Skip to content

Como evitar os “ataques dos mercados”

27 Abril, 2010
by

Muito simplesmente, convencendo-os que sabemos fazer contas e gerir as nossas contas. Se estivessemos em equilíbrio orçamental o nosso rating seria muito superior e os “especuladores” estariam a comprar a nossa dívida e não a shortá-la.

Anos de irresponsabilidade financeira, de consumir acima do que se produz, de pretender criar um “estado social” com base no défice e na dívida, conduziram-nos a esta situação de pré-colapso. Para sair dela, há que fazer a quadratura do círculo:

  • Baixar impostos – o país não cresce enquanto os agentes económicos estiverem “esganados” com este regime de autêntica extorsão fiscal;
  • Baixar a despesa – mas de forma significativa e a partir do corrente ano. Há que definir um objectivo ambicioso que passaria por fixar uma redução, em termos nominais, não inferior a 5%. E a redução tem de ser transversal: salários, educação, saúde, despesas sociais, obviamente que com diferente graduação. E isto não se compadece com políticas de “paninhos quentes”. Daniel Bessa já deu o mote: há que privatizar educação e saúde, porventura a política mais de esquerda que hoje se pode fazer (sic), de forma a preservar apoios sociais a quem nada pode. Eu acrescentaria RTP (porque é que ninguém fala neste buraco?) e empresas de transportes. Teriam de ser “oferecidas”, mas evitavam-se custos futuros.
  • Ser ambicioso – o objectivo não pode ser um défice inferior a 3%, mas a obtenção de excedentes orçamentais duradouros, a única forma de se reduzir a dívida.
  • Mudar de paradigma – cancelar (diferente de adiar) todos os mega-projectos: aeroporto, TGV, 3ª e 4ª pontes, terminal de contentores de Alcântara, auto-estradas, energias renováveis. Querer alavancar o crescimento com investimento público é uma ficção.

Em suma reduzir o Estado. Não me chocaria um bloco central se fosse para aplicar um programa deste género.

Anúncios
113 comentários leave one →
  1. lucklucky permalink
    27 Abril, 2010 19:57

    Precisamente: “o objectivo não pode ser um défice inferior a 3%, mas a obtenção de excedentes orçamentais duradouros, a única forma de se reduzir a dívida.”

    Entretanto Passos Coelho tem este discurso tal qual o desastre Teixeira dos Santos: “o “ataque especulativo” de que o país tem sido alvo fere a soberania nacional.”

    Estão bem um para o outro.

    Gostar

  2. Talvez... permalink
    27 Abril, 2010 20:00

    A privatização da saúde e da educação seria um erro que os Portugueses pagariam caro, muito caro.

    Gostar

  3. 27 Abril, 2010 20:14

    Estava a ver o Jornal da Noite na SIC. O entrevistador pergunta a uma transeunte se se sente prejudicada com o facto de não haver transportes. A resposta é demolidora: «A mim não, talvez ao patrão!>/b>

    A nossa doença é muito, muito profunda.

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    27 Abril, 2010 20:18

    Sem dúvida.
    Mas o Mendonça Ferreira também está muito doente.Confrontado com as notícias do descalabro dos juros,não conseguiu articular uma crítica ao PM ou ao ministro da extorção,teixeira dos santos.Virou as baterias para o PR.
    Mais imundo que isto é difícil.

    Gostar

  5. Fuas Roupinho permalink
    27 Abril, 2010 20:22

    Um governo de salvação nacional e com os directorios do PS e do PSD bem afastados, pois foram estes dois partidos que levaram Portugal à bancarrota.

    Revogar as grandes reformas, mordomias, concessões, nomeações de clientelas!

    Acabar com todas as empresas públicas e municipais!

    Reduzir para 1/3 esta classe politica parasitária, incompetente e até corrupta!

    Racionalizar a função pública e reduzir os efectivos a 50%!

    Baixar os impostos e libertar a sociedade para trabalhar e produzir!

    Abaixo este socialismo/capitalismo de Estado que nos está levando à desgraça!

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    27 Abril, 2010 20:26

    Deixa lá.
    O papa-dos-pedófilos vem aí para salvar isto.

    Gostar

  7. Talvez... permalink
    27 Abril, 2010 20:27

    Acabar com todas as empresas públicas e municipais!
    Generalização contraproducente.

    Racionalizar a função pública e reduzir os efectivos a 50%!
    Função Pública? Que função pública, a das câmaras municipais? Não se esqueça que tudo, desde médicos, enfermeiros, oficiais de Justiça a funcionários camarários é funcionário público.

    Gostar

  8. tina permalink
    27 Abril, 2010 20:32

    “Entretanto Passos Coelho tem este discurso tal qual o desastre Teixeira dos Santos: “o “ataque especulativo” de que o país tem sido alvo fere a soberania nacional.””

    Realmente, não há solução para o país. Não falta muito para as obrigações de Portugal estarem como as da Grécia, ao nível de “lixo”, e ele ainda a falar de soberanias nacionais!…

    Gostar

  9. lucklucky permalink
    27 Abril, 2010 20:37

    Mais um ponto:
    Enquanto não houver preços verdadeiros nos transportes, saúde, educação, energia não se espere que haja boas decisões sobre o que quer que seja nestes domínios, são sectores com importância e dimensão suficiente para influenciarem outros e os desvirtuarem.

    Gostar

  10. JJ Pereira permalink
    27 Abril, 2010 20:38

    A solução estaria em varrer esta quadrilha de indigentes intelectuais a quem , por pura ignorância, se considera “governo e substituí-los por gente da têmpera de um Prof Ernâni Lopes ( ainda devem existira alguns…)
    Como isso é impossível no caldo de cultura em que vegetamos,preparemo-nos para um “Beresford” – devidamente revisto e actualizado, mas um “Beresford”, sem qualquer dúvida…

    Gostar

  11. lucklucky permalink
    27 Abril, 2010 20:41

    “Realmente, não há solução para o país. Não falta muito para as obrigações de Portugal estarem como as da Grécia, ao nível de “lixo”, e ele ainda a falar de soberanias nacionais!…”

    Ele está demonstrar ser um pateta mas o nível do discurso está assim rasteiro, obrigar outros a nos emprestarem dinheiro não faz parte certamente dos nossos direitos de soberania.

    Gostar

  12. 27 Abril, 2010 20:41

    Discordo só da privatização de saúde e educação. Prefiro um modelo de liberdade de escolha, como proposto por Pedro Passos Coelho.

    Gostar

  13. Talvez... permalink
    27 Abril, 2010 20:44

    Como isso é impossível no caldo de cultura em que vegetamos,preparemo-nos para um “Beresford” – devidamente revisto e actualizado, mas um “Beresford”, sem qualquer dúvida…
    Portugal ainda tem gente capaz. Gente de outra geração, talvez, mas gente capaz.

    Gostar

  14. castanheira permalink
    27 Abril, 2010 20:46

    Para fazer cortes na despesa e serem aceites pelos portugueses terão que começar por reduzir a classe politica e suas mordomias (pensões vitalicias aos 40 anos; pensões duplas e triplas milionarias ;acabar com os boys que proliferam por todo o lado ;etc).Extinguir as dezenas de institutos , fundações , observatórios , comissões varias, empresas municipais, governos civis , muitos municipios e freguesias , tão inuteis quanto gastadoras.
    Sem este exemplo do proprio estado os portugueses não aceitarão qualquer redução !Têm de dar o exemplo tal como fez a irlanda.

    Gostar

  15. 27 Abril, 2010 20:55

    .
    SUBIU APROX 14% NUM SÓ DIA !!
    -Cost of Insuring Portugal Debt Hits Record High
    http://moneynews.com/Economy/portugal-default-debt-insuring/2010/04/26/id/356880
    .

    Gostar

  16. JJ Pereira permalink
    27 Abril, 2010 20:55

    Aguarda-se “uma palavra” do “reputado economista” que, nos tempos que correm, ocupa Belém, quanto a esta situação
    O seu propalado amor à “estabilidade” levou-o a manter um bandalho ignaro,incompetente e corrupto, e repectiva coorte, como PM – com as consequências que já se adivinhavam…

    Gostar

  17. 27 Abril, 2010 20:59

    Convencer os “mercados”? Quem é “os mercados”? Falamos da coisa como se fosse gente.

    Deverá querer dizer “convencer os especuladores”. Mas mal de nós se a saúde da nossa economia depender da nossa capacidade de sensibilizar especuladores.É que os especuladores e os mercados tratam-nos da saúde.

    Estaremos então na mão dos especuladores e dos “mercados” bolsistas, esses casinos. Algo cheira mal no Reino da Dinamarca. Não sei o que esperam os políticos para começar a pôr ordem nos mercados.

    Entretanto oremos à Moodys e à S&P. Santas agências de rating.

    Gostar

  18. smile permalink
    27 Abril, 2010 21:17

    Atenção senhores jornalistas
    Deslumbrados com o grande capital
    Privatizações e aldeia global

    Serão os senhores jornalistas os primeiros a passar mal
    Quando deixarem de existir funcionários públicos que comprem o vosso jornal
    Pois quem trabalha no privado não tem tempo para ler o jornal
    Só os patrões! Mas esses não são suficientes para manterá tiragem do jornal
    Por isso vai fechar muito jornal

    Gostar

  19. 27 Abril, 2010 21:33

    Ó caro Smile, não está a pensar nos jornais desportivos, pois não?

    Para esses há sempre tempo para os estudar.

    Graças a Deus.

    Gostar

  20. 27 Abril, 2010 21:35

    Por falar nisso.

    Há muito tempo que o CAA não fala do FCP.

    Assim não temos verdadeiros debates acalorados.

    Gostar

  21. ega permalink
    27 Abril, 2010 21:38

    mais uma vez o pensamento formatado, a lenga lenga costumeira. Para todas as maleitas a causa é sempre a mesma! então os fundos da segurança social são excedentários e está em causa o estado social?

    Gostar

  22. Sicília Ocidental permalink
    27 Abril, 2010 21:43

    #18

    Há muito que os jornais não dependem dos leitores.Estariam todos falidos.
    Vivem da publicidade institucional.
    Pergunte aos governantes e autarcas como conseguem tão boa opinião publicada enquanto arruinam o país e enriquecem súbitamente perante os olhos de toda a gente.
    Os políticos são os pastores e os mérdia são os cães que ajudam a conduzir o rebanho à degola.

    Por outro lado,os jornalistas dependem apenas da sua submissão aos empresários,patrões da comunicação.
    Ainda não reparou que dizem todos o mesmo?
    A comunicação está normalizada e domesticada.Não precisam jornalistas,apenas empregados de escritório dóceis.
    Como se pode falar de jornalismo? Isso foi o que tentaram fazer,melhor ou pior,o jornal de sexta da TVI e o SOL.
    Viu o que lhes sucedeu?
    Até grande parte da população recitava as críticas que os corruptos,objecto das investigações jornalísticas,faziam,repetindo os mesmos termos dos Vitalinos e Santos Silvas.
    Os portugueses em geral vivem de mal com a verdade.Gostam de ser beneficiados,mesmo por processos ínvios.
    Admiram os que triunfam,mesmo usando ilicitudes,explorando as veredas da lei,cavadas pelos legisladores do regime.
    São gerações formatadas pela ideologia.A moral tradicional foi afastada e hoje é um corpo estranho.
    Em 1999 receberam o presidente chinês tranquila e consensualmente,apesar da morte e tortura,da escravização de massas serem a doutrina do Grande Leão.
    Sócrates recebeu Mugabe e foi pacífico para a plateia política.
    Receber o Papa é alvo de guerrilha,quando as acusações que pendem sobre a Igreja são anteriores ao seu exercício e exteriores à sua pessoa.
    Melhor recebida foi a notícia de que políticos acusados por numerosas testemunhas,desses mesmos crimes continuam em funções e outros representam o país junto de organismos internacionais,recebendo vencimentos milionários e regalias de marajás.
    Que fazer de um país assim?

    Gostar

  23. anti-comuna permalink
    27 Abril, 2010 21:46

    Eu não percebo nada.

    Então criticava-se as agências de rating porque foram benévolas (isto para ser mais benévolo também) com alguma dívida-lixo. Que elas não tinham sido exigentes nos seus critérios de avaliação e davam altas notações a dívida-lixo.

    Agora que as agências tornaram-se bastante exigentes, até descem duas graduações à nossa dívida, são ctiticadas por serem demasiado exigentes?

    Vamos lá alinhavar melhor esse discurso, que isto está pelas horas da morte. eheheheheh

    anti-comuna

    Gostar

  24. Time is near permalink
    27 Abril, 2010 21:52

    Convencer mercados é o que o pior ministro das finanças da UE tem tentado fazer.
    Pensa que o mercado do dinheiro se deixa embalar em aldrabices,como por cá fazem com tanto sucesso.
    Num dia prometem não subir impostos.No dia seguinte estão a subi-los e voltam a ser eleitos após mentira,atrás de mentira.
    O ùnico milagre que conseguiram foi aumentar a dívida para manterem um nível de despesa incomportável.
    Os mercados não se comportam como os eleitores PS.Ahaha.Eles analisam números e percebem muitas vezes quando eles são “martelados”.Ahaha!
    Estes trapalhões vão cair por pressão exterior.se fosse por eleições nunca de lá saíriam,mesmo que houvesse dez milhões de desempregados,haviam de encontrar sempre um esquema.
    Ahaha!

    Gostar

  25. Wyrm permalink
    27 Abril, 2010 21:54

    “há que privatizar […] a saúde”

    desde que não fiquemos como um país desses aí muito liberais e prósperos onde milhares de pessoas morrem anualmente por lhes serem negados cuidados médicos… vocês de facto vão ficar com muito sangue nas mãos…

    Gostar

  26. Vale de Lobos permalink
    27 Abril, 2010 21:56

    A questão fundamental é de confiança. Ninguém acredita nos nossos ministros. É tempo de nos deixarmos de governantes inúteis. Sócrates e companhia devem ser demitidos e substituídos por pessoas competentes! Já deram provas bastantes de que não sabem dirigir o país!

    Gostar

  27. Pois é... permalink
    27 Abril, 2010 22:01

    Quando um povo deixa-se governar por um bando de macacos, o que é que devemos fazer a esse povo?

    Gostar

  28. anti-comuna permalink
    27 Abril, 2010 22:02

    Visto bem as coisas, até tem piada. O subprime tinha ratings 3 As. Dívida de um país socialista, pouco mais que graduação-lixo.

    Mais dois mesitos e chegaremos a dívida-lixo.

    Porreiro, pá!

    anti-comuna

    Gostar

  29. Paulo permalink
    27 Abril, 2010 22:03

    Nem se percebe o fundamento com que pretendem privatizar a saúde.
    Há modelos sobejos de sistemas de saúde que funcionam bem sem que se privatize.
    Mas isso iria contra a vontade de acumular fortuna dos tubarões do negócio.
    Até os americanos arrepiaram caminho,embora tarde.Muita gente morreu sem assistência.
    A educação e a saúde de um povo,na minha opinião(por pouco que valha),deve ser promovida pelo Estado.
    A razão do descalabro financeiro do país é outra e essa não se vê discutida.Há muita gente com as mãos sujas.

    Gostar

  30. anti-comuna permalink
    27 Abril, 2010 22:05

    Eu tenho ideia que é preciso perguntar ao Jorge Sampaio como evitar a falência. Ele disse que havia mais vida para além do défice, não disse? Se o disse é porque sabia do que falava. Se ele conseguiu chegar a PR…

    Bem vistas as coisas, país estranho este. Um banana chega a PR e o arquitecto-amadr chega a PM.

    A S&P até foi amiga dos portugueses. Porque, um povo que escolhe para PR o Sampaio, e para PM o Pinócrates, tabém é porque não regula bem da tola. Nem é de confiança, logo…

    anti-comuna

    Gostar

  31. Zé Portuga permalink
    27 Abril, 2010 22:07

    Anti-Comuna,dois meses para se tornar lixo.E quanto mais tempo para descer os outros degraus e chegar ao nível do governo que temos? Tem previsão?

    Gostar

  32. 27 Abril, 2010 22:10

    «convencendo-os que sabemos fazer contas»
    Sabemos fazer contas, quem? Os licenciados da Independente?
    Tivessem sabido ouvir o Velho Medina do Restelo.
    Agora é tarde.
    Sempre podem sair do euro e desatar a fazer notas.
    Já fizemos assim no século XIX.

    Gostar

  33. Pete permalink
    27 Abril, 2010 22:12

    #12 “Discordo só da privatização de saúde e educação. Prefiro um modelo de liberdade de escolha, como proposto por Pedro Passos Coelho.”

    Liberdade de escolha … isso é um modelo para países ricos.

    Gostar

  34. anti-comuna permalink
    27 Abril, 2010 22:12

    Ironia do destino. A S&P baixa duas graduações á dívida portuguesa, não apenas pelo descalabro orçamental, mas sobretudo porque, veja-se bem a coisa, Portugal poderá não crescer tanto como o governo prevê.

    Por outro lado, países como a Inglaterra, com um crescimento da dívida pública e da despesa pior que Portugal, continua a poder financiar-se baratucho, porque prevê-se que possa crescer relativamente bem. Mesmo que o crescimento afinal seja mau, a Inglaterra terá sempre uma graduação superior à nossa.

    E curiosamente, o governo português até está a ser conservador quanto ás suas previsões de crescimento e no entanto é penalizado por isso. lololololol

    Um espectáculo!

    anti-comuna

    Gostar

  35. Pois é... permalink
    27 Abril, 2010 22:18

    Ainda há gente tola que pensa que a situação se resolve com uma reunião do Inginheiro da Treta com o Passinhos Coelho!

    Mas vocês estão todos grossos?

    Um golpe de estado e prender a camarilha que nos roubou e que vai pôr os nossos filhos a pagar juros altíssimos, é a solução!

    Como foi em 25 de Abril de 1974!

    Gostar

  36. anti-comuna permalink
    27 Abril, 2010 22:20

    A S&P no entanto tem que merecer algum desconto. Porque se ela tivesse sabido que o líder da oposição está mais preocupado com os especuladores do que em cortar a despesa pública, então a notação caia 3 ou quatro graduações.

    Entretanto o nosso ministro da informação, perdão, das finanças, enquanto bebia um sumo de coco, anunciava que os mercados nunca mais seriam sossegados, faça o que ele fizer.

    Pois não. Os mercados não sossegarão enquanto ele estiver à frente dos destinos das finanças portuguesas. Se o FT uma vez o considerou o pior ministro das finanças da Europa, em breve o considerará o pior do mundo.

    Teixeira dos Santos, o homem que esteve ligado ao descalabro de 95 a 99, conseguiu ainda fazer pior. Conseguiu levar o país à bancarrota! É obra!

    Um dia destes, em frente ao edíficio-sede da Merril Lynch, vão erguer uma estátua ao Teixeira dos Santos, o homem que levou Portugal à bancarrota. lolololololol E contribuiu para o aumento dos bónus em 2010! eheheehhehheh

    anti-comuna

    Gostar

  37. Anónimo permalink
    27 Abril, 2010 22:27

    É bem dito. Mas governo não pensa assim, ministro ou secretário, além de luvas, ainda quer nome, ficar para a história como quem mandou fazer aquela ponte, o aeroporto e algum freeport que se veja.

    Gostar

  38. 27 Abril, 2010 22:27

    Será a liberdade de escolha assim tão dispendiosa? E porque não aumentar então as taxas moderadoras? Ou dividi-las em escalões?

    Gostar

  39. Portela Menos 1 permalink
    27 Abril, 2010 22:29

    O Euro foi criado à imagem e semelhança do Marco alemão e Portugal, desde a sua entrada na zona euro, tem vindo a perder competitividade. A questão dos “especuladores” não é um problema SÓ da Grécia e de Portugal, apesar dos países menos competitivos serem o elo mais fraco deste muito diferenciado mercado único.
    Tudo isto parece evidente e demasiado simples. Mas o problema é o ataque ao EURO, enquanto moeda comum de mercados tão diferentes, seja pela dívida grega, o desemprego espanhol ou o deficit português. É claro que os alemães não vão deixar cair o “Marco”, nem que os gregos tenham que vendar 2-3 ilhas e Portugal hipotecar a Madeira.

    Gostar

  40. 27 Abril, 2010 22:30

    Privatizar a saúde?
    Credo!
    Que privatizem a doença.

    Gostar

  41. lucklucky permalink
    27 Abril, 2010 22:35

    “Nem se percebe o fundamento com que pretendem privatizar a saúde.
    Há modelos sobejos de sistemas de saúde que funcionam bem sem que se privatize.”

    Não há nenhum modelo publico no mundo que seja sustentável e todos têm fraca qualidade -vide as mortes por infecções. A privatização ocorrerá mais cedo quanto mais irresponsáveis os países forem a controlar custos, na maioria dos casos quer dizer Governos Social.istas…
    Nos EUA Obama vai acabar ainda mais rápido com o Medicare e Medicaid, e aquilo que ele fez aprovar é quase tão virtual como o nosso PEC, Orçamento e TGV’s.

    Gostar

  42. 27 Abril, 2010 22:38

    Enquanto persistem por aí uns coisos que optaram há muito pela parvoíce desmiolada e negacionista, eu tenho vergonha de ter um ministro das finanças alvo da humilhação em versão “parodiantes de lisboa” que se pode ver aqui.

    Vergonha. Vergonha!

    Gostar

  43. Talvez... permalink
    27 Abril, 2010 22:39

    todos têm fraca qualidade -vide as mortes por infecções.

    Vide Suécia e Dinamarca. Não generalize!

    Gostar

  44. Prof.Mamadou permalink
    27 Abril, 2010 22:55

    França? Canadá? Holanda?
    Digo eu,que nada sei…

    Gostar

  45. Prof.Mamadou permalink
    27 Abril, 2010 22:57

    Porque é que nos EUA os medicamentos são tão caros?
    Pergunto eu,que nada sei…

    Gostar

  46. Portela Menos 1 permalink
    27 Abril, 2010 22:57

    Eduardo F.
    também é preciso dar algum desconto ao “bifes” … para além de não tomarem banho frequentemente os tipos estão lá isolados na ilha, a olhar para a América, sempre com um pé na União e outro no canal da Mancha!

    Gostar

  47. Prof.Mamadou permalink
    27 Abril, 2010 22:58

    Porque é que nos EUA pode-se ficar sem nada,a dormir na rua,para pagar tratamentos hospitalares?
    Pergunto eu,que…

    Gostar

  48. lucklucky permalink
    27 Abril, 2010 22:58

    Nenhum país tem boas marcas em infecções. Só Hospitais.

    http://www.sweden.se/eng/Home/Society/Helth-care/Facts/Health-care-in-Sweden/

    “Another goal is to halve the incidence of health-care-related infection by 2010.”

    De qualquer modo o sistema Sueco é muito mais livre que o Português, por isso já seria uma evolução no bom sentido.

    Gostar

  49. 27 Abril, 2010 23:20

    Por falar nisso.
    Há muito tempo que o CAA não fala do FCP.

    Também anda um bocadinho calado com o seu ídolo Passos Coelho.

    Gostar

  50. 27 Abril, 2010 23:25

    Estão todos piores que nós.

    E ainda por cima não nos querem emprestar dinheiro.

    P’ra mim eles estão com inveja.

    Gostar

  51. oráculo permalink
    27 Abril, 2010 23:30

    Vai mesmo acabar mal, pior do que pensam.
    Alguém virá arrumar a casa, não fala português mas também não está á espera que os entendam.
    Eles conhecem-nos, nós não nos conhecemos.
    Já dura há muito e já é tarde.
    O corralito foi menos mau, a Argentina mesmo assim é um país, ergue-se sob escombros e julgam alguns, não é um protectorado.

    Gostar

  52. Farolencarnado permalink
    27 Abril, 2010 23:34

    Cada país tem os ZÉzitos que merece!
    Nós temos o ZÉ Sócrates….a maioria já nem vota…tanto lhe faz como lhe fez.
    Tanto faz que lhe privatizem a Saúde como não….já nem as Taxas Moderadoras podem pagar daí as recentes ISENÇÕES…..
    Até quando?

    Gostar

  53. 27 Abril, 2010 23:37

    Caro Portela Menos 1

    Essa é de facto a história deste a criação da CECA e depois da CEE e agora da UE. Mas os “bifes”, conforme os designa, sabem bem o que significa ser alvo de especuladores e há muito – desde a II GG – que os americanos se estão nas tintas para ajudar a libra…

    Gostar

  54. tric permalink
    27 Abril, 2010 23:38

    “Em suma reduzir o Estado. Não me chocaria um bloco central se fosse para aplicar um programa deste género.”

    Um Governo de Salvação Nacional, please! eu espero que amanhã na reunião Socrates e Passos se dirijam depois à Presidencia da Republica, para o mandatar a formar um Governo de Salvação Nacional…poupava-se tempo e tempo é $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    Gostar

  55. MDN permalink
    27 Abril, 2010 23:42

    Privatizar saude, educaçao, transportes…etc Pessoalmente concordo com grande parte do post, mas a verdade é que muitas familias ja lutam para sobreviver neste momento, muito pior seria se tudo fosse privatizado. A universidade é publica e o ensino deveria ser gratis, no entanto as proprinas ja vao em 1000 euros e todo s os anos sobem aos 200 euros. Se privatizarem tudo isto não sei se as não vamos estar a afastar o direito a educaçao saude etc. Quanta a esta ultima, se um hospital como o do Porto deu 8M de luro, é porque esta é viavel, e se um deu tanto lucro e os outros deram prejuizos, acho que é melhor analisar o porque e implementar essas medidas, ou ate ver quem esta a esbanjar ou a puxar a brasa para a sardinha… Reduzir custos sim, mas muitos serviços publicos não podem ser privatizados, precisamente porque a sua necessidade, esta no nome, é PUBLICO. E não para alguns afortunados. Muitos sectores publicos dao prejuizo e sao mesmo para dar…o problema esta na má gentao, no primo do irma do cunhado do amigo que pediu para o primo afastado emprego, e la se cria mais um departamento ou o diabo a 4. Reduzir seriamente a Administraçao Publica sim concordo, Privatizar a RTP? Já vai tarde. Privatizar saude e educaçao? Penso que não, talvez fiscalizar e criar centros de apoio á gestao, tanto das escolas universidades como de empresas publicas, é para isso que temos Ministerio da economia ( ou talvez não ). Acabar com reformas milionarias dos politicos? Claro. Baixar os impostos tb será uma medida, ate porque aumenta los agora, e reduzir daqui a 3 anos, será voltar ao mesmo defice.

    Gostar

  56. Farolencarnado permalink
    27 Abril, 2010 23:42

    Caredo………………uma aliança de JSD´S!!!
    JOBS para os BOYS das JOTAS!!

    Cavaco tem juízo.
    Salva o País.

    Corre com o Sócrates e convoca eleições.
    Só nova legitimação do poder é que pode criar novo élan.

    Gostar

  57. Anónimo permalink
    27 Abril, 2010 23:52

    “Só nova legitimação do poder é que pode criar novo élan.”

    Pois…mais do mesmo.
    Antes de convocar eleições,que tal investigar onde param os biliões?
    É que assim as listas para o acto ficariam mais leves e os outros tinham medo,que vergonha não têm nenhuma.
    Continuar a apostar em vigaristas e canalhas não nos leva a lado nenhum.
    Não reclamar o dinheiro roubado ? Por alma de quem?
    Se um que chegou a presidente de Câmara tem um secretário,também ele pobre à partida,que goza de um património de milhões de contos,quanto não valerá o chefe?
    Dos que (se)governaram nem se fala.Os offshores não falam…mas há aí uns artistas que falariam…e têm muito para dizer!

    Gostar

  58. José Carlos Antunes permalink
    28 Abril, 2010 00:03

    ONDE PÁRA O DINHEIRO DA DÍVIDA PORTUGUESA?

    Gostar

  59. 28 Abril, 2010 00:11

    .
    O gajo do Irão e o da al-kaeda (é siim que se escreve ?) também atacam o Senhor A, o Senhor B, o Senhor C. Ideias, pensamento politico, isso não interessa. A questão é o Manel, o Jaquim, o Toino, o Zé, o Franklim. Tá-se bem, os fundamentalistas talibãs empranham pelos ouvidos. Lá e Cá. Cresçam, deixem de ser putos. O Pensamento abate tudo. É dos Livros anti-obscurantistas. São precisas é unhas.
    .

    Gostar

  60. Tolstoi permalink
    28 Abril, 2010 00:19

    Por inverosímil que pareça, não são os múltiplos casos que envolvem o primeiro-ministro que o vão destronar, o que vai conduzir ao seu fim governativo, é a situação económica e mais concretamente a necessidade de levantar a bandeira branca do pedido de auxílio financeiro à União Europeia e ao FMI. Desta vez Sócrates fica sem álibi viável, embora uma desculpa do género: situação internacional associada a vulnerabilidades não dependentes do poder politico, vá circular pelos propagandistas a soldo. Cavaco com a sua cooperação estratégica deverá ser colado à situação. QUERO OS CATASTROFISTAS PORQUE FALAM VERDADE, VIVA MEDINA CARREIRA.

    Gostar

  61. AMCD permalink
    28 Abril, 2010 00:23

    Os mercados atacam-nos (Teixeira dos Santos).
    Os mercados têm de ser convencidos.
    Os mercados olham para nós (Teixeira dos Santos).
    Os mercados têm sempre razão (Belmiro de Azevedo).

    Ui, ui os mercados.Que medo dos mercados.

    Esta é a economia do medo. Estão a tentar criar o ambiente adequado para tomarem as medidas mais impopulares: congelamento ou redução dos salários; despedimentos na administração pública; emagrecimento do Estado; privatização dos serviços públicos; cessação dos projectos e obras públicas, etc.

    Entretanto, oremos às santas agências de rating, para que se lembrem de nós nesta hora de aflição.

    Gostar

  62. menvp permalink
    28 Abril, 2010 00:27

    O Estado tem os seus defeitos… mas ficar à mercê da ditadura das agências de rating e da ganância dos especuladores será muito pior…

    Por aonde é que andam os principais culpados desta situação: as ‘Donas Brancas’ que andaram por aí a propagandear: «há mais vida para além do deficit»!?!

    Gostar

  63. R.I.P. permalink
    28 Abril, 2010 00:50

    É o que acontece a quem gasta o que não tem,quem vive do engano e da fraude.
    Quando se não sabe governar…há um momento em que se chega ao fundo do baú.
    Quem exauriu as finanças públicas vai pagar pelos erros? Não! Vão pagar os que os caucionaram sem se preocupar com as consequências.
    Sócrates foi um embuste.
    Desde o início não era difícil prever no que acabaria.Campos e Cunha bem avisou.
    Quando se tornou público que não tinha carácter,no caso do diploma e dos projectos,etc,ninguém se preocupou.
    Não se incomodaram de ter o governo das vidas de dez milhões de pessoas nas mãos de um homem assim…era a M.Moura Guedes que tinha uma expressão assim ou assado quando ilustrava aspectos inquietantes das actividades do gang.
    Pay time,comrades.

    Agora não é mais possível fingir que não tem consequências.

    Gostar

  64. tina permalink
    28 Abril, 2010 00:50

    “Ui, ui os mercados.Que medo dos mercados.”

    Os mercados são cautelosos, é o próprio dinheiro que está em jogo. Aposto que o próprio Teixeira Santos não compraria obrigações de Portugal. Como se pode esperar então que outros o façam?

    Gostar

  65. Planetarização, não globalização permalink
    28 Abril, 2010 00:56

    .
    Ora bem ‘trabalhar para aquecer’. É exacto. Os do Nortes quando estão nas neves trabalham para aquecer. Quando vêm para o quente afinal são iguais aos outros. Os tropicais e mediterraneos vão fazendo conforme o clima autoriza. E os escandinavos etc quando ficam mais perto do Equador são tão, ou menos trabalhadores, que os que lá nasceram. Filosofias baratas de compendio, não
    obrigado. Preferi andar por lá, do Polo ao Equador, do ocidente ao oriente, do norte ao sul. É verdade, já andei por lá há muitos anos. Outros, governanças à pressão ainda andam a descobrir: é legitimo investir neles quando já há quem saiba há muitop o que começam a andar a aprender ????

    Gostar

  66. Planetarização, não globalização permalink
    28 Abril, 2010 01:02

    .
    A ofensiva ‘politica’ da elite que se hospedou no Poder e ocupa a Governança contra esta história toda não é provincianismo. Pior, é de partir o coco a rir. Estão mesmo convencidos que no estrangeiro não vos passam um atestado de ignorância e alarvismo ? Já nem digo nada, desde que vi um porco a andar de mota na Praça de Londres, acredito em tudo ….
    .

    Gostar

  67. tina permalink
    28 Abril, 2010 01:06

    “Já nem digo nada, desde que vi um porco a andar de mota na Praça de Londres, acredito em tudo”…

    ahahaha!.. A minha versão é a andar de bicicleta no circo.

    Gostar

  68. Planetarização, não globalização permalink
    28 Abril, 2010 01:14

    .
    Fresquinhas contra ´a malandragem do ‘bota abaixo’ contra os especuladores que pediram emprestado sem terem nem sem saberem como vão pagar :
    .
    S&P CUTS PORTUGAL, LOWERS GREECE TO JUNK STATUS
    http://pragcap.com/sp-cuts-portugal-lowers-greece-to-junk-status
    .
    Isto é só cabalas, maridas dos cabalos …..
    .

    Gostar

  69. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 01:14

    Já vi um a fazer jogging em Angola…
    Deixem lá.Afinal Portugal agora é presença assídua na CNN todos os dias.Por causa da dívida,claro!

    Gostar

  70. tric permalink
    28 Abril, 2010 01:21

    nã se preocupem… os dois meninos de ouro, unidos, Socrates e Passos, vão salvar o país…o país esta bem entregue…a comunicação social, fodeu bem este país!!??…

    Gostar

  71. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 01:29

    “Sei que não é fácil conjugar a redução do défice orçamental com a preservação e melhoria das protecções sociais. Mas esse é um imperativo constitucional que um presidente não pode esquecer. E eu não esqueço.” Aproveitou também para parafrasear Jorge Sampaio, que um dia disse que “há mais vida para além do défice”: “Eu hoje acrescento: há mais vida para além do PEC.”

    Conseguem adivinhar quem é o génio financeiro,autor desta prosa?
    Alegre!
    Este é o homem que,pelas suas palavras vai conseguir reduzir o défice e ajudar toda a gente,
    Estamos salvos!
    Afinal há petróleo em Portugal.

    Gostar

  72. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 01:30

    Vai haver muita gente embalada no canto da sereia.Mais uma vez escolherão um vendedor de banha da cobra.

    Gostar

  73. Lapis azul permalink
    28 Abril, 2010 01:33

    .
    O uqe os ‘experts’ do Diário Económico cortam com o ‘lapis azul’ num humilde comentário ao titulo “Passos e Sócrates reunidos amanhã de urgência”.
    .
    “Se o homem sugerir que se demite, será que PPC mete ‘mete o rabinho entre as pernas e a viola ao saco’ e zarpa ?. Malhar outra vez na solução ‘todos unidos para mais Impostos e mais perseguição fiscal’ foi chão que já deu uvas e ’tá-se bem’ a muito instalado à conta dos Impostos e Desgraças dos outros. Faliu e com ela explodiram o Portugal Hoje. Quiçá o proprio Regime uma vez que o Sistema está a dar os ultimos soluços.

    Internacionalmente já ninguém aceita espertezas saloias ‘todos unidos para mais Impostos e mais perseguição fiscal’ por destruir ainda mais a criação de riqueza pelo Tecido Produtivo Nacional e acelerar ainda mais a insolvência Portuguesa”
    .
    E é a Verdade fora do universo de provincianos para os quais não ‘há mais mundo alem do umbigozito deles’. Querem o quê ?
    .
    Isto depois de mais um aniversário há dias do 25.ABR…..

    Gostar

  74. Ahahaha! permalink
    28 Abril, 2010 01:34

    1 – Vencimento de Deputados………………………………12 milhões e 349 mil €
    2- Ajudas de Custo de Deputados………………………….. 2 milhões e 724 mil €
    3 – Transportes de Deputados…………………………………. 3 milhões 869 mil €
    4 – Deslocações e Estadas……………………………………. 2 milhões e 363 mil €
    5 – Assistência Técnica ………………………………………. 2 milhões e 948 mil €
    6 – Outros Trabalhos Especializados ……………………….. 3 milhões e 593 mil €
    7 – Serviço Restaurante, Refeitório, Cafetaria…………………………… 961 mil €
    8 – Subvenções aos Grupos Parlamentares……………………………….. 970 mil €
    9 – Equipamento de Informática…………………………….. 2 milhões e 110 mil €
    10 – Outros Investimentos …………………………………… 2 milhões e 420 mil €
    11 – Edifícios……………………………………………………. 2 milhões e 686 mil €
    12 – Transfer’s Diversos……………………………………… 13 milhões e 506 mil €
    13 – Subvenção a Partidos repres. na AR………………… 16 milhões e 977 mil €
    14 – Subvenções Estatais p/ campanhas eleit…………… 73 milhões e 798 mil €

    http://forcemergente.blogspot.com/

    Gostar

  75. Joe permalink
    28 Abril, 2010 01:40

    Só a rubrica transportes de deputados dava para Portugal mandar um astronauta a Marte.
    Ehehehe!

    Muitos trabalhos especializados,como ler os jornais desportivos e fazer muitas comissões de inquérito que acabam em nada,muitas subvenções,pois então.
    Ehehehe!

    73 milhões para campanhas eleitorais,mais o que vem encapotado nas contas das empresas públicas,etc.
    Paguem parolos!
    Ehehe!

    Gostar

  76. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 02:15

    Nos EUA procuram-se os responsáveis pela crise financeira e fala-se em ganância.
    Por cá continua a telenovela socretina.

    Gostar

  77. Vade Rectro FDP permalink
    28 Abril, 2010 02:29

    “Considerando que «este é um momento decisivo» e que «o país tem que responder a este ataque dos mercados», o ministro defende que «é tempo de o Governo e os partidos, em especial o PSD, se entenderem quanto a isto: há que executar as medidas necessárias».

    «Não é tempo para querelas inúteis. Há que focar a atenção naquilo que é e deve ser prioritário para o país pois as dificuldades da crise ainda não acabaram e o que importa é ultrapassá-las o mais rapidamente possível a bem da robustez e solidez da recuperação económica e do reforço da competitividade da economia portuguesa», sublinha.”
    Teixeira dos Santos

    Depois de todas as asneiras e do verdadeiro harakiri,vem agora tentar dissolver as culpas do desastre.É isto o socialismo…
    Seis anos de arrogância e incompetência.Desdenhou dos avisos de MFL tentando achincalhá-la.
    Agora vem de mansinho.
    Não têm um pingo de vergonha.
    Não venha pedir consensos para sugar ainda mais os que de nada têm culpa e já vivem na miséria.

    Gostar

  78. REVOLTA POPULAR permalink
    28 Abril, 2010 03:12

    Comecemos por correr com os LADRÕES da política.

    O mais recente: INÊS DE MEDEIROS

    http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=AD9838FD-3EF1-474E-ADA6-3A79E9841174&channelid=00000090-0000-0000-0000-000000000090&h=3

    Alguém sabe desta petição?

    Gostar

  79. 28 Abril, 2010 03:50

    Concordo com o post LR e com a maior parte das medidas propostas. Acrescento mais algumas que escrevi hoje no meu blog neste post:
    http://aesperancadoinconformismo.blogspot.com/2010/04/ataques-de-irresponsabilidade.html:

    1- Mexer nos impostos. Não aumentando os impostos, mas fazendo precisamente o contrário ou pelo menos tornando a política fiscal mais simples e transparente. Por exemplo como já proposto aqui: mexer com o IRS aplicando uma taxa de IRS única e positiva ou em alternativa pura e simplesmente abolir com o IRS taxando apenas o consumo via IVA (e aqui até se poderia eventualmente subir o IVA ligeiramente).

    2- Baixar a despesa pública mas de forma significativa. Isto por muito que custe a muita gente, implica cortes salariais no sector público, e cortes na saúde e educação (em Portugal está-se convencido que injectar mais e mais dinheiro na educação por si só faz milagres. os resultados estão à vista). Acrescentaria a privatização da RTP que é um buraco financeiro sem sentido algum e que é sempre uma arma política a ser usada por quem quer que esteja à frente do Governo, e da TAP, e de empresas de transportes públicos como a Carris ou a Refer que andam à anos e anos a acumular prejuízos à conta de preços abaixo do mercado subsidiados pelo Estado.

    3-Em suporte ao ponto 2 acabar com muitas das parcerias-público privadas pornográficas que o Governo Sócrates tem usado e abusado para mascarar as contas públicas.Ao passar responsabilidades que costumavam entrar no Orçamento de Estado para empresas públicas como a Estradas de Portugal, o Governo Português tem estado (de modo legal diga-se) a mascarar o verdadeiro défice público. À conta destes truques contabilísticos só nos últimos 2 anos as Estradas de Portugal viu o seu passivo aumentar uns pornográficos 1391%. Isto tem de acabar.

    4-Alterar a Constituição Portuguesa: Défices públicos deverão ser declarados como inconstitucionais. Portugal não pode continuar a viver acima das suas possibilidades, e sem crescimento económico sustentável. Em Portugal desdenhamos a poupança.Pior que isso, os nossos políticos estão convencidos que é o consumo que lidera o crescimento económico e não a poupança. Os nossos políticos desde o 25 de Abril que andam todos convencidos disto e ainda não conseguiram perceber, mesmo com todos os disparates que têm feito desde então, que esse caminho é o errado. O futuro de um Portugal sustentável só pode passar por um Portugal que seja rigoroso e que imponha a si própria a ambição de não ter défices, mas sim superavits. O futuro de Portugal só pode passar por um Portugal que tenha a ambição de estimular poupança, porque é a poupança que permite investimento futuro, que por sua vez permite ganhos de competitividade e aumento dos nossos níveis de vida.

    Gostar

  80. Talvez... permalink
    28 Abril, 2010 07:48

    Solução universal que não envolve privatizações: rigor. Rigor e exigência, em todos os sectores. Exigir não menos do que qualidade e rendimento às empresas públicas, nada menos do que os mais altos padrões aos hospitais.
    Culpados de Fraude e Corrupção deveriam ter todos os seus bens expropriados, a mesma pena para cartelizações.

    Gostar

  81. Ricardo Arroja permalink
    28 Abril, 2010 08:42

    “Mexer nos impostos. Não aumentando os impostos, mas fazendo precisamente o contrário ou pelo menos tornando a política fiscal mais simples e transparente. Por exemplo como já proposto aqui: mexer com o IRS aplicando uma taxa de IRS única e positiva ou em alternativa pura e simplesmente abolir com o IRS taxando apenas o consumo via IVA (e aqui até se poderia eventualmente subir o IVA ligeiramente).”

    Miguel Ferreira,

    Acho que o meu caro amigo LR não me vai levar a mal, mas, tenha lá paciência, essa é minha e do Portugal Contemporâneo!

    Gostar

  82. lucklucky permalink
    28 Abril, 2010 08:52

    A primeira coisa a fazer é tirar poder ao Estado Social.ista, foi o seu poder sobre os nossos recursos, incluíndo daqueles Portugueses que ainda não nasceram irão produzir que nos colocou na Bancarrota. Tem de se proibir os defices – excepto temporários em situações de catástrofe natural e não há aumentos na função publica enquanto existirem- que não são mais que empurrar para a frente custos actuais. Tem de se limitar na Constituiçãoo nível de impostos que o Estado pode implementar para não punir quem cria riqueza e para impedir que aqueles que vivem ás custas dos impostos votarem em bloco para outros lhes pagarem a contas.

    Depois sem preços verdadeiros em tudo ninguém aprenderá coisa alguma. Um mercado-ou seja pessoas não podem decidir correctamente sem saber o custo verdadeiro.

    O património do Estado tem ser entregue ás pessoas. Escolas aos Professores, o destrutivo Ministério da Educção pode fechar assim como vários outros, fica uma mera secretaria geral para fazer provas de aferição sobre as matérias básicas.

    Empresas Publicas fecham, se ouver alguma razão de excepção para existir alguma, as suas contas têm de entrar nas contas do Estado. As Parceria Publico Privadas acabam. Subsídios acabam.

    Sem o poder que tem hoje sobre os recursos o Estado não será tão corrompido nem corromperá.

    Para os mais desfavorecidos haverá cheques que podem ser gastos em coisas essenciais e até certo limite.

    Gostar

  83. lucklucky permalink
    28 Abril, 2010 09:12

    A única maneira de tirar poder ao Estado e mudar é o património que está no Estado ser entregue aos Portugueses, isto tem o benefício de aliviar as famílias, no período negro que se avizinha e como disse tirar poder ao Estado- Políticos – PS.

    Chamem-lhes se quiserem Privatizações Populares.

    Por exemplo CGD- os accionistas passam a ser cada Português e não o Estado. O mesmo para qualquer empresa publica- mas não se enganem muitas não sobreviverão porque são desastres económicos.

    Edifícios Públicos- Colocados em Fundos com cada Português com uma cota.

    As Privatizações Populares têm uma vantagem sobre as Privatizações normais, pois estas últimas acabam sempre por ser dinheiro fresco nas mãos de Políticos. Isto é, não há transferência de poder, o Político vende o que é de todos e fica com esses recursos que eram de todos para distribuir pelos seus ou comprar votos de uma clientela.
    Por exemplo os CTT serão vendidos para pagar a dívida? aha crédulos! talvez uma parte na melhor das hipóteses, outra parte ficará para o Político do momento ajudar a sua clientela.

    Gostar

  84. Pisco permalink
    28 Abril, 2010 09:28

    Nada irá acontecer. Os portugueses são mansos.

    Gostar

  85. lucklucky permalink
    28 Abril, 2010 09:42

    O problema dos mansos é que vão do 8 ao 80 sem passar por passos intermédios.

    Gostar

  86. tina permalink
    28 Abril, 2010 09:53

    “Seis anos de arrogância e incompetência.Desdenhou dos avisos de MFL tentando achincalhá-la.”

    Exactamente. Está a acontecer agora tudo o que a oposição avisou e que eles sempre ignoraram. E agora querem dar a ideia que o PSD contribui para fazer as coisas piores.

    Depois de terem causado tantos desempregados, pobres e emigrantes, Sócrates e Teixeira Santos ainda se dão a ares. Metem nojo. Se as pessoas prejudicadas por eles percebessem que foram as suas políticas de engano e irreponsabilidade que os levaram àquela situação, já tinham sido linchados.

    Gostar

  87. lucklucky permalink
    28 Abril, 2010 10:06

    A oposição não fez nada disso. A oposição comportou-se de maneira errática e disse umas coisas ás segundas, quartas e sextas e ás terças, quintas e sábados o seu contrário.

    Gostar

  88. Tolstoi permalink
    28 Abril, 2010 10:12

    Sócrates é um verdadeiro “artista” conseguiu assumir um défice de 9% quando poucos dias antes assumira 5% , ou mentiu para fins eleitorais ou em conjunto com Teixeira dos Santos é incompetente, não existe outra possibilidade; o país deveria desde logo ter-se manifestado.

    Gostar

  89. tina permalink
    28 Abril, 2010 10:46

    “A oposição não fez nada disso.”

    Lá porque o Lucklucky não gosta da MFL, não pode agora estar a desvalorizá-la. Foi ela que, mal foi eleita, começou logo a questionar as obras públicas. Foi ela que acusou Sócrates de se tornar o coveiro de Portugal, o que se tornou verdade. Foi ela que questionou o défice e nessa altura Teixeira Santos achincalhou-a e disse que “MANUELA FERREIRA LEITE ANDAVA DISTRAÍDA”. Foi ela que avisou do excessivo endividamento, em cartazes por Lisboa. Como pode vir agora dizer que a oposição não avisou?

    Gostar

  90. 28 Abril, 2010 11:14

    mas, ao que se assiste, não são ataques dos mercados. são sim ataques de especuladores e contra isto nem PPC nem MFL podem qualquer coisa… a Grécia tomou medias austeras que serão pagas com altos custos para os gregos, que protestam, e isso não impediu que os ataques continuassem…

    mais uma reunião que já devia ter sido agendada mais cedo e mais eficaz para defender a zona euro do que estes inúteis encontros domésticos:

    http://www.lemonde.fr/europe/article/2010/04/28/la-dette-grecque-ne-sera-pas-restructuree_1343692_3214.html

    se os alemães pensam que podem escapar ilesos destes ataques de especuladores, estão muito enganados… a Espanha e a França já andaram a lamber a areia do chão das bolsas, ou fazem alguma coisa de sério e consequente na Europa da zona e dos 27 ou os ataques serão cada vez mais cerrados… e vem aí uma presidência europeia pela Bélgica, que está cada vez menos capaz de se governar a si mesma.

    um artigo interessante:

    http://www.nytimes.com/2010/04/28/business/global/28euro.html?th&emc=th

    Gostar

  91. Sérgio permalink
    28 Abril, 2010 11:21

    Acho que o papá do luckylucky tem umas clinicas… É por isso que ele mente com quantos dentes tem…

    Gostar

  92. Sérgio permalink
    28 Abril, 2010 11:26

    E a saúde em portugal é má? Então o hospital privado não é o melhor do mundo e talvez de portugal? e o hospital da luz? então não há escolha?

    já agora como anda a saúde no chile? e nos estados unidos onde milhares morrem em casa devido aos luckylucky deste mundo?

    Gostar

  93. OLP permalink
    28 Abril, 2010 11:34

    O que se assiste são ataques dos especuladores…..
    Diria mais……
    Os “funcionários” das Isabeis dos Santos a dizer para a patroa que se quiser comprar a dívida daqueles rafeiros tugas, gastar o seu dinheiro neles, que pelo menos lhes leve um juro mais alto a ver se cobre o risco.
    Os rapazes fizeram os histórico dos tugas e dizem para a patroa.
    Senhora, eles além de já deverem quase tanto quanto produzem num ano inteiro ainda querem um aeroporto todo bonitinho, mais um comboio lindo até Barcelona e a senhora é que vai emprestar a juros baixos?
    Olhe que eles não pagam senhora!! Faz vinte anos que os parvos dos outros europeus lhes deram quase 200 mil milhões de graça e não lhes chegou. Foram pedir emprestado mais de 100 mil milhões e não fizeram nada de jeito com eles.
    A senhora pode emprestar, poder pode mas depois não diga que não avisamos.
    Disclamer- Isabel dos Santos como pode ser algum outro Rei da Arábia Saudita , ou mesmo um fundo Chinês.

    Gostar

  94. LM R permalink
    28 Abril, 2010 11:39

    Há poucos dias, dois comentadores escavacaram os seus dislates em torno da questão do novo aeroporto. Agora, persiste, como se nada se tivesse passado, com a teimosia dos néscios.
    Acha mesmo que é uma simples questão de “alavancar” seja o que for, dar condições mais atraentes para a expansão do Turismo, praticamente a única coisa (além de azeite) que ainda vamos sabendo fazer?

    Gostar

  95. 28 Abril, 2010 11:41

    já agora, porque é que em Portugal, o crescimento económico é tão fraco? já que agora é o argumento das agências de rating para justificar os ataques… não é propriamente a dívida que os preocupa, é o fraco desempenho económico do Tugal.

    uma grande parte da economia passa-se no informal, e quando assim não é passa-se nos offshores, em que a Europa da zona e dos 27 ainda não mexeu. temos uma economia de empresários ignorantes, incompetentes e com visão curta mais as escapadas e facturas de despesas aos montes para cortar nos lucros e consequentemente nas receitas fiscais.

    se o sector privado não investe e não cria riqueza, como ainda aumenta o desemprego e o Estado estiver na impossibilidade de fazer qualquer investimento, como é que o problema do crescimento se resolve? a desempregar uma parte dos funcionários, congelar-lhes as remunerações e baixar o nível de consumo interno, já fraco? os gregos baixaram os salários dos funcionários que ganham acima de um certo patamar, preservando os salários mais baixos. estariam os médicos, magistrados, professores e outros funcionários médios e superiores do Estado, dispostos a aceitar tais reduções? gostava de ver?

    não é tirar o Socras e por o Coelho ou a Leite que resolve estes problemas. por enquanto, o Coelho está muito satisfeito com o seu papel de líder de oposição, a coisa fiará mais fino, quando, se, porventura, o PSD ganhar as eleições…

    Gostar

  96. votoembranco permalink
    28 Abril, 2010 11:41

    Ora vejamos amigo João Miranda – não se constrói o TGV, a enésima ponte, o aeroporto, as auto estradas sem trânsito, etc.
    As empresas pato bravo do regime vão à falência porque sempre viveram à custa do estado e das respectivas “derrapagens”.
    1ª consequência – falência dessas empresas e o respectivo desemprego.
    2ª consequência – efeito dominó:falência do BCP e mais desemprego e mais dinheiro do estado para pagar as indemnizações aos depositantes.
    3ª consequência – risco sistémico.
    4ª consequẽncia – corralito – ??????????
    5ª consequência – …

    Como é que v/, amigo João Miranda, resolve este imbróglio?

    Gostar

  97. tina permalink
    28 Abril, 2010 11:48

    “Como é que v/, amigo João Miranda, resolve este imbróglio?”

    è simplesmente absurda a ideia de endividar o país para dar emprego às pessoas ou manter artificialmente a economia. Mais valia dar-lhes dinheiro directamente. Assim poupava-se em juros de dívida, em dinheiros mal gastos ou desaparecidos, em custos de administração e festas e fitas, e fazia-se a festa por uma quantidade ínfima do que custaria construir aquelas obras todas desnecessárias.

    Gostar

  98. votoembranco permalink
    28 Abril, 2010 11:59

    # 102 Tina

    Leu bem a 4ª e mais que possível consequência?

    Gostar

  99. tina permalink
    28 Abril, 2010 12:17

    O que está a defender é uma política de contínuo empréstimo para manter um país à tona em vez de acreditar que é possível ter um crescimento real e não ter de pedir esmola. Por exemplo, porque está o governo a cobrar impostos altos para depois investir em projectos sem retorno, em vez de baixar os impostos e deixar as empresas e as exportações expandirem? Isso sim, é que é crescimento real. Cavaco Silva disse que é ficção pensar que a economia pode crescer se as nossas exportações não crescerem.

    Gostar

  100. lucklucky permalink
    28 Abril, 2010 12:39

    “Lá porque o Lucklucky não gosta da MFL, não pode agora estar a desvalorizá-la. Foi ela que, mal foi eleita, começou logo a questionar as obras públicas. Foi ela que acusou Sócrates de se tornar o coveiro de Portugal, o que se tornou verdade. Foi ela que questionou o défice e nessa altura Teixeira Santos achincalhou-a e disse que “MANUELA FERREIRA LEITE ANDAVA DISTRAÍDA”. Foi ela que avisou do excessivo endividamento, em cartazes por Lisboa. Como pode vir agora dizer que a oposição não avisou?”

    A oposição disse tudo e o seu contrário. Quando se diz uma coisa e na semana a seguir o seu contrário não vale de nada.

    Sérgio depois os EUA não têm mercado na saúde, nem sequer um empresa no estado X pode vender seguros no estado Y. Os Americanos estão-se a afogar num mar de regras e regulamentos, nunca mais serão o motor económico do mundo enquanto não mudarem a sua maneira de fazerem política.
    Leia a peça da Atlantic, aplica-se a todos os países, é o retrato da Saúde ser ainda um sistema de subserviência entre o Doente e o sistema de Saúde qualquer que ele seja. Como não há informação não tem havido mercado na Saúde excepto de maneira muito incipiente. Nos escaparates temos sempre 2 ou 3 revistas de Carros com analises e críticas, mas não há nenhuma com analíses e críticas sobre o produto Saúde.

    http://www.theatlantic.com/magazine/archive/2009/09/how-american-health-care-killed-my-father/7617/

    Gostar

  101. votoembranco permalink
    28 Abril, 2010 12:47

    # 104 Tina

    Não defendo Tina!
    Estou a por uma hipótese não absurda de uma situação real ou seja: são as maiores empresas de construção civil do regime que mais dinheiro devem ao BCP.
    Quando estas falirem o efeito sobre a banca é de dominó.
    Com o tecido produtivo destruído pelo Cavaco e pelos que lhe sucederam ficamos sem ferramentas para uma já de si difícil recuperação económica.
    Se quer uma conclusão da minha parte sobre as consequências das políticas económicas desastrosas seguidas, no durante e após Cavaco, direi que não vejo forma de nos libertarmos do triângulo Mota Engil/Banca/Grandes escritórios de advogados.
    Mas isto sou eu a dizer…

    Gostar

  102. tina permalink
    28 Abril, 2010 13:33

    “Estou a por uma hipótese não absurda de uma situação real ou seja: são as maiores empresas de construção civil do regime que mais dinheiro devem ao BCP.”

    A história acabou de nos ensinar que não vale a pena prolongar situações deficientes com medo que o pior possa acontecer porque o pior acontecerá, mais tarde ou mais cedo.

    Gostar

  103. Amonino permalink
    28 Abril, 2010 14:38

    #93,
    Tina, bem dito. E quem é que instalou o Sistema de Finanças, aumento de impostos e represssão fiscal que Teixeira dos Santos ‘gloriosa e heroicamente’ cumpriu no 1º Governo Socialista ? E não foi com isso que se consolidou o descalabro do Tecido Economico Português ? Ora, ora deixe lá o Passado sossegado que são só ‘bolas fóra’. Para a ajudar na busca onde estão as fronteiras, concorre por exemplo este artigo, entre tantos:
    .
    -Ron Paul: Don’t call Obama a socialist
    Socialism vs Corporatism
    http://www.lewrockwell.com/paul/paul665.html
    .
    Resolver a Grande CRISE Nacional a MARCHAR a todo o vapor obviamente para o Grande CONFLITO Nacional já instalada,
    .
    ou através do Aumento de Impostos que promove ainda mais depressa mais baixas nos ratings internacionais de Portugal entrando-se numa espiral descontrolada,
    .
    ou através duma Forte Baixa de Impostos e revolução fiscal simultânea que gere finalmente um Tecido Produtivo Nacional Lucrativo que assegura que temos criação de riqueza sólida que torna SOLVENTE a divida externa POrtuguesa.
    .
    Ou seja pôr Portugal no Mundo o que não aconteceu nem na 1ª Republica nem na 2ª de Ditadura. Esta 3ª emulsionou o Republicanismo da 1ª Republica com o Totalitarismo da 2ª e eis o resultado final desse comodismo e oportunismo Politico-Partidário sem apelo nem agravo
    .
    Ninguém sonhe ou fantasie, o Mundo encostou esta 3ª Republica à parede, sem hipotese de perdões ou amiguismo. Chegou a hora da verdade inflexivel para a Governança que se hospedou no Poder em Portugal.
    .
    Não tenho alegria com isto. Mas é assim.

    Gostar

  104. Talvez... permalink
    28 Abril, 2010 14:42

    nem na 2ª de Ditadura

    No Estado Novo nem défice tínhamos…

    Gostar

  105. Sérgio permalink
    28 Abril, 2010 16:08

    Lucky,

    Obrigado pela resposta educada a umas tartes que eu atirei…
    Li o artigo e faz algum sentido.

    Em ultima análise eu estou-me nas tintas para a forma como a saúde é gerida, se pelo estado, por pivados ou mesmo pelo pai natal.

    O que eu quero é que quem não possa pagar tenha acesso ao mesmo nível de cuidados médicos que quem tem fortunas. Pode ser numa enfermaria com 50 camas e com pijamas de serapilheira, mas que a pobreza não seja também uma condenação à morte.

    E muitas vezes nem estamos a falar de pobreza… tem ideia de quantos americanos são lançados na bancarrota em caso de doença? tem ideia de quantos americanos não conseguem um seguro de saúde devido a condições pré-existentes?

    O que me satura é a saúde ser usada como disciplinador laboral… É brincar com a vida das pessoas e colocar toda a sociedade ao serviço de quem mais tem.

    Acabem com os subsidios de desemprego, liberalizem as leis laborais, faça a direita o que quiser, por mim estou-me nas tintas e concordo com muito do que dizem. Mas não condenem quem menos tem à morte…

    Sou utópico? talvez… mas é triste que nos dias de hoje a dignidade humana seja uma utopia…

    Gostar

  106. Rxc permalink
    28 Abril, 2010 16:11

    Mas se o ataque é especulativo e infundado, porque razão se reage a ele com medidas concretas?

    Gostar

  107. 28 Abril, 2010 17:02

    ora cá está o que eu já esperava

    http://www.elpais.com/articulo/economia/Standard/26/Poor/s/rebaja/escalon/calidad/deuda/espanola/elpepueco/20100428elpepueco_5/Tes

    e depois falem de medidas concretas, para acalmar os ataques!…

    Gostar

  108. 28 Abril, 2010 18:50

    .
    Os direitos civilizacionais da universalidade da Saúde, Educação e Reforma são irrevogaveis.
    .
    A forma dos praticar é que difere. Não os feriria se a Saude e a Educação fossem maioritariamente executadas pela iniciativa privada, social, religiosa ou cooperativa, em livre concorrência, restando ao Estado o papel de regulador e de pagador do ‘cheque-saúde’ e do ‘cheque-educação’ por ordem do Doente ou do Encarregado de Educação que escolheria livremente a Unidade de Saude ou a Escola que quizesse.
    .
    Quanto às Pensões e Reformas os invocados ‘quebra de natalidade’ e ‘maior esperança de vida’ não têm nada a ver com o problema da Segurança Social que tem sido atramancado com as maiores injustiças sociais entre Cidadãos dos ultimos 100 anos. Tem apenas a ver, além de excesso de gordura nas estruturas, com os mecanismos de financiamento que quando foram correctamente implantados serviam para uma realidade de natalidade e de esperança de vida dos anos 50/60 do seculo passado já lá vão uns bons 50/60 anos. Na realidade de hoje tem de se inventar um novo mecanismo de financiamento adaptado quer à natalidade, esperança de vida, poder de compra salarial e competitividade da Economia Portuguesa.
    .
    A unica solução com sentido é abandonar as comparticipações mensais de Empregados e Empregadores e substitui-lo pelo IMPOSTO SOCIAL NACIONAL a incidir sobre o total de cada, e toda, a facturação emitida em Portugal, situação a que tudo o resto em termos de valor e idade se terá de ajustar independentemente de anos de trabalho ou valor dos ordenados na vida activa

    Gostar

Trackbacks

  1. O Insurgente
  2. Então, e a estabilidade? « BLASFÉMIAS

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: