Saltar para o conteúdo

Liberdade de Expressão que Abril nos deu

2 Maio, 2008

Quando escrevo posts críticos das verdades oficiais sobre o 25 de Abril aparece quase sempre um outro leitor a explicar-me que, se eu posso escrever o que escrevo é porque o 25 de Abril me deu a Liberdade de Expressão. Implícita neste tipo de comentários, que por vezes soam a ameaças, está a ideia de que a Liberdade de Expressão que eu exerço não é de facto minha, que a estou a utilizar por especial favor dos donos da Revolução de Abril e que ela me pode ser retirada a qualquer momento se não a usar com juizinho. Eu agradeço o favor e prometo ter mais cuidado no futuro.

Anúncios
43 comentários leave one →
  1. caramelo permalink
    2 Maio, 2008 17:56

    Tá dificil. Vamos lá com frases curtinhas.
    João Miranda, há muuuito tempo atrás, o JM não tinha liberdade de fazer certas coisas, incluindo escrever o que queria. Tinha? Não tinha. Certo? Depois passou a ter. E porquê? Porque alguém fez alguma coisa por isso. Permitiram-lhe que tivesse agora liberdade de expressão.

    Gostar

  2. JMM permalink
    2 Maio, 2008 17:59

    Agora deu-lhe para a lamúria… E já agora JM, sente-se perseguido? Porque em democracia, como sabe, não é suposto existirem processos de intenções…

    Gostar

  3. 2 Maio, 2008 18:01

    Não podemos ficar eternamente gratos, mas podemos agradecer eternamente.
    Realmente era assim. Xiu fala baixo… que “eles” andam aí!
    Escrever? Que é la´isso, que já me cheira a subversão.
    A cultura do medo era a melhor arma do regime. Foi bom perder o medo.
    Não faz sentido ficar eternamente a agradecer, mas podemos ficar eternamente gratos.

    Gostar

  4. 2 Maio, 2008 18:05

    Caro João,

    Aquilo que escreveu é engraçado porque encerra uma auto-contradição. É certo que tem toda a liberdade para utilizar a sua liberdade de expressão (SUA, note e de mais ninguém – pertence exclusivamente a si)e que ninguém tem o direito de lha negar mesmo que seja para criticar o evento que lhe deu nascença. Está no seu direito ao criticar. Porém terá de aceitar que lhe relembrem que precisamente uma das coisas inegáveis que ganhou com o 25 de Abril foi a possibilidade de argumentar contra o sistema, sobretudo quando, já que estamos a falar de mensagens implícitas, implicitamente dizia parece o João dizer que o 25 de Abril nada nos trouxe de bom. E é esta a sua auto-contradição, critica uma mensagem implícita quando as suas têm exactamente o mesmo teor embora de sentido inverso. Por isso caro João é que quando queremos dizer uma coisa mais vale dizê-la toda e não pela metade. É que no implícito, óptimo para a poesia, pode o leitor ver o que lhe aprouver sem possibilidade de contestação … porque está-se a ver … é implícito 🙂

    Gostar

  5. 2 Maio, 2008 18:08

    Obrigadinho por nos terem oferecido a nossa rica liberdade.

    Obrigadinho! Não esqueceremos a gentileza, sobretudo se n a tirarem.

    Quem dá e tira pó inferno gira…

    Gostar

  6. 2 Maio, 2008 18:09

    No 25 de Abril eu tinha 7 anos… se não havia liberdade de expressão, nós já crescemos com ela… e depois? se o D. Afonso Henriques não desse uma estalada à mãe será que seriamos portugueses hoje? ou se D. Sebastião não tivesse morrido em Álcácer Quibir, seriamos ainda portugueses?
    Já chega… há liberdade de expressão e a maioria dos utilizadores de internet neste jardim a beira mar plantado felizmente cresceu com ela… mas essa dívida já caiu na história, ou seja, já ninguém tem direito ou legitimidade a cobrar nada por ela… tão simples como isso…

    Aliás, só a ideia de que deveria alguma coisa a espécimes tipo Otelo Saraiva de Carvalho é suficientemente repelente para não a considerar duas vezes…

    Gostar

  7. Anónimo permalink
    2 Maio, 2008 18:11

    Desde que não haja ameaças directas, difamação de pessoas, é proibido proibir.Cada um tem direita a dizer o que lhe apetecer até dizer que gosta muito do Adolfo, não quer pretos etc,
    pois que se uns gostam de apanhar no cú eu posso gostar de falar nessas merdas.

    Gostar

  8. 2 Maio, 2008 18:13

    e já viram a liberdade na madeira?

    dá pa tudo… e o Gama gosta… D que gostará o Gama na exemplar democracia madeirense?

    é um carnaval (carne + aval)

    http://criticademusica.blogspot.com/

    no Marco tb era assim… com uns tiros e bombas à mistura… o do Marco foi para o bigbrother dos famosos e agora vai pó xelindró! o que vai dar (quase) ao mesmo…

    Gostar

  9. Paulo B. permalink
    2 Maio, 2008 18:15

    Meu caro JM, Com forte abraço e de regresso (sempre com prazer) a este espaço de liberdade que é o Blasfémias, apenas uma nota de concordância, e imensa solidadriedade, pela pantufada anterior que enviou à tão propalada “superioridade moral, de donos de toda a verdade ” dos amigos de esquerda”. Além de detentores e repositório da (luta pela …)liberdade e da verdadeira cultura, assumem (e defendem) até à náusea o seu papel de guardiães, algo que que uma simples viagem a história desmente. Mas sempre a mesma arrogância de superioridade que esconde, nem sempre tão fundo, um verdadeiro medo pela liberdade individual. Ai as pessoas a pensarem, sem o selo prévio de “garantia” de pureza concedido por um qualquer grupo…
    Um abra, paulo

    Gostar

  10. José permalink
    2 Maio, 2008 18:24

    Os mesmos que reivindicam a paternidade da libertação, no 25A,seria os primeiro opressores na sociedade que defendiam ( e alguns ainda defendem), caso ganhassem em 25 Novembro.

    Não há qualquer sofisma nesta asserção.

    Gostar

  11. anti-comuna permalink
    2 Maio, 2008 18:44

    Sob a cortina de ajudar os coitadinhos que viajam, as tentações neonazis do desgoverno não se afagam:

    “Governo quer saber quem viaja para o estrangeiro

    A Secretaria de Estado das Comunidades quer saber quantos portugueses estão em viagem no estrangeiro e em que países, para poder contactá-los em caso de catástrofes naturais e crises políticas ou militares.

    «O nosso objectivo é apenas o de contactar as pessoas para saber se precisam de ajuda», explicou à Lusa fonte do gabinete do secretário de Estado das Comunidades, António Braga.”

    In http://quiosque.aeiou.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ae.stories/9521&sid=ae.sections/3

    E ninguém corre com este caramelo?

    Heil Pinócrates!

    Gostar

  12. Vasco permalink
    2 Maio, 2008 18:45

    O problema do João Miranda com a liberdade e o 25 de Abril/25 de Novembro (não compliquemos) é o mesmo que um miúdo poderia ter com a pessoa que lhe devolveu o brinquedo que um outro lhe havia roubado. O miúdo barufusta com o segundo mas não agradece ao primeiro, por sentir que o brinquedo já era dele. Com esta grelha de interpretação, quase todos os posts do Miranda começam a fazer sentido. De certa forma, o João Miranda é um miúdo malcriado.

    Gostar

  13. Inculto permalink
    2 Maio, 2008 18:55

    João, se tiras leituras implicitas a quem diz que só escreves livremente porque houve o 25/4, também seria normal esperares que essas pessoas tirassem leituras implicitas às tuas criticas. Ou não achas que os leitores também têm liberdade de expressão?

    Gostar

  14. Tribunus permalink
    2 Maio, 2008 18:56

    Bem parece que julgam-se em liberdade de expressão? se assim è porque os blogs são atacados e ameaçados? porque os jornalistas, vão a julgamento? porque determinados comentarios, que se fazem em jornais na internet, não passam ou estão meia hora a digerir se a critica feita à governação não atinge suas Exas?porque determinados comentarios às habilitações dos governantes, fazem acessores telefonat para os jornalistas (Publico), porque se iniciam possiveis acções em tribunal, que pelo seu ridiculo, se arquivam? porque quando um funcionario dá
    um parecer, que não è aquele que alguem lhe pediu (ministro)
    è colocado na prateleira ou posto a andar? isto acontece não na republica das bananas, mas em Portugal!

    Gostar

  15. José permalink
    2 Maio, 2008 18:57

    Os benfeitores e filantropos do miúdo a quem outros tiraram o brinquedo, tornariam a roubá-lo, caso ganhassem o poder de mandar na brincadeira.

    Vasco GOnçalves, em 1975, chegou a dizer na televisão que o Expresso, a República e o Jornal Novo eram pasquins. Assim mesmo. Ora, os pasquins, como toda a gente sabe, não são jornais sérios. E como toda a gente sabe também, a seriedade de uma sociedade não se aguenta com pasquins…

    Gostar

  16. piscoiso permalink
    2 Maio, 2008 19:04

    Mas o 25A tem dono ?
    Não sabia.

    Gostar

  17. Anónimo permalink
    2 Maio, 2008 19:20

    anti-comuna Diz:
    É os tipos da assembleia nacional de esquerda não controlam os ilegais que por aí andam(ai Jesus que caía o Carmo e a Trindade) mas nós é que temos que ser bem controladinhos e esfolados nos impostos.O problema é que SÃO TODOS na panelinha de S. Bento que assim fazem…

    Gostar

  18. Anónimo permalink
    2 Maio, 2008 19:22

    piscoiso Diz:
    O 25 tem dono?
    Feito por cerca de 3 centenas de oficiais e nem o PCP soube… quanto mais o PS que nem existia… portanto como disse Jesus Cristo ” dai a César o que é de César” ou seja aos que foram completamente esquecidos e arredados, mas muito responsabilizados(alguns merecem…)

    Gostar

  19. Anónimo permalink
    2 Maio, 2008 19:26

    O novo CPP por acso é “inovador” em ameaças á LIBERDADE de expressão ao criminalizar opiniões que um qualquer bardamerda bufo faça chegar aos novos PIDES vigilantes dons bons costumes… e então se meter pretos ui… ui…

    Gostar

  20. Anónimo permalink
    2 Maio, 2008 19:35

    Estão a ver porque querem meter a rolha na tropa na reserva e na reforma, mesmo de pantufas?Imaginem que todos começavam a falar…

    Gostar

  21. Spacek permalink
    2 Maio, 2008 19:55

    João Miranda,

    Podes estar descansado. Eu sou um dos principais donos da Revolução e já não consigo passar sem os teus posts. Nunca permitiria que te silenciassem. E, por favor, também não tenhas juizinho que isto perderia a piada toda.

    Gostar

  22. 2 Maio, 2008 20:02

    “Implícita neste tipo de comentários, que por vezes soam a ameaças, está a ideia de que a Liberdade de Expressão que eu exerço não é de facto minha”

    Oh, JM, quando alguém diz que antes do 25 de Abril não havia liberdade de expressão está a fazer uma constatação de facto. Qual é ameaça? Quem lhe poderia tirar a liberdade de expressão? O pessoal que discorda de si na blogosfera, e de quem você discordou? Tenha juízo: é uma constatação de facto que você não consegue elidir, nem contornar, nem anular nas suas desvalorizações rotineiras do 25 de Abril Mais: é daqueles efeitos do 25 de Abril que precede todos os outros. Factozinho chato, persistente. Agora, ameaça? Claro, você tem liberdade para lhe chamar assim… e ninguém lha pode tirar.

    Gostar

  23. Curiosamente permalink
    2 Maio, 2008 21:09

    por JoaoMiranda em 2 Maio, 2008 ” Quando escrevo posts críticos das verdades oficiais sobre o 25 de Abril ”

    por JoaoMiranda em 30 Abril, 2008 ” Rui Tavares, na busca daquilo que o 25 de Abril fez por nós encontrou, entre outras, a universalização das 1- pensões de reforma, 2- a generalização das férias pagas e 3- o Serviço Nacional de Saúde ”

    Curiosamente, vamos a factos, que como o próprio R Tavares diz, tanto aprecia.
    1- A universalização das pensões de Reforma, não é verdade que tenha sido o 25 de Abril a fazer tal. Foi Marcelo Caetano.
    “Factozinho chato, persistente” , certo ? 😉

    2- O SNS, com outro nome e métodos, não é verdade que tenha sido o 25 de Abril a fazer tal. Começou com Salazar ou Marcelo. Se quiser ir mais longe , o que curiosamente, convém , poderá ver origens mesmo que ténues, na primeira republica, e em Sidónio Pais na “Sopa dos Pobres”.
    Curiosamente, pode-se discutir se dar comida a sem abrigos é dar saúde ou não. Para mim é.
    Se quiser ir mais longe, a primeira iniciativa estatal equivalente a um SNS, foi o Hospital de Todos os Santos, nos idos de 1500 para lisboa. Sua função era tratar dos doentes, especialmente dos pobres. Foi o primeiro ou dos primeiros Hospitais Estatais na Europa, quiçá no Mundo.
    Antes dele, tinha as Ordens Religiosas (isto no nosso país) , que tinham como missão dar apoio a
    1- peregrinos
    2- doentes
    3- pobres
    4- policiamento, chamemos.
    Entre estas, pode-se enumerar desde os Cavaleiros do Tempo ou Templários, à Ordem dos Hospitalários

    Não me passa pela cabeça, que R Tavares queira fazer factos que não existem, para ser uma espécie de novi-historia , qual Admirável Mundo Novo do ex-trostkista Orwell, embora isso lhe desse proveitos monetários e sem duvida de fama entre algumas partes . Mais a mais quando defende que o Estado deve criar empregos, tal vinha mesmo a calhar . Mas uma pessoa da sua categoria, certamente saberá criar proveitos monetários de qualquer maneira, e sem apoio de velhos do Restelo que acham que “antes deles era o dilúvio”, versão nova de Absolutistas não monárquicos

    3- Quanto a pagar as férias, e até o Natal, embora não tenha a certeza absoluta, mas forte convicção, tal remonta ao Marcelo.
    A tal primavera marcelista, que tanto se fala, LIBERAL, não foi só económica ou de algumas liberdades, foi também Social.
    ” uma constatação de facto que você não consegue elidir, nem contornar, nem anular nas suas valorizações rotineiras do 25 de Abril Mais: é daqueles efeitos do Portugal que precede todos os outros.

    4- Sem dúvida, no entanto, que é um facto que a Liberdade de Expressão , de Constituir Partidos e outros, de Manifestação, de Sindicatos não alinhados, etc, se devem ao 25 de Abril .
    Por mim aplaudo, e ao contrário do que se diz, deve-se sempre estar alerta. Há quem fale em agradecimentos eternos, mas curiosamente, isso é que é poesia. Há é conquistas que nunca são eternas.

    Será justo e até útil lembrar, que a Amnistia Internacional foi fundada por um Inglês, por ter lido que no portugal, dois homens que saiam de um restaurante e gritaram “Viva a Liberdade “, foram levados para a esquadra, acusados, e depois condenados a 4 anos de prisão pelos tribunais da época.
    Ou seja, a famosa Amnistia Internacional, deve-se a 2 pessoas terem sido condenadas a 4 anos de prisão, no Portugal de antanho.

    Nunca vejo esta história muito contada, curiosamente. Nem na secção local da AI.
    Falam mais do Líbano e outras coisas.

    E que JMiranda, continue a criticar o que acha de mal no 25 de Abril. Certamente, a Rev Francesa trouxe coisas muito positivas, mas também a Guilhotina e o Reino de Terror. E o sistema de uns estarem à esquerda, e outros à direita no parlamento, o que lançou as bases de todos os auto-designados sistemas democráticos no Mundo (embora o Norte Americano fosse anterior, mas enfim, é mais um abafar )

    Gostar

  24. dazulpintado permalink
    2 Maio, 2008 21:11

    Afinal, os donos do 25 de Abril já começaram a aparecer. É mais forte do que eles…

    Gostar

  25. ordralfabeletix permalink
    2 Maio, 2008 21:17

    “que a estou a utilizar por especial favor dos donos da Revolução de Abril”

    Não é favor. Foi uma obrigação. Que eles sentiram. Antes deles outros achavam que a censura e a prisão política era o que merecia quem abusava da liberdade de expressão.

    PS1: Não, não era o Fidel que cá estava antes de Abril
    PS2: Será que o JM se incomoda com a liberdade expressão dos que o criticam?

    Gostar

  26. ordralfabeletix permalink
    2 Maio, 2008 21:23

    Já agora JM ( e outros blasfemos liberais) faça um post sobre as virtudes do mercado liberal e o preço do trigo, do arroz, do petróleo. especulação? Não, é o mercado a funcionar. Muita gente passa fome? Não, é outra invenção do Gore.

    Explique-me lá, como se eu fosse loira.

    Gostar

  27. JP Ribeiro permalink
    2 Maio, 2008 21:54

    Quando se fala das “conquistas sociais” de Abril há uma que convém não esquecer: a idade de reforma das mulheres passou dos 62 para 65 anos.

    E pelos vistos com o défice que já é crónico, e as obras públicas a pagar em 2013 em breve irá passar para os 70 anos. Viva.

    Gostar

  28. johnas permalink
    2 Maio, 2008 23:11

    Faz bem, João, com juizinho.

    Se não, olhe o que hoje deu a ideia de falar-se do mello conego, que estribou à direita e esquerda tal rol de expressões livres, com a carga de “blasfémias” contidas.

    E, afinal, ao fim, como pôde perceber-se do Nuno Melo, a questão nem girava tanto à volta do monsenhor ò conego ò diácono, mas de mello, propriamente, que se pensava ter, enfim, o ar mais limpo e, vai-se a ver, nem por isso.

    Gostar

  29. balde-de-cal permalink
    2 Maio, 2008 23:16

    “-posso dizer o que eu acho?
    -sim, mas fala baixo”

    Gostar

  30. Anónimo permalink
    3 Maio, 2008 09:30

    Li agora a crónica do JM acerca dos “jovens” no DN.
    Caro JM seria mais adequado ter escrito a geração que se “APROPRIOU” do 25… pois que o que diz não se aplica aos que de facto o fizeram…

    Gostar

  31. piscoiso permalink
    3 Maio, 2008 09:33

    Ora.
    É meia-bola e força.

    Gostar

  32. José Barros permalink
    3 Maio, 2008 12:56

    Talvez se possa arranjar um Guantanamo para o JM: que diz do Estarreja?:)

    Gostar

  33. Paulo permalink
    3 Maio, 2008 13:34

    Reprodruzo o primeiro de todos os comentários:

    “Tá dificil. Vamos lá com frases curtinhas.
    João Miranda, há muuuito tempo atrás, o JM não tinha liberdade de fazer certas coisas, incluindo escrever o que queria. Tinha? Não tinha. Certo? Depois passou a ter. E porquê? Porque alguém fez alguma coisa por isso. Permitiram-lhe que tivesse agora liberdade de expressão.”

    Acho que um dia o Joãozinho vai perceber!

    Gostar

  34. piscoiso permalink
    3 Maio, 2008 14:06

    Não vai perceber, porque no tempo da outra senhora, o Joãozinho escreveria nos órgãos do regime.

    Gostar

  35. José permalink
    3 Maio, 2008 15:24

    Piscoiso?

    Quais eram os órgãos do regime de antigamente? Tenho uma certa curiosidade, porque julga saber quais eram e isso dá-me uma certa vontade de me rir.

    Gostar

  36. uynk permalink
    3 Maio, 2008 16:12

    O mesmo cuidado que era preciso ter no passado.

    Gostar

  37. maloud permalink
    3 Maio, 2008 16:25

    Tinha, tinha liberdade de expressão e ainda estadia paga na rua do Heroísmo.

    Gostar

  38. portela menos um permalink
    3 Maio, 2008 22:48

    a liberdade de expressão, para todos, é uma conquista de 25Abril, não do 28Maio.
    é tão difícil de entender?
    deixem o joaozinho usufruir dessa liberdade para escrever 3 vezes por semana que não gosta do 25 de Abril.
    desde que tenhamos possibilidade de utilizar a liberdade de expressão para o apelidar de cretino, tudo bem.

    Gostar

  39. Toupeira permalink
    3 Maio, 2008 23:19

    Corrijamos: quem lhe deu a liberdade de poder dizer e escrever o que quiser foi o 25 DE NOVEMBRO. é que se nos ficassemos pelo 25 de Abril, estariamos soviestizados ou otelizados, pelo que….

    Gostar

  40. Curiosamente permalink
    4 Maio, 2008 03:24

    Tá dificil. Part II.
    Vamos lá com frases curtinhas.
    João Miranda, há pouco tempo atrás, o JM não tinha capacidade de fazer certas coisas, incluindo escrever o que queria. Tinha? Tinha, mas não lhe servia de nada porque ninguém lia, Certo? Depois passou a ter essa capacidade. E porquê? Porque alguém , na estranja, fez alguma coisa por isso. Sim, alguém, resolveu achar uma solução, e produzir algo de novo.
    Permitiram-lhe que tivesse agora liberdade de expressão para além dos amigos. Chama-se a isso internet.

    Gostar

  41. portela menos um permalink
    4 Maio, 2008 19:08

    a liberdade de expressão também é isto…tu citas-me a mim e eu cito-te a ti, ajudando a construir esta nossa rede de M-L * !

    * Mercado Liberalizado

    Gostar

  42. jonny permalink
    4 Maio, 2008 23:45

    25 de abril nem sei porque e que se comemora todos os anos mais valia so comemorar uma vez de 4 em 4 anos.

    Gostar

Trackbacks

  1. O “25 de Abril” e a liberdade de expressão em Portugal « O Insurgente

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: