Saltar para o conteúdo

Testa de ferro

1 Fevereiro, 2008

O novo caso Sócrates não é grave por Sócrates ter assinado projectos de outros autores. É grave por Sócrates ter assinado projectos de autores legalmente impedidos de o fazer e que se encontravam numa situação de conflito de interesses. A assinatura de Sócrates serviu para contornar uma lei cuja função era impedir a corrupção.

Anúncios
309 comentários leave one →
  1. Banzai permalink
    1 Fevereiro, 2008 10:35

    Mas o espanto é por ser o PM ou pla situação em si? É que isto passa-se em todas as autarquias sem sequer haver muito cuidado em esconder. As clientelas sempre foram alimentadas, como continuam a ser!

    Gostar

  2. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 10:37

    Banzai,

    Não há espanto nenhum. Há apenas factos.

    Gostar

  3. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 10:42

    Tem casinhas bonitinhas nas fotos do público.

    Como foram assinadas por Sócrates, devem ter valorizado n!

    É investir.

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 10:46

    Vendo as fotos do público, nota-se que ele “nao assinava qualquer merda” ..lol
    Tem soluçoes interessantes para aumentar o espaço e agradáveis moradias de provincia. Está aprovado. eheh

    Gostar

  5. Aurora permalink
    1 Fevereiro, 2008 10:51

    esta situação passa-se nos anos 80, em outubro passado,um jornal,pede explicações que lhe são dadas por escrito, afinal,a PIDE sempre funciona para entalar a quem chamam de ditador, cada vez mais reforço a tese. Só é atacado,, desde insinuar
    que é mariconço, envolvido com crianças, que não é engenheiro, agora já é, casos de corrupção desde os anos 80 e fora o qua einda vão arranjar, para limitar a sua acção, só vem reforçar a tese que´só é atacado de forma vil e cobarde pela PIDE, quem,de facto,tem valor.

    Estou na presença de gente fraca com um grande lider

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:03

    Quanto mais lhe batem mais se gosta dele! lol

    Gostar

  7. E-migrante permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:04

    Só não vê, quem não quer: Sócrates foi cúmplice na prática de corrupção.
    Alguém pagou a um fiscal para aprovar projectos e foi a cumplicidade de Sócrates que tornou isto possível.
    Se isto é prática corrente, se Sócrates era mesmo engenheiro,…, são cortinas de fumo. Isto tem um nome: corrupção

    Gostar

  8. 1 Fevereiro, 2008 11:09

    O Público apostou em deitar abaixo Sócrates. É uma campanha determinada e bem pensada que nunca iria para a frente sem a aprovação de Belmiro de Azevedo.

    Gostar

  9. Mialgia de Esforço permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:12

    Não admira. Para assinar merdas como a foto, só um parolo aldrabão.

    Tugalândia no seu melhor!

    Gostar

  10. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:13

    Engraçado. Ninguém nega os factos. Mas atira-se sobre os mensageiros. 8)

    Os portugueses aceitam com naturalidade a corrupção. Aceitam-na mas depois queixam-se que o país está de pantanas.

    Que ricas élites temos em Portugal. Tão ou mais corruptas que os Corleone desse mundo…

    Gostar

  11. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:15

    “como a foto”

    Isso é porque foram escolher a mais feiota. Tinham mais bonitas para a fotografia.

    Gostar

  12. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:17

    “os mensageiros”

    Suspeito que os mensageiros também sao corruptos. Só mandam as mensagens quando lhes parece interessar. Por isso, ainda os acho mais insuportáveis… lol

    Gostar

  13. Luís Lavoura permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:18

    “é grave por Sócrates ter assinado projectos de autores legalmente impedidos de o fazer”

    Fico boquiaberto de espanto por ver o João Miranda tão respeitador da lei e tão agressivo para quem desrespeita a lei.

    Nem parece um liberal-anarquista.

    Gostar

  14. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 11:25

    ««Fico boquiaberto de espanto por ver o João Miranda tão respeitador da lei e tão agressivo para quem desrespeita a lei.»»

    Ainda pensei que o Luís Lavoura iria argumentar que colaborar numa forma de escamoterar um conflito de interesses é uma situação perfeitamente aceitável (diga a lei o que disser).

    Gostar

  15. anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:26

    um dia eles haviam de chegar ao poder, os patos bravos

    o miranda tem razão: “a assinatura de Sócrates serviu para contornar uma lei cuja função era impedir a corrupção”. Este homem não pode ser primeiro-ministro de Portugal.

    Gostar

  16. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:27

    “Suspeito que os mensageiros também sao corruptos. ”

    Se suspeita, só tem um caminho. Ir à PGR fazer queixa dos corruptos. Ou só se queixas dos corruptos da oposição?

    O António Costa veio para os jornais dizer que os negócios na Càmara, antes dele, devem ter feito jeito a alguém. Ninguém lhe pediu nomes, provas e factos. O Bastonário dos Advogados já é crucifixado por dizer o que dizem os outros, mas sob as suas vestes.

    Por fim, o facto de um eventual corrupto apontar demais corruptos, não iliba os corruptos e a corrupção. Ou iliba?

    Mas fico perplexo com as nossas élites. Aceitam com naturalidade a corrupção. Mas eu entendo o porquê. 80% das nossas élites devem ser corruptas e parasitas do Estado. Esse é o problema. É por isso que o desgoverno, sempre que pode, foge do tema da corrupção como o diabo da cruz.

    E a vitimização dá votos e simpatias entre os corruptos deste país e demais pacóvios. 8)

    Gostar

  17. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:28

    Anti-comuna

    Parece-me muito liberal quem está impedido de assinar projectos que possa servir de intermediário e com isso ganhar dinheiro. O que está mal nesta história não é Sócrates (bacharel de engenharia na altura) assinar projectos realizados por outros (ao assinar ele está a assumir a paternidade e todas as responsabilidades inerentes), nem é pelo facto desses outros estarem impedidos de o fazer.

    O errado é que quem solicita os projectos aos técnicos das câmaras entendem que poderão ser alvos de represálias, que pegarão em qualquer pormenor para atrasar o processo, etc. E isso só existe porque porventura existiu mesmo boicote a quem não entra no esquema, ou porque existiu facilitismo a projectos de determinados técnicos.

    Gostar

  18. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:30

    Ou seja não vejo neste caso concreto nada de errado com o nosso PM

    Gostar

  19. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:32

    Ainda vão descobrir que o homem fumava.E já agora ainda não percebi onde está a corrupção.Havia quem estivesse impedido de assinar os projectos mas não estava impedido de ganhar a vida e de os executar.O Engº (afinal parece que já era engº)fornecia um trabalho que consistia em verificar se tudo estava conforme manda a lei e depois assinava-os entregando-os na câmara!

    Chiça!Só se o homem vivesse no Mosteiro da Cartuxa!E mesmo assim iam descobrir que não cantava a última missa!

    Que se ataque um político que sustenta um Estado corrupto e centralizador,tudo bem,mas assim…

    Gostar

  20. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:33

    “Parece-me muito liberal quem está impedido de assinar projectos que possa servir de intermediário e com isso ganhar dinheiro.”

    Parece-lhe mas não é. Senão, vou já negociar uns kilitos de cocaína, que afinal tudo se aceita.

    Liberalismo não é ganhar dinheiro. Mas, enfim, quem não sabe o que o Liberalismo diz estes disparates.

    Em todo o caso, registo isto:

    “Finanças vão denunciar riqueza inexplicada

    A administração fiscal vai passar a comunicar ao Ministério Público (MP) casos em que haja discrepância entre o rendimento declarado e o aumento de património do contribuinte. Tratando-se de um funcionário público ou alguém que ocupe um cargo numa entidade sob tutela pública, as Finanças terão também de avisar a respectiva tutela.

    Uma obrigação que ficará consagrada nas propostas que vão sair do grupo de trabalho parlamentar que está a analisar um pacote de leis anti–corrupção. Esta é uma das cinco medidas que já mereceu consenso entre os vários partidos. Fora do acordo ficam duas das matérias mais emblemáticas deste pacote de propostas – a criminalização do enriquecimento ilícito e a criação de uma entidade de prevenção da corrupção.”

    No DN http://dn.sapo.pt/2008/02/01/nacional/financas_denunciar_riqueza_inexplica.html .

    Os políticos armam-se em perseguidores “implacáveis” de quem viola a lei e defrauda o consumidor. Mas depois fecha-se os olhos aos que os mesmo políticos fazem ou fizeram no passado?

    Portugal está uma choldra. E merece continuar por muitos anos. O mezzogiorno ibérico está implantado em todo o seu esplendor.

    Viva o Rei!

    Gostar

  21. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:34

    Por falar em belmiro, quem foi que disse que devido àquela cena da implosão das torres em que Sócrates julgou que era ele que estava a demolir o edifício mas não era, é que disse “enquando Sócrates for 1º aquele empreendimento nunca mais sai do papel”? Repare-se como o nome de Abílio Curto já desapareceu estrategicamente do discurso do PS como chave da caixa de pandora.

    Gostar

  22. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:37

    Mas o pior é que, parece-me, muitos ainda não leram a notícia do Público:

    “E já agora ainda não percebi onde está a corrupção.Havia quem estivesse impedido de assinar os projectos mas não estava impedido de ganhar a vida e de os executar.O Engº (afinal parece que já era engº)fornecia um trabalho que consistia em verificar se tudo estava conforme manda a lei e depois assinava-os entregando-os na câmara!”

    Mas parece que não estava conforme a lei.

    A coisa é simples. Eu quero fazer umas alterações a uma propriedade minha, mas que a lei impede. Então, pago uma “comissãozinha” ao fiscal da Càmara, que por sua vez, para contornar a lei, assina em nome alheio, com o benplácito do “técnico”, para posterior aprovação, pelo gabinete do… Fiscal.

    Claro que isto não é corrupção. É driblar a lei. É ultrapassar a lei. Mas corrupção não é?

    Mas temos um país na merda e estas élites queixam-se de quê? Do povo que não trabalha? Que não paga impostos? De que se queixa esta gentinha?

    Tenho vergonha de saber que há portugueses que aceitam com naturalidade a corrupção.

    Gostar

  23. 1 Fevereiro, 2008 11:39

    «Engraçado. Ninguém nega os factos. Mas atira-se sobre os mensageiros.»

    É evidente, anti-comuna. Os factos são factos. Os mensageiros especulam sobre os factos e engendram conspirações monstruosas.

    Mas não deixa de ser surpreendente ler o João Miranda a apoiar práticas não-liberais. Licenças?! Aprovações?! Que raio! 😉 Mas pronto, pronto. Para a semana já sabemos que vai voltar a dizer o contrário.

    Mas a “prova” de que é imperativo questionar os mensageiros, é que os factos não são muitos. São 27 assinaturas. E resumem-se a isso. O resto é interpretação, já se sabe que tendenciosa, porque o objectivo é o escândalo puro e a venda de jornais. Já que estamos numa de especular, esta especulação que o Filipe (https://blasfemias.net/2008/02/01/testa-de-ferro/#comment-1638) faz também será descabida? Mas repito. Os factos são poucos. Há que questiona-los, mas há que questionar os “mensageiros da verdade suprema”.

    Gostar

  24. AMI permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:41

    Anti-Comuna,

    «Engraçado. Ninguém nega os factos. Mas atira-se sobre os mensageiros.

    Os portugueses aceitam com naturalidade a corrupção. Aceitam-na mas depois queixam-se que o país está de pantanas.»

    Nem mais!

    Esta contradição de se aceitar a corrupção como algo pouco importante e depois reclamar do estado do país sempre me fez espécie.

    Quando confrontados com factos noticiados sobre corrupção, os portugueses geralmente têm uma de 4 atitudes:

    Indignação;
    Indiferença;
    Resignação, e
    Aprovação.

    As 3 últimas continuam a ser predominantes neste país.

    Enquanto assim for, os corruptos portugueses continuarão a sentir-se bastante confortáveis.

    Gostar

  25. 1 Fevereiro, 2008 11:42

    «Parece-lhe mas não é. Senão, vou já negociar uns kilitos de cocaína, que afinal tudo se aceita.

    Liberalismo não é ganhar dinheiro. Mas, enfim, quem não sabe o que o Liberalismo diz estes disparates.»

    Anti-comuna, quero crer que o que disseram tem a ver com muitos dos “liberais” portugueses também apoiarem o anarco-capitalismo. Mas concordo em absoluto consigo, tal não será muito Liberal.

    Gostar

  26. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:42

    Muitos dos que se queixam do mau planeamento urbano, e seus custos sociais e económicos, são os mesmos que aceitam com naturalidade este tipo de corrupção. Pior. Dizem que é normal e generalizada!

    Tenho a impressão que não sou português. Devo ser sueco. Ou alemão. Mas não devo ser português. Porque não aceito este tipo de chulos e parasitas do Estado, que perseguem o Povinho, inventando mil e um justificações para não aprovarem projectos camarários. Mas depois, a troco de umas prendas…

    Bem faz aquele que desiste de investir em Portugal, com tamanha corrupção enraízada nas lusitanas cabecinhas.

    Querem um país rico? Emigrem!

    Gostar

  27. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:43

    Afinal os técnicos eram técnicos da Câmara.Isso muda tudo!Peço desculpa!

    Trata-se de um dos mais fortes factores que alimentam a corrupção!

    Os técnicos das câmaras e das direcções gerais trabalharem para os privados .

    Lançam os concursos,fazem os projectos, arranjam quem os assine e depois autorizam-nos!

    este Sócrates é decididamente um homem perigoso!

    Gostar

  28. nelson gonçalves permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:43

    A solução para este tipo de situações até pode ser simples. Basta submeter o projecto para aprovação aleatoriamente a qualquer departamento de projectos dos municípios do país, 300 e tal. Assim fica dificultada a aparição de testas de ferro. Não elimina, mas ajuda.

    E até se pode fazer uma coisa ligeiramente diferente. Submeter simultaneamente, mas de forma aleatória, a mais que um departamento de projectos e só aprovar o projecto se todos os departamentos concordarem. Podia-se ainda definir um sistema de incentivos em que os departamentos recebem X se concordarem na aprovação/reprovação e pagam Y caso exista pelo menos um departamento que contrarie os restantes. Devido ao largo número de departamentos camarários e como os projectos são submetidos aleatóriamente a probabilidade de corrupção é reduzida significativamente. Pode-se ainda alargar a possibilidade de avaliação a auditores privados (funcionaria melhor, penso, quanto maior o número de agentes envolvidos na avaliação).

    Gostar

  29. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:44

    “Ainda vão descobrir que o homem fumava.”

    Já descobriram. Até foi apanhado a fumar algures no parlamento europeu, salvo erro e deu foto.

    Gostar

  30. 1 Fevereiro, 2008 11:44

    O Público levantou a questão do diploma de Sócrates e houve um grande barulho. Depois parou. Agora levanta a questão das assinaturas de projectos e o barulho começa outra vez.
    Parecem aquelas marionetas a que se dá um bocadinho de corda, elas mexem-se e depois param. Dá-se mais um bocadinho de corda, elas tornam-se a mexer e param outra vez. Deve ser muito divertido para aquele (belmiro de Azevedo) que está a dar corda.

    Gostar

  31. 1 Fevereiro, 2008 11:52

    Nelson Gonçalves, nos pormenores que imagina, isso é impraticável. Com 300 departamentos pelo menos. Teriam de se reduzir brutalmente o nº de departamentos, para 5, 10, 15, se tanto (talvez com a regionalização se possa engendrar um sistema do género, com a análise do departamento local e do departamento “regional”). Com 300 existiria muito facilmente, por exemplo, a possibilidade de um “veto” só porque a obra é no litoral e não no interior, porque não querem que construam um tribunal num concelho, mas no deles.

    Mas enquanto que a ideia fundamental não é má. É também impraticável um departamento de Faro “fiscalizar” uma obra em Bragança. Teriam de atravessar o país. E já nem falo de Madeira e Açores.

    Gostar

  32. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:53

    ““Parece-me muito liberal quem está impedido de assinar projectos que possa servir de intermediário e com isso ganhar dinheiro.”

    Parece-lhe mas não é. Senão, vou já negociar uns kilitos de cocaína, que afinal tudo se aceita.

    Liberalismo não é ganhar dinheiro. Mas, enfim, quem não sabe o que o Liberalismo diz estes disparates.”

    O Anti-comuna está a misturar legal com liberal. Se a cocaína pudesse ser vendida legalmente é que a sua analogia seria válida. Não é. Temos pena. De qualquer modo, eu que não sou liberal (nem sequer sei o que isso é, pelos vistos), não digo que o Anti-comuna diz disparates, sobretudo sem explicar porque é que são disparates. De qualquer modo aqui fica o registo (disparatado é certo).

    Gostar

  33. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:53

    “assinaturas de projectos e o barulho começa outra vez.
    Parecem aquelas marionetas a que se dá um bocadinho de corda, elas mexem-se e depois param. Dá-se mais um bocadinho de corda, elas tornam-se a mexer e param outra vez. Deve ser muito divertido para aquele (belmiro de Azevedo) que está a dar corda.”

    Os corruptos, fazem-se de vítimas e também têm as suas marionetas pacóvios.

    A Mafia em Itália tem muitos seguidores e simpatizantes também, não é verdade. lololololololol

    Tina, beba um bagacinho que isso passa-lhe. 😉

    Gostar

  34. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:56

    “O Anti-comuna está a misturar legal com liberal. Se a cocaína pudesse ser vendida legalmente é que a sua analogia seria válida.”

    Nop. O Liberalismo assenta na Lei. Não na corrupção e do ganhar dinheiro a todo o custo.

    É legal o que fez o Pinócrates? Sim? Não? Assim, assim?

    O Estado de Direito é o único regime político que sustenta o verdadeiro Liberalismo. Não os corleones desta merda de sistema corrupto, chupista e parasita dos portugueses. Que, coitados, são as principais vítimas desta merda de élites.

    Safa!

    Gostar

  35. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 11:56

    Não,tratando-se de técnicos da câmara não é uma mera assinatura de substituição.Trata-se do envolvimento num esquema ilegal pois permite que os técnicos das câmaras ganhem dinheiro com os projectos que vão aprovar!

    Fazem os projectos e depois aprovam-nos,Se for outro a fazê-los não são aprovados!

    esta é uma prática corrente de corrupção em todo o Estado e que alimenta mesmo corrupção ao nível das grandes obras púbicas.Quem é que projecta as pontes? E as auto estradas?E os hospitais?

    Os técnicos que estão nas Direcções gerais e que depois irão ser os elementos do júri que os aprovam!

    Sem dúvida Sócrates tem mundo e sabe muito bem como se faz!

    Gostar

  36. 1 Fevereiro, 2008 11:58

    “Eu quero fazer umas alterações a uma propriedade minha, mas que a lei impede. Então, pago uma “comissãozinha” ao fiscal da Càmara…
    Anti-Comuna

    Está a ser corrupto.

    Gostar

  37. 1 Fevereiro, 2008 12:01

    Parecem aquelas marionetas a que se dá um bocadinho de corda, elas mexem-se e depois param.

    Acha que central de intoxicação do PCP aqui bem representada liderada pelos liberais de pacotilha parecem ou são aquelas “marionetas” domesticadas, como caniches?

    Como alquem aqui escreveu, ´so uma grande figura é tão atacada por tudo e por nada

    Gostar

  38. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:04

    “Nop. O Liberalismo assenta na Lei. Não na corrupção e do ganhar dinheiro a todo o custo.”

    Assenta na lei? Boa!

    Pensei que fosse liberal achar que a cocaína pudesse ser vendida legalmente, assim, como assenta na lei, liberal é cumprir a lei. Ok, registado.

    Gostar

  39. 1 Fevereiro, 2008 12:05

    Perguntas sem resposta!

    Afinal é possível assinar projectos como engenheiro, sem se estar inscrito na Ordem?

    Como é possível assinar projectos nos anos 80, se ele “terminou” o curso nos Anos 90?

    Gostar

  40. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:06

    ““Eu quero fazer umas alterações a uma propriedade minha, mas que a lei impede. Então, pago uma “comissãozinha” ao fiscal da Càmara…
    Anti-Comuna”

    Está a ser corrupto.”

    Pois sou. Sou e quem aceita o meu dinheiro.

    Mas é Vc. que anda a defender o tipo. Não sou eu.

    Eu tenho orgulho de nunca ter pago um tusto para estes chulos parasitas. E até tive terrenos meus, com projectos aprovados em autarquias, de obras alheias. Convencidos estes chulos e parasistas, que eu vendia o terreno. Perdi cerca de 2/3 do valor. Mas o terreno sempre dá para plantar batatas. Mas nas mãos de corruptos não foi parar.

    Pode dizer. É burro. Perdeu dinheiro e os demais acabaram por ganhar dinheiro e ainda o entalaram. Mas tenho o meu mau feitio. Não cedo a corruptos. Ponto final, pargráfo. Desde então, nunca mais decidi investir em Portugal, na chamada “economia real”.

    Querem riqueza? Trabalhem! Deixem de ser chulos!

    Gostar

  41. nelson gonçalves permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:06

    Jam,

    A ideia é apenas e só impedir que quem submete o projecto conheça os autores. Assim faz todo o sentido que exista um número elevado de “aprovadores”. Também é necessário que no projecto não vá informação que permita a identificação dos autores ou a localização do edifício. Acredito que seja possível fazer isto para pequenos edficíos (moradias, por exemplo), enquanto que para outros se possa dividir o projecto em partes (alicerces + electrificação + saneamento por exemplo) e submeter a aprovação as diferentes partes. Não sou engenheiro civil, mas penso que desenhar projectos de forma modular é habitual.

    Gostar

  42. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:07

    “so uma grande figura é tão atacada por tudo e por nada”

    Não o acho uma grande figura mas não deixa de ser estranho esse esmiuçar do passado dele. Estão aqui estão a ver os projectos deles e vão reparar que o homem meteu uma porta com 3 cm a menos que o regulamentar da altura.

    Gostar

  43. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:09

    “Afinal é possível assinar projectos como engenheiro, sem se estar inscrito na Ordem?”

    Claro que sim. Os engenheiros técnicos (bachareis).

    “Como é possível assinar projectos nos anos 80, se ele “terminou” o curso nos Anos 90?”

    Ele terminou a licenciatura nos anos 90 mas já era bacharel.

    Existem projectos de pequena dimensão que nem sequer obrigam a ser assinados por engenheiros (licenciados ou bachareis) ou arquitectos.

    Gostar

  44. nelson gonçalves permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:09

    Jam,

    E quanto ao facto de uma câmara no litoral impedir o projecto de uma empresa no interior, o inverso também pode suceder. Porque os projectos são distribuídos de forma aleatória. A melhor estratégia é de aprovar o projecto com base no mérito e qualidades. Se você me começar a lixar (admitindo que consegue identificar a origem) eu faço-lhe o mesmo. Perdemos ambos dinheiro.

    Gostar

  45. 1 Fevereiro, 2008 12:11

    Mas é Vc. que anda a defender o tipo. Não sou eu.
    Anti-Comuna

    ERROR
    Tenho estado a defender a assinatura de projectos, sem necessariamente ser o autor, mas o supervisor e responsável técnico.
    O resto é atreta política do costume.

    Gostar

  46. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:11

    Anónimo

    O Sócrates, se for verdade o que se diz está envolvido num esquema ilegal.

    Se é ou não corrupção tem que se ver com cuidado porque ele podia estar no esquema e não estar envolvido na corrupção.

    Os técnicos da câmara estavam a cometer um acto de corrupção pois serviam-se do seu lugar para vender serviços incompatíveis com a sua condição de funcionários camarários!

    Até que enfim que se começa a chamar os bois pelos nomes!

    Gostar

  47. nelson gonçalves permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:12

    “Mas enquanto que a ideia fundamental não é má. É também impraticável um departamento de Faro “fiscalizar” uma obra em Bragança. Teriam de atravessar o país. E já nem falo de Madeira e Açores.”

    O Sócrates não fiscalizou a obra. Foi testa de ferro dos fiscalizadores do projecto. A minha proposta é apenas para reduzir a quantidade de testas de ferro. No que diz respeito à fiscalização, talvez se possa encontrar uma solução semelhante.

    Gostar

  48. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:12

    Nota: a aprovação dos projectos actualmente é automática sem qualquer influência dos técncos das câmaras.

    Gostar

  49. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:14

    Vá, continuem que estou a gostar muito do espectáculo. Vou só ali buscar o óleo para vos lubrificar um bocadinho as juntas e venho já (mas que tótós que estes são, Meu Deus! é muito mais fácil do que eu pensava)

    Gostar

  50. 1 Fevereiro, 2008 12:14

    “É grave por Sócrates ter assinado projectos de autores legalmente impedidos de o fazer”

    Estão legalmente impedidos é de ASSINAR, meu caro João Miranda. Então se eu, que não percebo nada de nada de engenharia e arquitetura, quiser projectar uma casa, fazer um desenho, a lei impede-mo??!!

    Gostar

  51. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:14

    Seria também interessante saber se o Sr. Primeiro-ministro passou recibos e pagou impostos do que recebeu nestes trabalhos todos. Já agora também saber se enquanto funcionário publico na câmara da Covilhã, tinha autorização para exercer actividade privada em acumulação de serviços. Isto é o espelho do que infelizmente se passa em muitas das autarquias deste Portugal. É um verdadeiro representante da classe dos Engenheiros técnicos e de muitos dos técnicos ao serviço das nossas autarquias.

    Gostar

  52. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:15

    “Tenho estado a defender a assinatura de projectos, sem necessariamente ser o autor, mas o supervisor e responsável técnico.”

    Sim?

    A mim parece-me que está a defender o Pinócrates e os seus esquemas.

    Dá-me a impressão que Vc ainda vai ter muito que inventar para justificar os actos do seu ídolo. Olhe que eu também tenho amigos que dizem saber umas coisicas mas… 😉

    Gostar

  53. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:15

    Piscoiso

    Você ainda não percebeu ou não quer perceber!

    É corrupção porque de outra forma ninguem consegue ver um projecto aprovado.O que o técnico vende não é o serviço técnico!É o serviço do funcionário que se serve do seu lugar para favorecer o seu cliente

    Cliente que em boa verdade é tambem ilegal ter!

    Este esquema é uma das fontes mais fortes da corrupção!

    Gostar

  54. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:15

    Ainda por cima a noticia parece que é invençao… lol

    Gostar

  55. 1 Fevereiro, 2008 12:16

    Esperem, falta a sentença do CAA. está a estudar com o seus alunos qual a pena a aplicar. Pelo que leio, nos entretantos a sentença vai ser pesada

    Gostar

  56. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:18

    Como é possível que uma pessoa cujos actos enquanto político e enquanto PM têm tanto de criticável e de denunciável, esteja a ser criticado por nos anos 80 ter assumido a responsabilidade por projectos feitos por outros? Não é isto que se passa em todos os gabinetes de arquitectura?
    Quem estiver atento a isto tudo até fica com a ideia que não há qualquer outro argumento para criticar o PM. Sendo certo que isso não é verdade resulta evidente que dá menos trabalho tentar denegrir as pessoas com assuntos “peanuts” do que explicar ao povo as verdadeiras razões porque devem estar descontentes com o governo.

    Gostar

  57. João Miranda permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:18

    ««Estão legalmente impedidos é de ASSINAR»»

    Foi o que eu escrevi. “de o fazer” O “o” substitui “assinar”.

    ««, meu caro João Miranda. Então se eu, que não percebo nada de nada de engenharia e arquitetura, quiser projectar uma casa, fazer um desenho, a lei impede-mo??!!»»

    Impede-o se o Rb for o engenheiro da câmara que vai depois aprovar e fiscalizar o projecto.

    Gostar

  58. 1 Fevereiro, 2008 12:20

    Será que o Público não pode disponibilizar fotos dos anexos, galinheiros, casotas de cães e afins que Sócrates projectou, perdão, assinou.

    Gostar

  59. hecatombe permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:21

    Na Câmara Municipal de Guimarães, os gabinetes privados são levados até à exaustão a fazerem alterações aos projectos, até, por fadiga, os abandonarem e estes serem depois gentilmente e facilmente concluídos por outros gabinetes “privados”, e que sem qualquer tipo de alterações são de imediato aprovados.
    Ah! isto não era no passado. Isto é em 2008.

    Gostar

  60. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:21

    “É corrupção porque de outra forma ninguem consegue ver um projecto aprovado.O que o técnico vende não é o serviço técnico!É o serviço do funcionário que se serve do seu lugar para favorecer o seu cliente”

    Luis Moreira,

    Isso era se se tivesse concluído que condição essencial para a aprovação dos projectos na câmara era a assinatura do PM. E isso é uma conclusão sua (e, provavelmente, de muita gente), mas não é o que consta da notícia nem se sabe (ainda) se, efectivamente, essa ideia tem alguma correspondência com a verdade.

    Gostar

  61. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 12:22

    ««Tenho estado a defender a assinatura de projectos, sem necessariamente ser o autor, mas o supervisor e responsável técnico.»»

    Mas o caso não é esse. O caso é se alguém que se preste a ser testa de ferro de um fiscal da câmara está a agir correctamente.

    Gostar

  62. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:22

    “Quem estiver atento a isto tudo até fica com a ideia que não há qualquer outro argumento para criticar o PM. ”

    Bingo

    Gostar

  63. 1 Fevereiro, 2008 12:24

    “Impede-o se o Rb for o engenheiro da câmara que vai depois aprovar e fiscalizar o projecto.”

    Onde é que está a lei que diz isso?

    Gostar

  64. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:25

    A questão não é assinar.A questão é estar a encobrir um esquema de corrupção!Ele sabia que é ilegal os técnicos da câmarara executarem projectos que vão ser aprovados por eles enquanto funcionários!

    Não vale a pena baralhar! Toda a gente sabe que é assim que se faz!É ilegal e gera corrupção!

    Gostar

  65. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 12:28

    ««Onde é que está a lei que diz isso?»»

    A lei provavelmente não o diz. Mas o que se está a discutir não é a legalidade mas sim o respeito do actual PM pelos procedimentos correcto. O espírito da lei é contra o desempenho simultãneo de funções de execução e fiscalização. Um fiscal da câmara não pode aprovar ou fiscalizar os seus próprios projectos. Isso devia ser elementar. Alguém que se preste a ser testa de ferro nesta situação está a agir incorrectamente.

    Gostar

  66. 1 Fevereiro, 2008 12:29

    Belmiro, nunca perdoou o facto de ter perdido a PT. Pretendia que o Socrates llhe fizesse o favor de lhe meter uma mina, mais uma, no bolso de quem despede e não renova um contrato a ninguem. Socrates é forte, estas e mais umas quantas faz-me estar do lado dele, independentemente, nem sempre estar de acordo com ele.Eu não devo nada ao sr. belmiro, ele, ao que parece, apesar das isenções de impostos, não quer pagar o que é devido e por isso, o seu jornal, que é deficitario, com prejuizos suportados pelo Maganata do toucinho. Vou assinar o jornal da sargeta

    Gostar

  67. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:29

    São todos uns tótós coitados, reagem exactamente como eu esperava. A Tina é a única pessoa esperta no meio disto tudo e ninguém lhe dá ouvidos. Tenho que ver se encontro o endereço de e-mail dela para lhe oferecer emprego e dar-lhe um bom ordenado a ver se a mulher se cala de vez!…

    Gostar

  68. Lígia permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:32

    corrupção??’
    Assinaturas indevidas???
    Essa é a menor das minhas preocupações.
    Infelizmente este Governo só nos tem dado motivos para critica…
    Mas, há sempre meia duzia de ilumidados que vem dizer que o Governo só tem demonstrado coragem pois as reformas eram absolutamente necesárias…
    Por favor, haja decencia…
    Este Governo devia era ter coragem para vir a publico pedir desculpas aos portugueses, pela situação em que está a colocar o país e, com aquela emoção que já é caracteristica do PM, dizer: Vamos embora. Adeus e até nunca mais.

    Gostar

  69. Micas permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:34

    Ao menos o homem é coerente na falta de carácter e de lisura, ao longo do seu percurso político-profissional.

    No pasa nada…

    Gostar

  70. 1 Fevereiro, 2008 12:37

    “Um fiscal da câmara não pode aprovar ou fiscalizar os seus próprios projectos.”

    Mas quem diz que são próprios?

    Gostar

  71. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 12:40

    ««“Um fiscal da câmara não pode aprovar ou fiscalizar os seus próprios projectos.”

    Mas quem diz que são próprios?»»

    Nem sequer interesse se são próprios. Um fiscal de uma câmara não pode fazer projectos submetidos a essa câmara. Há conflito de interesses. Isso já foi mais que explicado nesta discussão.

    Gostar

  72. 1 Fevereiro, 2008 12:42

    “O caso é se alguém que se preste a ser testa de ferro de um fiscal da câmara está a agir correctamente.”
    João Miranda

    Explique lá isso por miúdos sobre o testa de ferro.
    Desbobine.

    Gostar

  73. 1 Fevereiro, 2008 12:42

    Consta que, na próxima semana, o Público vai denunciar, com veemente indignação, Zézinho Sócrates por, na década de 60, ter apalpado o rabo a uma colega de Catequese.

    Gostar

  74. 1 Fevereiro, 2008 12:44

    Um fiscal de uma câmara não pode fazer projectos submetidos a essa câmara.

    Mentira. Pode sim senhor. Não pode é ser o responsável técnoco por eles.

    Gostar

  75. 1 Fevereiro, 2008 12:47

    Por seres zarolho é que não enxergas. O pinto de sousa começa a ter azar. Ele vai safar-se como o durão aldrabão e o toninho bonzinho, nós é que ficamos cá para aguentar a bambochata.

    Gostar

  76. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 12:51

    ««Mentira. Pode sim senhor. Não pode é ser o responsável técnoco por eles.»»

    Legalmente, até pode ser que sim. Do ponto de vista daquilo que é correcto não pode.

    Gostar

  77. 1 Fevereiro, 2008 12:53

    Eu não percebo a indignação com o Jornal Público que, além do mais, apenas tem cumprido a sua missão: informar.

    Gostar

  78. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:53

    “por, na década de 60, ter apalpado o rabo a uma colega de Catequese.”

    ora aí está um boa ideia, porque é que não pensei nisso antes? Devo estar a perder atributos, foi essa porcaria da OPA que me desconcentrou totalmente!…

    Gostar

  79. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 12:59

    Piscoiso

    Ó homem deixe de inventar vc já está a defender que o técnico pode projectar mas não pode assinar!Quer dizer vc já defende várias ilicitudes todas ao mesmo tempo!

    Se projecta quem é que assina?Outro?Mas isso não é uma mentira? Será porque depois quando aprova vai ser o mesmo que projectou?

    Gostar

  80. Red Snapper permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:01

    Isto são más notícias para a oposição. É que a população descomprometida partidariamente, que é a maioria, começa mesmo a acreditar em teorias da conspiração. Interrogam-se: sempre o mesmo Jornal a vasculhar o passado do homem!? Esquisito. É natural essa interrogação, não é Pedro Morgado? Claro que os simpatizantes dos partidos da oposição, tipo JMiranda, rejubilam de gáudio com estas notícias.

    Gostar

  81. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:04

    Red Snapper,

    Mas a notícia é falsa?

    Gostar

  82. chato permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:05

    Isto é tudo tão chato!
    Que chatice.
    É um assunto que acaba de “abafar” o caso do Bastonário da O.A.

    Gostar

  83. Red Snapper permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:06

    A notícia de certeza que não é falsa. Esses comportamentos menos correctos de Sócrates são perfeitamente verosímeis. Basta olhar para a cara dele para se perceber que quando era mais novo era um bom malandro. Eu até tenho a certeza que fumou uns charros e fez uns gamanços.

    Gostar

  84. 1 Fevereiro, 2008 13:09

    Legalmente, até pode ser que sim. Do ponto de vista daquilo que é correcto não pode.
    João Miranda

    Que raio de liberal é vc, que tem dúvidas sobre a liberdade que qualquer pessoa tem de fazer projectos ?
    Para aprovação oficial carece da assinatura (responsabiloidade técnica) de alguém credenciado.
    O correcto ou incorrecto, tecnicamente, é da competência do respectivo departamento técnico da autarquia.

    Gostar

  85. Red Snapper permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:11

    A questão que interessa a maioria das pessoas, não é essa caro JMiranda. Aliás este assunto não interessa nada à maioria das pessoas. As pessoas ficam a saber que Socrates é um mortal com muitos pecadilhos como a maioria de todos nós. E, daí não vem nenhum espanto. Assunto encerrado. Siga a marcha. È assim que as pessoas pensam. E, claro também se interrogam sobre esta campanha do Jornal.

    Gostar

  86. 1 Fevereiro, 2008 13:12

    Digam o que disserem, a situação relatada hoje pelo “Público” é irregular e é ilegal. E passa-se neste país, todos os dias, em diversos municípios.

    Quem entra nestes esquemas, não pode argumentar desconhecimento. Nem de nada lhe serve vir “reconhecer a autoria e a responsabilidade dos projectos”. Quanto à autoria, é de certeza mentira. E quem mente, é mentiroso. Mesmo que passados mais de 20 anos sobre os acontecimentos.

    Eu não gostaria de ter um mentiroso como vizinho, quanto mais como 1º ministro. Quanto a vocês, não sei.

    Gostar

  87. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:13

    ««Que raio de liberal é vc, que tem dúvidas sobre a liberdade que qualquer pessoa tem de fazer projectos ?»»

    Toda a gente deve ter liberdade para fazer projecto. Mas quem tem um contrato com uma câmara municipal abdica voluntariamente dessa liberdade. Ou bem que faz projectos, ou bem que os fiscaliza. Não pode ser ao mesmo tempo juiz e autor de projectos. Isso é elementar e em nada contraria a liberdade. As pessoas têm liberdade, não podem é realizar duas funções incompatíveis.

    Gostar

  88. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:14

    ««A questão que interessa a maioria das pessoas, não é essa caro JMiranda.»»

    Pois, mas eu não sou a maioria das pessoas e esta questão interessa-me.

    Gostar

  89. 1 Fevereiro, 2008 13:14

    “Eu não percebo a indignação com o Jornal Público que, além do mais, apenas tem cumprido a sua missão: informar” – PedroMorgado

    O Público não tem nenhuma preocupação com a verdade, basta lembrar como se enganou com o referendo na Venezuela só porque não quiseram ficar acordados até tarde. Uma outra grande mentira tinha sido antes publicada em grandes letras na 1ª página (esqueci-me do assunto) que o PS logo veio desmentir. O que espanta é que JPP ainda não tenha dito nada sobre o pasquim em que o Público se está a tornar.

    Gostar

  90. 1 Fevereiro, 2008 13:17

    A incompatiblidade não está na autoria mas na responsabilidade do projecto.

    Gostar

  91. Red Snapper permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:18

    Há poucas dúvidas que a noticia é verdadeira, mas muito menos dúvidas há que o Público odeia o Sócrates, e só não o fode se não puder.

    Ora isto é muito feio. Se o João Miranda não percebe que a vingança é reprovável, então deduzo que o JMiranda não é uma pessoa bem formada.

    Gostar

  92. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:20

    ««A incompatiblidade não está na autoria mas na responsabilidade do projecto.»»

    Ok, então é perfeitamente normal que um técnico da câmara:

    – monte um negócio de pojectos
    – use um testa de ferro para os assinar
    – aprove os seus próprios projectos

    E suponho que isto nem sequer gera corrupção. O tal técnico da câmara nem sequer será tentado a atrasar ou reprovar os projectos de técnicos concorrentes.

    Gostar

  93. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:22

    ««mas muito menos dúvidas há que o Público odeia o Sócrates»»

    Ainda bem. Só o conclito é que pode gerar notícias comprometedoras para os políticos. É saudável que numa sociedade democrática exista conflito.

    Gostar

  94. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:23

    ««O Público não tem nenhuma preocupação com a verdade, »»

    Mas a notícia é falsa?

    Gostar

  95. Doe, J permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:24

    # Red Snapper Diz:
    “E, claro também se interrogam sobre esta campanha do Jornal.”

    Campanha? Então os tipos dos apupos e assobios não eram os comunistas?? O Belmiro é da CGTP? E os 8 “despedidos” pelo “Costa das passadeiras pintadas de fresco” também trabalhavam no Publico?

    Já não percebo nada disto… 🙂

    Gostar

  96. Red Snapper permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:25

    “Ainda bem. Só o conclito é que pode gerar notícias comprometedoras para os políticos. É saudável que numa sociedade democrática exista conflito.”

    É discutivel João Miranda. Há muitos estudiosas da sociedade que dizem que numa sociedade democrática é muito mais importante o consenso que o conflito. Mas isto são pontos de vista insanáveis. Eu proprio não sei o que é melhor.

    Gostar

  97. 1 Fevereiro, 2008 13:28

    João, esta notícia pode não ser falsa, mas o Público já publicou muitas notícias falsas.

    Gostar

  98. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:29

    João Miranda o que diz é óbvio e há aqui companheiros que só querem chatear!

    É ilegal e é o sistema gerador de corrupção mais utilizado pelos técnicos funcionários públicos.

    De manhã trabalham no Estado a lançar concursos e a aprovar projectos,de tarde estão na privada a executarem os projectos que depois vão aprovar!

    E como aqui alguem de Guimarâes diz ai daqueles que não alinhem no esquema:Não têm trabalho!

    Gostar

  99. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:30

    Já repararam que o jornal parece guardar as not´cias para as lançar quando lhes parece mais mortífera?

    lol

    Gostar

  100. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:30

    piscoiso e red snapper, broxistas do “””Engenheiro””” Sócrates.

    Gostar

  101. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:35

    ««João, esta notícia pode não ser falsa, mas o Público já publicou muitas notícias falsas.»»

    O que é relevante para este caso é se a notícia é falsa ou não. É totalmente irrelevante se o Público publicou notícias falsas no passado. Os factos é que são relevantes. O mensageiro é totalmente irrelevante.

    Gostar

  102. Red Snapper permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:36

    Depois, o conflito pode existir perfeitamente sem ódio. O ódio, a vingança e outros sentimentos similares, são suficientes para destruir uma sociedade. O conflito até pode ser uma coisa saudável. Este de certeza que não é. Quer dizer, para as hostes ferenhas onde o JMiranda se insere, até é animador. Pobre de quem é faccioso.

    Gostar

  103. 1 Fevereiro, 2008 13:36

    “Já repararam que o jornal parece guardar as not´cias para as lançar quando lhes parece mais mortífera?”

    Pois é, muito bem observado. Agora que a popularidade de Sócrates desceu um bocadinho, há que aproveitar.

    Gostar

  104. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:38

    Se a not´cia é falsa entao os jornalistas e o público sao psicopatas. lol

    Gostar

  105. 1 Fevereiro, 2008 13:39

    Ok, então é perfeitamente normal que um técnico da câmara:
    – monte um negócio de pojectos
    – use um testa de ferro para os assinar
    – aprove os seus próprios projectos

    Volto a insistir com a pergunta
    QUE RAIO DE LIBERAL É VOCÊ
    -Seja técnico da câmara ou do ministério da agricultura, se tem vocação para projectos, que os faça.
    -Se a aprovação oficial dos seus projectos, só pode ser feita com a assinatura, e responsabilidade de outrém, pois que assim seja.
    -A aprovação dos projectos numa autarquia, é um processo burocrático que não depende de uma única pessoa. Mas se esse processo for melhorado, de modo que a aprovação se baseie em critérios puramente técnicos, tudo bem. Até um programa informático os pode aprovar, se forem entregues à feição.

    Gostar

  106. 1 Fevereiro, 2008 13:40

    “Os factos é que são relevantes”

    e para mim o que também é relevante é a razão desta sanha toda do Público contra Sócrates.

    Gostar

  107. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:41

    Este país está bem entregue.

    Um jovem, logo de ínicio da sua vida adulta, aprende logo com quem sabe.

    18 anos. O puto entra na escola de condução e diz. “- Mas eu já sei conduzir bem. Quando posso ir a exame?” Resposta imediato da escriturária. “- Logo que tenha o dinheiro no enveleope para entregar ao “engenheiro” que vai fazer-lhe o exame.”

    Aí o puto já sabe como funciona o sistema.

    De carripana ao volante, o recém encartado, decide estacionar e cima da passadeira. Vem o polícia que lhe quer multar. O jovem petiz já sabe do que o sistema gosta. “Sr. Guarda… Desculpe. Sr. agente. O meu pai é o empreiteiro Bota Pra Cima e pode passar por lá para ele lhe pagar.”

    O jovem decide começar a trabalhar com o pai. Logo descobre que o melhor é contornar a lei e não cumprir os preceitos legais de segurança, pois ficam caros e atrasam o serviço. Entretanto aprende a não descontar para a Segurança Social, os descontos dos seus funcionários.

    Começa aqui a grande carreira deste jovem lusitano.

    Entretanto decide tornar-se amigo de um jovem político da Jota local. Claro que a autarquia é da mesma cor desse jovem político, que até dizem que vai ser vereador após as próximas eleições.

    Os dois, envolvidos numa amizade ideológica, logo congeminam dar a volta ao sistema. Isto de financiamentos partidários é uma chatice. Ter que justificar todos financiamentos e despesas são uma chatice do caraças.

    Entretanto o jovem político chega a vereador. Julgava vir a ser Vereador da Juventude mas caiu-lhe os Das Obras Municipais. Não percebendo patavina do assunto logo decide consultar o seu amigo filho-de-empreiteiro. Este dá-lhe uma ideia luminosa.

    “-Pá. Metes no Planeamento dois ous três correlegionários do partido e estes começam a procurar quem pretenda aprovar obras na Câmara. Como eles não podem assinar, arranjas um tipo, que seja já técnico licenciado, para o fazer por eles. Eu faço as obras, financio o partido e ainda ganhamos dinheiro todos, para o futuro, que nunca se sabe.”

    Aí o jovem Filho-de-Empreiteira revelou a genialidade que faltou ao pai. Meter-se na política. Mas de fachada, claro. Que não convém que se saiba.

    Entretanto, o jovem político decide pedir a ajuda a um seu colega de partido mas empregado noutra Autarquia. “- É assim, pá. Eu não posso arranjar ninguém cá no concelho que assine os projectos, feitos pelos meus fiscais. Assinas por eles e ainda recebes uns trocados, que todos temos que ganhar a vida.”

    Entretanto, os sérios e honestos munícipes pretendem aprovadas as obras mas são sempre reprovadas, pelos técnicos fiscalizadores. Até ao dia em que recebe a vista de um jovem empreiteiro. “Sr. Joaquim, soube por um dos meus engenheiros, que o soube na Câmara, que Vc. tem aí umas obras para fazer e são sempre chumbadas. Sabe como é. São muitas exigências técnicas e nem sempre os outros empreiteiros são competentes. Fazemos o seguinte. Dâ-me a encomenda da obra que eu trato de tudo. Não se preocupe que a sua obra implica deitar abaixo o minarete antigo. Cá nos arranjaremos. Ah! E se quiser uma fonte na parede da casa, tambéms e arranja, já que os meus engenheiros são muito bons.”

    O jovem empreiteiro está a subir na vida. Já consegue ter muitas encomendas, os fiscais da Câmara aprovam tudo, com a assinatura alheia e pode cobrar muito mais caro, pelas obras a si encomendadas.

    Um dia vai comprar um mercedes. Ao olhar para o novo mercedes relembra-se de como tudo começou. 10 contos bem empregues ao engenheiro da carta de condução. Foi aí que me fiz homem e empresário de sucesso. Tudo o resto foi apenas o melhoramento da licenciatura comprada na DGV. Bonito mercedes, que bem mereço. Esta vida não está para burros. Quem é burro que vá para moleiro.

    Gostar

  108. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:42

    «-Seja técnico da câmara ou do ministério da agricultura, se tem vocação para projectos, que os faça.»

    Foda-se que é burro o piscoiso (ou “burro”…ele sabe mto bem o que estamos a falar!!)..

    Gostar

  109. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:47

    ««QUE RAIO DE LIBERAL É VOCÊ»»

    Daqueles que respeitam os contratos.

    ««-Seja técnico da câmara ou do ministério da agricultura, se tem vocação para projectos, que os faça.»»

    Que o faça, depois de se desobigar do contrato assinado. Um técnico da câmara tem como obrigação não aprovar os seus próprios projectos. Faz parte do seu trabalho. Se não gosta, é totalmente livre de se despedir.

    Gostar

  110. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 13:47

    ««e para mim o que também é relevante é a razão desta sanha toda do Público contra Sócrates.»»

    A sanha do Público desculpa os factos?

    Gostar

  111. 1 Fevereiro, 2008 13:48

    Como é ? Aceitam-se comentários isultuosos ?
    Se é assim vou ter de pagar a um comentador dos bas-fonds para vir aqui replicar e encher isto de merda.

    Gostar

  112. Luis Moreira permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:51

    O Piscoiso está a jogar ao carnaval.Só é pena que brinque com coisas sérias.Depois queixamo-nos que ninguem nos leva a sério.

    O que Sócrates fez é ilegal e faz parte do esquema de corrupção mais utilizado nas Autarquias e no Estado central.

    Se não estava envolvido pelo menos facilitou, tornou possível.

    Quem fez carreira no partido desde as “jotas” até primeiro ministro, só se fosse santo é que não se enlameava.

    É a política e a sociedade que temos!Do pior!

    Gostar

  113. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:52

    Piscoiso Diz:
    “-A aprovação dos projectos numa autarquia, é um processo burocrático que não depende de uma única pessoa.”

    Pois. Por isso é que são caros. Há muitos a comerem. E os vários Mercedes na garagem ou o património imobiliário da “famiglia” dos “assinadores de projectos” demoraria muito a crescer se só contasse com o ordenado da Câmara. Coitados dos senhores funcionários.

    Só à conta do RECRIA, em Lisboa, foi um fartote. Ou eram os “engenheiros” a tratar dos projectos completos ou a coisa nem saia do papel. E o mais curioso é que não havia (há?) um único departamento no Urbanismo que escapasse. Havia (há) sempre um “primo” com a empresa certa para tratar do “assunto”. Sem problemas ou demoras.

    É a “livre iniciativa” no seu melhor. 🙂

    Gostar

  114. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 13:54

    Piscoiso Diz:
    “-A aprovação dos projectos numa autarquia, é um processo burocrático que não depende de uma única pessoa.”

    Pois. Por isso é que são caros. Há muitos a comerem. E os vários Mercedes na garagem ou o património imobiliário da “famiglia” dos “assinadores de projectos” demoraria muito a crescer se só contasse com o ordenado da Câmara. Coitados dos senhores funcionários.

    Só à conta do RECRIA, em Lisboa, foi um fartote. Ou eram os “engenheiros” a tratar dos projectos completos ou a coisa nem saia do papel. E o mais curioso é que não havia (há?) um único departamento no Urbanismo que escapasse. Havia (há) sempre um “primo” com a empresa certa para tratar do “assunto”. Sem problemas ou demoras.

    É a “livre iniciativa” no seu melhor. 🙂

    Gostar

  115. 1 Fevereiro, 2008 13:55

    Um técnico da câmara tem como obrigação não aprovar os seus próprios projectos.

    Onde é que isso está escrito ?

    Gostar

  116. 1 Fevereiro, 2008 14:00

    Não desculpa nada. O que é certo é que eu NUNCA me basearia só nos factos que o Público apresenta para julgar a situação já que para mim não é um jornal credível.

    Gostar

  117. 1 Fevereiro, 2008 14:01

    Sócrates não deu de mão beijada a PT ao tio Belmiro e então este desforra-se, pondo o seu homem de mão no Público a fazer montagens contra o grande líder!
    Cada vez tenho mais admiração por Sócrates. Contra todos os interesses instalados, ele lá segue a sua política, indiferente às calúnias que levantam à sua volta.

    Gostar

  118. JoaoMiranda permalink*
    1 Fevereiro, 2008 14:02

    ««Onde é que isso está escrito ?»»

    Piscoiso,

    Aprenda uma coisa na vida: a ética profissional não está escrita em lado nenhum.

    Gostar

  119. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:03

    zé da póvoa, outro bro*ista.

    Gostar

  120. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:05

    Isto é anedótico. Enquanto se discute este tipo de picuinhices passam ao largo os erros graves cometidos pelo governo.
    A próxima manchete do público é a notícia de que o Sócrates, pelo menos uma vez na vida, talvez aos 20 anos, andou de metro sem pagar o bilhete.

    Gostar

  121. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:06

    “Aprenda uma coisa na vida: a ética profissional não está escrita em lado nenhum.”

    Isso aplica-se que nem uma luva ao jornalismo.

    lol

    Gostar

  122. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:06

    Fundamentalismo PS dá nisto: justificar a corrupção como se fosse tudo normal. Só faltava defenderem que um técnico da câmara aprovasse um projecto de um estádio de futebol feito por si. Genial

    Como disse um professor do Norte: este país é governado por filhos da p**a.

    Gostar

  123. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:08

    “Isso aplica-se que nem uma luva ao jornalismo.”

    O PUBLICO descobriu uma verdade, que é a missão do jornalismo. Os gajos q fizeram o watergate também não tiveram “ética profissional”, já agora.

    Gostar

  124. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:08

    “O que Sócrates fez é ilegal”

    Não, não é. O que se discute é se é correcto.

    Gostar

  125. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:13

    O que tem que acabar , desde já, é a possibilidade de técnicos do estado andarem a fazer trabalho em gabinetes “privados” muitas das vezes em nome da mulher ou primo sei lá, para “sacarem o seu” deslealmente ao mercado.
    Os tipos fazem o “concurso”, atribuem-no “à sua empresa”, trabalham nas horas que lhes pagamos e lá vem mais umas massas.Por isso é que anda tanta riqueza onde não poderia andar.
    Os servidores do estado só com dedicação EXCLUSIVA.Quem não gostar que se vá embora.
    E o professor Morais ainda não foi chamado ao caso…

    Gostar

  126. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:15

    Os gajos q fizeram o watergate também não tiveram “ética profissional”

    O s gajos que fizeram o Watergate nao se reportaram a coisinhas pessoais, nem ataques pessoais. O Watergate é um caso de viciaçao e ataques À oposiçao.

    Se calhar o caso watergate que o público devia esburacar, foi o ataque e decapitaçao dos dirigentes do ps no caso casa pia. Se querem um watergate , ele se calhar está ali.

    Gostar

  127. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:16

    Uma bela manhã de Inverno os portugueses tiveram conhecimento que o seu PM assinou como responsável projectos dos quais não foi autor.
    E vai daí, convencidos que estavam que o país era povoado por pessoas impolutas e que a classe política era directamente importada de um seminário para a assembleia da república, os portugueses ficaram chocados. Tudo com o patrocínio do Público e da nossa classe jornalística que considera que inventar escândalos é prestar um serviço informativo ao País.
    Agora, durante um mês, o governo pdoe ficar descansado e aprovar as leis estúpidas que entender, adoptar as medidas bábarbaras que lhe apetecer. A Nação vai estar totalmente embrenhada neste importantíssimo facto que consiste no PM ter assinado projectos que não fez.

    Gostar

  128. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:17

    O “Watergate” ali tao perto, e os jornalistas parados no deserto!

    Qualquer jornalista se envergonharia de perseguir um “watergate” com coisinhas de treta..lol

    Gostar

  129. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:19

    Não é uma coisinha pessoal dar MAIS UMA prova de que o nosso PM é um aldrabão de primeira. Percebe?

    Tanto incómodo com a descoberta da careca do Sócras

    País governado por um fdp (Charrua dixit).

    Gostar

  130. 1 Fevereiro, 2008 14:21

    João Miranda: você pergunta insistentemente: mas a notícia do Público é falsa? E eu pergunto-lhe o contrário é verdadeira? E o ónus deve estar do lado de quem acusa.
    Toda a gente sabe que há muitos desenhadores que não podem assinar os projectos e que pedem aos engenheiros para fazê-lo. Penso que isso não é notícia. Aliás, noutras profissões também há pessoas que assinam escritos que não são seus, mas que naturalmente ao assiná-los assumem a sua propriedade e responsabilidade.

    O que falta à notícia do Público para poder lançar a acusação sobre o PM – de factos ocorridos há mais de 20 anos, mas que para o Público e para o João Miranda têm muito interesse (muito mais do que aquilo que anda a dizer o Marinho e Pinto que não tem interessse nenhum e que é melhor passar à frente) – é a prova de que os projectos assinados por Sócrates foram elaborados pelos engenheiros a quem competia aprovar os mesmos e que Sócrates, os tais engenheiros ou os donos das obras beneficiaram alguma coisa com isso. Ora, nada disso diz a notícia o que gera a desconfiança sobre os verdadeiros intentos “jornalísticos” pasquim em causa.

    Gostar

  131. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:22

    Curioso como costumo ler estas caixas e raramente vejo a lolozinha puxar para o lado certo quando se trata de discutir leis.

    Gostar

  132. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:24

    «Toda a gente sabe que há muitos desenhadores que não podem assinar os projectos e que pedem aos engenheiros para fazê-lo. Penso que isso não é notícia.»

    Outro que não percebeu a notícia mas acha-se no direito de vir criticar o autor do post por leviandade.

    Estado PS/PSD=Estado corrupto

    Gostar

  133. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:25

    Piscoisos e afins,

    Assinar projectos de outros é ilegal, constituindo fraude, sendo ainda punida nos termos do Código Deontológico (CD) da ANET e da Ordem dos Engenheiros.

    As autoridades municipais não podem ser parte integrante da equipa de projecto. Isso está perfeitamente consagrado no malfadado 73/73, e nos decretos a este associado.

    Gostar

  134. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:25

    “Os gajos q fizeram o watergate também não tiveram “ética profissional”, já agora.”

    Se calhar em Portugal nunca haverá um watergate, porque envolve porventura.. jornalistas! lolol

    quem sabe! É tudo mas é louco.

    Anos 80? Casas de emigrantes? Ena! Na primeira decada depois do 25 Abril? Tempos malucos esses.

    Gostar

  135. 1 Fevereiro, 2008 14:26

    Os gajos q fizeram o watergate também não tiveram “ética profissional”

    O maior watergate é quem não quer pagar os impostos que a DGCI reclama.

    Basta de xicos espertos

    Gostar

  136. 1 Fevereiro, 2008 14:30

    Assinar projectos de outros é ilegal, constituindo fraude, sendo ainda punida nos termos do Código Deontológico (CD) da ANET e da Ordem dos Engenheiro –

    Quer dizer, que a assinatura do PR nos decretos leis ,tambem é ilegal? dando que não é ele que não faz as leis mas sim concorda.

    Este Jose,, e o seu odio, ate o cega do unico olho que ainda via qualquer coisas, já nem lá nem vai com gaifanas

    Gostar

  137. anti-piscoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:33

    Pagar impostos pra quê? Para esta corja no-los levar para proveito próprio? País de corruptos justifica evasão fiscal!

    Gostar

  138. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:35

    Se o PR fizesse leis não seria ilegal, seria inconstitucional.

    Mais dúvidas (ignóbeis) caro anónimo?

    Gostar

  139. 1 Fevereiro, 2008 14:36

    Devido ás cataratas, o José tambem assina qualquer merda

    Gostar

  140. 1 Fevereiro, 2008 14:37

    Adorei o ar cândido com que veio “desmentir” a notícia. Um ataque “pessoal e político”, disse Sócrates, o Mentiroso.

    Gostar

  141. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:38

    Caro anónimo, ou será piscoiso?, deixe-me que lhe diga que não o conheço de lado algum e como tal guarde a grunhice para seu próprio regalo.

    Gostar

  142. 1 Fevereiro, 2008 14:38

    Piscoisos e afins,

    Assinar projectos de outros é ilegal, constituindo fraude, sendo ainda punida nos termos do Código Deontológico (CD) da ANET e da Ordem dos Engenheiros.
    As autoridades municipais não podem ser parte integrante da equipa de projecto. Isso está perfeitamente consagrado no malfadado 73/73, e nos decretos a este associado.

    A ser asssim,
    Gustave Eiffel (só para citar celebridades) pôs os pés na poça, ao assinar o projecto da ponte Maria Pia no Porto, projectada por Théophile Seyrig.
    A ginástica que esta gente não faz.

    Gostar

  143. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:44

    É casmurro em entender..

    O Eiffel não assinou o projecto. A assinatura do projecto da Ponte Maria Pia é de Théophile Seyrig, à altura colaborador da G.Eiffel et C.ie.

    Claro que com o tempo as pessoas associaram a obra ao nome da empresa, que foi um projectista bem mais reputado.

    Mas que fique claro, que Eiffel não usurpou qualquer autoria. Essa está bem clara no projecto e é de Théophile Seyrig.

    Gostar

  144. 1 Fevereiro, 2008 14:44

    foi isso que diz dizer, o PR não faz as leis, mas, mete o autografo, depois de vistas as suas duvidas. Repito, não faz as leis, mas assina-as. É como os engenheiros, metem o autografo, conferindo os calculos de estrutura e do ormigon.É como os economistas,ou, os tecnicos de contas, não sendo estes, que fazem a contabilidade, mas, assinam a peça contabilista. Para quem esta avançado 25 anos em relação é mediania dos Portugueses tudo lhes faz confusão.

    Ai ai, tanto azedume

    Gostar

  145. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:46

    Referência bibliográfica:

    CORDEIRO, José Manuel Lopes – A ponte de Seyrig. In Ponte Maria Pia: A obra-prima de Seyrig

    Gostar

  146. 1 Fevereiro, 2008 14:47

    Este piscoiso, nem pintado de ouro.

    O seu amado Sócrates (dito O Mentiroso) veio hoje já dizer que ele é bem o autor dos projectos que assinou. Mas o piscoiso dá de barato que essa é mais uma mentira dele. Fica-lhe bem.

    Gostar

  147. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:49

    Piscoiso Diz:
    “A ginástica que esta gente não faz.”

    E só é comparável à ginástica do engenheiro electrotécnico que assina pareceres de impacte ambiental depois de despedir por telefone os técnicos que elaboraram os pareceres negativos.
    É a vida! 🙂

    http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/20080131TGV+avanca+contra+tecnicos.htm

    Gostar

  148. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:52

    Piscoiso Diz:
    “A ginástica que esta gente não faz.”

    E só é comparável à ginástica do engenheiro electrotécnico que assina pareceres de impacte ambiental depois de despedir, por telefone, os técnicos que elaboraram pareceres negativos contra as orientações “superiores”.
    É a vida! 🙂

    http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/20080131TGV+avanca+contra+tecnicos.htm

    Gostar

  149. 1 Fevereiro, 2008 14:53

    É casmurro em entender..

    O Eiffel não assinou o projecto. A assinatura do projecto da Ponte Maria Pia é de Théophile Seyrig, à altura colaborador da G.Eiffel et C.ie.

    Caíu o siso ao José.

    O Eiffel da Guarda, tambem não podia assinar uma simples casa,. assinou o Socrates, um mero cidadão apto e reconhecido a faze-lo.

    Há 25 anos?

    Ainda vão descobrir que o Socrates tambem se borrava nas fraldas.

    tirem-me daqui

    Gostar

  150. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 14:55

    Força, José. Dá-lhes que eu sou apenas homónimo, escrevo noutro lado, mas concordo com tudo o que escreves.

    Gostar

  151. 1 Fevereiro, 2008 14:55

    “Adorei o ar cândido com que veio “desmentir” a notícia. Um ataque “pessoal e político”, disse Sócrates, o Mentiroso.”

    Então, afinal era mentira?

    Gostar

  152. 1 Fevereiro, 2008 14:56

    Tadinho…fez o jeito ao amigo da Guarda! QUE NOJO, vocês não têm vergonha??

    Gostar

  153. 1 Fevereiro, 2008 15:00

    As pessoas, ja se aperceberam, há muito, que a PT , engasgou o Dom Belmiro de Acevedo, para mais , agora que se fala a entrada da Sonangol do seu capital, tambem não é despiciendo, a reclamação da divida fiscal, nem tudo pode ser isenção, nem para os deficientes o é. o Dom Acevedo não é deficiente, penso eu

    Gostar

  154. 1 Fevereiro, 2008 15:00

    Tina,

    Há alguma palavra que saia da boca mentirosa do Sócrates que seja para levar a sério?

    Como diz o Charrua, país governado por um fdp!

    Gostar

  155. 1 Fevereiro, 2008 15:04

    fdp é você.

    Gostar

  156. 1 Fevereiro, 2008 15:06

    E um cobardolas de primera, que se esconde sob um pseudónimo e insulta nas costas.

    Gostar

  157. 1 Fevereiro, 2008 15:07

    Socraste, te amo. Mentiroso! Crápula! Aldrabão!! Que bom seria comemorar o regicídio com uma “repetição” aggiornada…

    Gostar

  158. 1 Fevereiro, 2008 15:08

    Estou a gostar, o Jose, ja bate palmas a ele proprio, é o segundo contradanças que conheço. Dizer que discordo do José sempre que bota escrevedura, não é verdade, as vezes tambem lhe dou a minha poia, mas quando lhe falam no Socrates, o homem fica cego. fico com a ideia que Socrates lhe roubou a carteira.

    Ò José ,fica-lhe mal, fica com bexigas, quando perde a lucidez

    Gostar

  159. 1 Fevereiro, 2008 15:09

    Se ele tivesse na altura um acessor em termos teria assinado o Mosteiro dos Jerónimos, o Estádio de Alvalade, o Aeroporto da Portela (ou pelo menos miniaturas deles)

    Gostar

  160. 1 Fevereiro, 2008 15:10

    Calma Tina, passe ao lado

    Gostar

  161. 1 Fevereiro, 2008 15:11

    Tina? Isso não é pseudónimo? Sim, eu vou assumir a minha identidade, vou lutar, pegar na minha carabina, e lutar corpo a corpo contra as forças de autoridade sob o mando do aldrabão-mor.

    Curioso como não se costuma criticar os comunas do pré-25A por usarem pseudónimos…

    Gostar

  162. 1 Fevereiro, 2008 15:15

    E afinal é outra grande mentira do Público. Este jornal é mesmo uma vergonha. No Diário Digital:

    «Com clareza», o chefe do Governo garantiu que todos os projectos em causa eram seus e da sua responsabilidade.

    «Todos os projectos que assinei durante a década de 80 são da minha autoria e da minha responsabilidade», afirmou aos jornalistas no Palácio de Belém.

    Gostar

  163. 1 Fevereiro, 2008 15:16

    Gostava de ler um comentario do José á entrevista do Marinho “peres”.

    Disse coisas importantes.

    Gostei daquela quando ele diz –

    – leva-lhe isso que ele assina qualquer merda-

    .Referia-se ao Socrates ao Marques Guedes?

    Referia-se o Marinho Peres aos sobreiros? ou aos Porcos?

    O Jose é capaz de escrever algo importante sobre a s minhas duvidas.

    NA entrevista de ontem gostava que ele falasse dos terrenos do “Mar da Palha”,

    Gostar

  164. 1 Fevereiro, 2008 15:18

    «chefe do Governo garantiu»

    ahhahahahahahahahahh genial, se o mentiroso garantiu, está garantido, e passa-se a criticar o jornal que investigou e que obteve testemunhos.

    genial:

    investigaçao com testemunhos e docs = zero credibilidade

    mentiroso com historial glorioso de mentiras = total credibilidade

    Gostar

  165. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:21

    Essa frase presumo que lhe vai sair cara…

    «Todos os projectos que assinei durante a década de 80 são da minha autoria e da minha responsabilidade», afirmou aos jornalistas no Palácio de Belém.

    Vocês ainda não perceberam que isto é apenas o inicio…

    Até diz ele que ainda há matéria semelhante nas décadas de 60 e 70 que pode dar manchetes semelhantes… Enfim, é este o chefe de governo que temos…

    Gostar

  166. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:22

    Anónimo, acho que me está a confundir. Como acima referi, não o conheço de lado algum.

    Esta é a primeira vez que comento neste blog, pelo que desconheço quem será o meu homónimo.

    Limitei-me a clarificar e confirmar a ilegalidade dos actos do PM, sustentando os meus argumentos com as disposições legais e regulamentares em vigor.

    Não tenho qualquer ódio pelo PM, ou por qualquer outro pessoa. Isso é coisa de rastejante ou anónimos afins.

    Realmente é chato quando não se dispõe de argumentos válidos para (pois…) argumentar. E nessas alturas, pessoas dessa laia partem para o insulto.

    Fazer bom proveito.

    Gostar

  167. 1 Fevereiro, 2008 15:23

    Sobre o bullying “anti-piscoiso”, convém referir que o bullying é um fenómeno da net entre jovens, basicamente constituido por coacção, agressão e intimidação psicológicas.
    Acontece entre jovens, porque entre adultos, qualquer acção do género, limitada ao virtual, é no mínimo ridícula. Acontece que nos estabelecimentos de ensino isso tem sido encarado com mais atenção, pelo facto de os intervenientes se conhecerem pessoalmente, o que inclui já um componente de coacção física.
    Nas caixas de comentários, o “bullyinger” começa por defender as ideias do autor dos posts, para não ser incomodado na sua acção sobre alguém que escolha como alvo.
    Tais personagens, como é óbvio, são terroristas numa caixa de comentários. Se os alvos resolvem ripostar, é sabido que a melhor maneira de eliminar um terrorista é utilizar as suas técnicas, mas melhoradas, com efeitos previsíveis.

    Gostar

  168. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:25

    Para que não restem dúvidas, ficam os dados:

    José Bonifácio, Engenheiro Civil (FEUP), membro sénior da Ordem dos Engenheiros

    Gostar

  169. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:27

    “Curioso como costumo ler estas caixas e raramente vejo a lolozinha puxar para o lado certo quando se trata de discutir leis.”

    Anti-piscoiso

    Que raio é para si o lado certo?

    Gostar

  170. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:28

    “Até diz ele que ainda há matéria semelhante nas décadas de 60 e 70 que pode dar manchetes semelhantes…”

    Para aí na altura quando o PM fez a comunhao solene? Pagou para ser o primeiro da fila? Devia ter aí nos anos 60, uns 10 anitos.

    Gostar

  171. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:28

    Este post está simplesmente genial…

    http://cachimbodemagritte.blogspot.com/2008/02/obra-e-o-seu-autor.html

    Gostar

  172. 1 Fevereiro, 2008 15:28

    (bullying):

    País de corruptos; PM aldrabão e mentiroso; fundamentalistas PS que tudo desculpam; etc.

    Gostar

  173. 1 Fevereiro, 2008 15:31

    Sei lá isso terá de lhe perguntar a ele…

    Gostar

  174. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:31

    Temos que afastar a má moeda, os vendilhões da NAÇÃO, os corruptos, os proxenetas e as putas!

    Gostar

  175. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:32

    Se recuar mais o jornalista ainda pode vir a descobrir que nos anos 50 e tal, Sócrates começou a sua aventura corrompendo o preservativo.

    E foi assim que tudo começou.
    Tempos depois já tinha uma chupeta

    Gostar

  176. 1 Fevereiro, 2008 15:33

    País de corruptos; PM aldrabão e mentiroso; fundamentalistas PS que tudo desculpam…

    Como se compreende, é uma frase a pedir um salvo-conduto ao autor do post.

    Gostar

  177. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:34

    E por favor ilegalizem e persigam a maçonaria que combina todas as merdas que nos afundam entre cerimónias de mostrar o ombro e sei lá mais o quê…
    Tudo está dominado por esses gajos, que são de todos os partidos e fazem a malta de ASNOS a “votar” para “escolher”…

    Gostar

  178. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:35

    Ainda por cima é mesmo capaz de ser tudo mentira.

    Gostar

  179. 1 Fevereiro, 2008 15:35

    Piscoiso,

    Como você até sabe umas coisas…

    Gostar

  180. 1 Fevereiro, 2008 15:35

    MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO.

    Gostar

  181. 1 Fevereiro, 2008 15:36

    José,

    Então, quer dizer que o dr. Costa Andrade, eminenente jurista, que aparece sempre disposto a auxiliar estas manchetadas do Público, está equivocado quando não utilizou o termo ilegal mas sim fraude à lei e que era eticamente reprovável.

    Gostar

  182. 1 Fevereiro, 2008 15:36

    MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO.

    Gostar

  183. Saloio permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:37

    Que mais ainda aí virá?

    Afinal o senhor bastonário dos advogados sempre tem razão.

    Vamos lá ver o que é que o nosso primeiro vai dar aos seus jornalistas para os calar…

    Digo eu…

    Gostar

  184. 1 Fevereiro, 2008 15:37

    anti-piscoiso, só outra pessoa demonstra o mesmo ódio por Sócrates, você é o anti-comuna. Veja lá, acho que está a demonstrar um comportamento um bocadinho desiquilibrado.

    Gostar

  185. 1 Fevereiro, 2008 15:37

    MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO.

    Gostar

  186. 1 Fevereiro, 2008 15:37

    MENTIROSO, MENTIROSO.

    Gostar

  187. 1 Fevereiro, 2008 15:38

    MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO,

    Gostar

  188. 1 Fevereiro, 2008 15:39

    ALDRABÃO, ALDRABÃO, ALDRABÃO

    Gostar

  189. 1 Fevereiro, 2008 15:42

    tina,

    não sou, mas admiro muito esse comentador do blasfémias.

    Quase que organizava um regicídio-updated com ele.

    Gostar

  190. 1 Fevereiro, 2008 15:45

    O que eu começo a pensar é que este PM está cheio de práticas correntes…

    Primeiro era a utilização indevida do título de eng., agora da prática corrente de assinar projectos de amigos que não o podem fazer nas Câmaras em que trabalham…

    O mais curioso é que ainda não lhe vi nenhuma boa prática corrente… são tudo aberrações e deturpações…

    Gostar

  191. 1 Fevereiro, 2008 15:46

    E os negócios com o Vara? Gasolineiras?

    Gostar

  192. 1 Fevereiro, 2008 15:47

    Sim o nosso amigo Vara também deve ter algumas peripécias…

    Gostar

  193. 1 Fevereiro, 2008 15:47

    caro .,

    Admiro a sua análise lúcida, mas você vai ter de chegar à conclusão rigorosa de que o nosso PM é um mafioso de primeira. Não há já dúvidas algumas. Basta apreciar o estilo do homem. O anti-comuna, como a tina bem reparou, já o diagnosticou há muito.

    Gostar

  194. 1 Fevereiro, 2008 15:49

    “não sou, mas admiro muito esse comentador do blasfémias”

    ahahaha, modéstia à parte claro…

    Gostar

  195. 1 Fevereiro, 2008 15:49

    Apenas à tão comentada opção editorial do Público, o teor das noticias está directamente relacionado com os seus intervenientes. Porque é que acham que a qualidade editorial está a descer? Porque a qualidade dos intervenientes já bateu no fundo há muito.

    Gostar

  196. 1 Fevereiro, 2008 15:50

    Os apoiantes do João Miranda, destacam-se pelo “bullying”, que já expliquei, e pelo “flood”, outra técnica terrorista utilizada na net por quem não tem argumentos.
    O “flood”, é um enorme espaço com sucessivos parágrafos sem digitos, como tem feito o anti-comuna. A variante, é o copy-past sucessivo de um mesmo texto, como “MENTIROSO”.

    Diz-me com quem andas, ou por quem és apoiado…

    Gostar

  197. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:51

    “José,

    Então, quer dizer que o dr. Costa Andrade, eminenente jurista, que aparece sempre disposto a auxiliar estas manchetadas do Público, está equivocado quando não utilizou o termo ilegal mas sim fraude à lei e que era eticamente reprovável.”

    Não posso afirmar que o Prof. Costa Andrade esteja equivocado do que quer que seja, uma vez que desconheço as bases do seu parecer.

    No entanto, repare que o mesmo se refere ao caso como “fraude” e essa em qualquer Estado de Direito é tida como ilegal, isto é, contorna, foge, contraria ou trespassa os limites impostos pela Lei.

    Agora, tanto o 73/73 e os decretos associados são claros numa coisa, o autor de um projecto deve assinar o mesmo e deve ter competências para tal. Neste caso e segundo podemos apurar os projectos foram desenvolvidos por pessoas que não o poderiam fazer. José Sócrates por sua vez não deveria assinar projectos dos quais não foi autor, o que de si viola o Código Deontológico, agravado pelo facto de estes terem sido desenvolvidos por pessoas que não os deveriam fazer.

    Gostar

  198. 1 Fevereiro, 2008 15:53

    Curioso, não vi os argumentos do piscoiso aos do josé e do jmiranda sobre a ética de quem faz projectos e os avalia posteriormente.

    Força aí!

    Gostar

  199. 1 Fevereiro, 2008 15:53

    Piscoiso,

    Isto:

    Os apoiantes do João Miranda, destacam-se pelo “bullying”, que já expliquei, e pelo “flood”, outra técnica terrorista utilizada na net por quem não tem argumentos.
    O “flood”, é um enorme espaço com sucessivos parágrafos sem digitos, como tem feito o anti-comuna. A variante, é o copy-past sucessivo de um mesmo texto, como “MENTIROSO”.

    Diz-me com quem andas, ou por quem és apoiado…


    é igual a isto


    MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO, MENTIROSO,

    que é igual a flood.

    A substância de ambos os comentários é a mesma.

    Gostar

  200. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:55

    “Os apoiantes do João Miranda, destacam-se pelo “bullying”, que já expliquei, e pelo “flood”, outra técnica terrorista utilizada na net por quem não tem argumentos.”

    Amigo Piscoiso,

    Não me leve a mal mas tenho que lhe dizer que está a ser injusto com o João Miranda que nunca incentiva, de forma alguma, esse tipo de comportamentos. O rapaz não faz culto de personalidade. Há pessoas que concordam e outras que discordam. E há quem, como é o meu caso, de vez em quando concorde e de vez em quando discorde.

    Gostar

  201. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 15:55

    Não acredito nisto, fomos apanhados a mentir outra vez, este Fernandes é mesmo burro, é desta que ele vai mesmo para a rua, incompetente!…

    Gostar

  202. 1 Fevereiro, 2008 15:57

    Falta saber como é que se prova quem é o autor de um projecto, que é desenvolvido, revisto e corrigido por mais de uma pessoa.
    O responsável é um: quem o assina.

    Gostar

  203. campeão permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:00

    Esta é uma materia muito dificil de entender para os “piscoisos”.
    Não entendem que quem aprova os projectos nas câmaras municipais não os podem conceber e que, não o podendo fazer arranjam testas de ferro ou cumplices (Socrates) para ludibriar a lei. Foi isso que o Socrates fez . Ludibriou , infligiu , enganou , e o mais grave é que tem ainda a desfaçatez de o negar! Um nojo!

    Gostar

  204. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:00

    Caro Anti-Comuna, gostaria de ser o director do meu tão conceituado pasquim O Público? Eu sei que o senhor serviria bem o meu projecto de vida que é destruir aquele cafajeste do Sócrates. Dou-lhe 100 000 euros por mês e segurança social. E um Mercedes. Se estiver interessado escreva para belmiro@sonae.com.

    Gostar

  205. 1 Fevereiro, 2008 16:01

    Mas os donos das casas já disseram não conhecer o Mentiroso pessoalmente (só da tv, disse um). Depois há também a diferença entre a letra dos autores e a do assinante… Consegue desmentir isso?

    Gostar

  206. anti-comuna permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:01

    “anti-piscoiso, só outra pessoa demonstra o mesmo ódio por Sócrates, você é o anti-comuna. Veja lá, acho que está a demonstrar um comportamento um bocadinho desiquilibrado.”

    A Tina não deve estar bem da carola, pois não?

    Vou fazer de conta que não li. 😉

    Gostar

  207. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:02

    Este Belmiro de Azevedo está cheio de graça!
    (isto sou eu a fazer-me ao tacho)

    Gostar

  208. 1 Fevereiro, 2008 16:02

    Cara Lolinha…, não disse que JM incentivava tais comportamentos. Disse que eram apoiantes de, o que até pode ser apenas estratégia, para terem uma certa margem de manobra.

    Gostar

  209. 1 Fevereiro, 2008 16:03

    Este Sócrates só à bomba.

    Gostar

  210. 1 Fevereiro, 2008 16:04

    Piscoiso, E você é apoiante?

    Gostar

  211. 1 Fevereiro, 2008 16:05

    Apoiante de K ?

    Gostar

  212. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:07

    José Bonifácio:

    Obrigado por se ter identificado, expondo o ridículo do anónimo.

    As aparências iludem, caro anónimo.

    Tome um nome qualquer e apareça.

    Gostar

  213. 1 Fevereiro, 2008 16:09

    José,

    Pois eu também não sei quais são os fundamentos de CA, mas se ele diz que é fraude à lei é porque a coisa não é assim tão evidente como diz. Que eu saiba nunca vi ninguém ser condenado por … “fraude à lei”.
    Se não for pedir muito, transcreva parab aqui a proibição legal a que faz referência.

    Mas dando de barato que seja ilegal e compreendendo obviamente que quem aprova os projectos não deve intervir na sua feitura, isso não passam de suposições ou ilações suas e do Público, que carecem ser demonstradas. Tarefa difícil já que os factos remontam há 20 e 30 anos atrás. Mas o Público chega lá. Até já tem galerias fotográficas.

    Gostar

  214. Mialgia de Esforço permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:09

    Como se prova, ainda o Grande Timoneiro frequentava o ensino decorrente e já demonstrava uma enorme queda para a engenharia.

    Imagine-se o que seria se o moço tivesse chegado a casa e dito aos pais: “Papá, mamã! Quero ser médico!!!

    E o estilo das obras. Verdadeiramente visionário. Aquele homem sempre teve apetência para seguir as novas tendências.

    Gostar

  215. 1 Fevereiro, 2008 16:09

    Apoiante do PM?

    Gostar

  216. rijofero permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:13

    A vingaça serve-se fria. Depois do fracasso da opa sobre a PT, o Público resolveu botar a boca no trombone. Tudo o que possa denegrier Socrates, o Público está aí. Ainda vai descobrir que Socrates foi sacristão e tocava á punheta atrás da poprta da sacristia

    Gostar

  217. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:13

    Mas para dar oportunidade ao José Bonifácio, de dizer mais qualquer coisa, deixe que escreva isto que pouco tem a ver com o Sócrates e muito com a nossa maneira de ser portuguesa, de chico-espertismo sempre em bandeira:

    As câmaras deste país, estão em completa bandalheira numa coisa muito prosaica e que ninguém quer falar. Refiro-me aos projectos de arquitectura de moradias e edifícios assinados por testas de ferro dos arquitectos que estão lá dentro. Quem aprova são os reais executantes. Pode dizer-se que tem de aprovar segundo os PDM e os PUC e outros que tais. Mas não é bem assim. Qualquer PDM que se preze permite tudo e o seu contrário. Tenho provas disso, num que conheço muito bem. É a bandalheira total, com conhecimento de toda a sociedade.

    Assim, é fácil ver arquitectos camarários que ganham 1500 euros com BMW e Mercedes quando o muito que poderiam ter seria uma mota.

    Isto até parece o Marinho, mas desmintam-me se forem capazes.

    Piscoiso: que pensarão as tuas tias, desta coisa?

    Gostar

  218. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:13

    Este Blasfémias também me pode fazer muito jeito. Eles caiem que nem uns tontinhos em tudo o que o meu pasquim publica e agitam muito os ânimos. Ó senhores Blasfemos, não querem trabalhar para mim, também vos ofereço 100 000 euros por mês e prometo ser muito liberal. Se estiverem interessados, por favor escrevam para belmiro@sonae.com.

    Gostar

  219. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:15

    A mim não me interessa nada saber se o PM assinou ou não assinou por outros. Não preciso de factos com 28 anos para julgamentos de carácter. Bastam-me os factos com 28 dias. Acho que o assunto é irrelavante e que as reações são histéricas.
    Mas espero, sinceramente, que não tenha sido o autor daquelas casas. O mau gosto não prescreve, não tem perdão nem qualquer hipótese de redenção.

    Gostar

  220. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:15

    E já agora será que também recebeu o dinheiro das “assinaturas” sem passar recibo?

    Gostar

  221. Psicoiso permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:17

    Problema de fundo:
    O do perfil cultural e estrutura mental da geração ‘rasca’.
    Formada e formatada nas universifdades da democracia e com passagens meio administrativas.
    Doutor Durão Barroso, engenheiro Sócrates…gente de sucesso.

    Gostar

  222. 1 Fevereiro, 2008 16:18

    Anda por aqui gente um bocado mal educada. Espero que não estejam ligados ao governo, em cargos de assessoria por exemplo, ou mesmo à “oposição”, pois isso levar-me-ia a questionar a sua idoneidade.

    Mas adiante. Também há por aqui se procura misturar alhos com bugalhos como a comparação do caso Eiffel com o processo de aprovação de obras pelas câmaras.

    Há leis e regras para que um projecto obedeça a determinados critérios, seja por questões de segurança, seja por razões estéticas ou apenas devido à necessidade de ordenamento do território. Por isso há três entidades envolvidas no processo:
    A. a parte interessada em ter a obra feita;
    B. o projectista;
    C. o fiscalizador e demais responsáveis pela aprovação do projecto.

    “A” e “B” podem ser coincidentes mas “B” e “C” obviamente que não. Isto é tão básico que nem sei como merece toda a discussão precedente. Mas parece que, mesmo assim, carece de explicação. Se o fiscalizador e o projectista forem coincidentes, há um conflito de interesses em jogo. Isso não significa automaticamente que um projecto seja indevidamente aprovado mas também ninguém garante o contrário.

    Se Sócrates assinou projectos de alguém que estava impedido de o fazer por ser responsável pela respectiva fiscalização, então há matéria para ilegalidade, pelo menos da parte do fiscalizador. Quanto a Sócrates haverá ilegalidade ou não, dependendo do seu conhecimento da coincidência entre projectista “de facto” e fiscalizador. Como, de resto, muito bem sintetizou João Miranda.

    Gostar

  223. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:18

    “José Sócrates por sua vez não deveria assinar projectos dos quais não foi autor, o que de si viola o Código Deontológico, agravado pelo facto de estes terem sido desenvolvidos por pessoas que não os deveriam fazer.”

    José

    Era preciso saber o código deontológico da altura, sabendo que na altura Sócrates não se regia por nenhum código emanado da OE visto não ser licenciado. Aliás na questão dos engenheiros, na altura era muito liberal já que a OE não tinha o monopólio que tem hoje.

    É perfeitamente normal uns fazerem e outros assinarem. Isso não quer dizer que quem faz é o autor, mas sim o executor (teoricamente seguirá as indicações do autor que assina e assume como seu o projecto). Isso passa-se, como saberá o José, tanto com os engenheiros como com os arquitectos ou outros profissionais.

    Gostar

  224. 1 Fevereiro, 2008 16:18

    mentiroso, mentiroso, mentiroso, mentiroso

    Gostar

  225. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:20

    Tikrit: região da Guarda – Penamacor – Idanha a Nova – Covilhã

    Gostar

  226. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:20

    “E já agora será que também recebeu o dinheiro das “assinaturas” sem passar recibo?”

    Essa resposta deverá chegar brevemente pelas mãos do Público, caso seja negativa, claro.

    Gostar

  227. 1 Fevereiro, 2008 16:21

    Não sou nem deixo de ser apoiante de nenhum PM.
    Votei e o voto é secreto. O PM que lá está, seja lá quem for, tem a legitimidade democrática, com o meu voto ou sem ele.
    O que estou a defender, não é o PM, mas a responsabilidade técnica de quem assina um projecto, cuja autoria, colectiva ou individual, pode ser das mais diversas.
    A sua aprovação pelas autarquias, é outra estória em que não me meto, porque aí sim, as coisas nem sempre são transparentes.

    Gostar

  228. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:22

    Quanto ao Costa Andrade, não fui eu que levantei a questão, mas parece-me simples de entender:

    A lei quando estabelece interditos, nem sempre os qualifica como infracção penal.

    Quando a lei de 1973 ( segundo o José Bonifácio), determina incompatibilidades , não quer dizer que a violação das suas normas acarretem responsabilidade penal. Nullum crimen sine lege, é o princípio nestas coisas, ou seja, a legalidade estrita. Não há lei punitiva, não há crime.

    Mas pode haver ofensas éticas e deontológicas e incompatibilidades que acarretem responsabilidade disciplinar, segundo esses regulamentos.

    Porém, no caso concreto , o problema é outro: ético-político, tal como tinha sido aquando da licenciatura marada. Alguém tem dúvidas que aquela licenciatura é uma fraude?

    Se tiverem, então é assim: do ponto de vista do beneficiado, não é. Coitadinho, não sabia nada de nada da UnI e até foi para lá por ser mais perto ( quando pensou nisso, porque quando foi já não era…). Depois, como se viu no Inquérito da Drª CÂndida, a culpa foi toda, todinha da UnI. Malvados que enganaram o pobre do nosso José Sócrates. Que é um santo e só aproveitou a chance que lhe deram. Principalmente o professor das quatro cadeiras, o emérito professor Morais, das equivalências também.

    Gostar

  229. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:22

    Caro RV,

    Isso pode estar tudo muito certo. Mas não acha que o facto de isso se ter passado há 28 anos, provavelmente num local em que só haviam 3 ou 4 pessoas capazes de assinar os projectos, desmerece a atenção dada ao assunto?

    Gostar

  230. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:23

    Quero alertar o pessoal que a campa do Salazar não deve para aqui ser chamada.Isto é, não vão transformar as vossas próprias frustações em ataques soezes e nocturnos ao morto e enterrado HOMEM que vos metia todos na choldra com aplauso geral diga.se….

    Gostar

  231. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:25

    Piscoiso:

    O Durão e o Sócrates são de diferentes gerações rascas.

    A do Durão é a minha. A do Sòcrates não. Faz vinte mais de dez anos de diferença…porque concluiu a licenciatura no tempo da rasquice, nos anos noventa.

    Gostar

  232. 1 Fevereiro, 2008 16:26

    “O que estou a defender, não é o PM, mas a responsabilidade técnica de quem assina um projecto…”

    Piscoiso,

    Você é um homem de causas… e o que mais me admira é que discute sempre com elevado conhecimento de causa, dedicação e imparcialidade, todos os assuntos desfavoráveis a este executivo.

    Gostar

  233. 1 Fevereiro, 2008 16:26

    Não acredito, estão a falar de coisas que ocorreram hà 28 anos atrás ???

    Gostar

  234. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:27

    Com o Salazar, os Sócrates tinham de vergar a mola de outro modo: a trabalhar no duro.

    E não sou adepto particular do ditador.

    Gostar

  235. 1 Fevereiro, 2008 16:28

    «A sua aprovação pelas autarquias, é outra estória em que não me meto, porque aí sim, as coisas nem sempre são transparentes.»

    Que candura. Quase comovente.

    É PRECISAMENTE esta “estória” que mais interessa aqui ó espertinho. Fazerem assinar um gajo não impedido (e por sinal, amigalhaço) para podermos encher os bolsos à custa do interesse público.

    Gostar

  236. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:28

    Não é há 28. É há vinte e cinco, mais ou menos ano. Entre 81 e 87.

    Gostar

  237. na_hora permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:30

    infelizmente, lá que seja, esse será sempre um caso menor, ante a disparidade de justiça cometida por este governo contra a média função pública e a grande, dos partidos, magistrados, empresários e da banca…

    Gostar

  238. 1 Fevereiro, 2008 16:32

    Mas quais 28 anos?? Está-se a falar de um período de 80 a 90! 10 anos! A última fraude terá sido cometida há menos de 20anos.

    Gostar

  239. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:33

    Portugal está assim na merda porque o poder foi assaltado por quase marginais que nunca mais o largaram.Poucos com principios conheço.Não existem alternativas, porque os outros merdas são.As pessoas honestas fogem a 7 pés destes gajos e depois os resultados tipo “novas oportunidades” vêm-se…
    Ninguém acredita na actual situação, só a industria do cimento e das obras públicas funciona.
    Viram alguém falar em abrir os partidos?, expulsar vigaristas e mentirosos?
    Verdadeiras quadrilhas que dividem isto entre si como as mafias de Nova York.De vez em quando há umas trocas de tiros mas fazem sempre as pazes.
    O CAVACO TEM QUE PENSAR NUM GOVERNO DA SUA RESPONSABILIDADE para reorganizar, com régia e esquadro TUDO, principalmente ACABAR com as hipóteses destes gajos das novas oportunidades dos vários partidos que nos estão a arruinar.
    Isto é um bom conselho, porque se vai deixar meter a massa do QREN para onde foi toda a outra, depois vai ser muito mais doloroso o tratamento…

    Gostar

  240. Filipe permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:33

    “A última fraude terá sido cometida há menos de 20anos.”

    hahahahaha isso é um elogio para o nosso PM. Há 20 anos que não comete uma fraude.

    Gostar

  241. na_hora permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:34

    além de que,
    invenções, pra mais
    a uma tal distância do tempo,
    oh, como em negócio de chapéus, há muitas…

    Gostar

  242. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:36

    Caro Beirão,

    Cavaco Silva já teve um governo da sua responsabilidade. lembra-se? Era aquele cujos ministros às sextas-feiras apareciam sempre nas páginas do Independente com um escândalo novo.

    Gostar

  243. 1 Fevereiro, 2008 16:40

    «hahahahaha isso é um elogio para o nosso PM. Há 20 anos que não comete uma fraude.»

    Calma loool, eu apenas me referia à fraude-assinatura-corrupção. 😉

    Gostar

  244. 1 Fevereiro, 2008 16:40

    “Há 20 anos que não comete uma fraude.”

    Homem, caia na real. Então a moralidade tem prazo?

    Gostar

  245. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:43

    E com ministros que acabaram milionários, ligados a bancos, indústrias, etc.

    Cavaco não tem nenhuma autoridade moral para pôr cobro a isto. E julgo que nem vontade terá. Cavaco é um calculista. No tempo das verbas do FSE tinha que saber que estava a ser uma roubalheira e contemporizou. Até a UGT se abarbatou com verbas que deveiram ir para uma finalidade e acabaram noutra, ainda que sem proveito pessoal ( dou de barato).

    Cavaco não serve como modelo moral deste país.

    Gostar

  246. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:46

    Já que alguém falou no Salazar, aí tem um modelo de moralidade na coisa pública.

    Reparem que disse, na coisa pública. Distinguia e fazia distinguir o que era público daquilo que lhe pertencia por direito. Acabou pobre. Tal como os seus ministros.

    Marcelo Caetano tinha a mesma ética. Não me digam que agora não há disso, em Portugal ou que esses valores estão ultrapassados.

    Eses valores éticos, estão vivos e merecem ser cultivados mais do que nunca. Porque só assim sairemos deste pântano de ladrões.

    Gostar

  247. jose permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:46

    “Era preciso saber o código deontológico da altura, sabendo que na altura Sócrates não se regia por nenhum código emanado da OE visto não ser licenciado. Aliás na questão dos engenheiros, na altura era muito liberal já que a OE não tinha o monopólio que tem hoje.”

    Caro Filipe, Sócrates nunca estaria sujeito a processo do OE, uma vez que este pertencia, e ainda pertence, à ANET (Associação Nacional de Engenheiros-técnicos).

    No entanto, a ANET tem feito por se aproximar das boas práticas que a OE tenta produzir nos seus membros. Relativamente a “liberalismos” devo dizer que estes foram aprofundados, uma vez que o DL 73/73 continua (inexplicável para um decreto supostamente temporário) em vigor, tendo sido reduzidas as responsabilidades dos técnicos das autarquias, no que toca à verificação de conformidade e revisão de projectos.

    “É perfeitamente normal uns fazerem e outros assinarem. Isso não quer dizer que quem faz é o autor, mas sim o executor (teoricamente seguirá as indicações do autor que assina e assume como seu o projecto). Isso passa-se, como saberá o José, tanto com os engenheiros como com os arquitectos ou outros profissionais.”

    Não. O autor deve sempre assinar o projecto. Uma coisa é um engenheiro ter um colaborador, tipo um desenhador, que lhe passe os desenhos “a limpo”, outra coisa é ter alguém que desenvolva o projecto e não o assuma. No meu gabinete, se três engenheiros colaboraram num dado projecto, são três termos de responsabilidade que lá terão que estar.

    Gostar

  248. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:46

    Lololinhazinha Diz:
    1 Fevereiro, 2008 às 4:36 pm
    Caro Beirão,

    Andam para aí uns velhotes com sabedoria que tratariam de tudo.Fariam de certeza melhor do que and a afazer o Sócrates a deitar areia para os nossos ricos olhinhos.

    Gostar

  249. 1 Fevereiro, 2008 16:46

    Em última análise defendo um profissionalismo competente.
    Se são causas, que sejam.
    Olhando para o portfolio do Público, com aqueles especimens arquitectónicos, alegadamente(?) da responsabilidade de Sócrates, pouco tenho a dizer, por não ter competências na área paisagística. São conhecidas, no entanto, as dificuldades económicas de muita gente, que quer ter a sua casa, construindo-a muitas vezes com as suas próprias mãos, e sem posses para pagarem o projecto a um arquitecto, coisa que um simples desenhador pode fazer, ao preço da uva mijona. Só precisa quem corrija e assine o projecto, um qualquer Sócrates.

    Gostar

  250. 1 Fevereiro, 2008 16:52

    No meu gabinete, se três engenheiros colaboraram num dado projecto, são três termos de responsabilidade que lá terão que estar.
    José”

    Falta saber que tipo de projecto é, quanto vai cobrar por ele e quem o vai pagar.
    De-certo que não é uma marquise.

    Gostar

  251. jofer permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:53

    “Com o Salazar, os Sócrates tinham de vergar a mola de outro modo: a trabalhar no duro.”

    Também os Varas, os Meneses, os Santanas, os Portas etc. etc.

    Gostar

  252. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:54

    “No meu gabinete, se três engenheiros colaboraram num dado projecto, são três termos de responsabilidade que lá terão que estar.”

    Valha-me deus! Mas qual gabinete? Estamos a falar de há vinte anos atrás quando algumas cidades tinham duas ou três pessoas com capacidade para assinar os projectos. É óbvio que se um estava impedido, eram os outros que assinavam os projectos, mesmo que não fossem autores dos mesmos. Isto ainda deve acontecer todos os dias nos locais mais pequenos. Serei só eu que me lembro que se recorria a umas pessoas chamadas “desenhadores” para lhes fazer as plantas? Este tipo de condutas têm que ser devidamente contextualizadas. Onde é que está a terrível imoralidade disto que, pelos vistos, não prescreve nem em 20 anos? As pessoas não pdoem ser hipócritas ao ponto de julgarem moralmente os outros com padrões de exigência que não aplicam nem a si próprios.

    O homem só faz asneiras todos os dias! lixa todos e toda a gente, e agora pegam nesta treta sem nexo nenhum como se tivessem descoberto a grande falha de carácter socretiniana! Não há pachorra para tanta falta de objectividade.

    Gostar

  253. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:55

    Piscoiso:

    Estamos a falar dos anos oitenta, de emigrantes, com contas bancárias que rendiam juros mais elevados que aos outros, ( para captação das poupanças). Estamos a falar de projectos de arquitectura que nem eram executados por arquitectos mas por simples curiosos de desenho técnico ( que fizeram os cursos nas antigas escolas técnicas e se sentiam habilitados a tal). Estamos a falar de um contexto que merece ser revisitado para vermos que somos um povo ainda de muitos atrasos, de muitos atavismos e que contemporizava com aquelas aberrações arquitectóncias das janelas tipo fenêtre.

    Sócrates não tem culpa daquelas arquitecturas, nem tem culpa do tempo, do lugar e meio em que nasceu.

    Tem culpa apenas em ser aldrabão. Queres uma palavra mais suave? tem, culpa em ser oouco fiel à verdade das coisas. É esse o problema como sempre foi.

    E dá motivos para gozo. Nada mais.

    Gostar

  254. 1 Fevereiro, 2008 16:55

    “Porém, no caso concreto , o problema é outro: ético-político, tal como tinha sido aquando da licenciatura marada.”

    José,

    A mim o que me interessa são aos políticas de agora e as do futuro, é na política que nos devíamos concentrar, e não em saber se Sócrates tem ou não um passado eticamente irrepreensível. Mas a blogosfera e o Público excitam-se é com estas estórias. Dá pano para mangas … e sobretudo dá para descarregar a bílis de alguns.

    Gostar

  255. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 16:58

    O gajo nem capacidade tem em argumentar com estas razões que desfariam imediatamente a polémica. Nem esperto consegue ser.

    Leva tudo à letra, aldraba, chama nomes aos outros e porta-se como o rapazola que é apanhado numa falha depois de se apresentar como infalível.

    Gostar

  256. 1 Fevereiro, 2008 16:59

    “As pessoas não podem ser hipócritas ao ponto de julgarem moralmente os outros com padrões de exigência que não aplicam nem a si próprios.”

    Lapidar, cara Lolo..

    Gostar

  257. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:00

    “Estamos a falar de um contexto que merece ser revisitado para vermos que somos um povo ainda de muitos atrasos, de muitos atavismos e que contemporizava com aquelas aberrações arquitectóncias das janelas tipo fenêtre.”

    Tem toda a razão, mas por isso mesmo este tipo de comportamento não tem a gravidade que se lhe quer atribuir. Era a prática corrente em todo o lado. As pessoas que assinavam os projectos feitos por outros não eram aldrabões nem mereciam repreensão por o fazerem. Era assim que se fazia.
    Se quer que lhe diga eu não vejo mal nenhum no facto de o PM, supostamente, ter assinado projectos que não fez. O que me parece grave (e inverosímel) é que ele venha agora dizer que é autor de todos os projectos que assinou. Se for, é o único em Portugal!

    Gostar

  258. 1 Fevereiro, 2008 17:04

    Tem culpa apenas em ser aldrabão.
    José

    Tá bem, chama-lhe nomes se te dá prazer.
    Mas se calhar, toda esta baixinha campanha ainda lhe vai ser favorável, porque aldrabões são todos.

    Gostar

  259. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:07

    Tem uma gravidade inaudita, porque temos um primeiro ministro que como chefe de governo vai às escolas, vai falar com as crianças, deve dar o exemplo cívico e ético; Um primeiro ministro não deve ser apanhado a mentir ou a aldrabar, como agora aparentemente o fez. O problema já não é de há vinte anos, mas de agora.

    É essa a questão, como foi na altura da licenciatura.

    Sócrates, não tem de ser um modelo de virtudes. Mas tem de ser um modelo de coerência no carácter quando se apresenta aos portugueses para apresentar e discutir leis, ideias políticas etc.

    Moralmente, não aceito um primeiro ministro com um defeito de carácter como o que está á vista. E aceito menos politicamente. Envergonha-me enquanto português ter um primeiro ministro assim.

    Pior que o Berlusconi, nesse aspecto.

    Gostar

  260. 1 Fevereiro, 2008 17:08

    “Tem toda a razão, mas por isso mesmo este tipo de comportamento não tem a gravidade que se lhe quer atribuir. Era a prática corrente em todo o lado. As pessoas que assinavam os projectos feitos por outros não eram aldrabões nem mereciam repreensão por o fazerem. Era assim que se fazia.”

    É preciso descaramento. Ele está a ser acusado de participar numa fraude e de fazer o jeito (“jeito”=milhares e milhares de contos indevidamente ganhos) aos amigos da Guarda e (mto provavelmente) de ganhar algum também, e você diz que isso é banal? Vá dizer isso aos engenheiros da Guarda. É melhor levar guarda-costas.

    Gostar

  261. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:08

    Um tipo destes, molda-se a qualquer coisa que lhe convenha.

    Gostar

  262. 1 Fevereiro, 2008 17:09

    Lololinhazinha, tem repetido a tese dos dois ou três técnicos que existiriam nesse “interior”. Fala de cor ou tem informação concreta? Vive por acaso nessa região? Tem conhecimento de causa?

    Gostar

  263. 1 Fevereiro, 2008 17:12

    Até parece que estou a fazer publicidade Benetton-Style.

    Gostar

  264. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:13

    Quem foi aldrabão numa mercearia, pode sê-lo num armazém ou num grande supermercado.Claro que se fossem espiolhar a vida profissional e particular da maioria dos gajos que nos governam rapidamente chegariam à conclusão que particularmente os não empregariam com o vosso particular capital.Então porque servem para nos governar?
    A malta deixou andar até que a crise obrigou os gajos a ir meter-se com quem nunca teve culpa da merda que fizeram e ainda andam a fazer.Assim sendo vão passar a ter uma vida muito mais difícil.Vão ter que ir aldrabar para outro local.Queremos gente honesta e patriota à frente dos destinos do país.
    Com uma nova lei da nacionalidade , imigração , droga, sistema político e deputados amarrados à vontade dos respectivos eleitores e não ao CAPO da quadrilha.Será pedir muito?

    Gostar

  265. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:14

    A mim o que me envergonha enquanto portuguesa é o carácter comezinho das polémicas nacionais.
    Vasculhem a vida de qualquer português com mais de quarenta anos e tentem lá encontrar um que nunca tenha contornado uma lei ou feito uma vigarisse à portuguesa.
    Se isto fosse a Noruega percebia-se a escandaleira. Aqui não se percebe. Se os portugueses querem ter políticos absolutamente puros e escandalizar-se com coisas deste tamanho talvez devam ir procurar os seus representantes aos países nórdicos.
    Tudo isto apenas serve para distrair daquilo que é essencial e o que é essencial são as más políticas de hoje e a forma como são conduzidas. É nesses factos que deve residir qualquer juízo de carácter, porque tudo o resto são hipocrosias.

    Gostar

  266. 1 Fevereiro, 2008 17:14

    Sócrates, não tem de ser um modelo de virtudes. Mas tem de ser um modelo de coerência no carácter quando se apresenta aos portugueses

    O José furou mesmo o outro “olho”.

    Que escrevedura

    Post hoc, ergo proter hoc

    Pro memoria

    Gostar

  267. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:17

    RV,

    Eu não vivi nessa região, mas vivi numa cidade pequena e lembro-me que era assim que as coisas funcionavam. (daí presumir que este caso não seja diferente).
    Toda a gente entregava os projectos às duas únicas pessoas na terra que tratavam desses assuntos. E, normalmente, entregavam os projectos já feitos, pelos tais “desenhadores”, sendo que os dois que assinavam se limitavam a olhar para o projecto e ver se não estava francamente mal feito. E, atendendo ao facto de eu ter nascido em 74, isto não foi assim há tanto tempo.

    Gostar

  268. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:19

    Tens razão, Anónimo.

    O carácter, aqui sinónimo de honra pessoal, honestidade e verticalidade de princípios morais, não é coisa que se veja. Mas sabe-se sempre quando alguém o possui para amostra.

    No teu caso, ainda não vi nada que me fizesse pensar que esses valores importam para alguma coisa. Espero que seja apenas por estares no anonimato.

    Gostar

  269. 1 Fevereiro, 2008 17:21

    Acho que já está tudo dito sobre este “assunto”. Aguardemos, pois, que o Público nos traga os escândalos dos anos 70 e 60. Que isto agora sem o Correia de Campos perdeu um bocado a piada.

    Gostar

  270. José permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:22

    hoc opus; hic labor est

    Gostar

  271. Lololinhazinha permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:22

    Obviamente, subjacente a isto não estava qualquer lógica de corrupção. Era assim que as coisas se faziam porque não lembrava a ninguém ir a uma outra cidade qualquer – no tempo em que não havia net e acho que nem sequer páginas amarelas – arrnajar alguém que lhes fizesse os projectos. E era impraticável que esses dois ou três que podiam assinar fizessem todos os projectos da terra.

    Gostar

  272. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:22

    ò gente, não tendes nada que fazer senão conversar a tarde inteira? Estais desempregados? Então escrevam para belmiro@sonae.com que ainda me podem fazer muito jeitinho a acabar com este cafageste do Sócrates, ai que eu nem posso ver aquele homem pela frente!…

    Gostar

  273. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:28

    Este Fernandes é mesmo um desapontamento. Então o homem foi desencantar uma coisa de há 28 anos atrás??? É pá, carago, isso foi antes da inundação!… Não podia ter feito um esforço e arranjar qualquer coisita mais recente? Tenho mesmo que despedir o homem, é um zero à esquerda completo!…

    Gostar

  274. 1 Fevereiro, 2008 17:29

    Se mandasse um mail ao Belmiro, seria para lhe pedir um tipo de papel mais acetinado no papel, com fotos de página inteira do Fernandes, em rolos para WC.

    Gostar

  275. otto klismo permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:30

    testa de ferro?
    prefiro cabeça dura
    infelismente tem pouco dentro dela

    Gostar

  276. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:33

    Lololinhazinha Diz:
    1 Fevereiro, 2008 às 5:22 pm
    Obviamente, subjacente a isto não estava qualquer lógica de corrupção.

    Pois não.Era só chico-espertismo de engrossar a conta bancária, a não ser que já nessa altura o “servir o povo” fosse a sua maior paixão… fazendo o serviço “de borla”
    Mas como os euros não caem do céu como maná…
    Primeiro foi o esquema dos engºs técnicos, à escala local, depois os aterros à escala nacional com o amigo Morais que só conheceu como professor, o tal que contratou a brasileia boa para lhe sevir as bicas e pelos vistos lavar a vista…
    Portanto esperemos notícias acerca de eventos futuros que o Público não deixará de nos trazer.

    Gostar

  277. 1 Fevereiro, 2008 17:33

    Lido ,grande parte dos comentarios, alguns são interessante, grande parte é para mentecaptos e uma minoria, é para chavalos de Rio de Mouro.

    Na verdade, A Publica é como um WC é Publico, é so dejectos

    Gostar

  278. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 17:37

    Prouthom disse ” o poder corrompe.o poder absoluto corrompe absolutamente”

    NADA ME DÁ MAIS GOZO DO QUE UTILIZAR AS FERRAMENTAS DOS CONQUISTADORES DE PODER E DOS SERVOS DE SERVIR O POVO

    Gostar

  279. 1 Fevereiro, 2008 17:57

    Mas, ao certo, a que lei é que o João Miranda se refere? As que conheço e que se aplicariam são posteriores aos factos. Obrigado.

    Gostar

  280. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 18:19

    O Lacaio (com L grande) josé manuel fernandes, o maior e melhor Lacaio que este País já teve, lá vem fazer mais um frete ao ressabiado do dono.
    Vamos ver se não lhe sai o tiro pela culatra e não perde mais do que ganha com esta campanha de baixa politica.

    Gostar

  281. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 18:25

    Anónimo Diz:
    1 Fevereiro, 2008 às 6:19 pm
    O Lacaio (com L grande) josé manuel fernandes, o maior e melhor Lacaio que este País já teve, lá vem fazer mais um frete ao ressabiado do dono.
    Vamos ver se não lhe sai o tiro pela culatra e “defesa exemplar” do grupo de amigos do PS e com a medalha de mérito da “carbonária”, associada da “Vendetta & Cia”, com sede em Corleone.

    Gostar

  282. jofer permalink
    1 Fevereiro, 2008 18:27

    O José Manuel Fernandes tirou o lugar ao Paulinho das feiras quando este era director do independente

    Gostar

  283. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 18:28

    Beirão Diz:
    1 Fevereiro, 2008 às 6:25 pm
    Anónimo Diz:
    1 Fevereiro, 2008 às 6:19 pm
    O Lacaio (com L grande) josé manuel fernandes, o maior e melhor Lacaio que este País já teve, lá vem fazer mais um frete ao ressabiado do dono.

    Deve este Anónimo ser condecorado com a medalha de ouro “defesa exemplar” do grupo de amigos do PS e com a medalha de mérito da “carbonária”, associada da “Vendetta & Cia”, com sede em Corleone.

    Gostar

  284. 1 Fevereiro, 2008 18:31

    A esses, cá na minha terra, damos-lhes o nome de FDP.

    Gostar

  285. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 18:44

    Na minha terra um “fdp” é alguém que nem dorme de tanto pensar em lixar o outro custe o que custar.

    Gostar

  286. na_hora permalink
    1 Fevereiro, 2008 19:03

    ui, John Miranda,
    que carga de masturbação
    veio você trazer às tardes
    de entrudo de sexta-feira!

    Gostar

  287. 1 Fevereiro, 2008 19:13

    Aqui há dois aspectos diferentes – que convém não misturar: o estético e o legal:

    1.º – Toda a gente sabe que casas como as que se vêem nas fotos são “enjorcadas” ao gosto do cliente.

    Podem ser horríveis (em geral são-no!), mas o “projectista” pouco pode fazer: o freguês diz o que quer e até que materiais de acabamento usar. O “projectista” faz os bonecos e os cálculos (lages, pilares, instalações de água, gás, electridade, etc), e só tem de respeitar as normas.

    Neste mercado, se não fizer assim, ninguém lhe dá trabalho.

    O aspecto estético, na prática, só poderia ser defendido a um nível acima, dos Serviços de Urbanismo das câmaras. O problema é que aí, como se sabe, estamos bem servidos…
    Lembremo-nos que os arquitectos andam há anos (!) a querer ter uma palavra a dizer nos edifícios que se fazem pelo país fora. E não têm tido sorte nenhuma.

    2.º – Resta o problema legal (ou ético, se se preferir), que aparece quando o projectista não está habilitado a assinar o que fez.
    Aí, surge a necessidade de recorrer a outrém, que o esteja.
    Incompatibilidades e corrupção podem vir associadas, também, em casos em que o projectista até está habilitado:
    É o caso do indivíduo que trabalha na própria câmara, e que contorna o problema dando o trabalho a assinar a outro; depois, até pode ir fiscalizar o que ele mesmo fez…
    .

    Gostar

  288. 1 Fevereiro, 2008 19:14

    “# Anónimo Diz:
    1 Fevereiro, 2008 às 6:44 pm

    Na minha terra um “fdp” é alguém que nem dorme de tanto pensar em lixar o outro custe o que custar.”

    Estamos de acordo. Falamos da mesma pessoa. O sr Sousa andou a lixar os seus camaradas do PS durante anos até ser eleito líder. Não dormia só de se imaginar o rei.

    Agora PM, tenta foder a vida aos portugueses.

    Gostar

  289. 1 Fevereiro, 2008 19:26

    A rapaziada de Rio de Mouro aqui mora

    Gostar

  290. 1 Fevereiro, 2008 19:33

    Começo a ficar bruborizado com a propaganda, não solicitada, ao meu nick.
    Ele é um “Psicoiso” muito fino e um boçal “Anti-Piscoiso”.
    Falta um “Qualquer-Coiso” para compor o ramalhete.
    Só tenho de agradecer a publicidade gratuita.
    Se é assédio sexual, digo já que não gosto de homens.

    Gostar

  291. Beirão permalink
    1 Fevereiro, 2008 20:55

    Se é assédio sexual, digo já que não gosto de homens.

    Vá lá.Menos uma caracteristica que detesto, em especial em beirões…

    Gostar

  292. fvaz permalink
    1 Fevereiro, 2008 21:26

    Desta história vários factos se concluem. Desde logo que afinal andaram a enganar o povo. O homem é mesmo engenheir desde 1987. E depois, que o Público anda a esmiuçar o Sócrates. Mas mais parece o Keneth Starr, que a investigar os negócios escuros do Clinton só descobriu vestidos que ficavam com manchas na sala Oval. Em vez de nos trazer provas do caso Freeport ou outors da mesma estirpe, trás para a primeira página meros pecadilhos. Se os podres do Sócrates são só estes ainda começo a acreditar que ele é sério.

    Cá para mim o José Manuel Fernandes está feito com o Sócrates.

    Gostar

  293. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 21:30

    Ai,ai,ai, que já ninguém se entende aqui, eu já disse, os liberais vêm trabalhar para mim e mais o Anti-Comuna, e aquele novo que apareceu agora, como é que se chama, ah, o Anti-Piscoiso que é igualzinho ao Anti-comuna mas não é o Anti-Comuna, e também o José que não é aquele da GLQL mas é igualzinho, e o outro José que também não tem nada a ver com os outros Josés mas concorda, e damos todos cabo do Eng. Sócrates que como todos sabemos também não é engenheiro. Que tal? 100 mil euros por mês, segurança social e um Mercedes. Se estiverem interessados contactem-me em belmiro@sonae.com

    Gostar

  294. Belmiro de Azevedo permalink
    1 Fevereiro, 2008 21:50

    Ah, e como podia eu esquecer JPP, o meu maior aliado de sempre nesta campanha contra o meu maior inimigo de sempre!… A ele, para além do Mercedes, ofereço um telescópio electrónico de varrimento sideral com uma ampliação de 1000000000000000000000x. Assim, enquanto ele fica lá a observar os seus planetas, eu posso continuar aqui com as minhas campanhas maléficas,hihihihihi.

    Gostar

  295. Tolstoi permalink
    1 Fevereiro, 2008 23:04

    Basta ler os comentários desencadeados por este post para se perceber a volatilidade dos princípios e a relatividade da ética.
    A assinatura de autor em obra alheia não è correcto é indiscutível, mas atenção, o PM já veio dizer que não assinou projectos que não fez. Se objectivamente se provar
    que mente , também será uma mentira sem importância ? então quais serão as mentiras com importância?

    Teste prático será verdade?

    a)O governo não interferiu na nomeação da administração do BCP.
    b)Para o governo é indiferente a opção do trajecto para o TGV, sendo a escolha baseada em pareceres técnicos isentos.
    c) O governo teve uma posição neutral na OPA sobre a PT.

    Gostar

  296. 1 Fevereiro, 2008 23:28

    O que é mais triste nisto tudo é que agora quando o Público levanta qualquer suspeita sobre Sócrates, ele é obrigado a vir responder imediatamente em público senão é acusado de arrogante e de não saber lidar com a situação. É como se Sócrates tivesse de vir comer à mão de Belmiro de Azevedo. Só num país assim atrasado isso podia acontecer, em que as pessoas com dinheiro ainda têm muito poder. Os anti-Sócrates todos deram assim uma grande vitória ao Belmiro.

    Gostar

  297. 1 Fevereiro, 2008 23:35

    O meu comentário ao post é o seguinte: “O CARALHO!”
    Deixem o homem, larguem os colhões do homem!

    Trata-se do mais vil ataque pessoal a um primeiro-ministro. Nunca antes no nosso país se viu igual! Um autêntico assassinato político! Só falta mesmo é associarem-no também ao processo Casa-Pia.
    Depois de alguém ter mandado publicar numa revistazeca do interior brasileiro a possível homosexualidade do homem, e de um jornal português lá ter ido “beber” a notícia, (por mero acaso) e depois de um políticozeco da nossa praça ter dito, passo a citar: “… que o outro candidato gostava de outros colos…”, depois da polémica da licenciatura, já não me admiro de nada!
    O outro candidato machão perdeu as eleições e o dono do Público ficou ressabiado desde que o Governo não o ajudou a comprar a PT!

    Gostar

  298. Anónimo permalink
    1 Fevereiro, 2008 23:58

    Corrupção??????onde????????

    É pá! larga mão! A Lei da corrupção nunca pegou! O Povo adora um subornozinho. Senão não colaborava.
    Agora parece que caiu o Carmo e a Trindade! Isto já vem desde o D. João III e apareceu realmente com o Marquês de Pombal que tem a maior(?) estátua deste belo e desenvolvido País!
    Viva a Portugal!!!!!!!

    Gostar

  299. Tolstoi permalink
    2 Fevereiro, 2008 00:25

    A questão tem a ver com credibilidade. São os portugueses que com o seu trabalho e impostos estão a pagar o défice; são os portugueses que acabaram de verificar com o projecto OTA que correm o risco de pagar opções pouco fundamentadas; são os portugueses que vêm países que partiram de indicadores económicos pouco favoráveis apresentarem maior crescimento económico que Portugal ; são os portugueses que vêm uma % significativa do seu PIB gasto com a educação (superior à de muitos países europeus) não se traduzir nos resultados que outros obtêm com menos dispêndio (veja-se os resultados dos estudos comparativos por exemplo a matemática), são os portugueses que vêm a justiça do seu país ser condenada internacionalmente e não dar resposta a casos como os de Felgueiras e Casa Pia;São os portugueses que vêm o estado exigir aos cidadãos aquilo que não cumpre (Ex: prazos de pagamento a fornecedores); São os portugueses que vêm pessoas com discurso de esquerda viverem com privilégios aristocráticos. Pede-se credibilidade, o que é confrangedor é que a actual oposição
    também não a oferece.

    Gostar

  300. 2 Fevereiro, 2008 01:02

    Não se trata de crime, mas de uma fraude à lei sem relevãncia criminal…
    Enquanto o exemplo não vier de cima,isto não ata nem desata.

    Gostar

  301. 2 Fevereiro, 2008 03:03

    Rezai ainda esta noite e como castigo
    por defenderdes o indefensável Sócrates,
    17 Avé Marias
    e 17 Pai Nossos
    seguidos, sem interrupção.
    Descansai pela noite, em paz.
    Levantai-vos e respirai se “conseguirdes”.
    Boa noite.

    Gostar

  302. 2 Fevereiro, 2008 03:21

    Corrigenda:
    segundo parágrafo, “o indefensável Sócrates”, José, PM ainda em exercício em Portugal.
    Nada tem a ver com Sócrates, o filósofo.
    Não esqueçais as rezas. Ainda esta noite. E seguidinhas.
    Boa noite e “feliz acordar”.

    Gostar

  303. 2 Fevereiro, 2008 08:12

    E como é costume, o tipo nega categóricamente. Eu já não gostava dele quando era ministro do ambiente, por isso não votei nele, arrogante até mais não!

    Gostar

  304. 2 Fevereiro, 2008 11:45

    Quando alguém se convence que este tipo de campanhas enfraquece o PM, ou é ingénuo ou fanático.
    Objectivamente, vende papel e dá 306 comentários a JM.
    Um must.

    Gostar

  305. Anónimo permalink
    2 Fevereiro, 2008 12:32

    E o que dirão os outros técnicos que trabalhavam na Guarda nesses anos? Com os técnicos da Câmara a trabalharem assim e com um testa de ferro grandes foram os prejuizos dos privados. Agora podiam pedir uma indemenização ao PM pelos lucros que não tiveram.

    Gostar

  306. mmm permalink
    2 Fevereiro, 2008 18:32

    Não vale chatear mais o menino Sócrates senão ele amua e vai para Presidente da U.E. ou para o BCP(Africa)

    Gostar

  307. fvaz permalink
    2 Fevereiro, 2008 23:24

    “Não vale chatear mais o menino Sócrates senão ele amua e vai para Presidente da U.E. ou para o BCP(Africa)”

    Eu acho que ele dava um bom presidente …do Benfica.

    Gostar

Trackbacks

  1. Tudo o que há para dizer está dito aqui « Farmácia Central
  2. Top Posts « WordPress.com

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: