Saltar para o conteúdo

Falácias da época II

21 Outubro, 2013

Pequenas empresas versus grandes empresas. É a luta de classes transposta para o tamanho das empresas. O orçamento tem que beneficiar as pequenas e médias empresas, sem esquecer as micro, contra as maléficas grandes empresas. Com esta visão da economia é natural que as empresas não cresçam. Ao mesmo tempo querem investimento, do estrangeiro, de preferência. Talvez as PME estrangeiras queiram investir cá.

Anúncios
16 comentários leave one →
  1. Portela Menos 1 permalink
    21 Outubro, 2013 11:31

    a descida do IRC no OE14 desmente o post.

    Gostar

    • ora permalink
      21 Outubro, 2013 19:59

      bolas duas horas de diferença entre cu mentários se fosses da zona do jojo inda pensava ca tua gaja era ele….

      Gostar

  2. YHWH permalink
    21 Outubro, 2013 12:32

    Quantas são as grandes empresas portuguesas que não operam em situação de monopólio ou partiram e se consolidaram usando essa cómoda e vantajosa situação?!…

    Gostar

  3. YHWH permalink
    21 Outubro, 2013 12:36

    E esta inesperada «falácia»?!…

    «Jornal de Angola acusa Cavaco e Passos de “agressão” (Económico)
    “Adeus lusofonia”, é o título do editorial de hoje do jornal de Angola, que acusa o Estado português de “uma verdadeira agressão a Angola”.»

    Gostar

  4. 21 Outubro, 2013 13:07

    «Com esta visão da economia é natural que as empresas não cresçam.»

    Mas elas crescem. A EDP cresceu, a PT cresceu, a GALP cresceu, a BRISA cresceu, a SONAE cresceu, a Jerónimo Martins cresceu, e por aí fora.

    Ao mesmo tempo, um número de falências recorde durante este período. As pequenas ou médias empresas que apanham com o choque da procura agregada, e não têm influência política para condicionar a acção do Governo, apostado que está em facilitar ainda mais a vida aos poderosos.

    Como dizia Warren Buffet, «existe uma luta de classes, e a minha classe está a ganhá-la». Mas nós bem sabemos que o Warren Buffet é um comunista falacioso.

    Gostar

  5. javitudo permalink
    21 Outubro, 2013 13:07

    Talvez as PME estrangeiras queiram investir cá.
    As chinesas já estão.

    Gostar

  6. 21 Outubro, 2013 14:08

    ” O orçamento tem que beneficiar as pequenas e médias empresas, sem esquecer as micro, contra as maléficas grandes empresas”

    JMartins,

    Mas é isso mesmo contra as maleficas grande empresas.
    Já que me parece um moço atrevido…faça contas: Quanto contrinuem as grandes empresas e quanto contrinuem as medias, pequenas e micro.
    Mais, quanto mamam as grandes empresas do bolo do estado e quanto mama as medias, pequenas e micro empresas.

    JMartins, não consigo entender este vosso formato economico que descobriram agora. Se reparou que as grandes se não pagam são perdoadas e as as outras fecham-lhes de imediato a porta???

    Gostar

    • licas permalink
      21 Outubro, 2013 22:06

      É a vida: também os pequenos ordenados por serem muitíssimos
      fazem o Estado acarretar muitissima mais *massa* do que os
      rendimentos profissionais dos *tubarões*.

      Gostar

  7. Trinta e três permalink
    21 Outubro, 2013 18:36

    Ó João Miranda:
    Faça-nos o favor e enumerar o setor de atividade dessas “grandes” empresas portuguesas que deviam ser apoiadas. Já agora, arranje uma coluninha para registar aquelas que não viveram, sempre, à pala do Estado.

    Gostar

  8. Carlos Dias permalink
    21 Outubro, 2013 19:50

    “Com esta visão da economia é natural que as empresas não cresçam.”
    Ó meu caro, com esta visão é natural que as pequenas empresas desapareçam.
    Mas isso agora não tem interesse nenhum.
    Tal como a visão de Sócrates (o português: engenheiro, gestor, filósofo e vendedor) o que interessa aqui e agora são as grandes empresas do costume (aquelas que só tem lucros porque investem no estrangeiro).
    As chamadas penduras.

    Gostar

    • ora permalink
      21 Outubro, 2013 19:53

      não…pá depende das pequenas empresas pá na tua zona por exemplo há empresas que prosperam dentro e fora do estado….

      o sector da restauração nã representa as pequenas empresas nem as sapatarias de bairro

      já as fábricas de sapatos….

      o teu IP pá anda desaparecido dos b-lokos de comentário politiqueiro pá

      pá estes gajos suprimem a in for mação kamarada pá..
      Blasfémias
      Site Summary

      VISITS

      Total 12,287,105
      Average Per Day 10,101
      Average Visit Length 0:01
      Last Hour 522
      Today 6,818
      This Week 70,704

      Gostar

  9. Carlos Dias permalink
    21 Outubro, 2013 23:53

    “não…pá depende das pequenas empresas pá na tua zona por exemplo há empresas que prosperam dentro e fora do estado….”
    É pena que a minha zona seja Portugal, senão estavas cheio de razão.
    “já as fábricas de sapatos….”
    Sim, essas representam 85,42% do tecido exportador português (85,42% ou outro número qualquer)
    E os benfiquistas são 6.000.000

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: