Skip to content

Sorte a dele

27 Novembro, 2012

Um artista que se apresenta como Valete vai actuar no Campo Pequeno.  Sorte a dele só querer matar reis, presidentes dos EUA e líderes democráticos. Caso dissesse o mesmo sobre fundamentalistas islâmicos era logo rotulado de anti qualquer coisa e uns dias depois estava a explicar que tudo não passava de um grande mal entendido. Assim vai ter uma vidinha sossegada e muitos convites.   O teor das suas letras  é o que segue abaixo

Eu sou Valete, bro, e sempre quis ser regicida

Sacrificar a vida pela maioria oprimida

Sem contrapartida, pela revolução sou suicida
Reserva um bilhete de ida para mim, ‘tou de partida
E vou com anti-americanismo que Mao Tse Tung propagandeara
Com a filantropia com que Platão revolucionara, outrora
Com aquele Marxismo que Trotsky impulsionara
Estou farto da senzala, chao, só me galas em Guadalajara
A minha aversão ao imperialismo não sara
Não quero fama, nem glória, dá-me só uma T-shirt de Che Guevara
Põe-me num 7.4.7, México aqui vou
Viajo lembrando de como a segunda torre se desmoronou
Depois de 15 horas de voo, meu Boeing aterrou
Já fora do aeroporto, houve um bro que me identificou

“irmão Valete, eu vim-te buscar para a concentração
Entra no carro só faltas tu para começar a acção”

Chegámos ao ponto rapidamente, assim clandestinamente
Provavelmente eu nunca vira pela frente tanta gente
Era uma cidade subterrânea cheia de dissidentes
Só resistentes e combatentes naquele contingente
Eu vi Sardar, Saramago, Mia Couto e Chomsky
Também vi os mentores do atentado de Nairobi
Nipónicos pa’ vingar Hiroshima e Nagasaki
Fidel Castro, Arafat, Chavez e Khadafi
Activistas do Hamas, Jihad e Hezbollah
Zapatistas, Talibãs e bombistas da Fatah
Todos diferentes mas com um objectivo em comum:
Acabar com esta ditadura que a América implantou
A sede de vingança deixava todo o exército operante
Deram o sinal pa’ nos reunirmos numa sala gigante
Em cima do palanque ‘tava um fulano que elaborava o plano
Com style de saudita ou iraquiano, só queria saber quem é esse mano
Deixava toda a gente focada enquanto ele liderava

(Outro Revolucionário) “Yo Valete é o Bin Laden”

(Valete) “Bin Laden?!?”

Bin Laden
Voz alterada sem barba e com cara totalmente modificada
Eu não o curtia mas ele era o que a América merecia
Radical sem diplomacia, assim como se exigia
Formulou o plano perfeito pá’ revolução que se pretendia
Tínhamos túneis subterrâneos até à cidade de Alexandria
Hackers bloqueavam a informação da NSA e da CIA
Tínhamos M1’s, F 16’s e muita artilharia, eu ria.

Informador

“Informação, informação.
As bases militares americanas em todo o mundo, já estão controladas pelas FARC , Al Qaeda e milhões de civis revoltosos.
O ataque aéreo ao pentágono está previsto para as 3h e 36 m.
Os ataques bombistas serão às 3h e 42 m
A invasão à Casa Branca ficará para 4h e 28m
Já sabem o que têm a fazer!”

Era um batalhão de insubmissos pa’ acabar com aquela arrogância
‘Tava incluído na missão Invasão à Casa Branca
Que seria reforçada pelo movimento black panther
Garanto qu’América nunca vira tanta encrenca
Fomos pelo túnel a dentro e chegámos em meio-dia
Alexandria tinha como Washington, cidade vizinha
E quando lá cheguei era inenarrável o que eu vira
América já ardia, rendida à nossa investida
Ficaram na defensiva, deixámos tropas sem vida
Éramos só homicidas com ira, topa a chacina
Numa outra ofensiva, edifício da ONU caíra
Largámos bué da mísseis em New York, Carolina
Califórnia, Louisiana, Detroit e Virgínia
Geórgia, Indiana, Illinois, Pensilvânia e Kansas
Ás quatro e um quarto já ‘tava tudo controlado
Nossos soldados já tinham a Rádio a TV e o Pentágono
Passado mais um bocado, Fidel leu o comunicado
“Acabou a Ditadura” podes crer é o golpe de estado.
E à porta da Casa Branca fiquei com Bin Laden a sós
Disse-lhe sem hesitar um coche: Deixa-me liquidar o George
Ele esboçou um sorriso e olhou-me fundo nos olhos
Sentiu segurança na minha voz e passou-me uma Kalashnikov
Era só ódio destruitivo na minha cabeça
Kalash fui exibindo assim a dar paleta
Eu fui o homem escolhido pa’ ditar a sentença
Olha o meu peito erguido pa’ vingar o planeta
Entrei na Casa Branca assim cheio de moral
Nossos snipers iam abatendo a escolta presidencial, eu andava
No piso inferior de corredor em corredor
Abria porta a porta à procura daquele estupor
Vi a porta dos fundos, senti um feeling interior
Abri… até que enfim Sr. Ditador
Agora sente o pavor
Vais pagar pela tua merda e pela dos teus antecessores
Isto é pelas vítimas das guerras que vocês fabricaram
Pelas bocas que morreram pela falta de pão que vocês negaram
Pelo terror que semearam, alastraram, perpetuaram
Pelos homens e mulheres que as vossas bombas mutilaram
Pelo suor dos trabalhadores que vocês escravizaram
Pela alma deste planeta que vocês danificaram.

Advertisements
38 comentários leave one →
  1. 27 Novembro, 2012 09:23

    Helena Matos anda ansiosa. Não tenha medo!

    Gostar

  2. 27 Novembro, 2012 09:28

    «Caso dissesse o mesmo sobre fundamentalistas islâmicos era logo rotulado de anti qualquer coisa e uns dias depois estava a explicar que tudo não passava de um grande mal entendido. »

    Pois, é uma injustiça que a Helena Matos e todos quantos queiram não o possam criticar/rotular/etc.. , como pelos vistos outros sectores fazem em relação a outro tipo de mensagens.
    Se ao menos a Helena Matos tivesse liberdade para, num blogue com exposição pública, dizer o que pensa a respeito do “Valete”, sempre seria um país mais livre e justo, não oprimido pelo jugo da Esquerda e do “Politicamente Correcto”.

    Enfim…

    Gostar

  3. Sarah permalink
    27 Novembro, 2012 09:33

    Nada como publicidade grátis…

    Gostar

  4. joaorsfonseca permalink
    27 Novembro, 2012 09:37

    Se se só avaliarmos um artista numa música sua, não conseguimos fazê-lo da melhor maneira..

    Vale o que vale..

    Gostar

  5. joao permalink
    27 Novembro, 2012 09:44

    ó Helena, mas este pateta apenas diz em público aquilo que a esquerdalha anarca anseia há anos. Ou já se esqueceu do delirio e das garrafas de champanhe que se abriram quando do 11/09 nos lares da esquerda caviar ?…quem não os conhece que os compre…..

    Gostar

  6. PiErre permalink
    27 Novembro, 2012 09:50

    Esse Arre Tista deve ter sido formado no conservatório do Júlio de Matos.

    Gostar

  7. JPT permalink
    27 Novembro, 2012 09:50

    É o mesmo autor do “Baza Paulo Bento!” O matumbo tem tanto jeito para a geopolítica como para o futebol (como qualquer sportinguista, por mais burro que seja, a esta hora já deve ter percebido).

    Gostar

  8. Junqueira permalink
    27 Novembro, 2012 10:00

    Está bem escrito à brava, chiça! Deve ter um curso de letrista das Novas Oportunidades dado pelo doutor José Jorge Letria.

    Gostar

  9. jsf permalink
    27 Novembro, 2012 10:34

    Grande verdade!!
    RENDIMENTO MÁXIMO Por:Paulo Morais, Professor Universitário in CM Jornal O destino do país está na mão de aposentados. O presidente Cavaco Silva, a primeira figura do Estado, é reformado. A segunda personalidade na hierarquia protocolar, Assunção Esteves, é igualmente pensionista. Também nos governos nacional e regionais há ministros que recebem pensão de reforma, como Miguel Relvas ou até Alberto João Jardim. No Parlamento, há dezenas de deputados nesta situação. Mas também muitas câmaras são presididas por reformados, do Minho, ao Algarve, de Júlia Paula, em Caminha, a Macário Correia, em Faro. É imensa a lista de políticos no activo que têm direito a uma pensão. Justificam este opulento rendimento com o facto de terem prestado serviço público ao longo de doze anos ou, em alguns casos, apenas oito. Esta explicação não convence, até porque uma parte significativa deste bando de reformados não só não prestou qualquer relevante serviço à nação como ainda utilizou os cargos públicos para criar uma rede clientelar em benefício próprio. Foi graças a esta teia que muitos enriqueceram e acederam a funções para que nunca estiveram curricularmente habilitados. A manutenção até hoje destes privilégios e prebendas é inaceitável, em particular nos tempos de crise que atravessamos. Sendo certo que a responsabilidade por este anacronismo não é de nenhum destes políticos e ex-políticos em particular – também é verdade que todos têm uma culpa partilhada por não revogarem este sistema absurdo que atribui tenças milionárias à classe que mais vem destruindo o país. Urge substituir este modelo pelo único sistema admissível que é o de que os titulares de cargos públicos, quando os abandonam, sejam indemnizados exactamente nos mesmos termos que qualquer outro trabalhador. E que passem a reformar-se, como todos os restantes cidadãos, quando a carreira ou a idade o permita. É claro que dirigentes habituados a acumular reformas de luxo com bons salários jamais compreenderão os problemas dos que têm de viver com salários de miséria; ou sequer entenderão as dificuldades dos que sobrevivem apenas com pensões de valor ridículo. Não serão certamente estes reformados de luxo que conseguirão proceder às reformas estruturais de que Portugal tanto está a precisar.
    RENDIMENTO MÁXIMO

    Por:Paulo Morais, Professor Universitário in CM Jornal

    O destino do país está na mão de aposentados. O presidente Cavaco Silva, a primeira f
    igura do Estado, é reformado. A segunda personalidade na hierarquia protocolar, Assunção Esteves, é igualmente pensionista. Também nos governos nacional e regionais há ministros que recebem pensão de reforma, como Miguel Relvas ou até Alberto João Jardim. No Parlamento, há dezenas de deputados nesta situação. Mas também muitas câmaras são presididas por reformados, do Minho, ao Algarve, de Júlia Paula, em Caminha, a Macário Correia, em Faro.

    É imensa a lista de políticos no activo que têm direito a uma pensão. Justificam este opulento rendimento com o facto de terem prestado serviço público ao longo de doze anos ou, em alguns casos, apenas oito. Esta explicação não convence, até porque uma parte significativa deste bando de reformados não só não prestou qualquer relevante serviço à nação como ainda utilizou os cargos públicos para criar uma rede clientelar em benefício próprio. Foi graças a esta teia que muitos enriqueceram e acederam a funções para que nunca estiveram curricularmente habilitados. A manutenção até hoje destes privilégios e prebendas é inaceitável, em particular nos tempos de crise que atravessamos. Sendo certo que a responsabilidade por este anacronismo não é de nenhum destes políticos e ex-políticos em particular – também é verdade que todos têm uma culpa partilhada por não revogarem este sistema absurdo que atribui tenças milionárias à classe que mais vem destruindo o país. Urge substituir este modelo pelo único sistema admissível que é o de que os titulares de cargos públicos, quando os abandonam, sejam indemnizados exactamente nos mesmos termos que qualquer outro trabalhador.
    E que passem a reformar-se, como todos os restantes cidadãos, quando a carreira ou a idade o permita. É claro que dirigentes habituados a acumular reformas de luxo com bons salários jamais compreenderão os problemas dos que têm de viver com salários de miséria; ou sequer entenderão as dificuldades dos que sobrevivem apenas com pensões de valor ridículo. Não serão certamente estes reformados de luxo que conseguirão proceder às reformas estruturais de que Portugal tanto está a precisar

    Gostar

    • 28 Novembro, 2012 09:43

      Concordo com jsf e Paulo Morais.
      É preciso, é urgente reformar as várias reformas dos reformados, antes que a fome mate mais portugueses.

      Gostar

  10. piscoiso permalink
    27 Novembro, 2012 10:42

    Nada de novo.
    Já os Sex Pistols produziram “God Save the Queen” em 1977.

    Gostar

  11. Jorge permalink
    27 Novembro, 2012 11:08

    Uns fazem Hip Hop.
    Outros como Breivik assassinam jovens em ferias.
    Consegue ver alguma diferença?

    Gostar

  12. A. Pereira permalink
    27 Novembro, 2012 11:42

    A letra é um exemplo acabado do nível da maior parte das canções que por aí se cantam.

    Gostar

  13. A.Silva permalink
    27 Novembro, 2012 12:11

    Ahahahahah, os delirios da leninha!
    Mas porque é que ela, a exemplo de outras alturas, não faz um post a incentivar um qualquer cantor de direita a fazer também uma canção ao mesmo nivel, sobre… sei lá… brioches.

    Gostar

  14. 27 Novembro, 2012 12:27

    Gostei, nunca tinha lido tanta referência erudita numa simples letra (bem mais ou menos) de uma canção.
    O moço é Afro-Cova da Moura, é de esquerda, sucesso garantido.
    Vai encher.
    Sinceramente se naquele dia acontecesse lá uma das coisas que ele quer fazer também não me aborrecia muito.

    Gostar

  15. Fincapé permalink
    27 Novembro, 2012 12:28

    A Helena tem uma costelazita masoquista. Aquilo de que não gosta usa em doses reforçadas. Neste caso do Valete, colocou o seu brilhante poema até ao décimo canto… 😉
    E ainda por cima lhe chama artista!
    Se eu estivesse mais perto ia apreciar as entradas. Estou convencido que veria a Helena passar de abaia.

    Gostar

  16. Pedro Esteves permalink
    27 Novembro, 2012 12:32

    esse negro é um forte candidato ao prémio Património Cultural Imaterial do rap, se não existe tal prémio alguém devia de tratar disso …

    forte concorrente é também o suposto musico “chullage” , com tiradas deste calibre:

    ” os imigrantes têm o direito de vir para a Europa buscar aquilo que o Ocidente lhes tem vindo a roubar; se o Ocidente tem mais riqueza é porque andam a roubá-la ao resto dos países”

    “farto de Portugal e da mentalidade mesquinha do tuga
    tou mesmo farto”

    Gostar

  17. Joaquim Amado Lopes permalink
    27 Novembro, 2012 13:13

    Segundo o video, esse tal de Valete é um grande valentão. LOL
    E aposto que a letra foi escrita com lápis de cera, num dia em que os pais se esqueceram de misturar os comprimidos na papa.

    Gostar

  18. J. Raposo permalink
    27 Novembro, 2012 13:40

    ” O cão vadio da Europa…”
    E muito contentinho de si…
    De certo modo , é inteiramente merecido que tenhamos desaparecido como País.
    Convenhamos que fizemos bem por isso.

    Gostar

  19. 27 Novembro, 2012 13:43

    Ouvi, há uns tempos, uma coisa muito interessante: dizia, já não me lembro quem, que quando um dos líderes de países do Médio Oriente dizia que ia dizimar os EUA estava a professar um desejo e quando o Presidente dos EUA dizia que estava a pensar actuar os aviões já iam no ar.
    .
    É parecido mas não é bem igual…

    Gostar

  20. Basto_eu permalink
    27 Novembro, 2012 14:39

    Se fosse eu que mandasse punha este artista marado de seu nome valete a trabalhar, só me sai duques…

    Gostar

  21. André permalink
    27 Novembro, 2012 14:49

    Sempre disse que o hip-hop (será que é assim que se escreve) era uma porcaria, até sou de esquerda, mas continuo a achar o hip-hop uma porcaria. Geralmente (quase sempre) até acho que pura e simplesmente alguns daqueles músicos são uns aproveitadores, mas pronto, têm sempre a atenção reservada da Dona Helena. É bom para eles ter audiência. Presumo que até já tenha pago o bilhete para o “concerto” (se é que podemos apelidar aquilo de tal coisa).

    Gostar

  22. permalink
    27 Novembro, 2012 15:17

    Ó Hermígio Romarigues (@Basto_eu) musicar, hip hopando, é trabalhar. Tem dúvidas?

    Gostar

  23. joao permalink
    27 Novembro, 2012 15:46

    Percebe-se pq é que a malta anarco esquerdista é tão raivosa e triste :
    “Também vi os mentores do atentado de Nairobi
    Nipónicos pa’ vingar Hiroshima e Nagasaki “( deve ser por isso que o Japão é o maior aliado dos EUA no pacifico)
    “Fidel Castro”( quase a bater tijolo)
    , “Arafat “( a bater tijolo )
    ” Khadafi “(a bater tijolo )
    “BinLaden “( a bater tijolo ).
    Com os seus heróis todos a cair que nem tordos é natural que os anarco-esquerdalhos sejam amargos, raivosos….e malcheirosos ( só tomam banho quando a revolução vencer ).

    Gostar

  24. GreenMan permalink
    27 Novembro, 2012 15:55

    O grande problema da virgem ofendida Dª Helena é que não há ninguém na música que seja capaz de cantar loas à austeridade. Já se sabe que a direita não tem ninguém capaz de transmitir uma mensagem que seja pela música. Espera aí… até têm, mas a Dª Helena não seria capaz de ouvir aquelas bandas de hardcore “white power”. Deixem lá cantar o valete e os skins que o mercado dá para tudo.
    Na verdade, a malta de direita contenta-se a ouvir a cantiga da popota. Outros ainda arriscaram fazer filmes, com o resultado que se sabe e que os alemães se recusaram a visionar. A falta de jeito para as artes é endémica nos neo-liberais.

    Gostar

  25. 27 Novembro, 2012 16:51

    O que lhe vale é não ser da família do Mário Machado, caso contrário faziam-lhe a vida negra.

    Gostar

  26. A C da Silveira permalink
    27 Novembro, 2012 17:47

    Este gajo não chega a ser valete; é quando muito um duque de paus. Internem o desgraçado, porque ele precisa urgentemente de tratamento.
    “Transmitir a mensagem pela musica?” o valete não é aqui o unico que precisa de tratamento. Esta merda não é um manifesto anti- neoliberal; é um manifesto pró- estupideznatural!

    Gostar

  27. VaideMota permalink
    27 Novembro, 2012 17:59

    Sem que eu seja grande fã do género, ao menos o Valete consegue-se mostrar-se criativo, irónico e em muitos aspectos mais conhecedor da realidade do que muitos que aqui verborreiam preconceito.

    Gostar

  28. Aladdin Sane permalink
    27 Novembro, 2012 18:09

    GreenMan,
    espero que saiba pelo menos tão bem quanto eu o quão Valete glorifica os ícones da esquerda, desde mandela a Guevara, passando por Arafat. Tudo gente de bem, certo? Não. Mas era só o que faltava negar-lhe o direito de se expressar desse modo. Agora, nesta letra ele ultrapassa os (meus) limites.
    Dentro do seu estilo, tem temas melhores que esta chocarrada. Lembre-se também do Boss AC, por exemplo. Porque é que lhes deu para estas coisas, “é sexta-feira… yeah”? Porque se viram sem “packa” e decidiram apostar no popularucho, naquilo que vende. Quando muito vemos e ouvimos uma desconstrução das ideologias em música sem qualidade. E sabe que outro artista (será de esquerda?) que o Valete me faz aqui lembrar? O Dino Meira, no “Puta vida merda cagalhões”. Portanto, e para finalizar, qual deverá ter sido o mote do Valete? (E do Boss, e do Dino Meira)?
    “Pragmatism, not idealism” (Radiohead, “Fitter Happier”.

    Gostar

  29. 27 Novembro, 2012 18:36

    AHAHhahhahahaha aaaahahaahhaha
    ai o caraças.
    R.

    Gostar

  30. jojoratazana permalink
    27 Novembro, 2012 19:02

    João 15,46
    Para bem da minha sanidade mental, sou de esquerda.

    Gostar

  31. André permalink
    28 Novembro, 2012 07:15

    Aladdin Sane, apesar de concordar com muito daquilo que diz, acho que a referência aos lideres de esquerda tem uma ligeira incongruência: o Mandela. É incontestável que ele conseguiu com que um povo de trinta milhões não massacrasse os brancos (que os tinham massacrado durante décadas) assim que chegou ao poder. Você pode não gostar da esquerda, mas tem de admitir que se houve um defensor da paz em África foi aquele homem. Ainda que tenha participado no braço armado do ANC antes das eleições (facto que lhe valeu 27 anos de prisão), ele manteve a paz a seguir às eleições, fez algo que muitos chefes de estado africanos (de esquerda e de direita) nunca quiseram fazer. Reclame com muitos, mas não com o Mandela.

    Gostar

  32. 29 Novembro, 2012 15:22

    É curioso como é que um tipo que exprime um anti-americanismo raivoso (a não ser, claro, que se trate de ma grande ironia) e homicida use precisamente um estilo musical e rítmico puramente americano. Ou pensará que o hip-hop vem de Cabul? Curioso também que fale de Hiroshima e Mao-Tsé-tung na mesma frase; na verdade, os conterrâneos das vítimas de Hiroshima e o “Grande Timoneiro” têm muito em comum: massacraram milhões de chineses. e pode-se sempre perguntar porque é que Valete não inclui Adolf Hitler no rol.

    Aladdin Sane, era o Nel Monteiro, não o Dino Meira (que descanse em paz).

    Gostar

  33. 1 Dezembro, 2012 00:28

    pobre Mia Couto metido nesta tralha

    Gostar

  34. Francisco Delgado permalink
    1 Dezembro, 2012 22:45

    Mas vai de Boeing…

    Gostar

Trackbacks

  1. Mundo maravilhoso « BLASFÉMIAS

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: