Saltar para o conteúdo

A confissão de Francisca Van Dunem segundo a “teoria do Daniel Oliveira”

5 Novembro, 2018

É tão giro ver nos intelectuais da esquerda à direita, comentadores e  comunicação social, uma preocupação  obsessiva com a nomeação do Juiz Sérgio Moro para ministro da justiça brasileira, lalegando que põe em causa o princípio da separação de poderes. Bem, eu devo ser realmente muito ignorante por ver exactamente o oposto. Porque este medo não é normal num país cuja Ministra da Justiça veio do TCIAP e é juíza do Supremo Tribunal de Justiça. A pergunta é: que “confissão” deu Van Dunem ao aceitar o cargo no ministério ou isto passou ao lado destes comentadores? 

Não compreendo como é que um país, que além disto,  tem um PGR nomeado por governos, uma eleição de juízes por via electrónica, se acha com superioridade moral para opinar sobre outros países que, por muito que lhes custe admitir, estão a fazer melhor que nós na área da justiça. Ou já se esqueceram que no Brasil os corruptos já estão na cadeia a cumprir pena (e mais irão), os processos são céleres  e nós, além de os ter todos soltos e a viver bem – alguns até já condenados –  não se prevê que sejam julgados ou presos tão cedo.  E mais: há o risco de “prescrição” de uns  e o habitual arquivamento por “falta de provas”, de outros.

Por isso,  é preciso ter muita falta de vergonha para certos indivíduos virem para as televisões e jornais criticar o Brasil,  com um país como o nosso que protege os corruptos descaradamente. Quem não assistiu à substituição desnecessária, pelo governo, da PGR Joana Marques Vidal, com a ajuda do Presidente da República e que estava a fazer um trabalho brilhante no combate aos crimes de colarinho Branco? Quem não viu um sorteio para a escolha de um juiz da Operação Marquês, a ser seleccionado à quarta vez, colocando de fora Carlos Alexandre que conduziu de forma também brilhante o processo, por outro com currículo vasto em arquivamentos e queixas do ministério público? Quem não viu no passado, Cândida Almeida, Noronha do Nascimento e Pinto Monteiro a arquivar tudo o que implicava o arguido Sócrates, onde até se recortou literalmente provas do processo?  E andam estes a fingir estarem preocupados com a separação de poderes. Francamente.

Nós como país somos a prova que não há nem nunca houve separação de poderes. Só de fachada. Porque na verdade temos um sistema promíscuo em que o poder político  tem tentáculos em todos os sectores.  E movimenta-se livre, de forma escancarada, porque já se sabe que aqui, neste rectângulo, só vai preso quem está fora do sistema. E não há, nem nunca houve, vontade de mudar isto. Mas disso, os comentadores do regime não falam. Muito menos a comunicação social.

Sérgio Moro de facto é um “perigo” no Ministério da Justiça brasileira, não pelo que o acusam mas pelo trabalho sério, honesto e principalmente competente que vai fazer de imediato. Porque ele conhece bem os meandros da justiça brasileira. Sabe por experiência o que funciona bem e mal, para corrigir  tudo aquilo que durante anos contribuiu para a escapatória dos corruptos nas malhas da lei. E sabe como ninguém, o que é que o sistema judiciário precisa melhorar para limpar a corrupção do país. Porque ninguém melhor que um profissional da área para fazer o que tem de ser feito e bem. Ora, se isto é assustador? Claro que sim, mas só para aqueles que viveram à custa do sistema corrupto do país.

É o caso de alguns políticos e empresários em Portugal. As ligações da Lava Jato têm tentáculos até nós. Um “super juiz” que já demonstrou ser incorruptível, íntegro e implacável no combate à corrupção, só pode deixar muita gente sem dormir do lado de cá. Porque de repente perceberam, que apesar de terem mudado o Juiz Carlos Alexandre, apesar de terem corrido com Joana Marques Vidal, a ameaça continua do outro lado do atlântico com o Processo Marquês e Monte Branco, ligado ao Lava Jato.  Mas que ao contrário daqui, não podem mais controlar. O PT foi corrido.

Por isso diz-se “inverdades” sobre Moro e esconde-se as verdades. E as verdades são: que  a Lava Jato teve seu início em 2014  sem que nada fizesse prever que alguma vez Bolsonaro chegasse à presidência; que essas investigações foram levadas a cabo pela Polícia Federal sendo que Moro só as autorizou; que  Lula viu sua pena ser aceite e aumentada pelo TRF4 e não por Moro; que  Lula viu  sua candidatura ser rejeitada pelo TSE e não por Moro; que Lula teve seus inúmeros recursos negados pelo STF e STJ e não por Moro. Portanto, a “culpa” não foi de Moro mas dos tribunais das instâncias superiores. Logo, a teoria da perseguição política é falsa.

Enquanto por cá se tenta ensinar os outros países a se governarem, nós escolhemos os ministros e secretários de acordo com os laços familiares, amizades e interesses, mesmo sem qualquer experiência, mesmo com licenciaturas falsas, mesmo sem sequer serem da área para que são nomeados. Que o diga Galamba que até conseguiu uma nomeação para secretário da pasta da… energia. Foi escolhido por saber ligar interruptores?

Num país que não privilegia o saber, a experiência como factor fundamental para uma nomeação, jamais terá a eficiência dos ministérios de Bolsonaro. E isso dá medo a quem não interessa que se prove que sem  políticos a fazer política num governo, o país prospera.

 

Anúncios
20 comentários leave one →
  1. BandoDeCorruptos permalink
    5 Novembro, 2018 13:59

    Ora é isso mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Ainda vamos passar pela vergonha de se saber mais da corrupção em Portugal através das investigações da corrupção no Brasil do que pelas de cá. Pelo menos com a Venezuela os nossos corruptos estão descansados, daí gostarem tanto do que lá se passa e os moços-de-recados dos media andarem caladinhos sobre os constantes crimes políticos lá.

    Liked by 3 people

  2. Daniel Ferreira permalink
    5 Novembro, 2018 14:32

    Apenas 2 notas:

    a primeira é que controlar quem os pode condenar é uma das principais metas da Teia dos genocidó-comunistas. Gritar nomes (fascistas!! é dos meus preferidos) a quem quer impedir a total anarquia social é dos seus passatempos preferidos. E logo esta seita, que já reescreveu Fundamentalmente a Constituição Portuguesa sem ter legitimidade para tal, sem dizer nada a ninguém e/ou no rescaldo de tragédias. Basta ver as leis destrutivas passadas imediatamente a seguir ao incêndio de Pedrogão e à queda da árvore na Madeira para percebermos o que estão a fazer ao nosso País.

    a segunda, e para quem não sabe, é que a nossa ministra da Justiça (da JUSTIÇA!!!!) é descendente direta da família usada para patrocinar, organizar e incentivar a “revolta” angolana nas guerras ditas coloniais. Morte aos brancos e mestiços era o lema apregoado pelos nossos irmãos Van-Dúnem pré-1976. E quantos tugas morreram lá mesmo? Como pode uma pessoa assim chegar a um lugar destes e para que efeito?

    O senhor Juíz Carlos Alexandre já deve saber por esta altura que mais cedo ou mais tarde vai parar ao banco dos réus. Ser capaz de achar que a seita do “propriedade privada é crime” comete crimes é um crime por si só que irá ser julgado para todos tomarmos como exemplo. Afinal de contas, tudo lhes pertence por direito Divino!

    O que vale é que aqui há separação de poderes!

    Liked by 2 people

  3. LTR permalink
    5 Novembro, 2018 15:08

    Imaginemos que o Bolsonaro se propunha governar vitaliciamente como na grande república vermelha, sobre a qual quase todos fizeram o exercício intelectual de fazerem de conta que não tinham reparado que até desaparecem chefes da Interpol com a mesma naturalidade com que também não repararam nesta ministra. Mas se o Relvas fizer umas cadeiras por equivalência, reparam logo.

    Gostar

  4. The Mole permalink
    5 Novembro, 2018 15:31

    O Galamba escolhido por saber ligar interruptores? Bem apanhada! Mas com aquela carinha dele, duvido que ele saiba…

    Liked by 1 person

  5. Nuno permalink
    5 Novembro, 2018 16:02

    Por cá temos isto:

    Liked by 1 person

  6. Procópio permalink
    5 Novembro, 2018 16:20

    A situação escabrosa que se vive no sítio está descrita com inteira objectividade.
    Um tipo cujas origens nada têm que ver com o território nacional e com quem cá vive decide sobre tudo e sá não amachuca os amigos.
    Uma refugiada, pertencente a uma família conhecida pelo ataque a portugueses, colocada em lugar estratégico, estanca com dua penadas qualquer investigação idónea.
    O Brasil está-lhes atravessado na garganta funda. Talvez venhamos a saber porquê.
    Portugal é o maior importador, quer o maior exportador face ao Brasil…
    Os EUA ainda mais. Está por perceber a afirmação: “é uma grande honra receber o altamente respeitado Presidente de Portugal”. “Temos uma relação tremenda com Portugal há muito tempo e devo dizer que nunca foi tão boa como é hoje”.
    Um gozo em resposta aos desconchavos.
    Um amigo de meu pai, ex embaixador de gabarito, versado em relações diplomáticas, deitou as mãos à cabeça ao ver a figura da personagem na Casa Branca.

    Uma síntese:
    https://expresso.sapo.pt/internacional/2018-11-05-El-Chapo-comeca-a-ser-julgado-em-Nova-Iorque-sob-fortes-medidas-de-seguranca
    Azar o dele. Sendo cá, inscrevia-se no partido certo e tinha dois anos com pena suspensa.
    Um lamento:
    “Se não prestarmos atenção aos cavalos-marinhos, vamos perdê-los” Público.
    A vida sem cavalos-marinhos não é a mesma coisa.
    .Esclarecimento:
    “Ninguém compreenderia” que investigação sobre Tancos terminasse sem esclarecer o crime.
    Eu compreenderia.

    Liked by 2 people

  7. José Domingos permalink
    5 Novembro, 2018 16:27

    É sempre saudável ler a Cristina. Muitos dos que andam no MP, DCIAP, DIAP e todos os D´s, cá do burgo, tinham na mesa de cabeceira o livrinho do Mao, o vermelho, o mesmo que matou uns milhões, mas isso agora não interessa.
    Quantas “ilustres” figurinhas, não andaram por aí a gritar que há corrupção, até a explicar como se poderia fazer e não aconteceu nada.
    Não lhes interessa, existem demasiados esqueletos nos armários, par fazer o que quer que seja. Portugal passou a ser uma famiglia, e claro, hoje por ti amanhã por mim.
    Na net consegue-se saber alguma coisa sobre os Van-Dúnem, somos uns vendidos.
    Os aventais conseguiram com a benção parlamentar da casa da treta, como á cem anos, ter um governo que ninguém elegeu, portanto um “governo” não democrático, baseado numa constituição de esquerda, que não reflecte o estado actual da sociedade, onde todos os partidos se barricaram, para tratar da vidinha deles, onde as listas são fechadas impedindo-se aos cidadãos eleitores uma escolha mínima entre os candidatos a deputados nas listas impostas pelos partidos.
    E não saímos disto, se calhar, também não merecemos, somos servis.
    Já agora, o voto devia ser obrigatório e com multa, como no Brasil.

    Liked by 3 people

    • Artista português permalink
      5 Novembro, 2018 23:20

      Já alguém se pôs a investigar a relação entre a família van Dunen e o negócio de escravos?

      Liked by 1 person

  8. Colono permalink
    5 Novembro, 2018 16:30

    Nós antigos administradores da PT estamos 100% de acordo coma nomeação de Moro… Ele vai combater a corrupção no Brasil… Que os sirva de exemplo

    Gostar

  9. Colono permalink
    5 Novembro, 2018 16:31

    “nos” sirva de exemplo…”

    Gostar

  10. maria permalink
    5 Novembro, 2018 17:26

    Quem é esse Bardamerda daniel oliveira? este Bardamerda chamou a Cavaco Silva homem menor. Onde reside a sua superioridade moral?
    O Balsemão passou-se?

    Liked by 3 people

  11. Perigoso Neoliberal permalink
    5 Novembro, 2018 18:09

    Parece que as asneiras sobre o Brasil não acabaram com as eleições. Este caso da nomeação do Sérgio Moro é mais um exemplo. A Cristina já explica os factos relevantes, eu acrescento um detalhe, para quem não saiba: um tipo só é impedido de concorrer às eleições se for condenado por órgão colegiado. O Moro condenou o Lula em primeira instância. Isso não o impedia de concorrer. O que o impediu de concorrer foi a condenação do TRF 4.
    Quem está a espernear por aqui é a esquerda, por motivos óbvios e que a Cristina já explicou.
    Já vi também por aí muita indignação por o Moro ter dito que não entraria na política e agora ter mudado de ideia. AINDA BEM para o Brasil que ele mudou de ideias! Se ele conseguir fazer metade daquilo que quer já será um enorme avanço neste país.

    Liked by 1 person

  12. Raghnar permalink
    5 Novembro, 2018 18:14

    https://www.jornaldenegocios.pt/economia/justica/detalhe/cravinho_fui_travado_de_todas_as_maneiras_e_feitio

    Se Moro tivesse deixado a classe política brasileira descansada, em troca de um qualquer tacho milionário numa “instituição internacional” estaria tudo a aplaudir com as orelhas.

    O homem ousa acusar políticos de corrupção, aparentemente sem isentar ninguém e, perante convite, abandona a sua zona de conforto para utilizar esse crédito em serviço do seu país. Indivíduo perigosíssimo…

    Liked by 2 people

  13. lucklucky permalink
    5 Novembro, 2018 20:05

    Jornalismo Marxista.

    Liked by 1 person

  14. Albano Silva permalink
    5 Novembro, 2018 22:23

    A Cristina esqueceu-se de acrescentar algo muito relevante relativamente aos tribunais superiores que confirmaram a prisão de Lula: são, na sua maioria, compostos por juízes nomeados durante os Governos PT, de Lula!

    Quanto ao facto, para muita gente inaceitável, de Moro ter aceite o cargo de ministro da Justiça depois de ter dito que não aspirava a entrar na política, essa gente esquece a máxima desde há tempos muito em voga: “O que hoje é verdade, amanhã pode ser mentira”. Esquece, apesar de ela ser tão frequente na “nossa casa”!

    Liked by 1 person

  15. A. R permalink
    5 Novembro, 2018 23:48

    Então mas até foi o Lula que disse que o triplex era dele?

    Liked by 1 person

  16. Velho do Restelo permalink
    6 Novembro, 2018 17:16

    Cristina, não creio que seja ignorância da sua parte, mas poderá ter descurado alguns detalhes :

    Moro é juíz e mandou o Lula para a choça ; FVD enquanto MP não acusou nenhum VIP do PS (penso eu de que …).
    Carlos Alexandre é “pouco brilhante” (estou a citar um certo jumento …), e tanto quanto se sabe não tem familiares nem amigos a trabalhar na comunicação social, por isso fica-lhe muito mal dar entrevistas na RTP!
    Já o seu substituto, consta que tem um mano na RTP (Madeira) e a entrevista que deu no programa “vidas de mérito” da mesma RTP, fica-lhe bem e enaltece o ego.
    Quanto aos tics perfeccionistas do Ivo, acho bem. Há que seguir as regras, e quem não gostar que as mude. Propunha era que o Sr. Juíz fosse fazer o trabalho de MP (na criminalidade de colarinho branco) durante um ano para ensinar os MP´s a trabalhar.
    Claro que ficam assustados! Só de pensar que Carlos Alexandre pode um dia mudar de ideias, e virar ministro da justiça dum governo tuga-populista … se eu fosse corrupto também ficava preocupado!

    Quanto ao resto, infelizmente tem razão uma vez mais.

    Liked by 1 person

  17. Porreiro Pá permalink
    8 Novembro, 2018 09:39

    Muitos dos comentadores televisivos, desconhecem a realidade. Muitos Oliveiras, opinam só por opinar e dizem o que lhes vai na gana. Metem-se com tudo e todos sem conhecerem a realidade. Não respeitam o seu semelhante mas sabem tudo sob a matéria. Este senhor Oliveira bate em tudo que é adverso aos seus ideais, por isso, roda, roda, mas não sabe se gira para a esquerda ou anda mal às direitas.Da última vez meteu-se com o Brasil. Brasil é Brasil e Portugal é Portugal. Os Brasileiros respondem pelos seus e nós temos que responder pelos nossos. Preocupou-se com o super juiz em ir para a política e não se preocupa com o que se passa à nossa volta?… Por acaso tem a noção de como a justiça é feita em Portugal? Apenas dois exemplo a que assisti no parque da nossa justiça:
    1- Um cidadão é apanhado num supermercado a desviar uns chocolates. Reage ao policia da seguinte forma – tira a farda e vamos para a rua que eu fo**** a tromba.Lá fora és igual a mim seu fdP* ( cometeu um crime)
    2-Um cidadão, no seu local de trabalho foi sempre exemplar. Um dia tiraram-lhe a cadeira e reagiu, não em prole dos seus interesses profissionais, mas em prole da sociedade que lhe paga ao final do mês. Escreveu um artigo, descrevendo o que lhe ia na alma. (cometeu o crime por o divulgar através dos meios eletrónicos)

    O primeiro foi condenado na pena de multa de 700€ (tenho dúvidas se a pagará)
    O segundo foi condenado na pena de multa de 1500€ mais indemnização de 1000€.

    Gostar

Trackbacks

  1. A confissão de Francisca Van Dunem segundo a “teoria do Daniel Oliveira” – PortugalGate

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: