Saltar para o conteúdo

De Saddam a Kadhafi*

28 Outubro, 2011


Quando Hillary Clinton, a preparar-se para uma entrevista, viu as imagens da captura de Kadhafi já de si horrendas mesmo que ainda não se conhecessem as torturas a que fora submetido posteriormente, declarou: “Fomos. Vimos. Ele morreu.” Depois desatou a rir. Isto aconteceu sem que as arrebatadas pombas da paz que arrancaram as vestes aquando das intervenções militares no Afeganistão ou no Iraque mostrassem o mais leve sinal de indignação. O mesmo silêncio tem acompanhado a execução de vários líderes da Al Qaeda nos mais remotos locais da Terra, por aviões norte-americanos não tripulados, os drones, e o próprio Bin Laden, com quem no pós-11 de Setembro queriam negociar ferverosos pacifistas como Zapatero e Mário Soares, foi morto em 2011 quando estava em casa no meio das suas mulheres. E Guantanamo obviamente não fechou.

O que mudou? À primeira e mais óbvia vista na Casa Branca deixou de estar um republicano particularmente odiado, Bush, e passou a estar um democrata particularmente amado, Obama. Mas para lá disso algo de muito mais profundo aconteceu: os EUA e a UE encerraram o capítulo das intervenções em que as suas tropas apareciam como as responsáveis não só pelas operações militares como por tudo o que sucedia nos países em questão. O que temos agora são operações como as da Líbia: a NATO disponibiliza os meios militares, países da Europa e os EUA avançam com informações e técnicos mas quem aparece nas fotografias é aquela tropa fandanga que numa cena parece saída de um filme cómico e na outra nos arrasta para as profundezas do terror. Ninguém em Washington tem de pedir desculpa pelos abusos cometidos tal como ninguém em Madrid chama assassino ao primeiro-ministro. O que conta é que nas imagens embaraçosas não se veja uma única farda pela qual o mundo ocidental tenha de responder. E isto prova duas coisas. A primeira que se pode fazer tudo. A segunda que depende de quem o faz. E tudo indica que se for alguém amado pela esquerda, pode fazer muito mais.

*PÚBLICO

28 comentários leave one →
  1. certo permalink
    28 Outubro, 2011 18:35

    Ui, isso foi de tal modo bem feito que até a pacifista daquela, ai, uma ana gomes, com a tereza não sei quê, sabida de internacionais feitos, folgaram com o sarkozi, obama e o calmeiron, como umas vacas .

    De mais, dá pena ver os mesmos jornalistas, desde uma intrépida enviada da sic ao corre a tudo escritor José dos Santos, com outros iguais, pelo geral, conversos ao folheto multimédia de serviço, tão diferentes dessa inglesa Lizzy phelan, cara de fada ou anjo, que à evidência relata o que se adivinha da prepotência dos homens da nato e do seu bando, num vídeo ostracizado das tvs, se me permite :

    Gostar

  2. JP Ribeiro permalink
    28 Outubro, 2011 18:37

    Significa tambem que a esquerda morreu. Resta o folclore.

    Gostar

  3. Arlindo da Costa permalink
    28 Outubro, 2011 18:51

    São atitudes dessas, como a de Hilary Clinton, que fazem preceder a queda do Ocidente.
    Tal e qual a queda de Roma, o pessoal atirava foguetes, ria e dançava, mas um belo dia os bárbaros entraram em Roma…
    A verdade é que os actuais «bárbaros» não vão esquecer oos «humanistas» europeus e americanos.
    É só uma questão de duas ou três décadas.
    A Idade Média vai regressar à puta e velha Europa!

    Gostar

  4. Portela Menos 1 permalink
    28 Outubro, 2011 19:27

    os amigos (e já agora as amigas dos) republicanos não esperavam era que o amado Obama tivesse despachado meia dúzia de cromos, enquanto Bush se limitou a afixar cartazes a anunciar “wanted dead or live”.

    Gostar

  5. Tiradentes permalink
    28 Outubro, 2011 19:41

    Engraçado como os indignados de agora não ficaram quando o dito senhor “agora apoiado” pelo ocidente” e “assassinado pela Nato”:
    1- Preparou, treinou e mandou um dos seus colaboradores mais próximos rebentar com um avião onde pereceram (reparem que não foram assassinados) quase trezentas pessoas.
    2-Também não ficaram nada indignados quando o dito cujo além de um genocídio até hoje não contabilizado expulsou as tribos negras da Líbia provocando um exodo de um milhão de pessoas para o Tchade.
    3~Menos indignados e não perderam a fé quando descobriram que “o rapaz” mandava frotas pesqueiras cheias de armas e explosivos para aqueles meninos de coro do IRA.
    A lista exaustiva seria longa demais mas nadica de nada fez essa gente perder a fé no mrfinómano revolucionário enquanto ele fez as pazes com o diabo. Quando tentou fazer o contrário foi o diabo que veio ter com ele e aí sim perderam a fé.

    Gostar

  6. Zebedeu Flautista permalink
    28 Outubro, 2011 19:50

    Então acham que a esquerda burguesa acostumada aos “luxos” do capitalismo não defende os mesmos interesses que uma direita militarista no que concerne as politicas externas. Conversas de fraternidade e solidariedade não abastecem os pópós sejam eles híbridos ou cadillacs.
    Havia de ser bonito se o pitrol tivesse de ser pago em ouro. Alguém esta a ver a esquerdalhada dos indignados a andar de carro de bois a lavrar terra? E os direitos dos animais? E a malta de Wall Street e da City de enxada na mão? Nah isso faz muito calo.
    A NATO limitou-se a manter o nosso padrão de vida ocidental. Nem sei se agradeça ou condene.

    Gostar

  7. tina permalink
    28 Outubro, 2011 20:45

    “E isto prova duas coisas. A primeira que se pode fazer tudo. A segunda que depende de quem o faz. E tudo indica que se for alguém amado pela esquerda, pode fazer muito mais.”
    .
    Grande verdade, no que toca aos meios jornalísticos, claro.

    Gostar

  8. Bruno permalink
    28 Outubro, 2011 21:02

    Concordo!
    Em relaçao ao Kadhafi a vergonha nao tem limites:
    http://www.globalpost.com/dispatch/news/regions/middle-east/111024/gaddafi-sodomized-video-gaddafi-sodomy

    Gostar

  9. Aliazs permalink
    28 Outubro, 2011 21:24

    O mercado negro de órgãos em Israel.
    Haredi man sold Israeli organs
    http://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-4140569,00.html

    Bom noite HFM.

    Gostar

  10. Pi-Erre permalink
    28 Outubro, 2011 22:14

    “Depois desatou a rir.”
    .
    Terá sido um riso deveras hillaryante, sem dúvida.

    Gostar

  11. J.J.Pereira permalink
    28 Outubro, 2011 22:16

    Só o czar “desafinou” : mostrou dignidade, alto sentido de estado – e , espante-se, sentimentos de humanidade perante o “heróico” espectáculo.
    As surpresas que estes Russos nos reservam …

    Gostar

  12. Euro2cent permalink
    28 Outubro, 2011 22:20

    Não há uma fotografiazinha de talho para publicar?
    .
    Uma pessoa habitua-se.

    Gostar

  13. Fredo permalink
    28 Outubro, 2011 22:34

    Este ano o comité Nobel vai certamente refrescar o Obama Nobel da Paz, que já era preventivamente Nobel da Paz.

    Gostar

  14. 28 Outubro, 2011 22:44

    A que esquerda se refere? Que esquerda portuguesa é essa que ama Obama e os líderes europeus que o acompanham no crime da imposição do domínio imperialista aos povos de todo o mundo?
    Não é certamente essa a esquerda a que pertenço, porque essa continua a denunciar o que esses criminosos continuam a fazer pelo mundo fora.

    Gostar

  15. hajapachorra permalink
    28 Outubro, 2011 23:03

    Um gajo que seja pelo aborto, pela eutanásia, pelo casamento gay e outras merdas dessas tem muito mais que o amor da ‘esquerda’ tem o amor apaixonado dos ‘jornalistas’. E um gajo, de qualquer ‘género’, que quer o aborto livre de facto pode fazer tudo. E faz.

    Gostar

  16. Eleutério Viegas permalink
    29 Outubro, 2011 00:02

    O Obama é simplesmente um macaco… de imitação! LOL

    Gostar

  17. António Lemos Soares permalink
    29 Outubro, 2011 02:47

    Lamentável!

    Gostar

  18. Jose permalink
    29 Outubro, 2011 08:45

    O Ocidente tem-se autolimitado nas guerras dos últimos anos, em função de valores politicamente correctos, e entra nos confitos como um boxeur com uma mão atada atrás das costas, recusando-se a usar a força necessária, não porque não a necessita, mas porque tem vergonha, ou escrúpulos. Os seus inimigos não têm esses escrúpulos e usam até os tabus ocidentais como arma de ataque e defesa. Como por exemplo, usarem civis como armas de ataque e escudo de defesa.
    É bom que comecem a livrar-se dessas limitações auto-impostas e usem a força como ela deve ser usada, quando disso há necessidade.
    Abertamente e toda.
    O que se fez na Líbia foi usar a força, mas mantendo ainda uma capa de fantasia politicamente correcta, que poderia colocar em causa os objectivos, como aconteceu no Afeganistão e acontece nas guerras de Israel, nas quais a “opinião pública” impõe limitações que tornam a vitória improvável e a derrota possível. ( no Afeganistão, o outcry que resultou de um pedido de apoio de fogos alemão, e resultou na morte de dezenas de “civis”, levou inclusivamente à demissão do MNE e do Chefe Militar.)
    Este é um ponto. Outro é, como sublinha a Helena, a eterna hipocrisia da esquerda, no que à violência diz respeito. E é assim porque a esquerda se julga detentora da Grande Verdade, a qual justifica tudo.
    Outro ainda, é o objetivo da intervenção, que suscita grandes interrogações.

    Gostar

  19. Jose permalink
    29 Outubro, 2011 08:49

    E, claro, sou da opinião que despachar as lideranças terroristas usando todos os meios possíveis, é perfeitamente legítimo.
    Há uma guerra e na guerra matam-se os nossos inimigos. Da forma mais segura possível. A menos que se rendam…

    Gostar

  20. Miguel Direito permalink
    29 Outubro, 2011 09:06

    Tem toda a razão. Mais uma vez, acertou em cheio no ponto. Quero, para além do mais, dar-lhe os parabéns pela liberdade com que escreve e opina, num momento em que parece que deixará (com o Eduardo Cintra Torres, entre outros) de fazer parte dos colunistas do Público. Tenho pena, pois falta em Portugal espaço para as pessoas livres, frontais e desalinnhadas do “politicamente correcto”.
    Obrigado.

    Gostar

  21. Tony permalink
    29 Outubro, 2011 12:23

    você é falaciosa pois olhe que todos os amados pela esquerda não chegam aos calcanhares do que este senhor fez ou mandou fazer Cheney de seu nome

    Gostar

  22. Nuno permalink
    29 Outubro, 2011 19:02

    jal
    Posted 28 Outubro, 2011 at 22:44 |
    «A que esquerda se refere? Que esquerda portuguesa é essa…»
    *
    A esquerda portuguesa é como toda a esquerda, mas toda. Um bando de canhotos de merda.

    Gostar

  23. a.marques permalink
    29 Outubro, 2011 19:44

    Vão desfrutando a morte alheia que a própria não vão poder comentar.

    Gostar

  24. licas permalink
    29 Outubro, 2011 20:57

    .jal
    Posted 28 Outubro, 2011 at 22:44 | Permalink
    A que esquerda se refere? Que esquerda portuguesa é essa que ama Obama e os líderes europeus que o acompanham no crime da imposição do domínio imperialista aos povos de todo o mundo?
    Não é certamente essa a esquerda a que pertenço, porque essa continua a denunciar o que esses criminosos continuam a fazer pelo mundo fora.
    _____________________

    A tua esquerda , simplesmente, NÃO EXISTE, .jal !!!
    SERIA PRECISO (A BE NUNCA FÊZ) DENUNCIAR OS ATENTADOS À LIBERDADE
    EM CUBA (por exemplo).

    .

    Gostar

  25. licas permalink
    29 Outubro, 2011 21:05

    ony
    Posted 29 Outubro, 2011 at 12:23 | Permalink
    você é falaciosa pois olhe que todos os amados pela esquerda não chegam aos calcanhares do que este senhor fez ou mandou fazer Cheney de seu nome
    ___________________
    O *cadastro* do Cadhafi só se compara ao de um MONSTRO IMPERADOR DE ROMA.
    Mesmo assim: preferiria que estivesse vivio para ser SUJEITO A JULGAMENTO
    pelo que permitiu, autorizou, implementou de TORTURA AO SEU POVO !!!

    Gostar

  26. Arlindo da Costa permalink
    29 Outubro, 2011 22:36

    O «cadastro» de Kadafi só é comparável ao do seu contemporâneo: George W. Bush.
    Este último tem um score de vítimas ainda mais extenso do que o seu compadre Kadafi.
    As estatísticas estão publicadas.

    Gostar

  27. Zebedeu Flautista permalink
    29 Outubro, 2011 23:38

    É tudo a mesma merda. Mais medicare ou menos impostos, mais subsidio menos subsidio em matérias externas nos EUA os governantes são todos uns porcos imperialistas.

    Com tanta despesa belicista já nem é questão de invadir, ocupar,subjugar,dominar, para lucrar, que de lucro para os EUA como um todo não da nenhum. Puro e simples imperialismo porque somos os maiores e podemos.

    Óbvio que as guerras funcionam como umas PPPs ao cubo para alguns mas para 299 milhões de americanos só lhes fode a vida. Em especial os mais pobres, porque são esses que sem perspectivas na homeland por razões económicas se alistam para combater pela elite podre.

    Desde a II Guerra Mundial nenhum outro regime foi responsável por tantas mortes.

    Gostar

  28. 31 Outubro, 2011 21:18

    O video “Certo”, pode ser visto aqui:
    http://www.godlikeproductions.com/forum1/message1679309/pg1

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: