Saltar para o conteúdo

O género é que está a dar*

22 Maio, 2010

O género está para os dias de hoje como o pecado para a titi de A Relíquia queirosiana. A dita senhora via pecado em todo o lado e quase não perdoava ao Deus que tanto adorava ter dividido a humanidade em homens e mulheres, dualidade que estava na origem de todo o mal, segundo a mesma devota e riquíssima senhora. As novas titis não são proprietárias de meia Lisboa como era a titi de A Relíquia, mas também não vivem mal. Constituem um grupo profissional em franco progresso e bem estabelecido na vida, pois ninguém ousa questionar os seus cargos já que se tal acontece eles logo lançam a excomunhão do reaccionarismo, do preconceito e doutras coisas nefandas sobre quem os questiona. As novas titis dedicam-se às questões de género com o mesmo zelo que a pretérita titi dedicava ao pecado. Digamos que em cada época as respectivas titis procuram erradicar o que definem como pecado, definição essa que para nossa desgraça invariavelmente cai nos nossos corpos. Assim, antes as titis eram beatas e não se lhes podia falar de sexo. Agora são especialistas em questões de género e só se pode falar do sexo como elas determinam: de preferência numa terminologia epicena, sem masculinos nem femininos; com progenitores em vez de pais e de mães; pesso@s no lugar de homens e mulheres… Enfim, é disparate, mas é um disparate muito rentável: as faculdades encheram-se de especialistas de género que viajam para congressos sobre questões de género, onde fazem intervenções sobre género. Voltam de lá invariavelmente a dizer que temos de investir mais meios nas questões de género, intervir mais na vida das empresas, das famílias, das escolas e de tudo o que existe para eliminar as discriminações, a homofobia, o sexismo… e assim ininterruptamente vão aumentando o número de funcionários afectos às questões de género. Os partidos muito sensíveis “ao que está a dar” acham que devem falar sobre o género e ter deputados que fazem do género não só a sua temática preferencial como fazem do seu próprio género, ausência dele ou mudança dele o seu cartão-de-visita, quando não o seu currículum. Aliás, os parlamentos, associações e partidos ostentam hoje fulano que assume ser homossexual e cicrano transexual com o mesmo garbo exótico com que nas exposições coloniais de outrora se exibiam os chefes tribais africanos com as suas várias mulheres. Presumo que o género e toda a literatura que tem produzido deve dentro de alguns anos repousar no mesmo embaraçoso limbo onde pairam os milhares de estudos sobre a alternativa terceiro-mundista ao capitalismo ou as profundíssimas teorizações sobre a relação da psicanálise com a luta de classes, mas até lá, e tal como aconteceu com as anteriores temáticas, a questão do género mantém activa e devidamente sustentada esta legião de neotitis. E note-se que ainda vamos ter saudades da conversa do género porque, apesar de tudo, o género ou a falta dele ainda é um assunto da vida. Ora, como tudo indica que a morte, ou mais propriamente a eutanásia, é a causa de avanço civilizacional que se segue, não é difícil perceber por que ainda nos vão parecer felizes estes dias de hoje em que andávamos às voltas com as titis enquanto funcionárias do género.

*PÚBLICO

Obs. Como se percebe lendo a edição de hoje do DN as temáticas de género cumprem um papel inestimável quando  o a linha editorial está com a situação e a redacção tem de fazer de conta que está atenta à sociedade 

‘Morangos rebeldes’… mas pouco: Investigação analisa como homens e mulheres são representados nos ‘Morangos com Açúcar’

O meu nome não é o meu sexo

Portugal entra no roteiro do casamento homossexual

108 comentários leave one →
  1. dutilleul permalink
    22 Maio, 2010 11:39

    Magnífica comparação, magnífico texto.

    Gostar

  2. 22 Maio, 2010 11:39

    parece que aqui não está a dar muito…

    Gostar

  3. pardal permalink
    22 Maio, 2010 12:28


    É mais um nicho de mercado!
    Degenerescência de im de civilização…

    Gostar

  4. José permalink
    22 Maio, 2010 12:43

    Já escrevi por aqui em tempos: esta mentalidade que gera esta nova terminologia, vem de onde? Onde se forma? E principalmente com que objectivo?

    Há uma resposta sintética e simbólica: ISCTE.

    Gostar

  5. anónimo permalink
    22 Maio, 2010 12:45

    boa análise de circo, critica o passado e ataca o presente com os argumentos que acaba de rejeitar, um verdadeiro confronto de queirózes, eça vs carlos.

    Gostar

  6. José permalink
    22 Maio, 2010 12:53

    E tem uma raiz de fundo e que pegou de estaca: o ateismo militante, o jacobinismo e o republicanismo maçónico.

    Alexandre Herculano escreveu um ensaio sobre as causas de decadência dos povos peninsulares. António Sérgio ( que aqueles ocultam) também.

    Pois bem. Quem sobre isto escreve ou reflecte é logo apodado de reaccionário e fascista. Quem se atreve a mencionar sequer a palavra Nação é expurgado do convívio republicano maçónico.

    Este problema das nomenclaturas, designações e ideologias subliminares é um grande problema português e provavelmente a causa profunda dos nossos males actuais. A principal, porventura uma vez que radica aí a incapacidade em reter valores que são necessários ao convívio social harmonioso.

    O ateismo militante não deve ter o direito de se impor em decisões políticas como se tem imposto. Precisamente porque lhe falta legitimidade que nunca conseguirá alcançar tendo em vista a natureza do nosso povo.

    O jacobino Afonso Costa apostou em que desfazia essa natureza em dois tempos, ou seja em duas gerações. Viu-se: teve que fugir com o rabo entre as pernas para França e em Fátima, este anos estiveram lá perto de um milhão de pessoas.

    O jacobinismo consegue juntar tanta gente no 5 de Outubro?

    Gostar

  7. zazie permalink
    22 Maio, 2010 12:56

    ehehehe

    Escreveu isto no jornal? tem piada. Vão arrancar-lhe os cabelos.

    Quanto ao resto, o José já se antecipou e disse o que era preciso.

    Gostar

  8. anónimo permalink
    22 Maio, 2010 13:08

    só não lhe arrancam os cabelos porque o artigo é auto-esca(l)pe, não sendo exaustivo tem bué d’exautão subliminar de preconceitos. alugo divãs às divas das novenas dos arcos e outras flechadas fanáticas.

    Gostar

  9. José permalink
    22 Maio, 2010 13:09

    E nem sequer se poderá dizer que isto poderá ser uma fronteira para definir a direita ou a esquerda, porque o jacobinismo e o ateismo militante não se situam no espectro político definido à esquerda, necessariamente.

    Se formos pela expressão “tradição” pode haver quem assim o queira fazer, para acantonar e reduzir. Mas não é assim.

    Os valores fundamentais são universais e essa ideologia difusa acaba com um deles: o da tradição do povo que sente e se exprime em senso comum, no país e região onde nos situamos há séculos. Esse atentado contínuo a esse valor provoca disfunções graves na sociedade como são as apontadas, ao confundir géneros para os igualizar, sem atender a especificidades a costumes dignos ou a subtilezas de comportamentos sociais atendíveis.

    Gostar

  10. José permalink
    22 Maio, 2010 13:12

    Para além disso a maior desgraça é que importam tudo das centrais de compras do protestantismo que fundou outras tradições e países.

    Importam como se fosse material de enxerto imediato. Tal como as palavras e a nomenclatura que traduzem directamente de línguas estranhas à nossa e sem atender sequer à nossa riqueza linguística, muito superior a algumas dessas.

    Gostar

  11. anónimo permalink
    22 Maio, 2010 13:20

    este velho vive ainda no tempo do branco & preto, dia & noite, claridade & trevas e nem se quer se apercebe do contraste da nódoa.

    Gostar

  12. Journalismisdead permalink
    22 Maio, 2010 13:23

    A Helena escreveu no Público que está cheio de fufas (os)? Bravo. A palavra neotiti fez-me rir. Bom artigo.
    Curiosa a deriva semãntica da palavra “género” que já estava em uso na gente bem, dos anos 80: “não faz o meu género”. Agora com uso de antropologia urbana terceira ou quarta vaga.

    Gostar

  13. José permalink
    22 Maio, 2010 13:28

    ferreira: tenho para mim que velho deves ser tu. E muito.

    Gostar

  14. zazie permalink
    22 Maio, 2010 13:43

    Completamente fossilizado. Há-de ser o estado em que o bicho está.

    Gostar

  15. Pedro C permalink
    22 Maio, 2010 14:15

    Os guardiões da nomenclatura podre-dominante estão sempre atentos, não vá alguém conseguir desinfectar isto e lá se vai o seu aprazível poleiro.

    Gostar

  16. Fulano de Tal permalink
    22 Maio, 2010 14:36

    Helena, escreve-se sicrano em vez de cicrano. Corrija, por favor.

    Gostar

  17. Anonimo permalink
    22 Maio, 2010 15:50

    .
    Helena, no principio do sec XX também foi assim. Na Rua da Prata, na Rua do Ouro etc havia lojas de venda de opio com cadeirão e tudo. Em Berlim, ao contrário do que os afrancesados julgam, o seu artigo 100 anos depois era actualissimo.
    .
    E depois passou-se o quê durante o sec XX ? Cumpriu-se a intemporal roda, libertação-repressão-libertação-repressão, que nunca sai do mesmo. As tais ‘moscas’ dentro duma garrafa fechada. Esvoaçam para cima para baixo para a esquerda para a direita de lado de cabeça e de pernas para o ar mas do raio da garrafa nunca conseguiram saír.
    .
    Vamos lá ver se o sec XXI num é um martelar de qualquer um dos seculos anteriores. Repetições, repetições, repetições. Pelo menos ‘dasse’ que é cansativo.
    .

    Gostar

  18. Anonimo permalink
    22 Maio, 2010 15:57

    .
    Essa do Santana …. Só contaram pra você.
    Os roedores agora ensaiam vander ‘Santana’ como se fosse ‘sabão macaco’. Deixem o homem em paz. Já tem a dose dele quando foi 1º Ministro.~
    .

    Gostar

  19. 22 Maio, 2010 17:08

    Parabéns Helena Matos pelo texto. Trabalho numa área onde a hegemonia dos funcionários do género é quase total. Uns são degenerados, outros burros e outros simplesmente interesseiros.O pior de tudo é o Estado desperdiçar dinheiro com el@s.

    Gostar

  20. Euroliberal permalink
    22 Maio, 2010 17:18

    Grande texto. O fufedo jugular, que é especialista em explorar este nicho de mercado, torceu-se todo, mas só conseguiu, como resposta, emitir uma desengraçada receita para a putativa azia alheia, e mesmo assim sem caixa de comentários.. não se fosse descobrir a azia que por ali vai…

    Certos deputados (assistentes de Queer Theory !!!), se não fossem larilas, o seu único fond de commerce, estariam no desemprego, como inúteis sociais que são.

    Bravo Helena. Só lhe falta fazer um upgrade ferrando nas canelas dum género muito mais pernicioso, o género neoconeiro-sionista…

    Gostar

  21. floribundus permalink
    22 Maio, 2010 18:39

    não tarda muito temos a fogueira da nova inquisição
    PQP

    Gostar

  22. anónimo permalink
    22 Maio, 2010 19:14

    #14 – “Completamente fossilizado. Há-de ser o estado em que o bicho está.”

    nem queiras conhecer o avançado estado da fossilização, até tem uma placa à porta aconselhando a não tocar no bicho.

    Gostar

  23. OS TITIS DE SÃO BENTO permalink
    22 Maio, 2010 19:21

    AI,FILHA,AGORA QUE O TITI DE SÃO MIGUEL PASSOU A COBRIR AS COSTAS DO TITI DE MASSADA TODO O GÉNERO DE COISAS PODEM ACONTECER.ATÉ AS RATAZANAS DE ESGOTO PASSAREM A SER OS NOSSOS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO FAVORITOS.COITADAS, TAMBÉM MERECEM A IGUALDADE DO GÉNERO,UMA CAMPANHA CONTRA A DISCRIMINAÇÃO,UMA DUZIA DE CONGRESSOS INTERNACIONAIS,UMAS FUNDAÇÕES,PELO MENOS UMA EMPRESA PÚBLICA E UMA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADO,ALGUMAS CÁTEDRAS NO ISCTE E A CRIAÇÃO DO PRÉMIO RODRIGUES PARA O MELHOR COMBATENTE DESSE GÉNERO.

    Gostar

  24. anónimo permalink
    22 Maio, 2010 19:47

    o que vale são comentários tipo #24, elevam o nível do diálogo e abonam para as estrelas michelin.

    Gostar

  25. LúCi_Do permalink
    22 Maio, 2010 20:32

    Pode se enganar muita gente durante algum tempo. Pode se enganar algumas pessoas durante muito tempo.

    Os erros com o tempo mostram o que são, erros. Modas passam e o que parecia vanguarda não será mais do que passado em muito pouco tempo.

    Mas sobretudo, todo o espectáculo de Hollywood e afins não conseguirá esconder a indigência de muitos ´estilos de vida´…

    Na realidade, não há nada de novo debaixo do Sol…

    Gostar

  26. macmahon permalink
    22 Maio, 2010 21:18

    «Alexandre Herculano escreveu um ensaio sobre as causas de decadência dos povos peninsulares» (José).

    – Não José. Quem escreveu foi Antero de Quental.

    Gostar

  27. Anónimo permalink
    22 Maio, 2010 21:33

    Proponho o desaparecimento do conceito de género. Cada um poderá adoptar o nome que assim entender, e assumir perante a sociedade o género que lhe aprouver. Assim, o João poderá passar a ser a Carlota aos 30, e voltar a ser o João aos 50, para ser um híbrido vanguardista aos 60. Sugiro ainda que seja decretado o fim da família. As crianças serão produzidas em mulheres que farão disso profissão, e depois entregues a cidadãos que queiram adoptar. O número de crianças produzido por ano será adequado às necessidades populacionais de cada Império. A educação das crianças excedentes será feita pelo Estado. Nela não poderá figurar qualquer referência à Religião ou à Filosofia, bem como à Poesia e a alguma Literatura. A História será filtrada. A Educação incidirá essencialmente sobre a Técnica. Haverá uniões de homem e mulher, mulher e mulher, homem e homem, híbrido e homem, híbrido e híbrido, três homens, quatro mulheres, e todas as combinações que a vossa imaginação julgue possível. Eis o Brave New World.

    Gostar

  28. Ana C permalink
    22 Maio, 2010 21:39

    “Ora, como tudo indica que a morte, ou mais propriamente a eutanásia, é a causa de avanço civilizacional que se segue, não é difícil perceber por que ainda nos vão parecer felizes estes dias de hoje ”

    Eu até me acho liberal e não tenho tido muitas dúvidas em aceitar o casamento homossexual, adopção de crianças por casais gay.

    Mas confesso que quanto à eutanásia tenho medo da generalização. Até devido ao avanço científico e tecnológico que, de um dia para outro, faz saltar degraus e degrus que se pensava ter de subir primeiro.

    O tema da eutanásia é tão complexo – e os actos tão mortalmente definitivos – que não há margem para correcçõo de leis como nas outras questões a que temos assistido.

    Gostar

  29. anónimo permalink
    22 Maio, 2010 21:43

    “Não José. Quem escreveu foi Antero de Quental”

    que roubou as ideias ao herculano e que por sua vez o cagasentensas utilizou para justificar o contrário copiando a técnica no poste acima. complicado, nem por isso, pratica-se na feira de carcavelos colando crocodilos nas camisas triple marfel.

    Gostar

  30. A. R permalink
    22 Maio, 2010 21:54

    O neoconeiro-islâmico nazi e apedrejador de mulheres anda a vomitar porcaria.

    Gostar

  31. 22 Maio, 2010 22:35

    Esta autora é do pior que anda por ai…

    Quando em 2010 as mulheres na União Europeia ganham, em média, cerca de 18% menos, por hora , do que os homens, é porque o princípio “para trabalho igual, salário igual” ainda não se instalou.

    Quando em 2010 as mulheres não acedem a 1/3 dos cargos de decisão política e económica, é porque a estrutura de poder se mantém inalterada e perpetua os seus direitos e as suas perspectivas.

    Quem quiser de facto informar-se, há-de ter muitas estatísticas (http://w3.unece.org/pxweb/DATABASE/STAT/Gender.stat.asp), para além de directivas e legislação comunitária sobre o tema. E consta que os números não dependem das teorias queer, nem são larilas ou fufas e etc. como se diz por aqui.

    Ver uma mulher fazer analogias tão parvas como estas, e atacar desta forma quem estuda as diferenças que ainda estão bem patentes e nelas tenta intervir, é confrangedor para dizer o mínimo. Cospe nas dificuldades e lutas das mulheres que a precedem, e põe-se à margem das disparidades e diferenças de tratamento de que são alvo as suas contemporâneas. É de facto uma ave rara e um activo caído do céu para alguns grupos. Seria como se houvesse agora a ascenção de um blogger negro, levado em ombros pelos do PNR por ser a favor da supremacia branca…

    Gostar

  32. Bene permalink
    22 Maio, 2010 22:49

    O género é a alma do mundo, a par da luta pelo dinheiro.

    À parte isso, concomitante, diz o Jornal das 10 que há 6 milhões de obesos, em Portugal. Bela conta, a tomar-se a sério que há crise. Mas dois outros milhões já a antecedem, de pobres dos pobres, os famélicos. Uns e outros maioria benfiquistas.
    Restam mais dois milhões, nem obesos nem paupérrimos, por sua natureza económica sadios.
    E talvez que o PEC 2 ajude ao seu crescimento, com diminuição drástica dos gordos e leve acréscimo dos mais secos. Nem tudo é negativo.

    Gostar

  33. Euro2cent permalink
    22 Maio, 2010 23:56

    > as mulheres na União Europeia ganham, em média, cerca de 18% menos

    Então no futebol é a desgraça completa.

    Arre, ainda puxam destes argumentos ? E uma quota para canhotos de pele cor Pantone 239C e cabelo encaracolado, não há ?

    Gostar

  34. 23 Maio, 2010 01:18

    34. Euro2cent para além de não ter falado em quotas, falei em salário igual para trabalho igual.

    O seu argumento é estúpido porque fala de uma mesma profissão, mas de escalas diferentes, na medida em que o output do futebol feminino é qualitativamente inferior ao dos homens, levando a um menor número de espectadores, receitas de merchandising e publicidade, etc. O chefe de cozinha do El bulli ganha, e bem, mais do que a chefe de cozinha do restaurante na esquina da minha rua. Se acha que as questões e desafios do Género estão na agenda para que os dois passem a ganhar o mesmo, ou é ingénuo ou quer fazer-nos passar a todos por estúpidos.

    E mais. No contexto do futebol, aquilo acontece porque em média as mulheres são inferiores nos parâmetros que definem a excelência naquela profissão: velocidade, agilidade, força, altura, etc – todos físicos e largamente inatos.

    Transporte isso para a vida económica ou política, onde as questões físicas ou inatas não têm nem de perto nem de longe a mesma influência, e tente evidenciar que as mulheres são inferiores em termos técnicos ou académicos. A não ser que me diga que o âmago da questão não está aí e me diga que os homens têm qualidades “naturais” que os tornam melhores quadros médios, quadros superiores e/ou líderes…

    Gostar

  35. Anónimo permalink
    23 Maio, 2010 02:22

    DC,
    As mulheres ganham 99% mais dinheiro que os homens a praticar sexo.
    Será que os homens são inferiores nesta actividade?

    Gostar

  36. JLeme permalink
    23 Maio, 2010 05:44

    helenafmatos em 22 Maio, 2010

    Quase que tem razão: as tias são, desde sempre, um instituição social e, também desde sempre, representam o espelho da sociedade melhor ou a ralé – a gente sem educação social ou deseducada quer a todo o custo imitar as “classes” mais elevadas.
    É um facto: há classes sociais e nunca deixaram de haver.
    Repare. Têm-se em grande conta mas não há um deputado, um presidente da república que entre sequer em minha casa quanto mais para um almoço ou um jantar: como nunca ninguém me verá sentado à mesa com essa gentinha.
    Eles nunca aprenderam que à mesa – refeições, jogo, trabalho… – que se conhecem as pessoas.
    Seria a prova dos noves: são todos mal-educados, ignrantes e uns vígaros de alto coturno. Volta que não vira, arrotam e cospem na sopa…

    J.

    Gostar

  37. REVOLTA POPULAR permalink
    23 Maio, 2010 06:32

    Acontece que a titi da Relíquia tinha muito mais nível cultural e mental do que as novas titis.

    arrotar que é um passo civilizacional a possibilidade dos gays casarem é a prova da miséria mental do ditos.

    É QUE NÃO ESTAVAM PROIBIDOS DE SER GAYS E LESBOS!

    ERA SÓ O CASAMENTO QUE ESTAVA EM CAUSA!

    ISTO É CIVILIZAÇÃO?

    MISÉRIA MENTAL, SIM

    muito mais nível tinham as titis do séc XIX…

    Gostar

  38. REVOLTA POPULAR permalink
    23 Maio, 2010 06:39

    Entretanto, HÁ DEZENAS DE MILHAR DE IDOSOS QUE PASSAM FOME!

    Mas os “progressistas” não se preocupam com isso: SÓ VÊEM GAYS E LESBOS A CASAR!

    Isto sim é civilização para eles! que os idosos passem fome…não diz respeito à civilização do PCP, BE e PS!

    POis, claro, eles são da pedra lascada.

    gays e lesbos betinhos(as), sim.

    idosos esfomeados, que se safem.

    VIVA A ESQUERDA….PROGRESSISTA

    Gostar

  39. Daqui 20 anos veremos permalink
    23 Maio, 2010 07:42

    # Revolta Popular,

    Nem mais. Uma micro minoria que impõe a sua decadência e apela-a de virtude enquanto as famílias portuguesas vão sofrendo.

    Um espectáculo digno da esquerda progressista…

    Gostar

  40. 23 Maio, 2010 08:44

    A mai linda:
    «com o mesmo garbo exótico com que nas exposições coloniais de outrora se exibiam os chefes tribais africanos com as suas várias mulheres»

    Como o meu Pai dizia — e eu achava que eram os seus entusiasmos — «isto é um país de pretos!»

    Eu acredito que quando estalar a revolta — e será nas ruas — vai haver cenas horríveis para todos estes patológicos — os que são anormais e os que diziam que aquilo é normal.

    Parabéns Helena

    Gostar

  41. José permalink
    23 Maio, 2010 11:32

    Anónimo #30:

    Tem razão, enganei-me. Peço desculpa a quem enganei.

    Gostar

  42. Euroliberal permalink
    23 Maio, 2010 12:05

    Duas lésbicas judias foram nomeadas para o Supreme Court, onde há 4 (num total de 9) juizes judeus…

    http://www.henrymakow.com/obama_picks_two_jewish_lesbian.html

    Gostar

  43. Aderito Silva permalink
    23 Maio, 2010 12:08

    A proposito da publicação do casamento gay

    Gostar

  44. 23 Maio, 2010 12:34

    nas nossas sociedades ocidentais altamente civilizadas, ainda há e haverá muito disto:

    http://lisboacity.olx.pt/empresario-internacional-procura-a-sua-melhor-assistente-para-lisboa-iid-95534321

    mais isto:

    http://www.publico.pt/Sociedade/violencia-domestica-ja-e-o-quarto-crime-mais-participado_1432317

    será preciso, de facto, muita indulgência para promover a PESSOAS certos homens!!!…

    Gostar

  45. Colonizado permalink
    23 Maio, 2010 12:57

    Em resumo o que os gangues politicamente correctos nos querem dizer é apenas isto:fodam-se!

    Gostar

  46. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 13:27

    #42 – “Tem razão, enganei-me. Peço desculpa a quem enganei.”

    oh caga! só se pede desculpas quando o acto é involuntário, quando a coisa é um acto premeditado que não colou, chama-se sacanagem e não vai ao sítio com humildades postiças.

    Gostar

  47. José permalink
    23 Maio, 2010 14:09

    Esta criatura, feita abécula, passa o tempo todo, aqui, a comentar o que escrevo e a insultar, por vezes em modo javardo.

    Não tens mais nada que fazer, ferreira?

    É que a dar-me tanta importância, acabas a mostrar o que não querer…

    Gostar

  48. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 14:22

    logo vi que era postiça e enganos qualquer um tem, aldrabice é que já é mais exclusivo.

    Gostar

  49. zazie permalink
    23 Maio, 2010 14:33

    Mas este imbecil nem percebe que a questão se mantém. O facto de ter sido escrito por Antero de Quental e não por Alexandre Herculano, altera o quê?

    O que é a alimária quer dizer com “acto premeditado”?

    Gostar

  50. zazie permalink
    23 Maio, 2010 14:34

    Sim, foi Antero de Quental quem falou do ethos português. Da importância de uma Nação ter um espírito próprio. E é isto que é destruído pelos jacobinos em nome do Estado.

    Onde é que está a diferença, ó retardado mental?

    Gostar

  51. zazie permalink
    23 Maio, 2010 14:36

    Onde é que está a diferença para a questão que o José equacionou e que lhe chamou “espírito ISCTE” em termos simbólicos?

    Onde está a diferença de o ateísmo não ter direito a alterar o espírito de uma Nação, grande palerma?

    Não sabes. tu és ignaro. Vai-te assoar que é só ranho e “tamém” e sentensa com “s”.

    Gostar

  52. zazie permalink
    23 Maio, 2010 14:38

    A besta é tarada. Vive aqui a fazer-se sombra e a rosnar 24 horas por dia.

    E sempre com a mesma tara- os “facistas”. Neste caso são os facistas que não são pandeleiros na militância das causas de género.

    O animal já está por tudo. Se for preciso veste-se de barbie e desfila de punho erguido para que as “classes dominantes tremam”.

    Gostar

  53. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 14:47

    cá temos a sopeira a defender o centro de estudos interpretativos do cagaldrabisses. para a coisa ficar completa só falta apelarem para a censura aos comentários destrutivos.

    Gostar

  54. zazie permalink
    23 Maio, 2010 14:50

    Imbecil- conta lá onde está o “acto premeditado” e a “sacanagem” em ter trocado um escritor por outro, mantendo-se a questão.

    Tu és um analfabruto mal-intencionado e doente mental que vive frente a um monitor a perseguir um homem.

    Mais nada. Trata-te.

    Gostar

  55. zazie permalink
    23 Maio, 2010 14:52

    Pandeleiro fossilizado, é o que tu és.

    Agora, à falta de melhor, alterna a sabujice socretinha com a sabujice pandeleira.

    Foi no que deu os teus ideais de meretriz revolcuinária. Está por tudo desde que te limpem a baba e paguem a renda e o magalhães.

    Gostar

  56. zazie permalink
    23 Maio, 2010 14:55

    Apelava era para quem te engessasse os dedos dos pés que há-de ser com eles que teclas.

    Gostar

  57. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 15:02

    era mais honesto e apropriado usar cavaco que herculano ou quental para sustentar a teoria das pós-tias que não o querem ser afirmamdo que o são. complicado? nem por isso, só a colagem dos pensamentos do herculano traduzidos no casino do quental.

    Gostar

  58. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:10

    Cavaco?

    Ó retardado mental, o que raio tem o cavaco a ver com literatura ou com ter equacionado o ethos português?

    Tu és uma besta quadrada, igualzinha à tinamonga, para quem tudo se explica com a grelha “esquerda/direita” da partidarite.

    Imbecil- o José falou de Nação. E perguntou de onde vêm estas causas de género.

    Infelizmente o nível dos comentários não deu para mais e ninguém pegou na questão.

    Ainda que, na generalidade, todos tenham confirmado que esta treta se tornou um lobbie a sacar tacho.

    Até o Ramiro Marques que, tanto quanto dá para ver, é de esquerda, o confirmou e na área das Pedagogias.

    O que aliás foi muito pertinente. E foi aqui que o que o Ramiro Marques confirmou pela prática, vai ao encontro do que o José disse, em termos genéricos, na simbólica do ISCTE.

    Mas isto é demasiada areia para a tua camionete.

    Devias ir para os jugulentos bater paliminhas que não dás para mais.

    Gostar

  59. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:11

    palminhas. Assim é que fazias o papel de palonço para que te pagam.

    Bater palminhas a imbecilidades por ter lá o letreiro que é “dos que te pagam”- é da situação. E tu vives de lamber os guizos à situação.

    Gostar

  60. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 15:13

    teclar e não só, nem fazes ideia do que perdes oh calejada.

    Gostar

  61. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:14

    Mas é um tema que precisava que alguém o historiasse. Quando apareceu e por onde se foi infiltrando.

    Não é coisa que não tenha previsto já há muito tempo, quando a treta apareceu na América e depois em Inglaterra.

    Por isso é que tem piada e o José pegou muito bem neste “import” para inglês ver onde até o léxico é mal traduzido, à eduquês.

    São os “ódios” os crimes de “ódio” porque traduzem a palavra hate como quem diz que tem ódio a batatas fritas.

    Gostar

  62. Ricco Filho permalink
    23 Maio, 2010 15:16

    Parabéns, Helena!

    É um exemplo de que existem Mulheres com “M” grande, que não precisam dos sindicatos do género para pensar, discutir, expor, escrever, trabalhar, etc… Como qualquer… Pessoa!

    Gostar

  63. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:17

    Mas o artigo da HM até foi bem catita e há galinhagem de madrinhas que há-de ter enfiado a carapuça.

    São cada vez mais, estas madrinhas da perseguição das causas de cu com véu e flor de laranjeira.

    E a ver se não marinham tod@s. Marinham, pois. E até trocam de partido se com isso conseguir oferecer melhor a mercadoria que têm para oferecer e sacar mais tacho.

    Gostar

  64. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:18

    E madrinhas e padrinhos até é palavra mais indicada para o velho negócio dos “afilhados”.

    É disto que se trata- dos eternos primos das choças.

    Gostar

  65. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 15:19

    agora é genéricos! não tarda temos unidose de cabotinice à la monga.

    Gostar

  66. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:23

    Foi este comentário, o #20 a boa surpresa:

    ramiro marques disse
    22 Maio, 2010 às 5:08 pm

    «Parabéns Helena Matos pelo texto. Trabalho numa área onde a hegemonia dos funcionários do género é quase total. Uns são degenerados, outros burros e outros simplesmente interesseiros.O pior de tudo é o Estado desperdiçar dinheiro com el@s.»

    E a área não é secreta- é a que existe para formatar as criancinhas de pequeninas- são as “Ciências de Educação”.

    Gostar

  67. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:25

    Por isso é que esta porcaria já se tornou obrigatória nas escolas- públicas e privadas, desde o ciclo.

    E era bom que as pessoas entendessem que eles nunca se ficam por meros direitos ou tretas para os próprios.

    A finalidade é sempre “O Homem Novo” e precisam de doutrinar as criancinhas para esse intuito.

    Gostar

  68. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 15:26

    prontes, já tá na pole para o grande prémio da asneira, só é pena correr sózinha.

    Gostar

  69. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:30

    E eu discordo do final do texto da HM, quando ela diz que ainda vamos ter saudades dos géneros, quando vierem os “direitos de saída” é vêem- isto é pacote zapatero.

    Não vamos ter porque o género é para ser doutrinado a pensar em gerações futuras.

    Eles têm o Ministério da Educação. E esse, bem podem mudar os governos, que é sempre feito pelo mesmo cancro. Aquele de que falou o Ramiro Marques.

    O trilho a seguir é sempre este. Das escolas de “pedagogos” e “sociologias de treta” dos primos das choças, para o Poder e para a delegação da formatação das criancinhas.

    Gostar

  70. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 15:32

    o caga deu de frosques por questões de imagem e não volta a pôr os butes no assunto, ficamos com a don.zela a defender a honra do com.bento e a desenvolver as teorias da loja que enoja.

    Gostar

  71. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:33

    Agora vai lá insultar o Ramiro Marques e chamá-lo “facista” também que aí é que tinha piada.

    Um dia destes ainda levam uma coça de um velho comuna enojado.

    E já faltou mais. É tirarem-lhes os sindicatos e vamos a ver se a comunagem não se arrepela e não acaba a chamar nomes aos primos xuxas e BEs.

    Gostar

  72. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:35

    Questões de imagem, o pandeleiro só sabe olhar para os mongos que vivem do verniz.

    O José nem precisava de vir aqui pedir desculpa por engano. Mas pediu porque ele é assim mesmo. Tem este vício de nem se proteger para ser sempre honesto e verdadeiro.

    Gostar

  73. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:38

    Eu ando a morder as tricas internas que esta merdoquice já anda a provocar por causa da crise.

    No 5 Dias já foi o Raínha à vida.

    E é sempre a medo, porque também temem a Inquisição da Gestapo de que são aliás, os grandes criadores.

    Mas que já se andam a enrolar com tanta rabetice de dondoca desocupada, andam.

    Gostar

  74. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:41

    Há uns bons anos a dondoquice eram as coisas de ecologia que eles diziam que eram preocupações para vacas.

    Agora têm de apadrinhar @s noiv@s de Santo antoninho para ainda conseguirem uns votitos e evitar a extinção por fossilização natural.

    E lá andam, com tatuagem Guiné 69/Amor de Máe/Avante 75 no braço, emplumados que nem barbies, nas passeatas dos arraiais das Avenidas.

    Gostar

  75. zazie permalink
    23 Maio, 2010 15:46

    Mas, o grande problema, também o José disse. Esta treta não é coisa de esquerda- mete tudo- o denominador comum é o jacobinismo.

    É é por isso que os “progressistas” que temem as raízes e a Nação, se encontram sempre à esquina do internacionalismo.

    Incluindo o de cu.

    Gostar

  76. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 15:46

    olha que é mais nas novenas da mãe d’água

    Gostar

  77. anónimo permalink
    23 Maio, 2010 16:02

    “O género está para os dias de hoje como o pecado para a titi de A Relíquia queirosiana.”

    é no que dá, quando as tias têm feeling na selecção.

    Gostar

  78. 23 Maio, 2010 16:25

    «Eles têm o Ministério da Educação. E esse, bem podem mudar os governos, que é sempre feito pelo mesmo cancro. Aquele de que falou o Ramiro Marques.

    O trilho a seguir é sempre este. Das escolas de “pedagogos” e “sociologias de treta” dos primos das choças, para o Poder e para a delegação da formatação das criancinhas.»

    Exactamente. É também por essa razão que, de há muito, defendo a necessidade imperiosa de extinguir o Ministério da Educação.

    Gostar

  79. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:34

    Extinguir o Ministério da Educação para fazer um novo com os mesmos?

    É essa a ideia, ou é mais à Lucklucky de extinguir ministérios de educação e depois até a justiça e coisas assim inúteis que só os países atrasados têm?

    Gostar

  80. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:35

    Que tal cortar a torneira de onde eles vêm. O grande lobbie do ISCTE?

    Mas, se não tivesse outras coisas para fazer, até era toda ouvidos acerca de mais esta “medida liberal” de acabar com essa coisa de ministérios para a educação.

    Deixa aí que logo venho cá ver.

    Gostar

  81. 23 Maio, 2010 16:36

    Não. Extinguir o Ministério da Educação. Ponto.

    Gostar

  82. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:38

    O Lucklucky ao menos é mais sintético que v.s.

    Ele já disse qual era a medida certa. Juntarem-se todos os liberais e criarem um país de novo, para se poderem libertar da tutela e das amarras do Estado.

    Foi uma grande napoleónica. Um país livre de Estado, já que foi o Estado que criou os países.

    Gostar

  83. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:41

    Ponto?

    Como assim- fazer um país sem Ministério de Educação.

    Ok.

    E os restantes ministérios inúteis, como essa treta de ainda haver justiça estatal e saúde e coisas assim.

    Ficavam para quê?

    Mas ainda bem que vais dando um grande contributo para o caminho de Portugal.

    Depois de ter tentado a inovação de ser a Cuba da Europa vai ser o primeiro país moderno do mundo a nem ter ministério da educação.

    Cada um lá estuda se quiser e como quiser e até em forma byte podes vender o teu programa sem ministério.

    Só coisa livre como as boas das comunas maoístas. E sempre tudo construído pelo povo, com as suas próprias mãos.

    Gostar

  84. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:43

    V.s todos pendurados por uma guita numa barraquinha de feira é que também era uma boa medida.

    Gostar

  85. 23 Maio, 2010 16:44

    A Comissão Liquidatária teria um tempo de vida nunca superior a 10 anos.

    Gostar

  86. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:47

    E tu eras o chefe da comissão em pantufas, aposto.

    Na volta ainda te faziam uma estátua. O grande formador de formadores, doutorado em formação de formação, que conseguiu enfrentar as forças da reacção e extinguiu o Ministério da Educação depois de conquistada a liberdade em Portugal.

    Vai treinando a gaivota voava voava em remake que bem precisas.

    Gostar

  87. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:49

    Há-de ser por isso que andas a compilar a sebenta do outro guru byte.

    Cá pra mim é isso. Aproveita e acrescenta-lhe umas dicas do grande guru das janelinhas trancadas que também tem uns filósofos economistas para a troca.

    Gostar

  88. 23 Maio, 2010 16:52

    Outos Ministérios a extinguir sem necessidade de comissão liquidatária: o da Economia, o da Presidência, o dos Assuntos Parlamentares e, claro está, o da Cultura.

    Gostar

  89. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:54

    Mas aí ainda fará algum sentido. Agora o resto é pura imbecilidade.

    Eles extinguiram foi a grande Direcção Geral do Património e ninguém deu por nada.

    Um autêntico crime.

    Gostar

  90. zazie permalink
    23 Maio, 2010 16:57

    Só por isso deviam ser corridos de Portugal para fora.

    Já nem era do governo, é mesmo do país.

    Extinguem o que tem trabalho sério de décadas em troca de espectáculo.

    É sempre isto- sempre a mesma tara que tu ainda tens lá da mesma escola onde aprendeste a “revolução”. Sempre a utopia do futuro e a política da terra queimada e de cortar as raízes.

    Para apagarem memórias, e inventarem outras falsas memórias, como diz o José.

    Gostar

  91. 23 Maio, 2010 16:59

    «Há-de ser por isso que andas a compilar a sebenta do outro guru byte.

    Cá pra mim é isso. Aproveita e acrescenta-lhe umas dicas do grande guru das janelinhas trancadas que também tem uns filósofos economistas para a troca.»

    No dia que quiser discutir ideias com argumentos e sem preconceitos, boa educação e linguagem ao menos contida, conte comigo. Até lá, não.

    Gostar

  92. zazie permalink
    23 Maio, 2010 17:01

    Mas essa de extinguir o ministério da economia que não há país que o não tenha é mais outra revolucionária para extinguirem os países e lá inventarem o internacionalismo dos euzinhos apátridas desgovernados.

    V.s são cópia do mesmo. E, quando aparecem estes peluches reciclados é que ainda se nota melhor a origem e a finalidade.

    V.s não querem países bem governados. V.s gostam das crises porque sonham com o internacionalismo das corporações à escala mundial.

    Gostar

  93. zazie permalink
    23 Maio, 2010 17:03

    Mas tu achas que alguém ia debater argumentos com malucos de manicómio.

    Isto é gozo, palonço. Tu é que não dizias estas anormalidades em nenhum outro estrado sem ser este.

    Gostar

  94. zazie permalink
    23 Maio, 2010 17:05

    Ora tenta lá fazer um congresso de neo-tontice convidando os teóricos com que tens afinidades e projectos comuns- a tinamonga e mais o luckluky.

    Palavra que eu pagava para assistir, até vir a ambulância.

    Gostar

  95. zazie permalink
    23 Maio, 2010 17:07

    Tu extinguias ministério da Educação e da Economia e tinhas umas propostas popperianas para explicar os benefícios da poluição.

    A tinamonga discursava sobre os benefícios sexuais dos homens de direita e dos especuladores, comprovando como tem dado mama para educar os eunucos de esquerda.

    E o Lucklycky, provava com calculadora como se se privatizasse tudo o resto, podíamos trabalhar apenas 4 dias por semana a 4 horas por dia, desde que se extinguisse o Estado, criando um país novo sem ele.

    Gostar

  96. zazie permalink
    23 Maio, 2010 17:09

    Ora tenta lá apoios numa farmacêutica que invista em patologias raras que vais ver como o congresso vai para a frente.

    Gostar

  97. DanielOliveira permalink
    23 Maio, 2010 17:13

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    Gostar

  98. 25DeAbrilSempre permalink
    23 Maio, 2010 18:51

    PISGA-TE BEATA!

    Gostar

  99. 25DeAbrilSempre permalink
    23 Maio, 2010 19:00

    DEVES SER UMA ADMIRADORA DO BENTO SUB-16!

    Gostar

  100. 25DeAbrilSempre permalink
    23 Maio, 2010 19:57

    RAZÃO TINHAM AQUELES QUE EM 1975 QUERIAM PÔR NO CAMPO-PEQUENO TODOS OS FILHOS DA PUTA DE DIREITA!

    Gostar

  101. Euro2cent permalink
    23 Maio, 2010 22:13

    > RAZÃO TINHAM AQUELES QUE EM 1975 QUERIAM PÔR NO CAMPO-PEQUENO TODOS OS FILHOS DA PUTA DE DIREITA!

    Pois. Eu por acaso, na altura jovem e ingénuo, até estava perto de achar que podia ser boa ideia. Mas em 35 anos ainda se aprende alguma coisa.

    Uma delas que os democratas sociais/socialistas roubam mais, e estragam mil vezes mais do que o que roubam, do que os tais alegados FDP.

    Curiosamente a “esquerda” continua a insistir em processo (e.g. público/privado) em vez de resultados.

    Gostar

  102. 25DeAbrilSempre permalink
    23 Maio, 2010 22:36

    8===>

    Gostar

  103. 25DeAbrilSempre permalink
    23 Maio, 2010 22:37

    8===> (|)

    Gostar

  104. JLeme permalink
    24 Maio, 2010 03:59

    Os merdas abrilistas que deram cabo que havia deviam ser enrabados – que eles gostam… – e depois fuzilados.

    J.

    Gostar

  105. DanielOliveira permalink
    24 Maio, 2010 23:48

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..
    eu cá vou tirar meu dinheirinho do banco …trai larai larai ..

    Gostar

Trackbacks

  1. As neotitis jugulares e a rentabilidade das questões de género « O Insurgente

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: