Saltar para o conteúdo

Esta, aquela e a outra

29 Novembro, 2012

De repente o antigamente denominado pronome demonstrativo esta entrou na agenda política. Os emissores (quando o Valete encontrar o Chomsky no tal túnel há-de perguntar-lhe se esta é a formulação mais correcta) pronunciam esta com particular ênfase: declaram esta política às vezes também esta Europa e depois concluem falhou.  Esta teogonia ou mais correctamente mistério da fé tem como dogma o esta. Os crentes do esta política vivem na convicção profunda que Passos Coelho é o único político do mundo que se obstina em não experimentar aquela política de crescimento que nos poucos segundos em que deixam de dizer esta, esta apresentam como a solução para os nossos males e que vá lá saber-se porquê quiçá por  tara, perfídia ou obediência ao 4º segredo de Fátima, Passos não aplica em Portugal.  Basta dizer esta naquele tom similar ao eu acredito para que o emissor-prosélito fique revestido de aura de santidade e sobretudo  dispensado de explicar o que defende em alternativa ao esta. Tendo tido nós anos e anos daquela e acabando a falhar como falhámos -o pedido de ajuda externa foi feito sob risco do país falir  – o que defendem os fiéis do  esta política  falhou? Defendem aquela que tinha tanta mensagem, tanta visão, tanta sensibilidade, tanta modernidade e que nos trouxe à falência? Ou defendem outra? O interessante nos pronomes é que eles estão em vez de nomes. Logo é altura de se começar a dizer o nome que está atrás dos pronomes. Assim fica tudo mais claro.

Anúncios
42 comentários leave one →
  1. PiErre permalink
    29 Novembro, 2012 10:23

    Defendem a “eterna” política kimilsunguista.
    Tudo certo, nunca falha!

    Gostar

  2. Castrol permalink
    29 Novembro, 2012 10:32

    Lindo!!!
    Creio que isto já não vai lá com esta, aquela ou a outra…
    Deixou de ser um problema político e económico, para passar a ser um problema sexual: a coisa já não se endireita…

    Gostar

  3. neotonto permalink
    29 Novembro, 2012 10:37

    Os emissores pronunciam esta com particular ênfase: declaram esta política às vezes também esta Europa e depois concluem falhou. Esta teogonia ou mais correctamente mistério da fé tem como dogma o esta. HM

    Os emissores chegam ao limite de concretizar ainda um pouco mas para comfirmar que também “ESTE” Portugal falhou?. Ou nao chegam no seu alcançe analitico e de microscopio feito em laboratorio sem homologar para falar destas tais menudencias …

    Gostar

  4. Coiso permalink
    29 Novembro, 2012 10:39

    Mais de 30 mil profes foram para a rua desde a chegada de Maria de Lurdes Rodrigues.
    .
    A partir de 2013, irão todos os contratados, o que perfaz mais umas dezenas de milhar.
    .
    Alguns profes do quadro serão, inevitavelmente, colocados na mobilidade especial.
    .
    Ainda assim, parece que os alunos do ensino secundário vão voltar (voltar, sim porque eu, quando passei por esse nível de ensino, paguei propinas, mesmo sendo filho de pais analfabetos e cujo rendimento mensal fixo ficava abaixo dos 300 euros) a pagar propinas.
    .
    A minha questão é esta: com um orçamento de menos de 8 mil milhões da Saúde, 5 mil na Educação, o que perfaz um pouco mais de 13 mil milhões, não haverá por onde cortar a sério nos restantes 60 e tal mil milhões?
    .
    A sério?

    Gostar

  5. jsf permalink
    29 Novembro, 2012 10:53

    Que contradição; reparem que dois anos atrás a D, Helena tambem dizia ESTA. Será que já se esqueceu?

    Gostar

  6. Zé Paulo permalink
    29 Novembro, 2012 11:37

    Nem esta e nem aquela. Que tal um meio termo com inteligência, bom senso e, principalmente, verdade!
    Que esperar “de esta”, quando a mesma parte de um governo ilegítimo, cuja base é a mentira (nunca me cansarei de escrever isso). Pau que nasce torto algum dia se endireita?
    Isso mesmo, “esta” que continue a promover o empobrecimento.
    Que corte, corte e corte, principalmente daqueles que não podem se defender.
    Que não cuide de, dentro do que for possível, fomentar o crescimento e a produção. Que não procure a auto sustentabilidade do país, ainda que a mesma demore um bom par de anos. Vai chegar a altura em que não haverá mais nada para cortar. E, então, que será D. HM? Quando começarem a olhar para determinadas entidades infestadas de boys, “esta” já não servirá?

    Gostar

  7. murphy permalink
    29 Novembro, 2012 11:42

    Há “esta”; há “aquela” e há ainda “aquela” que, sendo idêntica a “esta”, não o é, pois trata-se do salvador “pecIV”….
    Não vamos maçar as pessoas com o conteúdo das coisas, o importante é que o cidadão não tenha dúvidas sobre quem são os “bons”e quem são os “maus”…
    http://jornalismoassim.blogspot.pt/

    Gostar

  8. 29 Novembro, 2012 11:45

    O verdadeiro problema não está na fé de que “esta política” é má e “aquela” é boa.
    O verdadeiro problema é de ordem racional, e quem raciocina percebe que “esta política” do governo é igual “àquela” política dos governos anteriores. PPC está a ser aquilo que seria Sócrates 3. Não foi pra isto que eu votei.
    Defender “este” governo é defender os dois anteriores.

    Gostar

  9. Portela Menos 1 permalink
    29 Novembro, 2012 11:51

    this … yes woman!

    Gostar

  10. Silva permalink
    29 Novembro, 2012 11:57

    Só um pequeno detalhe: O Valete tem tantos seguidores no facebook que o Passos Coelho. Penso que isto quererá dizer alguma coisa…O Passos Coelho tem tanta importância que um Rapper…

    Gostar

  11. pedro permalink
    29 Novembro, 2012 12:01

    Dra Helena : o sr passos já teve tempo suficiente para fazer os cortes na estrutura do estado e libertar a economia privada da carga fiscal , burocracia e corrupção do mesmo estado,gerando condições para haver crescimento e emprego. Continuou as políticas do homem da bancarrota. Reitero que neste momento o P.R. deve mandar Passos descansar ,chamar alguém da atual maioria e tentar formar um governo o mais abrangente possível e começar os cortes precisamente pela cabeça,presidência da república e por aí abaixo,no fim, se não chegar, cortar então na saúde,no ensino ,e nas pensões e ordenados.Já foi a alguma cerimónia oficial em que estavam todas as entidades com viatura distribuida e respectivo condutor?Devem sem milhares! Isto é um exemplo .Caso a maioria não apoie o novo governo vamos a eleições . Votei neste governo mas não quero ser como os socialistas que viam o abismo sócrates e continuaram a apoiar o menino de oiro.Tudo passa pelo P.R. é ele que tem a bola e não desejo lamentar ter votado nele.

    Gostar

  12. piscoiso permalink
    29 Novembro, 2012 12:05

    Esta Helena continua a badalar lana caprina.
    Ainda vamos ter por aqui sugestões de prendas de Natal,
    tipo, compre o livro do Fernandes com desconto para comentadores do Blasfémias.

    Gostar

  13. Portela Menos 1 permalink
    29 Novembro, 2012 12:12

    sobre “esta” nem uma palavra…
    http://www.publico.pt/sociedade/noticia/empresas-dao-pequenoalmoco-a-13-mil-criancas-com-fome-1575433

    Gostar

  14. Portela Menos 1 permalink
    29 Novembro, 2012 12:13

    (…) Em pouco mais de duas semanas o número de crianças com fome sinalizadas pelas escolas por irem para as aulas, de forma continuada, sem terem tomado o pequeno-almoço, subiu de 10.385 para cerca de 13 mil.

    Os dois números foram indicados pelo secretário de Estado da Educação, Casanova de Almeida (…)

    Gostar

  15. vasco permalink
    29 Novembro, 2012 12:15

    “O Governo não hesita porém em afirmar, contra ventos e marés, que prosseguirá esta política – custe o que custar – e até recusa qualquer ideia da renegociação do Memorando.”

    http://www.publico.pt/politica/noticia/carta-aberta-a-passos-coelho-1575450

    Gostar

  16. 29 Novembro, 2012 12:52

    Ainda não é d”esta” que PPCoelho renuncia ao cargo, apesar da assinatura de 78 manifestantes (do P”S”, deste simpatizantes ou dos à espera de vez) para que deixe S.Bento.
    Extraordinário seriam 78 assinaturas de militantes, simpatizantes ou dos à espera de vez do PSD !…
    Ainda mais extraordinário teria sido um manifesto assinado por estes 78 quando JSócrates e Teixeira dos Santos afiançavam que a culpa da crise era doutros e que estávamos “no bom caminho”…

    Gostar

  17. estrav permalink
    29 Novembro, 2012 13:01

    Ao deixar derrapar a execução orçamental, ao afundar a economia nacional e ao não cumprir os objetivos que se propôs, designadamente não atingindo a meta do défice (4,5%) com que se comprometeu, o Governo incorreu em responsabilidade criminal.

    Quem o disse não fui eu. Foi o próprio Dr. Passos Coelho, num discurso de que o “Correio da Manhã” de 6-11-2010 publicou os seguintes excertos:

    “Se nós temos um Orçamento e não o cumprimos, se dissemos que a despesa devia ser de 100 e ela foi de 300, aqueles que são responsáveis pelo resvalar da despesa também têm de ser civil e criminalmente responsáveis pelos seus actos e pelas suas acções”

    “Não podemos permitir que todos aqueles que estão nas empresas privadas ou que estão no Estado fixem objetivos e não os cumpram. Sempre que se falham os objectivos, sempre que a execução do Orçamento derrapa, sempre que arranjamos buracos financeiros onde devíamos estar a criar excedentes de poupança, aquilo que se passa é que há mais pessoas que vão para o desemprego e a economia afunda-se”

    “Não se pode permitir que os responsáveis pelos maus resultados andem sempre de espinha direita, como se não fosse nada com eles”. “Quem impõe tantos sacrifícios às pessoas e não cumpre, merece ou não merece ser responsabilizado civil e criminalmente pelos seus actos?”

    Proféticas palavras! Pois se assim é, aguarda-se que o Dr. Passos Coelho seja por uma vez coerente e vá entregar-se no posto da G.N.R. de Massamá.

    Gostar

  18. pedro permalink
    29 Novembro, 2012 13:05

    MJRB: o sr tem razão ,estes signatários não viram a bancarrota sócrates e estava tudo bem ,porém,neste momento e para facilitar a vida ao P.R. ,Passos devia considerar a demissão ,dando espaço ao presidente para tentar formar governo com esta maioria ,pois, caso contrário,levamos com o seguro e aí será mais do mesmo .

    Gostar

  19. 29 Novembro, 2012 13:33

    Pedro,
    Esses signatários sabem muito bem que PPCoelho não renunciará ao cargo por nada, e muito menos por este manifesto. E sabem também que Cavaco Silva não demitirá o governo.
    Surgem (os 78) para “marcar presença”. O P”S”-de-Seguro precisa destes momentos fátuos — para entreter o “maralhal” e excitar alguns e algumas proponentes…
    Esteja, estejamos descansados : AJSeguro nunca será PM.

    Gostar

  20. 29 Novembro, 2012 15:17

    Portela Menos 1, sê sincero.
    O que significa pegar num texto do público, escrito por um qualquer bloquista, sobre criançinhas que passam muita fome a apanham chove e colocar o link.
    Isso significa o quê, concretamente?
    Passa também a enviar fotos de gatos chorões.
    R.

    Gostar

  21. 29 Novembro, 2012 15:42

    Rogério,
    Fique sabendo que HÁ MILHARES DE CRIANÇAS NESTE PAÍS QUE ESTÃO A PASSAR FOME ! Dentro e foras das escolas.
    (Tenho algumas provas factuais).

    Gostar

  22. 29 Novembro, 2012 16:20

    MJRB.
    Há milhares de idosos a morrer de fome. Há milhares de pessoas com piolhos. Há milhares de gatos abandonados. Há centenas de homossexuais ao frio.
    MJRB, isso prova o quê? Isso quer dizer o quê concretamente?
    Desde que o PSD foi eleito “Milhares de crianças” estão a passar fome?
    Que desde 2000 o número aumentou?
    O que quer dizer isso?
    Numa leitura mais analítica. Passam fome concretamente porquê? Há apoios.
    Isso para mim é conversa da treta. Então quando diz que tem provas factuais, é quando mais a pérola brilha.
    Fique com as suas provas factuais, ou faça um post acompanhado de gatinhos chorões no seu blog.
    Deixe-se de tretas. Trabalhe. Vote. Estude. Ajude quem precisa. Ou seja voluntária.
    Não me venha é com tretas.
    Para isso já existe o Piscoito e o Portela Menos 1.
    R.

    Gostar

  23. João permalink
    29 Novembro, 2012 16:34

    A Helena não vacila, está sempre muito bem. Sabe qual o seu lugar no mundo e não tem medo de estar só. Parabéns

    Gostar

  24. 29 Novembro, 2012 16:45

    Rogério,
    Para si, os milhares de crianças (e pré-adolescentes) QUE PASSAM FOME(!) é…”conversa da treta”.
    Nem vale o esforço de eu aqui colocar casos para vc. conhecer, porque perguntaria, tal como escreveu no seu comentário : “isso quer dizer o quê concretamente ?”.

    Gostar

  25. 29 Novembro, 2012 17:18

    MJRB. Em que circunstância, porque razão, que agregado familiar, partiu de que número?
    Acredito que há gente (sejam crianças, idosos ou homossexuais) a passar fome em Portugal. Se é de agora? Não.
    Se é endémica? Não. Se é fome total? Não em alguns casos. Se quer analisar a fome em Portugal, busque dados e apresente dados. Não venha aqui dizer que conhece crianças com fome ou homossexuais do Benfica. Isso é conversa fiada. Tudo pretexto para depois falar da Troika, da Invasão do Iraque ou do Governo de Passos Coelho. Isto porque há criancinhas a passar fome em Portugal.
    R.

    Gostar

  26. 29 Novembro, 2012 17:29

    Rogério,
    A fundamentação e o tom do seu comentário (17:18) vale zero !

    Gostar

  27. 29 Novembro, 2012 17:48

    MJRB.
    Vá, mas vá mesmo, não tenha receio, apanhar, na, PANDEIRETA! Bem apanhadinha.
    Eu dou-lhe o tom. No alto da pinha mas é.
    R.

    Gostar

  28. Coiso permalink
    29 Novembro, 2012 18:09

    Olha, o nazi acha que a fome é treta.
    .
    E depois fala na pandeireta.
    .
    Ó pá, vai tu mas é levar na coneta, pá!
    .
    Tens fome, miúdo? Treta!
    Tens fome, velhadas? Treta! Vê lá mas é se morres, que alivias o «deficit».
    Moras debaixo da ponte? Treta, pá, treta e demagogia!
    .
    Ao pé destes palermas, o Gaspar e as suas tabelas de Excel são um par de santidades.

    Gostar

  29. 29 Novembro, 2012 18:18

    Ó Coiso. Vês como é o tipo de discurso que propagandeia a esquerda?
    Já falas em Gaspar.
    Alguém aqui nega a fome ó cretino? Alguém nega a assistência ó bestóide?
    Tu e a tua pandilha é que em nome da bondade humana andam com a boca cheia de crianças à fome. Para interesse pessoal, tão só.
    Miséria existe e é aplacada com medidas concretas.
    Não é com paleio de blog e do diz que conhece casos concretos.
    Vai à merda.
    R.

    Gostar

  30. 29 Novembro, 2012 18:22

    Rogério,
    vc. não presta.

    Gostar

  31. 29 Novembro, 2012 18:25

    MJRB, não aturo é pessoas iluminadas cheias de si e “sentimento” superior. A amiga se quer ajudar, ajuda. Se quer denunciar, denuncia.
    Não vem é para um blog dizer que tem casos “conhecidos”, porque isso não serve de argumento para nada.
    Num post sobre música.
    Se não entende isto, é porque lhe assentou bem a minha má educação.
    R.

    Gostar

  32. 29 Novembro, 2012 18:32

    Creio mesmo que ninguém com juízo e humanismo o quer entender nem continuar conversa.

    Gostar

  33. 29 Novembro, 2012 18:37

    MJRB, repito, VÁ À MERDA.
    R.

    Gostar

  34. 29 Novembro, 2012 18:42

    Não, não vou “à merda” !

    Gostar

  35. Portela Menos 1 permalink
    29 Novembro, 2012 18:45

    ROGÉRIO, o Menino da Lágrima…
    Muito se tem dito sobre a personagem que serviu de modelo a esta pintura que ocupa o terceiro lugar do ranking das representações mais frequentes nas paredes das casas de todo o mundo. O primeiro lugar, todos sabem, é a Última Ceia e o segundo são as manchas de humidade.
Afinal quem é o Menino da Lágrima? De onde é ele? Que idade tem? Porque chora? Está dentro da escolaridade obrigatória? Que raio é aquilo que traz vestido?
Vamos às respostas…
    Primeira grande revelação… O Menino da Lágrima é português! É verdade! Rogério (assim se chama o menino da lágrima) nasceu a nasceu a 31 de Janeiro de 1945 em Valongo.
A sua mãe, Maria Eleutéria era aguadeira. A água que recolhia na Serra de Valongo era vendida nas casas nobres da cidade do Porto. Todos os dias Maria Eleutéria fazia vários quilómetros para ir buscar água à serra e para depois vender no Porto. A mãe de Rogério era viúva de Horácio Clemente.
Horácio Clemente, o pai de Rogério, trabalhava nas minas de Valongo quando foi vitimado por uma repentina derrocada. Os seus restos mortais nunca foram recuperados. O acidente aconteceu quando Rogério tinha apenas 2 anos de idade pelo que não guardou memórias do seu pai.
Este episódio viria a marcar toda a vida de Rogério pelos motivos que a seguir vos revelo. Amargurada pela angústia de uma viuvez na flor da idade Maria Eleutéria afogou as suas mágoas nos braços de um rico comerciante de peles da cidade do Porto. Este convenceu Maria Eleutéria a deixar o filho num lar para que fugissem para o Brasil. Maria Eleutéria assim o fez e nunca mais se soube do seu paradeiro.
Nesta altura tinha Rogério três anos e começaria em breve a verter as primeiras lágrimas. Pde. Manuel Aivoso, cónego responsável pelo lar de Santa Quitéria em Valongo cedo cuidou de se responsabilizar pelo petiz de olhos azuis e ar triste que quebra o coração.
Os anos foram passando e Rogério ocupou o lugar de protegido do Pde Manuel Aivoso. Este facto, como devem imaginar, promoveu a inveja e o ódio das outras crianças pois todas queriam poder sentar-se no colo desnudado do Pde Manuel naquelas noites de verão em que ele trocava rebuçados por beijinhos.
Estas trocas inocentes valeram algumas coças de inveja ao Rogério e também um grave problema de saúde: diabetes. O açúcar que Rogério ingeria incessantemente deixaria vestígios para o resto da sua vida.
O Pde Manuel foi um dia visitado por um pintor que lhe disse que gostaria de retratar uma das crianças que vira no coro da missa dominical. Essa criança era Rogério.
Corria o mês de Junho quando o pintor (será identificado com as iniciais J.M. para não revelar a sua identidade)visitou o lar. A pedido deste Rogério foi levado para o jardim para que pudesse ser retratado num cenário colorido e jovial. Acontece que Rogério era alérgico às gramíneas e passou toda a tarde a fungar e com a vistinha direita a chorar-lhe. A espera de J.M. por um sorriso na cara de Rogério deu lugar à impaciência e esta ao desespero. Como não queria perder o episódio desse dia da rádio-novela, J.M. decidiu não demorar mais tempo e pintar Rogério assim mesmo, com uma lágrima a correr-lhe da face. Assim nasceu um ícone da pintura do século XX!
Quando J.M. chegou a casa ligou a rádio mas não conseguia tirar os olhos do quadro que havia pintado. Aquela lágrima não condizia com o cenário alegre e colorido por trás do Menino assim J.M. tomou uma decisão drástica. Mudou a paisagem atrás de Rogério e acrescentou-lhe o vestuário pesado e triste que hoje todos conhecemos. Deve explicar-se que devido ao calor desse dia (e à insistência do Pde. Manuel) Rogério posara em tronco nu.
Não passaram muitas semanas até que J.M. visitou novamente o lar e o Pde. Manuel. Nesse espaço de tempo J.M. tinha exposto o quadro na mercearia do seu pai e fizera tal sucesso que recebeu 57 encomendas. J.M. deslocou-se ao lar para apresentar ao Pde. uma ideia que, na sua opinião traria fama e fortuna para si e para o lar. O Pde. Manuel não enjeitou a oportunidade e no fim-de-semana seguinte, no final das cerimónias de primeira comunhão, Rogério foi colocado numa bancada onde assinou todas as cópias que J.M. havia entretanto vendido. As pessoas pediam a Rogério que soltasse uma lágrima e, para que tal acontecesse, Pde. Manuel, sentado ao lado de Rogério, picava-o com uma pequena taxa por baixo da mesa.
Este episódio trouxe, de facto, fama para Rogério. Acontece que, como qualquer teenager pop-star Rogério não soube medir os seus actos e gerir a sua carreira e em breve seria muito frequente vê-lo a vaguear até bem tarde pela Baixa do Porto (segundo alguns testemunhos não era raro vê-lo pelas ruas lá prás dez da noite).
Rogério começou a frequentar lugares de fama duvidosa e a fazer-se acompanhar por ganapos mal intencionados. Antes que desse por ela já Rogério era um jovem nos seus vinte anos, agarrado ao LSD, ao sexo livre e à Cola Canadá Dry.
Os conhecimentos de um nobre portuense amigo do Pde Manuel levaram Rogério até Londres. O objectivo era recuperar Rogério para a sociedade mas a capital Inglesa não era o melhor lugar para tal…
Pouco tempo passou desde a chegada a Londres para que o rapaz se perdesse novamente. Em Londres, e em todo o Reino Unido, Rogério também era conhecido (Roger, The Tear Boy) e frequentemente assinava contratos com discotecas para chamar povo…
Os anos foram-se passando e Rogério era agora um trapo. A sua expressão mais triste do que nunca devia-se às saudades dos rebuçados do Pde. Manuel… E chorava.
Em meados dos anos 80, e aproveitando a viagem de um clube londrino à cidade do Porto, Rogério regressou ao seu país. Para sua tristeza o Pde. Manuel já havia falecido (na cadeia a cumprir pena por abuso de menores) e o pintor J.M. havia sido assassinado por uma seita à qual tinha aderido.
Rogério estava irreconhecível e por muito que insistisse com a as pessoas dizendo que era o Menino da Lágrima, ninguém lhe dava crédito. A sua vida parecia condenada ao fracasso e ao sofrimento mas Rogério tinha um último trunfo. Esperou pacientemente pela primavera e pela polinização das gramíneas e montou um cenário idêntico ao da pintura que o havia tornado célebre. No dia 21 de Maio de 1991 na Rotunda da Boavista, Rogério vestiu-se com sacos de serapilheira e sentou-se na frente do seu cenário. Em breve começou a sentir a alergia e as lágrimas de alegria misturaram-se com as provocadas pelo pólen.
Os minutos foram passando e a expectativa de finalmente ser reconhecido deu lugar ao desconsolo. Num ataque de fúria Rogério destruiu o cenário e fugiu para o Bairro da Sé à procura de um chuto… Nunca mais largou o vício.
Hoje em dia, se quiserem ver o Rogério é ir às redondezas do hospital de Santo António. O Rogério anda por lá a arrumar carros e a chorar…

    Gostar

  36. Portela Menos 1 permalink
    29 Novembro, 2012 18:50

    parece que esta maltosa já nem acredita nos seus próprios Secretetários de Estado 🙂
    (…) Em pouco mais de duas semanas o número de crianças com fome sinalizadas pelas escolas por irem para as aulas, de forma continuada, sem terem tomado o pequeno-almoço, subiu de 10.385 para cerca de 13 mil.
    Os dois números foram indicados pelo secretário de Estado da Educação, Casanova de Almeida

    Gostar

  37. 29 Novembro, 2012 18:56

    Portela, isso é má fé. Pior, a meter crianças ao barulho.
    Que raio de número é esse? 13mil? E explica lá logicamente o que é “fome sinalizada pela escola”? Não tomarem o pequeno-almoço em casa? Não levarem almoço para a escola?
    Epá, desatino com números para o ar. Mandar números para o ar todos nós conseguimos. E para ter mais efeitos, acrescentas crianças.
    R.

    Gostar

  38. Portela Menos 1 permalink
    29 Novembro, 2012 19:00

    “Os dois números foram indicados pelo secretário de Estado da Educação, Casanova de Almeida” … fala com ele, é do teu governo.

    Gostar

  39. Portela Menos 1 permalink
    29 Novembro, 2012 19:06

    há alminhas que ficam mais descansados com a designação “programa de reforço alimentar” em vez de fome…

    Gostar

  40. 29 Novembro, 2012 19:06

    Tanta volta, para mostrar um artigo do jornal merdoso que parece o Avante! e para mandar uma piadinha do PSD (cujo partido não me identifico). É com isso que argumentas? Bah.
    Estás a perder skills.
    R.

    Gostar

  41. Portela Menos 1 permalink
    29 Novembro, 2012 19:12

    pois, agora diz que é do mensageiro!

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: