Saltar para o conteúdo

Portanto ou deixamos de pagar impostos e fazemos um pé de meia para nos tratarmos no privado ou estamos tramados

29 Novembro, 2018

Duas mil cirurgias adiadas devido a greve. “Não é possível reprogramá-las nos próximos anos” É com “absoluta certeza” que a bastonária da Ordem dos Enfermeiros (OE) afirma que as intervenções cirúrgicas adiadas devido à greve dos enfermeiros não vão ser reprogramadas em tempo útil. “Não é possível, se a greve durar até 31 de dezembro ou se se prolongar, reprogramar nos próximos anos estas cirurgias para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) em tempo útil”, diz Ana Rita Cavaco.

Anúncios
12 comentários leave one →
  1. JgMenos permalink
    29 Novembro, 2018 10:03

    O sucesso da enfermagem está garantido!

    Gostar

  2. Daniel Ferreira permalink
    29 Novembro, 2018 10:13

    Não há dinheiro para pagar a fornecedores, não há dinheiro para pagar melhoramentos, não há dinheiro para pagar salários. Mas eis que há dinheiro para encher os senhores das farmaceuticas por mais 3 vacinas OBRIGATÓRIAS no plano de saúde. Uma das quais é a rotavirus, que já eram “opcionais” mediante a módica quantia de 100€ por cada uma das 3 vacinas. São 300€ utente. Claro que para suavizar a coisa, ontem lá estava o braço armado da Somos Integralmente Comunas, no seu noticiário do almoço a dizer que 2 pessoas tinham sarampo e 5 tinham não sei o quê(mas como o estado é competente, a situação estava controlada!) 7 pessoas num país com 10 Milhões!! Devem ter ido mais pessoas ao hospital com uma espinha na garganta ou que levaram com um rolha de champagne na cara do que qcom doenças “perigosas”. Mas tudo bem, mais umas dezenas de milhões para os senhores que os patrocinam.

    Liked by 2 people

    • Oscar Maximo permalink
      29 Novembro, 2018 15:56

      Se quando existem 7 ou menos casos, para-se de tomar medidas, nunca se há-de erradicar nenhuma doença.

      Gostar

      • Daniel Ferreira permalink
        30 Novembro, 2018 10:52

        Senhor Oscar, num mundo perfeito você até teria razão. Mas com a conjuntura genocidó-chupistó-comunista que nos governa, não sei o que é mais “inocente”:
        se é achar legítimo DAR dezenas (centenas?) de milhões de euros a farmaceuticas legitimado por meia dúzia de casos num país com 10 milhões (num país mais que falido, note-se) ou se é achar que alguma vez se vai irradicar alguma doença quando sabem que bastam haver meia dúzia de casos para se cobrar dezenas (centenas?) de milhões.
        No ano passado os enfermeiros fizeram finca-pé que não queriam tomar vacinas e no dia a seguir dezenas de enfermeiros apareceram doentes. Coincidencia do caraças, uh?

        Gostar

  3. 29 Novembro, 2018 13:26

    Há alguns anos, no fim do consulado de Sócrates, o telefone dos meus pais tocou. Eu atendi. Era de um hospital a perguntar se se podia programar uma operação às cataratas da minha avó para um determinado dia.

    A minha avó morreu há já um ano… – respondi.

    Contando com o Alzheimer de que ela padeceu nos seus últimos anos, eu estimei que aquela operação esteve, no mínimo, dois anos e meio em espera. Uma bagatela. Pelo menos de uma coisa podemos gabar-nos: somos consistentes.

    Liked by 1 person

    • alex.soares permalink
      29 Novembro, 2018 13:55

      Quem me dera (Deus me permita) assistir minha mãe e meu pai na sua velhice como ela assistiu meu avó, seu pai.
      SEM ESTADO.

      Gostar

  4. 29 Novembro, 2018 13:27

    Estes sacanos é que deviam ser deportados para a Venezuela ou Cuba.

    Quanto mais têm mais querem. E quem lhes dá é o tal “amigo da Função Pública”.

    Gostar

  5. 29 Novembro, 2018 13:30

    Ah, mas continuam a importar “migrantes”. Não há para quem desconta mas os hospitais do Estado estão cheios destes “refugiados” que nem fazem nada.

    A abarrotar. Dizia-me uma uzbeque que desconta que no país dela não é assim. Nem sequer há estas bichas e há muitos médicos e enfermeiros.
    Claro que lhe perguntei como era por lá a imigração…

    Não é.

    Gostar

  6. 29 Novembro, 2018 13:31

    Mas podem ir a qualquer hospital sem obrigatoriedade de ser o da área de residência.
    A qualquer momento. E posto de saúde também

    Gostar

  7. colono permalink
    29 Novembro, 2018 16:16

    Adiar por mais d’um ano uma cirurgia grave devia ser crime …. punível com pena máxima…

    Só acabarão no dia em que a ministra da saúde/ Costa/ e Compª eles próprios e familiares sofrerem na pele o criminoso adiamento…

    Alguem, por ocaso, os viu sentados na sala de espera dos hospitais públicos?

    Liked by 1 person

    • 29 Novembro, 2018 19:43

      Pois devia.

      E eu não sei se algum de v.s já assistiu àquele putedo dos piquetes de greve a fiscalizarem as colegas que não fazem sorna mesmo nas urgências.

      Uma vez passei-me. Foi uma coisa linda- chamei-lhes tudo- disse que até deviam ir para o Guiness das greves e que já atingiram o patamar africano.

      Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: