Saltar para o conteúdo

N.

24 Maio, 2010
by

Pelo Norte.

85 comentários leave one →
  1. Romão permalink
    24 Maio, 2010 11:40

    Desejo sinceramente que nunca aconteça essa multiplicação de feudos.

    E isso devia chamar-se “pelo Porto”, porque arregimenta indevidamente e sem pedir opinião uma larga maioria de gentes do Norte que não se identificam com esse projecto que, em última análise, sofre do mesmo que acusam o governo de Lisboa, a uma escala mais reduzida.

    Gostar

  2. Anónimo permalink
    24 Maio, 2010 11:43

    Se tiver o apoio de Vitalino Canas nos pareceres já estou de fora. Era só o que faltava embarcar o norte num projecto cor-de-rosa. Para mal basta esperar pelo FMI.

    Gostar

  3. RVB permalink
    24 Maio, 2010 11:53

    #1 Sofre do mesmo que Lisboa mas a escala mais pequena, e assim como assim sempre é melhor sofrer do problema a escala maior e mais centralizada? É isso que defende?

    #2 Pelas suas palavras noto que se o movimento que se gera não for perfeito a todos os níveis é mais vantajoso optar por um imperfeito a todos os níveis.

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    24 Maio, 2010 12:02

    #3

    Não precisa que se aproxime sequer da perfeição. Precisa é de não ter todas as garantias de que vai ser pior a emenda que o soneto, a não ser que pensem fazer omeletes só com farinha. Mas por falar nisto, sobre o dinheiro que foi descaradamente desviado do Norte para Lisboa há uns meses atrás, o que disseram muitas das pessoas que com certeza irão aparecer?

    Gostar

  5. Romão permalink
    24 Maio, 2010 12:06

    #3.

    É melhor resolver o problema e não trocá-lo por outro. Ou é preferível arrancar com um projecto que já contém o gérmen das dificuldades e contradições daquilo que, aparentemente, vem solucionar?

    Gostar

  6. faustífero permalink
    24 Maio, 2010 12:13

    No Porto há muito maricão. Projectos desses nunca irão em frente, os protectorados não se podem regionalizar. Percebem?

    Gostar

  7. António da Costa permalink
    24 Maio, 2010 12:18

    Eu sou morador na margem sul do Tejo, pago portagens para ir seja onde for e ainda pago as portagens daqueles que agora não querem pagar.

    A regra do utilizador pagador é de certeza a melhor, utiliza paga, não utiliza não paga.

    Gostar

  8. RVB permalink
    24 Maio, 2010 12:19

    #4 Não conheço nenhuma resolução de problemas políticos que não traga outros problemas. Temos é que saber que problemas queremos resolver e que problemas estamos dispostos a criar. Um país descentralizado, onde cada região tenha menos poderes sobre as restantes impede certo tipo de problemas, como por exemplo os gastos centrais exagerados em grandes obras públicas de necessidade duvidosa. Não sou um purista a esse nível, compreendo que não existindo uma plataforma regional para o desenvolvimento de actividades politico-partidárias algumas pessoas com valor se submetam ao centralismo partidário.

    #5 Mas então o que é que voçê defende? Um partido em cada rua ou a não existência de qualquer poder político (anarco-sindicalismo ou anarco-capitalismo)?

    Gostar

  9. Romão permalink
    24 Maio, 2010 12:26

    #8.

    Defendo que não se utilizem bandeiras que ultrapassem hipocritamente o âmbito daquilo que pretendem defender: se querem a regionalização da área metropolitana do porto, não invoquem o nome do Norte, porque estão a proceder da mesma forma que Lisboa procede quando invoca a necessidade de uma obra de carácter Nacional para um projecto que beneficia somente, ou em muito grande escala, a capital.

    Defendo que o problema maior deste país é a corrupção e a justiça que não lhe faz frente, e que a regionalização a fazer-se sem resolver esse problema não é mais do que multiplicar os seus focos de incidência.

    Gostar

  10. Antónico permalink
    24 Maio, 2010 12:28

    Vitalino Canas? Estou completamente a favor, já agora porque não Sócrates e Passos Coelho? Não falo em Pinto da Costa porque esse será um must para o movimento.

    Gostar

  11. RVB permalink
    24 Maio, 2010 12:29

    #7 Claro. Então voçê e os seus vizinhos que paguem a sua rua e os seus arranjos. Eu não a vou utilizar. Porque não é voçê também pagar o seu aeroporto? Eu também não o vou utilizar. E a carris? Eu nunca ando na carris, portanto pague voçê. As pontes? A 3ª travessia? Passo lá um vez em cada ano, e já estou a exagerar. Porque é que tenho que pagar? Pague quem passe.

    E a saúde? Eu nunca como no McDonalds, portanto quem vai lá e tem cancro do estomago que pague do bolso? Não tem? Não fosse lá comer pá!

    Esta patetice do utilizador pagador só se aplica a luxos. Auto-estradas quando há uma boa rede de estradas são um luxo, quando não há nada que se compare são uma necessidade! Seja no Norte, no Centro ou Sul!

    Gostar

  12. RVB permalink
    24 Maio, 2010 12:39

    #9 Parece-me claro que a corrupção não se combate apenas com melhor justiça, até porque ela também está sujeita à corrupção. Os países menos corruptos conseguem juntar algumas caracteristicas. São os menos desiguais ao nível de rendimentos, são aqueles que têm uma cultura de respeito pela lei, os que possuem mecânismos públicos que tornam a gestão da coisa pública transparente e que são descentralizados, pois essa descentralização ajuda a desburocratização, torna os possíveis contratos assinados mais escrutinados pela população e de menor montante (o que faz com que quando a corrupção existe seja menos lesiva dos cofres do Estado).

    Não será medicamento para todos os males, e não será imediato. Mas irá ajudar a lutar contra o dinheiro mal gasto!

    Gostar

  13. MDN permalink
    24 Maio, 2010 12:46

    Eu não sou do Porto e defendo a regionalizaçao, acho é engraçado, talvez coincidencia, que aqueles que são contra sao de Lisboa, talvez por serem os mais beneficiados pela acumulaçao de capital destinado a outras regioes…Romão o pais não é só Lisboa, nem o norte só o Porto, ja esta na altura de perceberem isso.
    E não sei qual é o pessimismo que temos em relaçao a isso, o facto de teres centros de poder vai dessiminar o dinheiro disponivel, logo a corrupçao vai ter de diminuir pelo menos de escala.

    Gostar

  14. Romão permalink
    24 Maio, 2010 12:52

    #12.

    Não concordo de todo com o seu argumento porque inverte a lógica do que acontece, presentemente, com base, em exclusivo, numa espécie de optimismo antropológico (uma versão reduzida e talhada à medida “de que a sociedade” é que corrompe o homem, donde que, quanto mais pequena, menos corrupta).

    Se a corrupção grassa agora, o que acontecerá com uma regionalização é a multiplicação de feudos do tipo Alberto João Jardim onde é tudo permitido menos tirar olhos. E, obviamente, quando esses feudos gastarem mais do que aquilo que podem, o contribuinte em geral entrará com o guito. A típica capitalização dos lucros e socialização da bancarrota.

    A regionalização interessa a uns quantos que se querem arvorar em Albertos continentais. Não interessa a mais ninguém no estado de miséria moral e laisser faire que o país se encontra.

    Gostar

  15. Romão permalink
    24 Maio, 2010 12:54

    Quando e se resolverem os problemas centrais do país e houver um saneamento básico que sirva de exemplo a quem queira meter o garfo em prato alheio, falamos sobre a regionalização. Porque sou a favor de uma maior autonomia a todos os níveis. Mas nunca agora. Era dar ordem de soltura a tudo quanto é gatuno e lunático.

    Gostar

  16. MDN permalink
    24 Maio, 2010 13:05

    Entao vamos abolir todo e qualquer mecanismo de descentralizaçao, vamos dar apenas a opurtunidade ao governo central, destituimo as cidades freguesias de poder?sim? ou entao acha que apesar de haver esse problema, que infelismente esta dessiminado, assumimos isso como um risco e continuamos com o projecto que é a regionalizaçao. Disse agora mesmo que concorda, e concorda suponho eu porque vê beneficios, logo se ponderar o riscos com os beneficios, eu acho que os beneficios ultrapassam largamento os contras. E na visam corruptista que tem eu partilho-a, e daquilo que vejo não irá mudar tão cedo, alias todos vemos como isto anda, nem os tribunais os conseguem condenar, a lei tem de ser mudada, mas o problema é que não é mudada ao ponto de apanhar os corruptos que fazem a lei.

    Discordo num ponto, agora mais que nunca a regionalização é imperativa. E a diferenciaçao que para alguns é por e simplemente imaginativa é patente com as scuts, não está tanto em causa a sua necessidade, mas sim a justiça em aplicar uma taxa no norte e em circunstancias semelhantes não aplicar em Lisboa, ou noutra zona do pais.

    Gostar

  17. Romão permalink
    24 Maio, 2010 13:11

    #16.

    Ouça, a única coisa que uma regionalização vai disseminar, no estado em que este país está, é um acréscimo de custos (porque toda uma estrutura tem de ser criada e naturalmente será uma estrutura “tachista”, que copia o modelo existente) e a multiplicação pequenos tiranetes com tendências parasitárias.

    Afirmar o contrário é manifestar uma fezada que sobrevive porque aquele que o diz tem interesses na matéria ou é ingénuo.

    Gostar

  18. Romão permalink
    24 Maio, 2010 13:15

    E a regionalização, invariavelmente, volta a baila sempre que o país sofre as maiores convulsões internas. O timing não é inocente e visa apresentar o projecto como um passe de mágica que não só resolve os problemas do país na altura como promete, a médio ou longo prazo, primeiro-mundizalo.

    Gostar

  19. Romão permalink
    24 Maio, 2010 13:17

    E se soa a banha-da-cobra é porque é banha-da-cobra.

    Mas o mais interessante nem são as deficiências estruturais dos argumentos dos regionalizadores: é quem propõe. Olhe para quem a propõe e verá, em paralaxe, o halo do cargo a criar a que a criatura já se candidata.

    Gostar

  20. Centrista permalink
    24 Maio, 2010 13:25

    #7 António da Costa

    Nesse caso, portage-se o IC19 e as pontes em Lisboa passem a ter IVA a 21%. E já agora, os viadutos e túneis com perfil de autoestrada dentro de Lisboa. Porque pago eu isso.

    E já agora, porque é que os aeroportos de Porto e Faro têm de subsidiar com 1,5% das suas receitas o novo aeroporto de Lisboa?

    Gostar

  21. Centrista permalink
    24 Maio, 2010 13:28

    15#,

    “Se a corrupção grassa agora, o que acontecerá com uma regionalização é a multiplicação de feudos do tipo Alberto João Jardim onde é tudo permitido menos tirar olhos.”

    Neste momento, isso é o nosso Governo Central. E que se diga que o Alberto João só faz o que faz porque não tem concorrência. Com Alberto João em cada Região, cada um pagava o seu e acabava-se o problema. O complicado é ter um Alberto João na Madeira e outro em Lisboa. O Portugal-Colónia paga tudo…

    Gostar

  22. Centrista permalink
    24 Maio, 2010 13:30

    #18

    Essa estrutura de que fala já exista. A questão é que está afecta ao Estado Central e não serve para nada… a naõ ser para tachos emprateleirados.

    Gostar

  23. Romão permalink
    24 Maio, 2010 13:39

    #22.

    E porque acha que o Alberto não tem concorrência? Não acha que o controlo do orçamento e dos meios de comunicação como se fossem dele e para ele não condiciona qualquer possibilidade de política concorrencial? Ou não acha que é uma ditadura encapotada o regime do Alberto?

    É isso que fazia andar o país? Uma dúzia de Albertos a estoirar dinheiro a pensar que estão cobertos pelo governo central e respectivos contribuintes se se endividarem em demasia?

    Gostar

  24. Romão permalink
    24 Maio, 2010 13:39

    #23.

    Fixe. Bute multiplicá-la em vez de eliminá-la. Essa é mesmo prá frentex.

    Gostar

  25. MDN permalink
    24 Maio, 2010 13:44

    #19 O timing? Eu não vejo nenhuma força politica realmente determinada a sequer discutir o assunto…não lhes interessa, vejo uma mençao aqui e ali, nada de relevante. Não acho da mesma forma normal que a regionalizaçao tenha entraves constitucionais, sendo que esta obriga a um referendo.

    #23 Concordo plenamente, isto ja acontece, sem que o pais no seu todo seja beneficiado.

    #18
    “Ouça, a única coisa que uma regionalização vai disseminar, no estado em que este país está, é um acréscimo de custos (porque toda uma estrutura tem de ser criada e naturalmente será uma estrutura “tachista”, que copia o modelo existente) e a multiplicação pequenos tiranetes com tendências parasitárias.

    Afirmar o contrário é manifestar uma fezada que sobrevive porque aquele que o diz tem interesses na matéria ou é ingénuo.”

    Interesse evidentemente que tenho, porque não moro em Lisboa, e gostava que o pais crescesse a 1 ritmo, e não 2. Se sou ingénuo, também acho que não, ate porque eu admito os problemas referidos por si, no entanto prefiro que haja alguma corrupçao, que infelizmente é inevitavel, e que o resto do pais cresca, com as mesmas opurtunidades. Algeum acredita em efeitos difusores???Se os fundos do qren sao destinados as regioes mais pobres porque raio vem Lisboa abarcar essas receitas?? Eu prefiro que se criem centros de corrupçao em menor escala e que se faça alguma coisa mais nas zonas que precisam, em vez de existir um monopolio de corrupçao que so faz por Lisboa, e o pior é que ja se deixou de disfarçar, e exemplos disso ja deu o Centrista a cima.

    Gostar

  26. MDN permalink
    24 Maio, 2010 13:46

    Não acho normal que por exemplo tenhamos no norte a zona mais pobre da UE a 15 e que no entanto Lisboa continue a sacar os fundos destinados para essas areas. E se o problema é de facto a corrupçao, e por isso, não se deve fazer nada que implique mais corrupçao, vamos deixar de ter politicos, vamos deixar de meter policias, pessoas para as finaças, arquitectos para licenciar obras, pois tudo isto potencia a corrupção.

    Gostar

  27. Romão permalink
    24 Maio, 2010 13:51

    #26.

    O problema de quem pensa isto pela perspectiva única dos fundos ou do dinheiro que aí vem é sempre o mesmo: esquecem-se que o dinheiro virá em maior quantidade (concordo) e que provavelmente será até melhor aplicado; a contrapartida disso é o crescimento a médio e longo prazo de estruturas e barões locais que acabarão por pilhar tudo quanto chova e a criar as suas próprias réplicas do faraonismo central.

    Nem há-de chegar dinheiro para pagar a essa gente e aos seus séquitos de chupistas, de tal modo que o enriquecimento regional, a sentir-se, será tão provisório como uma brisa.

    Preferem isso a lutar por uma moralização da sociedade que condene exemplarmente (em público e na barra dos tribunais) os feitores destas práticas? Então tê-lo-ão. Em vez de multiplicar benefícios multiplicarão parasitas.

    Mas cada qual sabe da sua poda.

    Gostar

  28. Romão permalink
    24 Maio, 2010 13:53

    Referendem-no outra vez. E quando chumbar façam-no outra vez. Até passar, como a lei do aborto.

    Gostar

  29. 24 Maio, 2010 13:58

    Evitar a descentralização, para não disseminar a corrupção, é treta, pois a corrupção já está disseminada.
    Ou só a central quer as benesses da corrupção?
    Quanto a acabar com a corrupção, só no reino de Deus.
    “Quem és tu romeiro?” (Garret)

    Gostar

  30. DesconfiandoSempre permalink
    24 Maio, 2010 14:30

    Primeiro o Passos, agora a regionalização. CAA no seu melhor!

    Gostar

  31. terrivel permalink
    24 Maio, 2010 15:42

    Geograficamente que norte é que a coisa prtende representar? Moro nas beiras e não sei se a coisa me abrange.

    Gostar

  32. Pi-Erre permalink
    24 Maio, 2010 15:51

    “Moro nas beiras e não sei se a coisa me abrange.”

    Não, as beiras ficam a sul do “norte”.
    E o “norte” fica a sul da Galiza, com o Minho pelo meio.
    O que “eles” querem é poleiro!…

    Gostar

  33. MDN permalink
    24 Maio, 2010 16:02

    Uma pergunta Romão…Não achas que será mais facil combater a corrupçao e barões chuipistas (como tu lhes chamas e concordo) se eles se concentrarem num poder menor e mais localizado? Pergunto isto porque todos vemos medidas iracionais do governo central que sao muito dificil de combater pelo cidadão comum.

    E quanto ao referendo, não percebo porque diabo a constituiçao exige o referendo com a maioria que exige e por outro lado ja preve a regionalização como existente nas regioes administrativas. Se na altura da discussão do casamento homossexual vieram dizer que a assembleia da republica tinha legitimidade para legislar sem referendo esta questao, que é fracturante para a sociedade, não terá a mesma legitimidade para a regionalizaçao?? Ah esqueci-me que sem isso ja não tinham tantos entraves para se desculparem.

    A regionalizaçao so não passa num referendpo porque as pessoas não sabem o que é, mas depois queixam se que os centros de saude fecham, que as urgencias fecham, que a escola primaria fecha…etc

    Gostar

  34. Romão permalink
    24 Maio, 2010 16:20

    #32.

    Essa é a pergunta do milhão de euros. O Pi-erre, mesmo infra, responde magistralmente. De resto, a seguir a essa pergunta correctíssima, é a pergunta por quem faz a proposta e o que ganharia esse quem com isso. É incrível quantos sonhadores de cargos por existir existem e a que carinhas larocas pertencem esses sonhos de mini-poder.

    Gostar

  35. Romão permalink
    24 Maio, 2010 16:24

    #34.

    Oiça, regionalizem o que quiserem da forma que quiserem, o meu peso nessa questão resume-se a um arrazoado de opiniões que deixo nestas caixinhas de comentários porque 1. julgo conhecer o país em que vivo, 2. vejo os proponentes do projecto e antevejo-lhes as agendas e 3. tenho uma visão a médio-longo prazo destas opções políticas. De resto, a minha existência conta perto de zero para esse projecto, acaso se venha a propor publicamente ou por via parlamentar. Se houver referendo, a breve prazo voto contra. Só isso. E já disse porquê.

    Gostar

  36. Romão permalink
    24 Maio, 2010 16:26

    #34.

    De resto, a sua interpelação pelo combate à corrupção é inteiramente falaciosa. Se se multiplicam os centros de decisão como é que pode ser mais fácil combater a corrupção? Nem que se multipliquem os meios!

    Gostar

  37. MDN permalink
    24 Maio, 2010 16:52

    É simples, se multiplicares os centros de decisao/corrupçao, estes vao diminuir de tamanho, logo de influencia, e por conseguinte será mais facil o seu ataque. Ate porque ai as pessoas dessa regiao veram mais facilmente que esta a fazer o quê. è mais facil lutar contra varios pequenos problemo com medios recuros, do que com um problema gigante complexo e com todos e mais alguns recursos para se safar de qualquer ataque.

    Gostar

  38. Centrista permalink
    24 Maio, 2010 17:03

    “E porque acha que o Alberto não tem concorrência?”

    Dahh, Porque no sistema actual a concorrência só pode vir dos Açores ou de Lisboa. Lisboa acede sempre porque face ao Orçamento de Estado são peanuts, e de qualquer forma, pode sempre compensar fazendo cortes às autarquias, introduzindo portagens ou cortando o investimento no Norte e Centro.

    É bastante óbvio que o João Jardim está num oligopólio de poderes regionais.

    Quanto à questão dos custos extra, isso é uma treta. Basta ver as medidas de corte de despesa nas autarquias – o Estado impôs corte de 200 milhões e isso vai ser cumprido. Já se for ver os outros 800 milhões de cortes no Estado Central, vai ver que não passam de desorçamentações e wishfull thinking – nada daquilo vai ser cumprido.

    Pelo contrário, a existência de regiões permite um controlo da despesa muito mais apertado.

    E se quiser um bom exemplo de boa gestão e espírito de corpo em tempos de crise, veja o que se passa na Madeira. Lá estão todos a ajudar-se mutuamente. Por cá, andam uns a roubar os outros.

    Gostar

  39. Centrista permalink
    24 Maio, 2010 17:08

    #37,

    O combate à corrupção passa pelo equilíbrio de poderes e sistemas de checks and balances do que pela concentração do poder num só sítio. Neste momento, a progressão nas polícias e nos juízes depende de politiquices. Jornalismo, só se for da cor certa. Isto não é senão o resultado de uma má distribuição de poderes.

    Em todo o caso, não faz sentido discutir o óbvio. O único país europeu que tem um sistema de governo tão centralizado como o nosso é a Grécia, e não é por acaso que os erros são os mesmos.

    Aliás, uma das causas do colapso grego são os jogos olímpicos e o mega-novo-aeroporto de atenas. Por cá, Lisboa anda a ver se recebe os jogos olimpicos e um novo aeroporto ruinoso – financiado, claro, pelos outros. Acha mesmo que não há um Alberto João no Terreiro do Paço?

    Gostar

  40. Romão permalink
    24 Maio, 2010 17:15

    #40.

    “Acha mesmo que não há um Alberto João no Terreiro do Paço?”

    Concordamos ambos com isso, no entanto e muito estranhamente, v. exa. acha que ao regionalizar e dividir o cancro ele cura-se.

    Precisamente por achar o mesmo que v. exa. é que não quero vê-lo multiplicado por 5 ou 6. Onde v. vê um problema de forma, eu vejo um problema de conteúdo, onde v. vê divisão eu vejo multiplicação e não nenhum argumento até agora, fora o optimismo antropológico, que tem pouco fundamento, que desdiga que o problema é um problema de conteúdo.

    Gostar

  41. Romão permalink
    24 Maio, 2010 17:18

    #39.

    “E se quiser um bom exemplo de boa gestão e espírito de corpo em tempos de crise, veja o que se passa na Madeira. Lá estão todos a ajudar-se mutuamente. Por cá, andam uns a roubar os outros.”

    Quando alguém cita a Madeira como bom exemplo de boa gestão é por má-fé ou desconhecimento da realidade madeirense. Faça algumas pesquisas no Google e depois diga-me se retira aquilo que disse.

    Gostar

  42. Romão permalink
    24 Maio, 2010 17:22

    #40.

    “O combate à corrupção passa pelo equilíbrio de poderes e sistemas de checks and balances do que pela concentração do poder num só sítio. Neste momento, a progressão nas polícias e nos juízes depende de politiquices. Jornalismo, só se for da cor certa. Isto não é senão o resultado de uma má distribuição de poderes.”

    Mas v. tem ideia do que diz? Que se mudam comportamentos e a própria cultura de uma sociedade que, por acaso, até é bastante uniforme na forma como encara a corrupção (desde que se faça obra, nada a opor, todos roubam – só falta dizer “eu faria o mesmo” que fica entalado pela réstia de pudor ou pela vergonha da exposição pública) com uma lei que institui mais cargos e uma hierarquia mais complexa de poderes? Nem sei se não leu o que escreveu ou se acredita mesmo no que diz.

    Gostar

  43. Anónimo permalink
    24 Maio, 2010 17:22

    “E se o problema é de facto a corrupçao, e por isso, não se deve fazer nada que implique mais corrupçao, vamos deixar de ter politicos, vamos deixar de meter policias, pessoas para as finaças, arquitectos para licenciar obras, pois tudo isto potencia a corrupção.”

    Qualquer regionalização ou movimemto nortenho aglutinará de imediato o que de pior há em Lisboa, nos municípios e nos distritos, bem como os mais experimentados corruptos e mentirosos desta nação. A justiça está um lixo digno de ser considerado desnecessário. Voltamos ao mesmo: arranjar soluções para os problemas cujo grande efeito é desviar a atenção desses mesmos problemas.

    Gostar

  44. Romão permalink
    24 Maio, 2010 17:23

    O problema dos gastos supérfluos não é um problema regional. É um problema. Ponto. É desse que devíamos estar a falar e não da reivindicação idiota de toda a gente poder, também, gastar superfluamente.

    Gostar

  45. Romão permalink
    24 Maio, 2010 17:33

    #40.

    Outra falácia propositada. Quer retirar uma conclusão de uma premissa insuficiente para tal. Eu podia dizer: os únicos países que estão nestas condições são Portugal e Grécia, que é onde a razão de morenos por mil habitantes é maior. Argumentar assim não é honesto.

    Gostar

  46. Romão permalink
    24 Maio, 2010 17:37

    Pergunte ao Amorim porque é que ele não faz uma declaração de intenções honesta “PELO PORTO” e vincula sem qualquer tipo de autorização moral todo o Norte para a “causa”? Pergunte-lhe se há-de ter sido distracção ou se não começa logo mal a petição por mais poder? Esta demagogia embrionária, no “pelo Norte” arrastado à força para servir a causa do Porto é a prova dos nove da teoria dos pequenos tiranetes que já se vêm com um tacho a mais.

    Gostar

  47. Centrista permalink
    24 Maio, 2010 17:57

    “desdiga que o problema é um problema de conteúdo.”

    O problema é de sistema: este sistema não equilibrado e é esse desiquilíbrio entre poderes locais, regionais e nacionais que gera os problemas de conteúdo. O sistema tem poderes mas não tem contrapoderes e isso é que gera os abusos. O Alberto João vive da falta de contrapoder. A regionalização não multiplica o problema – antes pelo contrário – o que lhe digo é que na regionalização mesmo que haja 6 Albertos Joões, a concorrência de uns com os outros torna-os inofensivos. Como é que você elimina os Albertos Joões no sistema actual? O que propõe é ainda mais centralismo, ou seja, um Alberto João mais poderoso no Terreiro do Paço…

    “Quando alguém cita a Madeira como bom exemplo de boa gestão é por má-fé ou desconhecimento da realidade madeirense. Faça algumas pesquisas no Google e depois diga-me se retira aquilo que disse.”

    Já o fiz, e por isso é que afirmei o que afirmei. Veja como é que estão a ser resolvidos os problemas dos temporais na Madeira. O Governo pediu apoio à população para a reconstrução, e há centenas de engenheiros que voluntaria e gratuitamente estão a ajudar. Ao contrário do costume, não se tem visto choradinho para receber mais dinheiro – o que se tem visto é trabalho duro e uma região a sair por cima da crise.

    “Que se mudam comportamentos e a própria cultura de uma sociedade (…) com uma lei que institui mais cargos e uma hierarquia mais complexa de poderes?”
    Quais cargos adicionais? Onde? Os presidentes das CCRDs passam a ser eleitos (e directamente fiscalizados), e uma data de nomeados “representantes do Estado Central” e os governadores civis vão à vida. Não há cargos adicionais. Quanto à hierarquia, efectivamente ela tem de ser mais complexa – o que é diferente de mais complicada. Actualmente, a hierarquia é complicada – nunca se sabe quem é o decisor e no fim, todos estão dependentes do PM. Com decisores claramente identificados – a hierarquia é mais complexa, mas mais transparente.

    Sabe porque é que todos os processos de investigação “morrem” quando saem das “colónias” ao chegar a Lisboa? Veja-se o caso da operação furacão e das escutas ao sócrates: a falta de autonomia regional foi evidentemente um problema. O paralelismo aplica-se à gestão executiva. Mas qual a sua proposta? Acabar com as juntas e autarquias e governo nacional, mandar tudo para a UE, e assim acaba-se com a corrupção?

    Gostar

  48. Centrista permalink
    24 Maio, 2010 18:00

    “O problema dos gastos supérfluos não é um problema regional. É um problema. Ponto. É desse que devíamos estar a falar e não da reivindicação idiota de toda a gente poder, também, gastar superfluamente.”

    Os gastos são superfluos porque como o Estado Central não tem capacidade de resolver os problemas ao nível local, limita-se a atirar dinheiro para cima dos problemas, com a eficácia que se sabe…

    Governo regional permite:
    – cortar gastos
    – aumentar resultados.

    Veja-se por exemplo o caso da gestão dos portos nacionais. Com a autonomia regional passamos a ter portos competitivos – nem todos tiveram sucesso. Mas deixaram de ter todos insucesso.

    Gostar

  49. Romão permalink
    24 Maio, 2010 18:19

    #48.

    V. não quer perceber.

    ponto por ponto:

    “O problema é de sistema: este sistema não equilibrado e é esse desiquilíbrio entre poderes locais, regionais e nacionais que gera os problemas de conteúdo. O sistema tem poderes mas não tem contrapoderes e isso é que gera os abusos. O Alberto João vive da falta de contrapoder. A regionalização não multiplica o problema – antes pelo contrário – o que lhe digo é que na regionalização mesmo que haja 6 Albertos Joões, a concorrência de uns com os outros torna-os inofensivos. Como é que você elimina os Albertos Joões no sistema actual? O que propõe é ainda mais centralismo, ou seja, um Alberto João mais poderoso no Terreiro do Paço…”

    Em primeiro lugar, o contrapoder do Alberto não existe porque é manietado pelo próprio Alberto, usando de condições que só o seu poder feudal lhe permite dispor(meios de comunicação, subsídios que calam consciências, empregos na administração regional, etc.)

    Em segundo lugar, a multiplicação de Albertos não produz a anulações dos mesmos assim como a multiplicação de números negativos não produz resultados positivos. A concorrência de gangsters elimina a criminalidade? De onde é que tira essas conclusões a não ser de um puro (e pueril) acto de fé?

    “não se tem visto choradinho para receber mais dinheiro – o que se tem visto é trabalho duro e uma região a sair por cima da crise.”

    O que se viu foi o Sócrates a aproveitar para comprar a paz com o pretexto da catástrofe e um Alberto muitíssimo contente por chover dinheiro na Madeira.

    Com decisores claramente identificados – a hierarquia é mais complexa, mas mais transparente.

    Ou seja, a trapalhada que é a máquina estatal torna-se, por magia da regionalização (que pelos vistos até deve curar doenças, tantas e tão misteriosas virtudes ostenta) uma coisa transparente, auscultável e auditável. Porque os defeitos próprios dos portugueses não são verdadeiramente dos portugueses: são da centralização…

    O paralelismo aplica-se à gestão executiva. Mas qual a sua proposta? Acabar com as juntas e autarquias e governo nacional, mandar tudo para a UE, e assim acaba-se com a corrupção?

    A minha proposta é tratar do problema da corrupção e da ingerência do público no privado e do privado no público de tal modo que possamos discutir outros assuntos quando for caso disso, antes que isto afunde de vez. A sua proposta é partir o país na esperança que por influência mágica da divisão as coisas mudem e as pessoas melhorem.

    Diga-me uma coisa: a regionalização teria influência no caso Ricardo Rodrigues? No caso Domingos Névoa? No caso Freeport? No caso Casa Pia?

    Gostar

  50. MDN permalink
    24 Maio, 2010 18:19

    Ainda não percebi porque se chama o Amorin á causa quando o assunto é a regionalização, ele é algum embaixador é? Defende o porto e com orgulho porque é de lá, da mesma forma que eu defendo a minha terra. Virando a pagina, e falando de permissas falaciosas, é evidente que voce não atribui logica as proposiçoes quando n concorda com as permissas, pelo menos no sentido que é dado. Ora se n concorda com 1 de 2 permissas é evidente que a conclusao não sera logica para si.

    Nisto tou consigo a 100% “Mas v. tem ideia do que diz? Que se mudam comportamentos e a própria cultura de uma sociedade que, por acaso, até é bastante uniforme na forma como encara a corrupção (desde que se faça obra, nada a opor, todos roubam – só falta dizer “eu faria o mesmo” que fica entalado pela réstia de pudor ou pela vergonha da exposição pública)”

    Mas se queremos falar na madeira, eles la, estao melhor que o norte, pelos menos nos estudos eles sao mais desenvolvidos e ate chegam a ganhar melhor que nós (nortenhos). E sim incluio o norte todo e não o porto, a teimosa mania de diferenciar Lisboa e Porto e o resto é paisagem tb tem de acabar, porque aquilo que defendo na regionalizaçao não é fazer 2 polos (Lisboa e Porto).

    Gostar

  51. MDN permalink
    24 Maio, 2010 18:22

    “Em segundo lugar, a multiplicação de Albertos não produz a anulações dos mesmos assim como a multiplicação de números negativos não produz resultados positivos. A concorrência de gangsters elimina a criminalidade? De onde é que tira essas conclusões a não ser de um puro (e pueril) acto de fé?”

    Não, mas se pegar nos gangsteres e puserem 1 criminoso em cada cidade será mais facil lidar com eles ou não? A ideia não sera manter o modelo administrativo actual, e criar mais gangsters.

    Gostar

  52. Romão permalink
    24 Maio, 2010 18:24

    #52.

    Como? A sério, agora não percebi.

    Gostar

  53. MDN permalink
    24 Maio, 2010 18:25

    Diga-me uma coisa: a regionalização teria influência no caso Ricardo Rodrigues? No caso Domingos Névoa? No caso Freeport? No caso Casa Pia?

    No caso casa Pia não percebo a correlacão. Nos restantes, se os centros de influencia fossem divididos certamente ajudaria, pois seria muito caro estar a subornar todos os centros de poder para arecadar uma influencia/ beneficios a nivel nacional como é o caso. Fica muito mais facil subornar 2 ou 3, ou idealmente os amigos dessas pessoas, só para o caso de o ir parar ao tribuanl (pelos vistos isto n é corrupçao).

    Gostar

  54. Pi-Erre permalink
    24 Maio, 2010 18:28

    “Veja como é que estão a ser resolvidos os problemas dos temporais na Madeira. O Governo pediu apoio à população para a reconstrução, e há centenas de engenheiros que voluntaria e gratuitamente estão a ajudar. Ao contrário do costume, não se tem visto choradinho para receber mais dinheiro – o que se tem visto é trabalho duro e uma região a sair por cima da crise.”

    Na defunta União Soviética também havia os “satakanovistas”, que trabalhavam voluntáriamente no duro, sem choradinhos, etc.
    O resultado está à vista.

    Gostar

  55. 24 Maio, 2010 18:32

    A configuração de Portugal tal como hoje a conhecemos é sensivelmente a mesma deste o reinado de D. Afonso III. Somos um país culturalmente homogéneo, paradigma do estado-nação avant la lettre. Não reconheço, no meu país, entidades como o Norte, o Centro ou o Sul, para além de meros lugares geográficos(*).

    Se há reforma a realizar em Portugal, como por múltiplas vezes defendi nestas caixas de comentários, é a completa revisão do mapa autárquico (municípios e freguesias) cuja configuração, no essencial data dos anos 30 do século XIX, com a devolução/atribuição de poderes hoje circunscritos à Administração Central (e com uns marcos de correio espalhados por aí). Um bom sítio para começar, na lógica do desmantelamento do Ministério da Educação, seriam as escolas.

    ___________________________
    (*) – Declaração de interesses: sou algarvio

    Gostar

  56. Romão permalink
    24 Maio, 2010 18:32

    Eu chamo o Amorim porque ele é o autor da posta que desencadeia a discussão e porque lhe percebo o defeito insidioso de tomar a parte pelo todo na apresentação do “projecto”. E podia ser um homem orgulhoso da sua cidade e continuar a sê-lo e, simultaneamente, ser honesto e dizer “PELO PORTO” e não pelo norte. Ou v. acha que a regionalização chumbou por Lisboa? Acha que todos os nortenhos compram esse “projecto”?

    “Virando a pagina, e falando de permissas falaciosas, é evidente que voce não atribui logica as proposiçoes quando n concorda com as permissas, pelo menos no sentido que é dado. Ora se n concorda com 1 de 2 permissas é evidente que a conclusao não sera logica para si.”

    Não são as premissas que são falsas, nem as conclusões, é a ligação (dedução) que está errada, ou, no melhor dos casos, não é passível de ser provada e só por isso deveria ser excluída da argumentação.

    “Mas se queremos falar na madeira, eles la, estao melhor que o norte, pelos menos nos estudos eles sao mais desenvolvidos e ate chegam a ganhar melhor que nós (nortenhos)”

    1. o pib per capita da Madeira sofre a distorção da zona franca da Madeira.
    2. e quem está a pagar pela boa vida dos madeirenses? Multiplique isso por 5 ou 6 e verá que não há contribuinte que resista e não faltará muito para ter o FMI na Portela.

    O Alberto utiliza uma técnica muito conhecida: faz obra com o conteúdo do bolso alheio. Ainda antes desta desgraça tinham-lhe recusado financiamento para mais umas estradas porque a Madeira tem uma dívida monstruosa.

    Gostar

  57. Romão permalink
    24 Maio, 2010 18:35

    #54.

    Não está a perceber. É mais barato subornar uma instância regional que uma instância nacional, não é?

    E o meu ponto nem é esse: esses é que são os problemas do país!

    Gostar

  58. MDN permalink
    24 Maio, 2010 19:47

    Mudando de perpectiva um pouco, eu vejo-o como uma pessoa esclarecida, não so neste assunto como noutros, não obstante a discordar em certos pontos, e por isso mesmo, gostava que me dissesse os pontos positivos que vÊ na regionalização. Isto porque vejo que não está contra o principio mas sim contra os problemas originados pela sua implementaçao.

    Quanto a achar que foi a zona metropolitanea de Lisboa que chumbou a regionalizaçao, não acho como é obvio, mesmo sendo eles 4Milhoes, acho que os votos, mesmo em referendos sao politizados, e as pessoas votam partidariamente, aliando a ignorancia e a mistificaçao do assunto na opinião publica sao iguais a um chumbo. Até porque como viu, e apesar de discordar, percebo e ate concordo ate certo ponto do seu ponto de vista, sao argumentos validos, coisa que muita gente que está contra nem sequer sabe do que fala, ou até do que votou.

    Gostar

  59. Romão permalink
    24 Maio, 2010 20:04

    #59.

    Desde que me lembro de trabalhar que a delegação de poderes e responsabilidades cria valor acrescentado. Se as empresas funcionam bem. Se funcionam mal, apenas multiplicam os problemas e facilitam a cultura da responsabilização alheia.

    Não sou merecedor dos seus encómios porque, provavelmente, não serei capaz de lhe dar uma resposta que esteja ao nível da sua petição de saber.

    No entanto tenho a certeza que se o Estado funcionar correctamente e assumir as funções que lhe estão destinadas, a regionalização, a fazer-se dentro de moldes adequados (regiões/municípios?), é capaz de aproximar os cidadãos do governo; a nossa assembleia da República é o símbolo perfeito desse divórcio e dessa desresponsabilização, dado que cada partido usa os votos que angaria para sentar nas cadeiras do poder ovelhas mansas que se limitam a balir no tom do chefe e que nada têm que ver com quem os elegeu ou com os problemas específicos de cada região/município/freguesia. A regionalização pode ser (e em condições óptima seria) um instrumento de proximidade, rapidez e imputabilidade. Far-se-ia mais melhor porque se percebem melhor as necessidades específicas, mais depressa, porque há menos assuntos em mãos e, sobretudo, saber-se-ia quem responsabilizar pelos êxitos e pelos fracassos. Era uma melhor escola de política do que as Jotas que são, sobretudo, uma escola de vícios elementares. Podia ser o instrumento perfeito para quem quer fazer carreira na política, até porque, naturalmente, os maus, acaso a justiça básica funcionasse, iam sendo apanhados pelo caminho.

    Repito: desde que se saneassem os problemas básicos que entravam qualquer possibilidade de sucesso do país.

    Gostar

  60. xico permalink
    24 Maio, 2010 20:29

    CAA, apoiante do estado social?

    Gostar

  61. JFM permalink
    24 Maio, 2010 20:56

    Desde logo acho interessante a quantidade de comentários que este post desencadeou. Mas o mais interessante é o tipo de comentários. Muito há a dizer sobre aumentos ou diminuições da despesa, mais ou menos corrupção, mais ou menos “tachos”. Talvez estas ideias feitas não sejam mais do que isso, ideias feitas que não correspondem à realidade. Despesismo, corrupção e “tachismo” costumam ser características dos Estados centralizados. Em Portugal uma demagogia intelectualmente desonesta conseguiu associar essas pragas à ideia de regionalização. Pela minha parte creio que a regionalização é indispensável e inevitável e que vai ser feita diminuindo a despesa, reduzindo o nível de corrupção existente e sem aumento do número de “tachos”.
    Mas o que me incomoda mais em alguns comentários são os processos de intenções rasteiros, as acusações gratuitas e a imensa mediocridade e mesquinhês subjacente. Um grupo de cidadãos propõe-se criar um partido regional. Terão de dar a cara, apresentar propostas, debatê-las, defendê-las, submeter-se ao voto popular. Compreendo que as ideias que apresentam sejam atacadas pelos que deles discordam. Não compreendo os comentarios de mercearia que aqui foram feitos por alguns comentadores. Vamos comentar e discutir ideias e não pessoas ou intenções. Depois quem quiser adere, quem não quiser não adere. Depois cada um exprime a sua opção pelo seu voto. Esse é o príncipio básico do debate democrático e republicano. Tudo o mais é poluição.

    Gostar

  62. MDN permalink
    24 Maio, 2010 21:22

    Não considero que os moldes adequados passem pelos municipios ou autarquias, essas instituições não têm qualquer dinamica, poderes, ou capacidade para promover o desenvolvimento que as nossas regiões necessitam. Pensar o contrario, isso sim é ingenuo. E é mais facil responsabilizar um pequenos nucleo que um gigante, logo a regionalização é um caminho a ser pensado e seguido. Até porque a unica razão que aqui foi dada é a corrupção, e isso e um efeito eventual e indirecto que pouco tem aver com a ideia e conceito da regionalizaçao. De qualquer maneira a ideia principal é mesmo essa, o Estado esta aqui para nos servir, e pelo aquilo que tenho visto eles nem sabem o que se passa com os vizinhos quanto mais nas regioes que nunca ouviram falar. A proximidade, a visao das necessidades especificas de cada regiâo, as suas capacidades o seu potencial é melhor desenvolvido por aqueles que la vivem, que passam pelas pessoas que os elegem e sobretudo que usem as mesmas infrastuturas que criam e que destroem.

    Gostar

  63. 24 Maio, 2010 22:32

    Não é de surpreender que o PS queira discutir a regionalização agora.

    A regionalização, a adopção por casais homo, os resultados da selecção nacional, a areia das praias, etc, etc.

    O PS parece aqueles reformados que gostam de discutir tudo dizendo banalidades.

    Gostar

  64. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 00:53

    Esse “norte caragoo” criado ou comaçado a criar há 20 anos pela politiação do futebol e por intermédio do corrupto do pinto da costa, comaça na ribeira, passa pelo esrtádio das natas e caba em gondomar, na melhor das hipóteses corresponderia aso limites do distrito do porto.

    Mas nada de misturas com os transmontanos, para lá do marão continuam mandar os que lá estão, e os minhotos também tem a sua identidade próprtia, de minhotos, não do norte, se chegraema a braga, fafe, giomarães, ou viana e perguntaram ás pessoas o que são, elas dizem-se minhotas, se forem a vila real, bragança, mirandela, chaves, mogadodouro, estc, o pesoal dis-se transmontano, não desse norte politizado em tono do futebol clube do porto que que só entra na cabeça de meia duzia de fanaticos regionalistas adeptosa do FCP como o CAA.

    Nunca se pode deixar dividir e regionalizar o pais no mapa das 5 regiões, e dar a essa gente do porto poder que eles nunca tiveram sobre Tras-os.montes e o minho, se eles assim já fazem a merda que fazem se lhes dessem poder e uma bandeira seria levar o pais a destruição em 20 a 30 anos, e daqui iamos direitinhos para uma federação comsede em madrid, e o objecvtivo dos regionalistas é eses memso dividir portugal para nso empacotar numa federação com sede em madrid.

    O norte do CAA e restantes fanticos regionlistas do Porto acaba em Gondomar.

    Para lá do marão madanm os que lá estão.

    Viva Portugal.

    Gostar

  65. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 00:54

    Esse “norte caragoo” criado ou começado a criar há 20 anos pela politiação do futebol e por intermédio do corrupto do pinto da costa, começa na ribeira, passa pelo estádio das antas e acaba em gondomar, na melhor das hipóteses corresponderia aso limites do distrito do porto.

    Gostar

  66. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 01:01

    Somos um estado-nação que começou no Minho, e agora vêm estes tristes do Porto querer destruir isto em favor de uma federação com sede me Madrid.

    Ouçam lá eu não nasci ontem, a Regionalização não é um fim em si mesmo, é sim um meio para atingir um fim e esse fim é o iberismo e o leviatão da ibéria, sendo assim a regionalização é uma armadilha que os castelhanos querem lançar sobre Portugal através do seu boy de serviço, de nome IBERÒCRATES e de mais meia dúzia de traidores que subornaram e compararam no Porto, refiro-me a Menezes, entre outros notáveis.

    Perguntem ao traidor do Saramago ou ao Mário Soares se eles são a favor da regionalização?
    Claro que ambos vão dizer que sim, são os dois uns traidores de merda, esse filhos da puta, por isso você e quem defende essa merda da regionalização estão do lado dos que fazem o jogo dos castelhanos, é obvio, o objectivo dos castelhanos é dividir Portugal, balcanizar o pais para depois nos lançar a luva aos fim de 900 anos.

    A regionalização já foi chumbada pelos portugueses e se já no mapa das 9 regiões era perigosa para o pais, no mapa das 5 seria o suicídio total, nem pensar dar a esses regionalistas fanáticos do porto o controle sob Trás-os-Montes e o Minho, nem pensar nisso, isso era dar ao porto uma massa critica que o porto não tem e um perigo para o pais.

    O vosso “norte cargoo”, esse vosso pseudo-pais do douro para cima só existe na cabeça de meia dúzia de fanáticos regionalista do Porto que em comum tem o facto de serem adeptos do FCP, e que querem usar a politização do futebol para dividir o pais.

    Esse vosso norte acaba em Gondomar e em Gaia, nem sequer atinge os limites do distrito do Porto, porque em Penafiel já é o vale do Sousa quanto mais englobar Trás-os-Montes e ao Minho.
    O pais já está pouco endividado ainda ia-mos arranjar ai mais tachos para as matilhas de caciques no desemprego, com governos regionais, com presidentes e secretários para tudo e mais alguma coisa, mais uma carrada de tachos e mais um nível na administração do estado com a a consequente burocracia associada que resultaria ainda em mais corrupção, e isto só para arranjar tachos para estes dementes regionalistas do Porto.

    É só chularia.

    Gostar

  67. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 01:03

    Mas se ter um partido alinhado com os interesses espanhóis é muito mau (PS) , dois é o cúmulo, e o problema é que a facção regionalista do PSD Porto encabeçada pelo senhor Luis Filipe Meneses já está também alinhada com os castelhanos, e este Meneses o tal que preside a organização do noroeste peninsular de que é presidente, que se assumiu como “militante peninsular” , ou seja, iberista, e que esteve casado com uma espanhola, escreve menezes com z e não com s veio agora há uns dias defender o ensino do castelhano desde a primária em Portugal, ou seja está tudo dito.

    Ou seja esta sugestão deste traidor do Meneses faz parte do plano que já está delineado que passa por avançar em força com o ensino do castelhano em Portugal, de modo que quando a tal “ibéria” esteja para ser constituída, pelos meus cálculos quando os putos que estão a nascer em Badajoz tiveram 20 e tal anos e já possam votar a favor, a questão da língua não seja um entrave, visto que os portugueses nessa altura se tudo correr como estes traidores planeiam já estarão todos a falar o castelhano, que depois mudará de nome e passará a chamar-se de língua “ibérica”.

    Isto é só traidores à pátria.

    Estes traidores do Porto e arredores encabeçada pelo senhor luís Filipe Meneses e companhia, estão nesta cruzada anti-patriótica juntos com o iberócrates, querem destruir este pais à força toda, e para esta estirpe de gente vale tudo, até passar a ser colonizados pelos castelhanos, desde que lisboa seja destruída, como que lisboa não fosse Portugal.

    Em relação a esse “norte”de que estes senhores do Porto e outros dementes regionalistas da zona metropolitana do Porto que tem todos o denominador comum de serem quase todos adeptos do FCP gostam de falar e parece que querem criar à força com base na politização do futebol, esse vosso “ norte cargoo” não passa de Gondomar, quanto mais chegar a Trás-os-montes e ao Minho e o que mete mais nojo é que estes pandeleiros do porto e arredores aproveitaram-se da criação das nuts ( numenclatura de unidade territorial) em 2002 que foram criadas apenas para fins estatísticos para tentar criar desde então uma identidade de “nortenho” que de facto não existe, ou que a existir se aplica apenas a esses dementes regionalistas que vivem na área metropolitana do porto.
    É este o objectivo desta cambada de traidores convertido ao iberismo que se apoderou deste partido socialista, bem como de alguns já do PSd anteriormente enumerados, e a regionalização não é um fim e si mesmo, mas sim um meio para conduzir Portugal ao iberismo, de modo a destruir Portugal para que depois se de o etnocidio da cultura portuguesa por esse filhos da puta dos castelhanos.

    Por tudo isto regionalização, não obrigado.

    Regionalizar o pais seria catalisar essa entrega, seria acelará-la, e depois você vem dizer que defende o frente atlântica, e tem o Meneses que preside ao tal eixo do Noroeste Peninsular, a defender o ensino do castelhano em Portugal, e a confessar-se militante peninsular, ou seja, iberista, vá-se curar.

    Ou seja, esta tudo dito, os castelhanos já compraram o PS, e compraram estes dementes regionalistas do Porto, encabeçados pelo também traidor iberista do Meneses e companhia porque para certas e determinadas pessoas do porto, Lisboa não é Portugal, e tudo é preferível a estar sob o domínio de Lisboa, nem que seja preciso mesmo passar a soberania para os castelhanos e passar a ser mandados de Madrid.

    Esta é que é e verdade, vocês são uma cambada de traidores à pátria, e para mim:

    REGIONALIZAÇÂO=TRAIÇÃO=IBERISMO.

    Eu sou um patriota, nem sou do Porto nem de Lisboa, sou das beiras, acima de tudo e qualquer coisa sou PORTUGUÊS.

    E o meu pais começa em Bragança e acaba em Faro, não há enclaves pelo meio.

    Eu não tenho nada contra o Porto e suas gentes, tenho sim contra meia dúzia de fanáticos regionalistas do Porto, que querem por em causa a unidade nacional do estado mais antigo da Europa, do único estado nação da Europa e de um pais que é dos 10 mais antigos do mundo.

    Em vez de preservarmos, termos orgulho e darmos graças a deus por sermos o único estado nação da Europa, em vez disso temos esta meia dúzia e traidores à pátria do Porto e arredores, vendidos aos euros castelhanos que querem destruir este património quase milenar.

    Eu também não gosto de ouvir o pessoal de Lisboa a falar mal do pessoal do Porto, somos todos portugueses e temos que remar todos para o mesmo lado, e não andar aqui a defender regionalizações que apenas iam balcanizar o pais, aumentar a despesa do estado a um nível incomportável bem como a burocracia com cargos regionais que não interessam ao pais.

    A mim já me basta ter um Alberto João, quer arranjar aqui mais uns 5 no continente para rebentar com esta merda toda, e entregar isto aos castelhanos, é isso que quer?

    Quer por os seus netos a aprender castelhano na escola?

    Se é isso que quer defenda a regionalização, eu digo-lhe que a regionalização é uma armadilha que andam a lançar aos portugueses para nos dividir e enfraquecer, tal como o TGV que é um crime que se quer fazer, e só não vê quem não quer, que esta obra seria a ponta de lança do ataque final dos castelhanos a Portugal, com a fuga das empresas multinacionais para Madrid e redução da bolsa de Lisboa à insignificância, servindo também para endividar o pais para depois sermos encarcerados no império colonial castelhano.

    É isso que querem, se querem ser espanhóis avancem com a regionalização e com o TGV a ligar Lisboa a Madrid que vão lá chegar.

    Os Portugueses deviam-se orgulhar sim de ser o único estado nação da Europa, não havendo por isso como é lógico regionalização nenhuma no pais, em vez de andarem a tentar destruir isto.

    Quem escreveu este post e já que deu o exemplo da Catalunha, que vá lá perguntar aos catalães se estes permitiam que a Catalunha fosse regionalizada e dividida, de certeza que diriam logo que não porque isso os iria enfraquecer, enquanto que você aqui em Portugal quer dividir e enfraquecer o seu pais, abra os olhos.

    Agora os Portugueses quererem destruir o seu pais é que não percebo, ou andam cegos, ou não querem ver, ou então e não tenho dúvidas que muitos deles estão comprados pelos castelhanos.

    O dinheiro não tem cheiro.

    É este o objectivo desta cambada de traidores convertido ao iberismo que se apoderou deste partido socialista, bem como de alguns já do PSd anteriormente enumerados, e a regionalização não é um fim e si mesmo, mas sim um meio para conduzir Portugal ao iberismo, de modo a destruir Portugal para que depois se de o etnocidio da cultura portuguesa por esse filhos da puta dos castelhanos.

    Abram os olhos meus amigos, querem destruir aquilo que já existe há quase 900 anos e que custou tanto a construir, à custa de sangue suor e lágrimas contra os filhos da puta dos castelhanos.

    Por tudo isto regionalização, não obrigado.

    Por fim, deviam ter vergonha de criticar o Cavaco, esse sim um grande patriota, algarvio mas que nunca quis sequer ouvir falar disso de regionalização, não é como esse ignóbil desse Mendes Bota e desse Macário, essa gente não tem categoria para estar num partido de direita.

    E tal como vi escrito num num blog, aqui vai o slogan:

    Morte à Espanha e a Castela.
    Independência para a Catalunha, Pais Basco e Galiza.

    Viva Portugal.

    Gostar

  68. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 01:12

    Apoiado amigo, se o mapa das 9 regiões já era mau para o pais, este mapa das 5 regiões seria a desgraça total, impensável, dividir em 9 ou 11 regiões nunca é tão perigoso porque se aplica o principio do dividir para reinar, e nunca se dá poder a nunhuma região para se insoburdinar contra o poder central, agora em 5 era gerar o caos no pais, nem pensar nisso.

    Este pais aser reginalizado tem que o ser em 9 ou 11 regiões, ou seja, Trás-os-Montes, Minho, Porto e douro litoral, beira alta e beira baixa, ou fusão destas me beira interior, beira litoral, Ribatejo, lisboa (estremadura), alto alentejo, baixo alentejo e algarve, assim o perigo nuca seria tão grande porque não se daria poder a nenhuma região para afrontar o poder central agora no mapa de 5 regiões dando poder aos regionalisats do porto sobre tudo acima do douro nem pensar, isso seria desgraça do pais.

    Dar a estes fanáticos regionalistas do Porto que nuca mandaram em nada e já fazem este barulho e algazarra toda poder, senhores estes movidos por um ódio pérfido a Lisboa e a grande parte do pais que estes senhores do Porto pela boca dos seus heróis, nomeadamente pinto da costa designam de “Mouros” , dar poder a estes senhores seria desgraça e a destruição do pais.

    O objectivo desta gente é pérfido, movidos pela politização do futebol querem destruir Portugal, para eles tudo é melhor a estar sob o domínio de Lisboa, até fazer parte de uma federação com sede em madrid, um dos seus “heróis”, o senhor Meneses até já se assumiu como militante peninsular, o que traduzido dá iberista, e aliado a isso ainda defendeu o ensino do castelhano desde a primária em Portugal, de alguém que esteve casado com uma senhora de ascendência espanhola, penso que está tudo dito.

    Outro dos “heróis” regionalistas é o Serrão, anda para ai sem fazer nada armado em bloguista e comentador de programas de televisão, esse senhor devia ter vergonha de andar a aparecer em programas da televisão pública e de ir a Lisboa grava-los como esse família família que anda a passar na RTP 1, depois daquilo que diz sob Lisboa no seu blog bússola, de uma bússola precisava ele para se orientar
    Para esta gente que nutre um ódio de morte por Lisboa tudo é melhor do que estar sob o dominio de lisboa, até passar a ser vassalos dos castelhanos, e esta personagem declaa isso mesmo no seu blog, ele quando a bandalheira acabar também vai ter problemas e julgá-lo por traição à pátria ainda é pouco.

    O meu pais começa em Bragança, e acaba na ponta de sagres somos todos Portugueses, também não gosto de ouvir o pessoal de Lisboa falar mal do Porto, aí são os de Lisboa que levam nas orelhas e são criticados, e nada tenho contra as gentes do Porto, tenho apenas contra esta cambada de separatistas/regionalistas/traidores/iberistas que fazem afirmações pelas quais até parece que Lisboa não é Portugal, esquecendo-se estes senhores do Porto que Lisboa é capital de Portugal desde o séc. XIII, mais concretamente desde 1256 sendo elevada a capital do reino por d. Afonso III, 5º reino de Portugal, ou seja, não foi ontem nem na semana passada, nem há uma dezena de anos que meia dúzia de senhores decidiram que Lisboa seria a capital do pais, já foi há quase 800 anos.
    Pela conversa destes fanáticos regionalistas do Porto parece que o Porto é que tem que passar a ser a capital de Portugal, o Porto nunca foi capital de nada nem nuca há-se ser mais do que capital do distrito do mesmo nome, e convêm lembrar que antes de Lisboa ser a capital do pais foi-o em primeira instancia Guimarães e depois Coimbra, nunca o Porto.
    Eles querem matar Portugal e estão feitos com os castelhanos, por isso esta gente que nunca mandou em nada, nunca há-de nem pode vir a ter poder no futuro, entregar-lhes o domínio sobre o Minho e Trás-os-Montes seria dar-lhes uma massa critica que eles não tem e isso levaria o pais a desgraça.

    E muitos destes regionalistas que gostam tanto de empregar a palavra note, norte esse que acaba em Gondomar como eu disse, no anterior referendo de 97 votaram contra porque eles querem poder à força toda, mas não pouco poder, não lhes chega apenas mandar no seu burgo, entenda-se porto e arredores, querem-se esticar que é para terem mais poder e lançar assim o pais na destruição.

    Esta gente não interessa ao pais.

    Nós temos é que juntar forças a ver se decapitamos o abutre castelhano, apoiando os bascos, os catalães e os galegos que como nações históricas que são querem ser descolonizados equilibrando os poderes na península, isso sim é o que devemos tentar fazer, e os sinais que emanam de lá são disso mesmo, como este ultimo referendo feito na Catalunha dia 13 de Dezembro de 2009, em que 94,7% das pessoas votaram a favor da independência da Catalunha, Catalunha esta que nós encomenda cerca de 60 % daquilo que se diz que exportamos para aquilo a que chamam Espanha, esse pais fantasma, o restante vai para a Galiza, os castelhanos não nos compram nada, pelo contrário mandam-nos água poluída e radioactiva, e vem-nos como depositório dos excedentes comercias deles, ou seja, mandam para cá a murraça.

    Era nisto que estes fanáticos regionalistas se deviam concentrar em vez de andaram para ai a tentar destruir e dividir o ultimo estado nação da Europa, para depois daqui a uns anos o entregaram de bandeja aos castelhanos.

    È para este cenário que estes regionalistas querem conduzir o pais, uns conscientemente outros não, eu comparo-os, a uma criança de 3 anos que quer comer guloseimas, ou seja, a criança não quer saber que as guloseimas lhe virão a fazer mal aos dentes no futuro, quer é comer as guloseimas que puder no momento e quantas mais melhor, e ai é que alguém tem que lhe fazer ver que isso lhe vai fazer mal aos dentes no futuro, acontece o mesmo com estes senhores, pensam o momento mas não são capazes de pensar o futuro nem o pais.

    O vosso norte acaba em Gondomar.

    Em Penafiel já fica o vale do Sousa.

    Quanto mais chegar ao Minho e a Trás-os-Montes.

    Para lá do Marão mandam os que lá estão.

    Viva Portugal uno e indivisível.

    Viva Portugal.

    Independência para a Catalunha, Pais Basco e Galiza.

    Gostar

  69. 25 Maio, 2010 10:02

    “Lisboa rouba 173 milhões dos fundos
    que eram destinados para regiões pobres de Portugal, sendo a maior fatia sonegada da Região do Porto.”

    Regionalização já é pouco. Basta ler notícias como esta para perceber que o Norte, a Região mais pobre do país, tornada assim pelas contingências da globalização, por falta de visão dos seus empresários e muito pela asfixia centralista.
    Engraçado é ler depoimentos centralistas a justificar o desvio com o argumento que “os investimentos realizados na capital têm benefícios noutras regiões”. C O M O ???????

    Pena é que muitos nortenho continuem a defender valores e símbolos lisboetas em vez de lutarem e exigiram igualdade. provavelmente será precisdo que os seus filhos continuem a só encontrar emprego em lisboa, ou que se cansem de recorrer à EDP em lisboa porque a luz da sua rua está acessa de dia…
    Esses que fazem parte de um povo outrora empreendedro tornou-se por hoje um povo manso, sem capacidade de lutar pelos seus ideiais, deixando tudo na mão de biltres centralistas.
    Será preciso que o sangue corra debaixo das pontes para perceberem que são roubados e enganados pelo terreiro do paço?

    Gostar

  70. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 15:33

    Mais uma vez digo e repito:

    Esse “norte caragoo” politizado em torno do futebol Clube do Porto não passada de Gondomar.

    Nada de misturas com transmontanos e minhotos.

    Trás-os-Montes é trás-os-montes, nada de misturas, não é norte, norte é porto e area metropolitana, nada mais, e as pessoas em trás-os-montes tem uma identidade própria de Transmontanos e não do norte, esse norte começa na ribeira, passa pelo estadio do dragão e caba em gondomar e ermesinde.

    O Minho é minho, também não faz parte desse norte politizadoeme torno do FCP, as pessoas do minho dizem-se minhotas.

    O problema é que esta gente do porto movida por um ódio doentio e patológico a lisboa quer poder, mas não um poder qualquer, o que eles querem é poder sobre tudo acima do douro para depois destruir o pais numa guerra norte-sul.

    Eles querem regionalizar o pais mas querem alargar os seus dominios feudais para tras os montes e minho para gnahar poder e uma massa critica que não tem, e para bem do pais isso nunca pode aconbtecer senão seria o desastre total para Portugal.

    A regionalizar o pais, esta gente do porto que nunca nos passado mandou em nada, apenas pode deter o controle sobre o porto e area metropolitana ou actual distrito, nada mais, mas isso eles não qurem, eles querem poder sobre tudo acima do douro, para lançar o pais no caos.

    Esta gente do porto é movida por objectivos pérfidos, eles não querem regionalizar nada, eles querem retalhar, dividir, destruir e matar portugal.

    Basta ir aos blogs regionalisas/separatistas deles, como por exemplo o bussula do baboso do serrão que se ivesse vergonha na mona nem pareceia nos programas da RTP em lisboa depois de tudo que diz de lisboa,ou o regiões.blogspot para ver os posts vergonhosos que eles lá colocam, e o objectivo desta gente é resuscitar a galécia morte e enterrada ha´ mais de 1500 anos, ou seja, vivem nesta utopia de rescucitar a galécia, com se os castelhanos algum dia o permitissem.

    Nós se nos queremos menter como pais temos que permanecer unidos, se nos dividir-mos o destino será apenas um, uma federação com sede em madrid.

    Em relação aos fundos que esta ultimo participante refere, eles devem ser ditribuidos pelos pais de forma correcta e adequada, e o porto não deve ser prejudicado em favor de lisboa, nem o porto nem nenhuma outra parte do pais, o pronblema é que o iberócrates quando desvia fundos do porto para lisboa faz-o para acicatar o pessoal do porto, e o pessoal do porto não se apercebe que esta a morder o isco lançado pelos traidor iberista, é isso mesmo que ele quer, dividir e balcanizar o pais para nos empacotar numa federação com sede em madrid.

    Abram os olhos.

    Gostar

  71. Centrista permalink
    25 Maio, 2010 18:07

    “Em primeiro lugar, o contrapoder do Alberto não existe porque é manietado pelo próprio Alberto, usando de condições que só o seu poder feudal lhe permite dispor(meios de comunicação, subsídios que calam consciências, empregos na administração regional, etc.)”

    Pois, mas isso é problema dos madeirenses – se eles o querem lá, isso é um problema da escolha democrática, e não da existência de regiões. Cá 37% dos portugueses quis gramar com o Sócrates outra vez. Isso não tem a ver com regiões, mas com a apologia da anarquia. É outra questão.

    A questão em causa é o dano que o Alberto João causa ao resto do país, que não votou nele. E aí o meu argumento aplica-se: se houvesse uma região onde moro, eu não seria afectado nem pelo regionalismo do AJJ, nem (tanto) pelo centralismo do JS.

    “Diga-me uma coisa: a regionalização teria influência no caso Ricardo Rodrigues? No caso Domingos Névoa? No caso Freeport? No caso Casa Pia?”

    O caso Freeport é paradigmático. Foi o contrapoder autárquico que denunciou a situação, recorda-se. Com regiões, dificilmente o Sócrates aprovaria aquela brincadeira sozinho. Checks and balances, meu caro!

    Gostar

  72. Centrista permalink
    25 Maio, 2010 18:13

    “pessoal do porto não se apercebe que esta a morder o isco lançado pelos traidor iberista, é isso mesmo que ele quer, dividir e balcanizar o pais para nos empacotar numa federação com sede em madrid.”

    Nem pensar. O que se quer é secessão de Lisboa. Não querem ser colónia de férias de Madrid? Pois ide. Portugal agradece.

    Os portugueses somos nós, não eles.

    Gostar

  73. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 18:58

    Meun amigo, o seu comentário dá-me vontade rir?

    diz-se que cego é aqele que não quer ver, e você insiste em não ver.

    O próximo passo na nossa condução ao leviatão da ibéria almejado pelo iberoócrates e restante comandita do gol que se apoderou do governo, nomeadamente, rui pereira e luis amado, passa por dividir o pais como se ele já fizesse parte da tal ibéria, por isso é que o qurerem dividir em 5 regiões.

    Dividir o pais em cinco regiões é cose-lo a espanha, está aperceber, por isso não venha para ai armado em contrista opu coisa que o valah, para mim voces são todos a mesma merda, chame-se nortistas, centristas ou sulistas.

    Como eu já disse atras o meu pais comreça em bragança e acaba em faro, não há enclaves pelo meio, somos um estado nação, e devemos preservar isso em vez de dinamitar essa conquista unica, portugal é o unico estado nação da europa, sabe o que isso signofica, devia saber.

    Eu não gosto de ouvir o pessoal do porto falar mal de lisboa, da mesma menira que não gosto de ver os de lisboa a falar mal dos do porto, ou os de faro a falar mal de lisboa, os os do porto de braga, ou seja, quem for a falar, para mim somos todos portugueses e isso esta acima de qualquer outra coisa.

    Eu gostave de o ver aqui falar em defesa da beira litoral ou da beira alta, é assim que devemos ver o pais, no mapa das 11 regiões, deixesse de centrismos, que as tantas voce é um regionalista do portto disfarçado de centriata ou coisa que o valaha, apanhe juizo nacabeça homem.

    Em relação ao alberto joão esse anda afalar de mais, anda a precisar de que lhe apertm os calos, ele fala muiot, mas se lhe cortassemos a energia que vai daquyi do continente ele aibda hoje andava com candeias apetroleo em casa, ou esquecesse disso, a luz que a madeira consome vai do continente.

    Depois ele fala como fala porque não há aqui ninguem que lhe cale os queixos, como se diz aqui em cima, e como ele ve que isto é desgovernado p+or um traidor iberista feirtos com os castelhanos de nome socrates-iberoscrates, e p+or um PR que agora se metu num buraco e parece decidido a não sair de lá. o alberto joão, vai dizendo aquilo que deve e o que não deve.

    Gostar

  74. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 19:09

    Nem pensar. O que se quer é secessão de Lisboa. Não querem ser colónia de férias de Madrid? Pois ide. Portugal agradece.

    Os portugueses somos nós, não eles.

    Este tipo de comentários é pr´oprio de separatistas reacionários movidos por um ódio cego, doentio e patológico a lisboa, voce define-se como centrista mas pelo seu discurso não duvido nada que seja um fantico regionalista do porto que adoptou o nome de centrista para ver se engana o povo, voce é um regionalista do porto, nada mais.

    Lisboa é há 800 anos a capital do apis e assim vai continuar, você para vir para aqui dizer estas baboseiras é melçhor estar calado, sabe que mais, meta a viola ao saco e procure apoio psicológico.

    Gostar

  75. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 19:11

    Em relação a quem defende que liboa seja a praia de madrid isso veio de mais um iberista que esta no governo, o mendoza ibéric, sucessor do também iberista do lino iberico.

    Portugal para resistir como pais não se pode dividir em 5 regiões, caso contrário é comoeu digo vamos direitinhos para uma fedração com sede me medrid.

    Gostar

  76. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    25 Maio, 2010 20:36

    Portugal a ser regionalizado algum dia, teria que o ser no mapa das 11 regiões, fica o link:

    Mesmo assim, eu não sou a favor porque penso que Portugal não precisa de isso para nada e somos um povo uno e indivisível, mas a regionalizar, e apesar de eu ser contra, neste mapa a coisa não seria muito perigosa para o pais, porque se aplicava o principio do dividir para reinar e não se dava poder aos regionalisats do porto para lançar o pais no caos.

    Agora no mapa das 5 regiões isso é impensável, seria o caos para Portugal, nem pensar, em 20manos perdiamos a independencia e eramos assambarcados pelos castelhanos, que é o objectivo deste mapa das 5 regiões que o traidor iberista do sócrates e companhia nos querem impor para dividir e balcanizar Portugal, de forma a enfraqucer o pais, de modo que depois de dividido e enfraquecido e endividados ate um nivel incomportavel a espanha nos sejá parentada como uma inevitabilçidad, este é o plano do traidor iberista, do coveiro d eportigal, esse sócrates, esse miguel de vasconcelos do sec XXI ao serviço dos castelhanos.

    Gostar

  77. Centrista permalink
    26 Maio, 2010 12:46

    Não seja ridículo. Vem para aqui dizer que regionalizar é entregar o país a Espanha, mas se forem 11 regiões já pode ser. Isso não faz sentido nenhum.

    Depois, quem vem aqui lançar ódio é V.Excia. – ódio contra o Porto. Não sei por que motivo. E as suas acusações carecem de fundamento. O Porto sempre esteve do lado da liberdade e da autonomia de Portugal – várias vezes com pouca companhia. Estude história e depois conversamos. Até lhe digo, se quiser acabar com o iberismo, vai ter de mudar a capital. Não para o Porto, que o Porto não tem perfil para isso. Para Viseu, Coimbra ou até Aveiro, por ex.

    Lisboa sempre defendeu, e vai continuar a defender o eixo horizontal Lisboa-Madrid-Barcelona como eixo de desenvolvimento. A regionalização é a única forma de assegurar a via atlântica como eixo de desenvolvimento – o único caminho que garante a soberania e independência nacional. Vá ao minho ver se não estão lá os mais fervorosos portugueses.

    Pelo contrário, a regionalização portuguesa é altamente perigosa para Espanha. Leia A Arte da Guerra. Madrid para dominar portugal precisa de um Estado Central intacto. Portugal regionalizado destroi o poder de Madrid como intermediário com as autonomias espanholas. Os movimentos autonomistas galegos e lusitanistas (extremadura) espanhois explodiriam.

    V.Excia ignora que hoje cada vez mais os portugueses no Norte e Centro se sentem como colonizados pela capital. Cada vez mais vão trabalhar para Espanha. Voltar a ser cidadão no próprio país é a maior garantia de coesão nacional, e de patriotismo fervoroso. Num Portugal regionalizado, eu luto pelo meu país. Num Portugal colonizado pela capital, prefiro a colonização benigna de Madrid – na qual terei certamente mais autonomia que na colonização actual.

    Sabe, somos todos igualmente portugueses, sim. Só que uns são mais iguais que outros. Não tenho interesse num país assim. E sim, vou lutar para que Portugal seja de todos os Portugueses, e não apenas dos colonizadores e iberistas traidores instalados em Lisboa.

    Gostar

  78. Centrista permalink
    26 Maio, 2010 12:52

    “Eu gostave de o ver aqui falar em defesa da beira litoral ou da beira alta”

    Meu caro, em Lisboa defendi e assegurei políticas justas para todo o país, na minha área de influência. Passei meses a argumentar que o país não era só Lisboa – e sempre a ouvir que Lisboa era maior e por isso devia ficar com o investimento todo, que “ali era mais rentável” – uma verdadeira mentalidade de “Portugal é a nossa coutada e só serve para pagar impostos”. Foi uma luta de meses e levei a melhor, dentro do possível. Seguramente as beiras não ficaram a perder. Não devo nada a ninguém.

    Gostar

  79. Centrista permalink
    26 Maio, 2010 12:55

    Quando tenho reuniões com organismos públicos em Lisboa, várias vezes me sugeriram que mudasse a sede para lá, que não fazia sentido uma boa empresa não estar sedeada na capital. Olhavam para mim como a um alien por ainda não ter mudado.

    Sempre lhes digo que mudem eles para a Beira. Reduziam os custos do Estado e serviam melhor o país. Ficam de trombas, sempre. Não me importa – que provem do próprio veneno.

    Gostar

  80. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    26 Maio, 2010 16:40

    Eu nada tenho contra as gentes do Porto, tenho sim contra gente como voce e contra esses cães regionalistas do porto comanadados pelos traoidor iberista do meneses e companhia, que já veio dizer há uns tempos que é um militante peninsular, ou seja iberista, e defendeu o ensino do castelhano em Portugal.

    É este gente que defende o interesse dos portugueses, estes cães regionalisats feiros com os castelhanos, sim, sim, conte-me histórias.

    Voce é tão obtuso, e tem um ódio de morte pela capital, que ate vem para aqui defender uma mudançºa e outras barbaridades do género.

    Depois os regionsliastas do porto passam a vida a falar do centalismo e do poder central, e depois eles próprios são so maiores centralisas, visto que querem regionalizar o pais mas querem criar uma nova centalidade à volta do porto colonizando eles os minhotos e os transmontanos~.

    a regionalizar há que regionalizar de vez, e acima do douro no minimo duas ou então 3 regiões, Porto e douro litoral, Minho, ou junção desta en entre douro e minho, e Trás-os->Montes, sempre à parte do porto, contudo os regionalisats do Porto nemquerrem oubvir falar disto, para estes ca~es traidores à patrias tem que ser tudod deles do doura para cima para lançar o apis no caoes, alguns ainda vivem na utopia reacionartia de rescucitar a gelécia, dementes é o qe leh posso chamar.

    Eu por defenição sou contra a regionalização, mas se for no mapa das 11 regiões ainda sou capza de pensar, no das cinco é que nem pesnsar, voces do porto não merecem nem podem ter poder porque senão destroem o pais e entregan-no aos castelhanos, e o traidor iberista do socrates esta a explorar isso, por que o que ele quer é dividir o pais em 5 regiões para nos lançar na vossa guerra norte sul politizada em torno do FCP para depoiss sermos todos empacotadfos numa federação com sede em madrid, o plano é este e o porto e os ca~es regionalistas do porto estão aser instrumentalizados e nem se apercebem.

    deposi não me venha para aqui com lições de história, a arte da gurra foi escrito no sec IV antes de cristo, isso não se palica aos dias de hoje.

    Depois dizer que lisboa defende o eixo lisboa madrid barcelona, ouça lá quem defende isso é o traidor do IBERÓCRATES, não é lisboa, nem os portugueses, é ele que foi comprado pelos euros castelhanos.

    Deopois voce vem para aqui falar a esxremadura espanhola, sabe quem é o presidente, é o senhor guillermo vara, o filho da puta nasceu em olivença, mas de portugues não tem nada, muito pelo contrário, diz o chulo que vai resolver a qestão de Olivença com a criação da euroregião ACE, Alentejo-centro-estremadura, se isto não é iberismo, então diga-me lá o que é.

    Depois nnão vena pata aqui com essa retórica iberista dos portugueses do norte e centro, para mim norte, centro e sul, não são mais que vertices geográficos, fale-me de minhotos, transmontanos e beirões , agora desse norte politizado em torno do FCP com o qual apenas os habitantes da area metropolitanaa do porto se identificam, e desse centro que os regionalisats andam a tentar promover para não aprecer que estão sozinmhso na quetão da regionalização, poupe-me com esse conversa.

    Se voce quer defender os interesses dfe Portugal, e não quer quelhe chamem iberista, quando falar de regionalizaºção defenda o mapa das 10 ou 11 regiões, não o de 5, dividir o pais no mapa das 5 regiões é dividi-lo como que se ele já fizesse parte de uma federaçao com sede me madrid, é cose-lo a espanha literalmente.

    Dividi-lo em 11 regiões nunca é tão perigoso para o pais, respeita-se a identidade cultural e social dos poertugueses, aplica-se o principio do dividir para reinar e não se dá poder a ninguem para se sublevar contra o poder central, e cria-se uma descontinuidade me relação a espanha, porque dividir em 5 regi~oes é a divisão que os iberistas traidores querem já apensdar no futuro, e no leviatão da ibéria, meta isso na cabeça.

    Para finalizar digo-lhe que realmente tem razão quando diz que há iberistas em lisboa, é verdade, sócrates, luis amado, mendoça ibericol lino iberico, rui pereira, luis nazare enmntre tantos outros que se vão confessando aos poucos por actos e palavras, mas voce a defender a regionalização no mapa das 5 regiões esdta aser tanto ou mais iberistas do que els, lembre-se disso.

    Gostar

  81. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    26 Maio, 2010 16:44

    79.Centrista disse
    26 Maio, 2010 às 12:52 pm

    Num Portugal colonizado pela capital, prefiro a colonização benigna de Madrid – na qual terei certamente mais autonomia que na colonização actual.

    Com esta afirmação anterior você acabou de se confessar e me dar razão, voce não passa de um regionalista do porto disfraçado e que adoptou o cognome de centrista para lançar curtibas de fuma, que esta alinhado com o ideário iberista.

    E ai no porto começam a ser muitos também, meneses, o baboso doserrão que no seu bussola já lhe ouvi dizer isto que voce repetiu, assim vai este pais, no dia em que isto for ao lugar vai ahever muita gente ter problemas sériso a pagar caro o que anda a fazer ao pais.

    E quem diz barbaridades destas não merece que percam muito tempo com ele, traidores forca com eles.

    Gostar

  82. Centrista permalink
    26 Maio, 2010 18:30

    “deposi não me venha para aqui com lições de história, a arte da gurra foi escrito no sec IV antes de cristo, isso não se palica aos dias de hoje.”

    “A Arte da Guerra” não é um livro de história. É um livro de técnica militar que resistiu ao teste de 2500 anos. E lá vai encontrar a explicação de porque é que os americanos não conseguiram dominar o Iraque – simplesmente porque não falharam a dominar o Estado Central. O mesmo se aplica a Portugal e à táctica espanhola: Espanha está a dominar um Estado intacto, e a repartição de poderes dificulta este domínio.

    “Depois dizer que lisboa defende o eixo lisboa madrid barcelona, ouça lá quem defende isso é o traidor do IBERÓCRATES, não é lisboa, nem os portugueses, é ele que foi comprado pelos euros castelhanos.”

    E o IBERCAVACO SILVA, o IBERDURAO BARROSO, o IBERGUTERRES, o IBERSOARES, o que defenderam quando lá estavam? Que modelo é que a imprensa portuguesa sedeada em Lisboa defende?

    Quando vê alguém a defender o eixo atlântico ibérico como eixo de desenvolvimento, é sempre do Norte ou Centro. Em Lisboa prestam sempre vassalagem – os caramelos de Badajoz devem estar drunfados…

    Gostar

  83. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    27 Maio, 2010 00:12

    Em relação à arte da guerra, e em ralação ao iraque, não tenha inveja dos americanos, eles estão a amrgar bem no iraque e vão amargar enquanto ouver lá petroleo depois vem embora que foi por isso que para la´foram ou sej, aquilo é uma guerra enegética, mais nada.

    No afeganistão, pode ter pena deles, o afeganistão é um cemitério de imperios, nunca ninguem tomou conta daquyilo, nem os ingleses noa auje do império, nem russos, nem os americanos o vão conseguir, vai ver que daqui a uns anos vem embora com o rabo entre as pernas.

    Que voce me fale do ibersoares, esse sim é mais um traidor iberista, sempre foi o filho da puta, na fundação dele não faz mais nada do que trazer lá iberistas castelhanos, esse cão nunca mais orre o filho da puta, é ele e o saramago, para alem disso o ibersosres como lhe chama é juntamento com o almeida santos o tutor do IBERÓCRATES que está a rebetar com o pais todo.

    Iberguterres, não tanto, o guterres podia ter os seus defeitos mas era imcomparavelmente melhor governate e melhor PM que este traidor íberista dreste sópcrates.

    Iberdurão, parece-me melhor euroduraõ, contudo ele é um dos principaos culpados, senão o maior pelo estado em que o pais esta neste momento, visto que abandonou o pais em 2004 e entregou isto a estes iberistas do PSI, partido socialista iberista.

    Ibercavaco, muito menos, o cavaco é um patriota, o problema é que luta sozinho contra este ps convertido ao ibersmo, e este psd meio confessado, o meneses esta a fzaer o jogo dos espanhóis tal como eu já lhe disse, o gaijo ate já veio defender o ensino dos castelhano em portugal, onde é que já se viu.

    Para alem disto esteve casado com uma senhora de ascendencia espanhola, e diz.se militante peninsular, iberista, e esta a frebte da organização do noroeste peninsular.

    Mais uma vez lhe digo, se quisermos resistirr as forças centrifugas de madrid, o pais nunca pode ser regionalizado no mapa das 5 regiões, no mapa das 11 ou 10 ai a coisa já não é tão perigosa, porque se divideo pais em 10 regiões ou 11 regiões, e cria-se uma descontinuidade territorial no que diz respeirto a dimensão das regiões portuguesas em relação as espanholas, sendo as portuguesas mais pequenas, ou seja, porque fazem parte de outro pais,óu seja é uma mensagemms subljectiva que se passa para o mundo e para a população, percebe.

    Regionalizar portugal no mapa das 5 regiões é coser portugal a espanha, é regionalizar portugal de acordo commos interesses castelhanos como se já fizessemos parte da espanha ou da pseudo-iberia do traidor iberpocrates, visto que lançaria o pais numa guerra norte sul que o destruiria, não tenha duvidas amigo, eu acima de tudo quero o bem de portagal, do meu pais e de todos os portugueses onde voce tambem se inclui.

    Para finalizar, o que deve mover os portugueses patriotas é lutar contra castela, unindo-se e não dividindo-se e ajudando e dando uma ma~zinha aso catalães, bascos e galegos a libertarem-se do jugo castelhano, ai portugal emergirá como potencia hegemónica da penoonsula.

    Regionalizar o pais no mapa das 5 regiões é remar em direcção ao iberismo e oa abismo da nação~, não tenha duvidas, no mapa das 10 ou 11 regiões , ai já é difernte agora o mapa das 5 regiões seria o suicidio de portugal.

    abra os olhos enquanto pode.

    Cumprimentos.

    Gostar

  84. Centrista permalink
    27 Maio, 2010 13:21

    “Ibercavaco, muito menos, o cavaco é um patriota”

    Estamos a falar do principal defensor do desenvolvimento unipolar do país? Graças a ele as áreas de fronteira estão dominadas por Espanha. É patriota só se for na conversa. É um traidor a Portugal e um colonizador lisboeta – de patriota não tem nada. Quem é que contribuiu para entregar o Totta aos espanhóis?

    E quem centralizou em Lisboa o INE, IAPMEI, etc – abandonando o resto do país?

    Portugal, com excepção de Lisboa, está abandonado. Só há duas soluções para recuperar soberania e impedir o domínio espanhol: ou regionalizar – sejam 5, 10 ou 20, ou secessão de Lisboa. Não há outra opção.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: