gente; por razões históricas de apoio à urss, muitos cubanos ficaram por angola e encontro muitos por aqui com quem tenho amizade; e chocou-me saber que os médicos que recentmente vieram para cuba, recebem um ordenado do governo Angolano mas só podem ficar com o equivalente ao ordenado que receberiam em Cuba… a diferença é confiscada e entregue ao estado Cubano.

    Porca miséria.

    RB

  153. Ricciardi permalink
    4 Junho, 2010 22:16

    gralha: «… recentemente vieram DE Cuba…»

    RB

  154. 4 Junho, 2010 22:26

    “hoje já não se justifica qualquer bloqueio a CUBA.”

    Ricciardi, não há bloqueio a Cuba desde a Crise dos Mísseis. Entram em Cuba armas, munições, tijolos e tudo o que se lembrar. E saem.
    Na década de 70 e 80, de Cuba saíram e entraram milhares de homens, aviões e carros de combate para as guerras de Africa.
    O que é um acordo com a URSS, no sentido de não meter lá mísseis nucleares.

    Não é uma questão semântica. Bloqueio é uma medida física. Barcos ( no caso do naval), não entram sem controle da potencia que bloqueia.
    Embargo é uma coisa económica. Trata-se de proibir empresas de fazer negócios com o país embargado, etc.

    Se você for capaz de me demonstrar que a US Navy está a volta de Cuba a impedir os barcos de entrar e a inspeccionar a sua carga, então há bloqueio.

    O “bloqueio” é uma bandeira de esquerda. Trata-se de novilíngua. É como chamar Republica “Democrática” Alemã à Alemanha que o não era.

  155. 4 Junho, 2010 22:41

    Baixo. Muito baixo. A veia MRPP renasce com uma verve, uma frieza e uma irracionalidade notáveis.

  156. Portela Menos 1 permalink
    5 Junho, 2010 01:08

    “Estamos em vias de nos tornar o Estado pária do mundo”, lamentou o escritor Amos Oz por estes dias, enquanto os que se gostam de apresentar como “amigos de Israel” defendiam o indefensável. “Israel está progressivamente a deixar de ser um trunfo e a tornar-se num fardo para os Estados Unidos”, explicou Meir Dagan, director da Mossad, enquanto os guerreiros de sofá se deleitavam com a testosterona da sua própria ignorância. “Como é que ficámos tão burros?”, perguntava o conhecido colunista do Yedioth Ahronoth, Sima Kadmon.

  157. REVOLTA POPULAR permalink
    5 Junho, 2010 07:05

    Como era de prever, a “nossa” comunicação social tb esqueceu o MASSACRE DE TIANANMEN.

    Como ontem tínhamos adivinhado!!!

    http://www.asianews.it/news-en/In-Hong-Kong,-150,000-people-remember-the-Tiananmen-massacre-18597.html

    Depois venham cá falar em direitos humanos, democracia, e 25 Abril!!!

    Para quem já não se lembra, o CARNICEIRO LI PENG, primeiro-ministro do governo comunista, mandou tanques de guerra esmagar os estudantes que estavam acampados na praça, totalmente desarmados.

    E os tanques ESMAGARAM MESMO SERES HUMANOS!

    Ora, isto não merece ser notícia em Portugal!

    O que se há-de fazer com esta corja neo-nazi vendida aos lobbies?

    Cuspir na cara, será?

  158. 5 Junho, 2010 09:53

    O Lidador (e não só) anda mal informado.
    «O bloqueio de que muitos falam sem saberem o que dizem»: http://ocastendo.blogs.sapo.pt/385340.html.
    O artigo é de 2008 mas, infelizmente, pouco mudou.

  159. Ricciardi permalink
    5 Junho, 2010 10:58

    #161

    LIDADOR,

    Continua com semantica…

    Mas pronto, apenas por uma questão de esclarecimento, de referir que um ‘embargo’ tem subjacente o cumprimento de uma instruções judicial; isto é, um embargo é, ou deveria ser, uma penalidade por incumprimento de normas internacionais legais.

    Um bloqueio não emerge de incumprimento legal (internacional)da contraparte mas antes de uma decisão unilateral e deve ser efectvio, quer por meios fisicos, quer por meios economicos.

    Ou seja, a questão Cubana não é tecnicamente um embargo, porque Cuba não incorre em qualquer ilegalidade… é pois um bloqueio económico, financeiro e comercial. Repare que é um bloqueio que vai ao ponto de sancionar judicialmente empresas americanas ou estrangeiras que negociem com Cuba, o que até foi considerado ilegal.

    Mais a mais, a QUARTA frota americana foi reactivada, não sei se sabia; não porcausa de Cuba especificamente (o bloqueio economico já fez os seus efeitos), mas como elemento controlador da região, sob o pretexto de que está apenas atrás de traficantes de droga (como se fragatas com misseis de longo alcance combatessem o trafico de droga).

    Bom, com isto não quero dizer que os EUA não tenham o dever de ter cautela e obrigação de nunca colocar em risco de vida a sua população… a Quarta Frota foi e é disso exemplo cabal… agora, já não tem o direito de bloquear, economica ou militarmente, paises porque não gosta do regime politico, que é o caso actual de Cuba.

    RB

  160. Ricciardi permalink
    5 Junho, 2010 11:02

    E tanto assim é, que a ONU pede incessantemente o fim do BLOQUEIO a Cuba, pois as medidas adoptadas não emergiram como reacção a qualquer ilegalidade à luz do direito internacional.

    RB

  161. Ricciardi permalink
    5 Junho, 2010 11:12

    A titulo de exemplo, Inglaterra pede que seja efectuado um embargo economico e militar ao regime do Zimbabwe; alicercou a sua tese com base em ilegalidades do governo actual… violação dos direitos fundamentais, direitos humanos, eleicoes fraudulentas, eliminação da oposição etc.

    RB

  162. lucklucky permalink
    5 Junho, 2010 11:19

    O Projecto de Poder Imperial Turco: Recomeça no Antigo Império e estende-se à Europa:

    http://www.spiegel.de/international/germany/0,1518,684125,00.html

    …Turks living abroad should take the citizenship of their new home country — not, however, with the intention of becoming an integrated part of that society, but so they can become politically active, said Prime Minister Recep Tayyip Erdogan, who spoke at the event…

    Erdogan … said that countries which oppose dual citizenship are violating people’s fundamental rights (Germany, for example, generally does not allow its citizens to hold dual nationality.)”

    …Participants in the session told SPIEGEL ONLINE that the Turkish prime minister then repeated a sentence which had already sparked fierce criticism when he said it during a 2008 speech in Cologne: “Assimilation is a crime against humanity.”…

    …the vice chairman of the Alevi community in Germany, who was present at the lunch, one speaker went so far as to say: “We need to inoculate European culture with Turkish culture.”…

  163. 5 Junho, 2010 11:25

    segundo um relatório de autópsia, as 9 vítimas turcas terão sido alvejadas à queima-roupa por balas disparadas também para a cabeça:

    http://www.guardian.co.uk/world/2010/jun/04/gaza-flotilla-activists-autopsy-results

    e depois são os outros que fabricam imagens!…

  164. lucklucky permalink
    5 Junho, 2010 11:51

    Sim é precisamente isso que acontece num combate corpo a corpo como aliás se viu nas imagens. Close Quarters como chamam os ingleses.

    http://en.wikipedia.org/wiki/Close_Quarters_Battle

  165. lucklucky permalink
    5 Junho, 2010 11:57

    Num combate corpo a corpo, ou seja a curta distância dispara-se balas para a cabeça porque é a única maneira certa de parar um atacante. Com a adrenalina alguém atingido noutra parte do corpo não pára na maioria dos casos.

  166. 5 Junho, 2010 12:39

    ó Lucky,

    tem de ter sempre a última palavra?

    o que é que interessam as teorias do Close Quarters e outras técnicas bélicas ou de guerrilha? os barcos estavam em águas internacionais e não havia armas a bordo, porque senão os soldados israelitas tinham levado com balásios antes de poderem ter disparado “à queima-roupa” “à bout portant” ou “close range”…

  167. A. R permalink
    5 Junho, 2010 12:53

    Esses açougueiros e talhantes do Hamas, discípulos de Satanás, vão levar cada vez mais nos cornos.

    Viva ISRAEL

  168. A. R permalink
    5 Junho, 2010 12:56

    “segundo um relatório de autópsia, as 9 vítimas turcas terão sido alvejadas à queima-roupa por balas disparadas também para a cabeça:” Decida-se homem? Foi à queima roupa ou na cabeça? Um soldado esperando um pacifismo desatado aguarda ângulo para apontar ao dedo mindinho enquanto o vão matando à facada?

  169. 5 Junho, 2010 13:16

    AR,

    não diga burrices, ninguém está a defender o Hamas, e enquanto Israrel estiver muito sugeito aos altos índices de adrenalina, mais a construção em terras que não lhes pertencem, não estão a contribuir para que os palestinianos resolvam os seus problemas internos de forma democrática… mas já se percebeu que não é isso que querem e depois não se surpreendam que a adrenalina suba do outro lado de forma suicídária!…

    não houve mortos entre os soldados israelitas, se houvessem facas longas, algum teria caído morto…

  170. aquilino permalink
    6 Junho, 2010 21:44

    Não sabia a hfm a soldo de Israel.

  171. 7 Junho, 2010 16:39

    a opinião de Eva Joly, juíza de casos de corrupção internacionais e que estava em Gaza na altura dos acontecimentos:

    http://evajoly.blogs.nouvelobs.com/archive/2010/06/03/retour-sur-le-blocus-de-gaza-et-l-assaut-contre-la-flotille.html

Trackbacks

  1. Fartura em Gaza « Islão a nu – Para tomar consciência do terror

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 34.909 outros seguidores

%d bloggers like this: