Saltar para o conteúdo

Um Estado Ladrão

8 Janeiro, 2018

O Estado não governa. Rouba. Eles não gostam do termo. Até o acham ofensivo. Indignam-se quando alguém ousa chamá-los de ladrões. Mas gostem ou não são larápios do erário público descarados e sem pudor. E não preciso de esforçar muito a memória para afogá-los em provas factuais que o demonstra ao minuto. A cada hora que passa, é mais uma portariazita ladra, um decretozito assaltante, uma licenciaturazita falsa, umas trocas de favores debaixo da porta, uns bilhetes de futebol à borla com contrapartidas, uns perdões fiscais aos amigos, umas contas falsificadas, uns familiares favorecidos a viver à custa de todos nós, uns contratos ruinosos com luvas… É a ladroagem profissional especializada que dura desde que há partidos em Portugal em nome da democracia. Ponto!

Não vivemos em democracia coisa nenhuma mas sim em ditadura disfarçada de democracia. O poder concentrado na figura de um único indivíduo (ditadura) passou a ser dividido por  vários partidos (democracia) que entre eles decidem quem fica com o bolo maior e com que contrapartidas. É isso, curto e grosso. Desde 1974, com uma Constituição Portuguesa que assegura que o poder nunca saia das mãos de quem o conquistou na Revolução de Abril, que se finge através do voto que elegemos quem nos governa. Falso. A prova é esta: há algum deputado no  Parlamento eleito por sufrágio do povo português? Mais: há neste momento um governo LEGITIMAMENTE eleito por vontade do povo? Não me venham com a treta das coligações pós-eleitorais com a junção de todos os derrotados, se faz favor, previstas na Constituição feita por esses ladrões de poder. Poupem-me.  A resposta obviamente é NÃO! Nós cidadãos, infelizmente, enquanto isto não for revertido,  estamos reféns destes ladrões de poder que passam pelos governos, pelo parlamento e pelos sindicatos. A teia foi montada há décadas para que uma vez apanhados nela, jamais consigamos sair.

Por isso se explica que em pleno século XXI, apesar da roubalheira escancarada e monstruosa através de todo o tipo de impostos existentes ou INVENTADOS,   tenhamos urgências de hospitais públicos a parecerem um cenário de guerra onde doentes são amontoados sem um mínimo de condições. Ou noutro onde não há roupa de cama ou fardas. Ou ainda largas centenas de vítimas de incêndios por negligência criminosa do Estado a terem de ser elas próprias a desenvencilharem-se para sobreviver à tragédia e depois pedir as parcas indemnizações dentro dos prazos, que vêm seguramente da Sibéria a pé porque volvidos 6 meses (aqui o Estado já tem todo o tempo do Mundo para dar o que lhe compete por lei sem prazos) não chegaram ainda a todos. Por favor não me venham com os surtos de gripe para justificar o caos dos hospitais ou os fenómenos climáticos para os fogos. Não tenho pachorra!  Eles andam a governar-se. Não governam. Essa é a realidade. Acordem!

Por isso não há surpresa nenhuma quando os vemos a irem à bola ora com a Galp ora com Vieira da Silva. Quando os vemos a dormir e viajar com as Raríssimas. Quando os vemos unidos em consensos nesta lei secreta do financiamento dos partidos. Quando aumentam as subvenções vitalícias só porque sim. Quando atribuem perdões fiscais aos amigos como quem dá prendinhas no Natal. Quando aumentam regalias aos ordenados altos e alguns sectores da função pública. Quando espalham todos os amigos e familiares nas chefias do Estado.  Quando temos energúmenos a discursar no Parlamento sem serem depois colocados no olho da rua. Isto só acontece porque vivemos numa ditadura camuflada que além de nos condicionar o VOTO, nos amarra de impostos, sequestra a iniciativa privada (veja o caso recente que andam a fazer com o Alojamento Local), as liberdades individuais impedido um verdadeiro e franco crescimento social que promova prosperidade individual. Porque importa sim, promover antes a dependência do indivíduo ao Estado porque assim asseguram que nunca ninguém possa deter poder suficiente para os derrubar.

Porque se 99% (estou a ser simpática) do que é legislado favorece os governos e suas clientelas em detrimento da Nação, isto não é uma democracia.

É “ditadura”.

 

 

Anúncios
26 comentários leave one →
  1. Sempre Mais do MESMO permalink
    8 Janeiro, 2018 11:57

    A Democracia não significa a vontade da maioria da população, nem mesmo a vontade da maioria dos eleitores, mas, sim, apenas a vontade da maioria dos ELEITOS.

    Porém, mesmo que admitamos a fantasia democrática como possivel, temos:

    Se a Democracia transforma a vontade da maioria EM ALGO LEGITIMO E que deve ser REALIZADO, ela não julga segundo critérios objetivos. Afinal, se a maioria decidir ESCRAVIZAR a MINORIA, ISSO SERÁ PERFEITAMENTE DEMOCRÀTICO.

    Ou seja, se uma maioria morena decidir escravizar a minoria loira, ISSO SERÁ DEMOCRÁTICO.
    Sim, será. Desde que essa maioria morena permita que a minoria loira possa ter candidatos e possa votar e até mesmo tentar convencer a maioria morena a não escraviza-la.

    Que sentido faz isso?

    Uma vez que a maioria acredite estar se beneficiando da minoria e aprecie esse benefício, a maioria morena votará pela ESCRAVIDÃO da MINORIA LOIRA sempre, até por receio de perder seu bem estar fácil.

    ISSO É ETICAMENTE INJUSTO, mas é PERFEITAMENTE DEMOCRATICO.
    Obs.: Quanto a moral, esta já apoiou a escravidão, dado que se resume a subjetivismos nos costumes/tradições. Igualmente a LEI era anuente com a escravidão. Logo, o fato de ser moral ou legal não é legitimo segundo uma visão Ética (filosofia da moral).

    Ou seja, a DEMOCRACIA NADA TEM EM COMUM COM LIBERDADE ou JUSTIÇA. Pois a “liberdade” que a democracia defende é unicamente a liberdade para VOTAR e MAIS NADA. Sobretudo porque os eleitos podem criar REGRAS que cerceiem a LIBERDADE até de EXPRESSÃO dos candidatos, invocando um moralismo arbitrário qualquer, tal como o POLITICAMENTO CORRETO o FAZ. Ademais, os já eleitos estabelecem regras democráticas que dificultem ou mesmo impeçam candidaturas, no mínimo tentando neutralizar o sucesso de reais adversários dos que ocupam o Poder nas hierarquias estatais.

    Quando a MINORIA for capaz de sustentar o LUXO da MAIORIA, a tal democracia será apenas a LEGITIMAÇÃO da TIRÂNIA. Um embuste!

    Trazendo para o campo da realidade palpável, não hesito minimamente em sentenciar que:

    QUANDO UMA MINORIA de PAGADORES de IMPOSTOS for capaz de SUSTENTAR o LUXO de uma MAIORIA de RECEBEDORES de IMPOSTOS, a ESCRAVIDÃO SERÁ PERFEITAMENTE DEMOCRÁTICA e, pelas vias democráticas, impossível de ser combatida.

    …MAS os tolos, envaidecidos com as juras de poder do eleitor, persiste fazendo da Democracia um TABU, inquestionável, confundindo Democracia co Liberdade, quando a realidade é oposta.

    Liked by 2 people

  2. Manuel Assis Teixeira permalink
    8 Janeiro, 2018 12:15

    Cristina: estou quase sempre de acordo consigo e desta vez uma vez mais! Queria no entanto fazer-lhe uma sugestão: não poderia fazer os seus textos um pouco mais curtos? Eu sei que há sempre muito e muito que dizer desta maltosa, mas com textos um pouco mais sinteticos a leitura seria mais facil e provavelmente mais gente os leria. Enfim. É só uma sugestão pessoal. Obrigado

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      8 Janeiro, 2018 14:56

      Obrigada pela sua sugestão. Eu limito os textos escritos a cerca de 600 palavras. Não os faço muito curtos porque tornam-se menos claros e dúbios. Tenho por isso 1 canal YouTube através do qual, com vídeos curtos mas assertivos tento chegar ao público que não gosta de ler. Estive parada por razões pessoais com os vídeos q vao ser retomados esta semana. Convido-o a subscrever.

      Gostar

      • Andreia permalink
        8 Janeiro, 2018 20:03

        Não concordo com muito do que diz, porém acho que tem alguma razão em algumas coisas que também disse e já vai sendo tempo da Direita se expressar sem pedir desculpa.

        Liked by 1 person

  3. Rogério Monteiro permalink
    8 Janeiro, 2018 13:04

    Boa Cristina dá-lhes com força, pois essa indignação é a indignação de muitos portugueses (daqueles que ainda vão tentando se manter informados ) e que não sabem onde e como manifestá-lo.
    Sendo uma pessoa com muita visibilidade, porque não encabeçar um movimento de pressão aos partidos de que se não alteram a lei eleitoral, os portugueses vão responder com a abstenção. Eu serei o primeiro a assinar.Esta escumalha politica tem que perceber de uma vez por todas de que existem para servir e não para se servirem.

    Liked by 2 people

    • Cristina Miranda permalink
      8 Janeiro, 2018 14:52

      Eu já tenho esse movimento. Movimento Cívico Não Nos Calamos. Tem página no Facebook

      Liked by 1 person

      • 8 Janeiro, 2018 20:26

        “Não nos calamos” , é um belo slogan para a revolução das ovelhas…

        Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        9 Janeiro, 2018 22:52

        Eu sabia q ia gostar

        Gostar

  4. 8 Janeiro, 2018 15:45

    Esqueceu-se de uma coisa. todos os partidos foram infiltrados pela Maçonaria. Neste momento o PS é o seu 1º filho, mas as metástases estão em todo os outros.
    Por isso a ditadura é bem pior -não é multipolar, mas unipolar!
    O ditador é o diretório da supracitada organização.

    Gostar

  5. Aventino permalink
    8 Janeiro, 2018 16:51

    Je Suis
    S A L A Z A R

    Gostar

  6. Arlindo da Costa permalink
    8 Janeiro, 2018 18:18

    No tempo das pulhíticas do Passos &Portas, do Gasparzinho e da Marilú, o Estado não era ladrão. Devia ser a Santa Casa!

    (não esquecer que foi durante os governos da PàF que houve o maior aumento de impostos enquanto Portugal é Portugal!!!! E talvez de todo o mundo ocidental!)

    Gostar

    • A. R permalink
      8 Janeiro, 2018 20:11

      Olhe que não. Não terá sido quando o Soares meteu o socialismo na gaveta? Ou o PS que levou o défice a quase 12% provocando um endividamento chavista?

      Liked by 1 person

    • alex.soares permalink
      9 Janeiro, 2018 22:36

      Ora então muito bem, lindinho tosta vamos fazer umas contas de aritmética, contas de sumir, sabes o que é, não sabes. Fazemos assim que a modos de uma lista de impostos: de um lado os impostos do tempo do maior aumento de impostos que houve em Portugal, do outro o valor desses mesmos impostos actualmente.
      Vamos começar:
      1 – ISP por litro de gasolina simples 95 subiu de 0,6175 €/litro em 2015 para 0,6678 €/litro em 2016, o que representa um aumento de 8,1% ou de 0,0503 €/litro;
      2 – ISP por litro de gasóleo subiu, em média, de 0,4020 €/litro em 2015 para 0,4515 €/litro em 2016, correspondente a um aumento de 12,3% ou 0,0495 €/litro.
      lindinho tosta, fazes o favor de contariar ou queres continuar ? a lista é toda tua. força. continua. és valente, valentão. contigo ninguém brinca, nem que vás a pé e a pedir.

      Liked by 1 person

  7. 8 Janeiro, 2018 19:13

    APOIADO !!!!

    Liked by 1 person

  8. 8 Janeiro, 2018 19:39

    Isto está fraquinho…

    9 comentários, dos quais 2 são da própria autora.

    Deveria fazê-la refletir, Cristina…

    Talvez seja por se estar a tornar… sei lá… como dizer…. cansativa!

    Este texto mais parece reciclado de uma resma de outros anteriores.

    Eu, que prezo a sua escrita no blog, apenas venho fazer este comentário para que os comentários se multipliquem e, assim, para que a Cristina não desmotive… e se cale…

    Gostar

    • alex.soares permalink
      9 Janeiro, 2018 22:54

      já vi que não gostas que te chamem ladrão.
      deixa lá, olha que há “uns que eu conheço que sem parecer o que são, são aquilo que eu pareço”.
      digo-te mais, actualmente somos “governados” por um bando de gatunos em conluio, e os gatunos não são só os que estão no governo, há mais, de variadas colorações, que gostam de festas, sem iva, são uns modernaços, sem à frente na rectaguarda, uns autênticos vampiros, que chupam a cabra no pinhal do rei à sombra do eucalipto.
      nem que chova mas não te constipes, que isto de se constiparem todos ao mesmo tempo só para chatear vai ser alterado, legalmente por via legal e de noite, quando há menos emplastros a chatear, e sem iva que a festa tem de perdurar.

      Liked by 1 person

      • Cristina Miranda permalink
        9 Janeiro, 2018 23:03

        Muito bom! Ahahahahahahahahah

        Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        9 Janeiro, 2018 23:04

        Meu caro X, tu queres é aparecer

        Gostar

  9. Filipe Costa permalink
    8 Janeiro, 2018 19:51

    Não sei quem elegí para deputado, votei num Partido e em todos os que foram escolhidos pela “Direção” para estaremm numa lista de eligiveis.

    Ora, eu queria votar no 2º da lista, não pude.

    Liked by 1 person

  10. PA, permalink
    8 Janeiro, 2018 22:40

    muito bem . Não podia estar mais de acordo. Um País de ladrões, gatunos malfeitores, começando na casa da democracia,onde práticamente ninguém se salva.

    Liked by 1 person

  11. 10 Janeiro, 2018 00:13

    Republicou isto em HISTÓRIA da POLÍTICA.

    Gostar

  12. licas permalink
    15 Janeiro, 2018 10:27

    Tanto barulho, talvez em vão

    O Vicente está no quente
    Nem sequer pensa voltar
    Sofre com o nosso ar
    Tirita, fica doente:
    Vir para cá, não cai nessa
    Tirem isso da cabeça.

    Houve cá um Procurador
    Atento e obrigado
    Que não se mostrou rogado
    De dar um geitto a favor
    Do Angolano dos prédios
    Directo, sem intermédios

    Excepto dois advogados
    Que também vão ser julgados

    licas fecit

    Gostar

  13. licas permalink
    15 Janeiro, 2018 11:13

    Camaradas

    Comunista não despega
    Quando chega a mandar
    Acaba sempre em refrega
    Para aceder alternar:
    Negação de Democratas
    Apenas e só Primatas.

    Bem sabemos de ginjeira
    Raça imunda e pertinaz
    Qu´é essa a vossa maneira
    Das merdas que sois capaz
    Convivência é coisa morta
    Violência o qu´importa.

    Aparecem iracundos
    Andam sempre com azia
    Ambiciosos de fundos
    Cobertos de hipocrisia:
    Vão roubar a quem o tem
    Não atendem a ninguém.

    O Muro há muito caiu,
    Mas não lhes calou o pio

    licas fecit

    Gostar

  14. licas permalink
    15 Janeiro, 2018 14:41

    Cristina Miranda

    Não deve ter tido a experiência de viver sob o Salazarismo
    para tentar classificar “isto” de ditadura.
    É que estou em pulgas para saber qual é a maneira que
    preconiza para se escolher os dirigentes.
    Mas não me venha dizer que têm de ser honestos, dignos,
    desinteressados do dinheiro, castos, de trato amável, etc.
    Queria saber dos “mecanismos” (não das virtudes)….
    Tá bem. Obrigadinho.

    Gostar

  15. jArt permalink
    2 Abril, 2018 11:06

    1ª lei da república deveria ser: ninguém pode entregar ao estado mais de 25% do seu rendimento disponível, incluindo impostos diretos e indiretos.
    2ª lei: quem governa, no final do mandato deve apresentar, pelo menos mais um euro de poupança.
    De resto não vale a pena perder tempo com este país, porque está cheio de espertos, cujos resultados são a miséria do povo.

    Liked by 1 person

  16. Frederico permalink
    21 Outubro, 2018 16:34

    O problema é que na realidade o estado n sabe fazer nada bem, ou melhor, não tem incentivos para isso. Um gestor de uma entidade pública ganha o mesmo se ela tiver lucro ou prejuízo, quer o serviço seja bom, quer seja mau.
    É por isso que temos de limitar a influência do estado aquilo que o mercado não pode dar: segurança policial e militar. Tudo o resto, inclui do saúde, deve pertencer ao mercado livre, que é o único que tem de prestar um bom serviço, caso não queira falir.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: