Skip to content

Não imagine, não

25 Setembro, 2017

Sugere o João Gonçalves que imaginemos:por momentos que, em plena guerra colonial, as Forças Armadas no terreno eram dirigidas pelas criaturas que presentemente as chefiam.” É melhor não imaginarmos.

Anúncios
27 comentários leave one →
  1. Procópio permalink
    25 Setembro, 2017 12:58

    Palhaços a mandar nas FA durante o período colonial?
    Em todas aa adversidade há que procurar vantagens.
    A guerra colonial não durava seis meses.

    Liked by 1 person

  2. Procópio permalink
    25 Setembro, 2017 13:17

    Outro assunto difícil de imaginar.
    https://sol.sapo.pt/artigo/581760/maconaria-oposicao-recusou-assistir-a-investidura-do-grao-mestre-
    Traz um comentário que resume a situação.Carlos A. Gomes
    “E no fundo é isto Portugal, um dos países mais endividados do mundo, mais atrasado e mais desigual da Europa. Portugal é liderado por uma a maçonaria, que aumenta a cada dia as desigualdades sociais em Portugal, aumenta a corrupção em todas as áreas e em tudo onde é possível tirar vantagens financeiras. Veja-se como exemplo, a desgraça dos fogos florestais deste ano, que queimaram e reduziram a cinzas, quase metade do nosso pobre Portugal, casas, bens agrícolas, vida animal, florestas e até vidas humanas, tudo se perdeu. Tudo se perdeu, para que alguns possam ganhar, facturar e lucrar milhões de Euros. Pior ainda, foram os montantes financeiros angariados para ajudar as populações afectadas pelos incêndios, dádivas efectuadas com esforço dos portugueses, e o resultado é que muitas vítimas dos incêndios, ainda nem um cêntimo ainda viu. Mas valha-nos a ouvir o palhaço do Marcelo, em coro com a Geringonça, todos a pés juntos a jurarem e afirmarem que Portugal hoje está melhor! Portugal precisa de um 25 de Abril, mas a sério e não a brincar”!
    Outro bastante esclarecido:
    Santos • há uma hora
    “Estão agora a ver que os sucessivos governos e os partidos politicos não mandam nada. Quem manda são estas organizações de “irmãos”, com juramentos de sangue, que vêm de todos os partidos e se ajudam uns aos outros, qual mafia napolitana. Estamos entregues a esta gente sem escrúpulos que só quer é o poder para os seus.
    Se querem subir na vida, já sabem, o melhor é entrar para uma coisa destas”.

    Liked by 1 person

  3. Carlos permalink
    25 Setembro, 2017 13:33

    Link?

    Gostar

  4. 25 Setembro, 2017 14:23

    Boa estocada, essa pergunta do JGonçalves.

    Aquando do furto (palavra bonitinha para evitar roubo) do material em Tancos, escrevi no Blas que as actuais chefias militares já não têm pelo na venta e estão submissas ao poder político. Por isso não estranho que passados três meses do roubo não haja um relatório final, o ministro permaneça e o AC-DC descanse “em paz” sob a bênção do MCThomaz.
    E a populaça-NADA tudo permite e aplaude.

    Liked by 1 person

  5. Monti permalink
    25 Setembro, 2017 14:34

    « 1974: O Exército é o espelho da Nação.
    » 1974: O Exército é o espelho do Regime.
    Publique-se.

    Gostar

  6. carlos alberto ilharco permalink
    25 Setembro, 2017 14:57

    Quando na Guerra do Ultramar houve comandantes como Vítor Crespo, Vasco Lourenço, Otelo, Vasco Gonçalves & Cia, não me parece que tenha piorado assim tanto.

    Gostar

    • maria permalink
      25 Setembro, 2017 17:19

      Os senhores que refere não tinham posições de comando das nossas tropas. Alguns eram apenas alferes.

      Gostar

      • Tiradentes permalink
        25 Setembro, 2017 17:52

        e alguns nem um tiro acertavam no alvo…….por isso a grande maioria dos mencionados não saía da messe. A prova disso é que alguns só bebiam e continuaram a beber, outros só comiam e continuaram a comer como se veio a verificar pelo aspecto fisico e comportamento posterior.Um deles precisava de internamento psiquiátrico e com o 25 A mandou matar o médico por ser “fássista”

        Gostar

      • carlos alberto ilharco permalink
        25 Setembro, 2017 18:18

        Obrigado.
        Subiram bem, e depressa na vida.
        Infelizmente só dois é que já foram prestar contas lá no Grande Tribunal.

        Gostar

  7. piscoiso permalink
    25 Setembro, 2017 15:00

    Quem é o João Gonçalves?
    Fui ver ao Google:
    Um pintor
    Um navegador
    Um compositor brasileiro.
    Sobre a frase do cara, é absurda.
    Por exemplo: O que seria a Alemanha (e o mundo), se durante a segunda guerra mundial a Alemanha tivesse, em vez do Hitler, a Merkel no poder?

    Gostar

    • Expatriado permalink
      25 Setembro, 2017 16:29

      Cala-te, besta!!

      Gostar

      • piscoiso permalink
        25 Setembro, 2017 16:44

        Arranja uma pátria.

        Gostar

      • 25 Setembro, 2017 16:57

        JGonçalves é pseudónimo dum Galamba qualquer que não foi à tropa. Chateado com o AC-DC por nunca ser ministro, provoca-o via caso Tancos.

        Gostar

    • SALOIO permalink
      25 Setembro, 2017 16:56

      Durante não, porque não tinha existido segunda guerra mundial…

      Gostar

  8. Arlindo da Costa permalink
    25 Setembro, 2017 18:54

    Eu estou imaginando esse meia- leca do Alberto Gonçalves que nem ordem unida sabe fazer. Quanto mais pegar numa arma.
    Esse Sr. Gonçalves ainda não reparou que é a chacota do seu bairro.
    Enfim…dar palco a esse triste é é mmesmmo de bradar aos céus.
    Estamos bem entregues! Nem sequer aparece um «comentador» oposicionista de jeito ou com, pelo menos, 50 de QI.

    Gostar

    • 25 Setembro, 2017 20:32

      Não tarda surgirá um vosso ministro a chamar Nâmbia a um país africano ou asiático, conforme o neurónio.

      Gostar

  9. 25 Setembro, 2017 19:30

    Chefe do estado maior Rovisco Duarte

    O antigo-presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas Cavaco Silva condecorou o general por duas vezes: em 2012, atribuiu-lhe a medalha de Grande-Oficial da Ordem Militar de Aviz e, três anos depois, a Grã-Cruz da mesma ordem militar. Entre outras condecorações, Rovisco Duarte possuiu a medalha de ouro da Defesa francesa.

    Gostar

  10. 25 Setembro, 2017 19:31

    Oh diabo !!!!

    Rovisto Duarte, de 58 anos idade e 40 anos de serviço, desempenhou um papel importante no encerramento do Instituto de Odivelas e na reconversão do Colégio Militar em estabelecimento misto. O então ministro da Defesa, Aguiar Branco, que foi muito criticado por esta decisão, atribuiu ao general uma medalha da Defesa Nacional de 1ª classe. Pela “elevada competência técnico-profissional, extraordinário empenho, enorme sentido de missão e relevantes qualidades pessoais”, explicou o então mi

    Gostar

  11. 25 Setembro, 2017 19:41

    Oh diabo!!!

    PUB

    O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, vai nomear o general Artur Neves Pina Monteiro para o cargo de Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA), no seguimento da proposta apresentada pelo Governo.

    De acordo com uma nota divulgada no “site’ da Presidência da República, “após ter recebido hoje o General Artur Neves Pina Monteiro, o Presidente da República aceitou a sua exoneração do cargo de Chefe do Estado-Maior do Exército e decidiu nomeá-lo novo Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas”.

    Outra nota igualmente divulgada no “site’ da Presidência da República indica que, “sob proposta do Governo, o Presidente da República prorrogou, com efeitos a partir de 23 de fevereiro de 2014, o período de exercício do cargo de Chefe do Estado-Maior da Força Aérea pelo General José António de Magalhães Araújo Pinheiro”.

    Gostar

  12. Viriato de Viseu permalink
    25 Setembro, 2017 22:25

    O que vi e sofri em Angola, depois da abrilada e antes de 9 de Novembro de 75, (data em que saí, no último avião da ponte aérea) faz-me pensar que estes chefes de agora, são um pouquinho melhores dos de então…
    Assisti a uma cobardia e deserção de responsabilidades totais.
    Tremulava ainda a bandeira nacional na fortaleza, mas os nossos militares eram meros ordenanças dos comunistas do mpla…com Rosa Coutinho à cabeça, esse crápula a quem desejo que arda eternamente no inferno!!!

    Gostar

    • 26 Setembro, 2017 02:37

      Pois eu tive em Angola, no “duro” na mata e em Luanda, dois extraordinários comandantes: Um coronel, outro major, não por acaso ambos conhecidos. Mais outros, tenentes-coronéis e majores óptimos militares e líderes.

      Gostar

    • 26 Setembro, 2017 17:28

      Nasci em 74, mas hoje tal como então se fosse chamado a defender a Pátria fá-lo-ia, derramando o meu sangue e dando a minha vida.
      O que vejo ao estudar a história recente do meu País, bem como fontes históricas, é que a Pátria foi traída! Não só por aqueles (alguns, não todos) que juraram defendê-la, como por aqueles que deveriam ser os nossos aliados.
      A guerra estava mesmo perdida?
      Vários militares que estiveram no terreno, com os quais tive a honra de conversar, afirmaram-me que não. Aliás, recentemente alguns abrilistas confirmaram que o 25/4 foi uma questão corporativa do oficialato.
      Vejamos os posicionamentos políticos em África antes e depois das independências, quem ficou a ganhar? Quem depois do 25/4 tinha ligações a esses “vencedores”?
      Talvez se o 25/11 não tivesse acontecido já estivéssemos vacinados.

      Gostar

  13. Rola permalink
    27 Setembro, 2017 17:25

    Vários militares que estiveram no terreno, com os quais tive a honra de conversar, afirmaram-me que não. Aliás

    Basta ler alguns livros escritos por ex- guerrilheiros, que já não estão entre os vivos e que optaram a confirmar; deram-nos isto.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: