Skip to content

Efeitos da notícia do Público

2 Fevereiro, 2008

As notícias sobre Sócrates produziram alguns resultados interessantes:

A RTP usou a expressão “A nova ofensiva do jornal Publico contra o PM (…)” para noticiar o caso. Proponho que o Público passe a referir-se às notícias da RTP como “Mais um frete da RTP ao governo …”.

O primeiro-ministro classificou, com ar muito ofendido, as notícias do Público como “ataque pessoal e político”. Como se isso constituísse algum ilícito. Admito que lhe faça confusão ainda existirem órgãos de comunicação que publicam notícias desfavoráveis. É a vida.

Ontem, Sócrates desmentiu a notícia do Público que dizia que ele tinha assinado projectos manuscritos por outras pessoas. De seguida, confirmou a notícia ao assumir não apenas a responsabilidade como também a autoria de todos os projectos. A notícia está confirmada a partir do momento em que Sócrates assume a autoria de projectos manuscritos por outros.

Hoje negou ter auferido qualquer remuneração para além da que auferiu como deputado. Pretendeu dessa forma desmentir a notícia do Público. O Público, por seu lado, não afirmou que Sócrates recebeu qualquer remuneração para além da que auferiu como deputado. Limitou-se a afirmar que Sócrates desempenhou funções para além das de deputado.

Vital Moreira tem uma divergência de interpretação jurídica com o Público. Conclui dessa divergência que a notícia do Público só pode ser um deliberado exercício de “Character assassination“. Vital Moreira não admite que neste caso possam existir legítimas diferenças de opinião.

Depois de ontem ter assumido a autoria de todos os projectos, hoje Sócrates alegou que a sua actividade a partir de 1989 foi residual.

Anúncios
66 comentários leave one →
  1. lisbondude permalink
    2 Fevereiro, 2008 18:58

    Independentemente das questões ético-legais, subjaz a questão ética enquanto estética. Sócrates já estava associado ao expediente por fax e ao Inglês Técnico. Mas esta vem associá-lo à estética do pato-bravo, a que o público urbano é particularmente sensível. Ainda para mais num país que em termos de fealdade urbanística só é ultrapassado por algumas zonas dos Balcãs. É a queda do pato-bravo.

    Gostar

  2. 2 Fevereiro, 2008 19:02

    Se ele foi o autor de todos os projectos que assinou (enão há prova em contrário), tirou o tapete à ladainha do JM no DN.

    Gostar

  3. 2 Fevereiro, 2008 19:02

    Também achei curioso quando ouvi a noticia na RTP, chamarem-na de ofensiva contra o PM… acho que já todos percebemos que tipo de pessoa ele é e os meios que utiliza para atingir os seus objectivos. Só é pena que daqui a 2 semanas já ninguem fale disto, como aconteceu com o caso Independente.

    Gostar

  4. 2 Fevereiro, 2008 19:06

    Para a semana arranja-se outro caso.
    Parece que nos fins década de 70, andava num carro que não tinha livrete.

    Gostar

  5. JoaoMiranda permalink*
    2 Fevereiro, 2008 19:07

    ««Se ele foi o autor de todos os projectos que assinou (enão há prova em contrário), tirou o tapete à ladainha do JM no DN.»»

    Pois. Só que há uma subtil diferença entre “assumir autoria” e “ser autor”.

    O Piscoiso por esta altura já teve tempo de ler o artigo do Público, em especial esta passagem:

    ««Destacam-se os processos em que o primeiro-ministro, então engenheiro técnico ao serviço da vizinha Câmara da Covilhã, assina – quase sempre com reconhecimento notarial – peças manuscritas, nomeadamente memórias descritivas, termos de responsabilidade e cálculos de betão, em que a caligrafia usada nada tem a ver com a de José Sócrates. Muitas vezes, essa caligrafia, inconfundível, é a mesma que aparece nos autos das vistorias realizadas no fim das obras pelos técnicos da Câmara da Guarda: a letra de Fernando Caldeira, colega de curso do primeiro-ministro e que, por ser funcionário do município, estava legalmente impedido de subscrever projectos na área do concelho.»»

    Gostar

  6. Filipe Domingos permalink
    2 Fevereiro, 2008 19:13

    Parece-me de facto uma campanha sem precedestes na imprensa (diga-se jornal Público) em que vale tudo. Esta linha editorial do seu director tem expressão na diminuição dos seus leitores.
    Eu próprio sendo leitor desde o nº 1 sou forçado a deixar de o comprar, já não tenho pachorra para todos os dias ver os mesmos títulos numa campanha orquestrada para atingir uma pessoa. Isto não é seguramente jornalismo de referência, é então preferível ler-se o 24 horas ou o correio da manhã.
    Aqui há tempos vi um vídeo no You Tube em que um músico dava uma lição de jornalismo a um suposto jornalista que apenas se interessava pela polémica.

    Gostar

  7. otto klismo permalink
    2 Fevereiro, 2008 19:18

    segundo um juiz da nossa praça “isto” é um “local mal frequentado.” acrescento: sobretudo por políticos.
    estamos entregues a zézinhos

    Gostar

  8. 2 Fevereiro, 2008 19:19

    ohohoh
    E se fosse escrito à máquina em vez de manuscrito ?
    E se fosse escrito no Word ?
    Só cousas que mapoquentam !

    Gostar

  9. na_hora permalink
    2 Fevereiro, 2008 19:43

    Sem dúvida, estas coisas, verdadeiras ou falsas, no inteiro como na parte e mesmo desenterradas por bem ou mera vingança, inveja e mau feitio (que assim deus nos livre de cerejos e balbinos!), são más como o bicho da calúnia para um qualquer PM e assim para nós todos, ninguém se engane, visto quanto pouco sobra à escolha de entre os mesmos responsáveis da política à portuguesa, desde a recém-lembrada como incapaz monarquia…

    Gostar

  10. otto klismo permalink
    2 Fevereiro, 2008 19:43

    os comissários politicos, vulgo bufos, andam por aqui com a ferocidade da asae a mostrar que o socialismo e socialistas são detentores e proprietários da verdade únicos.
    os contribuintes não têm direito a ter ideias só a pagar impostos para engordar o monstro

    Gostar

  11. otto klismo permalink
    2 Fevereiro, 2008 19:45

    “posso dizer o que eu acho?
    sim, mas fala baxo”

    Gostar

  12. Solid Water permalink
    2 Fevereiro, 2008 19:46

    “( O Público)Limitou-se a afirmar que Sócrates desempenhou funções para além das de deputado.”JM

    Ó João Miranda ,isso de querer fazer dos outros burros, é muito pouco correcto. Tu não eras assim!Ensandeceste, rapaz?

    Gostar

  13. 2 Fevereiro, 2008 19:54

    Ah é verdade, a análise grafológica à caligrafia do texto do projecto. Foi o Manuel Fernandes que a fez ou uma autoridade independente?
    Ou foi alguém a tentar imitar a caligrafia do Caldeira, para ter uma leitura mais acessível ?

    Gostar

  14. João Miranda permalink
    2 Fevereiro, 2008 19:55

    ««Ó João Miranda ,isso de querer fazer dos outros burros, é muito pouco correcto. Tu não eras assim!Ensandeceste, rapaz?»»

    Era mais fácil se pegasse na notícia do Público e se demonstrasse que o Público afirmou que Sócrates teve outras remunerações para além da de deputado. Em lado nenhum o Público afirma tal coisa.

    Gostar

  15. 2 Fevereiro, 2008 20:12

    A inquisição dos tempos modernos.

    O homem é judeu

    Gostar

  16. 2 Fevereiro, 2008 20:14

    Marques Mendes presidente do PPD/PSD e deputado , recebia em senhas de comboio para evitar pagar imposto de IRS

    Gostar

  17. Belmiro de Azevedo permalink
    2 Fevereiro, 2008 20:17

    Este João Miranda é outro que me daria um jeito enorme para acabar de vez com o engenheiro. É inteligente o rapaz, sabe confundir os outros. Ó rapaz, não queres trabalhar para mim? Eu também sou do Norte, a gente vai-se entender muito bem, carago!.. Ofereço 100 mil euros por mês, segurança social e um Mercedes. Contacta-me em belmiro@sonae.com.

    Gostar

  18. 2 Fevereiro, 2008 20:18

    “Marques Mendes presidente do PPD/PSD e deputado , recebia em senhas de comboio para evitar pagar imposto de IRS”

    ahahahaha, essa está boa Ouriço, ele então devia viajar imenso de comboio!…

    Gostar

  19. 2 Fevereiro, 2008 20:19

    Ou o que fazia então ele às senhas? Vendia-as?

    Gostar

  20. 2 Fevereiro, 2008 20:20

    Alem de Judeu borrava-se nas fraldas a proxima acusação do Team do Belmiro – Belmiro , no seu incio de empresario, jogava futebol com o pessoal. hoje, despede ao fim de 3 anos, nem que para isso, seja bom colaborador e tenha um filho de 3 meses para alimentar. MChaves era o director de loja – Jordão o manageiro do grupo, Belmiro o dono.

    Não se faz, um rapaz trabalhador, que eu conheci, com um bebe de 3 meses para criar, a fim de anos de assiduidade, rua com ele.

    Miseravel

    Gostar

  21. 2 Fevereiro, 2008 20:28

    Claro, é conhecido o nega dos investidores da PT – não contente com a optimus, queria subir na vida, á conta do esforço dos outros, pagando a PT, com tampas das caixas da farinha amparo, como se isto fosse uma País de calhordas e de mentecaptos, como a engenharia financeira so chegasse com a sebenta do Cadilhe.

    Que a terra lhe seja leve quando tiver que partir

    Gostar

  22. 2 Fevereiro, 2008 20:29

    Tina

    Ele viajava de comboio, mas atenção, so pagava meio bilhete

    Gostar

  23. 2 Fevereiro, 2008 20:31

    Agora já percebo donde vinham as senhas que andavam a vender em Santa Apolónia. Por cada meia dúzia, davam um avental cor de laranja.

    Gostar

  24. 2 Fevereiro, 2008 20:34

    Não disfarcem, não disfarcem nem descarrilhem o tema…

    Gostar

  25. 2 Fevereiro, 2008 20:43

    Ora aí está, nem mais – alem do avental, eles, hoje, estão cheios de fominha.., saudades e necessidade de se sentarem há mesa da Assembleia debaixo da proteção da mamalhuda que tem uma balança na mão – 6 mil ja andam a dizer do Santo Padroeiro de Boliqueime, mas este, ja tem a sua colecção de reformas, ha que aguardar por um convite daqueles que o BCP fazia – 2 milhões para o Cadilhe de idmminização? – para fazer a contabilidade e conferir os extratos do banco, da minha xafarica, eu pagava-lhe o cartão multimodal para utilizar os transportes publicos –

    Gostar

  26. 2 Fevereiro, 2008 20:44

    6 mil ja andam a dizer do Santo Padroeiro de Boliqueime, o que o porco não diz do toucinho, ….

    Gostar

  27. henrique permalink
    2 Fevereiro, 2008 20:45

    jogos de favor, interesses convergentes ou divergentes, enfim mais umas trapalhadas…mas é com estes ou outros que as fazem que temos de con(viver). São deste calibre ou pior que chegam aos meandros do poder instituido em lisboa… isto é um “polvo” grande de mais para ser “decapitado”…A moral e a ética nasce e educa-se em casa, no seio “familiar”…não nas reuniões secretas, não nos jogos de interesses e de conluío, não na mesquinhez dos pequenos lugarejos e dos grandes.
    “…porreiro, pá!…”

    Gostar

  28. 2 Fevereiro, 2008 20:48

    Quando o PR se referia á corrupção – devia estar a pensar nos ajustamentos ao orçamento, na construção ao auto estradas e para as inaugurações eleitoralistas no seu governo foi ao deua dará

    Com criterio tinha-se feito um novo aereporto que traria riqueza para o País – que se ha-de fazer, se nem um prego espetou em Alqueva

    Gostar

  29. 2 Fevereiro, 2008 20:54

    O Pres da distrital do PPD/PSD , Carlos Carreira, chegou á conclusão que o estadista de Boliqueime, derreteu em banho de maria, o partido da Buenos Aires – vou mais longe, (o CCarreira que eu conheço), para dizer – foi o pior 1º ministro que este País teve no ultimos 70 anos, incluindo o Botas, claro – quando digo isto, as pessoas não acreditam e aacham que é muita desfaçatez

    Gostar

  30. 2 Fevereiro, 2008 20:58

    Numa “presidencia” aberta, para conquista do eleitorado e apresentação do programa eleitoral ás próximas eleições viajavam de comboio e no mesmo compartimento, a caminho do Porto, LFMeneses, PSLopes e 2 moçetonas, uma loira , e bem proporcionada e vistosa, e outra , gorducha ,á espera que lhe ponham a banda gastrica – decorridos alguns kms, o comboio entra num tunel e ouve-se , bem audível , um valente estalo – ao sairem do tunel, o LFMeneses tinha um vermelhão na cara a condizer com o esforço da “agressora” e “ofendida” – A boazona da Loura, pensou:- o sacana do Meneses, queria apalpar-me, enganou-se, e apalpou a gorda e esta, não foi de modas, enfiou-lhe um “porradão” – por sua vez ,a gordinha pensou:- o Meneses ,apalpou a loura ,e esta não foi de modas, enfiou-lhe um sopapo – Meneses, com a cara bem avermelhada, refletiu :- está-se mesmo a vêr, o Santana , olhou para a loura, lembrou-se da Cinha Jardim e claro, passou da imaginação ao acto, mas esta enganou-se, em vez de dar nele, quem levou fui eu :- PSLopes, com carinha de bebe chorão e de “santo de altar!” fez outra jura – no proximo tunel, levas outra chapada do outro lado.

    Gostar

  31. lucklucky permalink
    2 Fevereiro, 2008 21:14

    Tanto nervosismo.

    Gostar

  32. 2 Fevereiro, 2008 21:19

    Tenho reparado num “nervoso miudinho” sempre que algo corre mal ao governo ou a Sócrates…

    Gostar

  33. Beirão permalink
    2 Fevereiro, 2008 21:29

    Um bom cabeçalho num dos orgâos “amigos”:”O PÚBLICO QUER DECAPITAR O PS”

    Digam lá se a seguir não tinhamo Marinho da ordem a “cobrir” a coisa com os seus palpites…

    Gostar

  34. Doe, J permalink
    2 Fevereiro, 2008 21:33

    “(…)já não tenho pachorra para todos os dias ver os mesmos títulos numa campanha orquestrada para atingir uma pessoa.”

    Claro. A “pessoa” só é relevante quando toca ao determinado, ao decisor, ao lutador, ao “animal feroz”. É o querido líder em versão West Coreia da Europa.

    O vigarista, o mentiroso, o chico-esperto, o cínico não pode ser verdade porque “parece mal”.

    E no entanto, de cada vez que a personagem abre a boca…

    Gostar

  35. 2 Fevereiro, 2008 21:37

    Há, em Sócrates, QUALQUER “COISA” que não convence, há algo de falso…
    Este, é um feeling meu, desde há há muito, sobre a criatura… E normalmente acerto sempre !

    Gostar

  36. Saloio permalink
    2 Fevereiro, 2008 21:38

    Quem não concordar com algo que o nosso primeiro entenda teimosamente efectuar e o diga publicamente, está a ofendê-lo.

    Sim senhor…Nem Salazar dizia tanto.

    Digo eu…

    Gostar

  37. 2 Fevereiro, 2008 21:41

    tudo, tudo, completamente tudo (remember freeport de alcochete?) que diz respeito ao falso engenheiro é muitissímo suspeito….

    Gostar

  38. Beirão permalink
    2 Fevereiro, 2008 21:45

    Os ourives é que devem gostar muito do Sócrates.Fartam-se de dar o ouro ao pessoal que não conseguiu inscrever-se nas “novas oportunidades” ou que anda ainda a estudar a “língua” para o EXAME para obter a nacionalidade.Neste capítulo Sócrates é GRANDE, como foi aliás o SAMPAIO.Não querem governar uma mísera freguesia.Querem governar um MUNDO como o portugal dos pequeninos, claro ah e por nossa conta claro…

    Gostar

  39. na_hora permalink
    2 Fevereiro, 2008 22:15

    não descarrilem,
    carago, c’o belmiro
    está, pelos vistos,
    convertido por miranda
    a santana e portadas.

    Gostar

  40. Anónimo permalink
    2 Fevereiro, 2008 22:17

    “As relações profissionais de Sócrates com aquela firma não foram, no entanto, além de Abril de 1992, na medida em que a Comissão de Alvarás de Empresas de Obras Públicas e Particulares (actual Instituto da Construção e do Imobiliário) recusou o nome do então deputado como responsável pelo renovação do alvará da empresa (garante da sua capacidade técnica), por não ter sido junto ao processo o respectivo certificado de habilitações ou a carteira profissional de engenheiro técnico civil.”

    retirado daqui

    Tenho alguma curiosidade em saber o porquê de não ter entregue essa documentação…

    Gostar

  41. na_hora permalink
    2 Fevereiro, 2008 22:17

    ihihi, que há
    muito não via morder
    tanto na casaca, parecendo
    que é preciso vir um balbino
    ou cerejo pra um tipo se
    se vingar da pasmaceira.

    Gostar

  42. Skalpel permalink
    2 Fevereiro, 2008 22:28

    “Proponho que o Público passe a referir-se às notícias da RTP como “Mais um frete da RTP ao governo …”.”JM

    Mas não é exactamente isso o que o Público se farta de fazer!? Estás a ficar tão sectário! o que se passa contigo, João Miranda?

    “O primeiro-ministro classificou, com ar muito ofendido, as notícias do Público como “ataque pessoal e político”. Como se isso constituísse algum ilícito.” JM

    As pessoas não é só perante ilícitos que ficam ofendidas. Também o ficam perante ataques ad hominen. E tu já tinhas obrigação de saber que esses ataques são a todos os títulos reprováveis.

    Gostar

  43. na_hora permalink
    2 Fevereiro, 2008 22:29

    By other side,
    a refazer um escrito acima,
    eu diria:

    Sem dúvida, estas coisas, falsas ou verdadeiras, na parte e no inteiro, mesmo que desenterradas por bem, simples inveja, vingança ou feitio bera (que assim deus nos livre de balbinos e cerejos!), são tal o bicho da calúnia para qualquer PM, igual que para nós todos, ninguém se engane, face ao pouco que nos resta prà escolha de entre os mesmos responsáveis da política portuguesa, depois dessa recém-lembrada como incapaz e finada monarquia…

    pois que querem que lhes faça, amigos, se, para exemplo, a cada novas eleições, o PCP e o BES não passam de 5-10% (dos cinco aos dez por cento)?

    e se à vista de um tal tremendo desaguizado da sorte, ainda, entrementes, são levados portugueses a entreter-se de tais ninharias à sócrates, como a santanas e portas, meus amigos?!…

    Gostar

  44. na_hora permalink
    2 Fevereiro, 2008 22:31

    ai, e com
    este pensamento,
    deveras me sinto f…

    Gostar

  45. Anónimo permalink
    2 Fevereiro, 2008 22:32

    isto também é muito interessante

    Gostar

  46. na_hora permalink
    2 Fevereiro, 2008 22:43

    eh, caso pa se
    pensar com’ò povo,
    que diz, oh, e eles
    todos lá se arranjem,
    pêésses e pêéssedês, como
    os cêdêésses, sem falta dos da
    loja aí do queijo, ou lá que pensam…

    Gostar

  47. 2 Fevereiro, 2008 23:29

    «Muitas vezes, essa caligrafia, inconfundível, é a mesma que aparece nos autos das vistorias realizadas no fim das obras pelos técnicos da Câmara da Guarda: a letra de Fernando Caldeira, colega de curso do primeiro-ministro e que, por ser funcionário do município, estava legalmente impedido de subscrever projectos na área do concelho.»»

    Que totós! Então, o Caldeira, impedido de assinar, foi deixar a sua letra “INCONFUNDÍVEL”, nos projectos. Qualquer policial americano explica o contrário.

    Gostar

  48. O Aprendiz de Jurista permalink
    2 Fevereiro, 2008 23:57

    É inacreditável o modo como muitos ainda defendem um sujeito que exige rigor aos cidadãos e, sobre o qual, todos os dias são divulgados indícios de que, afinal, não passa de um chico-esperto que toda a vida viveu de expedientes.
    Temos mesmo os políticos que merecemos!
    Abraço ao João Miranda

    Gostar

  49. Anónimo permalink
    2 Fevereiro, 2008 23:59

    O Joao Miranda é capaz de atacar José Socrates com coisa absurdas e mesquinhas, enrolando e enrolando e defender a 7 pés coisas estranhíssimas com osproblemas do bcp ou embróglios de pessoal da cor certa.

    Gostar

  50. Tolstoi permalink
    3 Fevereiro, 2008 00:02

    Nós sabemos aquilo que é verosímil.
    Não é preciso muito, basta ter dois hemisférios cerebrais.

    Gostar

  51. 3 Fevereiro, 2008 00:06

    João Miranda, se não é uma ofensiva do jornal Público, é o quê? Repare que o Público o que está a fazer é montar tenda nos “arquivos” (usando um termo algo genérico), e depois especula. Fala com umas pessoas e elas respondem-lhes com um “diz que disse”; manda umas cartas para o PM às quais ele responde, mas também não as pública na íntegra, aí é o Público a fabricar um “diz que disse” e um “diz que perguntou”. É que repare, já andamos há mais de um ano com histórias que nascem de dados de “arquivos”. Os dados de arquivos, basicamente são a única “prova” visível para os vários ataques que o Público tem feito. O resto não tem valor; nem muito nem pouco, simplesmente não tem valor. Por isso, ou TODOS os outros meios noticiosos (não só os jornais), incluindo muitos com disponibilidades orçamentais bem mais confortáveis, são muito, mas mesmo muito incompetentes, ou então há partes fabricadas. Qual das duas lhe parece mais lógica?

    Gostar

  52. Anónimo permalink
    3 Fevereiro, 2008 00:09

    Atao se um deputado pede o subsidio e lhe é dado precisamete por nao ter tido rendimentos apesar da sua actividade de 89 a 92? acho e depois em 92 é que vem um parecer num sei quantos que atéinterpretam de modo diferente, que culpa é que tem Socrates que lhe tenham dado o subsidio?!
    Ele nem negou que tinha outra actividade nao remunerada!
    É só tretas e tretas

    Muito pouco liberal isto.

    Isto é cada mesquinhice.

    Gostar

  53. Anónimo permalink
    3 Fevereiro, 2008 00:12

    E atao se alguém trabalha numa firma com várias pessoas e ele assinar um trabalho que até tem partes escrotas por um seu colega, assumindo ele o trabalho. Isso quer dizer que nao foi ele que fez? Quem disse?Até podia ter sido feito a 3 ou 3 pessoas,e um fazer o desenho e outro assinar. é só maluquinhos especuladores.

    Muito pouco liberal.

    Gostar

  54. Anónimo permalink
    3 Fevereiro, 2008 00:15

    E já agora se calhar nao foi ofensiva, e nao foi do jornal público.

    É tanto ofensiva, primeiro porque ofende. Socrates já tinha negado e eles continuam a afirmar a verdade deles. Nem sequer colocam o suponho.

    Depois é ofensiva porque já teve antecedentes

    E ainda é ofensiva porque vem em capítulos. Para render. É tipo vagas diárias.

    Acho que a rtp e outros canais até foram meigos. Devia ter dito a “guerra”

    Gostar

  55. 3 Fevereiro, 2008 04:19

    Um pouco mais de rigor, Sr. Vital, sff: Character assassination?! Do ”character” de Sócrates? É impossível, completamente impossível.

    Gostar

  56. 3 Fevereiro, 2008 04:22

    Mas eu gosto é dessa lamúria socretina: é um ataque pessoal e político. Claro que é; havia de ser o quê? Não admiram saídas destas, sim são de saída, morcões como este nunca leram Aristófanes, quer dizer, nem o nome conhecem. Também não sabem nem sonham que coisa seja a isegoria… Nascer entre brutos, viver entre brutos é muito triste.

    Gostar

  57. Psicoiso permalink
    3 Fevereiro, 2008 09:41

    Problema VALE TUDO:

    vale sim senhor.
    Vale, quando um PM se acobarda com a responsabilidade do governo
    e zarpa para Bruxelas.
    Vale, quando um PR leva à chefia do Governo, um político mais jet set que político.
    Vale agora, porque foi quase sempre assim…?
    Não que este PM não esteja a fazer por fazer coisas que era necessário fazer.
    Pode é este não ser ainda o indicado PM da renovação lusitana.

    Gostar

  58. Beirão permalink
    3 Fevereiro, 2008 11:06

    Pode é este não ser ainda o indicado PM da renovação lusitana.

    Piscoiso

    A mim me parece isso mesmo.Só mais impostos,mas resultados ineficazes a prazo.Enquanto não vir o Sócrates a inaugurar fábricas é tudo fachada.
    Renovação lusitana com os indígenas a servir de pretos pela europa fora e com a sua substituição pela “diferença” do mundo e por nossa conta?Os indígenas a descontar para os orçamentos europeus, dexando cá a família por conta da segurança social mais os custos da “diferença”?Mais um ou dois anos estamos como quando o Sócrates chegou ao governo ou pior.Cada vez pior porque de facto a renovação só se conseguirá com o empenhamento dos lusitanos e não contra eles.O vosso internacionalismo vai sair muito caro mas claro quando derem conta estão na oposição…

    Gostar

  59. samotrace permalink
    3 Fevereiro, 2008 15:16

    isegoria…

    vocês viram?… “isegoria”, um de Hajapachorra deu c’o termo ali num alfarrábio, “isegoria”, e achou-lhe graça, pensou, isto deve ter sabiduria…

    e passou a esperto, enquanto os demais são burros…

    que lá quer saber o homem como se semeia batatas, como se tira o leite à vaca, como faz o cabrão o cabrito à cabra, como se faz cristo da hóstia e do vinho sangue dele, lá que importa, se temos a “iso”… como é? “isegoria”… ele sabe, que a aprendeu!…

    e esse gajo é contra o Sócrates, maior filósofo da Grécia antiga, como do Platão, seu natural, tais balbinos e cerejos, Hajapachorra, como o John Miranda, é tal aquele despeitado… c’um caray!…

    Gostar

  60. campeão permalink
    3 Fevereiro, 2008 16:05

    O homem é um homemzinho, mas que tem lacaios por toda a parte ,isso é verdade.vêm-se aqui com todos estes comentarios defendendo o indefensavel.defendendo um PM que nada fez pelo Paìs ; Repito o que venho dizendo:
    A- a justiça civel está de rastos não existe
    B- a saude esta de rastos
    C- a segurança está num minimo possivel
    D- a educação está ao deus dará
    E -o país está sem rumo
    F – os portugueses estão cada vez mais pobres

    E apesar disto tudo ainda há ratos saindo da sargeta do respectivo largo , defendendo o indefensável; e mais Não se justifica o mau , o incompetente , o mediocre dizendo que os outros tambem o são. Pois são mas é isso mesmo que precisamos de mudar. E já agora , quem é um tal de Vital Moreira ? As asneiras dele são “magister dixit”?

    Gostar

  61. ... permalink
    3 Fevereiro, 2008 17:08

    “e passou a esperto, enquanto os demais são burros…” (Samotrace)

    É uma opção, como vê. O Samotrace, por exemplo, escolheu continuar burro e escudar-se com o resto da manada, com o trocadilho fácil. Isto porque, noutros tempos, quem praticava a isegoria também sabia e PRATICAVA tudo o resto de que fala, talvez menos as questões do cristo até uma determinada altura.

    Gostar

  62. ta_certo permalink
    3 Fevereiro, 2008 17:30

    tá certo,
    quanto ò resto,
    tudo, agora essa da isegoria,
    manos, qual o preço ò kilo dessa fruta?

    Gostar

  63. ordralfabeletix permalink
    4 Fevereiro, 2008 02:02

    E se falássemos de viagens fantasmas de deputados? Que se encondiam para não serem notificados. Talvez falásemos de… Luis Filipe Meneses. E das senhas do Marques Mendes. Da gente do PP nem é bom falar. Em meses de governo, entre sobreiros, helicópteros e casinos, se por lá ficavam mais uns anos éramos todos uns “Jacinto Leito Capelo Rego”s.

    Querem impolutos? Temos o Cavaco,por isso é que é impar. E o Guterres que é o exemplo de que não chega ser impoluto.

    Gostar

  64. 4 Fevereiro, 2008 15:18

    Ó samotrace (?! com esse sotaque deves ser um dos encomendadores das maravilhas socretinas), ó cometraque, não sejas mais imbecil do que a natureza permite. E se queres saber que coisa é a isegoria tens que te inscrever, se conseguires, numa universidade a sério. Para saberes como o cabrão faz, não é preciso, pá, basta ires à reunião da secção, alforreca.

    Gostar

  65. 19 Fevereiro, 2008 14:44

    só dizem bosta vocês todos

    o Sócrates é o maior pá… quisendes ser como ele

    Gostar

Trackbacks

  1. Regresso ao passado! « Bilhas, o Bom da Fita

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: