Skip to content

2018

31 Dezembro, 2017
by

Já me tinha esquecido dos «estalinhos de Carnaval». Em garoto usava-os nas épocas adequadas e divertia-me com eles. Mas tinham-se varrido da minha memória, desde que foram proibidos, assim como as «bombinhas» das mesmas festas, os foguetes, os balões de S. João, tudo coisas «perigosíssimas» que encantaram gerações e animaram festas populares, durante décadas. Os «estalinhos» podem cegar os petizes, as «bombinhas» arrancar-lhes os dedos, os foguetes e balões causam incêndios que desapareceram das nossas matas assim eles foram proibidos. Em Portugal, o estado zela pela nossa felicidade e bem-estar, e legisla proibindo tudo que o possa impedir. De passagem breve por Madrid, onde os nativos mantêm esses costumes tribais, relembrei os «estalinhos» por ver crianças a brincar com eles. Todas tinham os dez dedos das mãos e a nenhuma me pareceu ter sido vazado qualquer olho. Julgo que eram apenas miúdos felizes a «assustar» e a brincar com os pais e adultos.

Um bom ano de 2018 para todos!

Estalinhos de Carnaval - Cantos (1)_PC-thumb.JPG

Anúncios
15 comentários leave one →
  1. José Domingos permalink
    31 Dezembro, 2017 16:36

    Demasiados animais a fazerem leis, cá na pocilga.
    Começa a ficar complicado para a Protectora dos ditos…………
    O estado só nos dá circo e só com animais.
    Bom Ano para todos os que passam por aqui, para arejar as idéias.

    Gostar

  2. 31 Dezembro, 2017 16:51

    A lei do ruído, DL 9/2007 existe. É para ser cumprida.

    Gostar

    • Fernando S. permalink
      1 Janeiro, 2018 19:25

      O regulamento do ruído pouco ou nada tem a ver com os estalinhos de Carnaval.
      Mas concordo: devia ser cumprida – e não o é, com a cobertura dos poderes estatais – aliás, a lei já esta feita para poder ser desobedecida com a maior impunidade.

      Gostar

  3. Procópio permalink
    31 Dezembro, 2017 16:59

    Faço votos para que 2018 a mentira derreta a geringonça goebbeliana por dentro.

    “If you tell a lie big enough and keep repeating it, people will eventually come to believe it. The lie can be maintained only for such time as the State can shield the people from the political, economic and/or military consequences of the lie. It thus becomes vitally important for the State to use all of its powers to repress dissent, for the truth is the mortal enemy of the lie, and thus by extension, the truth is the greatest enemy of the State.”
    — Joseph Goebbels: On the “Big Lie”

    Que 2018 comprometa a omertà de vez, mais o sorriso cínico que a disfarça.

    Gostar

  4. Leunam permalink
    31 Dezembro, 2017 19:41

    Estes estalinhos denominavam-se “peidos de velha”; conjuntamente com as bombinhas, os “busca (ou bisca) – pés”, os estalinhos de riscar nas paredes e as garrafinhas de mau cheiro, fizeram as delícias da rapaziada que hoje tenha mais de 50 anos, durante as festas Carnavalescas.
    Não posso afirmar que estas distracções não fossem susceptíveis de algum risco; mas com adultos por perto eram inofensivos e davam muito gozo colectivo.

    Hoje imbeciliza-se a rapaziada com consolas e montes de brinquedos caríssimos a simular armas e “raios da morte” os quais eles abandonam nas 24 horas seguintes.

    Enfim o objectivo é criar uma sociedade de carneiros e bovinos que não pense, que não se cultive e que obedeça cegamente para que possa ser escravizada à vontade dos mandões.

    Se tiverem algumas dúvidas, aconselho a leitura dos textos do Sr. Procópio, distinto Comentador do Blasfémias, a quem cumprimento e tiro o meu chapéu pelos melhores Comentários que por aqui se podem ler.

    Saúde e Paz para todos, mesmo todos, neste Novo Ano que se aproxima.

    Gostar

  5. Filipe Costa permalink
    31 Dezembro, 2017 20:15

    Uma bombinha debaixo de uma lata, era uma loucura.

    Gostar

  6. Carneiro permalink
    1 Janeiro, 2018 15:40

    Tive um amigo de infancia que perdeu um dedo com uma inofensiva bombinha de carnaval pelas Fogueiras de Santo António. Ocorreu talvez em 1972. Nem tudo era tão linear.

    Gostar

    • Narciso Miranda permalink
      1 Janeiro, 2018 20:17

      Tive um amigo que morreu a andar de bicicleta. Outro engasgado com uma fava. Conclusão, bombinhas de carnaval são menos perigosas que velocipedes a pedal e legumes secos.

      Gostar

      • Carneiro permalink
        1 Janeiro, 2018 23:15

        Esse comentário é completamente parvo. E o silogismo é digno de um cretino. vai-te catar que o ano ainda vai novo para te mandar à merda.

        Gostar

      • Carneiro permalink
        1 Janeiro, 2018 23:17

        Avisa os teus amigos que devem enfiar os legumes secos pelo cú. Assim já não se engasgam.

        Gostar

      • Narciso Miranda permalink
        2 Janeiro, 2018 19:04

        Carneiro, parece que te doeu em algum lado. Um amigo também lhe doeu quando partiu uma perna, pela altura do banho, por causa de um sabonete molhado. Nem tudo é linear.

        Gostar

  7. Arlindo da Costa permalink
    1 Janeiro, 2018 19:03

    É verdade! Como é possível um Estado legislar para proteger a integridade física dos cidadãos? É mesmo uma pouca vergonha!
    Quando eu for PM dum governo «liberal» em Portugal vou autorizar que se festeje o Ano Novo com cadeiras e cocktail molotov!

    Gostar

  8. 2 Janeiro, 2018 21:15

    Sim, sim, proíbam tudo. Havemos de morrer todos cheios de saúde. Bom ano para todos.

    Gostar

  9. jnbraga permalink
    2 Janeiro, 2018 21:16

    Continuem a proibir tudo. Havemos de morrer cheios de saúde.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: