Saltar para o conteúdo

Os amantes da guilhotina

28 Novembro, 2019

Há gente que nunca muda. Note-se contudo como nesta espécie de decálogo ambientalista que por aí circula a guilhotina vem depois da sexta-feira sem carne e antes da reciclagem. Está bem, depois de um dia a alfaces e sumos a besta que há dentro de cada um de nós está pronta para soltar a lâmina da guilhotina. Depois, claro, há que dar destino aos despojos da matança.  Há algo de serial killer nesta gente.
76916720_657223371348977_1047263333440290816_n

37 comentários leave one →
  1. 28 Novembro, 2019 12:56

    Psicopatas. Não tenha dúvidas

    Liked by 2 people

    • jppch permalink
      28 Novembro, 2019 19:17

      preferia o termo sociopatas

      Gostar

      • Velho do Restelo permalink
        28 Novembro, 2019 20:06

        Isso é o quê ? Um xuxa com muitas patas ?? 🙂

        Gostar

  2. Procópio permalink
    28 Novembro, 2019 12:56

    Ela não há meio de encontrar um namorado.
    Os amigos são todos gays e transexuais.

    Gostar

    • jppch permalink
      28 Novembro, 2019 19:23

      e na terra dela dela as mulheres são excisadas e caso o sejam ou não sejam acompanham o macho que tem interesses no tráfego de droga… e ainda ficamos sem saber a qual etnia le pertence,,, dos mais traficantes ou dos menos… na tribo a excisão é certa

      Gostar

  3. MJRB permalink
    28 Novembro, 2019 13:22

    Sem dúvida alguma, essa gentalha se pudesse, pelo menos perseguiria quem não pensa, não age nem acata ordens vegans e afins.
    A essas seitas movidas por uma “religião” proto-castradora, deve-se responder verbalmente de modo violento. Se reincidentes, vai desprezo. No caso de praticarem agressão física ou patrimonial, duas valentes chapadas nos focinhos e voltam para a casota.

    Impressão minha, ou há cada vez mais cães “de estimação” nas grandes cidades, não só portuguesas ?, cujos donos nem sempre os seguram pelas trelas e estão-se marimbando para apanharem a merda dos queriduchos.

    “Acho” que a questão do ambiente no planeta não deve ser menosprezada. Mas detesto oportunismos e lavagens cerebrais de um lado e do outro.

    Liked by 1 person

    • Tiro ao Alvo permalink
      28 Novembro, 2019 13:28

      “(…) há cada vez mais cães “de estimação” nas grandes cidades”.
      Cães? Não pode ser: os cães são carnívoros e a sua pegada ecológica é muito maior do que a pegada média dos seres humanos.

      Liked by 2 people

  4. Luís Lavoura permalink
    28 Novembro, 2019 13:34

    Isto tem todo o aspeto de fake news. Um cartoon feito por pessoas de direita a fingir que é feito por ambientalistas. Manobra de agentes infiltrados, em suma.

    Gostar

  5. LDM permalink
    28 Novembro, 2019 14:22

    Confere, esses jacobinos vêm na linha directa de Robespierre e Saint Just

    Liked by 1 person

    • 28 Novembro, 2019 15:40

      Pois. Mas é mais engraçado procurar os desvios que tiveram depois da Revolução Francesa.

      E nesses é que não vejo quem se interesse muito em pesquisar. Ou meramente mostrar, já que nem é preciso doutoramento para se seguir o fio à meada.

      Gostar

  6. JPT permalink
    28 Novembro, 2019 14:58

    Vá lá, “sexta-feira sem carne” até tem um encanto “retro”!

    Gostar

  7. Mauritano permalink
    28 Novembro, 2019 14:59

    E ainda os há que gostam de, ao fim-de-semana, colocar “super cola 3” (desculpem a publicidade) na fechadura de Bancos e outro tipo de instituições. Não resolvem nada, mas chateiam, e são incapazes de fazer algo produtivo, para além de ajudarem as grandes empresas capitalistas quando trocam de smartphone com o dinheiro da mesada dos papás.

    Liked by 1 person

  8. A. R permalink
    28 Novembro, 2019 18:59

    A habitual “savoir-faire” da esquerda à la Estaline: “Tragam-me o homem que os crimes que ele fez eu descubro-os”

    Gostar

  9. jppch permalink
    28 Novembro, 2019 19:08

    Eu só pergunto uma coisa… isto é real? quem postou aferiu das fontes? é que o Robespierres e a Revolução Francesa com êxitos e fracassos têm séculos para trás…(e não os queremos trazewr para a frente) agora ver, face à evolução sociológica das pessoas “pequenas coisas que podemos fazer para salvar o ambiente” é muito grave…. das duas uma… ou a informação é falsa (volto a sublinhar) ou se não é o é com artigos ou “papers” científicos que nos salvamos destes energúmenos… nem de guilhotinas que pensávamos enterradas no passado… é mau de mais… nem quero acreditar

    Gostar

    • jppch permalink
      28 Novembro, 2019 19:11

      guilhotinar pessoas não é modo, não é acto face à dignidade humana, pense o que pensar… mas isto é o quê?

      Gostar

    • 28 Novembro, 2019 19:48

      Deixei mais acima as fontes de onde vem o cartoon. Faço o favor de conferir.
      V.s nem o Google sabem usar, phónix!

      Liked by 1 person

      • jppch permalink
        28 Novembro, 2019 20:39

        pois não… vi e subestimei…sem o usar o google ( e demais redes sociais que não utilizo e frequento) ,e sem as fragilidades do mesmo cartoon…isso não me impediu de postar neste espaço o que quis deixar exposto… e quando quiser fontes científicas, não se resuma ao google… nem aos cartoons… não miniminize as suas condições intelectuais… todavia ,tem a liberdade de ir ao google ou ao raio que a parta, angariar informação e “guilhotinas, pese embora que me digam na imprensa que são fake news”,..no entanto a situação da guilhotina tem muito a haver e a estarrecer/esclarecer…para o que se publica de senso como um aqui, e o que se pensa,, produz e sustenta não pode ter a haver com uma publicação “post” estúpida … posso ir ao googe, mas academicamente não me sirvo dele…. contextos e culturas.

        Esperava de si outro entendimento, já que não fosse à imbecilidade do cartoon,, pelo menos, repito face à guilhotina… é demasiado grave

        Gostar

      • 28 Novembro, 2019 21:10

        Oiça aqui- se quer saber de onde vem o Cartoon vai à Bodleian Library porque o Google é coisa rasca para um grande académico que em cada 3 palavras acrescenta reticências seguidas de vírgula?

        Gostar

      • 28 Novembro, 2019 21:11

        E as duas vírgulas seguidas aprendeu-as em Eton, suponho; ou foi no pos-doc em Harvard?

        Gostar

      • 28 Novembro, 2019 22:24

        “Ter a haver” é que deve ser um grande défice que nem toda a cultura académica consegue superar.

        Gostar

      • Tiro ao Alvo permalink
        29 Novembro, 2019 08:52

        Para o jppch “senso como um”” valerá por “senso comum”?

        Gostar

      • 29 Novembro, 2019 09:36

        ahahaah

        Essa do “senso como um” tinha-me passado ao lado.

        E se comesse dois, então dava honoris causa

        Gostar

  10. Filipe Bastos permalink
    28 Novembro, 2019 19:53

    Parece-me um bom cartoon. Os cartoons tendem a ser maximalistas e a usar humor para passar mensagens. Todas as mensagens parecem adequadas:

    1) Andar de bicicleta: um bom hábito.
    2) Reciclar: outro bom hábito.
    3) Sexta-feira sem carne: um dia sem carne, nada de especial.
    4) Guilhotinar a classe corrupta que obtém lucro destruindo o planeta: uma boa ideia, tão oportuna quão necessária.

    Claro que já ninguém usa guilhotinas; isso é para rir. O essencial é malhar nos pulhíticos e nos seus chefes, os mamões que mandam no país e no mundo. A começar pela canalha da Banca, dos offshores e dos sacrossantos ‘mercados’.

    Não há outra solução. Essa canalha só pára quando o planeta for um escombro povoado por escravos, enquanto eles vivem nas suas ilhas-fortaleza, defendidos por lacaios e por tecnologia. Suspeito que muitos aqui aspiram a ser os lacaios.

    Gostar

  11. Manuel Vicente Galvão permalink
    28 Novembro, 2019 20:30

    E a “Tragédia dos bens comuns”? faliu?

    Gostar

  12. A. R permalink
    30 Novembro, 2019 10:29

    “ssa canalha só pára quando o planeta for um escombro povoado por escravos, enquanto eles vivem nas suas ilhas-fortaleza, defendidos por lacaios e por tecnologia. Suspeito que muitos aqui aspiram a ser os lacaios.”

    Isto já acontece: em Cuba, em Venezuela, na Coreia do Norte, em Angola, na China.
    Quem são os ricos, onde vivem, quem os protege? È o proprio Estado e quando é o Estado é porque são todos miseráveis.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: