Skip to content

A ingovernabilidade criada a partir da rua

20 Setembro, 2017

que é eleitoralmente inimputável. Henrique Pereira dos Santos escreve no sobre esta situação que nos tem reféns –  os resultados eleitorais legítimos estão reféns do poder minoritário que pode tornar isto ingovernável: o comando sobre sindicatos cuja representatividade e democraticidade é mais que discutível. Na prática isto significa que os 10% de votos do PC são mais que suficientes para bloquear as soluções legitimamente saídas de eleições gerais, enquanto for possível manter activo um poder sindical que não decorre da representatividade desses sindicatos, mas de regras sociais que livremente estabelecemos e que conferem aos sindicatos um poder claramente desproporcionado em relação à sua representatividade

Anúncios
59 comentários leave one →
  1. piscoiso permalink
    20 Setembro, 2017 14:16

    Se é para comentar o que escreve Pereira dos Santos vou ao Corta-Fitas.

    Gostar

    • sam permalink
      20 Setembro, 2017 14:52

      E já vais tarde.

      Gostar

      • piscoiso permalink
        20 Setembro, 2017 16:02

        Se aqui vens para dizer já vais tarde, é como se não viesses.

        Gostar

  2. carlos alberto ilharco permalink
    20 Setembro, 2017 16:29

    Descobriu a pólvora.
    Está um bocadinho atrasado, será que esteve noutro planeta desde 1975 até ontem?

    Liked by 1 person

  3. Baptista da Silva permalink
    20 Setembro, 2017 16:41

    Os sindicatos têm de ser regidos e controlados por pessoas que não venham com ideias de destabilização, o governo tem de controlar esses sindicalizados, proibindo-os de fazer o que querem sob pena de serem detidos e incriminados por terrorismo ao país, pois as paralisações não são mais que terrorismo que destrói, portanto se destrói tem de ser abolido e/ou controlado.

    Gostar

  4. Procópio permalink
    20 Setembro, 2017 17:15

    Ui, ui, a Helena mostra o gato escondido com o rabo de fora.
    A força do pcp vem em boa parte da cgtp e da fenprof.
    Os interesses dos trabalhadores é projetada na montra foleira com fundo vermelho.
    São os interesses dos eternos Dirigentes Sindicais, funcionários públicos na sua maioria, que contam. Sabem quanto ganham com cada dia de greve? Informem-se.
    Sabem qual a proporção de dirigentes sindiais em áreas chave? Informem-se.
    Paralelamente a desfalques históricos praticados por figuras de gabarito, o orçamento de estado é uma enorme mangedoura que até 2018 transborda para o bce.
    Não há mal que sempre dure, nem bem que não acabe.
    As reivindicações irrealistas dos tais sindicatos vão captando simpatias de curto prazo por parte dos trabalhadores. Se têm sucesso ou não logo se verá, as consequências de longo prazo são irrelevantes. O importante é continuar no poleiro enquanto as galinhas vão pondo os ovos, ou seja os impostos que lhes permitem viver à grande, com alguma discrição. mas de forma bastante diferente dos demais.
    Naturalmente este post vai suscitar berros e ranger de dentes. Há feridas onde é perigoso tocar ,não se levantem algumas dúvidas malignas.
    De fássistas a nazis os impropérios vão chover. No molhado.
    Os países onde existem sindicatos independentes do poder pulhítico são os que prosperam.
    Os outros, sem sindicatos ou com sindicatos apologéticos vivem na mediocridade.
    Há que se dê por satisfeito quando deita a cabeça de fora do caixote do lixo. Inocentes.
    Para outros a miséria é o melhor trunfo. Um pequeno desajuste na geringonça, para já fácil de sanar com o óleo da hipocrisia.

    Liked by 3 people

  5. maria permalink
    20 Setembro, 2017 17:18

    O PC apenas foi votado por 10% do povo assim como o BE. A grande maioria d0 povo vai continuar a não votar no PC e BE porque não se sente por estes representado.

    Gostar

  6. Procópio permalink
    20 Setembro, 2017 17:52

    maria, o problema não é esse, estamos a falar de partidos cuja força não depende diretamente dos votos. Sabendo quem os financia (surprise) para além dos seus simpatizantes e como conseguem influência desproporcionada nos media, em lugares estratégicos e nos próprios governos, é caminho andado para perceber o sítio onde vive.
    Caso o assunto lhe mereça interesse, já se vê. É que muitos já o perderam e arriscam-se a pôr o pescoço no cepo

    Liked by 1 person

  7. jmpg permalink
    20 Setembro, 2017 19:50

    Porque razão não são apresentadas e publicadas as contas dos sindicatos como sejam nº de sócios valor da quotização e despesas. Também não se entende o porquê de fazerem greves sem tornarem publico o resultado da votação para a greve i.e. nº de presenças nos plenários e nº de votos a favor e contra .

    Em Portugal agora é só trabalhadores e pensionistas não existe mais ninguém , os trabalhadores maus nunca são referidos e os pensionistas que não descontaram também não . Há trabalhadores ricos e pensionistas igualmente ricos . Contam a historia a sua maneira .

    Liked by 1 person

  8. lucklucky permalink
    20 Setembro, 2017 20:04

    Para violência é essencial Jornalismo que a legítima.

    Gostar

  9. 20 Setembro, 2017 20:37

    Se não são representativos , não têm força mobilizadora. Qual é então o tema?

    Gostar

  10. 20 Setembro, 2017 21:41

    É uma questão de estratégia. Os estivadores são poucos e páram o país quando querem. A última grande greve dos camionistas deixou as prateleiras dos hipermercados vazias. Todas as greves estratégicas são uma forma de chantagem sobre o povo. Aos governantes nunca faltam médicos, gasolina, ou comida. E os sindicatos sabem bem quem se lixa, e estão-se lixando. Acho que no ocidente só Margareth Thatcher conseguiu dobrar um sindicato.

    Liked by 2 people

  11. Procópio permalink
    20 Setembro, 2017 22:12

    “Se não são representativos , não têm força mobilizadora. Qual é então o tema”?
    O tema é esse mesmo.
    O modo operante é conhecido. Começou há décadas quando o clima tornou propício o assalto às repartições públicas, às editoras dos jornais e tvs, às escolas em geral e às empresas públicas. Convencem os trabalhadores sempre com a mesma narrativa, um saco de mentiras e calúnias com muita inveja à mistura. Saem à rua com bandeirinhas e slogans estafados.
    Há bem pouco tempo o país assistia a greve de 4 em 4 dias na tentativa desesperada de tudo paralisar, sendo sempre omitindos os interesses políticos na acção.
    Em Cuba a greve está proibida há muitos anos.
    “… los sindicatos no tienen necesidad de recurrir a la huelga porque son escuchados por el régimen. La Central Sindical Cubana (CTC) es una aliada del régimen castrista”.
    Na Venezuela foram criados os seus próprios sindicatos.
    “… la Unión Nacional de Trabajadores de Venezuela (UNT) funciona como un brazo político obrero del régimen más que como una asociación de trabajadores que luchan por sus derechos”.
    Temos que admitir que Cuba e a Venezuela vão muito mais “à frente”.
    A trapaça é urdida metodicamente. Os media anestesiam, os militares descansam, os ladrões aproveitam, os amigos amam-se perdidamente e os corruptos riem-se despudoradamente.
    A geringonça aspira a trabant. Se lá chegasse, o que nos estaria reservado?

    Liked by 3 people

  12. Arlindo da Costa permalink
    20 Setembro, 2017 22:56

    Estamos a ser bem governados. O Sr. Henrique sofre duma dor que é muito comum nos portugueses : dor de cotovelo.

    Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      21 Setembro, 2017 13:27

      Estamos a ser bem governados não é o mesmo de estares a governar-te bem.

      Liked by 1 person

  13. Arlindo da Costa permalink
    20 Setembro, 2017 23:01

    A «ingovernabilidade» é tanta que até os mercados emprestam a Portugal a taxas «altamente» negativas…eheheheh

    O Sr. Henrique é de facto um parodiante 🙂

    A falência ideológica dos anti-gerigoncistas atinge níveis estratosféricos.

    Gostar

    • The Mole permalink
      21 Setembro, 2017 10:41

      Se assim é, então tenho a certeza de que quando chegar a conta (e vai chegar, como já devia ter aprendido!), desta vez não se vai queixar…

      Gostar

  14. 20 Setembro, 2017 23:43

    Ana Catarina Mendes tem a lata de afirmar que o PPCoelho e o LMontenegro “desperdiçaram fundos comunitários”. A criatura desconhece (?) que no governo do Sócrates, muitas centenas de milhar de euros (duas ou seis, não me lembro) não foram utilizadas pelo Ministério da Agricultura… Entre outros casos.

    Liked by 1 person

    • lucklucky permalink
      21 Setembro, 2017 12:30

      Mostra o primitivismo do jornalismo tuga que este tipo de acusações seja possível.

      Ainda bem que se desperdiçamos fundos comunitários!!!

      Muitos fundos comunitários só são entregues ao lado de uma importante % de fundos dos escravos dos contribuintes portugueses.

      No primitivismo tuga muito funcionário que para apresentar ao chefe que todos os fundos Europeus foram gastos inventam desde obras a revistas, folhetos inúteis – entregues claro às empresas gráficas amigas do partido etc, claro tudo com % de impostos pagos pelos escravos do Estado.

      Gostar

      • 21 Setembro, 2017 15:59

        Não duvido minimamente que há gente a mamar nos fundos europeus.
        O sítio já não tem solução que nos tranquilize e motive.

        Gostar

    • joaquim permalink
      21 Setembro, 2017 13:05

      Ainda perdem tempo com a Ana Catarina Martins. Não vale a pena.

      Gostar

      • 21 Setembro, 2017 16:00

        Não perco tempo com essa criatura, mas alguém terá de lhe dar verbalmente na tromba.

        Gostar

  15. 20 Setembro, 2017 23:47

    Cristalino post do HPSantos, bem colocado pela HMatos.

    Se o PSD+PP não tiverem maioria no próximo parlamento, a geringonça vai perdurar. Tretas do Jerónimo e da Catrina ao afirmarem recentemente que a geringonça “dificilmente se repetirá”…

    Liked by 1 person

  16. Procópio permalink
    20 Setembro, 2017 23:52

    MJRB, a propagação das balelas dos ar-lindos, muda-as o vento num instante.
    “Simply put, investors still largely expect the ECB to begin tapering those purchases in 2018, eventually winding them down”. Market Watch

    Liked by 1 person

  17. 21 Setembro, 2017 02:15

    Leio e (não) acredito: o PAN quer que os cães possam entrar em restaurantes.
    O sítio está a compor-se…

    Gostar

    • Tiradentes permalink
      21 Setembro, 2017 07:29

      Acredite sim e prepare-se para pagar a mudança de “género” aos jovens de 16 cujos pais não autorizem tal.

      Liked by 1 person

    • licas permalink
      21 Setembro, 2017 14:56

      E porque não serem servidas refeições aos canídeos
      nas mesas utilizadas pelos seus donos. . .
      E WCcães nas salas dos restaurantes. . .
      JÁ AGORA.

      (MJRB, é o executivo actual: “merda de cão”)

      Gostar

      • 21 Setembro, 2017 16:04

        licas,

        um dos problemas deste desgoverno (e do país) é a quantidade e a sofreguidão de muitos cães no o$$o do Estado. Quando o P”S” está no governo, abusam, lambem-lhe o tutano.

        Gostar

  18. Procópio permalink
    21 Setembro, 2017 09:36

    Gostar

    • 21 Setembro, 2017 16:06

      O sempre desesperado e camaleónico galamba por um lugar de destaque no ministério das finanças. Ou da economia, também serve.

      Gostar

  19. Procópio permalink
    21 Setembro, 2017 09:39

    As promessas.
    Não parece ter relação mas tem.
    Até passas a poder levar o teu cão ao restaurante.
    http://www.reuters.com/article/us-philippines-militants-recruitment-ins/islamists-lure-youngsters-in-the-philippines-with-payments-promise-of-paradise-idUSKCN1BW05N?il=0

    Gostar

  20. Expatriado permalink
    21 Setembro, 2017 11:12

    Fila à espera que os donos tenham mesa

    Gostar

  21. sam permalink
    21 Setembro, 2017 12:17

    A táctica da esquerdalhada em funcionamento:
    http://observador.pt/2017/09/21/financas-e-trabalho-as-pastas-que-o-be-quer-no-governo/

    Gostar

    • José Ribeiro permalink
      21 Setembro, 2017 14:32

      Só fdp! Devem mesmo odiar a iniciativa privada, que os alimenta com os impostos. Dasse!

      Gostar

      • 21 Setembro, 2017 16:09

        Nunca duvidei e tenho cada vez mais a certeza que essas gajas e gajos querem mesmo integrar o poder.
        O AC-DC, se em desespero, acolhe-os com o seu sorriso alarve.

        Gostar

  22. Procópio permalink
    21 Setembro, 2017 13:10

    Os cães ladram, entram nos restaurantes mas a mesa vai ficar vazia.
    http://observador.pt/2017/09/21/os-problemas-de-portugal-nao-acabaram-estao-piores-diz-commerzbank/

    Gostar

    • 21 Setembro, 2017 16:13

      “Estamos no bom caminho. Para o passo em frente” — Cabo da Roca social, económico, financeiro.
      Continuo a concluir que falta-nos fronteiras e estamos isolados de costas para a Europa…

      Gostar

  23. Expatriado permalink
    21 Setembro, 2017 16:11

    Calma… continuamos a subir os valores em termos absolutos.

    http://observador.pt/2017/09/21/divida-publica-subiu-para-2492-mil-milhoes-de-euros-em-julho/

    Por isso não quero o PPC (PSD/CDS) a vencer as próximas eleições legislativas. Só para que a vacina tenha um efeito permanente.

    Gostar

  24. Procópio permalink
    21 Setembro, 2017 20:27

    Ainda não chegámos ao ponto essencial em foco no post.
    “A ingovernabilidade criada a partir da rua”
    A rua ainda mete medo. A bovinidade geral teme o ruído e a confusão.
    A rua opõe-se ao contraditório.
    A ação direta, de rua, é o modo privilegiado de expressão e de reivindicação de grupos por natureza minoritários que procuram persuadir agressivamente.
    A rua abre a perspectiva de alcançar “a vida como eles querem”, segundo novas trajetórias, fora do domínio da democracia representativa. A possibilidade de desfecho imprevisível existe. A violência física é uma probabilidade no horizonte de cada manifestação a partir do momento em que alguns começam a abrir os olhos.
    A rua situa-se numa grande cidade para que os mídia possam explorar o espectáculo.
    Será a rua o lugar eleito para desenvolver a acção democrática?
    Só afirma isso quem tudo fez para que nunca houvesse uma democracia de facto em Portugal. A entrevista de Oriana Fallaci na revista Paris Match de 28 de Junho de 1975 diz tudo. O santo laico barreirinhas afirmava com toda a sua arrogância que “em Portugal jamais haverá oportunidade para uma democracia de tipo ocidental, com há na Europa”.
    Ainda não conseguiram, mas a entrevista ficou gravada para quem quiser confirmar.

    Gostar

    • 21 Setembro, 2017 20:35

      Ainda a mentira da oriana? favor mostrar a gravação ?
      Isso também se aplica às manifestações de rua na Venezuela ?

      Gostar

      • 21 Setembro, 2017 21:04

        Qual mentira, ó grande imbecil?

        fdp

        Gostar

      • 21 Setembro, 2017 21:06

        aqui ó merdas

        Gostar

      • José Ribeiro permalink
        22 Setembro, 2017 08:37

        Realmente esse fdp do Abel é um anormal útil para a sinistra. FDX, que nunca aprendem e ouvem as verdades!!!

        Gostar

    • piscoiso permalink
      21 Setembro, 2017 20:48

      Procópio, a sua observação é muito pertinente sobre o que está a acontecer na Catalunha.
      É um tema que merecia um debate por aqui, se houvesse um post para isso.

      Gostar

  25. Procópio permalink
    21 Setembro, 2017 20:58

    A violência física é uma probabilidade no horizonte de cada manifestação a partir do momento em que alguns começam a abrir os olhos.
    Na venezuela a rua tem sido palco de desesperados até darem ordem para eliminar todos os manifestantes. Já esteve mais longe. Imaginem o que seria na urss com o tio estanislau.
    Na Catalunha é o inverso, os princípios são os mesmos.
    “A rua abre a perspectiva de alcançar “a vida como eles querem”, segundo novas trajetórias, fora do domínio da democracia representativa. A possibilidade de desfecho imprevisível existe. A violência física é uma probabilidade no horizonte de cada manifestação a partir do momento em que alguns começam a abrir os olhos”.
    O governo central tem os olhos abertos, mas a assuntos a discutir ($$$).

    Gostar

  26. Procópio permalink
    21 Setembro, 2017 22:52

    Há poucas horas: “O Governo central admite mesmo estar aberto ao diálogo, desde que a consulta não se realize. Desde que abandonem os planos da independência podemos falar. A Catalunha já tem grande autonomia, mas poderíamos discutir uma reforma do sistema de financiamento, entre outras questões”, afirmou o ministro da Economia espanhol, Luis de Guindos, em entrevista ao “Financial Times.”
    Tem dedo que adivinha.
    Imaginem que o Norte de Portugal se consciencializa da situação por demais injusta face a Lisboa. No conjunto da indústria transformadora é a região Norte que lidera o Volume de Negócios (36% do total), seguida da A.M.Lisboa (34%) e do Centro (23%).
    http://www.ccdr-n.pt/regiao-norte/apresentacao/981/empresas-da-regiao-do-norte-apresentam-melhor-desempenho-economico
    Será que os esquerdistas apoiariam protestos nas ruas contra esse tipo de opressão?

    Gostar

  27. 21 Setembro, 2017 23:17

    zazie, os gajos do Parque das Laranjeiras se têm conhecimento dos teus comentários, levam-te. Deixas o mar salgado num instante. Isso diz-se?

    Gostar

    • José Ribeiro permalink
      22 Setembro, 2017 08:39

      Quais comentários? Seja como for, vou com ela e parto o focinho a todos eles. De certeza que muitos mais me acompanhariam.

      Gostar

  28. 22 Setembro, 2017 17:25

    Zazie ainda estou à espera da gravação em banda magnética que a Oriana dizia que tinha e que nunca mostrou.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: