Saltar para o conteúdo

Juros abaixo

7 Setembro, 2011

660 mil famílias não conseguem pagar os seus empréstimos bancários. Uma situação desesperante que é o corolário lógico da falta de maturidade de muitos, associada à ganância de uma Banca usurária. Mas Juros também se abatem.

27 comentários leave one →
  1. Ana Sofia permalink
    7 Setembro, 2011 00:48

    Mas este governo sabe o que anda a fazer?
    O ministro das finanças, parece um extra terrestre, esquesito para caramba, fala, fala e ninguém lhe arranca o que é que seja de concreto,
    A vaidade ou o seu ego tão elevado , dá-lhe um ar de superioridade, que arrepia qualquer mortal, agora dizer onde quando e como vai cortar nas gorduras do estado é que já cansámos de esperar.
    Estes iluminados estão a perder a credibilidade cedo demais.
    Pobre país…

    Gostar

  2. Arlindo da Costa permalink
    7 Setembro, 2011 00:55

    O ministro não parece um extra-terrestre. É.

    Gostar

  3. lucklucky permalink
    7 Setembro, 2011 01:00

    Banca usurária! hahaha para começar o conceito de usura é produto de ideias soci@listas e racistas.
    .
    Já agora os políticos que não cumprem o que prometem não se podem queixar do mesmo?
    Os eleitores a obrigarem os políticos a cumprirem o que prometem não estão ser “gananciosos” e realizar “usura”?

    Gostar

  4. Arlindo da Costa permalink
    7 Setembro, 2011 01:06

    Entretanto, o Governo já ameaça que vai aumentar o Iva do VINHO, praticamente o único PRODUTO NATURAL que se põe na mesa.
    Penso que desta vez o lobby dos hamburguers e dos hot-dogs vai safar-se….
    Não fosse assim, como é que as clínicas esotéricas de «emagrecimento» (da carteira, entenda-se) poderiam manter as portas abertas?

    Gostar

  5. tric permalink
    7 Setembro, 2011 03:13

    650 mil familias x 3 = 1 950 000 pessoas …quase 2 milhões de portugueses… isto esta, lindo, está…

    Gostar

  6. 7 Setembro, 2011 09:18

    PM começou a aprender a assobiar para o lado.

    Gostar

  7. Pi-Erre permalink
    7 Setembro, 2011 10:04

    “A solução do governo para um problema é geralmente pior que o problema.”

    Milton Friedman

    Gostar

  8. 7 Setembro, 2011 10:53

    Neste blogue o Paulo Morais é uma carta fora do baralho.
    Ao contrário do Pedro Arroja que se destacava por ter juízo a menos, o Paulo Morais destaca-se pela razão oposta 🙂

    Gostar

  9. António Costa Amaral (AA) permalink
    7 Setembro, 2011 11:03

    Para minimizar o drama das famílias, mas sobretudo para repor a justiça, o Ministério das Finanças deverá ordenar uma revisão em baixa das taxas de todos, mas todos, os contratos de crédito ao consumo.

    Na Venezuela chama-se isto “socialismo do século XXI”

    Gostar

  10. 7 Setembro, 2011 12:20

    Esperem pela subida da Euribor…
    Mais uns meses, menos uns meses, virá.
    Sugestão 1:
    http://notaslivres.blogspot.com/2011/08/credito-habitacao-amortizacao.html
    E uma Nota (Sugestão 2) de Março sobre os créditos habitação que cairão “como tordos” nas mãos dos bancos assim que a Euribor subir:
    http://notaslivres.blogspot.com/2011/03/e-o-que-vem-seguir.html

    Gostar

  11. certo permalink
    7 Setembro, 2011 14:27

    Uma situação desesperante que é o corolário
    do desemprego galopante, do aumento dos impostos,
    levado a efeito pelo governo reacionário, junto ao aumento
    dos transportes, agravamento dos direitos dos trabalhadores e dos
    mais pobres, carne para canhão deste governo classista, um barrigudo
    amigo da banca, dos boys do partido e assim da famiglia dos ricos

    Gostar

  12. 7 Setembro, 2011 15:39

    Nota 1: o conceito de “usura” é muito anterior ao de socialismo. Já na idade média, a nobreza mantinha uma relação de amor/ódio com aquela burguesia, “usurária”, que lhe emprestava uns cabedais.
    Nota 2: que a atitude da banca tenha sido “gananciosa e usurária”, não admira. O que admira é que, ainda por cima, esteja a ser protegida dos desastres que provocou.

    Gostar

  13. lucklucky permalink
    7 Setembro, 2011 16:35

    O Soci@lismo já existe desde sempre. Anda de mãos dadas com a Aristocracia. Os Direitos sobre os outros.
    Júlio César era um Soci@lista.

    Mesmo usando a vossa bitola é preciso lata em falar de usura quando os juros estão a níveis históricos baixos.
    É ignorância ou pior.

    O acordo foi feito entre ambas as partes de livre vontade.

    Gostar

  14. castanheira permalink
    7 Setembro, 2011 18:50

    A ganância é só dos bancos? Não será também de quem pede os empréstimos? Ou estes são crianças inimputáveis? E os bancos são usurários , porque carga de água , se uns e outros estiveram de acordo?
    É esta mentalidade socialista que irresponsabiliza as pessoas que nos levou e continua a levar para o precipicio.
    A intervenção do governo como sempre só vai piorar tudo . Em quase 40 anos não conseguiram fazer uma lei do arrendamento decente . Conseguirão agora ? Duvido

    Gostar

  15. Anti-Socialista permalink
    7 Setembro, 2011 19:10

    luck,

    o acordo foi feito de livre vontade entre ambas as partes, sim, mas não se esqueça que os preços praticados no arrendamento e a falta de oferta empurrou as famílias para a compra de habitação.

    Gostar

  16. Anti-Socialista permalink
    7 Setembro, 2011 19:11

    *empurraram

    Gostar

  17. 7 Setembro, 2011 20:31

    E porque não promovem, os bancos, uma amortização antecipada?
    Desde que consigam “motivar” os clientes, seria bom para todos.
    Uma boa aplicação das poupanças (em fuga de Portugal) e uma forma dos bancos reduzirem a sua exposição a este tipo de crédito (a taxas pouco interessantes).
    http://notaslivres.blogspot.com/2011/08/credito-habitacao-amortizacao.html

    Gostar

  18. Euro2cent permalink
    7 Setembro, 2011 21:28

    > os preços praticados no arrendamento

    Tal como os juros aos maus pagadores, talvez o preço alto tenha qualquer coisa a ver com o facto de aqui no faroeste o arrendamento ser uma actividade de alto risco – o proprietário nunca sabe quando fica efectivamente expropriado, ou por lei ou por falta dela.

    A situação, claro, fez muito, mas mesmo muito, jeito ao gangues de passadores da banca.

    (Um PM que tentou por ordem nessa barraca foi rápidamente corrido por alegadas “trapalhadas”, com grande canzoada na imprensa.)

    Gostar

  19. lucklucky permalink
    7 Setembro, 2011 21:59

    “mas não se esqueça que os preços praticados no arrendamento e a falta de oferta empurrou as famílias para a compra de habitação.”
    .
    E? o juro é um preço a pagar se não gostam do preço então o remédio é existirem mais bancos.
    Mais concorrência. Parece ser fácil fazer milhões neles…
    Já agora porque é que não dizem que um lucro de 30% na venda de um produto ou um ordenado 30% acima do nível de subsistência é usura?

    Gostar

  20. 7 Setembro, 2011 22:02

    Ó lucklucky:
    E se em vez de brincar aos comentadores, criasse uma empresa a sério e fosse pedir um empréstimo à banca para ver como estão os juros? Vocês, os supostos defensores da iniciativa privada, não fazem a mais pequena ideia do que estamos a passar. Saiam das secretárias!

    Gostar

  21. castanheira permalink
    7 Setembro, 2011 22:23

    Trinta e tres,
    todos sabemos que os bancos portugueses emprestaram e atravessaram-se pelo estado , que está falido e arrasta com ele aqueles . Sendo assim , os bancos portugueses não encontram quem os financie , pelo que não têm liquidez para fazer emprestimos , tendo que subir os juros . Não há milagres.

    Gostar

  22. Anti-Socialista permalink
    7 Setembro, 2011 23:59

    As soluções são simples.

    1) Liberalização total do mercado de arrendamento.
    2) Mais garantias para os proprietários.
    3) Menos carga fiscal no arrendamento.
    4) Menos burocracia e carga fiscal na renovação urbana.
    5) Lei dos solos e taxação das mais valias imobiliárias.
    6) Fim da deslocalização de serviços públicos dos centros para as periferias.
    7) Fim dos apoios dados pelo Estado às grandes superfícies (o que coloca o pequeno comércio em desvantagem concorrencial).
    8) Punição fiscal dos herdeiros que não partilhem os bens herdados dentro de um determinado prazo.
    9) Punição fiscal severa dos proprietários de edifícios devolutos em centros urbanos.
    10) Revisão do financiamento do poder local.

    Em suma, medidas que incentivem o arrendamento, mais concorrência neste mercado e o repovoamento dos centros urbanos. O Governo terá coragem?

    Gostar

  23. António Costa Amaral (AA) permalink
    8 Setembro, 2011 09:06

    o Governo não é ideologicamente baralhado o suficiente para implementar até essa salganhada

    Gostar

  24. Anti-Socialista permalink
    9 Setembro, 2011 20:27

    Ahah. Ao menos que avance a liberalização total das rendas.

    Gostar

  25. Tiradentes permalink
    10 Setembro, 2011 11:51

    O ÚNICO PRODUTO NATURAL na nossa mesa já fez pela “saúde” dos portugueses muito mais que milhões de hamburgueres. Para além dos diabéticos alcoolicos, ou porque beberam demais na infancia e juventude, ou porque continuam a beber, o absentismo laboral provocado pelo mesmo, a fraca produtividade, e todo o restode doenças associadas já devia ter levado com impostos identicos ao do tabaco.
    Natural por natural também é a cocaína e a heroína…

    Gostar

  26. silva permalink
    13 Setembro, 2011 13:20

    A DGERT tem por missão apoiar a concepção das políticas relativas ao emprego e formação profissional e às relações profissionais, incluindo as condições de trabalho e de segurança saúde e bem-estar no trabalho, cabendo-lhe ainda o acompanhamento e fomento da contratação colectiva e da prevenção de conflitos colectivos de trabalho e promover a acreditação das entidades formadoras.
    Tudo uma grande mentira, as provas são dadas com o despedimento colectivo de 112 pessoas do CASINO ESTORIL
    A fundamentação que a Administração entregou para justificar o despedimento colectivo enferma de várias incongruências, pois explicita claramente que os trabalhadores alvo de despedimento colectivo, vão ser substituídos por outros trabalhadores de empresas de Outsoursings, aliás alguns já estão a ser substituídos, isto é inaceitável.
    Esta Administração é que deveria ser despedida pela gestão gravosa que tem feito no Estoril Sol.
    Nos últimos anos destruiu 680 postos de trabalho, encerrando o Hotel Estoril Sol, e só no Casino foram 371 trabalhadores despedidos.
    Simultaneamente nos últimos 5 anos a empresa aumenta em 68% a produtividade.
    A empresa em 2009 continuou a ter grandes lucros.
    Esta medida é completamente desajustada e eventualmente ligada a jogadas de bastidores de grande irresponsabilidade, fazendo os trabalhadores pagar a factura de despesas que nunca fizeram.
    Os Órgãos de Soberania têm que intervir, pois os Casinos são concessões do Estado.
    Podem não se importar com as palavras, mas o certo é que não deixa de ser egoísmo, egocentrismo, quase tirania.
    Quem com responsabilidades está por detrás deste despedimento ilegal, que leva o estado a suportar o subsidio destes 112 trabalhadores.
    Até esta data a justiça não foi concretizada o que leva a pensar que o Parlamento oferece constantemente o espectáculo do desacordo, do tumulto, da incapacidade legislativa ou do obstrucionismo, escandalizando o país com o seu procedimento e, a inferior qualidade do seu trabalho.
    Aos Ministérios falta coesão, autoridade e uma linha de rumo, não podendo assim governar, mesmo que alguns mais bem-intencionados o pretendam fazer.

    “Para Os Trabalhadores da empresa casino estoril no final se fará justiça, reconhecendo a insustentabilidade de um despedimento Colectivo oportunista promovido por uma empresa que, para além do incumprimento de diversas disposições legais, apresenta elevados lucros e que declara querer substituir os trabalhadores que despede por outros contratados em regime de outsoursing”.
    Bentley; Maserati;Porshe bi turbo: Não, não é publicidade.São os carrinhos do presidente de uma empresa que pretende despedir humildes funcionários. E as regras nacionais para «não fumadores» as quais o sr: presidente faz questão de despudoradamente violar como qualquer pessoa pode constatar no Hall por onde ele passa alegre e cheio de graça. É um aroma de charuto ou cachimbo e ainda tem o desplante de dizer a toda a gente a frase “ Quem é que manda em mim “.E os insultos aos representantes dos trabalhadores dessa casa?«Kremlin do Estoril»,in revista Visão. Já adivinharam de que empresa falo? Casino Estoril – A tal que COM LUCROS DE MILHÔES avançou com despedimentos’ A tal que goza com os acionistas e subverte a lei do jogo para utilizar a seu favor? Tem sede não no BurkinaFasso mas no Estoril. Para todos os funcionários alvo da tentativa de escamoteamento do seu ganha pão uma palavra de esperança. Acreditem que a justiça é a constante e perpétua vontade de dar a cada um o que lhe é devido.

    Gostar

  27. 6 Março, 2012 16:15

    Bem dizia o outro! …

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: