Saltar para o conteúdo

“Devia ter-se começado pela reforma do Estado”

4 Janeiro, 2014

“Devia ter-se começado pela reforma do Estado” era uma frase muito em voga há 6 meses atrás. Entretanto o Tribunal Constitucional chumbou dois elementos fundamentais de qualquer reforma do Estado, a mobilidade com perda substancial de rendimento e possibilidade de despedimento, e a convergência de pensões entre a CGA e a Segurança Social. O primeiro chumbo aponta claramente para a impossibilidade de serem despedidos funcionários públicos com contratos anteriores a 2009 de forma unilateral. O segundo chumbo mostra que os juízes do TC não aceitam que o governo faça reformas sem o consentimento do PS. Ou seja, se o governo tivesse caído na armadilha de começar pela reforma do Estado ter-se-ia enredado num novelo engonhante sobre o qual não tem qualquer controlo.

118 comentários leave one →
  1. António Costa permalink
    4 Janeiro, 2014 12:56

    Não concordo.
    Pois é preciso não esquecer que na altura, em 2011, o sentimento da esquerda em geral e do PS em particular era de derrota. Estavam de cabeça baixa, sem capacidade de reacção e nessa altura não estou a ver o TC começar a fazer a peitaça. que acabou por fazer uns tempos depois, quando o PS e a esquerda perceberam que este governo era como aqueles cães que “ladram mas não mordem”. Enfim o tradicional do estilo Português de tentar resolver as coisas sem frontalidade e “tomates”. No fim foi o que se viu e o que se está a ver. Mudar para tudo ficar na mesma, ou “tudo como dantes em Abrantes”, já lá diz o provérbio popular.

    Gostar

    • JgMenos permalink
      4 Janeiro, 2014 15:46

      Embora eu favoreça a frontalidade em política (os tomates que refere…) tenho que admotir que desde sempre foi evidente que o PS não ia mexer na Constituição estando na oposição.
      Partindo daí, um ataque frontal à Constituição estava condenado ao fracasso.
      O que está em curso é o desgaste político dessa Constituição – comuna de raíz – blindada para que garantir o domínio da ‘esquerda’ na sua revisão.
      O que está em causa é saber se pode contornar-se a Constituição para reformar o Estado ou se é preciso entregar o poder ao PS – oportunista e falso com sempre foi – para que esta possa ser revista.

      Gostar

      • und permalink
        4 Janeiro, 2014 20:24

        a constituição é soviética e mesmo assis não permite fuzilamentos e alimentação económica a bandos de cães esfaimados?

        bolas bem diziam os coreanos que era uma constituição muito fraca

        Gostar

  2. 4 Janeiro, 2014 13:03

    A reforma do Estado só pode ser feita dentro da legalidade.
    O que o Governo está a fazer é uma “reforma-faz-de-conta”.

    Gostar

    • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
      4 Janeiro, 2014 14:13

      O problema, é que a “legalidade” foi feita para ser irreformável. O PS pactuou com isso em 1976, e pese embora tenha colaborado nas revisões à “legalidade” que já foram feitas, obrigado pelos tratados europeus, ainda não percebeu que é a sua intrasigência em rever de uma vez por todas a “legalidade”, que não permite este país andar para a frente. Os chumbos do Ratton são para o PS e mais ainda para Portugal, victórias de Pirro.

      Gostar

      • André permalink
        4 Janeiro, 2014 16:23

        “O PS pactuou com isso em 1976” Curiosamente o PSD também. Querem lá ver que o Sá Carneiro era um perigoso esquerdista!?

        Gostar

      • António Costa permalink
        4 Janeiro, 2014 18:20

        Caro Alexandre,
        O PPC quando foi para lá, já devia saber disso e por isso não compreendo, como se deixou levar por esta estratégia, que o iria queimar na mesma. Se a situação era para sair queimado, mais valia fazer logo de inicio o que tinha a ser feito, do que tentar agora, com toda a inércia que a oposição foi acumulando pelo caminho. Quanto aos chumbos serem para o PS, isso nem lhes aquece nem arrefece, pois o que eles querem é saltar para o poder, para distribuirem os lugares no Estado pela corja do costume e nada mais. Quando estiverem no poder e o TC proferir mais alguma inconstitucionalidade, lá virão mais aumento de impostos, que é a unica coisa que sabem fazer, continuando a rir alegremente nas poltronas dos gabinetes ministeriais e a passearem-se nas soberbas berlinas do Estado.

        Gostar

      • antónio permalink
        4 Janeiro, 2014 18:25

        A esquerda marxista fabricou e blindou a Constituição. Não há nada a fazer enquanto existir a esquerda marxista em Portugal. Ela irá extinguir-se naturalmente como já se extinguiu na maioria da Europa, incluindo aqui ao nosso lado, em Espanha. Portugal sempre foi mais atrasado mas sempre chegou lá. Até lá só por força dos acontecimentos ou por força da UE. A nossa esquerda é jacobina, imobilista, reacionária e incapaz de mudança ou evolução tal como qualquer forma de marxismo.

        Gostar

      • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
        4 Janeiro, 2014 18:56

        André se quiser fazer o obséquio, vá ler o meu comentário das 15:22. Sá Carneiro quiz rever a constituição de 76 logo pouco tempo depois de ser aprovada. E também defendeu que ela deveria ser plebiscitada, o que sempre foi recusado pelo PCP, pelo PS e pelos militares.

        Gostar

      • Expatriado permalink
        4 Janeiro, 2014 19:12

        A CRP, feita a’ medida do pensamento estalinista, nunca foi tao evocada como nestes tempos que correm. Sentem-na ameaçada e, por isso, ameaçam com a convulsao social, que estao a criar.

        Basta ter ouvido o discurso do lider de um partido minoritario hoje para se entender que, para eles, a sua “democracia” tera’ de ser imposta a’ força.

        Esquecem-se de que, quando o tentaram antes, foram corridos pela maioria da real vontade popular que nao vai em cantigas de cigarra. Dai’ imporem a CRP de 76 para melhor ir controlando a vida do pais sem assumirem responsabilidades.

        Hoje ha’ muitos mais Rios Maiores…….

        Gostar

      • Trinta e três permalink
        4 Janeiro, 2014 19:38

        Se aceitarmos debater a partir de premissas erradas, todos os devaneios são possíveis. Ora, o ponto de partida do comentário do JM está errado.

        Gostar

      • André permalink
        5 Janeiro, 2014 18:14

        Alexandre, segundo se sabe Sá Carneiro quis rever os artigos que falavam do teor revolucionário (Conselho de Revolução, por exemplo) e de cariz socializante (no sentido totalitário do termo, como era entendido nos nos 70), não na função económica do Estado, que foi defendida pelos sociais-democratas europeus (entre os quais Sá Carneiro) até meados dos anos 80.
        Tentar fazer querer que a direita atual, de cariz neoliberal, é semelhante à direita dos anos 70, da qual um representante vivo é o Freitas do Amaral (que num artigo de opinião na revista Visão se mostrava chocado como podia a direita atual portuguesa e europeia situar-se ainda mais à direita do que os regimes fascistas da década de 30), só pode ser uma tentativa de justificar o injustificável ou de se convencer a si próprio de que os partidos como o PSD (e, evidentemente, o PS, embora esse não seja assumidamente de direita, apesar das privatizações, lá se vai o socialismo pelo cano abaixo) não foram despojados dos ideais pelos quais lutaram durante anos (“paz, pão, povo e liberdade”, isto lembra-lhe alguma coisa?).

        Gostar

      • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
        5 Janeiro, 2014 22:42

        André, já ouviu falar da lei da delimitação dos sectores publico e privado da economia que o governo da AD propôs em 1980 e que o PS, o presidente de Républica da época, Ramalho Eanes, e o Conselho da Revolução recusaram? Nessa época a economia estava práticamente toda nacionalizada desde o 11 de Março de 75, e o PS só admitiu rever a constituição nas suas vertentes económicas por pressão de Bruxelas e dos tratados europeus (concorrência, entre outras coisas) já durante os anos 80. O PS também se opôs sempre à abertura à iniciativa privada dos media, como as rádios e as televisões. Só em 1991, salvo erro, é que o PS se dispôs a rever a constituição nessa matéria.
        Nesses tempos como agora, o PS foi sempre conservador e reaccionário, opondo-se sempre ao progresso deste país.
        Você sabe o que é o “neoliberalismo”, ou fala nisso só porque ouviu dizer na televisão? É que eu não sei…
        E não é “fazer querer”, é fazer crer.

        Gostar

      • 5 Janeiro, 2014 23:19

        Alexandre Silveira,um partido romatnico e reacionário,não tinha reformado a segurança social em 2007 como o PS fez.O governo romântico e reacionário não tinha ar«provado uma código do trabalho em 2009 mais flexível do que o de 2003,como o PS fez.
        Um partido romântico e reacionário não tinha tido coragem para fechar escolas e hospitais sem alunos e pacientes(mérito de Correia de Campos e Maria de Lurdes Rodrigues).
        Esse partido reacionário teve a coragem de produzir essas reformas liberais que o PSD e CDS não tiveram…Se isto é ser conservador e racionário,o que dizer do anterior governo a esse,de um primeiro-ministro que abandonou o pais para o tacho de luxo bruxelense? P

        Gostar

      • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
        6 Janeiro, 2014 03:02

        RR as reformas que o corajoso PS fez, não passaram de cosmética e fogo de vista. A “reforma da segurança social” de 2007 em 2009 já estava desactualizada, como está bem à vista. Fechar escolas e maternidades todos fizeram: o Cavaco fechou 150 maternidades (cento e cincoenta) quando Albino Aroso era sec de estado da saude!
        O codigo do trabalho foi tão bem reformado, que a troika obrigou a fazer outro. O PS é o descendente directo do partido Républicano do Afonso Costa, que levou o país à bancarrota em 1926, e o entregou nos braços do Estado Novo. A especialidade do PS é enganar os tolos com papas e bolos, e levar o país à bancarrota.

        Gostar

      • André permalink
        6 Janeiro, 2014 07:38

        Alexandre, tecnicamente as nacionalizações começam muito antes do 11 de março (banca e seguros é pouco tempo após a revolução, por exemplo). Quanto às grandes empresas, sinceramente, preferia que se tivessem mantido nacionalizadas (ademais, como muitos países da CEE faziam até à entrada em vigor do Tratado de Maschtrisht, perdoe-me não saber escrever, controlados por partidos sociais-democratas). Sim, o PS apoia as privatizações por pressão da CEE, mas quem negociou a nossa entrada foi o PS, apesar de que quem assinou os tratados foi o PSD. Se o PS não quisesse privatizar, nunca teria aderido à CEE em primeiro lugar (era uma consequência inevitável, segundo alguns especialistas, logo após o Tratado de Roma em 1957, que contrariava os próprios princípios keynesianos da altura).
        Quanto à abertura dos media à iniciativa privada, mesmo que não tenha sido nessa data, percebo o que quer dizer (é possível que até tenha sido mais tarde). Aí acho que havia uma justificação política e não um justificação ideológica: é mais fácil para um partido controlar as massas se só tiver a estação pública (não vamos esquecer que a primeira estação privada que aparece era dominada pelo PSD, a SIC, que pertence ao grupo de Pinto Balsemão, e que logo seguir aparece uma estação da Igreja, ambas à direita do PS). Não acho mesmo que fosse uma justificação ideológica (para partidos como o PCP talvez fosse, mas não para o PS que já apoiava privatizações e fora a causa primária da entrada de Portugal no mercado concorrencial europeu). Além disso, mais tarde Guterres vai ser apoiante do blairismo (e o próprio Soares tinha o son ami Miterrand), ambos apoiantes duma terceira via, que visava, entre outras coisas, entregar o fornecimento de serviços de interesse público (antes serviços públicos) à gestão de monopólios privados, mantendo sempre o livre acesso (?) dos cidadãos. Aliás, os mesmos socialistas apoiam (independentemente do que diga o PS em demagogia eleitoral, aí o PS sempre foi de extrema esquerda) a privatização dos sistemas de segurança social num sistema de livre concorrência que está a ser negociado no Parlamento Europeu. Ai o socialismo…
        Quanto à noção de neoliberalismo, não foi na televisão, foi em dois livrinhos interessantes, um dos quais de um autor português, professor jubilado da Universidade de Coimbra, António Avelãs Nunes, o outro, não me lembro do título, mas era um resumo de ideias de Milton Friedman, não me lembro do autor (embora saiba que era um norte-americano relacionado com a própria direita americana).

        Gostar

      • 6 Janeiro, 2014 11:20

        Alexandre,não foram perfeitas nem fizeram tudo o que se devia ter feito,mas é preferível isso a estar de braços cruzados e ficar aver navios,como foram os 2 anos de governo PSD-CDS entre 2002 e 2004-Pior, vi muitas vezes o PSD alinhados com a extrema-esquerda radical do BE e PCP,em mainfestações contra essas reformas..Na altura,o PSD acusava o PS de falta de sensibilidade social,de neoliberalismo,etc etc. Aliás,o PCP sempre foi mais silencioso quando o governo era do PSD,por razões que a própria razão desconhece…
        Quanta á reforma da SS,foi uma reforma que o PSD até chegou a elogiar.E a do mercado do trabalho,recordo-me de ter visto Francisco Van Zeller a dizer que o PS tinha ido mais á direita que o PSD e CDS neste aspecto.
        Perante estes factos,resta-me concluir que o Alexandre apenas se move por uma partidarite febril,mais própria de um militante do PC e um sectarismo extremo e incompreensível.Só assim vejo com sentido as suuas palavras

        Gostar

    • Realista permalink
      4 Janeiro, 2014 14:17

      A legalidade é interpretada pelo tribunal constitucional de acordo com conivências políticas. É a isto qu eestamos amarrados.

      Gostar

    • Hawk permalink
      4 Janeiro, 2014 18:44

      Já agora, alguém me explica se a banca-rota é ou não ilegal?

      Gostar

      • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
        4 Janeiro, 2014 19:13

        Segundo a CRP de 1976 é legal levar o país alegremente à falência; o que é ilegal é tirar o país da falência.

        Gostar

  3. joaquim permalink
    4 Janeiro, 2014 13:11

    De acordo A. Costa . efetivamente o que faltou e falta é isenção e coragem para enfrentar as corporações e os interesses diversos ,p.e. a clarificação da lei da greve ( ninguém sabe porque se faz esta ou aquela greve, se foi votada e o resultado da votação, se é possível este ou aquele sector fazer greve por assuntos de âmbito geral do pais – p.e. ninguém percebeu as razoes da greve do lixo em lisboa . assim termino : tudo como dantes quartel geral em Abrantes, cito.

    Gostar

  4. 4 Janeiro, 2014 13:38

    ” Entretanto o Tribunal Constitucional chumbou dois elementos fundamentais de qualquer reforma do Estado”

    Miranda,

    Vocês aborrecem para alem de serem fora da lei.
    O TC só chumba porque o que foi proposto por quem devia cumprir a lei geral, tentou aldrabar.
    O novo codigo de estrada diz que quem circular por fora nas retunda é multado até 300 €uros. É a lei.
    No caso do constitucional não e´a mesma coisa???

    MIranda. os muito Mirandas deste pais, um destes dias ainda vão ter de prestar contas á justiça, devido ás faltas de verdade a que sujeitam quem os lê.

    Gostar

    • JoaoMiranda permalink*
      4 Janeiro, 2014 14:06

      Explique-me qual é a lei que permite ao Tribunal Constitucional mandar bitaites sobre como se deve fazer a reforma do sistema de pensões. Se conseguir dou-lhe razão.

      Gostar

      • Churchill permalink
        4 Janeiro, 2014 16:19

        O direito à liberdade de expressão.
        Se o Miranda pode, porque não os juízes?

        Gostar

      • André permalink
        4 Janeiro, 2014 16:25

        Mas os juízes não fazem, só dizem de que maneiras é que pode ser legal (muito melhor do que dizer simplesmente não) Afinal o TC até ajuda o Governo, dizendo-lhe como há de passar as medidas.

        Gostar

      • 4 Janeiro, 2014 18:42

        Miranda,

        O TC enquanto orgão soberania que faz parte integrante da divisão de puderes nunca dá bitaites, cumpre a lei.
        Lei sobre o qual este governo foi eleito e cujo suporte elegeu o actual Presidente da Republica, que JUROU cumprir e fazer comprir esta mesma constituição.
        Se o papel do TC é fazer cumprir, faz cumprir do alto da sua autonomia. Pode é ir contra ao que pensa o Miranda, mas isso será sempre um problema do Miranda e nunca do TC.

        Já agora nem quero ter razão, quero apenas que nã se volte a baralhar para voltar a dar como é o seu caso.
        Esta constituição é a que existe e é com esta que o pais tem de se a ver. Não satisfaz??? Façam outra , mas no entanto é esta que está em vigor.

        Atine porra

        Gostar

    • Alentejano. permalink
      4 Janeiro, 2014 17:00

      Bolota, dê-lhes com força porque é o que merecem.
      Conte comigo que já arregacei as mangas. A Constituição É A LEI GERAL a que todos estão obrigados a cumprir.

      Gostar

  5. Eleutério Viegas permalink
    4 Janeiro, 2014 13:42

    ESta constituição tem mesmo que ir para o lixo… Já falta pouco.

    Gostar

    • und permalink
      4 Janeiro, 2014 20:26

      podemos fuzilar todos os velhadas com a nova constituição?

      ou atiramo-los inda vivos aos cães?

      a segunda é mais económica ó velhadas

      morte aos velhos já….

      tudo pró velhão…

      Gostar

  6. Eleutério Viegas permalink
    4 Janeiro, 2014 13:44

    E o empolgante TC vai para o lixo também. Se há um Supremo, já há juízes de topo com fartura. Estes, do TC, só existem para estar de roda do “cadáver legislativo” (a constituição do 25 do 4).

    Gostar

    • und permalink
      4 Janeiro, 2014 20:27

      e os tribunais

      atiram-se os e leu térios e os outros fósseis como os megatérios à água e se flutuarem queimam-se como bruxos…

      Gostar

  7. Eleutério Viegas permalink
    4 Janeiro, 2014 13:46

    A “sagrada” constituição faz-me lembrar quele dito “nem o pai morre nem a gente almoça”. Não se pode legalizar a eutanásia para esta coisa acomunada?

    Gostar

    • RCAS permalink
      4 Janeiro, 2014 16:46

      Eleutério Viegas, fazes parte daqueles que como não conseguem dar quecas… desculpam-se com os pintelhos da púbis…

      Gostar

      • Eleutério Viegas permalink
        4 Janeiro, 2014 17:47

        Sabia que ias ficar chateado, tu e os da tua laia, com esta cena da “sagrada” consta (é um nick porque o nome completo enrola-se na boca)… Mas vais ter que ficar sem a consta… Tu e os da tua laia. One of these days. Está escrito!

        Gostar

      • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
        4 Janeiro, 2014 19:00

        Tão triste que eu ando; ninguém quer saber do meu querido lider, ninguém liga ao que ele diz, e até o Sarmento já tem o dobro das audiências.

        Sniff, sniff, sniff, alguém tem por aí uma caixa de klinexes, é que eu já esgotei o stock aqui da parvónia onde arrasto os meus tristes dias.

        Ai, ai, ai, que grande desgosto, sniff, sniff, sniff

        Gostar

      • RCAS permalink
        4 Janeiro, 2014 19:18

        Se percebesses um pouco destas tretas da politica, já te terias apercebido que não vai haver revisão da constituição nenhuma, que ponha em perigo o estado social.
        Porquê? porque o PS não deixa, porque se o fizesse desapareceria do mapa politico… garanto-te! não são parvos a esse ponto!
        É claro que para vocês, simples marionetes manipuladas pelos interesses neoliberais, não sei se consciente ou inconscientemente a Constituição actual, são os tais pintelhos que vos impede de efectuar “livremente” o ataque à destruição do estado social.
        Não te passes,não é necessário, mas daqui por muito que esperneis, não levas NADA, NADA!!!

        Gostar

      • António Costa permalink
        4 Janeiro, 2014 19:26

        Ó RCAS, com esses jargões do neoliberal parece uma “cassete” daquelas já com cheiro a mofo.

        Gostar

      • 4 Janeiro, 2014 19:25

        Gostar

  8. Rinka permalink
    4 Janeiro, 2014 14:20

    “Explique-me qual é a lei que permite ao Tribunal Constitucional mandar bitaites sobre como se deve fazer a reforma do sistema de pensões. Se conseguir dou-lhe razão.”

    Não houve bitaite nenhum houve a noção de respeito pela Lei Fundamental tão válida hoje, como era no passado.
    A Constituição ir para o lixo? Para quê? Quando o TC actuou a economia até “cresceu”

    Gostar

    • António Costa permalink
      4 Janeiro, 2014 14:37

      Este amigo Rinka é daqueles que também gostam de empranhar pelos ouvidos, do que a comunicação social socialista diz. Para ressonância desta já chegam os telejornais, os Marcelos e as Ferreira Leite e os Bagões da TV.
      Se ouve crescimento económico, foi devido às empresas que produzem e exportam e aos Portugueses que trabalham e não pelo que uma certa gente parasitária daqueles que produzem, fazem ou dizem.

      Gostar

      • Churchill permalink
        4 Janeiro, 2014 16:23

        Tó Costa
        E nesses tais “que trabalham e produzem” inclui os professores, os médicos, enfermeiros, policias, inspectores, cantoneiros, canalizadores das câmaras, etc?
        Ou só contam os trabalhadores da Autoeuropa?

        Gostar

  9. Manuel permalink
    4 Janeiro, 2014 14:30

    Dr. João Miranda: Se a AR confirmar por 2/3 uma lei chumbada pelo TC, o P.R. tem de promulga-la, certo? Penso que não há bloqueio nenhum, logo, o TC é irrelevante se os partidos quiserem. Posso não estar a ler bem a constituição.

    Gostar

    • JoaoMiranda permalink*
      4 Janeiro, 2014 14:37

      Claro que há bloqueio. Os 2/3 são impossíveis.

      Gostar

      • Manuel permalink
        4 Janeiro, 2014 14:52

        Então, o Sr. Passos nunca podia dizer que não precisava do P.S. para o próximo programa cautelar/resgate(o P.R. já tentou corrigir o erro) .Caso seja impossível governar deve demitir-se e confrontar os portugueses com a situação e pode candidatar-se novamente a 1º Ministro. o Dr. Gaspar ganhou o nosso respeito porque assumiu que tinha errado e que este não era o caminho e mostrou que não estava no governo para assegurar empregos a boys incompetentes e fanáticos.

        Gostar

      • JoaoMiranda permalink*
        4 Janeiro, 2014 15:16

        Manuel,

        Essa ideia de que o Gaspar se demitiu porque este não era o caminho é absurda.É de quem não percebeu nada do que se passou.

        Gostar

      • piscoiso permalink
        4 Janeiro, 2014 15:03

        2/3 são impossíveis sem acordos entre os maiores Partidos.
        Ou queria uma Constituição “prêt à porter” para o Partido no Governo?
        .
        “Sr. Presidente, Srs. Deputado: Votámos em globo a Constituição porque se o Povo, os partidos políticos , as forças armadas o quiserem ela não será, em nosso juízo, inviável.
        Votámos a Constituição porque ela foi o produto honrado do jogo democrático. Votámos a Constituição porque, no essencial, ela também recolhe o fundamental do nosso programa.”
        – Palavras de Barbosa de Melo (PPD) na declaração de voto em 3 de Abril de 1976.

        Gostar

      • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
        4 Janeiro, 2014 15:22

        Estas palavras de Barbosa de Melo, foram de circunstância. O então PPD votou a Constituição de 1976 porque a isso estava obrigado pelo Pacto MFA/Partidos. Se os partidos que assinaram o pacto não aprovassem a constituição não se faziam as legislativas de 1976. Também havia um “Conselho da Revolução”, lembram-se?
        Além disso a maioria dos deputados do grupo parlamentar do PPD na Constituinte abandonou o partido pela esquerda por não concordarem com o rumo reformista que Sá Carneiro preconizava para o país.

        Gostar

      • 4 Janeiro, 2014 18:49

        ” O então PPD votou a Constituição de 1976 porque a isso estava obrigado pelo Pacto MFA/Partidos”

        Pata ao leu antes do 25 de Abril,

        Como obrigado está agora o governo em governar de acordo com a Constituição actual e não lançar a ver se passa.

        cada vez tás mais trongo meu…

        Gostar

  10. J. Madeira permalink
    4 Janeiro, 2014 15:23

    Que estranha forma de se pretender reformar o
    Estado! A lógica mandaria começar por rever a
    organização politíca e administrativa do referido
    Estado! Nessa revisão ter em consideração toda
    a evolução tecnológica verificada nestes últimos
    40 anos e, não sería difícil chegar à conclusão de
    que não serão necessárias mais de 300 Câmaras
    Municipais e muitas das empresas agregadas para
    colocação das clientelas como acontece!
    Mudando o regime para presidencial, mais econo-
    mias de escala poderiam ser feitas, imagine-se que,
    para governar o rectangulo e adjacentes bastava
    um Presidente da República e 22 Secretários de
    Estado! Complementarmente, bastava uma A. R.
    com 150 deputados, todos em “full-time” sendo 90
    dos partidos e 60 eleitos nominalmente sem obediên-
    cia partidária, apertando a malha das incompatibilida-
    des … para evitar a bagunça actual!
    Ganhava-se em eficiência e eficácia e, fácilmente se
    pode avaliar que se poupavam umas largas centenas
    de milhões de euros … por favor não venham com a
    velha treta da representatividade, pois foi a partido-
    cracia que nos trouxe a esta situação !!!

    Gostar

    • und permalink
      4 Janeiro, 2014 20:29

      ou seja queres acabar com o poder local que dá trabalho a 300 mil mangas de alpaca e a 60 mil cafés e restaurantes….isso era o fim do país…

      e a indústria das rotundas?

      reformas administrativas jámé…

      Gostar

  11. JDGF permalink
    4 Janeiro, 2014 15:36

    …”o Tribunal Constitucional chumbou dois elementos fundamentais de qualquer reforma do Estado, a mobilidade com perda substancial de rendimento e possibilidade de despedimento, e a convergência de pensões entre a CGA e a Segurança Social“…
    A reforma do Estado não se resume a uma questão de sustentabilidade financeira do Estado. A sustentabilidade é necessária mas não é tudo. A reforma do Estado será, isso sim, o estudo e a visão sobre modelos de re-alocação dos meios disponíveis. Esses modelos não são neutros. Têm contextos ideológicos um dos quais será necessariamente entender o aparelho de Estado como um instrumento de redistribuição da riqueza.
    Convinha não misturar tudo. A confusão entre cortes orçamentais e uma reforma estrutural é, sempre, uma visão redutora. Todavia, tem sido a bandeira deste Governo. Na verdade, e entrando neste terreno em relação a 3 itens fulcrais dos agregados de despesa pública [salários da função pública + prestações sociais em dinheiro (essencialmente pensões e subsídios de desemprego + e transferências em espécie (medicamentos, etc.) ] verificamos que o ranking que ocupamos está muito abaixo da média de UE (depois de nós só a Eslováquia).
    Logo, a primeira coisa a definir será que modelo Estado queremos. mínimo? / pesado?avançado? / terceiromundista?, etc.
    Aliás uma outra importante questão diz respeito ao ‘timing’. Tudo o que for definido nesta fase do ciclo económico (f. recessiva) tende a não ser duradouro e contraria as grandes declarações subsidiárias de alienantes ímpetos reformistas.
    Finalmente, uma pergunta em jeito de remate impõe-se:
    Por quanto tempo pensamos viver na ‘insustentabilidade’ decorrente de uma longa queda do PIB (em relação ao início da crise) e o consequente (‘enorme’) aumento das prestações sociais (à custa do desemprego, instrumento do ‘ajuste’)?

    Gostar

  12. RCAS permalink
    4 Janeiro, 2014 16:30

    MEMORANDO- Reforma do Estado

    Politica orçamental para “2012″

    DESPEZA:

    1.7.Melhorar o funcionamento da administração central, eliminando duplicações, aumentando a eficiência, reduzindo e extinguindo serviços que não representem uma utilização eficaz de fundos publicos.

    -Tal deverá resultar em poupanças anuais de, pelo menos, 500 milhões de euros. Planos
    pormenorizados serão apresentados pelas autoridades portuguesas e avaliados até ao T1‐2012; e os “impactos orçamentais serão distribuídos até 2014″

    – Para este fim, o Governo irá:

    i. reduzir o número de serviços mantendo a qualidade na prestação de serviço público;

    ii. criar um serviço único tributário e promover serviços partilhados entre as diferentes
    áreas da Administração Pública;

    iii. reorganizar as administrações local e regional e a prestação de serviços da
    administração central a nível local;

    iv. avaliar periódica e regularmente a eficiência e eficácia (value for money) dos diversos
    serviços públicos que integram as Administrações Públicas, tal como definido em
    contabilidade nacional;

    v. promover a mobilidade dos trabalhadores nas administrações central, regional e
    local;

    vi. reduzir as transferências do Estado para Serviços e Fundos Autónomos;

    vii. rever as políticas remuneratórias e as prestações acessórias (fringe benefits) das
    entidades públicas e das entidades que estabelecem com independência os seus
    regimes de remuneração;

    viii. reduzir subsídios a produtores privados de bens e serviços.
    etc etc etc…

    PS – E eu INGENUAMENTE a pensar que isto fazia parte da reforma do estado…
    Ganda estúpido e ignorante é o que tu és ó RCAS, és mesmo burro pá. Ó burro então ninguém te explicou que a reforma do estado, é empobrecer ( perdão “ajustar”…) aos FP, os pensionistas e reformados?
    És mesmo incompetente pá, nem sequer consegues aprender nada com os doutos neoliberais blasfemos autênticos crâneos que por aqui andam a postar no blasfemeas!
    Ó RACAS… abre a pestana pá!!!

    Gostar

    • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
      4 Janeiro, 2014 19:07

      Sniff, sniff, sniff, lá me está outra vez a fugir a tecla prá verdade…ai, ai, ai que triste sina a minha: quando não tenho ninguém para dizer mal, digo mal de mim: sou ingénuo, sou incompetente, sou estúpido, sou burro (burro não, jerico), e nunca tinha dado por isso.
      Ai, ai, ai,: qui mais mi irá mi acontecê…

      Gostar

    • RCAS permalink
      4 Janeiro, 2014 19:36

      Vês ó Alexandre… por cima da tua cabecinha oca, está aí plasmado o que constituiria a reforma do estado, coisa que vocês não fazem a mínima idéia pelos vistos…. e OLHA ó “Inteligente” é do MEMO da TRÓIKA… percebes? não? é o costume… não estou a inventar nada!
      Comentaste? não! então qual foi o teu comentário? “um hino à tua inteligência”, que como nos demonstras é tremenda!…
      Esquece o piegas… imagina só se em vez dele estivesse o Socrático… depois de 18 000 milhões de austeridade ” virtuosa”, de 9 000 mil milhões de recuo do PIB… aaaaaaah! Silveira, as diarreias mentais que todos os dias teríamos aqui no Blasfémeas… nem sequer quero imaginar… seria um pivete insuportável!!!

      Gostar

      • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
        4 Janeiro, 2014 20:09

        Não leio o que tu teclas, por isso não faço a minima do que lá está está e portanto não comento; mas deve ser mais uma prosa jerina muito inteligente…

        Sniff, sniff, sniff

        Gostar

      • RCAS permalink
        4 Janeiro, 2014 22:31

        Pois!…

        Gostar

  13. André permalink
    4 Janeiro, 2014 16:39

    ” …a mobilidade com perda substancial de rendimento e possibilidade de despedimento” Ora, que tal admitir que se os trabalhadores não são necessários, devem ser despedidos por extinção do posto de trabalho (previsto na legislação portuguesa) e que se são necessários, devem ser remunerados (também previsto na legislação portuguesa, se bem que algumas pessoas não compreendam que em democracia o trabalho escravo é ilegal)? Seria simples, não? Ou o objetivo é dizer que os trabalhadores não são necessários (enquanto os coloca a trabalhar mais horas, reduzindo os salários, e aumentando a precariedade)? Talvez seja isso…
    Quanto à convergência de pensões, que tal limitar todas as reformas (eu sei que isto também é inconstitucional, mas se o governo for MESMO, e não das coisitas a 2000, 2500 ou mesmo 650€ atrás das reformas milionárias, facilmente conseguirá obter os 2/3 da Assembleia, ou poderá mesmo referendar a medida, já que grande parte dos portugueses não seria afetada). Quando digo todas as reformas, falo tanto da Segurança Social (ai as reformas da banca, os apoiantes do PSD…) como da Caixa Geral de Aposentações (ai os ex-políticos, como o Cavaco e os seus insuficientes 10000€…).
    Claro que isso em Portugal não era reformar, era fazer uma revolução. Onde é que já se viu num país atrasado como o nosso tirar privilégios às classes dirigentes? Até pareceria que tínhamos voltado ao PREC… Não pode ser, só a classe média é que pode ser afetada pela austeridade…

    Gostar

  14. Churchill permalink
    4 Janeiro, 2014 16:40

    Miranda
    Tal como muitos outros, continua a chamar reforma a cortes que não reformam nada.
    Reformar era assumir que o Estado faria umas coisas e outras não.
    Diga-nos lá o que é que o Miranda eliminaria?
    Passava a escolaridade obrigatória para a 4ª classe?
    Acabava com o serviço nacional de saúde, americanizando-o?
    Fechava as forças armadas?
    Fechava os museus e as bibliotecas?
    Acabava com a agricultura hiper-subsidiada?
    Permitia a construção de centrais nucleares para ter energia barata?
    Etc.
    E depois disso como é que iria criar a vontade dos empresários fazerem empresas, uma vez que não têm dinheiro atualmente?
    .
    Mas é preciso que nos diga o que ia fechar mesmo, não essa coisa de privatizar para os chineses os serviços que dão lucro e funcionam.
    .
    Conversa de chacha já temos que chegue, e ter uma lei que permite despedir os funcionários publicos, mantendo ou aumentando as competências, baixando os salários e regalias dos que ficam e esperar que tudo melhore, só pode vir de otários. É verdade que isso vai aumentar o desconforto, mas além de espalhar a desgraça traz o quê de positivo?
    .
    Cada vez me lembro mais da ideia dos Otelos durante a Revolucao de Abril, cuja grande ambição era acabar com os ricos, quando no resto da Europa se procurava acabar com os pobres.

    Gostar

    • António Costa permalink
      4 Janeiro, 2014 18:11

      Caro Ch…ll
      Parasitários são todos aqueles que andam a apodrecer pelos serviços do Estado, que de uma forma consistente, só servem para atrasar ou impedir, quem quer investir, produzir e trabalhar. Aqueles que gostam de meter paus na engrenagem para ganharem um certo “poderzinho”, para lhes irem comer à mão. São os que não querem avaliação de desempemnho, para que os bons e os que não prestem continuem a ganhar o mesmo e a ter a mesma garantia de emprego. A administração pública, as autarquias e as empresas públicas e municipais estão cheios deste tipo de gente, que prejudicam outros colegas que pela atitude e desempenho diário até mereciam ser mais bem pagos.

      Gostar

      • Churchill permalink
        4 Janeiro, 2014 19:43

        Costa
        Tem disso no Estado e no privado.
        Todas as pessoas que trabalham concordam que são um problema.
        No Estado, com a lógica de não se premiar os resultados, e de penalizar todos por igual, o mais provável é todas as chefias (do chefe de seção até ao diretor geral) optarem por manter os que causam menos ondas.
        .
        Num mundo perfeito isso era fácil de fazer, em pleno turbilhão da crise nem com um optimismo exacerbado.

        Gostar

      • António Costa permalink
        4 Janeiro, 2014 19:49

        Só aqui é que tudo fica na mesma, porque até agora sempre houve a percepção da garantia eterna do emprego no Estado. No dia em que essa garantia acabar, também para os anteriores a 2006, isto muda, como mudou noutros países.

        Gostar

  15. Expatriado permalink
    4 Janeiro, 2014 17:17

    A TVI24 esta’ a transmitir um discurso de Stalin.

    So’ as moscas mudam……

    Gostar

  16. javitudo permalink
    4 Janeiro, 2014 17:20

    Churchill, faz bem em lembrar “a ideia dos Otelos durante a Revolução de Abril, cuja grande ambição era acabar com os ricos”, continua viva.
    Por isso penso que no mesmo quadrilátero não vamos poder conviver por muito tempo, senão ficamos mesmo todos pobres com a excepção de alguns.
    Ora vejam quem são:

    Continua a festa dos defensores do Povo, do Estado Social, das amplas liberdades, etc. etc. etc – Bando de comilões! Ninguém na Assembleia da República, da direita à extrema esquerda, contestou. É ou não possível haver unanimidade?
    É sim, senhor se forem eles os beneficiários…

    A notícia é mesmo verdadeira e vem no Diário da República.
    O orçamento para o funcionamento da Assembleia da República foi já aprovado em 25 de Outubro passado, fomos ver e notámos logo, contudo já sem surpresa, que as despesas e os vencimentos previstos com os deputados e demais pessoal aumentam para 2014.
    Mais uma vez, como é já conhecido e sabido, a Assembleia da República dá o mau exemplo do despesismo público e, pelos vistos, não tem emenda.
    Em relação ao ano em curso de 2013, o Orçamento para o funcionamento da Assembleia da República para 2014 prevê um aumento global de 4,99% nos vencimentos dos deputados, passando estes de 9.803.084 € para 10.293.000,00 €.
    Mais estranho ainda é a verba relativa aos subsídios de férias de natal que, relativamente ao orçamento para o ano de 2013, beneficia de um aumento de 91,8%, passando, portanto, de 1.017.270,00 € no orçamento relativo a 2013 para 1.951.376,00 € no orçamento para 2014 (são 934.106,00 € a mais em relação ao ano anterior!).
    Este brutal aumento não tem mesmo qualquer explicação racional, ainda assim fomos consultar a respetiva legislação para ver a sua fórmula de cálculo e não vimos nenhuma alteração legal desde o ano de 2004, pelo que não conseguimos mesmo saber as causa e explicação para tanto. Basta ir ao respetivo documento do orçamento da Assembleia da República para 2014 e, no capítulo das despesas, tomar atenção à rubrica 01.01.14, está lá para se ver.
    Já as despesas totais com remunerações certas e permanentes com a totalidade do pessoal, ou seja, os deputados, assistentes, secretárias e demais assessores, ao serviço da Assembleia da República aumentam 5,4%, somando o total € 44.484.054.
    Os partidos políticos também vão receber em 2014 a título de subvenção política e para campanhas eleitorais o montante de € 18.261.459.
    Os grupos parlamentares ainda recebem uma subvenção própria de 880.081,00 €, sendo a subvenção só para despesas de telefone e telemóveis a quantia de 200.945,00 €.
    É ver e espantar!
    Caso tenham dúvidas é só consultarem o D.R., 1.ª Série, n.º 226, de 21/11/2013, relativo ao orçamento de 2014, e o D.R., 1.ª Série, n.º 222, de 16/11/2012, relativamente ao orçamento de 2013.
    A verdadeira reforma do Estado não vai fazer-se com estes mamões que são de esquerda e de direita conforme lhes convém. Cá fora abocanham-se uns aos outros, na intimidade é uma bagaceira!
    Eles andam mas é todos todos a comer “ao centro” da marmita, e continuarão na mesma enquanto tiveremos nossos votos inocentes e idiotas a legalizar a bandalheira.

    Gostar

  17. Hawk permalink
    4 Janeiro, 2014 19:06

    Eu acho que o grande problema de um país na fase histórica que Portugal neste momento atravessa é decidir se precisa ou não de classe média. Há estados cuja estrutura socio-económica dispensa a dita classe média e outros que não a dispensam. Se se aposta na classe média (eufemismo que em Portugal designa a pequena burguesia) a estrutura do Estado e da sociedade acabará por ser de um certo tipo. Se se opta por outra via, as estruturas reformar-se-ão inevitavelmente com ou sem TConstitucional (Há alguma norma constitucional que possa impedir uma Revolução de triunfar?). Tudo o mais é um blá blá blá alienante incapaz de superar o acessório e de se concentrar no essencial.

    Gostar

  18. Trinta e três permalink
    4 Janeiro, 2014 19:32

    O JM é um brincalhão. Desconhece, então, que há serviços com falta de pessoal?

    Gostar

  19. RCAS permalink
    4 Janeiro, 2014 20:01

    O melhor restaurante de Lisboa (preço/qualidade)

    ENTRADA:

    Caviar beluga
    1 €

    EMENTA:

    gambas, camarão tigre, lavagante, sapateira, queijo da Serra, presunto de Barrancos, garoupa e bife do lombo

    vinho: Palácio da Bacalhoa

    3€

    BEBIDAS:

    Mini

    0,10€

    Vodka Eristoff

    1,50€

    Gin Bombay Sapphire

    1,65€

    Whisky Famous Grouse

    2€

    1 garrafa de champanhe Krug

    3 €

    Café

    ,05€

    MORADA:

    Palácio de S. Bento

    PS – Pelos vistos parece que há um grande silêncio… como são os “socialistas marxistas” que comandam a assembleia…

    Espectáculo!

    Gostar

    • und permalink
      4 Janeiro, 2014 20:37

      falar mal das jantaradas da fundação mário soares vai tirar-te das listas do sócrates

      e a fundação não é em são bento é à frente de são bennto

      Gostar

    • 4 Janeiro, 2014 21:22

      Gostar

  20. javitudo permalink
    4 Janeiro, 2014 20:33

    Os alemães não querem auxiliar nestas despesas de Portugal, e gostemos ou não deles, neste ponto têm toda a razão.

    Portugal tem 10 milhões de habitantes
    Alemanha tem 82 milhões de habitantes

    Diferença entre Portugal e a Alemanha

    PORTUGAL
    Governo 1 Primeiro Ministro + 11 Ministros + 38 Secretários de estado TOTAL : 50

    ALEMANHA 1 Chancelier(e), a tal mázona + 8 ministros TOTAL : 9

    Depois do trabalho – O 1.º Ministro tem residência oficial.
    – Os Ministros têm alojamentos de funções.
    – Os Secretários de Estado têm alojamentos de funções.
    Os contribuintes pagam-lhes: alojamento, transportes, ajudas de custo, água, eletricidade, alimentação, motoristas,… etc.

    Angela MERCKEL, a mázona e os seus 8 Ministros pagam alojamento, transportes para o trabalho, as faturas da água, da eletricidade, alimentação e andam nos seus próprios carros.

    Portugal – Presidência da República – cerca de 500 pessoas trabalham para a Presidência da República.
    Alemanha- Cerca de 300 pessoas trabalham para a Presidência da República.

    PARA MANTER ISTO, É PRECISO TAXAR OS REFORMADOS, OS FUNCIONÁRIOS E TIRAR SUBSÍDIOS AOS TRABALHADORES, FAZER PAGAR MEDICAMENTOS E AUMENTAR OS IMPOSTOS DE TODA A GENTE…E NÃO VAI CHEGAR, NUNCA CHEGA.
    E nós para aqui sentados a mandar bitaites. Só correndo mesmo como eles, e com os da central de negócios, não percebem?
    Mais cedo que tarde não haverá nada para ninguém, como noutros lados… e não são poucos, não me obriguem a enumerá-los, nem as cunhas vão servir…, o que vão os tugas fazer sem cunhas, é o fim, só estou a avisá-los, nem todos podem fugir, muitos não sabem fazer nada, nem nunca procuraram fazer nada, ninguém os vai querer para nada, né!

    Gostar

    • und permalink
      4 Janeiro, 2014 20:38

      se bem me lembro cada estado alemão tem parlamentos e governos regionais

      deves estar a fazer mal as contas pá….

      és o fantasma do sidónio ou do spínola?

      Gostar

      • Adireito permalink
        4 Janeiro, 2014 21:08

        E em Portugal, com cerca de 10 milhões de habitantes, em cada municipio existe um presidente de câmara, vareadores, assembleia municipal, empresas municipais( com tachos politicos). Ainda temos 2 regiões autónomas, que no total têm menos população que muitas cidades alemãs, mas cada região tem, um Governo Regional, um Parlamento, e ainda os respetivos municipios. Bastavam metades dos municipios, o que reduzia para cerca de metade a despesa com tachos municipais.
        E cortar nas transferências de verbas para as fundações ( excepto para muito poucas). Eliminar mordomias e tachos em institutos que apenas servem para colocar boys.

        Gostar

  21. @!@ permalink
    4 Janeiro, 2014 20:37

    O país foi hoje varrido por uma especie de vento reformador que causou uma série de graves impactos na paisagem simplesmente porque sim. Dever ser disto a que o autor se refere.

    Gostar

  22. Fincapé permalink
    4 Janeiro, 2014 20:39

    “Devia ter-se começado pela reforma do Estado”.
    ———
    – Eu sou um tipo precoce porque há quase quatro anos considerei que o PPD deveria ter escolhido um líder;
    – Mais tarde, enganei-me quando há dois anos e meio me pareceu que o PS tinha eleito um líder;
    – Em consequência da apreciação precoce, há cerca de dois anos e meio já não foi possível ter um primeiro-ministro;
    – Assim, pior do que não termos começado pela reforma do Estado é termos alguém a fazer de PM que começou a dizer que bastava cortar uma gorduras, que nunca se desculparia com o governo anterior, que convergir as reformas atribuídas era esbulho, ou coisa parecida, que jurava cumprir a CRP, que faria um governo pequeno, que não se importa de atropelar o TC, que… que… que…
    – Ou seja, temos o homem certo no lugar errado, porque certamente daria menos prejuízo a qualificar pessoal para aeródromos… embora desempregado.
    – No entanto, este será provavelmente o político menos escrutinado de sempre. Então, se compararmos com Sócrates, veja-se a diferença. Mesmo nas entrevistas, completamente chochas mas elogiadas, nunca é confrontado com o que dizia e agora faz, sendo abandonada a acutilância normal dos jornalistas. E se ele tem motivos para se justificar!… Já ninguém se lembra das desculpas que pediu ao “povão” por uma coisa bem insignificante, comparada com a sua atual atitude.
    – O que contribui para a tolerância? O pequenino mas poderoso lóbi ultraliberal que não se importa muito com a trampolinice, dado que o objetivo principal será sempre atingido: o empobrecimento geral de 99% da nação, com o correspondente aumento brutal da riqueza dos famosos 1%. Esta é retirada da realidade para os livros. Outro contributo é o de alguns assessores devidamente escolhidos e propagandistas que já não estudaram “Economia”, mas “Liberalismo”. E também daquela rapaziada que olha para o resultado do trabalho dos pais, e respetiva poupança, com concupiscência. Esta situação não se consegue esconder pois ouve-se em fóruns exatamente assim: queixas de pessoas sobre a reforma dos pais, ou até da profissão medianamente paga de irmãos que trabalham para o Estado, tal como os delatores que acusam os familiares na Coreia do Norte para daí obterem ganhos.
    – Repare-se que não há qualquer preocupação com o crescimento. Nenhum incentivo. Nada. O que há é a prometida descida de IRC para entregar o dinheiro a quem se encarregará de o colocar ao fresco. E pelos vistos os salários mais baixos da Europa, retirando os antigos países de leste, não é suficiente.
    – No meio disto tudo, não há uma oposição digna desse nome a não ser da esquerda que não quer ingressar no poder.
    – Vou tomar um calmante, já volto. 😉

    Gostar

    • RCAS permalink
      4 Janeiro, 2014 23:11

      “Crescimento”? é palavra maldita neste Tea Party portuga!!!

      Gostar

    • Bst permalink
      7 Janeiro, 2014 05:36

      “Plano secreto do governo – Consta por aí que o governo tem um plano secreto para empobrecer os portugueses. Se tem, não precisava de se meter em rodriguinhos. Bastava arranjar para este ano um défice de dez por cento e aceitar tudo, mas tudo, o que os portugueses muito justamente reivindicam.”

      Plano Cautelar – Quem por aí imaginou que nos deixavam à solta depois de 30 anos de megalomania e disparates? Só se o FMI, o BCE e a Comissão Europeia endoidecessem. E mesmo assim…

      Vasco Pulido Valente.

      Quem ler estes comentários fica sem perceber de onde pensam virá o dinheiro.
      Algum juiz do constitucional teve uma herança de um tio rico e passa o cheque?

      Gostar

  23. javitudo permalink
    4 Janeiro, 2014 20:53

    António Costa, nem mais o que há muito são parasitas, há sistemas que encorajam os parasitas a sugar onde podem. O problema é que desde 2000 o número de parasitas cresceu exponencialmente em todos os governos.
    O toninho guterrez deu-lhe um grande impulso, sabe-se lá se ainda irá colher benefícios?
    Eles podem não ter memória para nada, mas agradecidos aos vilões são sempre.
    Não sei se hoje, em votos, não superam os que labutam. É que muitos dos que sabem e querem trabalhar a sério foram-se embora…
    Se a gandulagem estiver em maioria temos o regime hitleriano de pernas ao ar.
    O assassino também chegou lá por votos e com o apoio duma mídia acéfala.
    O outro carrasco, o stalin, chegou lá e lá permaneceu, assassinando a torto e a direito.
    Podemos ficar entre os dois, quem sabe, aquilo na Albânia talvez não seja assim tão mal como dizem os neoliberais. Ao menos só têm 140 deputados. E são de esquerda, entenda-se de uma vez por todas.
    Em violência doméstica não estão mal. As novas estatísticas oficiais revelaram um aumento no nível geral de violência já vivida pelas mulheres na Albânia, de 56% em 2007 para 59,4% em 2013, com 53% das mulheres que vivem atualmente no abuso constante. Mais de 80% de abuso começa nos primeiros três anos de casamento e muitos relatam que passaram anos em relacionamentos violentos. Na verdade, apenas 8,4% das mulheres tentam procurar ajuda, embora mais deles se voltam para as autoridades públicas, em seguida, eles fizeram em 2007, quando a maioria deles virou-se para a família e amigos para obter assistência. Lembra-vos alguma coisa?

    Gostar

    • ora permalink
      4 Janeiro, 2014 21:05

      nã….lembra não….quer dizer isso que és a mulher abusada lá no teu relacionamento?

      Gostar

  24. povão permalink
    4 Janeiro, 2014 21:04

    Tragédia em Agueda porque um parecer do Ministério do Ambiente demorou mais de um ano o que permitiu que isto acontecesse …

    Gostar

    • ora permalink
      4 Janeiro, 2014 21:08

      que chovesse e o rio não desse vazão e invadisse as margens?

      violentas são as margens que o comprimem

      e quem deixou que se construísse em leito de cheia?

      dantes era proibida a construção a menos de 50 metros das margens…

      e era propriedade ´do reyno o leito de cheia do rio…

      Gostar

  25. JCA permalink
    4 Janeiro, 2014 22:25

    .
    No entanto e no entretanto perfila-se o azimute para 2014 segundo estes:
    .

    Martin Armstrong Warns Europeans Of The Coming Expropriation Of 10% Of Everyone’s Accounts
    http://www.zerohedge.com/news/2014-01-02/martin-armstrong-warns-europeans-coming-expropriation-10-everyones-accounts
    .
    40 percent of jobless youth facing mental illness symptoms with one-in-three contemplating suicide
    http://www.blacklistednews.com/40_percent_of_jobless_youth_facing_mental_illness_symptoms_with_one-in-three_contemplating_suicide/31670/0/0/0/Y/M.html
    .
    ‘Dead’ American banker Aubrey Lee Price arrested in connection with multi-million dollar fraud case
    http://www.independent.co.uk/news/world/americas/dead-american-banker-aubrey-lee-price-arrested-in-connection-with-multimillion-dollar-fraud-case-9035431.html
    .
    (lá se vai o exito do ‘apertar o cinto da elite dos bons alunos chefes de turma manhosos e cábulos no quadro de honra, o tal pelotão da frente ….):
    .
    Pois é.
    .

    .

    .

    Gostar

    • 4 Janeiro, 2014 22:58

      acreditas em tudo pá…

      o acerto faz-se pelos juros baixos que comem o capital das gentes pobres enredadas numa maré de inflação que em 8 anos já dobrou a massa monetária en notas e moedas do eurogrupo

      e só entraram mais uns 10% da populaça no eurro no mesmo prazo

      Gostar

  26. JCA permalink
    4 Janeiro, 2014 22:39

    .
    Calma,
    não é caso para começarem a ‘arrepanhar os pelos da pubis femea ou macho ou all in one’ …… Afinal tanta treta mas o quadro global é assim:
    .
    West’s Debt Hits 200 Year High
    http://www.telegraph.co.uk/finance/financialcrisis/10548104/IMF-paper-warns-of-savings-tax-and-mass-write-offs-as-Wests-debt-hits-200-year-high.html
    .
    O busilis é que a rapaziada mandante forte com fracos e raquitica com os fortes. ajoelhou e ofereceu-se para a servidão como pau de cabeleira no meio desta cowboyada toda. Coitada, quem não é capaz, amocha. Não seria problema se atrás dela não arrastasse dez milhões, em vez de se arrastar só a ela.
    .
    É o busilis tuga. Mas estas noticias são em Portugal ‘segredos’ ajudam-na para ‘tirarem o cavalinho da chuva,
    .
    e quando os oposições POLITICAS imitam simples jornalistas estagiários a relatarem passados e histórias por serem tão fracotas em inovação/ousadia/rasgo/visão/solução para Portugal enriquecer acelaradamente ….
    .
    registem aí: esta maioria vai acabar a ganhar as proximas eleições. De caras.
    .

    .

    Gostar

    • 4 Janeiro, 2014 23:00

      west debt há 200 anos era de quanto?

      olha que em 1840 o império britânico deva bué aos cháneses

      daí a guerra das palavras que são ópio pó pular

      dissabte 4 de gener de 2014

      WORDS THAT TOOK US IN….CON’S R’US….MORONS R’THIS FANUM PEOPLE….JESUS HOMINUM SALVATOR – KAI TA LEIPOMENA He drew a circle that shut me out– Heretic, a rebel, a thing to flout. But Love and I had the wit to win: We drew a circle that took him in….

      QUANTUM VIS ?

      QUANTUM SUFFICIT….

      The Soaristan and Kavakisthan people
      uses a circle to keep out all who don’t think the same way they do
      we need a circle to include this people and these state’s
      For the Soaristan and kavakisthan and sovietistan people , ideology or a belief system is most important; to the plebe….ignara plebe they believe at sunday’s that love the state is the solution….

      CON SENSUS OR SENSUS FOR CON’S OR MORONS : morons moros and cons believe that you can go beyond all differences and bring morons con’s and othelos together

      Ihr Hotel Cid El Moro‎ Mit Tiefpreisgarantie billig buchen‎‎…..

      SINE ANNO….

      SECUNDUM ARTEM SCULPIT

      CADEIAS DE LETRAS QUE FORMAM PALAVRAS PARVAS

      SUB HOC VERBO SUB HAC VOCE

      SINE MACULA PROLE PROLETA….

      SECUNDUM NATURAM

      TALIS QUALIS….

      And till it come, we men are slaves, And travel downward to the dust of graves. Come, clear the way, then, clear the way; Blind creeds and kings have had their day; Break the dead branches from the path; Out Hope is in the aftermath Our hope is in heroic men Star-led to build the world again. Make way for brotherhoodmake way for Man

      O masters, lords and rulers in all lands, How will the Future reckon with this man? How answer his brute question in that hour When whirlwinds of rebellion shake all shores? How will it be with kingdoms and with kings With those who shaped him to the thing he is When this dumb terror shall rise to judge the world, After the silence of the centuries?

      outwitted by Edwin Markham

      He drew a circle to shut me out,
      heretic rebel, a thing to flout.
      But love and I had the wit to win,
      we drew a circle that took him in

      The laws are the secret avengers,
      And they rule above all lands;
      They come on wool-soft sandals,
      But they strike with iron hands…..DA FRACA CONSTITUIÇÃO DAS PALAVRAS FEITAS LEI…..

      Publicat per : QUOD EST VERBI DEI MINISTER UT DICTUM UT SUPRA…..

      Gostar

  27. javitudo permalink
    4 Janeiro, 2014 23:06

    JCA, é capaz de ter razão, tenho alertado para uma viragem “surpresa” da situação económica. “Surpresa” para quem?
    Para os distraídos, os que julgam a realidade pelo que se passa à superfície.
    Vêm aí malabarismos muitos.
    O Fincapé raciociona com lógica, mas lógica é uma mortalha.
    “No meio disto tudo, não há uma oposição digna desse nome a não ser da esquerda que não quer ingressar no poder”.
    Aquilo que chamam esquerda é o seguro das políticas da Troika.
    Esteja atento, Fincapé, você é um bem intencionado. Veja para além dos chavões.
    Não tome calmantes Fincapé, acorde, acordemos todos.
    Não existe esquerda hoje, existem aparências rascas de tipos instalados que sabem perfeitamente que o máximo a que podem aspirar é um lauto almoço na central de negócios.
    Esquerda era Salgado Zenha, lembra-se? Esquerda era Rui Grácio, lembra-se?
    Hoje, a única forma de evitar o descalabro é a revolta de quem paga impostos.
    Não é preciso tumulto, basta a coragem de deixar de os pagar.

    Gostar

    • ora permalink
      4 Janeiro, 2014 23:19

      ó filha deixa de pagar e deixas de receber…..é o racket da proteção

      olha um velhote de 82 arrecebeu em dobro de 4 cobradores de impostos por conta própria

      ou pagas ao estado ou pagas à concorrença

      Gostar

      • PiErre permalink
        5 Janeiro, 2014 11:46

        Eu preferia pagar ao Al Capone. Era mais honrado.

        Gostar

    • Fincapé permalink
      5 Janeiro, 2014 00:11

      Eu desconfio, Javitudo, que há mais instalados na direita do que na esquerda. Embora nunca os tivesse contado. E não comem só um lauto almoço.
      Como Passos Coelho prometeu que quando chegasse ao poder tudo seria transparente, fico à espera que ele lá chegue. 😉

      Gostar

  28. Portela Menos 1 permalink
    4 Janeiro, 2014 23:19

    deixar de pagar impostos parece-me bem, tendo em conta a média de perdões fiscais na última década. O Estado abate ao défice uns milhões, perdoa outros tantos e … siga o baile !

    Gostar

    • ora permalink
      4 Janeiro, 2014 23:23

      perdoa a quem já não tem sangue para pingar no pacto satânico

      e perdoa aos mortos mas não aos herdeiros

      com 100 mil mortos ao ano com o imposto sucessório dava-se dinheiro a ganhar a muita gente com execuções judiciais até a ordem dos advogados deixava entrar os 40 mil licenciados que não tinham grana para serem adotados na ordem

      ou é cu-adoptados?

      Gostar

  29. Alexandre Carvalho da Silveira permalink
    4 Janeiro, 2014 23:31

    http://oinsurgente.org/2014/01/04/servicos-publicos-quem-paga/

    Gostar

    • ora permalink
      4 Janeiro, 2014 23:58

      ó filha duma maneira ou doutra pagamos todos….

      alguns pagam com miséria

      outros pagam e recebem luxos….

      como diz Arnaut não paga e recebe quem quer só quem phode

      ide evoluir lá na loja do grande orienta-te lusitano tá….

      a gente paga…

      ai paga paga

      Gostar

    • 5 Janeiro, 2014 00:10

      Ó Alexandre perdeste a fala? Tem calma! O negócio que vai acabar por resolver todos os problemas do país incluindo o da CRP, já começou: Exportação de oliveiras centenárias

      Gostar

      • 5 Janeiro, 2014 00:37

        escreve-se milenárias

        oliveiras centenárias há aí a dar com um pau

        já milenares há poucas

        mim tem duas semi-milenares pra troika

        Gostar

    • Portela Menos 1 permalink
      5 Janeiro, 2014 00:28

      este governo anda a “vender-nos” serviço público praticando roubo por esticão.

      Gostar

      • 5 Janeiro, 2014 00:35

        NON NOn non tu gama gama alfa alfa beto beto….

        roubo por esticão praticou esta república sobre 5 milhões de excluidos e 2 milhões de assalariados a salário mínimo ou pouco acima

        no estado e fora dele

        DIE MASSENPSYCHOLOGIE DES FASCHISMUS – SINE PROLE SEQUENS UNTIL NOW…DOS MATADOUROS QUE ALIMENTAM DE CARNE MORTA AS VIDAS MORTAS DAS GENTES DITAS HUMANAS OU SUPER-HUMANAS UNTERMENSCH UBERMENSCH UT MENSCH ALL MENSCH BUT NOT EQUAL -EQUALIS QUANTUM LIBET…TALIS QUALIS…NORVICENSIS NON LONGE EBORACUM QUANTUM SUFFICIT …NON LIQUET? NON ? PATIENTIA…FROM HOMO LUDENS TO HOMO ECOCOMICUS SUB HOC SALAR

        SUB HAC HACKER….gama gama beto beto

        ide lavorar ó pagliachichi

        Gostar

  30. jojoratazana permalink
    5 Janeiro, 2014 01:03

    Se a parvoíce pagasse imposto, pela amostra da grande maioria dos comentários, os gatunos podiam roubar o que quisessem, e o país nunca entraria em banca rota.
    Cambada de ladrões, Quem trabalha é que viveu acima das suas possibilidades, bovinos.

    Gostar

  31. 5 Janeiro, 2014 03:04

    Mário Braga, obrigado pelo reparo. Era milenares que queria dizer.

    Gostar

  32. tric0001 permalink
    5 Janeiro, 2014 03:31

    “Devia ter-se começado pela reforma do Estado” era uma frase muito em voga há 6 meses atrás.
    .
    quando é que Portugal sai do Euro!!!?? Nota-se mesmo que a Europa entrou em campanha eleitoral…porque é so mesmo na Europa…

    Gostar

  33. Expatriado permalink
    5 Janeiro, 2014 04:14

    O teor nao e’ de hoje mas prova que nada mudou desde entao…..

    http://digitarq.dgarq.gov.pt/viewer?id=4481747

    Gostar

  34. Ricciardi permalink
    5 Janeiro, 2014 09:22

    Bem, João Miranda, eu já desconfiava da incapacidade do governo em saber o que é uma reforma de estado. Contadores de feijões não são estrategas. O ultimo que tivemos morreu há quase 45 anos.
    .
    Anyway, independentemente de se estar a fazer uma consolidação que se desconsolida com o sucesso da economia, como já estamos a ver e era previsivel – a contribuição das contas externas está a diminuir violentamente – dizia, independentemente de se tratar de uma consolidação colada a cuspe, o dinheiro das reformas e pensões não são do governo. São das pessoas que todos os meses fizeram descontos para a sua velhice.
    .
    Se os governos anteriores, todos eles, quiseram usar o dinheiro dos descontos e torra-lo em subidios e apoios vários e fazer com isso um figurao eleitoral, o actual governo, a fazer uma reforma, devia acabar com esta pouca vergonha. Mas não o faz.
    .
    Usam o dinheiro que não é deles para continuar a atribuir subsidios.
    .
    Ora, se as pessoas sem rendimentos, desfavorecidas, seja qula for o motivo, devem ser ajudadas e apoiadas, por questões de solidariedade, esses apoios só podem ser pagos por todos e não apenas por alguns. Por todos. Rendimentos prediais, de capital, de trabalho, de mais valia, etc etc.
    .
    É uma questao de simples bom senso.
    .
    Se acrescentarmos o valor de cerca de 9 mil milhoes de euros que o governo usa da SS em subsidios e apoios, a SS é superavtitária.
    .
    Os 9 mil milhoes pagos em subsidios e apoios devem ser função directa da riqueza produzida pelo país. Se o país tem riqueza paga, se diminui a riqueza paga menos.
    .
    O que tem de ser intocavel é o correspondente às reformas e pensões dos regimes normais. Porque esse dinheiro não é do governo.
    .
    A mudar a constituição, a primeira coisa a fazer é tornar as pensões e reformas do regimes contributivos normais, um direito de propriedade, como na alemanha, para evitar que um qualquer governo, como este, usem o dinheiro que não é deles.
    .
    Rb

    Gostar

  35. licas permalink
    5 Janeiro, 2014 13:06

    Este *tomal á, dá cá* Governo-Tribunal Constitucional poderia muito bem ser evitado. . .
    ____

    SE OS TANQUES TIVESSEM ASAS____________Cunhal em Novembro 1975 telefonaria
    ao Camarada Chefe da URSS, julgo que era Kruschove, e da RGA, ou de outro qualquer
    domínio Colonial Vermelho, gritando em russo que a Revolução dos Cravos estava em perigo, e logo uma esquadrilha de tanques-aviões rumaria à Praça do Comércio para *repor a Legalidade*: depois era *passar pelas armas* Ramalho Eanes, Salgueiro Maia e
    mais uns tantos fascistas e tudo ficaria apaziguado.
    No antigo Terreiro do Paço, rebaptizado Largo da Revolução Triunfante, a estátua equestre de D. José apeada, Lenine em bronze erguida, e que ousasse refilar, avião à borla para o Gulag.
    E ENTRARÍAMOS para o clube dos povos felizes tal como Cuba, Vietname, e todos os
    outor do COMECOM.
    (Se foi assim em Praga 1968, SETE anos amtes, porque não então?)

    Gostar

  36. javitudo permalink
    5 Janeiro, 2014 16:39

    licas, uma correcção se me permite. O contacto do traidos barreirinhas foi feito com Suslov.
    O camarada Brezhnev não lhe dava suficiente importância. Andava ocupado com a aplicação da sua Doutrina..
    ” Leonid Brezhnev reiterated it in a speech at the Fifth Congress of the Polish United Workers’ Party on November 13, 1968, which stated: When forces that are hostile to socialism try to turn the development of some socialist country towards capitalism, it becomes not only a problem of the country concerned, but a common problem and concern of all socialist countries. This doctrine was announced to retroactively justify the Soviet invasion of Czechoslovakia in August 1968 that ended the Prague Spring, along with earlier Soviet military interventions, such as the invasion of Hungary in 1956. These interventions were meant to put an end to democratic liberalization efforts and uprisings that had the potential to compromise Soviet hegemony inside the Eastern bloc, which was considered by the Soviets to be an essential defensive and strategic buffer in case hostilities with NATO were to break out”.
    Portugal não fazia parte dos seus interesses, Angola sim, e viu-se como os cubanos actuaram. Consta que também houve contactos “persuasivos” do outro lado do Atlântico para que o urso não se metesse em aventuras.
    De facto a intenção era rebaptizar muitas ruas e praças, basta ver Luanda de hoje, não obstante a influência russa se ter desvanecido.
    Há que continue a pensar nos Largos da Revolução Triunfante, na estátua Lenine em bronze erguida, alguns povoam este blog mais ou menos disfarçados de cantilenas avulsas praticamente indecifráveis para encher o espaço. Os blogs da sua cor não lhes interessam.
    Muitos têm ido à vida.
    São os mesmos, tornados ridiculamente nacionalistas, que nos enviariam, “com a melhor das intenções”, não de de avião à borla para o Gulag, mas em Antonovs à maneira http://gigantesdomundo.blogspot.pt/2011/07/o-maior-aviao-cargueiro-do-mundo.htmlnavios de carga soviéticos
    Para não mais voltarmos como aconteceu na chacina da praça de touros de Luanda a muitos portugueses indefesos após a independência às ordens do carrasco agostinho e de outros que por vezes no visitam dicretamente.
    Como no longo cerco de Verdun na Primeira Guerra Mundial, os líderes militares franceses exortaram as suas tropas para lutar contra o exército invasor com o grito de guerra “Ils ne pas passeront!” (“Eles não passarão!”).

    Gostar

    • Expatriado permalink
      5 Janeiro, 2014 17:14

      Hoje, os marcianos falam constantemente em “patriotismo” mas, em 1937, tinham um discurso totalmente oposto como se pode ver aqui

      “O patriotismo, é uma das muitas habilidosas formas de opressão que para impunemente nos esmagarem, inventaram os ricos e poderosos.”

      http://digitarq.dgarq.gov.pt/viewer?id=4606261

      Que os tera’ levado a mudar de discurso ainda na decada de 40 do SEC XX?

      Na epoca era Stalin que detinha o poder na URSS e teve de apelar ao patriotismo dos russos quando Hitler o atacou. O partido marciano ca’ do burgo teve entao de gravar a palavra no seu discurso. Por isso dizem sempre que o seu “discurso” e’

      “Patriotico e de esquerda”……

      Se a filha da putice….

      Gostar

    • licas permalink
      5 Janeiro, 2014 18:29

      Muito obrigado Javitudo: houve, de facto, alguns erros em substância.
      Ainda bem que os corrigiu.

      Gostar

  37. antónio permalink
    5 Janeiro, 2014 18:30

    Depois de todo este arrazoado de comentários o que me oferece dizer é:

    A esquerda marxista fabricou e blindou a Constituição. Não há nada a fazer enquanto existir a esquerda marxista em Portugal. Ela irá extinguir-se naturalmente como já se extinguiu na maioria da Europa, incluindo aqui ao nosso lado, em Espanha. Portugal sempre foi mais atrasado mas sempre chegou lá. Até lá só por força dos acontecimentos ou por força da UE. A nossa esquerda é jacobina, imobilista, reacionária e incapaz de mudança ou evolução tal como qualquer forma de marxismo, seja na Coreia do Norte ou em Cuba. Os portugueses têm os políticos que merecem!

    Gostar

  38. licas permalink
    5 Janeiro, 2014 18:43

    Queria dizer : erros substantivos. (Sorry).

    Gostar

  39. javitudo permalink
    5 Janeiro, 2014 20:27

    António, este tipo de esquerda acéfala e reaccionária é o seguro de vida dos governos que tendem ao bloco central de negócios. Esta “esquerda” que de esquerda tem pouco impede que se organize uma verdadeiro movimento multifacetado capaz de reagir ao descalabro.
    Esse movimento não chega a formar-se porque as pessoas decentes não querem ser identificados com gente espúria.
    Este falso equilíbrio que se experimenta no protetorado convém a quem nos explora, as mesmas forças capazes de eliminar quem se atrever a opor-se aos seus desígnios, como já aconteceu em Portugal em 1980.
    Não são os ditos de esquerda que os incomoda, bem pelo contrário.
    http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=73123

    Gostar

  40. valente permalink
    5 Janeiro, 2014 22:29

    É fantástico, quando li o que o javitudo das 17,20 escreveu pensei eu que iam todos os comentaristas que aqui escrevem fossem bater nessa politica vergonhosa dos politicos,
    mas reparei que ninguem mais comentou, como querem que eles os que estão comendo não continuem sejam de que ala forem, todo o mundo sebe dessas coisas mas não dizem uma palavra, duzias de treinadores de bancada mas nessa podridão não falam. porque será?

    Gostar

  41. tric0001 permalink
    5 Janeiro, 2014 23:32

    Gostar

  42. javitudo permalink
    6 Janeiro, 2014 00:16

    É verdade, Valente, estão mais interessados em “boutades” e no deixa andar.
    Grande parte das pessoas tratam da sua vidinha, passam a vida a baldar-se, o grande desporto nacional que nos faz perder sempre.
    Vá lá que a vitória moral vai sempre para sindicalistas, dinossauros ferrugentos e vetustos anciãos em desiquilíbrio, os únicos que batalham pelo bem do “seu” povo e das suas fundações.
    A procissão continua mas a fila fica à mingua.
    “Que mais nos haverá de nos acontecer!”.
    Não basta o temporal dos neoliberais!

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: