Skip to content

Os Donos Disto Tudo

13 Março, 2017

Em 2008 um terramoto financeiro abalava o Mundo: o intocável e respeitado coordenador-chefe da NASDAQ Bernie Madoff,  era acusado de mega fraude num esquema Ponzie. De ascendência judia, este talentoso corretor, percebendo a volatilidade dos mercados bolsistas, idealizou um esquema onde só haveriam ganhos sem riscos, prometendo 10% de retorno a quem investisse num Fundo de entrada limitada e exclusiva. As fortunas recebidas iam directamente para a conta pessoal de Madoff sem nunca passar pela Bolsa. Para manter as aparências construiu um escritório para servir de fachada. Noutro, escondido, funcionava o cérebro das operações fictícias em bolsa, com software para falsificar toda a documentação. Por se tratar de supostos “investimentos em Fundos de Alto Risco”, muito pouco regulamentados nos EUA, foi poupado pelo SEC – Security Exchange Comission, e andou décadas sem ser descoberto.  E mesmo quando foi fiscalizado, esqueceram-se de verificar sua inscrição no mercado bolsista. Apenas lapso? Só mesmo a queda de Wall Street com a falência dos Bancos americanos pôs fim ao embuste. Mistério… ou talvez não.

Por cá Ricardo Salgado, o nosso “Madoff”, num esquema também de fraude, enganava clientes de aplicações em depósitos a prazo, transformando-os mais tarde, sem seu conhecimento, em aplicações de fundos no  GES. Esse dinheiro serviria para financiar as empresas do grupo completamente falidas que eram usadas para lavagem de dinheiro. Bilhões em depósitos que o dono do BES usava como seus. Quando PPC e BdP precipitaram a queda do império Espírito Santo,  o embuste ficou à vista e nasceram os lesados deste banqueiro.

Mas se Bernie Madoff viu em consequência, seus bens totalmente arrestados e  vendidos, foi imediatamente preso e julgado, num ano, com uma pena de 150 anos de cadeia, o “nosso” anda aí livre como um pássaro sem grande mossa. E se há culpados, BE, PCP e PS dizem que estão no anterior executivo, ou no BdP, enquanto ou com palavras ou silêncios, estes mesmos políticos “desculpabilizam” Salgado.  E duvido que venha a ter o mesmo fim.

Porque, por cá ele não é o único Dono Disto Tudo. Foi um apenas mais um  dos DDT.  Quem nos governa, tal como Salgado, segue a mesma cartilha de apropriação do controlo absoluto do poder. Fomenta um Estado totalitário que desvia do seu caminho qualquer organismo que possa reduzir esse mesmo poder. Daí já se falar em criar um órgão de supervisão à supervisão do BdP e a redução de poderes do CFP. É a politização em curso de instituições que primam pela sua independência mas que chocam com os interesses instalados. E o Estado apesar de ser de todos os cidadãos, de nos dever transparência,  julgam-no só deles. Daí que os Donos Disto Tudo se ajudem e se sirvam uns aos outros.

Por isso, a menos que sejam forçados pelo poder judicial, jamais quererão aprofundar os dossiês da CGD e BES por estarem intimamente ligados em corrupção e tráfico de influências. Por o PS ser desde a sua fundação, financiado pelo BES. E se já foi chão que deu uvas com “as Marianas” a brilhar, hoje é um banquete de sapos vivos engolidos à força para proteger o principal DDT privado  ligado aos DTT público. No fundo são  favores em cadeia que têm de ser protegidos, escondidos do povo, porque se forem um dia revelados provocarão um terramoto político profundamente destruidor. E eles sabem-no.

Assim, resta-nos a nós lesados do Estado, não deixar morrer este assunto do banco estatal. Servir-nos da Constitucionalidade do direito ás SMS, e-mails e transparência no sector público para evocar, unidos, o dever a quem nos governa de informação sobre os 5 mil milhões de capitalização, sobre  lista dos maiores devedores, sobre os responsáveis pelas imparidades da CGD. E pressionar, pressionar, pressionar…

Porque deixar morrer o caso CGD é dar poder e permitir que os  DDT  nos façam  reféns para o resto da vida.

Advertisements
48 comentários leave one →
  1. Manuel permalink
    13 Março, 2017 14:04

    Excelente. Se nada for feito, daqui a cinco anos ou antes, repete-se tudo, os problemas são estruturais e de regime.

    Liked by 3 people

    • Cristina Miranda permalink
      13 Março, 2017 14:29

      É isso…

      Gostar

      • Cipião Numantino da Boina, anti comunofóbico. permalink
        13 Março, 2017 16:14

        ” Em 2008 um terramoto financeiro abalava o Mundo:”
        ” Excelente. Se nada for feito, daqui a cinco anos ou antes, repete-se tudo, os problemas são estruturais e de regime.”
        ” É isso…”
        A sério? O que a senhora sabe, sempre desconfiei que a crise mundial de 2008 foi culpa do Sócrates e ainda não prenderam o malandro?

        Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        13 Março, 2017 17:19

        Quem falou em Sócrates? Acalme-se. Anda a ver coisas…

        Gostar

      • Cipião Numantino da Boina, anti comunofóbico. permalink
        13 Março, 2017 19:13

        Não vejo sinto.

        Gostar

  2. JP Ribeiro permalink
    13 Março, 2017 14:09

    Denunciado em Dezembro de 2008, Madoff foi preso NO DIA SEGUINTE e JULGADO três meses depois em 12 de Março. Condenado ao maximo da pena (150 anos) em Junho, Madoff já vai no SÉTIMO ANO DE PRISÃO. Por aqui tudo na mesma, e ainda faz(em) ameaças à acusação. É preciso dizer mais?

    Liked by 1 person

  3. Juromenha permalink
    13 Março, 2017 14:21

    Por aqui , o gado (todos nós), cuidadosamente anestesiado (estupidificado ?) pelo esgoto “comunicacional”, limita-se a esperar, sem ter consciência disso, que “o céu lhe caia em cima da cabeça”.
    A não ser que 2017 seja o equivalente a 1936 (Julho), ou , com vistas mais largas, Setembro de 1939…

    Liked by 1 person

  4. 13 Março, 2017 14:28

    Madoff só foi julgado num prazo curto porque ADMITIU os crimes. Confessou os mesmos porque nos EUA tal pode significar uma grande redução de pena que foi o que sucedeu, embora 150 anos seja irrelevante. Mas foi isso que sucedeu.

    Comparar os factos desse caso com os de Ricardo Salgado, atestando-lhe a mesma qualidade de burlão em esquemas Ponzi e comparando o processo penal dos dois países é no mínimo ignorância, creio que negligente.

    Se alguém quiser comparar procedimentos e tempo de conclusão de inquéritos pode lembrar-se do caso que por cá também foi falado: o de um homicídio relativamente simples de investigar, de Carlos Castro, em, Nova Iorque, em Janeiro de 2011, com culpado conhecido e que durou quase dois anos até conhecer sentença. E o arguido confessou…

    Por isso este postal é mais um exemplo do populismo à solta em todo o lado e a que o presidente da República veio hoje dar mais uma achega.

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      13 Março, 2017 14:38

      Olha José, se soubesse interpretar o texto veria que não se está de todo a comparar o sistema judicial dos EUA com Portugal embora dê uma achega dado que nós temos 1 tratamento cool aos meninos dos colarinhos brancos, ok? É por aí o raciocínio, ok?. Madoff foi apanhado com boca na botija, ok? Portanto, calado os documentos falavam todos por si. O texto pretende abrir os olhos para 1 realidade bem portuguesa: quando o apanhado na justiça é colarinho branco, para além de muito morosa, é branda. Vai contrariar isso? E tudo isto porque são os que mais poder tem que mais são ajudados pelos políticos porque todos estão de certo modo presos. Entendeu ou precisa de nova explicação? Não divague. Escrevo claro e de forma simples para que não viajem por onde não devem.

      Liked by 1 person

    • 15 Março, 2017 18:54

      É sempre assim, ou hoje correu mal ?

      Gostar

  5. 13 Março, 2017 14:45

    “Portanto, calado os documentos falavam todos por si. O texto pretende abrir os olhos para 1 realidade bem portuguesa: quando o apanhado na justiça é colarinho branco, para além de muito morosa, é branda. Vai contrariar isso? ”

    Vou, se me apontar um exemplo…

    Quanto ao Madoff…parece que o texto não admite outra interpretação para além da que fiz, embora admita que não é explícito nesse sentido.
    Mas então…
    “Mas se Bernie Madoff viu em consequência, seus bens totalmente arrestados e vendidos, foi imediatamente preso e julgado, num ano, com uma pena de 150 anos de cadeia, o “nosso” anda aí livre como um pássaro sem grande mossa.”… que é que isto quer dizer, afinal?

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      13 Março, 2017 14:53

      Quer dizer q nossa justiça, mesmo com prova documental, a comprovar a burla e falência fraudulenta,deixa q ande livre. Veja reportagem da Sic. Está preso à espera de julgamento?

      Liked by 1 person

  6. 13 Março, 2017 14:52

    Por outro lado e para poupar tempo:

    O caso BES/GES não é um caso típico de burla em esquema Ponzi, Ou se o fosse, todos os bancos que falissem teriam o mesmo problema, porque todos vivem destes esquemas de captar poupanças e aplicar as mesmas, em depósitos a prazo e sem ele, em títulos, obrigações ou outros.

    A questão da subscrição de obrigações ou títulos de dívida pelo BES/GES é questão controversa que só implicaria burla se na Primavera de 2014 já se soubesse que o BES iria falir. E tal não era claro nem sequer para o Ricardo Salgado. O próprio presidente Cavaco Silva atestou em Seul que estava tudo bem e poderiam ser subscritos os títulos de aumento de capital…

    Portanto, a complexidade do assunto enfrenta outro problema grave que já tentei explicar noutro sítio: a “gestão danosa” não se aplica como crime neste caso. Só se o banco fosse público, como a CGD.

    Assim, apenas sobram as falsificações e abusos de confiança, se for o caso e parece que existirão.

    Salgado deveria estar preso era por outro assunto: a corrupção no caso marquês.

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      13 Março, 2017 14:56

      Eu vou corrigir a frase porque estava a referir-me a burla no caso português e não ao esquema Ponzie. Burla com depósitos. Só isso.

      Gostar

    • maria permalink
      13 Março, 2017 17:25

      Sr.José seja sério. A emissão de obrigações foi em Maio e Cavaco só falou em Julho.
      O caso só despoletou em Agosto. Antes nada se sabia.

      Liked by 1 person

  7. 13 Março, 2017 14:58

    As declarações do MarceloCarmonaThomaz hoje feitas na Gulbenkian farão parte duma “onda” afectuosa (com abraço) maior do que qualquer canhão da Nazaré para sensibilizar o Ministério Público, a PGRepública, juizes, PJ,no sentido de suavizarem investigações, acusações e julgamentos sempre que estejam sob alçada da justiça gajos e gajas (literalmente) que tiveram e virão a ter nos mais altos cargos do Estado ? Não me surpreenderá que o MCThomaz queira mesmo paz e sossego extensivo ao governo da geringonça para manter os tugas contentinhos…

    Hoje começa o Dia D para a Operação Marquês. O futuro do país social, político e partidário passa também pela decisão que mais logo se saberá.

    Liked by 3 people

  8. 13 Março, 2017 15:04

    “Quer dizer q nossa justiça, mesmo com prova documental, a comprovar a burla e falência fraudulenta,deixa q ande livre. Veja reportagem da Sic. Está preso à espera de julgamento? ”

    Onde é que está a burla e falência fraudulenta documentadas? Eu ainda não me apercebi de tal, uma vez que esses conceitos têm que integrar os respectivos artigos do Código Penal.

    A falência fraudulenta só ocorre se houve declaração formal de falência. Houve? Não, o que houve foi um banco que da noite para o dia passou a banco mau e em seu lugar apareceu um banco bom…
    Quanto à burla é o que disse atrás: é preciso que se prove o engano fraudulento, doloso, querido pelo próprio.

    O Salgado queria mesmo enganar os meninos e papar-lhes o pão?

    O Salgado tentou até às últimas salvar o banco e estava á espera do Passos para lhe valer.

    Ainda bem que o Passos não foi no engodo, mas tal não significa qualquer burla em sentido técnico, a meu ver.

    Por outro lado, a reportagem da SIC ( O Castelo, julgo) é apenas sofrível e para entalar Carlos Costa. Mais outra encomenda do PS…

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      13 Março, 2017 17:48

      Respeito muito sua opinião mas a forma técnica como avalia a situação lembra os advogados q contornam sempre a situação com base em leis já fabricadas para q o peixe gordo possa fugir pelas malhas. No fundo, ainda não parou de me dar razão. Sabemos pelo que já foi divulgado q houve fraudes, houve desvios de dinheiro para injectar nas empresas do grupo, houve promiscuidade com políticos, envolvimento em negócios duvidosos, q havia produtos do GES punham em causa a capacidade de devolução de dinheiro e por aí fora, mas… à boa maneira portuguesa, nos colarinhos brancos, isso AINDA não é suficiente. Quando 1 comum mortal apenas por não pagar 1 dívida fiscal de 500€, mesmo q prove q não foi com dolo, pode ir preso. Sabia? E enquanto escrevo isto, creia q há gente presa por montantes ridículos (comparados com.os DDT) ao fisco. Quem conhece esta realidade e já sentiu o Estado a apertar-lhe os calos, sabe do q falo.

      Liked by 1 person

  9. 13 Março, 2017 15:05

    Bom post, CMiranda.

    Sem dúvida há muitos bandidos de colarinho branco à solta. DDT’s braço-dado com o poder político e partidário desde há muitos anos…

    Liked by 1 person

  10. ABC permalink
    13 Março, 2017 15:08

    Mas nos EUA, os grandes responsáveis pela crise ainda saíram pela porta grande com indemnizações bilionárias.
    Todos os grandes bancos tinham uma grande exposição a produtos estruturados baseados em hipotecas. Quando as pessoas começaram a falhar pagamentos de prestações das casas, os estruturados perderam valor, mas com a cumplicidade das agências de rating, continuaram a vendê-los como AAAs para os retirar dos balanços, enquanto abriam posições curtas sobre eles.
    Essa foi a fase verdadeiramente criminosa dos bancos, vender a todo o mundo (mesmo) produtos que sabiam não ter valor, e esperar para cobrar o seguro.
    Só quando as posições curtas já eram suficientes para mitigar os danos é que os bancos deixaram desvalorizar brutalmente os MBSs e CDOs, e recolheram os lucros dos CDSs – daí que os bancos e a economia americana foram os primeiros a recuperar da crise.
    Os americanos atulharam o mundo de lixo financeiro, e a falência do Lehmann e outros só aconteceu porque tinham em “fase de produção” MBSs e CDOs dos quais não se conseguiram livrar a tempo, quando o Goldmann Sachs, o Citi e outros realizaram uma fire sale cujas consequências ainda hoje são sentidas pela banca europeia.
    Nenhum CEO foi preso, nenhum responsável das agências de rating foi preso, a SEC passou mais ou menos ao lado de tudo. Madoff foi preso por uma vigarice relativamente menor – relativamente ao resto – enquanto os outros se retiraram para reformas douradas.
    O que Ricardo Salgado fez foi diferente disso, foi uma versão gigantesca dum esquema bem conhecido dos caloteiros – depositar um cheque sem fundos num banco, retirar o dinheiro, e cobrir o calote com outro cheque sem fundos, neste caso doutra instituição do grupo. Como o grupo era um emaranhado global, nenhuma instituição local tinha provas evidentes da fraude. Como nesse processo foi desviado muito dinheiro – e não havia dinheiro – foi preciso sugar a PT e os clientes.
    Se é relativamente fácil entender o esquema, provar não é. Se Salgado for condenado, será por fraudes menores, nunca pelo imenso logro que criou.

    Gostar

  11. 13 Março, 2017 15:14

    O PS e agora o presidente da República preparam-se para criar o ambiente propício a retirar ao Ministério Público a autonomia do poder político que existe desde finais dos anos setenta, pelo menos e desde 1987 em relação ao exercício da acção penal, com a titularidade exclusiva da investigação criminal.

    O PS quer que o MºPº dependa do Ministro da Justiça, para lhe dar ordens quando entender e entregar assim a investigação criminal a juízes que apenas terão que investigar o que o MºPº dependente do Governo lhes entregar para tal.

    Como em França ou na Alemanha. Ou mesmo em Espanha.

    Terão sempre esses argumentos de direito comparado para convencer quem estiver farto deste MºPº.

    Esta operação Marquês e este discurso deletério sobre os prazos servem exactamente esse propósito.

    O Povo que esteja atento e percebe o que preparam nas suas costas, estes Costas…

    Liked by 1 person

    • 13 Março, 2017 15:22

      Não duvido.
      O P”S” sempre tratou primeiro da sua vida e dos seus. Só depois o país, como se sabe.

      “Para nos tudo. Para os adversários nada. Para os inimigos a justiça” (+- isto), Almeida Santos

      Liked by 3 people

      • Filipe Costa permalink
        13 Março, 2017 18:36

        Não se esqueça que o seu dinheiro é do PS.

        Liked by 1 person

    • 13 Março, 2017 19:09

      Logo, a Espanha, França, Alemanha, não são estados de direito. É que uma pessoa ser enxovalhada durante anos sem que lhe seja deduzida acusação, mesmo que venha a ser considerado inocente vai ser sempre culpado para quem interessa que seja!
      Que rico Estado de Direito!

      Gostar

  12. 13 Março, 2017 15:16

    “Se é relativamente fácil entender o esquema, provar não é. Se Salgado for condenado, será por fraudes menores, nunca pelo imenso logro que criou.”

    Tal como Oliveira e Costa e os outros gestores da banca em que os bancos faliram. BANIF, BCP ( ainda não mas esteve quase) e a CGD que não foi porque todos pagaremos a factura.

    Liked by 1 person

  13. 13 Março, 2017 15:19

    A banca em si mesma é um logro e não é burla alguma. Os bancos não têm lá o dinheiro que os depositantes deixaram.

    Se todos os depositantes de um banco forem ao mesmo tempo levantar o capital não há nenhum banco no mundo que consiga pagar.

    Essa essência da actividade bancária retira-lhes o factor “Logro”.

    Liked by 1 person

  14. 13 Março, 2017 15:36

    Acho que a generalidade das pessoas sabe isso, Porém, em 2011 quando se previa o pior em Portugal, ouvi pessoas responsáveis a dizer na tv ( Medina Carreira) que tinham o seu dinheiro em bancos estrangeiros como o Deutsche Bank, considerado a Fortaleza do sistema bancário. Viu-se…

    Quem é desconfiado por natureza ou táctica não tem o dinheiro em contas a prazo ou á ordem. Guarda-os em cofres, mesmo nos bancos ou manda-o para offshores.

    Foi o que sucedeu em Portugal, numa boa parte dos particulares que assim fizeram.

    Chamem-lhes tolos!

    Liked by 1 person

    • 13 Março, 2017 15:43

      Nadinha tolos. E alguns fizeram-no também porque conhecem muitíssimo bem e são amigos dos trafulhas que lhes guardaram ou queriam guardar a massaroca.

      Liked by 1 person

  15. JMJ permalink
    13 Março, 2017 15:45

    A ver se percebi:

    A Banca privada é um chorrilho de corrupção e de branqueamento de capitais e um forró para amigos e padrinhos, que no final paga o povo a festa dos sr. Banqueiros (quantos mil milhões andamos a pagar por causa da troika? alguém se lembra? ou do BPN?);

    Logo, o ideal é privatizar o Banco que resta nas mãos do Estado. Faz sentido…

    Gostar

  16. 13 Março, 2017 15:49

    A banca pública já provou tudo o que tinha para provar, entre 11 de Março de 1975 e algures em meados dos anos oitenta. Dez anos de forrobodó.

    Criaram essencialmente uma coisa rara, na Europa: “elefantes brancos” e ineficácia completa.

    Portanto, entre o muro e a parede venha o diabo e escolha o menos mau.

    Para mim o menos mau são os privados porque ao menos não vão à falência só porque são corruptos ou ineptos. E lidam com dinheiro que pertence a empresas deles. Não do Estado, essa entidade abstracta que dá para se fazer tudo e mais alguma coisa e ficar quase sempre impune.

    Se alguém conhecer sistema melhor que apresente alternativas…

    Liked by 3 people

  17. Manuel permalink
    13 Março, 2017 15:59

    Marcelo, desta vez, esteve bem. É angustiante a acusação do 44 nunca mais sair e parece que vai haver novo adiamento. Se a justiça, um poder independente, não tem meios, deve dar um grito de alerta.

    Gostar

  18. castanheira antigo permalink
    13 Março, 2017 16:14

    JMJ
    Banca privada ou publica vai dar no mesmo. Ainda não percebeu que banqueiros e politicos estão de mãos dadas no saque ás poupanças das pessoas ? Politicos no poder e banqueiros têm os mesmos interesses : Confisco e extorsão do produto do trabalho das pessoas ou seja a sua riqueza (poupanças) . A repressão fiscal feroz e o controlo de capitais cada vez mais apertado , levará á sociedade sem “cash” ( há já proposta das mortáguas no parlamento) e consequentemente ao roubo de todas as poupanças dos portugueses . Estes só se vão dar conta do logro após o assalto.

    Liked by 2 people

  19. 13 Março, 2017 16:20

    “Se a justiça, um poder independente, não tem meios, deve dar um grito de alerta.”

    Não se trata apenas disso. Se a prova dos factos depende de terceiros, nomeadamente de offshores que não colaboram ou estados estrangeiros que demoram meses a cumprir pedidos de diligências simples como o envio de documentação bancária, como é o caso da Suíça, que culpa têm os investigadores?

    isto deveria ser explicado? Devia, mas o presidente sabe disto mas faz de conta que não sabe para alinhar no populismo e demagogia contra a justiça. E isso é muito suspeito.

    Ricardo Salgado é seu amigo de longos e longos anos…

    Liked by 4 people

    • piscoiso permalink
      13 Março, 2017 16:50

      Se a prova dos factos depende de terceiros e se esses terceiros não estão obrigados a cumprir diligências… os factos, pura e simplesmente não podem ser provados.

      Gostar

  20. 13 Março, 2017 18:12

    ” os factos, pura e simplesmente não podem ser provados.”

    Era isso que sucedia até há poucos anos, Nem meia dúzia sequer.

    Agora, como vai sendo possível embora demore um pouco mais, uns meses afinal, aqui d´el rei que é muito tempo para um inquérito e para ter um ex-primeiro ministro sob investigação e patati patata.

    Parece muito claro o esquema em que até o presidente da República embarcou…

    Liked by 1 person

  21. 13 Março, 2017 18:25

    Os Donos Disto Tudo (DDT) continuam a ser os donos das empresas do PSI 20. Só que hoje esses ditos cujos, já não são portugueses.
    Os políticos de serviço em Portugal continuam a ser os capatazes dos DDT, como sempre foram,
    Nota-se um bocadinho a diferença na atuação dos políticos portugueses pois antigamente eles trabalhavam para DDTs os quais enriqueciam quando Portugal enriquecia e empobreciam quando Portugal empobrecia.
    Hoje os DDTs enriquecem mesmo quando Portugal empobrece… ou enriquecem à custa de Portugal empobrecer (levam o “caroço” para casa, para aonde moram!)…

    Gostar

  22. 13 Março, 2017 18:39

    Na forma sub-reptícia do solapado, os desenvolvimentos fazem jus ao exposto por ‘josé’ – e que foi expresso como objectivo, agora subscrito pelos afectos afectados de mais um ‘adiantado mental’…:

    No Projeto (inicial) de Programa Eleitoral do PS, pode ler-se:
    > «o PS defende designadamente o seguinte: (…) A garantia de proteção e defesa do titular de cargos políticos ou públicos contra a utilização abusiva de meios judiciais e de mecanismos de responsabilização como forma de pressão ou condicionamento».

    Nada como o Ministro da Justiça definir a Justiça…

    Liked by 1 person

  23. licas permalink
    13 Março, 2017 19:01

    Já que quer os Portugueses “sem crispaçoes” qualquer que seja
    a intensidade da crise, aconselho a Marcelo de diversificar o espetáculo
    ( as “travessias do Tejo já estão muito gastas).
    Que faça como o Hugo Chávez (treámais uma vez o apluso dos Comunistas)
    PEGUE numa guitarra e CANTE, pode ser o Fado, o PÚBLICO ADORARÁ. . .

    Gostar

  24. licas permalink
    13 Março, 2017 21:01

    . . . terá, mais uma vez, o aplauso . . .

    Gostar

  25. Arlindo da Costa permalink
    14 Março, 2017 03:33

    A turma e a turba neo-comunista liberal estava a tomar conta disto tudo.

    Bendita a hora que António Costa virou o bico ao prego!!!!!!!!!! e está salvando Portugal do Diabo!!!!

    Gostar

Trackbacks

  1. Desavergonhados | (in)Transmissível

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: