Saltar para o conteúdo

A pagar fogos

24 Julho, 2012

A falta de prevenção, a ausência de um programa de manutenção das matas públicas, o abandono dos baldios transformam o território rural num potencial de combustão que deflagra ao mínimo rastilho. A incúria, o descuido e períodos de calor extremo fazem o resto.
No meu artigo semanal do Correio da Manhã

Anúncios
12 comentários leave one →
  1. licas permalink
    24 Julho, 2012 14:21

    Quando é que houve um *Programa de Prevenção*
    dos fogos florestais *isento* Paulo Morais?

    Gostar

  2. aremandus permalink
    24 Julho, 2012 14:57

    Dr paulo Morais,tenho uma ideia.
    em consonância com o seu artigo anterior nesse pasquim,porque não colocar os APOSENTADos do RENDIMENTO MÁXIMO a proteger a floresta e a combater os incêndios???

    Gostar

  3. desiludido permalink
    24 Julho, 2012 14:58

    Caríssimo Paulo Morais :
    Que mal faz arder o que já não presta ?
    Que pena eu já não ter dinheiro para comprar fósforos …

    Gostar

  4. Monti permalink
    24 Julho, 2012 16:10

    aremandus
    Enviado Público:
    “Lisboa já está a arder?”
    Prevenção: “Esta é a altura … – João Miranda, blog Blasfémias.
    Assoberbados responsáveis dos gabinetes ministeriais, aparecem agora junto dos esforçados bombeiros, a compensar o que fizeram desde o ano anterior, quase nada.
    … … Limpeza da floresta, a ignorância da “bovinidade instalada” em forma de desabafo – Sampaio: «obrigar proprietários a limpar as propriedades». Quais?
    Os milhares de emigrantes titulares de parcelas onde reina o pinhal e mato?
    ……Não há no ministério quem saiba da desertificação dos vales e colinas abandonados há décadas, em vias de regressar ao que eram há um século?
    ……Nas povoações, muitas das quais de reduzida população, uma boa oportunidade para ver um ministro ou ajudante, a sair da sua “zona de conforto”: mobilizar alguns milhares de presos, acampamentos de primavera, a troco de pequeno salário ou redução de pena. Problema: dar destino aos resíduos da limpeza.
    ……Com os meios ligeiros da Força Aérea de vigilância no período Junho-Setembro de cada ano; incêndio detectado, reporte para aplicação dos meios humanos e aéreos; descolagem de um aéreo ligeiro para o local dos incêndios, com um quadro dos bombeiros a bordo – fará a ligação e orientação dos meios envolvidos no terreno e aviões de combate aos fogos.
    A propósito, numa consulta ao site da Defensa/Madrid, dou por uma esquadra de Canadair, no Ejército del Aire.
    …….
    Como conclui Pulido Valente (Público, 21Jul): «somos quem somos», assim.

    Gostar

  5. 24 Julho, 2012 16:29

    Afinal fechar serviços, escolas,centros de saúde e afins na província, ao potenciar a desertificação, também provoca prejuízos.

    Gostar

  6. aremandus permalink
    24 Julho, 2012 16:36

    E que tal vender o interior para pagar a dívida?
    vendiam-se os problemas dos incêndios!

    Gostar

  7. JDGF permalink
    24 Julho, 2012 16:40

    A solução será a liberalização dos eucaliptais….

    Gostar

  8. rosarinho permalink
    24 Julho, 2012 17:38

    mas se grande parte do que arde é do domínio privado!!! e zonas de produção de cortiça não ardem porque os sobreiros, espécies autóctones, não ardem com a mesma facilidade que pinheiros e eucaliptos e porque as características topográficas dos terrenos em que estão implantadas são mais acessíveis aos meios de combate a incêndio… não é por serem melhor geridas que não ardem!!!!

    Gostar

  9. Zé da Póvoa permalink
    24 Julho, 2012 17:40

    Enquanto os concelhos de Tavira e de S.Brás de Alportel no Algarve e vários na Madeira ardiam que fazia a responsável pela pasta do Ambiente? – Participava em comes e bebes de campanha eleitoral nos Açores!!|!
    São estes os políticos que temos, não valem mesmo nada!

    Gostar

  10. 24 Julho, 2012 18:13

    Qual é a diferença entra a actuação do Alberto João e de um piromano??? Nenhuma diria eu, Alberto João, acaba com Associações de Bombeiros porque havia Bombeiros a mais, afinal faziam falta. No entretanto. financia 0 MAritimo e o NAcional da Madeira. Mas depois com a bocarra que o caracteriza ainta fala grosso.
    Mas parece que vai bater com os costandos nas barra do tribunal.

    Gostar

  11. DNO permalink
    24 Julho, 2012 21:25

    Para mim a origem dos incêndios é só uma: criminosa! E desta vez tiveram o cuidado de articular diversos ao mesmo tempo. Isso é que foi pontaria! Por muita prevenção que se faça não é possível evitar esta situação sem descobrir o verdadeiro móbil da coisa.

    Gostar

  12. Fincapé permalink
    24 Julho, 2012 23:39

    “Claro que, em primeira instância, a gestão destes processos competiria aos corpos de bombeiros, cujo desempenho seria avaliado e remunerado em função das áreas que mantivessem livres de incêndios e nunca, como hoje, pelo número de horas de combate.”
    Disse há uns anos coisa idêntica perante um grupo de jovens, englobando os pilotos envolvidos no combate aos incêndios. Ficaram a olhar para mim.
    Certamente, haveria depois um problema. Os “nossos” hiperliberais viriam acusar os bombeiros de estarem a receber ordenado sem apagar fogos.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: