Skip to content

O lamentável video do Prof. Marcelo…

12 Novembro, 2012
by

… também tem alguns erros. Assim de repente:

.

1. A taxa de analfabetismo em 1974 não era 33%. A taxa de analfabetismo era de 33% em 1960. 15 anos depois já andaria abaixo dos 25%. (fonte).

.

Taxa de Analfabetismo, 2008

.

2. Portugal não está na média da Europa, ainda. Vejam a cor mais clara de Portugal no mapa acima.

.

3. É preciso alguma lata para dizer que melhorámos ‘sem plano Marshall’. Os fundos que recebemos da Europa, foram o quê? Já agora, Portugal também recebeu fundos do plano Marshall. Claro que recebeu muito menos que a Alemanha (não estava destruído pela Guerra), mas a Alemanha também recebeu muito menos que a França ou a Inglaterra e mesmo assim, tornou-se mais rica que eles.

Ajuda do Plano Marshall à Europa, por país.

.

4. Não temos um dos melhores parques automóveis da Europa, nem de perto nem de longe. Admito que o Prof. Marcelo esteja habituado a olhar ao seu redor e tire conclusões, mas Portugal não é a Quinta da Marinha. Não só temos uma frota de qualidade média bastante inferior à da generalidade da Europa, como temos menos carros.

.

 

.

5. Esta é verdade. Instalámos uma das maiores redes de abastecimentos de carros eléctricos na Europa, sem termos carros eléctricos. Vamos contar esse disparate aos alemães? Querem que eles gozem connosco?

.

6. Os consórcios para construção dos estádios incluíam “geralmente” empresas alemãs? Quais?

.

7. As trocas comerciais entre Portugal e Alemanha não resultam num ‘lucro’ de 3000 milhões coisa nenhuma. Isso é um enorme disparate. As vendas de empresas alemãs para Portugal é que têm sido 3.000 milhões superiores às vendas de empresas portuguesas para a Alemanha. Chamem-lhe excedente comercial, se quiserem. Lucro é outra coisa.

.

8. ‘Apesar disto’ entrámos em austeridade. Apesar de quê? Entramos em austeridade porque falimos, não ‘apesar’ de nada do que se tenha falado antes no video.

.

9. A idade de reforma na Alemanha também é de 67 anos.

.

10. A Alemanha tem 11 feriados oficiais, em 2012. A saber: Dia de Ano Novo, Sexta-Feira Santa, Domingo de Páscoa, Segunda-Feira de Páscoa, Primeiro de Maio, Ascensão, Domingo e Segunda-Feira de Pentecostes, o Dia da Unidade Nacional, dia de Natal e dia seguinte ao Natal. Dois são sempre ao Domingo e quatro correspondem quase a dias de ponte. Não é um tema em que a comparação nos saia bem.

.

11. “Em 1990 a Alemanha declarou unilateralmente que a sua dívida externa havia caducado”. Estão a falar de quê? Podem elaborar melhor o que é que querem dizer com este… parágrafo?

.

12. “Em 2005 a Alemanha infringiu os limites do défice e a União Europeia perdoou as sanções. Os portugueses não só não contestaram como apoiaram a decisão”. Podiam ter dito que Portugal infringiu antes, logo em 2001 e também não foi condenado por nada. Que grande caras de pau seríamos nós se tivéssemos protestado.

.

 

Anúncios
89 comentários leave one →
  1. António Pedro Pereir permalink
    12 Novembro, 2012 12:02

    Usando uma metáfora.
    Se um filho nosso se puser a fazer piruetas de moto na estrada (culpa exclusiva dele) e partir as 2 pernas, podemos fazer 2 coisas:
    – azucrinar-lhe a cabeça o dias inteiros lembrando-lhe a asneira que fez e pô-lo a trabalhar sem poder para se sustentar;
    – dar-lhe sustento até que se cure (pô-lo eventualmente a trabalhar no que possa fazer, por exemplo, trabalho administrativo em que esteja parado e use apenas as mãos) impondo-lhe um compromisso futuro imperativo de pagamento da ajuda que teve para se recompor.
    O senhor posteiro jcd aposta na 1.ª atitude, tal como A. Merkel et al., os resultados extremos já estão bem visíveis na Grécia, dentro de um ano em Portugal.
    Continuem a alimentar esse narrativa.

    Gostar

  2. lucklucky permalink
    12 Novembro, 2012 12:05

    Onde estamos é também o resultado de termos Marcelo como comentador neste caminho para a bancarrota.
    Mais do que mostrar inutilidade, ajudou a caminhar para ela.
    Marcelo como estrela é também uma das grandes provas da frivolidade dos media e da sociedade portuguesa dos últimos 10 anos. A familiaridade e facilidade do comentário bate sempre a austeridade dos números.
    .
    Nos anos 90, no auge da paixão pela educação e mesmos depois ainda me lembro que nas TV’s sempre que alguém de apresentar uns números e algumas contas pedia desculpa aos telespectadores. Foi a imbecilização em progresso pela cultura mediática.

    Gostar

  3. lucklucky permalink
    12 Novembro, 2012 12:13

    @António Pedro Pereir
    .
    A sua metáfora está errada.
    .
    Nós não podemos recuperar o que nunca foi nosso.
    A riqueza que tivemos (e ainda temos parcialmente pois ainda vivemos do défice ) foi por causa da dívida. Ou seja completamente artificial.
    Se alguma vez voltarmos a ter essa riqueza é por termos passado a fazer coisas que nunca fizemos no passado.
    Algo de novo.
    Algo que nunca aconteceu até hoje.
    .
    Logo o problema não é dinheiro. Pois tivemo-lo e não fizemos nada com ele.
    O dinheiro não resolve falta de ideias validas.
    O dinheiro andou mais depressa que as ideias nos últimos dez anos e levou-nos ao estado onde estamos.
    Porque é que quer repetir?

    Gostar

  4. A C da Silveira permalink
    12 Novembro, 2012 12:20

    O prof Marcelo esqueceu-se de pôr no lamentalvel video que patrocinou, que no meio de tanto “progresso”, e entretanto, fomos TRÊS-VEZES-TRÊS à falência.
    A histeria colectiva e o parolismo provinciano de que nem com vinte anos de estudos universitários nos conseguimos livrar, tomou definitivamente conta deste país. Marcelo Rebelo de Sousa, é bem exemplo disso mesmo: não passa de um parolo/provinciano de Cascais.

    Gostar

  5. Ricardo permalink
    12 Novembro, 2012 12:26

    Não é verdade que a rede de carregamento de VE esteja sobredimensionada, quando comparada com a Irlandesa ou Holandesa (as duas, a par da Portuguesa mais evoluídas da Europa). E também não é verdade que os carregadores são da Siemens; 95% são da EFACEC.

    Gostar

  6. Expatriado permalink
    12 Novembro, 2012 12:29

    Ponham-se no lugar dos alemaes…..

    Gostar

  7. castanheira antigo permalink
    12 Novembro, 2012 12:31

    O meio mais poderoso de propaganda é a televisão . Quem tem tido nos últimos 20 anos acesso constante à tv não poderá estar orgulhoso do que disse e fez. Está nessa situação o inerranavel Marcelo , verborreico, superficial e infantil nas suas analises (?) . Este filme envergonha a generalidade dos portugueses responsaveis e limpa ou tenta limpar toda a porcaria feita pelos diversos governos portugueses com o aval e louvor do dito.

    Gostar

  8. 12 Novembro, 2012 12:31

    Reblogged this on @LPMateus.

    Gostar

  9. 12 Novembro, 2012 12:32

    Absolutamente de acordo. E mais, sobre a ideia de andar a mostrar vídeos aos alemães, devo dizer que considero uma ideia um pouco bacoca e até insultuosa à diplomacia nacional. Os alemães, em particular a Sra. Merkle, sabem bem o que aqui se passa e conhecem bem a nossa história. Tanto a gloriosa de outros tempos, como a mais triste e contemporânea. Mas mais bacoco do que fazer filmes desses é querer mostrá-los no Sony Center de Berlim. Só quem nunca lá tenha estado pode achar que seria útil ter ali um vídeo político a passar e só quem não tenha percebido o estilo de vida muito peculiar dos berlinenses poderia acreditar que algum deles iria dedicar um segundo que fosse ao assunto. Depois de visitar Berlim há menos de um ano, ficou-me a ideia de que aquela gente se importa muito pouco com o resto do Mundo ou mesmo da Europa. É uma cidade onde não há uma palavra escrita em inglês, nem no Metro, nem nos melhores restaurantes e nem sequer em museus. Os berlinenses convivem com os anacronismos da sua cidade e da sua história muito recente com níveis de adaptação e encaixe notáveis e uma enorme tolerância em relação a crenças, sexo, etnias ou origens. No primeiro dia de estadia irritei-me, até, com aquilo que identifiquei como sendo uma “cidade arrogante”, mas saí de lá com a convicção de que apenas querem e sabem viver a vida como ninguém: com festa, qualidade, tolerância e segurança. Espetar com um vídeo sobre os “coitadinhos do Sul” da Sra. Merkle num local de evasão, compras e lazer é uma ideia tão peregrina que chega a insultar a conhecida inteligência de quem a teve.

    Gostar

  10. Marão permalink
    12 Novembro, 2012 12:32

    Desta vez não mergulhou no rio mas no mais pacóvio que imaginar se possa. Dentro desse estilo, deve notar-se na fita a falta imperdoável de um lençol para recolha das esmolas. Tenho-me insurgido contra a cronometrista ignorante que só pretende encher o espellho e lhe regula as “perguntas” lá na tv.. Em vez da substituição da senhora acho agora que deve ser a dupla a dar o lugar a outros.

    Gostar

  11. 12 Novembro, 2012 12:52

    Pois. Está o caldo entornado. Será que haverá uma segunda versão?
    O que dirá Marcelo na TV face a estas incongruências?

    Gostar

  12. 12 Novembro, 2012 13:45

    Sobre aquela do plano Marshall, talvez fosse conveniente mandar para o professor Marcelo uma pergunta do género “o que acha da rede de esgotos em Portugal, quase 70 anos depois do fim da guerra e de décadas a estourar marcos alemães?”. Também se poderia perguntar “acha mesmo que as pessoas em Portugal se reformam aos 67 ou também podemos contar a metade da história que está escondida debaixo do tapete?”. Ou ainda “acha que os alemães gostam de telenovelas mexicanas?”

    Gostar

  13. Wall Streeter permalink
    12 Novembro, 2012 13:52

    Mais uma expressão populista de Portugal que encontrou asilo e patrocínio num dos maiores demagogos e populistas de Portugal: o inefável Marcel Bambo.

    Gostar

  14. FilipeBS permalink
    12 Novembro, 2012 14:13

    Como Português sinto vergonha… VERGONHA! VERGONHAAAA! Vergonha de ver a maior parte da ‘elite’ tuga a pedir ao estrangeiro dinheiro e mais dinheiro, tempo e mais tempo, benevolência e mais benevolência, caridade e mais caridade. E ainda por cima nem reconhecem os erros que cometeram nas últimas 2-3 décadas, e falam como se a culpa fosse da Alemanha. A culpa é só nossa, ponto final. Mas esta gente não tem vergonha na cara???
    Eu, que sou Português, sinto-me envergonhado por estes cara de pau que andam aí a representar o povo. Não sabem nem conseguem reformar o Estado. Gastaram tudo o que tinhamos e o que não tinhamos. Ainda por cima gastaram quase sempre mal! E agora vêm culpar a Merkel? Eh lá… Mas não há um pingo de verticalidade nesta gente, da esquerda a suposta direita?
    Reconheçamos os nossos males, trabalhemos e paguemos o que devemos. Só nos podemos queixar de nos próprios.

    Gostar

  15. JP Ribeiro permalink
    12 Novembro, 2012 14:15

    É lamentavel a importância que se dá a estes comentadores e acompanhantes tragico-cómicos que durante mais de trinta anos veem o país a caír num buraco, e, caladinhos a comer, nada dizem nada fazem, excepto agora para chatear a cabeça dos únicos que nos emprestam dinheiro. Ainda hoje ouvi na TSF mais umProfessor Doutor Comentador um tal Viriato Soromenho Marques numa lengalenga abstrusa, totalmente oca mas bem falante, sobre a responsabilidade da Alemanha na crise. A comunicação social é responsável por dentro de poucos anos estarmos confrontados com uma opção entre o palhaço Marcelo pela “direita” e o outro palhaço da CGTP pelas esquerdas, na “eleição” do próximo PR. As aspas são de propósito.

    Gostar

  16. Joaquim Amado Lopes permalink
    12 Novembro, 2012 14:16

    Excelente, jcd. Obrigado.

    Gostar

  17. Mário permalink
    12 Novembro, 2012 14:19

    É preciso compreender que o Marcelo está em campanha para candidado a presidente.

    Gostar

  18. Wall Streeter permalink
    12 Novembro, 2012 14:26

    Marcelo a presidente é de manicómio…

    Mas Portugal é mesmo um manicómio a céu aberto…

    Gostar

  19. Carlos Borges permalink
    12 Novembro, 2012 14:36

    Como é possível ainda dar tempo de antena a um demagogo e populista que faz parte do sistema de parasitagem de nome Marcelo Rebelo de Sousa?

    O que Portugal precisa é de mais acção e menos conversa.

    Gostar

  20. 12 Novembro, 2012 14:44

    Para completar a ineficacia, o aventureirismo, a irresponsabilidade, a leviandade, a vaidade de muitos governantes, so falta de facto Marcello RSousa eleito Presidente da Republica… — ja tudo e possivel, nao estranharei.
    ———————————————-
    O video e absolutamente piroso, simplista, terceiro-mundista, estetica e discursivamente escolar, provinciano.
    Proprio do SNI, da SEIT, dos magazines de Antonio Lopes Ribeiro…

    Gostar

  21. JPG permalink
    12 Novembro, 2012 15:23

    Diz Marcelo que em Portugal se trabalha mais do que na Alemanha. Pois sim, talvez em tempo total, entre duas picadelas de “ponto”; mas uma coisa é permanecer no local de trabalho durante uma data de horas e outra bem diferente é… trabalhar.

    PIB per capita
    20 Germany 38,311
    41 Portugal 22,463

    GDP (PPP)
    Germany 53.5 (8)
    Portugal 25.6 (30)

    Gostar

  22. esmeralda permalink
    12 Novembro, 2012 15:25

    Não entendo a pressa ou a fúria de fazer o video! São as tais coisas irrelevantes que nos distraem do fundamental!

    Gostar

  23. JCA permalink
    12 Novembro, 2012 15:29

    .
    No meio da festança e o arraial carnavalesco que as Televisões e das Seguranças hoje estão a armar perante o gozo e a risota geral dos Portugueses (a tal fratura como ‘a quebra do muro de berlim’ entre a sociedade e o sistema, a perca completa de confiança dos Portugueses na Governança que vai adiando a substituição a baloes de oxigenio como os de hoje sem futuro),
    .
    se em vez de por trás dos biombos se esteja a negociar quiçá a comprar TGV’s etc e tal (e se assim for têm de pagar direitos de autor ao Socatres :))) )
    .
    o que há dizer à sempre benvinda Merkel porque tem de aceitar e tem de nos ouvir cá ou lá,
    .
    se a ‘Crise, Austeridade, Empobrecimento Familiar (e pessoal) e Destruição das Empresas dos Portugueses,
    .
    a proposta politica de renegociação a fazer à Troika é muito simples,
    .
    .
    corte cego transversal a eito das despesas publicas, incluindo nos juros, de 0,5% por ano durante 10 anos ou 0,25% por ano durante 20 anos, para reduzir o deficit de 7% para 2% no fim de 10 ou 20 anos.
    .
    .
    Se não aceite, abandonamos o Euro que é uma moeda defeituosa e incompleta que lesa e destroi os interesses nacionais de Portugal (Espanha, Italia, Irlanda, Grecia, França etc) e altamente enriquecedora do resto dos socios do Euro. Se houver default a culpa é exclusivamente imputável a moeda defeituosa Euro.
    .
    É tão simples como isto. No Euro não filhos nem enteados nem ajudantes de filhos.
    .
    Creio que não se chegaria ao abandono do Euro, mas se obrigados não é Portugal o grande perdedor embora fosse o demolidor do Euro (quiçá primeiro a Grecia ou outro inesperado … )
    .
    Portanto é preciso bom senso de quem se julga convencido mandar na Europa mas sujeiro cair como um baralho de cartas tal como as ‘fortalezas de aço’ União Sovietica, o Muro de Berlim,. o franquismo et tantos outros exemplos proximos. E numa noite.
    .

    Gostar

  24. confucius permalink
    12 Novembro, 2012 15:37

    lacuna importante do dito video: com tanto sucesso e tanto esforço, por que diacho chegámos onde estamos?
    será pela dama de cartão de crédito em punho ou pelos lideres incompetentes que nos têm puxado para baixo (e um deles assina a obra)?

    Gostar

  25. lucklucky permalink
    12 Novembro, 2012 15:37

    JP Ribeiro
    .
    Muito bem.
    Por exemplo Marcelo não fez nenhum vídeo sobre os défices sucessivos que construíram o aumento da dívida galopante.
    Porque? nenhum jornalistas lhe faz essa simples pergunta?
    Porque não fez vídeos quando caminhávamos para a bancarrota?
    Porque é que no seu comentário de Domingo não tinha um Contador Digital a indicar o Aumento da Dívida a cada Minuto?
    Diz tudo sobre as prioridades da personagem, um mero populista querendo cavalgar um dos truques mais batidos: encontrar inimigo externo.

    Gostar

  26. JCA permalink
    12 Novembro, 2012 15:37

    .
    O ministro da economia anunciou hoje perante os alemães ‘investimento nas redes europeias ferroviarias’. Ao que julgo não era o que dizia nas aulas no canadá e na televisão quando ‘impingia’ na televisão, francamente é nome de que nunca tinha ouvido falar e que feu a impresão de ‘ter caido de para quedas’ embora com o beneficio da duvida.
    .
    O Governo de Passos e o PSD/CDS deve direitos direitos de autor ao Socrates não é ao Seguro :)))))) Ironias … Afinal para ‘inovarem’ copiam, fazem a mesma coisa que os ouyros queriam fazer :)))
    .
    pois a culpa, o bode expiatoria, é a Merkal …… Ganda noia como dizia o Mendes
    .

    Gostar

  27. aremandus permalink
    12 Novembro, 2012 16:07

    de 1989 a 1991 os professores dobraram os seus ordenados. obrigado professor cavaco,padrinho do professor martelo

    Gostar

  28. thekahuna permalink
    12 Novembro, 2012 16:29

    Como não está aqui a “source” da divida externa da Alemanha ter caducado, ou alias, de isto ser mentira, fui procurar e encontrei isto:
    http://www.spiegel.de/international/germany/economic-historian-germany-was-biggest-debt-transgressor-of-20th-century-a-769703.html
    Alguém me diz então quais se isto é verdade, e se sim, qual a diferença para o que dizem no video

    E é uma pergunta honesta, eu tento (mas nem sempre faço) perceber e saber o que realmente aconteceu, e neste caso, quer do video, quer do que está aqui escrito, é apenas isso que tento saber, o que afinal é verdade.

    Gostar

  29. aremandus permalink
    12 Novembro, 2012 16:44

    a ideia deste formidável vídeo foi do sócrates. só pode…

    Gostar

  30. Tony Ramos permalink
    12 Novembro, 2012 16:59

    Convém esclarecer que, apesar da ideia original ser do Prof. Marcelo, a realização e produção foi do chefe dos Darth Vader’s do 31 da armada, Rodrigo Moita de Deus. Ele é o culpado por essa vergonha.

    Gostar

  31. Yoda permalink
    12 Novembro, 2012 17:00

    “de 1989 a 1991 os professores dobraram os seus ordenados. obrigado professor cavaco,padrinho do professor martelo”

    Estranhamente, esse suposto aumento coincidiu com o momento em que os funcionários públicos começaram a pagar IRS. Já agora, no mesmo período (os 3 anos de 89 a 91), a inflação combinada foi de 43%. Em suma… demagogia pura.

    Gostar

  32. campus permalink
    12 Novembro, 2012 17:18

    Se a idosa Cecília Gimenez, fez aquilo a Cristo (ECCE HOMO), porque é que o idoso Marcelo e o jovem Deus não podem fazer o mesmo á 7ª Arte ?

    Gostar

  33. carneiro permalink
    12 Novembro, 2012 17:33

    diziam que a fita era do imortal Manoel e aquilo ainda trazia o Urso de Oiro.

    Gostar

  34. 12 Novembro, 2012 17:41

    se o vídeo é isso
    pouca vergonha
    aliás os catedráticos são useiros e vezeiros nas atoardas
    não basta o prof JMiranda ver inconstitucionalidades em todo o lado………menos onde elas existem mesmo….e ter favorecido á grande os alunos(as) brazucas
    vem agora o prof marcelo com esses disparates e mentiras
    um dos bons aspetos das intervenções semanais do prof……….é que é recomendável fazer exatamente o contrário do que ele “ensina”…

    Gostar

  35. Tiradentes permalink
    12 Novembro, 2012 17:54

    O ÙNICO SR GAJO que apresentou em 2003/2004 um programa de reformas ao Guterres e que mediaticamente falava já da nossa bancarrota era o dr MEDINA CARREIRA.
    Desautorizado por Guterres no estudo por ele encomendado mas que nunca seria posto em prática foi GOZADO, VILIPENDIADO, INSULTADO e não sei o que mais.
    O homem era louco, não apresentava propostas. Então a esquerda fez dele o bobo da corte.
    Lembro-me de começar a ouvir o homem por essas razões. Tanta gente a falar mel dele só podia ser alguma coisa importante e séria.
    Aqui está a realidade de hoje.

    Gostar

  36. Floriano Mongo permalink
    12 Novembro, 2012 18:06

    Marcelo não tem medo do ridículo. Esse é o traço mais marcante da sua personalidade.

    E quando pensamos que nesse particular já não nos surpreende, eis, que desafiador ele nos contraria: “Surpreendo, sim! Querem ver?”. E mergulha mais fundo no Tejo do caricato.

    Marcelo mostrou que gosta de se exercitar. Afinal o ridículo não mata.

    Gostar

  37. 12 Novembro, 2012 18:29

    Obrigada ao bloguista! Já andava a ficar verde de vergonha, porque a história já é tema no foro luso-alemão que costumo frequentar. Felizmente alguém encontrou este post, e publicou o link lá. Os alemães proíbiram o filme para nosso bem. Eles são um povo muito amigo do próximo, só não dão esmolinhas, eles até ajudam-nos nestas coisas.

    Cumps – m

    Gostar

  38. Fincapé permalink
    12 Novembro, 2012 18:32

    Hoje por aqui há um auto-ódio tão grande que nem vale a pena perder muito tempo. Poderia caçar as várias “inverdades” (é assim que se diz?) que estão neste post.
    Vou só a uma:
    “9. A idade de reforma na Alemanha também é de 67 anos.” A idade da reforma na Alemanha está a crescer para os 67 anos, que será atingida só por volta de 2027 (se não estou em erro). Cresce um mês por ano para aqueles que nasceram a partir de 1948 (suponho e não vou confirmar, porque nem vale a pena).
    Em Portugal, o fator se sustentabilidade será para o ano superior a 5%, o que significa que a idade de reforma será já cerca de 66 anos.
    Continuem esta noite a sustentar o auto-ódio, mas não entrem na automutilação pois diz-se que os hospitais estão com alguns problemas.

    Gostar

  39. Sérgio permalink
    12 Novembro, 2012 20:02

    Gorgeous! O artigo, não o vergonhoso vídeo!

    Gostar

  40. Lucas Galuxo permalink
    12 Novembro, 2012 20:20

    O vídeo diz, numa forma mais pirosa e menos elegante, o mesmo que Soros diz neste texto:
    http://www.publico.pt/ProjectSyndicate/George%20Soros/uma-europa-da-solidariedade-nao-apenas-da-disciplina-1570169

    Os países em dificuldades são credores, das instituições europeias e dos países mais beneficiados pela imprudente política monetária e financeira seguida nos últimos anos, de mais atenção e responsablidade do que a que o FMI e o mercado dispensam.

    Conta a intenção.

    Gostar

  41. O lamentável permalink
    12 Novembro, 2012 20:21

    O lamentável artigo sobre o lamentável video do Prof. Marcelo… Que nem consegue ser coerente com as fontes que cita… (“aumento gradual da idade da reforma para os 67 anos, até 2029” em oje.pt)

    Gostar

  42. JJ Pereira permalink
    12 Novembro, 2012 20:30

    Um povo de palhaços ignorantes e de pedintes invejosos.

    Gostar

  43. hotboot permalink
    12 Novembro, 2012 20:38

    Segundo as minhas pesquisas (difíceis, já que nos jornais alemães e de Berlim não encontro nada) nenhuma “autoridade pública” rejeitou o vídeo, a “Alemanha” não o rejeitou.
    O vídeo foi apresentado aos responsáveis pela gestão do “Sony Center” de Berlim http://www.sonycenter.de/en (um espaço fantástico) que devido ao carácter politico não queriam envolver-se (tb poderia ser um vídeo da CDU a criticar a SPD ou vice-versa) estes gestores dizem rejeitar qualquer tipo de propaganda politica sempre, por principio, ponto. Houve sim a não aceitação de um tipo de mensagem politica por uma empresa privada. PONTO.
    e minha opinião… graças a Deus, o vídeo é uma vergonha para qualquer Português… lamentável.

    Gostar

  44. lucklucky permalink
    12 Novembro, 2012 20:51

    “Os países em dificuldades são credores, das instituições europeias e dos países mais beneficiados pela imprudente política monetária e financeira seguida nos últimos anos, de mais atenção e responsablidade do que a que o FMI e o mercado dispensam.”

    Hahahah! só podia vir do Soros, Krugman ou outros populistas do mesmo nível.
    Ninguém obrigou Portugal a endividar-se. Foram os Governos Portugueses eleitos que o fizeram. Foram os jornalistas e marcelos, parte da mesma cultura que se estiveram nas tintas mais preocupados com o “aquecimento global” e o Bush etc…
    Medina Carreira e Ernâni Lopes foram dos poucos que alertaram.
    .
    O povo português não sabe e ou não se interessa, mas deveria ir religiosamente ao site do igcp todos os meses… em Outubro já vamos em 15 mil milhões de euros de nova Dívida este ano. Mais 1500 euros por português.
    http://www.igcp.pt/fotos/editor2/2012/Boletim_Mensal/10_BolMensal.pdf

    Gostar

  45. Fincapé permalink
    12 Novembro, 2012 21:18

    Bem-aventurados…
    http://educar.wordpress.com/2012/11/12/bom-dia-1222/

    Gostar

  46. 12 Novembro, 2012 21:20

    Desta vez mudo de nome, pois penso que com o que primeiro escolhi, não me levam lá muito a sério – talvez seja esta a razão pela qual o meu comentário lá de cima ainda estar à espera de moderação ;). Fincapé, o nosso problema não é o auto-ódio, o problema é andarmos uma vida inteira à procura do erro no palheiro errado – nós nunca aprendemos com os erros feitos, Não tiramos partido do ouro roubado do Brasil, da mesma forma protámo-nos com os vastos recursos naturais das colónias africanas e com a novo “Goldesel”, o Burro que escrementa ouro UE, o nosso comportamento não foi melhor. Temos fama, sem proveito! Mas para quê tanta palavra! O Sr. JJPereira disse precisamente aquilo que eu queria aqui esboçar, só com a diferença que ele conseguiu dizer o mesmo numa simples frase de apenas 5 palavras. Boa noite

    Gostar

  47. JJAA permalink
    12 Novembro, 2012 22:34

    É impressionante que, ao ter oportunidade de se exprimir, a maior parte das pessoas desata a dizer barbaridades que nem ao diabo lembram. Isso e acusar os outros de tudo e mais alguma coisa, não deixando de ser uma triste e lamentável forma de censura a uma opinião contrária.

    1.º Se o Sr. Marcelo (ou outro português qualquer) se lembrou de fazer um filme qual é o problema? Tem erros? Tem e isso é lamentável, principalmente vindo de quem vem. Mas parece-me mais grave o governo alemão ter proibido a sua exibição. Que eu saiba, o muro de Berlim caiu em 1989 e, supostamente, com ele a censura na Alemanha… ou não?

    2.º Quanto à responsabilidade de Portugal da sua dívida, é verdade que Portugal se endividou por iniciativa própria (ou pelo menos assinou por baixo sem questionar nada). Mas já pararam para pensar que outros países, mais experientes e com economias mais fortes, podiam, além da ajuda financeira ter ajudado ideológicamente? Como? Falemos da Alemanha, por exemplo. Acusam, pomposos, os portugueses de gastar mal o dinheiro, mas omitem o facto de terem emprestado esse dinheiro a troco da pouca indústria que tínhamos, das pescas, da agricultura… ainda por cima, vêm buscar parte do dinheiro através da venda de 4 submarinos que sabiam perfeitamente que não precisávamos… Felizmente, ainda foi possível reduzir para 2. Mas não foi por vontade dos alemães, tanto quanto me lembro. E se tivessem sido honestos e recusassem a venda já que, afinal íamos pagar com o dinheiro deles? E que tal criar regras que impedissem os vários estados (o problema não é só português) de gastarem como quizessem? E que dizer da França que criou entravez à criação de uma moeda forte (o Euro, claro está) fazendo com que agora esteja com dificuldades em resistir a esta crise?

    3.º Fala-se da baixa produtividade e PIB per cápita associa ao número de horas de trabalho, mas alguém sabe o que realmente significa? Para quem não sabe, a produtividade resume-se ao produto de uma hora de trabalho e o valor desse produto. Por exemplo, se um português faz num dia um par de sapatos com o valor de mercado de 50€ e um alemão um Mercedes de 50.000€, a produtividade do alemão é 1.000x superior, mas isso não significa que o português tenha andado a dormir em pé em vez de trabalhar. Até pode ter trabalhado muito mais (mais rápido, com menos horas de almoço, etc.). Simplesmente produz um bem de baixo valor no mercado. Claro que na realidade as coisas são um pouco mais complicadas, mas penso que assim é mais fácil perceber o conceito. Por isso quando se diz que o PIB português é metade do alemão, não se pode dizer que os portuguêses trabalham metade.

    4.º Podia continuar com esta lista, mas não vale muito a pena bater no ceguinho. Mas ainda quero acrescentar que para quem acha que os governos são corruptos (e, meu Deus, se são!) que pensem sobre o seguinte: Se eles são corruptos é porque alguém os corrompe; se estão no governos, foram precisos alguns milhões para as campanhas (só os do estado já não chegam)… quem pagou? E a troco de quê? É que ninguém dá nada a ninguém, principalmente nos negócios… Se é para realmente ajudar os países que estão em crise e, se a Euribor está a uma taxa inferior a 1%, porque estamos a pagar juros de 5%? O spread da minha casa é de 0,4%… mas nem que fosse de 1%, estva bem longe dos 5%… Ahhh… e curiosamente, os lucros da banca alemã dispararam com as ajudas aos paízes endividados… 😉

    Gostar

  48. Euro2cent permalink
    12 Novembro, 2012 22:36

    > A taxa de analfabetismo era de 33% em 1960.

    Sobretudo incidindo sobre a geração mais velha.
    .
    Foi um trabalho notável do Estado Novo “salazarento” para eliminar a pesada herança da República jacobina.
    .
    (Curiosamente, um ministro da Educação da última, ex-padre casado, depois dedicou-se ao negócio da dita estabelecendo um colégio particular (ou privado, em parlança moderna). O filho e netos mantiveram o negócio, mas são a favor da sua erradicação. As ironias da realidade mandariam abaixo a credibilidade de qualquer ficção.)

    Gostar

  49. DSC permalink
    12 Novembro, 2012 22:40

    Paranóia é ver em imagens aquilo que as elites pensam de todos os outros.

    Aquilo é o que estes sheriffs pensam que nós somos.

    Gostar

  50. 12 Novembro, 2012 22:54

    Francamente, isto não é para levar a sério. Tradicionalmente, desde a fundação do reino, fazemos isto; por isso os reis da primeira dinastia foram todos excomungados por “Roma” . Os outros não foram (todos) porque deixaram de ser competentes.

    Gostar

  51. Eleutério Viegas permalink
    12 Novembro, 2012 22:56

    Os alemães viram a pepineira parola e recusaram-se a ver tal m?%da…

    Gostar

  52. Maria Portela permalink
    12 Novembro, 2012 23:32

    Do lamentável vídeo ao ainda mais lamentável post… que falta de brio!
    Como se os alemães não fossem racistas, xenófobos, calculistas… perderam a 1ªGuerra, a 2ªGuerra, e sa ganharem fôlego para tentar dominar, de novo, a Europa, têm todo o sue povo ao lado e, pelos vistos, muitos portugueses – o que também não é novo na história.

    Gostar

  53. Lucas Galuxo permalink
    13 Novembro, 2012 00:11

    “Ninguém obrigou Portugal a endividar-se”

    Qual é o país que não se endivida com uma taxa de juro e uma valorização da moeda a evoluir em sentido inverso à sua balança comercial e de capital, com as suas autoridades de supervisão bancária displicentes a esporar o crédito? Diga lá, Lucklucky!

    Gostar

  54. Aladdin Sane permalink
    13 Novembro, 2012 00:13

    Quem é agora o “cavaleiro andante”, Prof. Marcelo?

    E uma pequena pergunta: quem arranjou a “packa” para fazer o vídeo?

    Gostar

  55. Mário Cruz permalink
    13 Novembro, 2012 01:02

    Depois da Jonet o Marcelo… Haverá mais alguma coisa ou alguém de valor, que estes tugas maledicentes, mal-agradecidos, invejosos, venenosos, retorcidos, ridículos, ressabiados, mesquinhos, ignorantes, tenham para abater?
    Senhor jcd que tal gastar o tempo que gastou a criticar e a falar mal de uma inciativa que só pode ser considerada meritória para tentar fazer melhor? Se tivesse feito um video melhor aceitaria a sua crítica. Se se limita a deitar abaixo vá para uma empresa de demolições, terá aí mais futuro.

    Gostar

  56. Xico Cabaço permalink
    13 Novembro, 2012 01:26

    Eu só me interrogo: se pensam isto sobre os tugas e a Tugolândia, o que fazem ainda por cá?
    .
    Portugueses são merda, esterco e o caralho!
    .
    Palermas!

    Gostar

  57. Aladdin Sane permalink
    13 Novembro, 2012 01:57

    Mário Cruz,

    não me chame “tuga”. Sou português, e aquele filme envergonha-me. Se o “meritório” Marcelo lhe basta, e se isso me torna invejoso, maledicente, etc. como afirma, estamos conversados. Se por outro motivo não fosse, encontra mérito numa patacoada daquelas, cheia de imprecisões?

    Eleve-se.

    Gostar

  58. era mas foice permalink
    13 Novembro, 2012 02:44

    Como sabemos a linguagem da televisão e dos jornais é em geral muito precisa e congruente. A dos políticos nem falar. E a conversa de café que por aí vai então é exemplar. Está errado dizer ‘sem plano Marshall’? Então esse plano foi feito para nós? Está errado afirmar que a Alemanha não honrou as suas dívidas? Não foi ela o maior devedor insolvente do séc. XX? E as dívidas da RDA? E O desequilíbrio comercial não resultou em lucros para a Alemanha? Esse brutal deficit comercial foi conseguido vendendo-nos produtos abaixo do custo? E na construções do Euro e da Expo não ganharam as Siemens, Bosch, etc. e tal? E a história dos submarinos não é verdade? E a Siemens não fez investimentos estranhos como em Vila do Conde? E a quem interessa que os portos portugueses funcionem mal e porcamente? E quem é que emprestou dinheiro a um país falido fixando juros de agiota? Alguma vez se podem comparar ordenados e pensões? Mas não é verdade que se podem comparar impostos e regalias?

    Gostar

  59. Portuguesa/Alemanha permalink
    13 Novembro, 2012 08:06

    Se o video peca por nao seguir a verdade dos factos, o que aparece no site de “blasfesmias.net” peca pelo mesmo motivo. Primeiro: Para a apresentaçao de dados estatísticos dever-se-ia recorrer sempre ao INE (Instituto Nacional de Estatística); segundo:Ponto 7 – o que é aqui escrito, nao contribui de forma alguma para esclarecer seja o que for…; terceiro: Ponto 10 – as informaços relativas aos feriados na Alemanha estao erradas (feriados religiosos em toda a Alemanha – 1. Sexta-feira Santa, 2. segunda-feira de Páscoa, 3. Quinta-feira da Ascençao, 4. Segunda-feira de Pentecostes, 5. dia 25 e 6. 26 de Dezembro, feriados nacionais em toda a Alemanha – 7. dia 1 de Maio, 8. dia da Unificaçao Alema, feriados regionais cumulativos aos já mencionados acima nos respetivos Estados federados – 9. Dia de Reis (Baden-Württemberg, Baviera, Saxónia-Anhalt), 10. Corpo de Deus (Baden-Württemberg, Baviera, Hesse, Renania do Norte-Vestefália, Renania-Palatinado, Sarre, alguns municípios da Turíngia), 11. 15 de Agosto (Sarre, Baviera), 12. Dia da Reforma (Bradeburgo, Mecklemburgo-Pomerania Ocidental, Saxónia, Saxónia-Anhalt, Sarre), 13. 1 de Novembro (Baden-Württemberg, Baviera, Renania do Norte-Vestefália, Renania Palatinado, Sarre), 14. Buß- und Bettag (Saxónia); isto significa, por exemplo, que Heidelberg teve/terá 11 feriados em 2012, e os domingos nao estao incluídos; Ponto 9 – A idade de entrada para a reforma na Alemanha é de 67 anos mas isto só entra em vigor gradualmente. Concretamente, as pessoas que nasceram em 1964 serao as primeiras a ir para a reforma com 67 anos, no ano de 2031. Eu própria (1963) irei para a reforma em Maio de 2030 e faço 67 anos em Julho de 2030. Os factos postados acima estao tao ou mais incorretos que os mencionados no filme e nao confirmei tudo…

    Gostar

  60. Mara permalink
    13 Novembro, 2012 11:13

    Dados a sério : http://epp.eurostat.ec.europa.eu/tgm/table.do?tab=table&init=1&plugin=1&language=en&pcode=tsdpc340
    Temos poucos carrinhos, não é? Mais umas autoestradas e uns bons carros é que faziam falta. Para ir desde a cama até à secretária. Muito desenvolvido.

    Gostar

  61. lucklucky permalink
    13 Novembro, 2012 12:22

    “Qual é o país que não se endivida com uma taxa de juro e uma valorização da moeda a evoluir em sentido inverso à sua balança comercial e de capital, com as suas autoridades de supervisão bancária displicentes a esporar o crédito? Diga lá, Lucklucky!”

    Tantos. É só consultar as dívidas publicas mundiais.
    Pode começar por aqui, veja os países com dívidas menores que 60% e com crédito fácil. Suiça, Chile, Hong Kong, China, Suécia, muitos outros…
    http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_public_debt

    Gostar

  62. lucklucky permalink
    13 Novembro, 2012 12:29

    A Dívida Publica Portuguesa é consequência do regime político Social-Populista que temos e o facto de estarmos no Euro ter tornado as agências de rating e mercados displicentes – por outras palavras uma confiança desajustada ao nosso país. Aumentou-nos a reputação sem o merecermos.
    Por exemplo a afirmação de Sampaio “há mais vida para além do défice” se fosse feita com o Escudo este teria dado um trambolhão…
    Os incentivos que os políticos têm ,inclui as pressões dos partidos , dos jornalistas e dos eleitores defendem- é que criou a nossa dívida.
    Basta ver as críticas às agências de rating – há anos que nos deveriam ter colocado em lixo-
    ou como todos do PCP ao CDS querem “regressar aos mercados”.

    Gostar

  63. jtilly permalink
    13 Novembro, 2012 12:44

    Alemanha recusa vídeo para atrasadinhos

    http://joaotilly.blogspot.pt/2012/11/alemanha-recusa-video-para-atrasadinhos.html

    Gostar

  64. Artur Bastos permalink
    13 Novembro, 2012 13:03

    Há nestas correções mentiras descaradas e outras em que vendem informação retirada da Net como se fosse verdade absoluta. É bem verdade que a quem anda sempre de martelo na mão tudo lhe parece um prego. Devemos sempre desconfiar sempre de quem faz da critica e do mal-dizer uma forma de ganhar a vida. Lições de moral a Matcelo Rebelo de Sousa!? Todos têm o direito de se julgar importantes mas serão sempre os outros a reconhecer (ou não) essa importância.

    Gostar

  65. JMS permalink
    13 Novembro, 2012 13:18

    O triste ao ver este post e estes comentarios e continuarem a achar que este governo nos vai salvar, e continuarem a achar que o privado tem que pagar os devaneios da função publica.
    Se querem essa igualdade entao acabem com a cga e a ADSE.
    Mas porque motivo nao devem os funcionarios publicos pagar IRS, o que sao eles a mais do que eu??? ate trabalham menos horas do que eu.

    Gostar

  66. Luís Soares de Mello permalink
    13 Novembro, 2012 13:18

    Só para responder à pergunta 6:
    Pelo menos a Siemens fez parte do consórcio que ganhou as redes de comunicações de todos os estádios, com excepção do de Alvalade, que foi ganho pela IBM. Poderá ter havido mto mais empresas alemães, mas só este facto já responde à pergunta.
    (O que não aquece nem arrefece nada qto à pobreza do vídeo, limita-se a ser um facto.)

    Gostar

  67. Glacius permalink
    13 Novembro, 2012 13:30

    Acho que existe aqui algo que o Prof. Macedo fez e o senhor não,

    apelar ao orgulho de ser português e de ganhar valor pelo que somos, mesmo baseando-se em premissas falsas fez um melhor trabalho que o senhor crítico.

    Ainda bem que gosto de Portugal, senão ficaria deprimido só de ler esta crítia.

    Gostar

  68. Lucas Galuxo permalink
    13 Novembro, 2012 13:43

    Lucklucky,
    Refere bons exemplos. De países que trabalham para manter as suas moedas artificialmente desvalorizadas e impedir desequilíbrios na suas balança corrente.

    Gostar

  69. Fenris permalink
    13 Novembro, 2012 13:50

    É uma enorme palhaçada. Parece-me que o Marcelo ingeriu uma qualquer bebida que não era meramente energética.
    .
    Mesmo sem estar completamente esclarecido quanto aos factos aqui contrariados, fez-me uma imensa confusão “atirar à cara dos alemães” que eles trabalham menos horas, reformam-se mais cedo e têm mais feriados… e quem está atafulhado no esterco somos nós.
    É uma falta de tudo.

    Gostar

  70. leopardo permalink
    13 Novembro, 2012 15:25

    como outros referiram já há vários dados errados no seu post.
    Um que me parece que não está certo é o nº de carros/veículos em portugal que se alterou muito rapidamente em Portugal (um dos excessos de endividamento das familias). Pode ver dados atualizados em:
    http://www.autoinforma.pt/prog/documento.php?documento_id=1945
    Somando todos os veiculos temos perto de 570 veiculos por habitante em Portugal e não 415.

    Fica a dúvida, será que é o vídeo que tem dados errados ou é o jcd que não teve a prudencia suficiente para procurar os valores corretos. Pelas amostras dos comentários confio mais no vídeo do Marcelo… que me parece que nem sequer será propriamente dele.

    Gostar

  71. Ohm permalink
    13 Novembro, 2012 15:31

    “A riqueza que tivemos (e ainda temos parcialmente pois ainda vivemos do défice ) foi por causa da dívida. Ou seja completamente artificial.” Este ano, se não pagássemos juros, não tínhamos défice. Portanto o défice que temos também é por causa da dívida. Ou seja, é completamente artificial.

    Gostar

  72. 13 Novembro, 2012 16:18

    Bom, sobre os automóveis, o boneco apresentado deve ser de uma qualquer estatística europeia que geralmente nos coloca abaixo de cão.
    Dados mais correctos são os da OCDE aqui apresentados pela Forbes:
    http://www.forbes.com/2008/07/30/energy-europe-automobiles-biz-energy-cx_wp_0730cars_slide_2.html?thisSpeed=undefined

    Gostar

  73. lucklucky permalink
    13 Novembro, 2012 16:42

    “Refere bons exemplos. De países que trabalham para manter as suas moedas artificialmente desvalorizadas e impedir desequilíbrios na suas balança corrente.”

    Irrelevante.
    A História das finanças de Portugal não lhe diz nada? Não aprendeu nada com 100 anos de desvalorizações? Até basta a História da Democracia . As desvalorização sucessivas do Escudo em Democracia de 74 a 83 acabaram onde?
    Qualquer dos países que listei poderia endividar-se muito mais, os políticos no casos dos países democráticos que listei seriam vistos como gente cheia de “paixão” e “consciência social” pelos nossos jornalistas distribuindo dinheiro da divida como Sócrates fez por cá.
    Escolheram não o fazer.

    Gostar

  74. Lucas Galuxo permalink
    13 Novembro, 2012 17:25

    Lucklucky,
    Está baralhado. Você está a confundir dívida pública com dívida privada. É sobretudo esta, e muitas das trapalhadas bancárias com ela relacionadas a que o estado foi coagido a tapar os buracos, que nos empurrou para o buraco em que estamos. É evidente que se a administração das ferramentas financeiras e monetárias, na Europa, tivesse sido outra, estes desequilíbrios não teriam acontecido em tão larga escala. Fosse quem fosse que nos governasse o resultado seria o mesmo. Até porque, a quem agora governa e aos seus defensores, não se ouviu um ai, anteriormente, a reclamar menos gastos e mais receitas. Muito antes pelo contrário.

    Gostar

  75. Renato Ramos permalink
    13 Novembro, 2012 18:27

    O primeiro comentário (julgo eu ter sido o primeiro) evidencia bem a mentalidade “benevolente” e, de certa forma, comprometida, com o que se passa no País. Ainda há crentes que preferem “deixar ver o que acontece amanhã” (apoiar o jovem até que se recupere) ao invés de assumir o “temos pena, as regras existem e sabias que não podias fazer piruetas”. E aqui vai um compromisso – vou a partir de agora abraçar o estilo de vida minimalista, até que o jovem motoqueiro recupere, entenda que tem que cumprir as regras e pague o que deve a quem o “apoiou”, por todo o trabalho (e investimento) que dedicou. Pensando melhor, vou preparar o baldinho de pipocas, pois pressinto uma comédia das boas… pena já se adivinhar o desfecho.

    Gostar

  76. Portuguesa/Alemanha permalink
    13 Novembro, 2012 19:47

    Outra coisa: o filme, na minha opinao, peca por ser ingénuo, artesanal e provinciano, nada mais.

    Gostar

  77. Zé Carioca permalink
    13 Novembro, 2012 20:12

    Mas desde quando é que o prof.dr. comentador Marcelo é que me representa a mim e a outros milhares de portugueses? Porventura pensou que sim? Alguém lhe encomendou o frete? O que os alemães querem é que nós não precisemos do dinheiriinho deles, mesmo os agiotas dos banqueiros, dos alemães, claro. Ou julgam que os aumentos das taxas de juro aparecem por acaso? Vamos pagar, vamos pois, mas eles duvidam, e sabem porquê? Porque não conseguem ver como, é que continuamos na mesma, só cortamos ao zé, agora ao snr.dr.prof. etc, a esses não lhes tocam, cortem à edp, às ppp`s, aos advogados, aos engenheiros das câmaras, aos presidentes das câmaras, às empresas das águas (que só com a mudança dos contadores ganharam milhões), à banca, etc.etc.etc, estas e outras coisas o governo dos mentirosos como os outros, isso ele não faz, faltam-lhes tomates para isso.

    Gostar

  78. 13 Novembro, 2012 20:22

    Portuguesa / Alemanha,
    diz que o filme, na sua opinao, peca por ser ingénuo, artesanal e provinciano – o que a meu ver é um grande pecado. Parece a pub do Continente que na altura dum campeonato qualquer, apareceu aí na internet. Muita piadinha desenchabida no fim do clip, pregam com uma bigodaça ao busto de Franz Schubert, um austríaco de pura natureza e nacionalidade – e para arrematar a azelhice, ainda tivemos o desplante de perder o jogo!!!! Caramba, estou farta de pertencer ao grupo dos nabos.

    Cumprimentos de uma outra Portuguesa/Alemanha.

    Gostar

  79. drcursor permalink
    13 Novembro, 2012 21:19

    A Alemanha não tem apenas 11 feriados. Tem 11 feriados federais. Cada parte da alemanha e cada cidade tem os seus especificos.
    A maior parte dos acordos colectivos de trabalho (que tem um alcance bastante interessante) normalmente atribui mais dias de descanso obrigatorio e/ou ferias extra.

    Gostar

  80. Sarah Almeida permalink
    14 Novembro, 2012 09:04

    Em relação à idade da reforma, penso que o vídeo se refere à idade efectiva da reforma dos homens portugueses: http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=473971

    Gostar

  81. 15 Novembro, 2012 08:35

    Nota adicional: o gráfico do número de veículos é apenas de veículos ligeiros de passageiros, não inclui comerciais ligeiros nem segue a definição abrangente dos números da OCDE que incluem todos os veículos até 9 lugares.

    Gostar

  82. 15 Novembro, 2012 18:04

    É engraçado ver aqui estes bétos do JCD todos cabras com o próprio amigo do peito tão conhecido como Marcelo Rebelo de Sousa, na minha opinião o video está muito bom e mostra de uma forma rápida e eficaz as diferenças entre estes dois países assim como as suas injustiças, dessa forma gostaria de saudar o Marcelo que apesar de ser um fascista admito que desta vez teve bem, contudo gostava de ver estes laranjinhas NAZIS a raparem fome para ver se falar tão bem da Tia Merkel essa vaca NAZI, abram os olhos otários pois caso contrario ainda se arriscam a ser vendidos ao desbarato à China ou à Índia. Na AutoEuropa já estão a pedir assinaturas para caso daquela merda der raia mandar os trabalhadores para a Índia sem aumentos no salário, no fundo é trabalhar lá fora com o salário de cá de dentro, há pois é a mama vai-se acabar por isso não se metam a pau não!!
    VIVA AO BLOCO DE ESQUERDA!!!!!
    VIVA!!!!
    VIVA A LIBERDADE!!!
    VIVA!!!!
    VIVA AO 25 DE ABRIL!!!!
    VIVA!!!!
    FORA OS FASCISTAS!!!!
    RUA ONTEM JÁ ERA TARDE!!!!!!!!!!!!!

    Gostar

  83. Isabel permalink
    12 Abril, 2013 17:31

    Glasius escreveu:
    “Acho que existe aqui algo que o Prof. Macedo fez e o senhor não,
    apelar ao orgulho de ser português e de ganhar valor pelo que somos, mesmo baseando-se em premissas falsas fez um melhor trabalho que o senhor crítico.
    Ainda bem que gosto de Portugal, senão ficaria deprimido só de ler esta crítia.”

    Glasius, não confunda alhos com bugalhos! Eu gosto de ser portuguesa e gosto muito de Portugal, mas chamar a este sentimento orgulho não soa nada bem. Eu não contribuí nada para poder ser portuguesa – a minha nacionalidade foi adquirida automaticamente ao nascer. Eu só tenho direito a ter orgulho por algo, quando eu contribuí pessoalmente pelo sucesso. Um país que teve a história que teve, por muitos considerada como uma grandiosa História, e hoje encontra-se no estado que está, não tem razão nenhuma em estar orgulhoso, mais razão tem é para ter vergonha. Uma grande nação ontem, hoje a toca do mendigão. Portugal não precisa de orgulhosos, Portugal precisa de Portugueses que reconhecem que errámos, errammos e se não mudarmos continuaremos a errar. Quem não reconhece que erra, nunca irá estar apto a deixar de errar – passando a vida à procura do culpado da nossa eterna pelintrice em casa alheia. Quem é parvo e tem orgulho de o ser, nunca irá deixar de o parvo.

    Gostar

  84. Isabel permalink
    12 Abril, 2013 17:33

    Por favor corrija a minha ultima frase:

    …nunca irá deixar de ser parvo.

    Obrigada

    Gostar

Trackbacks

  1. Sulista, Elitista e Liberal » Blog Archive » O lamentável video do Prof. Marcelo…
  2. Portugal-Film in Deutschland verboten ! - Das PortugalForum - das Original
  3. Quando a realidade não colabora « O Insurgente
  4. Até os Spin Doctors precisam de Spin Doctors | cinco dias

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: