Saltar para o conteúdo

Opinião pública

9 Agosto, 2008

Ontem à tarde, num fórum da SIC-N, um participante dizia: “abatam-nos a todos, abatam-nos a todos”

Uma senhora disse qualquer coisa como: “ontem foi o dia mais feliz da minha vida”.

Um terceiro senhor apareceu a concordar com ambos. Também tinha sido o dia mais feliz da vida dele e também achava que deviam ser todos abatidos.

97% dos participantes numa sondagem realizada durante o fórum concordaram com a actuação da polícia. Apenas 3% discordaram.

A generalidade das pessoas mostrava-se genuinamente satisfeita. Obviamente muito mais satisfeita do que estaria se o assalto tivesse acabado numa paz negociada.

Descobriu-se finalmente a solução para os problemas de segurança do país: um sniper em cada rua. Todos os dias serão os dias mais felizes das nossas vidas.

Se outra razão não houvesse para se ser céptico em relação ao uso de snipers, aquele fórum é razão suficiente.

Anúncios
142 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 12:23

    E admiram-se do assunto?
    Com tanta propaganda nos media e blogs sobre crimes praticado por emigrantes, dando ideia que sao todos perigosos. Propaganda sobre libertaçao de presos dando ideia que ninguém é preso. Propaganda que brasileiros atacam nas prais, ou africanos atacam nas praias.

    Nao é este blog que nao ve problema nenhum emidentificar a raça e a nacionalidade de um criminoso como se fossem todos iguais?

    Há pessoas estupidas. Há muita gente parva no mundo, ou o mundo nao seria o que é. Nao haveria guerra na Ossetia e a Russia nao teria invadido a Georgia.

    Gostar

  2. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 12:24

    A culpa também é sua Joao Miranda. O Joao Miranda nao ve problema nenhum em dizer que quem cometeu um crime era o brasileiro ilegal, ou era o preto da Guiné. Esquece-se que existem muitos parvos no mundo.

    Gostar

  3. Ant O Opinocrata permalink
    9 Agosto, 2008 12:26

    mas que portugal é uma terrinha de burgessos ando eu aqui há muito tempo a dizer. encontra alguma razão para que existam 6 milhões de benfiquistas a não ser essa? :->

    Gostar

  4. 9 Agosto, 2008 12:27

    João Miranda:

    Estas reacções é que precisam de ser entendidas.
    Isto sim.

    Porque as pessoas dizem isto por projectarem neste caso todos os medos e inseguranças quotidianas que sofrem.

    E aliviam-se assim, por burrice. Por acreditarem que vão ter um sniper em cada esquina e em cada bairro a abater todos imigrantes em excesso que sabem ser a causa deste mal-estar.

    Há uma realidade de que não se fala, por cobardia, por parecer mal, que veio à tona nestas reacções.

    E só isso explica o regozijo em ver-se matar em directo um indivíduo que, se não fosse morto, o máximo que poderia apanhar eram uns 5 anos de choldra. Sem contar com a liberdade provisória por bom comportamento.

    E a esquerdalhada também se baba pelo mesmo motivo. Por problemas de viverem com as cabeças enfiadas na areia para nem quererem enfrentar os problemas de patrocinam.

    Fora isso, agora que vi o filme, não tenho dúvidas. foi abate com o único pretexto de terem uma aberta. Não houve qualquer gesto, um único indício por parte dos sequestradores que justificasse a matança.

    E a causa, foi esta- um crime que sem sniper dava direito a 5 anos de cadeia.

    Podem continuar à vontade a gamar e a matar cidadãos que a lei está feita para lhes dar cobertura.

    Gostar

  5. Ant O Opinocrata permalink
    9 Agosto, 2008 12:27

    eu não disse? até já apareceram uns gajos a defender a censura e a ‘formatação’ da informação!

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 12:29

    O Joao Miranda acredita que se o assaltante fosse um espanhol,por exemplo, como el solitário, a reacçao dessas mesmas pessoas que rejubilam com a morte do assaltante seria a mesma?

    Eu nao tenho a certeza.

    Gostar

  7. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 12:30

    “E a causa, foi esta- um crime que sem sniper dava direito a 5 anos de cadeia.”

    Essa é a ideia que as pessoa possuem dos jornais. A realidade nao é essa.

    Gostar

  8. 9 Agosto, 2008 12:31

    Agora o histerismo também não altera nada. Não é o histerismo que causa racismo- é a realidade.

    E a realidade está cá, está no poder e pior, até está na oposição.

    Interessa a todos. A uns porque metem ao bolso e aos outros para parecerem muito “humanistas” e criarem a utopia de conseguirem o impraticável- dissolver todas as diferenças tribais num “homo-farrusco” de “cidadania neutra”.

    Gostar

  9. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 12:33

    Censura? Eu nao defendo a censura. Eu defendo é a verdade. Nem todos os imigrantes mesmo ilegais sao perigosos. A maioria nao é. A esmagadora maioria dos moradores dos bairros sociais nao faz mal a uma mosca. Essa é a verdade. A maioria dos criminosos sao punidos e bem punidos. Digam a verdade. Nao colocquem um caso nos media e façam com que pareça que é tudo assim.

    Gostar

  10. 9 Agosto, 2008 12:33

    Esta é a realidade e foi explicada pelo José que até indicou link no Google para se poder confirmar.

    Uma vida humana tem o mesmo valor que 5 anos de choldra.

    É confirmar no Google. No post dos 300 vem lá explicado por quem sabe. Não vem por taralhoucas à DO que vivem de palavras e que acham que “no pasa nada”.

    Gostar

  11. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 12:34

    O J.M está a querer continuar a discussão do post (Direito de Matar) pois verificou que teve um número de comentários fora de comum, e isso é bom para o Blasfémias, mas por favor não insista em expor os sentimentos e as expressões negativas de algumas pessoas. Se a maioria das pessoas concordou que a actuação das forças de segurança foi legitima isso não significa que essa mesma maioria concorde com as expressões usadas por alguns desbocados ou por pessoas que não controlam as suas emoções mais negativas. Sobre muitos assuntos existem sempre pessoas com opiniões e ideias pouco úteis para a sociedade veja-se por exemplo a sua opinião acerca deste assunto.

    Gostar

  12. 9 Agosto, 2008 12:36

    Mas aqueles anormais da “Nova Águia” que é lobbie brasuca o que é que andam a fazer?

    Não andam a recolher assinaturas, com o Agostinho da Silva na boca, para conseguirem o não retorno dos clandestinos e ainda dar-lhes um passaporte lusófono para os impingir ao resto da Europa?

    Não fazem eles o mesmo no Intendente com os BIs que sacam por esticanço de carteira?

    Quanto imigrante “tuga” com sotaque vive em Inglaterra? E entra como? entra com BI reciclado em negócio que estes imbecis do lobbie até querem estragar.

    Gostar

  13. 9 Agosto, 2008 12:38

    Mr. João Miranda
    parece ter passado, até ao momento em que colocou este post, ao lado dos factos.
    Desconhece o comunicado da PSP.
    Não ouviu a conferência de imprensa do comamdo da PSP.
    Não leu jornais.
    Recusa-se a rever e a analisar as imagens daqueles 25 minutos finais.
    Nem sabe do depoimento dum amigo do potencial assassino ferido.

    Para Mr.JM, o ideal teria sido a continuação até hoje, da PSP e da GNR normais, rudimentarmente treinadas, e por tal conhecidas pelas tais forças policiais dos “tiros para o ar” que têm atingido inofensivos cidadãos e de vez em quando, vá lá, prevaricadores, gatunos, assassinos.
    O nosso bloguista teima em desconhecer o mundo em que vivemos.

    Gostar

  14. 9 Agosto, 2008 12:38

    Não há aqui “maiorias por comentários de blogue. Há sentimento geral de satisfação numa população que não vive a censurar as palavras como v.s

    Numa população que não vive em condomínio privado e que sabe o que é um transporte público. Que vive uma realidade criada por estes mesmos que depois, à falta de lei, usam atiradores à Pecos.

    Gostar

  15. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 12:40

    Que provas possui quem acha que a opinião geral sobre o assunto seria diferente caso não fossem brasileiros ? Porque insistem em associar as reacções à nacionalidade? Tentam ver aquilo que desejam embora nada o mostre.

    Gostar

  16. 9 Agosto, 2008 12:40

    Num post anterior uns acéfalos que não compreendem os argumentos do João Miranda, porque não conseguem atingir o que pretende.

    Entre alguns epítetos, conseguiram descortinar que não houve nenhum tiro de dentro para fora.

    Aconselho esses mentecaptos a visualizarem este video e verificarem que existiu um tiro de dentro para fora com mais princípios do que o de fora para dentro.

    Gostar

  17. 9 Agosto, 2008 12:43

    Racistas são os que fazem parte do problema. Racistas são os irresponsáveis que apontam a dedo as palavras mas que aplaudem um tiro nos cornos dado no mesmo clandestino que metem cá para dentro.

    E não há pior algoz que um algoz de esquerda. Disso não tenho a menor dúvida.

    São estes mesmos hipócritas que, em chegando ao poder, afrouxam as leis para safar os compadres com problemas na justiça.

    E é por isso que agora vivemos esta anormalidade- temos leis que dão cobertura a toda a criminalidade e depois, pelos vistos, já tivemos a inauguração para espectáculo, dos atiradores furtivos.

    Que desta vez tiveram muita sorte e conseguiram passar por heróis, apenas porque não calhou dos 2 tiros que falharam terem permitido que ainda houvesse mais mortes inocentes.

    Gostar

  18. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 12:45

    E aqui não há questão de esquerda ou direita. Quem nos governou nos últimos vinte cinco anos? Sá Carneiro e Cavaco Silva eram “esquerdalha” “

    Gostar

  19. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 12:46

    O JM sabe melhor do que ninguém que a maioria das pessoas que se deram ao trabalho de discordar de si no anterior post nada tem a ver com estas pessoas dos “abatam-nos”. Muitos explicaram porque discordaram e nada tem a ver com o tipo de discussão que se vê nos foruns da SIC ou da TSF. Ao querer transformar-nos a nós todos no mesmo tipo de gentalha o JM joga sujo e baixo. Ninguém que defendeu a intervenção quer um sniper em cada rua.

    Gostar

  20. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 12:48

    Para o comentador anterior, eu pergunto nos últimos 12 anos , quantos anos governou o PS?

    Gostar

  21. 9 Agosto, 2008 12:48

    O post é sobre as opiniões dos participantes num fórum da Sic-Notícias. Quem são esses participantes ? Como foram escolhidos ? Quem os escolheu ? Com que objectivos ?
    O resto é dar-lhes corda.

    Gostar

  22. 9 Agosto, 2008 12:48

    ò palonço- não temos tradição de assaltos destes. A polícia sabe que os gajos vêm precisamente por estarem informados que por cá a lei é fruxa. Isto é o Rio de Janeiro de manhã à noite.

    Precisamente com o mesmo cenário político que por cá se está a imitar- ausência de lei, porque a corrupção política é de tal ordem que se houvesse lei, estavam eles todos dentro- violência de marginal e violência gratuita de atirador furtivo.

    Eles já têm, agora, pelos vistos, há palonços que temem tanto descobrirem que são os culpados pela realidade que preferem que se mate a que se previna.

    E, quem prefere mortes à Pecos, sem lei nem roque, a inteligência preventiva a começar na política de imigração, é alguém que não merece respeito.

    É um hipócrita que faz parte do problema.

    Gostar

  23. 9 Agosto, 2008 12:49

    é frouxa. A lei é frouxa. E da lei não vejo eu ninguém falar. Nem falar na mudança apressada que fizeram à custa das taras pedófilas dos camaradas do partido e da seita.

    Gostar

  24. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 12:50

    zazie Diz:
    9 Agosto, 2008 às 12:43 pm
    Que desta vez tiveram muita sorte e conseguiram passar por heróis, apenas porque não calhou dos 2 tiros que falharam terem permitido que ainda houvesse mais mortes inocentes.

    Não houve nenhum tiro falhado pela policia.

    Gostar

  25. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 12:50

    E há ssim tantas diferenças entre o PS de Sócrates e o PSD de Cavaco? Talvez Cavaco ser mais “estatista” que Sócrates.

    Gostar

  26. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 12:52

    Minha cara Zazie mesmo nos países com mais racionalidade na politica de imigração estes casos sucedem.

    Gostar

  27. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 12:52

    Aprecio ver a arenga do BE da “Culpa do sistema-vítimas da sociedade” recitada por quem os detesta

    Gostar

  28. 9 Agosto, 2008 12:53

    Esquerdalha é a herança ideológica do 25 de Abril e nela, para mim, cabe muito mais que qualquer partido.

    Até cabem os liberalóides do internacionalimo do carcanhol e que prometem precisamente o mesmo.

    Por isso só voto para os ir tirando lá de cima, à vez.

    Gostar

  29. 9 Agosto, 2008 12:54

    Até o PPC já dizia que ia prometer o mesmo. Que não ia tocar na imigração clandestina. Para parecer muito “moderno” e para satisfazer os lobbies da carne no porão e da mão-de-obra ao preço da uva mijona.

    Gostar

  30. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 12:55

    Estou a gostar da sua performance Zazie diga lá a ideologia que perfilha.

    Gostar

  31. 9 Agosto, 2008 12:56

    Está visto que com ordenados que nem para ter uma casa decente conseguem- vviem ao molho, em cima uns dos outros, completamente desenraizados (em Londres já eu vi raparigas imigrantes a dormirem em sacos cama ao relento e depois a irem trabalhar nas “limpezas”, o que é que estão à espera?

    Crime- só pode. O crime é alimentado com esta imigração destrambelhada. Tanto mais que nem somos um país rico para conseguirmos manter a viver do estado todo o indigente que por aí aparece.

    Gostar

  32. 9 Agosto, 2008 12:58

    Ideologia- zero.

    E consegui fazer melhor com os meus- nem uma única formação ideológica. Apenas e exclusivamente boa formação moral.

    Gostar

  33. 9 Agosto, 2008 12:59

    Quanta inteligência! Quanta capacidade de análise! Os portugueses são todos estúpidos! Todos menos os tais três por cento, claro! Os racistas, os xenófobos, os intolerantes são vocês que não suportam que a generalidade das pessoas pense diferente.

    Gostar

  34. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 13:00

    Portanto os portugueses que foram para o Ultramar eram todos criminosos
    Eram imigrantes ilegais

    Gostar

  35. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 13:00

    J , se houve um tiro de dentro para fora foi da policia. Que o assaltante nao disparou.

    Gostar

  36. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 13:01

    Talvez não fosse má ideia Zazie fechávamos a porta a todo e qualquer imigrante, continuávamos a deixar sair os nossos concidadãos (como está a acontecer nomedademnte mutos diferenciados) e talvez alguém perguntasse porque ficaria tão pouca gente nesta terra que até tem bom clima.

    Gostar

  37. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 13:02

    “ideologia que perfilha.”

    é a ideologia de quem se esquece de tomar os comprimidos. É maluquinha.

    Gostar

  38. 9 Agosto, 2008 13:04

    Claro que estes casos sucedem. Agora não me venham é pedir para ser moderna apoiando falta de lei, política de porta aberta a todo o indigente e criminoso e depois atirador furtivo apenas em casos mediáticos.

    Não quero isto para o meu país. Com o mal dos outros podemos nós bem.

    Além do mais, até em Inglaterra, quando a polícia matou aquele brasuca tomando-o por terrorista houve reacção geral da população contra essa barbaridade.

    E eu temo mais os países de “brandos costumes”- os frouxos são sempre mais sanguinários e gostam muito de aliviar a barbárie não assumida em histerismos colectivos.

    Gostar

  39. 9 Agosto, 2008 13:06

    Sim filho, maluca há-de ser a maezinha que te peidou.

    O gajo é de esquerda. A esquerdalhada fede quando entra coisa de “paranóia securitária” que só é criticada se for feita pelos outros.

    Gostar

  40. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 13:06

    Não há dúvida que os frouxos são mais sanguinários. Pol Pot, Mao, Stalin e Hitler eram frouxíssimos.

    Gostar

  41. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 13:08

    j Diz:
    9 Agosto, 2008 às 12:40 pm
    Aconselho esses mentecaptos a visualizarem este video e verificarem que existiu um tiro de dentro para fora com mais princípios do que o de fora para dentro.

    Antes de chamar mentecaptos, veja o video da TSF.
    http://tsf.sapo.pt/paginainicial/AudioeVideo.aspx?content_id=976515

    Os primeiros 2 tiros são de carabinas potentes da polícia, o 2º é o que atravessa o vidro, até um mentecapto percebe isso pelo som.

    E possivelmente, se ouvir com muita atenção o video da TSF, logo a seguir ao 2º tiro (do vidro), é possível que tenha havido um disparo no interior num instante em que foi atingido, havendo finalmente um 3º tiro da polícia já de arma de operacional.

    Está a partir do pressuposto que a nuvem que vê a ser expelida do vidro é porque o tiro foi de dentro para fora, mas está enganado, de facto vidro laminado e resistente reage daquela forma à bala. Veja estes videos:

    http://br.youtube.com/watch?v=oBQ-KoOBvRA
    http://br.youtube.com/watch?v=gtGr0kuD_qI

    Gostar

  42. 9 Agosto, 2008 13:09

    Não se trata de fechar a porta. V.s parece que são malucos. Acaso não existem políticas de imigração em Portugal assim como em todos os países?

    Costumam chamar-lhes políticas de racismo e xenofobia? há o senhor ministro para os assuntos do racismo?

    Há políticas e face a elas existem restrições com base em critérios de tipo de necessidade de qualificações e outras. A começar pela exigência de legalidade na imigração.

    Ou agora também se chama lei xenófoboa à própria lei?

    Gostar

  43. 9 Agosto, 2008 13:09

    Porra !

    O que é que os partidos, as esquerdas, centros e direitas, têm a ver com este caso — e é este caso que está em “debate” ?
    A Lei Geral do Estado, a Constituição, os Regimentos das forças policiais estão mal feitas para assaltantes e reféns, assassinos e indefesos ?

    No momento dum assalto por potenciais assassinos, o ideal seria para os Mirandas, que no local da acção, o comando da PSP, os GOE, o ministro, relessem em conjunto a Lei, para decidirem se poderiam intervir e se necessário aniquilar ? Que telefonassem para uma embaixada do país de origem da criatura colocando a eminência duma intervenção drástica porque necessária ?

    Um potencial assassino que aponta uma pistola à cabeça dum refém depois de se recusar a uma rendição e insistindo que matará um inocente, deverá ter por parte da polícia, especial deferência ?
    Etc,
    etc.

    Gostar

  44. 9 Agosto, 2008 13:11

    Peguem no exemplo da Holanda e aprendam.

    Até têm aí um dos blogues mais nojentos que existe em toda a blogosfera, com um ex-comuna a fazer propaganda anti-imigração.

    Leiam o “Fiel Inimigo” e vão perceber no que se vão tornar daqui a uns aninhos. Está lá o retrato perfeito- a irmandade dos irresponsáveis quando vira.

    Gostar

  45. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 13:14

    Zazie
    Também não concordo com a transferência de pobreza de uns países para outros, ou melhor de uns continentes para outros , a pobreza é um problema global e tem de ser combatida nos países em que existe nomeadamente em países africanos governados por ditadores o que passa pela denúncia da corrupção e das más práticas governativas. Mas também é bom que exista alguma mobilidade e circulação das pessoas dando oportunidade à realização das mesmas seja na esfera económica ,social , intelectual, desportiva etc. O que teria feio Manuel Damásio se nos EUA não lhe tivessem dado oportunidade para trabalhar. Então diga lá como legislaria em termos de imigração.

    Gostar

  46. 9 Agosto, 2008 13:17

    Tolstoi,

    Manuel, não, mas sim António Damásio. E Anna Damásio, igualmente notável cientista.

    Gostar

  47. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 13:17

    Era fácil. Só entravam gajos da mesma cor.
    E católicos, claro.

    Gostar

  48. lucklucky permalink
    9 Agosto, 2008 13:20

    “Se outra razão não houvesse para se ser céptico em relação ao uso de snipers, aquele fórum é razão suficiente.”

    Que argumento bizarro para algo essencialmente técnico…é capaz de usá-lo em relação ao voto, democracia, liberdade? É que é esse o corolário do que diz, assim tomei a liberdade de “corrigir” a sua frase:

    Se outra razão não houvesse para se ser céptico em relação á Democracia, Liberdade e Voto aquele fórum é razão suficiente.

    ————————-
    Eu não ouvi o forum mas se aquele foi o padrão geral o que mostrou foi uma botija prestes a estoirar.
    Pergunte-se porquê… Basta ver casas particulares a serem forçadas a terem segurança privada.

    Gostar

  49. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 13:21

    Nada de judeus. Os judeus são muito perigosos, crucificaram Nosso Senhor Jesus Cristo que é o nosso Pai e muito amamos, mais que ao próximo, claro.

    Gostar

  50. 9 Agosto, 2008 13:21

    Eu não sei. Sei, por exemplo, o que se está a passar em Inglaterra. Estão a colocar exigências de entrada de acordo com as necessidades do mercado. E qualificações do mesmo modo.

    Sei também como funciona a legislação na Dinamarca- Basta haver desacato para mandarem de volta imigrante. Foi precisamente isso que fizeram desta última vez com a reedição dos cartoons no jornal e a ameaça de bomba. Nem sequer esperaram por julgamento- pegaram nos meros suspeitos, que nem eram clandestinos, e para trás, de volta para casa.

    Mas sei também como em Inglaterra isto não basta e já existem programas televisivos a fazerem entrevistas de rua no género desta. Para depois colherem toda esta boçalidade como “pano de fundo” de corbertura áquilo que, politicamente não fazem. E lá não fazem porque a traição das leis não escritas não o permite.

    Por cá sei que temos a esquerdalhada no poder, a viver de palavras, os jornais tomados por esses propagandistas acéfalos, a linha da denúncia para dar a “pincelada de verniz” e agora os atiradores furtivos, para a populaça se exorcizar

    Gostar

  51. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 13:22

    Obrigado pela correcção MRJB

    Gostar

  52. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 13:24

    Olha, sem julgamento na Dinamarca é bom, aqui é mau. Coerência notável.

    Gostar

  53. 9 Agosto, 2008 13:24

    É claro que se não fossem imigrantes, estavam mais bem informados dos sistemas de segurança, distância do banco à esquadra, para um controle do tempo disponível ao golpe. Coisas destas efectuadas por autóctones, vão acontecendo em bom ritmo sem este espalhafato, porque se vão embora com o carcanhol, antes da polícia chegar.
    Os incompetentes assaltantes deste caso, nada mais fizeram do que proporcionar uma sessão de tiro ao alvo.

    Gostar

  54. 9 Agosto, 2008 13:24

    errata: tradição.

    Mas os ingleses são muito mais cool e só quem viveu o atentado no metro pode perceber a diferença.

    O pior são os frouxos dos “brandos costumes”. Ainda por cima têm os complexos de pobre- tem de ser tudo à americana- os arranha-céus os maiores centros comerciais, as cavalgaduras do alsfalto e, porque não, os atiradores furtivos à Texas.

    Temos sempre a mania das grandezas na desgraça.

    Gostar

  55. 9 Agosto, 2008 13:27

    Euy não disse que era bom o exemplo da Dinamarca, ó mongo.

    Disse é que v.s estão lá retratados, basta aguardar uns aninhos e termos os problemas que os outros têm.

    Eu tenho pó a racismos e sei que os piores são os que vivem do avesso a escondê-los apontando o dedo aos que são apenas pacíficos e realistas.

    Gostar

  56. JoaoMiranda permalink*
    9 Agosto, 2008 13:28

    ««Se outra razão não houvesse para se ser céptico em relação á Democracia, Liberdade e Voto aquele fórum é razão suficiente.»»

    Totalmente de acordo em relação à Democracia e ao Voto. Por isso é que devemos ter democracias limitadas. A mesma razão que me leva a defender democracias limitadas leva-me a defender forças policiais limitadas.

    Gostar

  57. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 13:28

    Devia ser giro se os ladroes soubessem que a policia nao podia usar snipers. Era facil roubar um banco. Tinham a certeza que nao eram incomodados nem mortos. Isso nao existe. Em todo o mundo é usado snipers. Nao em primeira linha, mas o principal é a vida dos refens, nao é a vida dos assaltantes. Se é possível com a negociaçao salvar todos muito bem. Agora nao podiam deixar os assaltantes levar os refens num carro, se o podiam evitar. Era abandoná-los à sua sorte.

    Lamenta-se a morte dos assaltantes. Mas nao podiam fazer doutro modo se os assaltantes insistiam em fugir com eles.

    Gostar

  58. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 13:30

    Consegue discutir algo sem usar expressões como “ó mongo” “, “ó palonço” e outras alarvidades semelhantes? Consegue?

    Gostar

  59. 9 Agosto, 2008 13:30

    Tive até um gigantesco debate no Aspirina à custa destas trampas. E foi na sequência dele que o Fernando Venãncio (que concordou comigo, e que vive bem essa merda na Holanda) atirou com a porta.

    Lá é o islão, cá são os outros todos. E vai haver bode espiatório porque em país pobre tudo acontece de forma mais rápida e sem controle.

    Só vem para cá quem sabe que a lei não funciona. Porque Inglaterra esta´cheia de imigrantes dos PALOPs que nem passam por cá. Quem vai para trabalhar, não se ia enfiar no país mais pobre da Europa, né?

    Gostar

  60. 9 Agosto, 2008 13:31

    Não, mongo. Com mongo não se conversa, insulta-se.

    Gostar

  61. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 13:33

    Subitamente imaginei qual seria a posição do João Miranda sobre a ocupação de fazendas pelos “sem-terra”. Não indo tão longe, que pensaria sobre a ocupação de herdades no Alentejo para fundar as UCP ( aquele “CP” é tão revelador).

    Gostar

  62. Pêndulo permalink
    9 Agosto, 2008 13:34

    Então vá para a grande Pu** que a pariu

    Gostar

  63. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 13:35

    Essa resposta “eu não sei” é a que convém á tal esquerdalha aristocrática aquela a que Mário Soares se referiu quando disse (nas últimas eleições presidenciais) “tenho toda e gente importante da cultura comigo”, ou os seus amigos da politica europeia que acharam Cavaco Silva um homem sem conversa. Convém termos ideias, e a primeira passa por cativar os Portugueses diferenciados que saíram, criando condições para se realizarem no seu país, depois por cativar a força de trabalho dos lusodescendentes.
    Terá que se definir o número de pessoas que podemos aceitar para residirem no nosso país de forma a serem integrados e terem uma vida condigna, esse número é obviamente uma opção politica e tem de ser ponderado de modo dinâmico de acordo com a demografia.

    Gostar

  64. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 13:38

    Anónimo Diz:
    9 Agosto, 2008 às 1:28 pm

    Devia ser giro se os ladroes soubessem que a policia nao podia usar snipers. Era facil roubar um banco. Tinham a certeza que nao eram incomodados nem mortos. Isso nao existe. Em todo o mundo é usado snipers. Nao em primeira linha, mas o principal é a vida dos refens, nao é a vida dos assaltantes. Se é possível com a negociaçao salvar todos muito bem. Agora nao podiam deixar os assaltantes levar os refens num carro, se o podiam evitar. Era abandoná-los à sua sorte.

    Lamenta-se a morte dos assaltantes. Mas nao podiam fazer doutro modo se os assaltantes insistiam em fugir com eles.

    Exactamente. Casos idênticos não faltam por aí …

    http://www.liveleak.com/view?i=da5a161af5

    Gostar

  65. 9 Agosto, 2008 13:41

    Para os Mirandas&Arrastões,
    Para as Mirandas&Arrastonas,

    “Coitado do assaltante/potencial assassino; os reféns foram os responsáveis pela morte e ferimentos dos sequestradores !”

    Aos M&A,
    Às M&A,
    Oxalá nunca passem pela situação de reféns em qualquer parte do Mundo !
    Repito, para tentarem perceber: em qualquer parte do mundo. Sem snipers.

    (Não alimento mais este destrambelhado post).

    Gostar

  66. Tolstoi permalink
    9 Agosto, 2008 13:44

    MRJB o assunto agora em discussão é a imigração esqueça o post.

    Gostar

  67. 9 Agosto, 2008 13:45

    Só pode ser: você teve um caso com um sniper e está ressabiado porque a pistola não tinha o tamanho que lhe convém.
    Isso explica tudo.

    Gostar

  68. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 13:49

    Anonimo 65, essa ligaçao que fui ver, tem outro caso interessante de um ladrao preso que se disfarçou de arvore para assaltar um banco. Estava dentro do banco disfarçado de arvore à espera que nao dessem por ele para ficar dentro do banco… lolol

    Gostar

  69. JoaoMiranda permalink*
    9 Agosto, 2008 13:59

    ««Coitado do assaltante/potencial assassino»»

    Pode-me indicar onde é que eu escrevi isto?

    Gostar

  70. 9 Agosto, 2008 14:00

    O que está a suceder é uma espécie de “descarga emocional” de uma sociedade FARTA ATÉ À PONTA DOS CABELOS de ver criminosos mandados em paz pelos juízes, de ministros a dizer que “agredir magistrados em pleno tribunal são casos pontuais”, de que “a culpa é do governo anterior”, de que “noutros países é pior”, de que “as estatísticas mostram que a criminalidade está a diminuir”, etc.

    Os acontecimento do BES criaram a ideia (porventura falsa, mas generalizada) de que «Até à data, qualquer pessoa sabia que podia assaltar um banco impunemente. A partir de agora, “eles” vão pensar duas vezes!».

    Nos últimos anos, tenho falado com polícias (de trânsito, municipais e de giro). Na sua maioria estão desmotivados – e quanto mais velhos são maior é o seu desencanto e frustração.

    O que todos me dizem é que, actualmente, os direitos do agressor são mais importantes do que os da sua vítima, estando
    aqueles mais protegidos do que deviam estar:

    Ou porque são mandados em paz, ou porque as suas infracções prescrevem, ou porque as vítimas não se queixam, etc.

    E isso – dizem… – tanto é verdade para o automobilista que continua a estacionar em cima do passeio (porque sabe que nunca será incomodado) como para o carteirista que todos conhecem mas que continua a “picar o ponto” com a regularidade de um bom e dedicado funcionário…

    Gostar

  71. 9 Agosto, 2008 14:02

    Hoje, só vim aqui para felicitar a Zazie pela firmeza das suas convicções e pela frontalidade como as manifesta. É com debates com gente informada e aguerrida, sem paninhos quentes, que se consegue avançar no “case study” em que está transformado este pobre país. Um abraço.

    Gostar

  72. 9 Agosto, 2008 14:03

    Mr. Tolstoi,

    Eu sei, a emigração.

    Cerca de 5(cinco!) milhões de portugueses estão no estrangeiro. Uma diáspora enorme e significativa….
    Desde há c. 2(dois) anos, portugueses, sobretudo jovens, alguns com cursos superiores, estão a emigrar. Dispensam Portugal. E fazem muito bem !
    As fronteiras da EU estão “abertas”.

    (Dispenso este “debate”).

    Gostar

  73. 9 Agosto, 2008 14:05

    Hoje, só vim aqui para felicitar a Zazie pela firmeza das suas convicções e pela frontalidade com que as manifesta. É com debates com gente informada e aguerrida, sem paninhos quentes, que se consegue avançar no “case study” em que está transformado este pobre país. Um abraço.

    Gostar

  74. Carlos III permalink
    9 Agosto, 2008 14:10

    Para um pai (eu) de filhos brasileiros, custa deveras pressentir esse sorriso quase invisível daqueles que ficaram felizes por ver mais 2 desgraçados “papagaios” fora de combate…
    Mas vou tentar ser objectivo.
    O sniper actuou tecnicamente. Pode ter sido ele a decidir o “very moment” do tiro, mas só o pode fazer depois de receber luz verde do comando do Goe. Este, diz-me quem sabe, em face das circunstâncias deste caso concreto teve quase de certeza absoluta de pedir autorização ao sr. Primeiro-ministro que é a única pessoa que a pode dar num caso com características deste tipo. Ainda ninguém esclareceu esse ponto.
    Outra questão curiosa é que, muitas vezes, as unidades tipo Goe de outros países não dependem da Polícia, mas das Forças Armadas e são usadas exclusivamente em acções anti-terroristas, ameaças externas. É um assalto a um banco terrorismo em sentido estrito?
    Claro que uma intervenção deste tipo comporta riscos elevados e aí há que tomar decisões que nunca deixam de ser arbitrárias. Não é possível criar uma norma fixa. Agora, concordo que estas intervenções devem, mesmo assim, ser revistas por uma autoridade independente, sob pena de poderem esconder os mais desbragados abusos. Uma vida é sempre uma vida e o Goe não está – que me conste – acima da lei. O próprio Goe deveria ser o primeiro interessado em que a sua actuação fosse escrutinada tanto técnica como juridicamente.
    Condeno qualquer forma de discriminação, mas parece ser certo que, estatisticamente, grande parte da criminalidade é da autoria de imigrantes (e cresceu qualitativa e quantitativamente desde que eles chegaram). Qual a fronteira entre medidas preventivas e medidas discriminatórias? A grande maioria dos imigrantes não são criminosos, mas mesmo assim podem causar problemas complexos (v.g. emprego, segurança social). Em que exacta medida pode uma sociedade defender-se?
    Finalmente, reconheço tanto a frustração do cidadão comum face a um ambiente que o faz sentir muito inseguro e desprotegido, como a necessidade das Forças da Ordem de verem a sua auto-estima acariciada com acções espectaculares. A ordem pública é muito, muito mais do que multar automobilistas ou autuar tabernas.

    Gostar

  75. lucklucky permalink
    9 Agosto, 2008 14:10

    “Totalmente de acordo em relação à Democracia e ao Voto.”

    Partilho da mesmas reservas, há coisas que não são votáveis, embora duvide que seja no mesmo grau.

    “Por isso é que devemos ter democracias limitadas.”

    Atendendo ao grau até onde teria de evitar a existencia de voto dúvido que ainda se pudesse chamar democracia sequer.

    Fico é com uma dúvida, qual a liberdade de uma pessoa se defender nessa Democracia Limitada?
    E um idoso, uma criança, um doente que o não podem fazer?

    Gostar

  76. 9 Agosto, 2008 14:13

    É o que se depreende, desde o seu post de anteontem.

    Não porque os pense como “coitados”, mas colocou-nos a hipótese de o Estado, a Lei, os cidadãos, os comiserarem com outra Lei e sobre o caso, com outro desfecho….quiçá “injusto”.
    Releia o que escreveu e alimentou.

    Um assaltante é um assaltante é um assaltante !
    Um potencial assassino é um potencial assassino é um potencial assassino !
    A LEI É PARA SE CUMPRIR !!
    A paz dos cidadãos exemplares tem de ser defendida, se necessário E EM ÚLTIMO CASO –foi o que aconteceu!– aniquilando quem a perturba e coloca a vida das pessoas em perigo e na eminência de serem assassinadas !

    Mr. JMiranda, não estou a discutir, “zangado”, consigo. Sómente discordo de si.
    Dou o assunto por encerrado.

    Gostar

  77. JoaoMiranda permalink*
    9 Agosto, 2008 14:14

    ««Primeiro-ministro que é a única pessoa que a pode dar num caso com características deste tipo. Ainda ninguém esclareceu esse ponto.»»

    Vem no JN. A autorização foi dada pelo Ministro da Administração Interna. O PM está de férias.

    Gostar

  78. Zenóbio permalink
    9 Agosto, 2008 14:16

    O João Miranda prossegue na sua missão principal: Pirómano. lol

    Gostar

  79. 9 Agosto, 2008 14:27

    Ó anónimo 41

    A mim não me enganas, eventualmente pertences aos gay ou lá o que isso é. Pretendes lavar a face.

    Os blogs e a opinião pública séria irá julgar tudo isto.

    O problema que o João Miranda coloca e isso é que deveria ser discutido, quem é que permite que qualquer mentecapto tem poderes discricionários de aplicar a pena de morte.

    Quem é que deu a ordem de disparar?

    Quem controla os que têm ordens para mandar disparar?

    Os que disparam serão infalíveis? Etc…

    Gostar

  80. JoaoMiranda permalink*
    9 Agosto, 2008 14:35

    ««É o que se depreende, desde o seu post de anteontem.»»

    Eu nem sequer defendi que o problema é a vida dos criminosos. Defendi isso sim que o problema é o potencial abuso de poder, a falta de escrutínio, a possibilidade de se acertar em reféns, a inconsistência com o resto do sistema penal, a falta de proporcionalidade etc

    Gostar

  81. Anónimo permalink
    9 Agosto, 2008 14:56

    La vem este….
    Compre uma TV e veja as noticias sobre a Georgia.
    A democracia para si so funciona para um lado, se 97% das pessoas concordam o que voce acha que isso quer dizer. Para si quer dizer que 97% dos portugueses sao burros com certeza.

    Gostar

  82. 9 Agosto, 2008 15:08

    O chamado «Ponto de vista de Sírius» (que permite que um problema seja analisado a frio, com a imparcialidade e a racionalidade que a distanciação permite) é praticamente impossível neste caso – e por uma razão muito simples:

    Quantos portugueses há que não foram já assaltados (ou não estiveram próximos de situações dessas)?

    Quem, chegando a casa e encontrando ainda os ladrões lá dentro, não teve vontade de lhes dar um tiro – fazendo-o, se pudesse? Confesso a minha culpa: eu já tive…

    Gostar

  83. Red Snapper permalink
    9 Agosto, 2008 15:58

    As pessoas normalmente esquecem-se que o Estado também significa pessoas. E é indferente que essas pessoas estejam lá temporariamente ou indefinidamente: em ambos os casos podem-nos fazer muito mal. Tem mais a ver com a prória natureza humana. Porisso,mesmo que essas pessoas tenham sido eleitas por esmagadoras maiorias, é um erro não lhes criar mecanismos de controle para além das prórias eleições. Eleições é manifestamente pouco. Como nos ensina a história.

    Gostar

  84. Red Snapper permalink
    9 Agosto, 2008 16:03

    Sabe-se que foi o Ministro deu ordem de abate. Foi com base no parecer do director dos GOE que o fez? Ou foi uma ordem do tipo: Abata-se! Como é que posso saber a resposta!? Acho que deveríamos todos saber isso. Mas sem mentiras pelo meio. E para eliminar a tentação da mentira só mesmo com recurso a um organismo independente. Toda a gente sabe que não há sistemas perfeitos. Mas uns são-no mais que outros.

    Gostar

  85. Chessplayer permalink
    9 Agosto, 2008 16:44

    oh Pêndulo, vc tem de saber perdoar a Zazie, ela mete mt coisa na cabeça, em vez de meter cabeças na coisa (dela).

    Gostar

  86. 9 Agosto, 2008 18:02

    É… e onde é que se meteram as vossas “piquenas”? a lololililinhninhazinha e mais a tininha e a venturinha?

    Essas são gajas altamente qualificadas da mioleira. E acima de qualquer suspeita- é tudo humanismo da bocarra para fora.

    A venturinha já eu vi por aí atrás a espernear e a dizer que o JM é que é desumano.

    Pois… Leiam o post do José na GL que aí sim, está lá tudo o que importa. O resto é paleio de comadres.

    Gostar

  87. 9 Agosto, 2008 19:36

    Quanto à Sofia Ventura, nunca a vi espernear.
    Até pode ter próteses nas pernas, que é igual ao litro.

    Gostar

  88. 9 Agosto, 2008 21:55

    Obviamente muito mais satisfeita do que estaria se o assalto tivesse acabado numa paz negociada.

    Já chateia tanta presunção.
    Para a próxima vez, que não deverá tardar, peçam ao senhor João Miranda para ir lá resolver o conflito.

    Gostar

  89. Luis Rainha permalink
    9 Agosto, 2008 23:53

    Belo post, João. Um dia, tínhamos de concordar…

    Gostar

  90. 10 Agosto, 2008 02:22

    Os portugueses são uma cambada de racistas camuflados e hipócritas, aos poucos nós (emigrantes) vamos tomar conta disto…
    P.S. Aprendam a viver com a diversidade, povo mesquinho.

    Gostar

  91. Vítor permalink
    10 Agosto, 2008 03:15

    Não podia estar mais de acordo com a Sra Zazie. Cada vez estou mais convencido que a esquerdalha e seus compinchas libralóides acabarão por afundar o país. Mas como se constuma dizer, cada um tem o que merece.

    Gostar

  92. 10 Agosto, 2008 05:59

    Nestes casos quando as negociações falham e há reféns, não há que hesitar.
    Limpa-se o sebo aos tipos e siga para bingo.
    Qual é a dúvida?

    Gostar

  93. Anónimo permalink
    10 Agosto, 2008 10:48

    César enquanto governador da Hispania Ulterior que abrangia a Lusitânia boa parte da qual está sob dominio espanhol, nomeadamente a sua capital Mérida, disse que a malta nem se governa nem se deixa governar.
    O JM é a demonstração disso.
    Os “nossos” distintos deputados que fazem as leis deste chiqueiro são os principais responsáveis ao que isto chegou pois que trairam quem os elegeu e quem lhes paga.Autênticos colarinhos brancos aliaram-se aos canos serrados e transformaram uma nação num molho de bróculos internacionalista em que os indígenas são obrigados a uma verdadeira acção missionária de curar todas as maleitas do mundo pagando de todas as formas e feitios.
    Esta aliança de colarinhos branco e canos serrados originou uma legislação que torna escravos os indígenas e é xenofoba para uma boa parte dos autênticos nacionais estranhos já no seu próprio torrão pátrio.
    Acabou a coesão nacional e social.Mais umas crises e vai ser a guerra civil.Espero que nessa altura as primeiras vítimas sejam os traidores autores da actual situação.

    Gostar

  94. Cátia permalink
    10 Agosto, 2008 11:44

    É lamentável. Mas que se esperava quando todos os dias telejornais e jornais enchem o seu espaço que designam de «informativo» de palavras referentes a crimes da forma mais «melodramática» e chocante que conseguem?

    Não sou a favor da censura. Mas sou a favor da informação. Mas a informação tem limites. Por cá como por outros países passaram-se os limites, tudo o que é notícia de interesse geral, incluindo notícias de âmbito cultural, notícias simplesmente «positivas» têm sido suprimido aos poucos para dar lugar a mais espaço para a violência e tudo o que é «negativo».

    Gostar

  95. 10 Agosto, 2008 13:14

    da forma mais «melodramática» e chocante que conseguem?

    Quando um seu familiar levar um tiro nos cornos como todos os dias acontece, por favor volte aqui a comentar o seu estado de espírito.

    Gostar

  96. OLP permalink
    10 Agosto, 2008 17:18

    Todos os dias acontece sim que um familiar meta um tiro nos cornos de outro familiar…isso sim.
    E onde está o melodrama?
    Será que abateram-nos a todos?
    Ele é maridos ciumentos, ele é disputa de terrinhas ele é zanga de vizinhos.
    Isso acontece todos os dias.

    Gostar

  97. Anónimo permalink
    10 Agosto, 2008 20:01

    O facto do Luis Rainha, a Zazie e a Fernanda Câncio (com minúsculas) aplaudirem o JM é sinal mais do que evidente que desta vez o JM está completamente equivocado. Irreconhecível diria mesmo.

    Gostar

  98. 10 Agosto, 2008 20:07

    Pois é, ó sem nome. Já o facto da unidade da barbárie incluir quem se baba com uma morte de um ser humano, significa apenas isto- é nestes momentos que o trigo se separa do jóio.

    Gostar

  99. 10 Agosto, 2008 20:11

    É que a barbárie não precisa de pensar, sequer- é só tripas e o que de mais nojento existe dentro do ser humano.

    Por aqui aprendeu-se muita coisa. Aprendeu-se, por exemplo, que existem pessoas capazes de defender uma guerra contra uma ditadura, por acharem que esses povos têm costumes bárbaros e agora, apenas à conta de um assalto de treta, que legalmente nem a 5 anos de cadeia dá direito, até são capazes de ulular pela pena de morte.

    Estamos entendidos quanto à validade dos famosos argumentos de superioridades civilizacionais. Afinal copiar a barbárie é, para eles, o método mais inteligente de a evitar.

    Tudo o que seja prevenção, não conta- a barbárie é alimento de tristes e os tristes aliviam-se na náusea.

    Gostar

  100. 10 Agosto, 2008 20:18

    E é assim, de modo tão básico e apenas com estupidez e cagunfa que as ditaduras também conseguem ser populares.

    Pão e circo, é quanto lhes basta. Pensar, conhecer a treta das leis que temos, não lhes interessa- basta-lhes o alívio mais grunho e depois ainda têm o triste desplante de acharem que são superiores aos povos do terceiro mundo.

    Gostar

  101. 10 Agosto, 2008 20:27

    Até porque a convergéncia que houve é apenas desta ordem- há quem tenha formação moral que lhe impede sentir regozijo com um abate de um ser humano e há quem precise dele para se sentir gente.

    Fora isso não há mais convergéncia no que respeita à análise das causas.

    Eles invertem a ordem dos factores e acham que o racismo é uma fantasia fabricada por notiários mediáticos e também acham que a lei está óptima, que não existem sequer graves problemas sociais em Portugal e enorme laxismo legal.

    Há quem pense o oposto- que isto deriva precisamente da facilidade do laxismo legal e todo a falta de prevenção por irresponsabilidade política. Eu estou desse lado. E tenho as maiores dúvidas que o mesmo se possa dizer acerca da Côncia ou do DO.

    Esses limitam-se a enfiar a cabeça na areia e a tratar este caso do mesmo modo que tratam as Quintas da Fonte ou os arrastões. E no laxismo legal e responsabilidade de quem alterou a lei, e até os motivos pelos quais foi feito, muito menos. Ou não fossem os Pedrosos e mais o resto da trampa, seus apaniguados.

    Gostar

  102. 10 Agosto, 2008 20:33

    De qualquer forma, por muita afinidade política que eu pudesse ter com uma pessoa e até gigantesca distância em relação a outra, nestas situações isso é perfeitamente secundário.

    Não me caem os parentes na lama por concordar com Côncias ou Danieis Oliveiras. Mas tenho absoluta repugnância que me impede qualquer empatia com quem se regozije com isto. Aí não há plataforma de qualquer espécie de entendimento.

    Felizmente que não tenho amigos nem ninguém na família que se babe com merdas destas.

    Gostar

  103. Anónimo permalink
    10 Agosto, 2008 20:57

    Zazie, apesar de haver muito regojizo nauseabundo e xenófobo pelas caixas de comentários de vários jornais, aqui no Blasfémias não me parece que a maioria das pessoas que concordaram com a operação e explicaram porquê tenham tido qualquer tipo de regogízio. Vi muitas pessoas a tentarem explicar porque é que acharam a decisão correcta, ao contrário de si e outros, que ainda não explicaram como resolveriam o problema com outra alternativa.

    E se vi bastante educação na maioria dos comentários por aqui, de si, pelo contrário, ainda ontem chamou aos GOE “assassínos profissionais pagos”, algo que eu acho altamente insultuoso, mas felizmente ninguém desceu ao seu nível e todos mantiveram a conversa civilizada.

    Gostar

  104. 10 Agosto, 2008 21:11

    Eu também não disse isso. O regozijo foi dado na tv e em inquéritos de rua. Esse é que conta. Por aqui apareceram uns anormais desconhecidos, como essa Aldina que por aí anda a babar-se e o resto é uma questão de “leitura” da acção policial e uma questão de leitura política.

    Na política até pode haver entendimento com muitos dos que defendem a policial mas, em relação a esta, é que a questão muda.

    No meu caso, como nem estava cá e não tinha acesso a tv, até estava convencida, de início, que tinha havido tiroteio e que tinha sido na sequência dele que tinha morrido um assaltante.

    Foi com esta ideia que comentei de início, em tom de gozo, em relação ao primeiro post.

    Só depois de me inteirar e ver o filme percebi que a história foi outra e todos os posts do João Miranda desmontam bem a mentira que foi vendida.

    Apenas isto. De resto, para recomendar uma excelente síntese que diz tudo, já linkei o post do José da GL.

    Gostar

  105. 10 Agosto, 2008 21:14

    Aliás, eu estava perfeitamente a leste de terem sido utilizados os atiradores furtivos.

    E repito- se algum dos sequestrados conseguisse sacar uma arma e tivesse disparado para os sequestradores, tirando a vida a algum deles, não era a mesma coisa- era pura legítima defesa.

    O que não se pode é passar daqui para uma acção policial que foi outra coisa e que ninguém pode dizer, com credibilidade, que foi excelente, limpa, eficaz, justa e inevitável.

    Gostar

  106. 10 Agosto, 2008 21:16

    Quanto ao burburinho nos media, nestes casos até sou capaz de apoiar o cinismo e preferir que se meta o lixo debaixo do tapete a fazer o oposto- o circo de incitamento ao ódio.

    Porque não é com a cabeça quente nem em histerismos populares que se faz o que deve ser feito.

    E o que deve ser feito, para mim resume-se a isto: maior controle da imigração, e urgente mudança de lei, que dissuada esta (a diária) criminalidade que vive na absoluta impunidade.

    Gostar

  107. 10 Agosto, 2008 21:19

    E, na mudança de lei, que é para todos- não escolhe raça ou cor, é que está o busilis da questão.

    À parte isso, não teria grandes pruridos em apoiar legislação que deportasse imigrantes envolvidos em criminalida hard. Daquela que coloca em causa a sociedade e o Estado de Direito. Mas isso seria uma sequência do que nem vai ser feito- a lei há-de estar cada vez mais frouxa e depois escamoteiam-se os problemas com estas cenas à Pecos.

    Gostar

  108. 10 Agosto, 2008 22:16

    Ah, não tinha lido essa da explicação e dos assassinos profissionais. Pois explicação é simples- tivessem feito o que disseram que estavam a fazer- negociar.

    Mas não foi isso que fizeram- não se chama negociar, atrair à má fé para matar. Apenas isto. Ou bem que dizem que o caso merecia morte e a única questão era aberta para o fazer, ou então não vendem a patranha da “negociação”.

    Quanto a assassinos profissionais, treinados para matar e com grande gosto nisso- capazes até de darem detalhes acerca das balas e da perícia com que neutralizam com tiros no cerebelo- que não são para matar mas, às vezes, matam- são isto- é escolher o nome ao gosto do freguês.

    Gostar

  109. 10 Agosto, 2008 22:21

    Que se queiram fazer passar por polícia normal ou que haja quem seja toino e nem tenha percebido a diferença, não é culpa minha.

    Também existem mercenários na guerra e ninguém lhes chama militares de um país.

    É claro que me podem dizer que é preciso de tudo, tal como coveiros. Agora não me vão é vender que por um crime cotado na lei com penazita inferior a 5 anos, precisamos destes mercenários.E, ainda por cima, toscos. Ou mais grave- mercenários a quem o merdas do ministro que aliviou a lei deu avale de matança.

    Quem disser isso tem de engolir todas as Pides de todos os tempos, que nunca fizeram sequer coisa que se assemelhe.

    Gostar

  110. Anónimo permalink
    10 Agosto, 2008 22:26

    Zazie, eu continua a achar que a opinião mais fácil, confortável e politicamente correcta é a sua ou a do JM. Aliás, o JM não tem opinião, levanta apenas questões, algo que é bastante habitual no JM. Alguma vez viu uma opinião do JM em assuntos polémicos como o do Aborto, do Iraque, etc,etc ? Ele escreve centenas de post’s sobre assuntos polémicos mas se ler e rever muito bem bem o que ele escreve ele nunca tem opinião, nem sequer para uma coisa tão simples como quem é o seu candidato preferido à Presidência da Républica. Não é porque não gosta de nenhum, pois ele também nem isso dirá, que não gosta de nenhum. Ele nunca opina, limita-se a levantar questões e a explorar contradições de quem decide ou dá opinião. É óptimo, fica muito bem, resulta espectacularmente em debates blogosféricos, é muito cómodo e sai-se sempre por cima porque nunca se comprometeu directamente com nada. E eu gosto muito do que o JM escreve, mas em certos assuntos gosto de ver as pessoas avançar com a sua verdadeira opinião ou uma solução em vez de simplesmente criticar ou explorar falhas que muitas vezes são naturais, porque a perfeição não existe e o perfeito é inimigo do bom.

    Tudo isto é bonito, muito fashion, pacifista e romântico, mas continuo sem saber o que vocês fariam naquela situação. É tão simples como isso.

    Gostar

  111. Anónimo permalink
    10 Agosto, 2008 22:30

    zazie Diz:
    10 Agosto, 2008 às 10:16 pm
    Mas não foi isso que fizeram- não se chama negociar, atrair à má fé para matar. Apenas isto. Ou bem que dizem que o caso merecia morte e a única questão era aberta para o fazer, ou então não vendem a patranha da “negociação”.

    Mas quem lhe disse a si que eles foram atraídos cá para fora ? Tudo indica que toda a gente foi apanhada de surpresa quando apareceram cá fora. E o facto de se terem mantido ali meia hora mostra imensa paciência por parte da polícia que seguramente esteve meia hora a tentar ganhar tempo para debater o que se passou e o que fazer.

    Gostar

  112. 10 Agosto, 2008 22:35

    Olhe, para começar v. devia arranujar um nome porque até os animais domésticos o usam,. Arranje um nick que eu não gosto de estar a falar com “Anonymous” que, na volta, até parece que já conhecem meio mundo e costumam andar por aqui com outras identidades.

    Eu também não acho que v. explique nada e até acho que a sua posição é que é a do bocas de sofá que se limita a dizer que os outros é que são.

    V. não disse nada- não explicou nada e agora vem-me com merdas perfeitamente ao lado como o aborto.

    Diga lá: sabia quantos anos de prisão um caso destes dá direito?

    Não sabia- nem eu sabia e ninguém sabia até o José informar.

    Sabia que este sequestro, vem classificado no código como crime de tal gravidade que apenas dá direito a 3 anos de cadeia?

    Não sabia- não sabe ninguém- Isto é que se escamoteia.

    E então é simples- se esta acção é legal, tem de estar suportada por uma lei escrita na qual o crime tem peso idêntico ao acto de abate.

    Pois, se não está, é puro desfazamento e apenas se conseguiu o abate com um truque manhoso de se dizer que ia haver morticínio e que os assaltantes até tinham vindo para a rua para fugirem com os sequestrados.

    O caso é este e o resto é conversa.

    Gostar

  113. 10 Agosto, 2008 22:39

    E agora a pergunta que diz respeito à socieade. Como é? a partir de agora sempre que velhinhos forem espancados por assaltantes basta qualquer um telefonar e vem o GOEs?

    E se forem violações na rua? há telefone directo para o GOEs entrar em acção e matar o bandido?

    Qual é a graduação de acção do GOEs em proporção aos crimes com que forem confrontados?

    Nos crimes que incluem morte de pessoas matam com tiro mais lento para fazer morrer devagarinho?

    É assim? é com isto que o povo português pode embandeirar em arco e aplaudir o magnífico ministro da administração interna que descobriu o milagre da segurança nacional?

    Gostar

  114. Anónimo permalink
    10 Agosto, 2008 22:54

    Diga lá: sabia quantos anos de prisão um caso destes dá direito?

    Você ainda não percebeu que o que aconteceu não foi por causa do crime cometido, mas para evitar o crime que poderiam cometer.

    Foram uns longos 30 e tal minutos com eles à frente do banco. Nesse tempo todo houve várias oportunidades para os abaterem bem melhores do que no momento em que tudo se precipitou. A ideia que defende, a dos “assassinos” que atrairam cá para fora com um plano pré-definido para os matar cai completamente por terra vendo toda a sequência de eventos. Se o objectivo das negociação (tese que o JM também alimentou) era a de abater nunca esperariam mais de meia hora para executar esse plano pois estariam a arriscar todo esse plano imaginário desnecessariamente. Há até um momento incrivel captado por fotografias, com o sequestrador que acabou por sobreviver com parte do corpo fora do banco a apontar uma arma para o exterior. Se existisse plano de os abater teria sido nessa altura.

    Quanto ao José, a Grande Loja tem o famoso slogan, não deixe que a verdade estrague uma boa história. Nada mais tenho a dizer sobre o infeliz texto dele.

    Gostar

  115. 10 Agosto, 2008 22:54

    Já agora, ó famoso Anónimous que conhece tanta coisa de todos nós- mostre lá as suas habilidades- deixe aí o link do seu blogue para eu também poder aferir das suas brilhantes qualidades.

    E que eu ando aqui sempre com o mesmo nick e tenho link para o meu blogue. Pode-se aferir o que penso. Já o mesmo parece que não se pode dizer de si…

    Gostar

  116. 10 Agosto, 2008 22:56

    Pois, ó juiz de treino de macaca. Eu cá é que acho que v., para lá de saltar a macaca não deve saber mais nada.

    Para si tudo se resume a um único assalto onde toda a nossa segurança passada e futura foi resgatada.

    Lindo!

    Até o papagaio da minha vizinha era capaz de se recusar a debitar essa palhaçada.

    Gostar

  117. 10 Agosto, 2008 22:58

    Para dizer isso basta ligar a tv a mei da tarde e ouvir uma daquelas desocupadas de donas-de-casa dos programas do Goucha.

    Gostar

  118. 10 Agosto, 2008 23:01

    Olhe, guarde-se para comentadora tina que vai ver que se vão entender. Em matéria de monguice fazem mesmo um lindo par.

    Gostar

  119. Anónimo permalink
    10 Agosto, 2008 23:06

    zazie Diz:
    10 Agosto, 2008 às 10:56 pm
    Pois, ó juiz de treino de macaca. Eu cá é que acho que v., para lá de saltar a macaca não deve saber mais nada.
    Para si tudo se resume a um único assalto onde toda a nossa segurança passada e futura foi resgatada.

    Não faço ideia ao que se refere sobre isso da “macaca”. E não vi ninguém a resumir isto à nossa segurança passada e futura. Acho que anda a ver algum filme, e não digo isto de forma cómica ou provocativa, acho sinceramente que há para aí algum estranho problema consigo.

    Gostar

  120. 10 Agosto, 2008 23:15

    Escusa de se dirigir mais a mim que eu não gosto de falar com encapuçados. Ou usa o nick habitual ou mando-o já à merda.

    Ou acha que merece algum respeito escondendo-se como Anonimous e depois põe-se para aqui a debitar o que fulano e sicrano pensa ou os problemas que tem?

    Que merdas é que v. julga que é? Vá lá tratar os problemas da sua mãezinha e desampare a beira.
    V, é estúpido. E eu não tenho pachorra para perder tempo com estúpidos.

    Se não percebe a diferença entre negociar e engrominar, vá ao dicionário. Se gosta de ser engrominado, faça-lhe bom proveito.

    Gostar

  121. 10 Agosto, 2008 23:17

    Parece um disco rachado, o parvo do homem. Que demoraram não sei quanto tempo e que já era tarde e que tinham a mulher à espera para a seia e por isso tiveram de se despachar no negócio e disparar atabalhoadamente.

    Gostar

  122. Jacinto Leite Capelo Rego permalink
    10 Agosto, 2008 23:22

    Mas qual é o seu fetiche com o nome? Que interessa um nome ? Não tenho nick, pergunte ao JM que ele deve ter acesso ao meu IP e certamente não encontrará nenhum nick associado a ele. Por acaso tenho um blogue, mas é sobre o meu filho de 5 anos, assunto que nada lhe interessa. Se quer nome, serve este «Jacinto Leite Capelo Rego» ?

    Gostar

  123. 10 Agosto, 2008 23:26

    Anda para aí outro palonço que até já diz que isto é para ir treinando…

    Ir treinando. Agora mato um e deixo outro vivo para poder matar reféns e nem ir de cana, para a próxima vai haver patrocíno do Caixa Geral e ainda consigo afinar a pontaria e por aí fora.

    Os próprios anormais do Estado já disseram que é assim, para treinar e meter medo. Mata-se para isso, calhou de serem estes, à falta de terrorista. É a crise. Se fosse terrorista era mais complicado porque, se não estivessem todos juntos, de acordo com o novo código penal até eram obrigados a contar tudo ao que fosse dentro. Para este ter tempo para avisar o resto do grupo e ficarmos todos ainda mais protegidos.

    São estas as verdadeiras merdas que a lei tem. E destas é que não se fala. Muito menos este palhaço que as mudou e que agora se aplaude a si próprio à custa de uma merda de terceira.

    Gostar

  124. 10 Agosto, 2008 23:41

    A prova que vs. têm QI negativo é apenas esta- nem conseguem imaginar alternativa mais inteligente a esta merda.

    Porque, se não fossem mesmo mongos, bastava fazerem o exercício como se fosse em v. casa.

    Se eu estiver a ser assaltada dentro de casa, a última coisa que queria era que a polícia me barricasse os ladrões cá dentro.

    A última. E isto mesmo com os meus bens. Quanto mais com dinheiro que está perfeitamente a salvo, marcado, e com assaltantes que já foram identificados.

    Se a trampa do problema se limitava a reaver o dito dinheiro, que nem se sabia se tinham, bastava ficarem quietos cá fora, deixá-los sair sozinhos, julgando que tinham feito uma belo assalto e apanhavam-nos facilmente. Nem que fosse em casa. Não havia havaria nenhuma e nem tinha sido preciso tanta merda e sequestro.

    Tudo por uma treta de dinheiro a salvo. Porque, se algum de v.s estiver dentro de um banco que for assaltado, só dá para lhes perguntar o que é que preferiam para segurança da v. vida.

    Que os chuis barricassem todos e ficassem cá fora com atiradores furtivos e v.s no meio de risco de fogo dos 2 lados, ou que, pura e simplesmente, tivessem sido inteligentes, disfarçado, deixado ir, e apanhado na altura certa. Na mais perfeita das calmas. Tanto mais que chegaram bem a tempo para poderem ter escolhido, calmamente, a melhor maneira de os caçar.

    Sem alaridos, sem imbecilidades à texas ou à série de tv.

    Gostar

  125. 10 Agosto, 2008 23:42

    errata: avaria.

    Gostar

  126. Nuno permalink
    10 Agosto, 2008 23:43

    Zazie, “porque não te calas” (ou seja deixa de escrever porcaria) deves fazer parte daquelas portuguesas parvas que não percebem patavina e nós cá temos que aturar isto… Que portuguesa chata!!

    Gostar

  127. Jacinto Leite Capelo Rego permalink
    10 Agosto, 2008 23:57

    zazie Diz:
    10 Agosto, 2008 às 11:41 pm
    Se eu estiver a ser assaltada dentro de casa, a última coisa que queria era que a polícia me barricasse os ladrões cá dentro.

    Esse argumento é absurdo, você está mesmo bem ? Portanto a sua ideia é não chamar a polícia, mas se não chamar a polícia e se ela não aparecer os ladrões em vez de na pressa levarem-lhe meia duzia de coisas prosseguem, chamam a transportadora, carregam o camião com o LCD, a cama e o sofá, pelo meio ainda lhe saltam para cima, e por aí fora. E depois mais uma vez, e mais ainda outra, até enjoar, porque você não quer que a polícia lhe cerce a casa e eles agradecem.

    Sinceramente, isto começa a roçar a infantilidade. Se calhar é melhor afastar-se do teclado pois parece-me que amanhã já se terá arrependido dos disparates que vai debitando.

    zazie Diz:
    10 Agosto, 2008 às 11:41 pm
    A última. E isto mesmo com os meus bens. Quanto mais com dinheiro que está perfeitamente a salvo, marcado, e com assaltantes que já foram identificados.

    Que confusão que para aí vai… o dinheiro marcado é dinheiro pago em resgates, não o dinheiro roubado num banco, a não ser que por acaso sejam notas novas do BP e lhes conheçam os numeros de serie.

    Gostar

  128. 11 Agosto, 2008 00:02

    ò caralho, eras tu, meu conas que me ias dar ordens? vai lamber a peida da tua mãezinha, caralho de merda.

    Gostar

  129. 11 Agosto, 2008 00:03

    Olhem, lambam-se os dois que aposto que é disso que estão a precisar.

    Era-me só o que faltava- uma gaivota e mais um rabeto capelo.

    Gostar

  130. 11 Agosto, 2008 00:09

    ò palonço: eles não tinham até a trampa do carro estacionado à porta e com os piscas a trabalhar?

    Qual era a crise de apanharem a trampa do dinheiro noutra altura?

    E afinal como é? fazem-se as coisas para proteger o dinheiro ou as pessoas?

    O que conta mais?

    Pelos vistos, conta o dinheiro. E foram encurralados, dentro de um banco, apenas para garantirem que apanhavam o dinheiro.

    Então volta a pergunta- o que é que nos protege mais a nós, cidadãos? boa vigilância, câmaras de filmar, protecção e bancária de modo a ficar a salvo qualquer cena macaca destas ou este circo?

    Se v. estivesse lá dentro era isto que preferia?

    Que a polícia fizesse com ficassem todos fechados junto com os gajos armados?

    É apenas isto. E v.s quanto mais falam mais se enterrram.

    Afinal agora já foi tudo encurralado para evitar uma fuga imaginária em camião TIR, quando tinham a trampa do carro à porta e ainda com piscas a trabalhar.

    Gostar

  131. 11 Agosto, 2008 00:12

    NÃo dizem coisa com coisa. Estão alienadinhos pelo filme…

    palermas. E agora é tudo fashion, é muito giro ver pela tv esta cena à “amaricana” com atiradores furtivos nos telhados.

    Finalmente somos um país moderno. Já todos tinham estas tretas e nós ainda eramos obrigados a vê-las apenas no cinema.

    Ca fixe, meu. Bué de modernos que estamos. Ainda um pouco zarolhos na pontaria, mas é como tudo, com treino chega-se a série z.

    Gostar

  132. 11 Agosto, 2008 00:36

    Portanto a sua ideia é não chamar a polícia,

    Este nem ler sabe. Quem é que disse que a ideia era não chamar a polícia?

    Gostar

  133. Nuno permalink
    11 Agosto, 2008 00:39

    Zazie, minha querida tens de aprender que alguém pode achar as tuas ideias de merda uma merda autêntica como a dona (Tu)!!! Por isso, deixa de escrever à toa.. E já agora, gostaria de te convidar a ver alguns filmes interessantes que não sejam as americanadas de merda que andas a ver e que te deixam com estas ideias de m****

    Gostar

  134. Cátia permalink
    11 Agosto, 2008 01:09

    Fado Alexandrino disse:

    «Quando um seu familiar levar um tiro nos cornos como todos os dias acontece, por favor volte aqui a comentar o seu estado de espírito.»

    Catia disse:

    Só não vê quem não quer. A forma como as notícias são escritas, as expressões e vocabulário utilizado são por diversas vezes exagerados.

    Os acontecimentos são trabalhados à exaustão quando se prevê ou está instalado o mediatismo. Vai-me dizer que era necessário escrever-se tanto sobre o «caso medie», a aluna que «agrediu» a professora lá para os lados do norte e o «caso esmeralda»?

    Quando a vida de um seu falimiar foi dissecada à exaustão na praça pública, mesmo que o seu familar seja a vítima ou não tenha realmente tido papel naquele acontecimento, volte aqui a comentar. E quando isso se passar consigo venha aqui, comente e expresse o seu estado de espírito.

    Gostar

  135. ex.brasileira permalink
    11 Agosto, 2008 01:47

    Nuno ” Os portugueses são uma cambada de racistas camuflados e hipócritas, aos poucos nós (emigrantes) vamos tomar conta disto…
    P.S. Aprendam a viver com a diversidade, povo mesquinho. ”

    Xi, compatriota meu é burro mesmo. Um povo e pais com tanto defeito que ele detesta, e ele vem para ca. Porque não ficas na tua aldeia ? Era boa vai para lá.
    Escusas de declarar guerra que metade dos brasileiros nem gostam de f dp como tu. Es racista e vens para uma terra que nao gostas e nao gostas de quem te recebe.

    Gostar

  136. 13 Agosto, 2008 19:46

    Apesar do tema ser sério (porque engloba vidas humanas que se perderam), este debate é uma maravilha!
    Concordo com a maioria dos comentários da Zazie (penso que seja feminino, embora o seu português vernáculo seja estonteante.

    Manuel Monteiro

    Gostar

  137. Nuno permalink
    18 Agosto, 2008 12:50

    Ex. Brasileira,

    “Xi, compatriota meu é burro mesmo. Um povo e pais com tanto defeito que ele detesta, e ele vem para ca. Porque não ficas na tua aldeia ? Era boa vai para lá.
    Escusas de declarar guerra que metade dos brasileiros nem gostam de f dp como tu. Es racista e vens para uma terra que nao gostas e nao gostas de quem te recebe.”

    Os portugueses, são um povo de merda que não consegue lidar com a diferença e “prontos”…

    beijnhos

    Gostar

  138. 26 Julho, 2009 18:55

    quantos milhoes de prejuizo deram esses mafiosos desses bancos que sao badalados todos os dias,,,,qts assaltos era preciso pra fazer esses montantes,,,,,afinal quem sao os grandes bandidos,,,viram um dia destes no cm um tcoronel da gnr de evora ficar ilibado por pprescricao de crimes (entre outros usava os soldados na sua herdade em alandroal)…isto e tudo uma pouca vergonha, a estes canalhas com poder ninguem lhes faz nada, ou melhor para contornar a lei os crimes deles prescrevem…..abram os olhos

    Gostar

Trackbacks

  1. Arrastão: A festa
  2. cinco dias » a morte no bes
  3. Leituras em dia. « Vida Breve
  4. Assalto e sequestro (epílogo) « bem-vindo à esfera

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: