Saltar para o conteúdo

E se o Encarregado de Educação não concordar?

14 Setembro, 2019

70404365_1401246923374268_7159327126536060928_n

Podem as cabecinhas pensadoras que conceberam este panfleto explicar o que entendem por cada umas das rubricas dos alegados “Temas a desenvolver no domínio congnitivo”? À excepção da Segurança Rodoviária  tudo o mais é “>agitação & propaganda.

Anúncios
13 comentários leave one →
  1. JgMenos permalink
    14 Setembro, 2019 12:37

    Podia não ser assim, não fora o corretês idiota e corrupto.
    Quanto ao bem estar animal a minha curiosidade vai para os ratos, baratas, melgas e similares.

    Gostar

  2. Miguel Santos permalink
    14 Setembro, 2019 12:41

    A minha filha vai para o 5º ano e ontem foi a reunião de apresentação com os pais.
    A primeira reunião começou logo com elogios à multiculturalidade, e qualquer coisa do tipo “são todos bem vindos excepto o Trump”

    Liked by 1 person

  3. MJRB permalink
    14 Setembro, 2019 12:43

    O actual ministro da Educação é inapto para o cargo, laxista, subserviente, tótó. Não por acaso foi colocado naquela função.
    Uma vez ouvi o tipo num acto público e fiquei estupefacto com tamanha indigência e vulgaridades proferidas.
    Mas há um tipo pior (que eu também ouvi e muito me ri durante tamanhas patetices): o secretário de estado da juventude e Desporto. Um pau mandado, voz do dono, pirolito agitado por interesses vários. Aliás, este governo tem bastantes governantes-pirolito.

    Gostar

    • Luis permalink
      14 Setembro, 2019 17:15

      Usam o ensino para propaganda. É só ver a desgraça que é o ensino da História. E mais recente, a introdução da componente «humanística» nas Ciências Exactas, ah, e as alterações ao ensino do Português.

      Liked by 1 person

      • MJRB permalink
        14 Setembro, 2019 20:17

        Na mouche ! Desses empecilhos.

        Gostar

  4. Luis permalink
    14 Setembro, 2019 17:12

    Curiosamente foi um Governo de «Direita» que acabou com as disciplinas Técnicas que davam uma excelente preparação para o Superior e com as disciplinas do 12.º ano, o que levou ao desaparecimento da maior parte das turmas de Química ou Física a nível nacional, mas com esta treta desta disciplina não acabaram. Ninguém fala das taxas de reprovação altíssimas no Superior que ocorrem em parte por causa dos maus programas do Secundário. Além de terem acabado com várias disciplinas há cerca de 15 anos ainda introduziram uma componente «humanística» no ensino de ciências exactas como Química…

    Liked by 1 person

  5. Luis permalink
    14 Setembro, 2019 17:23

    Reparem que 70% não vai para a avaliação de conhecimentos objectivos. 70% da avaliação é altamente subjectiva. Agora imaginem isto numa disciplina do Ensino Secundário, cuja média conta para acesso ao Superior. Imaginem ainda um aluno que tenha opiniões e argumentos que fujam à «cartilha» oficial do politicamente correcto. Basicamente, corre o risco de ficar de fora do Superior. Conto algo que presenciei no Ensino Secundário. Tinha na turma um aluno filho de um «retornado». A professora de Português era próxima de alta figura do PS. O tal aluno fez um comentário sobre a família Soares numa aula que a professora não gostou. E fez alguns comentários sobre a descolonização. Mas nunca foi mal educado, apenas manifestou a sua opinião pessoal. O resultado foi este. Como as atitudes e comportamentos valiam 30% da nota final, a tal professora deu-lhe 5 neste item de 1 a 20 por causa de tais comentários (mau comportamento, disse ela) e chumbou-o. Esse aluno queixava-se ainda e com razão de ter uma avaliação injusta nos testes. Teve positiva no exame nacional mas mesmo assim ficou com 9. Isto aconteceu na minha turma. Isto cada vez mais caminha para o fim da avaliação de conhecimentos objectivos, de testes e de exames e para a avaliação «contínua» e subjectiva de «atitudes e comportamentos, participação, empenho». É basicamente o fim do Ensino.

    Liked by 1 person

    • EMS permalink
      14 Setembro, 2019 19:09

      “O tal aluno fez um comentário sobre a família Soares numa aula que a professora não gostou. ”
      Que comentário fez ele? Estou curioso.

      Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      14 Setembro, 2019 20:59

      “Reparem que 70% não vai para a avaliação de conhecimentos objectivos. 70% da avaliação é altamente subjectiva.”

      Isso é, entre outras coisas, para beneficiar as raparigas. Caderno de casa organizado, estar sentado sossegadinho na cadeira (quantos rapazes de 12 anos conseguem estar parados 1h30?). Essas tretas valem 20 a 30% de nota de secundário.
      As raparigas têm melhores notas internas, mas quando vêm as notas de exame, corrigidas por professores que não conhecem os alunos, nem sequer sabem quem é o aluno que estão a corrigir, a diferença de notas é mínima, quando não inverte.

      Sobre o episódio do aluno filho de retornado:
      Basicamente não existe debate na vida pública. Ninguém fora da esquerda pode emitir uma opinião politicamente na escola, universidade, empresa, etc. Fica queimado. A esquerda pode dizer o que lhe apetece. Conclusão: as pessoas são apenas expostas a ideias de esquerda e é um cículo vicioso: os que não são de esquerda, sentindo-se em minoria e em risco de perder tudo, calam-se. Os que não são nem uma coisa nem outra, como nunca são expostos a nada que não seja esquerda, ou ficam onde estão ou tornam-se comunas.

      A propaganda da esquerdalhada está tão entranhada que eu conheci filhos de retornados sem problema em votar PS, quando não BE

      Gostar

  6. maria permalink
    14 Setembro, 2019 17:58

    Com este ensino ficam marados e burros, Gente anormal que não serve de exemplo, põe isto na cabeça de miúdos.
    O tal programa ” gente que não sabe estar”

    Gostar

  7. EMS permalink
    14 Setembro, 2019 19:06

    E se o encarregado de educação não concordar com: “ser pontual”, “respeitar os outros” ou “cumprir as regras de funcionamento da aula e da escola”?

    Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      14 Setembro, 2019 21:01

      Depende. Se for de grupo protegido pelo politicamente correcto, ainda leva subsídio de segurança social no fim.

      Liked by 2 people

  8. Leunam permalink
    14 Setembro, 2019 22:54

    Li algures este texto já há alguns anos e guardei. Continua actual:

    PORTUGAL: QUE FUTURO ?

    Trinta e cinco anos de vida.
    Filho de gente humilde. Filho da aldeia.. Filho do trabalho.
    Desde criança fui pastor, matei cordeiros, porcos e vacas, montei
    móveis, entreguei roupas, fui vendedor ambulante, servi à mesa e ao
    balcão. Limpei chãos, comi com as mãos, bebi do chão e nunca tive
    vergonha.
    Na aldeia é assim, somos o que somos porque somos assim.
    Cresci numa aldeia que pouco mais tinha que gente, trabalho e gente
    trabalhadora.
    Cresci rodeado de aldeias sem saneamento básico, sem água, sem luz,
    sem estradas e com uma oferta de trabalho árduo e feroz.

    Cresci numa aldeia com valores, com gente que se olha nos olhos, com
    gente solidária, com amigos de todos os níveis, com família ali ao
    lado.

    Cresci com amigos que estudaram e com outros que trabalharam.
    Os que estudaram, muitos à custa de apoios do Governo, agora estão
    desempregados e a queixarem-se de tudo.. Os que sempre trabalharam lá
    continuam a sua caminhada, a produzir para o País e a pouco se fazerem
    ouvir, apesar de terem contribuído para o apoio dos que estudaram e a
    nada receberem por produzir.
    Cresci a ouvir dizer que éramos um País em Vias de Desenvolvimento e
    … de repente éramos já um País Desenvolvido, que depois de entrarmos
    para a União Europeia o dinheiro tinha chegado a “rodos” e que
    passamos de pobretanas a ricos “fartazanas”…

    Cresci assim, sem nada e com tudo!!!!!!!!!!!!!!………..

    E agora, o que temos nós???????????????????…

     Um país com duas imagens.
    

    · A de Lisboa: cidade grandiosa, moderna, com tudo e mais
    alguma coisa, o lugar onde tudo se decide e onde tudo se divide,
    cidade com passado, presente e futuro.
    · E a do interior do país, território desertificado,
    envelhecido, abandonado, improdutivo, esquecido, pisado.

     Um país de vícios.
    

    · Esqueceram-se os valores, sobrepuseram-se os doutores.
    · Não interessa a tua história, interessa o lugar que ocupas.
    · Não interessa o que defendes, interessa o que prometes.
    · Não interessa como chegaste lá, mas sim o que representas lá.
    · Não interessa o quanto produziste, interessa o que conseguiste.
    · Não interessa o meio para atingir o fim, interessa o que me
    podes dar a mim.
    · Não interessa o meu empenho, interessa o que obtenho.
    · Não interessa que critiquem os políticos, interessa é estar lá.
    · Não interessa saber que as associações de estudantes das
    universidades são o primeiro passo para a corrupção activa e passiva
    que prolifera em todos os sectores políticos, interessa é que o meu
    filho esteja lá.
    · Não interessa saber que as autarquias tenham gente a mais,
    interessa é que eu pertença aos quadros.
    · Não interessa ter políticos que passem primeiro pelo mundo
    do trabalho, interessa é que o povo vá para o diabo.

     Um país sem justiça.
    

    · Pedófilos que são condenados e dão aulas passados uns dias.
    · Pedófilos que por serem políticos são pegados em ombros, e
    juízes que são enviados para as catacumbas do inferno.
    · Assassinos que matam por trás e que são libertados passados
    sete anos por bom comportamento!
    · Criminosos financeiros que escapam por motivos que nem ao
    diabo lembram.
    · Políticos que passam a vida a enriquecer e que jamais têm
    problemas ou alguém questiona tais fortunas.
    · Políticos que desgovernam um país e “emigram” para Paris.
    · Bancos que assaltam um país e que o povo ainda ajuda a salvar.
    · Um povo que vê tudo isto e entra no sistema, pedindo favores
    a toda a hora e alimentando a máquina que tanto critica e chora.

     Um país sem educação.
    

    · Quem semeia ventos colhe tempestades.
    · Numa época em que a sociedade global apresenta níveis de
    exigência altamente sofisticados, em Portugal a educação passou a ser
    um circo.
    · Não se podem reprovar meninos mimados.
    · Não se pode chumbar os malcriados.
    · Os alunos podem bater e os professores nem a voz podem levantar.
    · Entrar na universidade passou a ser obrigatório por causa
    das estatísticas.
    · Os professores saem com os alunos e alunas e os alunos
    mandam nos professores.
    · Ser doutor, afinal, é coisa banal.

     Um país que abandonou a produção endógena.
    

    · Um país rico em solo, em clima e em tradições agrícolas que
    abandonou a sua história.
    · Agora o que conta é ter serviços sofisticados, como se o
    afamado portátil fosse a salvação do país.
    · Um país que julga que uma mega fábrica de automóveis dura para sempre.
    · Um país que pensa que turismo no Algarve é que dá dinheiro para todos.
    · Um país que abandonou a pecuária, a pesca e a agricultura.
    · Que pisa quem ainda teima em produzir e destaca quem apenas
    usa gravata.
    · Um país que proibiu a produção de Queijo da Serra artesanal
    na década de 90 e que agora dá prémios ao melhor queijo regional.
    · Um país que diz ser o do Pastel de Belém, mas que esquece
    que tem cabrito de excelência, carne mirandesa maravilhosa, Vinho do
    Porto fabuloso, Ginjinha deliciosa, Pastel de Tentugal tentador, Bolo
    Rei português, Vinho da Madeira, Vinho Verde, lacticínios dos Açores e
    Azeite de Portugal para vender…
    · E tanto, tanto mais… que sai da terra e da nossa história.

     Um país sem gente e a perder a alma lusa.
    

    · Um país que investiu forte na formação de um povo, em
    engenharias florestais, zoo técnicas, ambientais, mecânicas, civis, em
    arquitectos, em advogados, em médicos, em gestores, economistas e
    marketeers, em cursos profissionais, em novas tecnologias e em tudo o
    mais, e que agora fecha as portas e diz para os jovens emigrarem.
    · Um país que está desertificado e sem gente jovem, mas com
    tanta gente velha e sábia que não tem a quem passar tamanha sabedoria.
    · Um país com jovens empreendedores que desejam ficar, mas são
    obrigados a partir.
    · Um país com tanto para dar, mas com o barco da partida a abarrotar.
    · Um país sem alma, sem motivação e………….. sem alegria.

    · Um país gerido actualmente só por porcaria….!!!

    E agora, vale a pena acreditar??????????????…
    Vale… Se formos capazes de participar, congregar novos ideais

    sociais e de mudar… o que temos…!!!

    Porquê acreditar???????????????????????…
    Porque oitocentos anos de história, construída a pulso, não se
    destroem em tempo algum . Porque o solo continua fértil, o mar

    continua nosso, o sol continua a brilhar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!…

    SÓ FALTA CORRER COM ……………a « PORCARIA» …!!!

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: