Skip to content

Carta aberta à família da pessoa Tolstoi

19 Setembro, 2014

Senhora Doutora Inês Pedrosa,

Foi com extremo gosto que deslindei o novelo épico que compõe a V. prosa através da resposta objectiva e linearmente esclarecedora de Maria João Nogueira, deveras surpreendente pelo afã rigoroso perante o V. texto original, uma verdadeira ode ao surrealismo inerente ao heroísmo das criaturas que padecem de limitações cognitivas semelhantes às de V. Excelência.

Neste contexto, e usando, se me é permitido, da lisura imensurável do terreno cultural que V. Excelência possui, venho, desta singela forma, urgir para que V. Excelência se dedique, efectivamente e sem demoras, à hercúlea provação que será a escrita de um “Guerra e Paz” português, em prol do bem comum da urbanidade lusitana, e obra que, como Deus sabe, só V. Excelência poderá almejar acometer através das V. extraordinárias capacidades e refinadas pulcritudes de edificação literária. Se V. me permite a mera sugestão cerimoniosa, e tratando o original de Tolstoi de invasões napoleónicas à querida mãe Rússia, poderia, eventualmente, V. Excelência, se assim o entender, e se pretender regalar este vulgar súbdito, baptizar o magno florilégio como “Em ti vejo o rio Volga”, ou ainda, num plano mais epistemológico, “Fica comigo esta noite, alucinação” ou “Fazes-me falta, juízo”.

Com o mais abnegado servilismo, me subscrevo,

Atentamente,

VC

Advertisements
20 comentários leave one →
  1. vortex permalink
    19 Setembro, 2014 14:20

    nada mais saloio que a saloiada que usa os ‘nomes artísticos´
    de sr dr, sr prof dr, meritissimo juiz de direito

    as ditas cujas precisam duma catharsis para se deixarem da mimesis habitual

    podem instalar um antro sibilino

    Gostar

  2. 19 Setembro, 2014 14:22

    MUHAHAHAHAHAHA!!!
    Onde está o botão de “like”????
    O único problema deste post é possivelmente ver perdida a ironia ao ser lido pelo alvo, pois não sei se as “extraordinárias capacidades e refinadas pulcritudes de edificação literária” da ilustre plumitiva serão suficientes para a digerir.

    Gostar

  3. 19 Setembro, 2014 14:35

    Grande resposta a da Jonas

    Gostar

  4. manuel permalink
    19 Setembro, 2014 14:43

    Pois ,alimentou-se o monstro e ele agora quer comer tudo . A seguir vem o ministro verde com a neutralidade fiscal ! Até o Costa que ainda não é 1º ministro e já fala com a linguagem deste governo ,quer uma taxa turística. Essa Inês tem estado à manjedoura do estado e agora a ração está a faltar ,bem a compreendo.

    Gostar

  5. Pipo permalink
    19 Setembro, 2014 14:59

    O último livro da Sra. Pedrosa é de 2012.
    Neste ano irá publicar alguma coisa?

    Gostar

  6. joao lopes permalink
    19 Setembro, 2014 15:46

    tenho um cd dos pink floyd e gravei uma cópia para ouvir no carro.acabei de roubar os pink floyd,malditos sejam…

    Gostar

  7. PiErre permalink
    19 Setembro, 2014 15:50

    Inês Pedrosa? Tenho “ouvisto” falar mas não sei quem é nem o que faz.
    Nem quero saber.

    Gostar

  8. Green Lantern permalink
    19 Setembro, 2014 16:05

    Eu tenho um comentário um pouco louco mas cá vai e se os artistas vivessem das obras que criam?

    A senhora Pedrosa (que não me faz falta) alega que toda a gente deve pagar o trabalho dos mecanicos, advogados enfim de qualquer pessoa que preste um serviço, e tem toda a razão.

    Sucede que esses profissionais vivem dos clientes que lhes pagam em troca do serviço o que é justo, só paga quem quer. Quando alguns desses prestadores de serviços não têm clientes o que devem fazer? Ou tentam angariar mais clientes ou deixam de trabalhar e mudam actividade.

    Ora, através do fantástico pensamento superior da senhora Pedrosa há uma terceira via, qualquer profissão/actividade deve escolher um sector, como as telecomunicações ou a electricidade ou até os transportes e taxa-lo de forma a subsidiar o seu trabalho.

    Os mecanicos poderiam taxar a venda de veiculos pois é com o seu trabalho que eles são reparados, os advogados poderiam taxar a industria do papel pois usam muito, o céu é o limite e a solidariedade é interminavel.

    Gostar

    • Tiradentes permalink
      20 Setembro, 2014 10:02

      e as canetas também podem copiar hahhahaha

      Gostar

    • Tiradentes permalink
      20 Setembro, 2014 10:07

      e muitos “jornalistas” e fazedores de opinião, deviam à cabeça pagar uma taxa sobre o disparate ( a que tem direito) taxa essa paga à cabeça quando assumissem tais “funções”, que seria agravada cada vez que a repetissem e pelo grau.

      Gostar

  9. manuel permalink
    19 Setembro, 2014 16:16

    A culpa é toda deste governo que anda em campanha eleitoral e faz o que critica ao Costa ,lamber o rabo aos artistas.

    Gostar

  10. filipe duque permalink
    19 Setembro, 2014 17:09

    Inês Pedrosa é uma atrasada mental certificável, mesmo que as provas não abundassem há muito este texto bastaria. Credito-lhe a inteligência interesseira de se posicionar como acha que lhe convém no momento, com referência elogiosa e até foto do tutelar governamental (faz-me supor que não compareceu à entronização cultural do Costa). Mas não é esta dita e pelos vistos reconhecida escritora capaz de desencantar melhores argumentos que um conjunto de imbecilidades e infantilidades (sem ofensa para as crianças)? A causa é indefensável de qualquer ponto de vista realista (mas a taxa avança…), mas para quê submeter as pessoas a este chorrilho de disparates?

    Gostar

  11. 19 Setembro, 2014 17:45

    Não vale a pena baterem mais no ceguinho.
    Os “artistas” estão a vender pouco.
    Precisam de dinheiro porque o pão está cada vez mais caro.
    O povo tem dinheiro.
    Logo é ao povo que se deve ir buscar o dinheiro.
    A fórmula não interessa para nada, é esta podia ser outra qualquer desde que o povinho não possa fugir à taxa.

    Gostar

  12. anónimo permalink
    19 Setembro, 2014 18:45

    É abrir uma loja em Rosal de la Frontera, que do lado de cá se almoça muito bem. E mandá-los alimparem-se com o texto da lei.

    Gostar

  13. colono permalink
    19 Setembro, 2014 20:01

    Sou inculto ( de cultura só percebo a do café em Àfrica) e como tal pergunto:

    — Uma vez que os” advogados , médicos e carpinteiros” são pagos”pelo seu trabalho,, se eu por intermedio da Internet ,num site ” FAÇA VOCÊ MESMO”, conseguir fazer um banco ( assento!) os carpinteiros receberão algo??
    “Com o mais obrigado servilismo agradeço ao Exmº. VC o obséquio do esclarecimento”
    M/C

    Gostar

  14. Carlos Dias permalink
    19 Setembro, 2014 21:56

    Ah, o respeito. ..
    O respeito conquista-se pelo que fazemos, não por taxas sobre chips.
    Nem pelo preço dos gravadores.
    A dona senhora devia ter vergonha pela triste figura que faz.
    Burocratas da arte?
    Vão fazer lobi para outro lado
    Por outras palavras, não queiram ganhar na secretaria.

    Gostar

  15. Carlos Dias permalink
    19 Setembro, 2014 21:58

    Se a concorrência dos artistas portugueses são os videos dos gatinhos do YouTube estamos conversados.

    Gostar

  16. Portela Menos 1 permalink
    20 Setembro, 2014 00:31

    que chatice 🙂

    Gostar

  17. Chico permalink
    21 Setembro, 2014 05:14

    Pagar pela prosa da Pedregosa é justo, na medida em que é uma forma de ser punido pelo mau gosto e pelo mau exemplo.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: