Skip to content

A nomenklatura bate o dente

1 Junho, 2016

A discussão sobre se o fascismo tem raízes marxistas é extremamente interessante. Não pelo conteúdo, claro; é interessante porque mostra o brutal esforço das modernas forças de esquerda para assegurar que o marxismo é uma coisa boa, pura, que não pode estar associada assim à tosco com coisas más como o fascismo.

Valeu mesmo a pena ver a nomenklatura a tremer, ainda por cima por causa de um artigo de opinião de um escritor de ficção.

Anúncios
37 comentários leave one →
  1. lucklucky permalink
    1 Junho, 2016 22:36

    Au contraire! o conteudo é que é interessante. permite entender o Sec.XX, o Presente e o Futuro.

    Qualquer pessoa que queria entender o Mundo, porque é como é, o melhor que tem a fazer é estudar a história politica da Itália. Está lá tudo. mas ir aos detalhes não ficar pelo genérico.

    Lá verá como muitos Socialistas e Comunistas se tornaram Fascistas.
    Como um dos fundadores do Partido Comunista Italiano , socialista, foi assassinado com Mussolini. Nicola Bombacci.

    Na famosa foto do Mussolini pendurado com a sua amante nunca dizem que também está lá um fundaor do Partido Comunista Italiano , e amigo de Lenine, também amigo de Mussolini .

    Perceber como a doutrina Fascista nasceu do Socialismo de Mussolini, de como Hegel e Marx influenciaram Giovanni Gentile e o próprio Mussolini. Como por exemplo a Carta del Lavoro e as reformas da educação só poderia ter nascido daí.

    Quem percebe que o Fascismo só foi possível com o Marxismo percebe também que o Comunismo não é Marxismo é só uma outra das suas criações.

    Qualquer delas com o objectvo de coartar. limitar o individuo. Prende-lo num grupo.

    Liked by 2 people

    • 1 Junho, 2016 22:39

      Luck- leve esse debate ao Portadaloja. Parece-me bem pertinente.

      Gostar

      • lucklucky permalink
        1 Junho, 2016 22:45

        Não, a Porta da Loja quer registo no Google.

        Gostar

      • 1 Junho, 2016 22:52

        So, what? qualquer IP fica registado sem precisar de criar conta no Google com um nick qualquer.

        Aqui no WP até se recebe directamente o IP de toda a gente que comenta. No blogger, não. Apenas fica o google, como fica com todos.

        Gostar

    • lucklucky permalink
      1 Junho, 2016 22:41

      Hoje o Marxismo cria o Politicamente Correcto outra tentiva de prender pessoas em grupos. Raciais, Sexuais etc…

      Liked by 2 people

    • 1 Junho, 2016 22:41

      Eu não digo que o debate é irrelevante (bem, até digo, já está tudo mais que entendido), digo que este debate em torno das declarações de um escritor são sintomáticas dos maluquinhos que se apressam a tentar demarcar daquilo.

      Liked by 2 people

      • 1 Junho, 2016 22:53

        Claro que sim. Mas nem reparei nisso porque já não consigo ler nada dessa gente.

        Gostar

      • lucklucky permalink
        1 Junho, 2016 22:54

        Nada está para sempre entendido, esse é o maior erro dos não marxistas.

        As gerações mudam, as pessoas sofrem lavagens cerebrais devido ao jornalismo marxista e mudam porque todos ao lado delas passam a dizer que o xyz é bom.

        Liked by 2 people

      • 1 Junho, 2016 22:56

        De acordo, mas isso já não é um debate, é recordar factos.

        Gostar

      • lucklucky permalink
        2 Junho, 2016 00:18

        Continua a ser um debate. Porque será inevitável uma re-discussão.

        Liked by 1 person

    • 1 Junho, 2016 22:44

      No Observador, é hoje publicado um artigo de opinião de Alexandre Franco de Sá que fala exactamente nisso.

      http://observador.pt/opiniao/fascismo-e-quando-a-esquerda-quiser/

      Gostar

      • lucklucky permalink
        1 Junho, 2016 23:49

        Esperaria-se que o autor discutisse se o Fascismo poderia existir doutrinariamente sem o Marxismo, não o fez. Limita-se a dar mais na cabeça do Rodrigues dos Santos.

        Não referiu o travão conservador que a Monarquia e em menor grau o Vaticano foram ao Fascismo. Também não caracterizou a evolução do Fascismo.

        O Fascismo nunca existiu sem contrapoder, nunca foi um Ditadura Totalitária como o Nazismo ou o Comunismo. Na Itália Fascista existia acima do Duce o Rei. Era uma Monarquia.

        Não discutiu a prática Governativa de Mussolini vs a doutrina e tendências Fascistas. Que com o tempo acabou a ser um melting pot onde cabiam todos de comunistas, socialistas e a eugenistas e racistas e até com alguns liberais.Aqui o autor está bem ao referir a variedade no Fascismo.

        Giovanni Gentile por exemplo estava contra a Concordata com o Vaticano e só aceitava crucifixos nas salas de aula a contragosto.

        Depois meteu a Alemanha Nazi ao barulho quando havia muito mais para dizer e escrever sobre o Fascismo. Da quantidade de socialistas e comunistas que se aproximaram do Fascismo, falar dos programas do Fascismo e como estes aproximavam e iam de encontro às ideias Socialistas e Marxistas.

        Como o Fascismo sobre controlo dos Nazis na Republica Social Italiana virou à Esquerda em que existiam discussões sobre a co-propriedade de empresas pelos trabalhadores.

        Um livro que ainda não comprei mas está na lista La Sinistra Fascista:
        http://www.ibs.it/code/9788815127051/parlato-giuseppe/sinistra-fascista-storia.html

        Liked by 2 people

  2. Filipe Costa permalink
    1 Junho, 2016 22:45

    Alemanha Nazi e URSS comuna fizeram pactos, até a Polónia dividiram a meio.

    Liked by 2 people

    • lucklucky permalink
      1 Junho, 2016 23:25

      O Ocidente também se aliou à URSS e isso não quer dizer que sejam Comunistas.

      A Alemanha Nazi não segue a doutrina Fascista. A Alemanha Nazi era racista enquanto o Fascismo Italiano era neutral – os cidadãos da Líbia foram todos tornados cidadãos Italianos .Era “la quarta sponda”- A quarta margem de Itália.

      Isto até Mussolini ter decidido ser influenciado pelo poder de Hitler.
      Mesmo durante a Segunda Guerra a Itália Fascista perseguiu menos os Judeus que alguns países “Aliados” como a França.
      Teóricos do Fascismo com Giovanni Gentile, históricos e famosos como Italo Balbo fizeram questão de protestar e desobedecer ás regras de Mussolini. Assim como o Regio Esercito.

      E nunca no Nazismo um dos expoentes da Arquitectura do regime diria coisas como esta:
      “Nunca uma pedra foi colocada sem me embrenhar primeiro com o espírito do local”

      https://en.wikipedia.org/wiki/Florestano_Di_Fausto

      ———

      A Italia Fascista forneceu navios, armas navais à Marinha Soviética e navios patrulha para o NKVD. Toda a Marinha Soviética da Segunda Grande Guerra era fortemente influenciada pela Regia Marina.
      Um dos cruzadores da marinha Soviética recebeu até a propulsão destinada a um dos cruzadores da marinha Italiana.

      E antes a Itália Fascista com Mussolini a Presidente do Concelho também foi o primeiro país Ocidental com alguma dimensão estratégica a reconhecer diplomaticamente a URSS.

      Liked by 1 person

    • ingenuo permalink
      2 Junho, 2016 10:22

      Só?

      E os recursos naturais fornecidos pela URSS à Alemanha em troca dos motores e do equipamento técnico?

      E as manobras militares em conjunto durante a década de 30?

      E a negociações antes de 1941 para a URSS juntar-se ao Eixo?

      Enfim. No final, se não fosse a estupidez do Adolfo em atacar o Josef… bem fdd’s estávamos.

      Gostar

  3. A. R permalink
    1 Junho, 2016 23:08

    A realidade sempre atormentou a esquerda

    Liked by 1 person

  4. licas permalink
    1 Junho, 2016 23:20

    Há um exemplo muito fácil de ilustrar o Social-Fascismo:
    Percam algumas horas no exame dos discursos de Maduro.
    Lá encontrarão “chapadinha”, sem qualquer dificuldade, o trinómio
    Deus, Pátria, Família . . . “That´s so”.

    Liked by 1 person

  5. manuel branco permalink
    1 Junho, 2016 23:44

    tem ernst nolte e François furet, não precisa de ir buscar locutores da rádio e tv

    Gostar

  6. procópio permalink
    1 Junho, 2016 23:46

    Tal como nos últimos tempos do hitlerismo, quando tudo estava perdido, a nomenklatura treme por dentro e arrota para fora. O problema não é só a nomenclatura. Por detrás estão as famiglias e os seus gangs protegidos pela “omertá”, pelos merdia, todos ligados pelo sumo das offshores.
    O ddt, enquanto o deixaram, traçava o caminho. Nem os mais finos na estranja o toparam, ou quizeram intervir. O seu principal homem de mão na parvónia arrasou os bancos, a cgd e a economia em geral enquanto rezava na capela.
    Quem não mexeu um dedo antes, não o fará agora.
    O celinho representa a Cúpula que os nossos olhos não alcançam. Fica longe.
    Questionado se é provável que venha a haver um orçamento retificativo, respondeu: “Acho que, se for necessário, faz-se. Faz parte da vida, não tem drama nenhum”. Vem o kosta e atira no seu português manhoso:
    “Vejo com satisfação que a senhora Merkel confortou o Presidente da República naquilo que tem sido a mensagem que o Governo tem transmitido ao senhor presidente da República…”
    Faz tudo parte do mesmo naipe. Nós apanharemos as sobras se as houver. Ninguém nos vai confortar, nem a nós nem aos pacóvios que vão sempre no engano.
    Depois logo se vê.

    Gostar

  7. 2 Junho, 2016 00:27

    Para quem não sabe, o fundador ideológico do “fascismo”, foi um politico e ideólogo francês de nome Georges Sorel, falecido em 1922, que procurou conjugar as ideologias do marxismo e do anarquismo.
    Acabou sendo afastado pelos dois movimentos, criando um novo, inicialmente designado por marxismo nacionalista, mas sendo mais conhecido pelo nome que um seu discipulo italiano, Benito Mussonlini, lhe deu: Partido Social Fascista.
    O fascismo, na sua vertente doutrinária original, masi não era que o marxismo aplicado às condições de cada país, renegando o príncipio do internacionalismo, mas defendendo todos os restantes principios marxistas.

    Liked by 1 person

  8. licas permalink
    2 Junho, 2016 00:28

    Há “mar” e “mar”, há só afundar,
    (“celinho” , agora apanhei
    Procópio, ok!)
    A Crise?
    Monto minha vaca voadora
    Empunho a lança,
    Vou-me a ela,
    E dá um estoiro!
    Tal como Santiago fazia ao moiro.

    Gostar

  9. lucklucky permalink
    2 Junho, 2016 00:44

    A viragem à esquerda do Fascismo durante a Republica Social Italiana, assim que desapareceu o poder conservador da Monarquia – ficou no Sul com os Aliados-

    https://it.wikipedia.org/wiki/Socializzazione_dell'economia

    Il termine venne coniato nel 1943 per indicare una dottrina economica concepita dal fascismo all’interno del sistema economico corporativista della Repubblica Sociale Italiana, ma i prodromi vanno individuati nella Carta del Carnaro promulgata a Fiume nel 1920 e nella Carta del Lavoro del 1927. La socializzazione fascista avrebbe dovuto costituire, nelle intenzioni dei suoi proponenti, la “terza via” nei confronti dei due maggiori sistemi economici del Novecento: il capitalismo ed il bolscevismo, sia per quanto riguarda l’economia che per i suoi riflessi sul piano sociale. Prese parte al suo sviluppo anche l’ex comunista Nicola Bombacci (caro amico di Benito Mussolini) che contribuì a quest’opera riprendendo, tra l’altro, le teorie dell’anarchico ucraino Nestor Ivanovyč Machno, dal fabianesimo e dal distributismo geselliano. Amico di vecchia data di Benito Mussolini, nonché condivisore degli ideali socialisti del Fascismo, Nicola Bombacci collaborò a questa politica economica della Repubblica Sociale Italiana senza tuttavia rinnegare i propri ideali comunisti, ma sforzandosi di farli collimare con la politica sociale fascista.

    A Socialização da Empresa:

    “La base della socializzazione è la totale assenza di lavoro dipendente, ovvero: ogni entità produttiva appartiene in egual misura a tutti i suoi lavoratori, senza più padroni né dipendenti. Ciò a differenza del capitalismo, dove un’entità produttiva è di proprietà di una persona o di una società di persone, anche estranee alla produzione, mentre la produzione è affidata a lavoratori dipendenti.”

    Liked by 2 people

  10. licas permalink
    2 Junho, 2016 01:10

    Onde está a admiração
    De uma vaca voar?
    É pô-la num avião
    E chutá-la p´ra o ar . . .
    ´té pode ser a roseta
    Que para isso tem cheta.

    Gostar

  11. 2 Junho, 2016 01:58

    A “matéria” analisada neste post interessa nadinha à vastíssima maioria dos tugas. Nem sabem o mínimo de História internacional acerca.
    Assim sendo, amanhã parece que há mais futebol da selecção “de todos nós”, no dia 8 mais futebol da selecção “de nós todos”, a partir do dia 11 o Euro com o PR Marcello em Paris a massajar o ego dos jogadores e de “todos” os tugas, depois se a coisa correr bem vai lá o Ferro-da-ARepública dar abarcinho e para culminar a overdose, o AC-DC, claro !
    A seguir, começa o frenético e histérico período das transferências de jogadores.
    E eis a apresentação dos plantéis. Mais jogos, Mourinho, Ronaldo, mais overdoses.
    Inicia-se o campeonato. É isso que interessa aos tugas — “não há crise”. Um país “no bom caminho”.

    Liked by 1 person

  12. Arlindo da Costa permalink
    2 Junho, 2016 02:22

    O mundo a mudar à velocidade da luz, quer na América, no Índico e no Pacífico, e estes taroucos da Lusitana Praia a debater ideologias do tempo dos afonsinhos…

    Vocês não têm ligação à internet? Que mundo onde viveis?

    Gostar

  13. Tiradentes permalink
    2 Junho, 2016 08:33

    Claro pá , história pensamento filosófico, politico (arriscaria até todas as ciências) são coisa dos afonsinhos.
    A vida começou na internet do futuro.
    A questão é que se haveria internet sem os afonsinhos.
    Mas a camionete já é pequena demais para tanta areia.

    Gostar

  14. 2 Junho, 2016 09:55

    Chamado à colação e como sou leitor deste blog direi o seguinte:

    A discussão interessa-me porque é a essência do nosso problema ideológico de sempre. A confusão de conceitos entre o nosso fassismo que não é fascismo algum mas algo indefinido que acho ficar bem designado por fassismo ( como diz o Domingos Abrantes, um fóssil comunista entre os demais) é propositada entre a Esquerda e a intelectualidade dominante nos media. Esse problema tem 40 anos ou um pouco mais uma vez que vem de alguns anos antes de 25 de Abril de 1974.

    Eduardo Lourenço num artigo no Expresso dos anos noventa ou por aí ( um dia destes publico) diz claramente que a Esquerda e a intelligentsia correspondente foram dominantes estes anos todos em Portugal. E esse é o problema a que os novos intelectuais académicos como o autor do artigo do Observador, professor na Universidade de Coimbra, parecem não se darem conta.

    Esse, para mim, é que é o problema principal: o domínio no espaço mediático quase total de uma Esquerda que é de pensamento quase único porque comunga da categorização do Portugal de Salazar e Caetano como sendo fascista, tout court quando realmente o não foi. Nunca foi, visto do prisma intelectual que agora parece despontar nesta discussão.

    Mas pouca gente se atreve a proclamar claramente que o rei vai nu e a denunciar quem falsifica e simplifica conceitos como o fito de aproveitar a opinião pública e diabolizar uma direita mítica que nem existe em Portugal de modo visível.

    O que acho graça nisto tudo é que o poviléu de sempre quando é chamado a pronunciar-se sobre o Estado Novo ainda acha que afinal teve mais coisas boas que más. E isso num estudo académico da Nova, recente e que o Público escondeu numa página interior…

    Liked by 2 people

    • 2 Junho, 2016 10:01

      O problema português é húbris, o pré-requisito para a mediocridade que permite que a testosterona seja considerada uma doença a tratar.

      Gostar

  15. campus permalink
    2 Junho, 2016 10:26

    Não percebo tanta admiração com a tese apresentada por JRS. Afinal ele só disse que o rei vai nu. Claro que não dá jeito dizer que o projeto comunista e o projeto fascista são irmãos ideológicos.
    Alguns exemplos comuns dessas ideologias políticas : Ditadura férrea com censura, repressão, culto da personalidade, nacionalismo, partido único, prisioneiros politicos, racismo, militarismo, nacionalizações, fanatismo violento, etc, etc…

    Liked by 2 people

  16. ooouuuu permalink
    2 Junho, 2016 10:29

    É natural confundirem a ficção com a realidade.
    Há tantos exemplos hoje em dia.
    ……..

    Gostar

  17. PSC permalink
    2 Junho, 2016 10:35

    É pena! Estão a esquecer-se da República de Saló. Este o Verdadeiro Fascismo.

    Gostar

  18. Bolota permalink
    2 Junho, 2016 10:39

    vc,

    Há-os que dão origem a qualquer coisa ou são originarios de coisas esquesitas, mas há ainda os que nascendo de geração expontania não se identificam com nada.
    Qual é a origen da quadrilha??? Ouviu o Alvaro Pereira ontem??? Foi corrido porque nã prestava hoje é um alto cargo da OCDE que diz coisas serias e tudo.

    Gostar

    • sam permalink
      2 Junho, 2016 11:22

      A quadrilha da FENPROF, conhecemos nós a sua origem fascista. Por isso é que o Nogueira não gosta de ser comparado ao paizinho Estaline…

      Liked by 1 person

  19. procópio permalink
    2 Junho, 2016 11:50

    O primeiro rectificativo vem a seguir.
    Natural diz o celinho. Pois.
    Depois logo se vê.

    Gostar

  20. licas permalink
    3 Junho, 2016 20:16

    Uma “cadeia” de passa culpas retintamente “Socialista”:
    Messi diz que está inocente (de fuga aos impostos)_____A culpa é do papá
    ____este diz que o curador dos bens do futebolista foi designado por ele e
    foi enganado (apropriou-se de milhões e não declarou ao Governo.

    Gostar

  21. 6 Junho, 2016 08:24

    Excelente.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: