Saltar para o conteúdo

Ora então vamos todos voltar ao pré-Neolítico para não alterarmos a paisagem

24 Outubro, 2008

Desde a Área de Projecto até à História o ensino unificado transformou-se em tempo de doutrina obrigatória. A própria Geografia não escapa à doideira. Esta imagem reproduz uma página dum livro da ASA para o 7º Unificado. Como é suposto as crinacinhas devem corroborar as teses explanadas no livro.

Anúncios
63 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 09:49

    Convinha dizer quem é o autor dessas parvoeiras, para nos precavermos com o indispensável “dum-dum”…

    Gostar

  2. OLP permalink
    24 Outubro, 2008 10:02

    E depois lá virá o navegador dizer que os outros é que são parolos……
    A arca de noé são eles mesmo…imbuídos que estão da moral supostamente interrogativa no livrinho da catequese aqui exposto.
    Já está como o veterinário-mor cá da praça que diz que os mosquitos viajam com o “aquecimento global” mas propõe desinfecções de aviões e barcos.( deve ser porque os mosquitos nao pagam bilhete…só pode).

    Gostar

  3. Pi-Erre permalink
    24 Outubro, 2008 10:23

    Ai, ai, quem me dera ser selvagem!…

    Gostar

  4. Jota permalink
    24 Outubro, 2008 10:52

    Bem podiam ter colocado uma imagem de Loures e zonas envolventes, aí é que se vê o que uma “má” paisagem…

    Gostar

  5. Pedro Beirão permalink
    24 Outubro, 2008 10:54

    Olha, afinal aquela cidade nao se chama Nova Iorque, chama-se “Manhattan”.

    Gostar

  6. 24 Outubro, 2008 10:58

    Que horror, cidades! Vejam já, todas as bombas antónias, para que tudo volte ao original!

    Viva o “eduquês” da Av. 5 de Outubro, que de facto precisava de uma bomba antónia.

    Gostar

  7. 24 Outubro, 2008 11:00

    O nome da cidade é o que menos interessa nos programinhas de geografia. O que interessa é transmitir a ideia de que é moralmente justificável destruir as Twin Towers.

    Gostar

  8. Ricardo Dias de Sousa permalink
    24 Outubro, 2008 11:19

    Nada de novo, em Geografia eu aprendi o que eram kolkovs e sovkovs nos anos 80

    Gostar

  9. Jota permalink
    24 Outubro, 2008 11:20

    Vendo melhor, o pequeno texto, mesmo sendo para o sétimo ano de escolaridade, parece ser escrito por um amador, talvez alguém que tenha feito o 12º ano nas Novas Oportunidades…

    Gostar

  10. 24 Outubro, 2008 11:31

    “Des soldats français ont dû abandonner sur le terrain deux missiles antichars Milan lors de combats avec des insurgés afghans samedi 18 octobre à l’est de Kaboul” – LeMonde

    Gostar

  11. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 12:05

    Esse deve ser um tema para discussão muito inapropriado para o 7º ano. Deviam estar a discutir Brad Pit e a Angelina Jolie ou a marca do telemóvel. Uma discussão sobre isso como é que o pobre professor se vai safar?

    Gostar

  12. Já cansa permalink
    24 Outubro, 2008 12:20

    Por favor ganhem algum tino. Ainda me recordo de páginas semelhantes nos meus manuais de escola. O que se fazia a partir dessa pergunta era usualmente organizar dois grupos de debate, cada um a defender uma perspectiva. Ou então simplesmente recolher pontos pró e contra. Ou quer-se uma escola acrítica?

    E, já agora, se as criancinhas estão a levar uma lavagem cerebral tão grande, porque é que os números de militantes do Bloco e da JCP não engrossaram exponencialmente nos últimos anos? Caramba, isto já se parece com algumas Associações de Pais norte-americanas que acusam o Sponge Bob de difundir a homossexualidade.

    Gostar

  13. 24 Outubro, 2008 12:24

    “E, já agora, se as criancinhas estão a levar uma lavagem cerebral tão grande, porque é que os números de militantes do Bloco e da JCP não engrossaram exponencialmente nos últimos anos?”

    Estão a engrossar o grande sucesso que são as “Novas Oportunidades”.

    Os novos Legionários da III República!

    Gostar

  14. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 12:30

    Se bem me lembro no meu tempo que já foi há muito tempo, esse tema era discutido na historinha do rato do campo e do rato da cidade.

    É injusto escolher como imagem de cidade uma cidade dos estados unidos. Todos sabem que já não são os estados unidos o poís mais desenvolvido e com as maiores cidades do mundo. Pode dar uma ideia errada.

    Gostar

  15. rxc permalink
    24 Outubro, 2008 12:34

    Mas ainda usam livros? Pensei que as aulas hoje em dia fossem baseadas em consultas ad-hoc de conteúdos da wikipedia, conforme o gosto dos meninos.

    Gostar

  16. goodfeeling permalink
    24 Outubro, 2008 12:52

    as perguntas colocadas no final do testo mostram-se de uma rétorica impagável.

    1 – Quem nos deu o direito de agir desta forma?
    2- Será moralmente aceitável?

    enfim, como se também certas espécies de animais (elefantes, castores, térmitas, por ex.), não alterassem também a paisagem do meio onde se inserem. Só me resta dizer:
    – ó elefante quem te deu o direito de agir dessa forma?
    – ó castor, não vês que fazer “barragens” no rio é
    moralmente inaceitável!

    Ou mais sabiamente retorquir ao autor dessas singelas perguntas:
    1- Quem lhe deu o direito de escrever dessa forma?
    2- Será moralmente aceitável?

    Gostar

  17. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 13:06

    Os animaizitos não possuem a capacidade de prever o dano que estão a fazer às outrs espécies por causa de não serem tão inteligentes como os homens. Embora haja muitos homens com a mesma inteligencia dos castores e do elefantes.

    Gostar

  18. Miucha permalink
    24 Outubro, 2008 13:53

    Noto já, com alguma preocupação, que o meu filho de 7 anos que frequenta o 2º ano (2ª classe), faz afirmações de preocupação ambiental, que se não pecam pela inicicitiva (educação ambiental tb é educação cívica – passa basicamente por não deitar lixo na rua, na praia ou no campo, assim como poupança energética – as nossas mães faziam-no de forma bem mais efectiva e era por causa do preço da electricidade e não por causa “da saúde do planeta”), fazem-me tremer de medo por causa dos chavões de culpa associada aos seres humanos e à humanidade em geral. Assim, a “culpa do homem branco” já vem sendo transmitida às nossas crianças. Teremos de ser nós, pais sem complexos de esquerda, a amenizar a coisa para que eles não se tornem cínicos guerrilheiros anti-ocidentais(.)(?)
    Também noto que no vacabulário do meu filho existem as “pessoas morenas”, nas quais eu não me incluo (apesar de o ser bastante) mas sim todos os pretos com quem se cruza na rua. Desapareceram os brancos, os pretos e os mulatos.Quando quisermos descrever alguém a outro alguém teremos forçosamente de os induzir em erro para não usar termos politicamente incorrectos? A seguir serão as louras? Qual será a data em que todas as louras se associarão para lutar contra a discriminação capilar e consequente discriminação intelectual?
    Mãe politicamente incorrecta e proud of it!

    Gostar

  19. Miucha permalink
    24 Outubro, 2008 14:16

    Agora para uma coisa realmente diferente, o que é chocante no manual acima é:
    1 – a 1ª e a 2ª frase do texto relatam factos; a 3ª frase está imbuída da noção de que o nosso modo de vida deveria ser “reversível” – deveriamos poder escolher andar para trás e viver como no pré-neolítico. Dou jantar de lagosta, mas dinheiro não que não era preciso na época, a quem o fizer para o resto da vida.Ainda há espaço cá em Portugal para o fazer, eu sei, procurem bem.
    2- Os termos “dar direito a” e “moralmente aceitável”… bom…ahhhehhh… Como todos os dias vemos na TV e demais media, para ter direitos basta querer, essa agora! ninguém nos tira os nossos direitos, e cada dia havemos de ter mais alguns para podermos pedir, e agora moral, moral!? as aulas de moral até já não foram abolidas? A moral não é assim uma coisa burguesa e absolutamente decadente? Em que ficamos? Qual a moral do autor deste manual? Tem problemas de consciência? Vá à confissão e lave o coração que isso passa.
    Pago as aulas do meu filho e julgava – ingénua! – que isso faria diferença, mas o professor (muito novo) também está infectado pelo vírus do P.C. – ficámos alguns, os que ainda conseguiram não adormecer para não serem tomados por estes bodysnatchers implacáveis do castrador politicamente correcto.

    Gostar

  20. 24 Outubro, 2008 14:16

    Isto é um livro do 7º ano? Pela quantidade de imagens pensei que fosse da pré-escola.

    Gostar

  21. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 14:22

    Chateia-me mais a proibição de alterar paisagens construídas por humanos e aquelas tretas de qualquer velharia ser considerada património histórico. qualquer dia , sem darmos conta , vivemos num museu.

    Gostar

  22. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 14:22

    Creio que estes livros fizeram foi muita falta aos pais das criancinhas.

    Gostar

  23. Miucha permalink
    24 Outubro, 2008 14:24

    Ah! Já me esquecia! Caraças! E para rematar o bolo com uma bela cereja, of course, a culpa maior e absolutamente irremissível é dos Amereicanos a aí está a capital do mundo ocidental por excelência, essa babilónia da perversidade ocidental decadente que é Manhattan. Nada de Aleixos nem Loures, que nós por cá lavamos mais branco (oops!P. incorrecto!) que Omo!

    Gostar

  24. 24 Outubro, 2008 14:50

    O autor do comentário 4 disse tudo: a fotografia devia ser de Loures. Se assim fosse, nada a aopor à mensagem. Só que a editora não pensa vender nos EUA e vende, de certeza, em Loures.

    Mas isto prova, também, que é um erro atribuir tanta importância aos efeitos da escolarização. Por muito que as escolas passem esta mensagem, a selvajaria não pára no que diz respeito ao ordenamento do território. Não vamos voltar ao “pré-Neolítico”, Helena. Nunca de lá saímos, mantendo as nossas exigências ao nível do que consideramos a sobrevivência da nossa “vidinha”.

    Gostar

  25. honni soit qui mal y pense permalink
    24 Outubro, 2008 14:59

    O preciosismo de ser uma fotografia dos “maus” de Manhattam , EUA é genial …
    Caracas, Pyongyang , ou Beijing não ficava bem .Alguem sabe lá onde é .
    Tinham de ver no Magalhães…

    Gostar

  26. honni soit qui mal y pense permalink
    24 Outubro, 2008 15:01

    12

    já lá vamos , já lá vamos …

    viu o trabalho genial que há decadas fazemos nas Escolas de Jornalismo.

    F.Anacleto.Louçã

    Gostar

  27. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 15:04

    Essas fotografias aparecem na página 10 e também deve ter uma foto da Amazónia.

    Gostar

  28. 24 Outubro, 2008 15:18

    18: ” a “culpa do homem branco” já vem sendo transmitida às nossas crianças. Teremos de ser nós, pais sem complexos de esquerda, a amenizar a coisa para que eles não se tornem cínicos guerrilheiros anti-ocidentais(.)(?)”

    Nem mais. Veja-se aqui como a história é “contada” num manual de Educacion para la Ciudadania recentemente editado em Espanha. EpC, História, Geografia… reduzidas a compêndios de uma nova moral.
    http://www.hazteoir.org/chequeescolar/?p=943

    Gostar

  29. jacques permalink
    24 Outubro, 2008 15:22

    a boa educação foi a das gerações anteriores, desde o extinto fasciscmo do estado novo a da geraçao da helena matos. Por isso estamos em posição tão priveligiada actualmente e com lideres e jornalistas de craveira excepcional.

    Gostar

  30. Filipe permalink
    24 Outubro, 2008 15:36

    “as perguntas colocadas no final do testo mostram-se de uma rétorica impagável.”

    Exactamente, como foi um texto cozinhado tem de ter testo.

    Gostar

  31. jacques permalink
    24 Outubro, 2008 16:03

    so temos de agradecer à geração anterior, livre destas funestas influências, por todas as rotundas, mamarrachos e estádios de futebol plantados a beira-mar, muitos deles em cima da praia, como que testemunho à posteridade da superioridade de uma educação modelar!

    Gostar

  32. 24 Outubro, 2008 17:48

    Como sempre a Helena usa uma perspicácia demolidora.
    Mas faltam o nomes dos autores deste evolucionismo (capitalista?).
    Supõe-se que o rapaz da enchada, sem lâminas para fazer a barba, seja agricultor no Zimbabwé, ou Irão-desculpem, estes usam pedras para treinar pontaria em mulheres metidas em sacos de batatas para agrado dos anti Bushistas doentes defensores da tradição contra a xenofobia- ou súbditos do Kim ou da tripla supersónica Hugo/Raúl/Fidel.

    Gostar

  33. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 18:05

    Os castores espanhois desviam as aguas do Tejo, alteram a paisagem e colocam em risco o nosso país. Quem lhes deu o direito de agir dessa forma? Será moralmente aceitável?

    Gostar

  34. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 18:09

    é a falta de quadros interactivos, é a falta do “migalhães” ou do e-escolas…é a falta do milú…mas a culpa toda é do Valty…

    Gostar

  35. 24 Outubro, 2008 18:38

    O livro pergunta se é moralmente aceitável… Não diz se é ou se não é.

    É impossível as criancinhas corroborarem uma tese que o livro não explana, mas enfim.

    Gostar

  36. lucklucky permalink
    24 Outubro, 2008 18:38

    O Ministério da Educação Soviético é um dos maiores desastres em Portugal.

    Gostar

  37. 24 Outubro, 2008 18:42

    «Noto já, com alguma preocupação, que o meu filho de 7 anos que frequenta o 2º ano (2ª classe), faz afirmações de preocupação ambiental, que se não pecam pela inicicitiva (educação ambiental tb é educação cívica – passa basicamente por não deitar lixo na rua, na praia ou no campo, assim como poupança energética – as nossas mães faziam-no de forma bem mais efectiva e era por causa do preço da electricidade e não por causa “da saúde do planeta”), fazem-me tremer de medo por causa dos chavões de culpa associada aos seres humanos e à humanidade em geral. Assim, a “culpa do homem branco” já vem sendo transmitida às nossas crianças. Teremos de ser nós, pais sem complexos de esquerda, a amenizar a coisa para que eles não se tornem cínicos guerrilheiros anti-ocidentais(.)(?)»

    Concordo consigo Miucha. Mas 2ª classe é bem diferente do 7º ano. Espera-se que já tenham um minimozinho de sentido crítico. Este caso que a Helena cria aqui, não tem comparação com esse. Se não começam a criar o sentido crítico com essa idade (13 anos), quando é que vão começar? Quando estiverem no 10º? No 12º? Na Universidade? Certamente a Helena terá uma douta resposta a essa questão.

    Gostar

  38. LPedroMachado permalink
    24 Outubro, 2008 19:22

    A escola desistiu de ensinar; agora só quer “educar para”: Educar para a cidadania, para o ambiente, etc. Repare-se que a página do livro está cheia de imagens, tem pouco texto, e pouco conteúdo informativo. Toda a informação serve apenas a veiculação da mensagem moralista. Não parece um livro de escola, parece um panfleto do Bloco ou do PC. No meu 7.o ano, os meus livros tinham muito mais texto. E não foi assim há muito tempo. O objectivo agora é educarem jovens “conscientes” mas incultos, sem sentido crítico, sem capacidade de pensar e argumentar.

    Gostar

  39. 24 Outubro, 2008 19:35

    «No meu 7.o ano, os meus livros tinham muito mais texto.»

    Até poderá ter razão. Só vemos uma página, mas aquilo parece-me ser uma página que resume qualquer coisa sobre a qual já falaram. Quanto a parecer um panfleto do Bloco ou do PC… é um pouco paranóia.

    Aquilo até nem diz mentira nenhuma.

    Diz que com a evolução do Homem, as paisagens foram-se modificando. Boa!

    A alteração de paisagens não assume uma proporção alarmante? Acha aquelas turbinas enormescas, que o Sócrates andou por aí a implantar, muito bonitas, é? Evidências.
    Quer ver que não acha que a maioria das cidades portuguesas não foram todas bem impermeabilizadinhas, por décadas de construção civil anárquica? Aquela bela cascata a despejar água para aquele bairro de Lisboa deve ter sido obra de Deus milagroso… Evidências.
    Ah espere lá, eu sei a resposta. Não foi Deus. Foram os safados dos comunistas.

    Choca-me um pouco, a mim que não passei por lá assim à tanto tempo, que tanta gente considere que os adolescentes não tenham (cada vez mais, cada vez mais cedo) um espírito crítico e tomem uma atitude de oposição à promoção do espírito crítico. Depende de como aquilo é explicado pelo professor? Mas é óbvio.

    Ou já estamos a dizer que os alunos são todos burros, estão condenados a ser burros e que os professores são incompetentes?

    Se a minha (aliás, já bem antes da minha) era a geração rasca, esta deve ser a geração super mega rasquíssima 6, não?

    Gostar

  40. Bonifácio permalink
    24 Outubro, 2008 21:28

    Começa assim, com textos inocentes que ensinam novas perspectivas.
    Nada mais eficaz, para futuros ditadores, que revelar “novas verdades” aos jovens. Estes, imbuídos de certezas que os tornam superiores a tudo o que é velho, cheios da arrogância juvenil que só ganha à medida que sentem o poder de transformar tudo e se livrarem da história e da velha moral que impede a acção, se transformam aos poucos nos soldados da revolução.
    Alguns acabam por ver a realidade, mas por medo se calam, outros, cheios de cinismo, buscam consolo nos empregos que os futuros ditadores criam para os satisfazer.
    Foi assim na revolução cultural! Foi assim na revolução russa! Foi assim na Alemanha Nazi!
    Querem saber quais são as futuras revelações que esta juventude, educada nestes novos valores e tão ciosa de ensinar os pais a separar o lixo, estará preparada para receber?
    Procurem informações sobre o Dr. Eric Pianka, biólogo especializado em vírus e répteis, para além de ser um dos pais fundadores da “Ecologia Evolucionária”. O tipo é financiado por gente muito poderosa. Pesquisem as suas fontes de recursos e descubram a teia de interesses.
    O site http://www.discoverthenetworks.org/ é um bom instrumento para compreender o que isso significa.
    Mas antes de fazer esta pesquisa, vos aconselho a pensar. A verdade é muito dura e os mais fracos podem quebrar.

    Gostar

  41. OLP permalink
    24 Outubro, 2008 21:36

    Esta padralhada faz perguntas venenosas e com resposta de sentido único e ainda há quem ache que não tenha lá a orinetaçao da resposta

    Gostar

  42. Bonifácio permalink
    24 Outubro, 2008 21:44

    Agora, vamos fazer umas contas absurdas. Hoje já não se sabe calcular e os putos não sabem o que perdem.
    Imaginem que toda a população do mundo, 6,7 bilhões, fosse metida no Estado do Oregon, cujo território é de 255.026 Km2. Teríamos 38 metros quadrados para cada pessoa.
    Quem fala de crise por excesso de população está completamente idiotizado ou tem agenda política. Basta uma viagem de avião a noite para desmascarar este mito. Só o Brasil sozinho tem condições, com a actual tecnologia, de alimentar algumas vezes a população actual.
    Lembrem disso quando começarem a falar em imposto mundial sobre o carbono e políticas mais activas de controlo populacional.
    Mas isso é o “plano A”. O “plano B” é ainda pior…

    Gostar

  43. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 22:25

    As criancinhas quando fazem o estudo da Civilizaçaão e do Determinismo Geográfico devem perceber que o homem, o animal mais inteligente que habita a terra, tem criado alguns problemas ambientais irreversíveis, tem construído cidades em cima de rios e de falhas,por exemplo, a terra geológica e biológica devia determinar as localizações, só que o homem não sabia, mas agora sabe e sabe que os gelos estão a derreter e que as inundações aumentam e sabe o porquê e é esta sensibilidade que a Geografia tenta transmitir às criancinhas no início do programa do 7º ano, sendo a Geografia o estudo e relação entre paisagens naturais e humananizadas.

    Gostar

  44. Bonifácio permalink
    24 Outubro, 2008 22:48

    Essa gente que vive para nos salvar adora falar de criancinhas.

    Gostar

  45. Anónimo permalink
    24 Outubro, 2008 23:00

    Eu não penso salvar ninguém, vim tentar ajudar a esclarecer o início do livro do 7º ano de Geografia, mas que sensibilizo os meus alunos para as questões ambientais lá isso sensibilizo e nada disto tem a ver com política, que o meu voto é incerto como os estados de tempo actuais.

    Gostar

  46. Bonifácio permalink
    24 Outubro, 2008 23:53

    Anónimo das 11,

    Não pensas em salvar ninguém?
    Então não és o homem que deseja que as cidades sejam construídas de acordo com “princípios científicos”? Se não é para nos salvar, então qual é a razão disso? Eu que estudei e não sou professor sei que nada disso é para nos salvar, salvação é só a conversa. A realidade é que querem nos controlar. O mundo que estás a ajudar a construir é lindo. Falemos dele e como lá chegar.
    Abandonemos então Nova Orleans, Viena, São Francisco e Lisboa. Que tal? Construir um futuro de cidades biónicas, eficientes, planeadas até o mais ínfimo detalhe. Albert Speer, Le Corbusier, Niemeyer e seus patrões aprovariam.
    Gelos a derreter? Com certeza somos nós os culpados, como deve também ser nossa a culpa do aquecimento dos outros astros do sistema solar, em especial Marte e as luas de Saturno e Júpiter.
    Com certeza o excesso de população e o uso de combustíveis fósseis deve ter alguma coisa a ver com o aquecimento verificado na Idade Média. Deve ser por isso que os vikings ocuparam a Gronelândia até o começo da nova pequena idade o gelo. Esta deve ter começado por causa da diminuição da queima de combustíveis resultante da utilização de novos carros mais económicos que os portugueses começaram a trazer do oriente…
    O pior é saber que alguém tão tóxico para o intelecto é professor. Sabes o que és? Um gigolô de putos!

    Gostar

  47. Anónimo permalink
    25 Outubro, 2008 00:27

    Para já não sou professor, mas professora, as escolas estão cheias de mulheres, como manda a tradição e o meu amigo quer discussão, mas está na hora da caminha, o excesso de população é efectivamente o maior problema na terra e dou-lhe os parabéns por entender isso, mais população, mais poluição, mais necessidade de solos,mais consumo e etc.etc, nada tenho contra os imigrantes, mas começa a chegar a hora de cada um tratar de si, embora a poluição seja global, mas já vi que o meu amigo era bom aluno a Geografia e tenha uma boa noite e tudo de bom para si e fique sabendo que os meus alunos gostam deste produto tóxico e tenho amigos em todo o lado em função disso,aqui na cidade do carrapau.

    Gostar

  48. 25 Outubro, 2008 01:05

    Isso é tão imbecil que é simplesmente inofensivo. Problema sério é outra coisa: a deformação deliberada do passado que se encontra, há muitas décadas, nos manuais de português e história. É ler o chorrilho de disparates que dizem sobre a civilização muçulmana na Hispânia, a reconquista, as cruzadas, os templários, a expansão europeia, a Inquisição, os jesuítas, Trento, a evangelização missionária, a contra-reforma, a revolução francesa, napoleão, sobre tudo o que directa ou remotamente tenha a ver com a Igreja Católica. Um exemplo do efeito analfabrutizador desta trampa de ensino têm-no neste quiosque na conspícua figurinha do postulante caa.

    Gostar

  49. Anónimo permalink
    25 Outubro, 2008 01:07

    Desde a Área de Projecto até à História o ensino unificado transformou-se em tempo de doutrina obrigatória. A própria Geografia não escapa à doideira. Esta imagem reproduz uma página dum livro da ASA para o 7º Unificado. Como é suposto as crinacinhas devem corroborar as teses explanadas no livro.

    dê-me por favor um exemple de um caso em que o ensino unificado não transmita uma ideologia e até posso tolerar a sua retórica distorcida. que eu saiba, o propósito último do ensino obrigatório (unificado) é e sempre foi formar cidadãos, sendo os critérios dessa formação dependentes da situação política e social dominante. creio que a helena deve ter aprendido que a mãe do joãozinho lhe remendava as roupas e o pai era um honrado trabalhador da lavoura. com a diferença de que na altura não lhe perguntavam o que achava sobre isso.

    Gostar

  50. Bonifácio permalink
    25 Outubro, 2008 05:01

    Cara Anónima,

    Só quero lhe fazer um pedido. Aprenda a escrever e pontuar antes de dar aulas, para não falar numas aulas de lógica e retórica para aprender a formular um argumento. Mesmo que continues a trabalhar para o mal, te fará bem. Poderás ser mais convincente. Mas não tenhas grandes ilusões; quid natura non dat Salmantica non praestat…
    Ao ler o seu texto me lembrei de Dante: Lasciate ogne speranza, voi ch’intrate
    Espero que não penses que é um elogio.
    Como não posso desenhar aqui, tentarei ser mais explícito, assim poderás entender a minha falta de esperança. Antes de tudo, uma declaração de princípio. A minha formação foi a história, mas estou longe de ousar me chamar de historiador, como um tipo na casa dos trinta que escreve num pasquim famoso.
    Todos os meus anos de estudo e o que vi de si me permitem dizer, com total honestidade intelectual, que se fosse obrigado a escolher entre a senhora e Átila, o huno, para educador das minhas crianças, escolheria Átila sem hesitar, e não é por ser homem.

    Gostar

  51. LPedroMachado permalink
    25 Outubro, 2008 05:48

    Atenção. Temos aqui uma professora anónima a comentar que defende que a ideologia política dominante formate o ensino.

    Gostar

  52. OLP permalink
    25 Outubro, 2008 09:28

    E que tal a pergunta (já que é tão importante perguntar)?
    Eu (Homem) pecador me confesso, desde os tempos do Neolítico, da alteraçao (irreversível) da paisagem?
    São os novos criacionistas do pecado agora culpa.

    Gostar

  53. mariana permalink
    25 Outubro, 2008 17:07

    atenção: o comentário 49 não é da mesma pessoa que colocou o comentário 47. fui apressada e não assinei.

    não sou professora, apenas consciente de que a escola formata – e formatará sempre – a consciência dos alunos. seja qual for a escola, seja qual for a época. é ridículo e inconsciente achar que se pode fugir a isso.

    Gostar

  54. mariana permalink
    25 Outubro, 2008 17:09

    ps. ao comentário 51: dizer a verdade não significa aprovar a verdade. gostava de saber onde é que constatar um facto implica a sua aprovação. enfim, condenar o mensageiro e não a mensagem…típico de uma mentalidade acrítica.

    Gostar

  55. 25 Outubro, 2008 18:20

    Eh, pá!… Se calhar está na hora de ir já fazer um TGV, duas pontes sobre o Tejo, outras duas sobre o Douro e retirar o pessoal que se atrofia labregamente nas aldeias e nas pequenas vilas de província para as luzes das grandes urbes!

    Gostar

  56. 25 Outubro, 2008 21:12

    Mariana

    Você escreve coisas diferentes nos comentários 49 e 53. Devia ter mais atenção ao escrever antes de dizer que me falta senso crítico.

    Gostar

  57. mariana permalink
    25 Outubro, 2008 23:47

    pois escrevo, senão diria que tinha repetido o mesmo comentário. simplesmente assinalei, antes que tomassem os meus comentários pelos de outra pessoa, que não sou a professora anónima que antes tinha falado.

    aprenda a ler as coisas como deve ser, se faz favor. obrigada.

    Gostar

  58. Anónimo permalink
    26 Outubro, 2008 00:04

    Obrigada, Mariana, é engraçado que mesmo anonimamente as pessoas são honestas, mais do que alguns dos nossos políticos, ao vivo. Para o outro palerma devo dizer que desconhecia ser proibido que professores participassem neste blogue. Sim, eu sei, os professores têm de ir trabalhar: determinar as taxas de sucesso e os seus objectivos individuais,…nada tenho contra o livro da Asa e o seu conteúdo é válido e verdadeiro…infelizmente. O seu cursozito de História deve ser aí de uma instituição prestes a fechar e só isso pode explicar a sua pequena dimensão planetária. Se não lhe responder, não se admire porque tenho mais que fazer do que discutir parvoices.

    Gostar

  59. 26 Outubro, 2008 13:59

    Não sabia que em Geografia era suposto ensinar uma qualquer moral.

    Gostar

  60. Anónimo permalink
    26 Outubro, 2008 17:09

    Mas qual moral? O clima da terra não está a aquecer? Existem cientistas que dizem que o aquecimento global nada tem a ver com a poluição, será? Dizem que os aquecimentos e arrefecimentos da terra são cíclicos.

    Gostar

  61. 26 Outubro, 2008 18:54

    Passou a ser proibido pensar, sobretudo se se anda na escola, é?
    A Helena Matos não tem nada de útil para fazer?

    Gostar

  62. Bonifácio permalink
    26 Outubro, 2008 19:01

    A exibição de falta de preparo da professorinha anónima é um triste reflexo da destruição do ensino. A lavagem cerebral feita há gerações, aliada à ignorância incentivada pelo facilitismo das faculdades contemporâneas, deu nisso. Há quem diga que a adição de flúor na água e de mercúrio nas vacinas também tiveram influência na queda do nível geral de inteligência, mas isso é para outra discussão.
    Imaginem como serão as próximas gerações, educadas por ignorantes cheios de certezas e mais interessados nos salários que em aprender, num ambiente onde os Pokemon, os Morangos com Açúcar e o hip hop são a referência comum! Não é por acaso que os senhores do mundo querem limitar a internet.
    Já nos meus tempos de Universidade, há cerca de uma década, tinha a impressão de que quase todos os alunos tinham alguma espécie de retardamento, e isso foi em Coimbra. Nunca liam algo para além das sebentas, e mesmo as sebentas eram lidas com má vontade. Gostavam mesmo era de assistir o Dragon Ball e perder tempo com idiotices como o carro da queima. Hoje eles dão aulas.
    Cada vez mais me convenço que a educação pública compulsória é uma violência. Devolvam o dinheiro ao povo, seus filhos da puta, vocês não tem nada para ensinar!

    Gostar

  63. Anónimo permalink
    26 Outubro, 2008 20:59

    O dinheiro ao povo e a terra a quem a trabalhar. Vá à M. e para o outro sítio também.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: