Skip to content

Offshores, a última conquista de Abril

2 Maio, 2016

Tema do meu artigo de hoje no Observador: as multinacionais, a deslocalizaçãom os intermediários, os grandes grupos económicos, a ausência de grandes grupos económicos. as empresas de vão de escada e a exploração do homem pelo homemas multinacionais, a deslocalizaçãom os intermediários, os grandes grupos económicos, a ausência de grandes grupos económicos. as empresas de vão de escada e a exploração do homem pelo homem são alguns dos inimigos úteis que temos combatido ao longo das ultimas décadas.Chegou agora a vez dos offshores. Qualquer outra coisa se seguirá porque, ironias de Abril, há quarenta e dois anos, em 1974, nem empresários nem políticos tinham dinheiro fora de Portugal. Em 2016, os portugueses confiam no regime que têm mas as suas elites não acreditam no país q.b. para lhe entregar o seu dinheiro

 

 

Advertisements
23 comentários leave one →
  1. 2 Maio, 2016 01:34

    Sempre brilhante. deus lhe dê muita genica para ficar por cá a escrever como aqui ,muitos anos.

    Liked by 2 people

  2. dora permalink
    2 Maio, 2016 01:39

    Esta Helena Matos não tem limites “(…) em 1974, nem empresários nem políticos tinham dinheiro fora de Portugal. Em 2016, os portugueses confiam no regime que têm mas as suas elites não acreditam no país q.b. para lhe entregar o seu dinheiro.” Isto é dum cinismo atroz. Helena Matos sabe muito bem elencar todas as reivindicações de esquerda, o que não deixa de ser interessante.

    Gostar

  3. ali kath permalink
    2 Maio, 2016 09:54

    ‘longe do costa’monhé
    ‘dinheiro prevenido vale por 2’

    Gostar

  4. Manuel permalink
    2 Maio, 2016 10:46

    Excelente.

    Gostar

  5. procópio permalink
    2 Maio, 2016 11:29

    O primeiro offshore foi Moscovo em 1936

    O governo republicano, temeroso de que as reservas nacionais de ouro pudessem cair nas mãos dos rebeldes nacionalistas do General Franco, que assediavam Madrid, resolvera proteger o tesouro espanhol confiando-o à “salvaguarda” de Josef Stalin, ditador da Rússia, na época incensado como “guia genial dos povos” pela esquerda bolchevista.

    A transferência do ouro e da prata dos cofres do Banco de Espanha foi ordenada por um decreto secreto de 13 de setembro de 1936, firmado pelo Presidente Manuel Azaña e pelo Ministro da Fazenda Juan Negrín.

    Stalin não se fez de rogado, e imediatamente acionou o serviço secreto comunista para providenciar a transferência, antevendo a chance de engordar o tesouro moscovita com 725 toneladas de ouro espanhol. O agente Orlov, com a colaboração do governo republicano, desencadeou a operação. O ouro achava-se guardado em Cartagena, porto mediterrâneo, em paióis de munição subterrâneos da Marinha, acondicionado em mais de 10.000 caixas, cada qual contendo 65 quilos do precioso metal. Por isso foi necessária a participação de outra autoridade espanhola, o Ministro da Marinha e da Aeronáutica, Indalécio Prieto.

    Decidiu-se que a preciosa mercadoria seria despachada em cargueiros russos, que seriam escoltados por navios de guerra espanhóis, até o porto soviético de Odessa, no Mar Negro. O tempo urgia, pois se a notícia transpirasse o comboio seria fatalmente interceptado pela Alemanha ou Itália fascistas, aliadas de Franco.

    Orlov requisitou todos os navios russos que chegavam a Cartagena trazendo material bélico para os republicanos, bem como a equipagem de uma brigada de tanques soviéticos, desembarcada duas semanas antes, comandada pelo Coronel S. Krivoshein. Este providenciou vinte caminhões militares, dirigidos por tanquistas russos disfarçados de soldados espanhóis, que passaram a efetuar o traslado das caixas durante a noite, entre o depósito e o porto, num trajeto de duas horas. O carregamento dos caminhões era efetuado por sessenta marinheiros espanhóis.

    A operação durou três noites, do ocaso ao amanhecer, fazendo-se inteiramente no escuro, devido ao blecaute imposto pelos bombardeios alemães. Malgrado estes, que chegaram a atingir um navio espanhol atracado ao lado dos cargueiros russos, o carregamento do ouro foi completado com sucesso, e quatro embarcações soviéticas zarparam para Odessa, levando nos porões o tesouro acumulado, durante séculos, pela nação espanhola.

    Pouco antes da partida, um dirigente do Tesouro espanhol exigiu de Orlov o recibo de 7.800 caixas de ouro que este declarava haver embarcado, mas o agente russo, obedecendo às matreiras ordens de Stalin, disse não estar autorizado a fornecê-lo, sugerindo-lhe que mandasse um representante do Tesouro acompanhar a carga, a bordo de cada um dos quatro navios. E assim foi feito. Quando chegou a Odessa, o ouro foi desembarcado por um exército de agentes da NKVD, disfarçados de estivadores, e imediatamente despachado por trem para Moscou. Tanto o porto quanto a ferrovia foram isolados por tropas especiais.

    Assim que viu o tesouro trancado nos cofres russos, Stalin ofereceu uma grande festa aos chefes do partido e aos dirigentes da NKVD, para comemorar o êxito do golpe. O ditador estava exultante com a façanha, que certamente lhe despertou lembranças dos tempos em que assaltava bancos para angariar fundos para a causa comunista. Nikolai Yejov, chefe da NKVD, ouviu-o declarar: “Nunca mais verão esse ouro, como não vêem as próprias orelhas”.
    O ouro, à época no valor de 600 milhões de dólares (hoje valeria mais de cinco bilhões) jamais voltou.

    Gostar

  6. licas permalink
    2 Maio, 2016 11:47

    _________E de onde se vê a quais façanhas estão dispostos
    os adoradores de Stalin, vulgo militantes do Partido Comunista “Português” . . .

    Gostar

  7. licas permalink
    2 Maio, 2016 11:51

    procópio PERMALINK
    2 Maio, 2016 11:29

    “Nunca mais verão esse ouro, como não vêem as próprias orelhas”.

    De onde se prova que em 1936 _______________
    __________________________não existiam espelhos na URSS. . .

    Gostar

  8. castanheira antigo permalink
    2 Maio, 2016 13:10

    Este “post” toca exactamente na ferida . Falta de confiança , em quem nos tem governado e em quem nos governa . O blá , blá do politicamente correcto não nos diz absolutamente nada. Diria se colocassem o dinheiro onde colocam a boca , o que não se passa .A riqueza , aqui , á mão de semear dos políticos , não está segura , porque eles se precisarem dela para ganhar votos deitam-lhe a mão seguramente , mesmo que tenham sido pagos todos os impostos devidos.
    Se juntarmos essa falta de confiança , aos impostos altíssimos e à selvajaria que norteia a cobrança de impostos a torto e a direito ( Se ganhas dá cá os lucros e se perdes dá também algum , excepto banqueiros) , explica o porquê da economia não arrancar num horizonte temporal admissível.

    Gostar

  9. procópio permalink
    2 Maio, 2016 14:34

    Licas, os comunas detestam espelhos. Nos espelhos perdem a sua face.
    Quando são forçados a olhar para o espelho angustiam-se.
    Vivem então momentos excruciantes, obrigados a enfrentar as suas patranhas.
    Optam por partir o espelho violentamente e acusar que lho pôs na frente.
    Acontece frequentemente neste blog com os personagens habituais.
    Apoiantes de tiranias responsáveis pelo assassinato de milhões de pessoas têm o descaro de falar nos mais desfavorecidos como se algum dia os defendessem. “O nosso povo”.
    Quem não concorda com eles é fássista. Para os isis são os hereges.
    Conquistassem o poder, seu único objetivo, a imprensa livre era agrilhoada e blogs como este eliminados num repente.

    Gostar

  10. anticorrupção permalink
    2 Maio, 2016 15:00

    A Dívida Pública Portuguesa já começou a subir.
    Começou o fim do Costa?
    O Grande Negociador vai cair e arrastar consigo toda a Esquerdaria?
    Ou ainda vai demorar?
    Será melhor que leve outra vez Portugal à bancarrota?
    Será que só assim a maioria dos portugueses se convencem que a Esquerda os leva à ruína?
    Será que é preferível que Portugal tenha que chamar outra vez a Troica porque sempre é gente de fora que passa a mandar?
    Será que a maioria dos portugueses não gosta de ser mandada por compatriotas e só obedece a estrangeiros, razão porque em Portugal não são bons trabalhadores e lá fora são dos melhores do Mundo?

    Gostar

  11. Arlindo da Costa permalink
    2 Maio, 2016 15:38

    Já dizia o Dr. Rui Vilar, penso que um ex-Ministro das Finanças e Governador do Banco de Portugal, «as elites portuguesas não estão ao nível do povo português».
    De facto essas pretensas elites – financeiras, empresariais, políticas e até culturais – não passam de lupén, ou seja : ESCÓRIA!

    Gostar

  12. licas permalink
    2 Maio, 2016 16:18

    Camaleão

    Diz-se que existe um bicho
    De seu nome camaleão
    Ser dono de um capricho
    Veigarice de Simão:
    Camuflar-se com o ramo
    Onde pendurou seu amo.

    Pode ele variar
    Que não importa ao meco
    Vai desde o Salazar
    Ao Xuxalismo mabeco:
    Interessa levar o tacho
    Quiçá no olho de baixo.

    Pudor é para o vulgar
    Não p´ra gente importante
    Quem se quiser elevar
    Não terá esse talante:
    Viva a nobre hipocrisia
    Tudo em paz e alegria.

    licas fecit

    Gostar

  13. Colono permalink
    2 Maio, 2016 17:02

    O Banco de Portugal anuncia (hoje) um aumento da divida publica para 233 mm..

    Mais uma boa razão para eu deixar o “meu” bem guardadinho numa do Panama -Paper!

    Não andei a gamar em Africa 49 anos para dar o ouro / diamantes e café ao monhé!
    Lagarto, Lagarto…..

    Gostar

  14. castanheira antigo permalink
    2 Maio, 2016 17:40

    Colono,
    Se andaste a gamar , e como ladrão que rouba a ladrão tem 100 anos de perdão …
    O mal está em roubar as poupanças , muitas ou poucas dos que trabalharam arduamente e dos que ingenuamente tentam trabalhar , porque esses também vão no arrastão dos que como tu o merecem.

    Gostar

    • 2 Maio, 2016 18:53

      oh caraxxx mais um Q se filiou no pcp …

      Gostar

    • Colono permalink
      2 Maio, 2016 23:45

      Camarada Castanheira

      Eu não vou de arrastão…. o meu está em bom recato! Não esqueças camarada: – Foi o “nosso” roubo que te deu de comer … como agora é a UE. Pena não ter-mos roubado mais!

      Aprende História!

      Gostar

      • castanheira antigo permalink
        3 Maio, 2016 09:17

        Colono,
        não tenho a tua visão tão estereotipada . Reconheço que vivemos em socialismo ou proto-comunismo ou neo-comunismo como se queira chamar-lhe . Não é o trabalho árduo ou o mérito que são compensados neste regime . Vejam-se os idiotas úteis deste regime crony-capitalista que campeam nestes comentarios .

        Gostar

  15. licas permalink
    2 Maio, 2016 19:11

    Os “missionários leigos” sempre embirraram com a liberdade.
    Veja-se Sócrates quando 1º Ministro investindo com os midia.
    E veja Procópio, agora, o que ele não vociferaria, se lhe pusessem um freio
    na diarreia verbal que nós todos temos de padecer. . . era o bom e o bonito!
    Agora está apenas exercendo o seu direito de defender-se . . . tentar constranger a Justiça? nem sombras!

    .

    Gostar

  16. licas permalink
    3 Maio, 2016 00:09

    Será?

    Cresceu mais de sete vezes
    A fortuna da Cristina
    Novo milagre dos “pezes”
    Coisa que não se atina
    Treze anos decorridos:
    Deixa-nos estarrecidos.

    Com o dinheiro do Povo,
    Seria a fonte essa,
    Temos corrupção de novo?
    Preciso que se esclareça:
    Passa-se n´Argentina
    Este saque em rotina.

    Com Presidência de fora.
    Vamos a ver se a Justiça
    Não s´acobarda agora
    Com os berros da castiça.
    Viu-se coisa semelhante
    Em casos de tal montante.

    licas fecit

    Gostar

  17. 3 Maio, 2016 10:28

    “há quarenta e dois anos, em 1974, nem empresários nem políticos tinham dinheiro fora de Portugal”

    Como é que sabe?

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: