Skip to content

Oxfamintos de atenção

16 Janeiro, 2017

Um certo dia, o engenheiro José Sócrates e noventa e nove pessoas que recebem exactamente dez salários mínimos nacionais por mês entraram num bar. Rapidamente constaram que 1% dos presentes tinha fortuna superior a pelo menos metade dos mais pobres. Vai daí, escreveram um relatório que há-de ser propagado pelas redacções dos jornais como se tivesse algum significado.

Advertisements
12 comentários leave one →
  1. Rocco permalink
    16 Janeiro, 2017 21:52

    O pessoal da cu-municação é mesmo muito parvo.

    Gostar

  2. 16 Janeiro, 2017 21:56

    eheheh quando li a treta lembrei-me logo do VC que apanha bem estas estatísticas e descobertas “cieníficas” inventadas entre meia dúzia de palermas.

    Gostar

  3. 16 Janeiro, 2017 22:10

    Nao sei se ria, se chore… PedroL

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    16 Janeiro, 2017 22:17

    Exato. Durante meses personagens que óbviamente não padecem de “salário mínimo” passam horas, dias e noites -dividamente compensados- argumentando, como sendo os representantes(!) e solucionadores do problema em causa. Ele são deputados, outros políticos e ex-ditos, comentadores das várias tribos, governantes, PM e até PR.

    Quando afinal só (alguns) empresários privados e (alguns) seus empregados vivem essa causa.(*)

    Os outros só estão interessados em saber se vão buscar mais ou menos tributos para esbanjar.

    (*) O “salário mínimo” na Função Pública -quamdo existe- não é “salário mínimo” comparável com o do privado, pelos benefício que lhe estão associados.

    Liked by 2 people

  5. 17 Janeiro, 2017 00:15

    …Depende da clientela do bar. Se esse encontro for no bar da sede do P’S’ ao Rato, os 99% ficam contentes por reencontrarem o antigo chefe e empregador, nao questionam como, quando, e ate invejam a sua fortuna — e’ assim mesmo, camarada !, es um exemplo de trabalhador, os caes ladram e a caravana passa !
    E venham mais uma bejecas com as cantigas do Sergio Godinho e do Carlos do Carmo.

    Gostar

    • Baptista da Silva permalink
      17 Janeiro, 2017 09:19

      E do Fernando Tordo, por falar em Tordo, ele já (des)emigrou?

      Gostar

  6. Mauritano permalink
    17 Janeiro, 2017 08:47

    Estes relatórios permitem que quem os elabora, e que para tal tarefa é regiamente pago, se sinta muito bem consigo próprio porque apesar de não pertencer à metade mais pobre, como não está incluído no grupo dos 8, poderá continuar a fazer barulho sem necessidade de qualquer acção concreta, i. e., sem ter que desembolsar um cêntimo que seja para ajudar a metada mais pobre. Isso que faça um dos 8.

    Gostar

  7. 17 Janeiro, 2017 09:59

    Sobre o tema recomendo a leitura deste artigo do Mises Brasil: “Classificar o “Relatório da Desigualdade” da Oxfam de farsa seria pouco “.

    O link é este: http://www.mises.org.br/BlogPost.aspx?id=2292

    Gostar

  8. 17 Janeiro, 2017 10:28

    Um relatório que utiliza o conceito riqueza líquida (património menos dívida). Para o Oxfam quem tenha um empréstimo ao banco cujo valor (capital + juros + spread) seja superior ao valor da casa, passa a ter uma riqueza liquida negativa e passa a ser mais pobre que um sem abrigo.

    Imaginemos: A Maria conseguiu entrar em Harvard, conseguiu um empréstimo de 250 mil que deu euros para propinas + alojamento + despesas pessoais. Como foi uma excelente aluna conseguiu emprego numa empresa em Wall Street com um salário de 20 mil euros por mês (salário muito acima da média) para a Oxfam como a Maria tem uma dívida ao banco, passa a ser considerada mais pobre que um sem abrigo. Só para verem a fantochada deste estudo da oxfam.

    Gostar

  9. ABC permalink
    17 Janeiro, 2017 13:53

    Não é uma situação históricamente nova, em valores ajustados houve imperadores de outrora ainda mais ricos. Estes são os de agora.
    Mesmo assim, quando se diz que Warren Buffet tem 60 mil milhões, deve esclarecer-se que não é no bolso das calças, é o valor estimado de mais de 360 empresas, que empregam uns milhões de pessoas. Buffet não herdou nada, nem Gates, nem Bezos, nem Ortega – as pessoas vão à Zara de livre vontade e o homem fica rico. É mesmo fascinante que todos os nomes apontados sejam self-made mans. Exceptuando talvez Slim.
    E o que se propõe? Vamos todos à Primark? Desmantelam-se conglomerados óbviamente bem geridos e colocam-se nas mãos puras e limpas dos políticos?
    Não acho particularmente positiva esta concentração de riqueza, mas ainda ninguém apresentou alternativas credíveis, como fizeram com a Standard Oil de Rockefeller.

    Gostar

  10. Arlindo da Costa permalink
    17 Janeiro, 2017 19:45

    Qual a parte da notícia da Oxfam que o ilustre colunista não percebe?

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: