Saltar para o conteúdo

Lógica do engodo *

18 Fevereiro, 2008
by

Escrevi, neste jornal, que o alarido à volta do ‘Apito Dourado’ “é a melhor forma de desviar as atenções da verdadeira podridão que custa muitos milhões ao País”. Choveram as críticas: “Nem parece teu”, disseram-me, “afirmares que o ‘Apito Dourado’ é uma fuga ao combate à corrupção”. Sei que isso pode chocar. Insisto que esse ‘desvio’ é involuntário. Mas real.

No último ‘Prós & Contras’, Paulo Morais afirmou que, no que toca à corrupção, já é “o ladrão que faz a ocasião” e não o inverso que o adágio popular ensina – o ex-vice da Câmara do Porto pôs o dedo na ferida. Observe-se a indecorosa impunidade nas ‘vigarices legais’ do urbanismo. Pense-se nos avultados milhões oferecidos aos ‘homens da mala’ dos partidos nos grandes acordos com o Estado. Considere-se a nossa investigação criminal, desorganizada, sem meios, medíocre – agora, ainda para mais, com o Ministério Público esfrangalhado numa absurda rixa regional.

A conclusão é simples: mandava o bom senso que através da estranha espécie de Princípio da Oportunidade material que vigora na nossa acção penal (apesar do que diz a lei) a atenção fosse centrada na criminalidade mais relevante. Mas, para gáudio dos corruptos ‘a sério’, não é isso que se passa: os olhos de todos nós são orientados para a subida de divisão do Gondomar e para as arbitragens ao F C Porto da época de Mourinho, enquanto o País permanece no declínio económico, moral e de vontade de existir, em que já está há demasiado tempo.

HERESIAS, Correio da Manhã, domingo, 18.II.2008

46 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:19

    O problema é dos outros clubes que se podem sentir lesados. Se andam a jogar por amor à camisoleta sabendo que nunca poderiam ganhar e nunca poderiam ganhar dinheiro e ir à falencia.

    É assim coisa sem importancia para o mundo de futebol, existirem clubes que nunca poderao ter lucro mesmo que sejam os melhore.

    Afinal só sao uns clubezecos, para que vai andar a gastar dinheiro nos tribunais para condenar a batota?

    Gostar

  2. lololinhazinha permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:23

    CAA,

    Tem toda a razão. Decorrido tanto tempo desde o início deste processo confesso que ainda não percebi qual é o interesse do mesmo. Também nunca percebi bem de onde partiu a mania de ligar este assunto à corrupção. (corrupção no sentido verdadeiro, grave e sério).
    Mas como parece que a generalidade das pessoas acha que isto é muito importante talvez seja eu que ande com o “princípio da oportunidade” trocado.

    Gostar

  3. lololinhazinha permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:24

    Anónimo,

    Pode ser muito importante para o mundo do futebol, mas é assim tão importante para a sociedade?

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:31

    A quantidade de pessoas que fica afectada com a batotice no futebol é elevada. Jogadores, familias de jogadores, empresários que investem no futebol, casas de apostas,.. e depois há os que ganham , como as ourivesarias, os que vendem os relógios e viagens..lol

    Além de que assim o futebol nao evolui. Ganham sempre os mesmos e as pequenas equipas nunca possuem qualquer hipotese. Depois admiram-se das pequenas equipas ganharem e chegarem ao fim na taça de Portugal. Se calhar aí falha a batota e zás.
    É para compensar alguma coisa.

    Gostar

  5. All-facinha permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:32

    Ah, mas estar tudo muito bem, muito bem. Na Parvónia ser assim!

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:40

    CAA será assessor de Valentim Loureiro ou de Pinto da Costa?

    Gostar

  7. 18 Fevereiro, 2008 14:41

    Anónimo,

    «A quantidade de pessoas que fica afectada com a batotice no futebol é elevada. Jogadores, familias de jogadores, empresários que investem no futebol, casas de apostas,.. e depois há os que ganham , como as ourivesarias, os que vendem os relógios e viagens»

    Pronto, finalmente percebi! Os milhões abafados na Expo, na construção das auto-estradas, nas assinaturas que viabilizam projectos para alguns (que valem milhões) e que são proibidos para a lei que vigora para o cidadão comum, os titulares de cargos públicos que favorecem empresas e que depois surgem a integrar os cargos direcivos das mesmas, isso tudo é pouco quando comparado com aquilo que V. qualifica de “batotice no futebol”.

    E o melhor exemplo que conseguiram arranjar da tal “batotice” foi o FCP da época de Mourinho? Quando foi campeão europeu????

    Gostar

  8. José permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:42

    Concordo com a essência deste postal.

    Gostar

  9. Anónimo permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:44

    CAA é spin doctor em defesa da batota no futebol.

    Acha que por causa de nao conseguirem levar a tribunal outros casos por vários motivos ou ainda estarem em investigaçao, devem ignorar também este assunto?

    Se calhar também devem esquecer todos os outros e fechar o tribunais.

    Gostar

  10. Anónimo permalink
    18 Fevereiro, 2008 14:46

    “E o melhor exemplo que conseguiram arranjar da tal “batotice” foi o FCP da época de Mourinho? Quando foi campeão europeu????”

    Parece-me que o caso apito dourado nao é propriamente o futebol clube do porto.

    Gostar

  11. 18 Fevereiro, 2008 14:51

    Se não houvesse tantos benfiquistas, não tinha havido Apito Dourado.
    E não há mais apitos ?

    Gostar

  12. 18 Fevereiro, 2008 14:52

    «Parece-me que o caso apito dourado nao é propriamente o futebol clube do porto.»

    Não deveria ser. Mas arranjaram 11 processos contra Pinto da Costa invocando arbitragens dessa época.

    Aqueles que se interessam pela política nas suas várias vertentes, inclusivamente as muito más, que se tentem recordar do que se dizia em 2002 acerca do enorme contributo para a campanha eleitoral de Durão Barroso. Quem era o chefe desse sindicato de recolha de fundos? E porque é que a investigação não foi por aí (até as conversas telefónicas com quem não interessava desapareceram… ‘porreiro, pá!’)?

    Gostar

  13. 18 Fevereiro, 2008 15:04

    Percebo-o. Mas, Você descridibliza-se ao branquear algo que também é muito sujo.

    São as alterações aos PDM’s.
    São as alterações à Rede Natura.
    São os cargos empresariais dos ex-políticos, que nem dirigir os seus filhos sabem, mas que vão parar à liderança de multinacionais e de nacionais.
    É muito mais…..mas, olhe que quem diz “que só os animais não fazem ilicitos”, ….não pode ser exemplo, nem para os animais!

    Antes do 25-A, era o obscurantismo de Salazar!
    Agora, graças ao Pinto da Costa e afins, o “futebol” continua a estar no topo das opções dos portugueses. Graças ao Obscurantismo de Abril!

    Gostar

  14. Anónimo permalink
    18 Fevereiro, 2008 15:17

    Os processos do fcp e de pinto da costa sao completamente secundários. Sao importantes é para a comunicaçao social e para defesas apaixonadas da batotice.

    Gostar

  15. 18 Fevereiro, 2008 15:30

    No Blasfémias e noutros locais, já eu manifestei a minha opinião sobre o “Apito Dourado”.
    Têm havido favores de árbitros ? — investigue-se a sério e de vez que todos os beneficiados sejam punidos.
    Têm havido corrupção ? — desmantele-se o “sistema”, e que corruptos e corruptores vão a tribunal.
    Têm singrado negócios lesivos para os clubes ? — que “agentes” e dirigentes reponham os indevidos rendimentos de tais negócios e que respondam perante a Lei.
    Etc, etc.
    Mas, que todos, rigorosamente todos (!!) os prevaricadores sejam colocados na praça pública ! — para além de Vale e Azevedo (já condenado por mais do que uma vez), outros nomes sonantes têm sido investigados: Pinto da Costa, Valentim Loureiro, Luís Filipe Vieira, Pinto de Sousa, José Veiga. E mais.

    O que Mr. CAA tem escrito, está de certo modo correcto: o processo “Apito Dourado” distrai, e de que maneira, dos mega-crimes económicos e ambientais, dos conluios político-partidários com os grandes escritórios de advogados e de consultores, das prejudiciais conivências público-privado, dos grandes problemas sociais por resolver por este governo, dos segredos (afinal) tornados públicos, da crise operacional e ética da justiça, etc, etc.
    O futebol é “uma matéria” de fácil apreensão e discussão pela sociedade em geral, quase sempre de modo irracional. Mesmo não percebendo de futebol, a sociedade portuguesa discute e fala de futebol — nada melhor, nenhum outro assunto mais usável, para que os poderes o usem para anestesiar as multidões dos correntes devaneios, imcompetências, conecções e mentiras já institucionalizadas por quem detem poderes outros, que não no futebol.
    Muito interessante, isto: nota-se nos camarotes presidenciais de alguns estádios, as presenças assíduas de governantes, juízes, autarcas, notários, banqueiros, etc. — por que será ?

    Gostar

  16. frei de jesus permalink
    18 Fevereiro, 2008 15:37

    «enquanto o País permanece no declínio económico, moral e de vontade de existir».

    Foi a «vontade dos portugueses».
    Ou não foi ? Ahh pois é, bebé …

    Gostar

  17. 18 Fevereiro, 2008 15:42

    Frei De Jesus,

    muita, muita culpa tem o que eu designo por povo-NADA, sobre o que está a acontecer no país ! Esse povo-NADA não quer reagir….

    Gostar

  18. 18 Fevereiro, 2008 15:51

    “Nota-se nos camarotes presidenciais de alguns estádios, as presenças assíduas de governantes, juízes, autarcas, notários, banqueiros, etc. — por que será ?
    MJRB

    Se calhar é porque há governantes, juízes, autarcas, notários e banqueiros que gostam de futebol!
    gente do povo-TUDO.

    Gostar

  19. 18 Fevereiro, 2008 15:54

    Mr. Piscoiso,

    boa !

    Gostar

  20. cicuta prós f da p permalink
    18 Fevereiro, 2008 16:40

    quanto mais corruptos e ladrões maior aceitação social.
    fui roubado pelo meu advogado, o Sá Ladrão, que pertencia como eu à loja “liberdade e justiça” do grande oriente lusitano e recece o aopoio dos grãos-mestre porque é socialista do largo dos ratos

    Gostar

  21. Winston Smith permalink
    18 Fevereiro, 2008 16:58

    CAA,

    Recorde-se da velha máxima: “pão e circo” – dois mil anos e actual como nunca…

    Gostar

  22. Winston Smith permalink
    18 Fevereiro, 2008 17:02

    Também ajuda o facto de termos 6 milhões de portugueses – o povo! – a aguardar ansiosamente que, de uma forma ou de outra, alguém faça o PCosta sair de cena. É assunto com atenção garantida. E o circo continua!…

    Gostar

  23. Winston Smith permalink
    18 Fevereiro, 2008 17:08

    Caro José,

    Apreciei muito os seus comentários no post sobre o estado da justiça (e, humildemente, na pequena parte que me toca, agradeço a réplica). É por demais evidente que tem um conhecimento do “sistema” (no bom sentido) que escapa ao observador exterior e apanha bem as origens do problema.

    A questão fundamental é: como se muda este estado de coisas? Aceitamos a a fatalidade de sermos tugas e de que as coisas por cá sempre foram, são e continuarão a ser assim?

    Gostar

  24. Tribunus permalink
    18 Fevereiro, 2008 17:55

    Temos neste momento, vários circos apresentando o seu espectaculo
    para entreter o Zé…….Casa Pia, Apito dourado, Birra dos Procuradores, Casino, Alunos especiais, deixaram de ser importantes, para ME. A classificação dos professores, a cheias de hoje, a entrevista de hoje, os pros e contra semanais (cada um com o seu sabor) para ficarem no ouvido do Zé, a bola de cristal do Marcelo e do Vitorino, bem já chega!
    Sabem o que è contra informação, só citei 10% do que nos è atirado para cima….

    Gostar

  25. Chefe permalink
    18 Fevereiro, 2008 19:48

    Pobre país este em que se divide a corrupcão em boa e má. A má é aquela dos milhões dos governos dos bancos, esses malandros, a boa é que permite ao nosso clube de futebol ganhar. “Deixem lá isso, o que interessa que o jogo esteja viciado? Eu liberal de faxada quero é ganhar seja lá como for, a ética é acessório” deverá pensar CAA cada vez que vomita carateres sobre o Apito Dourado.
    Depois CAA escreve sobre Mourinho, o mesmo que um dia chamou ao Porto de PALERMO. O que dirá CAA aos italianos, esses mafiosos que ainda têm muito que aprender connosco, quando puniram a Juventus campeã europeia. Concerteza terá havido um CAA italiano que terá dito que não tinha importância. Pobres italianos que não percebem nada e conderam os corrutos, ricos e pobres.

    CAA você é uma vergonha e não têm um pigo de ética e moral

    Gostar

  26. Chefe permalink
    18 Fevereiro, 2008 19:51

    MRJB,

    está a deixar-se levar na conversa da corrupção boa/má. Por haver corrupção de milhões como lhes chamam, não se deve punir a do futebol? Que moralidade é essa?

    “Matei sim senhor, mas há quem mate mais”

    Gostar

  27. dragaõ azul permalink
    18 Fevereiro, 2008 20:17

    Caro CAA. Num país aonde a grande maioria da população entende o exercício da leitura, por 3 palvras, isto é, “Bola” “Record” e “Jogo” e sabendo da “imparcialidade” que gozam essas publicações, é obvio que o processo “Apito Dourado” tem de condenar alguém, que todos sabemos quem é. O facto de esse perigoso “delinquente”, só ser culpado ou inocentado depois de proferida a sentença, é totalmente irrelevante. As coisas chegaram ao ponto que os campeões da moral e da transparência queriam, isto é, é todo o edifício do sistema judicial Português que está em jogo, com este processo. O que é que interessa a criminalidade violenta, os atrasos crónicos nos processos judiciais, a aparente inimputabilidade de políticos, empresários, etc… o facto de não haver nenhuma figura pública presa por corrupção. Tudo isso são balelas. O que interessa é entalar o “delinquente”, inimigo público nº1.

    Gostar

  28. 18 Fevereiro, 2008 21:39

    è claro que o CAA tem toda a razão; a inventona apito dourado é assim como que uma contra-revoluçaõ do “regime”, que não quer perdoar o facto de os seus clubecos”do coração”, nomeadamente o slb, não ganharem, só gastarem – e o mais grave é que, como clubes do regime, gastam do erário publico que, como toda a gente sabe, é consumido em Lisboa (90%).; ainda no ultimo jogo do slb para uma competição europeia, última 4ª ou 5ª frª, estavam lá no estádio a assistir quase tantos adeptos como membros do governo – num dia de semana, teoricamente semana de trabalho, contra adversário quase desconhecido, só ministros eram dois!!

    Gostar

  29. 18 Fevereiro, 2008 21:57

    Chefe,

    se ler com atenção o que escrevi no primeiro parágrafo do meu comentário, quero que tudo, absolutamente tudo, seja investigado e punido !
    Eu, gostaria muito de viver num país civilizado e cristalino na apolicação das Leis e da Justiça. Infelizmente não é o que acontece. Também porque, como disse Paulo Morais e Mr.CAA recorda-o, “hoje o ladrão faz a ocasião”.
    Mas tenho a certeza que processos como o “Apito Dourado”, “Casa Pia” e outros, convém à mega-corrupção e às políticas deste governo. O futebol “atiça” e distrai o povo-NADA e o povo-QUALQUER COISA…
    Chefe: Que a pequena e a mega-corrupção sejam condenadas !!

    Gostar

  30. Chefe permalink
    18 Fevereiro, 2008 22:10

    Não é esse o sentido da constante prosa de CAA sobre o tema. O sentido de CAA é a desculpabilização do AD porque é com o FCP, fosse o contrário e outro galo cantaria. E você está a cair na esparrela

    Gostar

  31. 18 Fevereiro, 2008 22:45

    Chefe,

    note, que eu já li e ouvi Mr.CAA a “defender” que, se Pinto da Costa é culpado, se as investigações assim concluirem, deve ser julgado.
    Obviamente que qualquer portista não gosta de ver o presidente do seu clube envolvido em casos de corrupção.
    Tal como eu não gostei e não me esqueço do que aconteceu ao meu SLBenfica ao tempo de Vale e Azevedo, mais os casos em que implicam Vieira: alterações de PDM’s que favorecem empreendimentos seus, negócio Mantorras e não só. Acredito na “inocência das pessoas até prova em contrário”. Mas se têm que ser punidas e ainda por cima se lesaram o clube, os clubes e seus sócios, faça-se pois Justiça !

    Mas o essencial é isto:
    1 – que tudo, rigorosamente tudo o que favoreceu clubes e dirigentes, de Norte a Sul, seja averiguado e punido !! ;
    2 – reitero, o processo AD serve e muito o esquecimento e a não discussão na opinião pública, de casos como uns sobreiros, uns submarinos, uns abusadores sexuais de menores, uns não cumprimentos de promessas eleitorais deste e futuro governos, um agravamento do custo de vida das classes desfavorecidas, um edifício dum casino, umas abusivas viagens de deputados arquivadas, outros arquivamentos, etc, etc, etc.
    De futebol, toda a gente “percebe” e discute; excita e coloca em contenda; é, graças a ele, que mega-corruptores ou governantes incumpridores “passam pelos pingos da chuva” da justiça e da não expressa “revolta” dos eleitores desse povo-NADA…
    A conclusão de MR.CAA, neste aspecto, está correcta.
    Chefe: o que é que o povo discute e se interessa até à exaustão — a corrupção no futebol, ou a carestia de vida ? o AD ou porquê 60 mil fotocópias feitas numa noite para um ministro demitido ? Etc ou etc…
    Chefe: eu sei que assim é… Infelizmente. E não caio nem necessito deixar-me levar por esparrelas.

    Gostar

  32. 19 Fevereiro, 2008 00:25

    “A Polícia Judiciária (PJ) queria prosseguir a investigação do designado caso Mantorras, em que eram visados o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e os empresários Jorge Manuel Mendes e Paulo Barbosa, mas o Ministério Público de Lisboa optou por arquivar o caso sem atender a uma proposta de quebra de sigilo bancário de duas contas sedeadas em paraísos fiscais. Em causa estava a averiguação da identidade dos verdadeiros beneficiários de cerca de 750 mil euros provenientes da venda, ao Alverca, de 50% do passe do futebolista que ainda eram propriedade da empresa de Jorge Manuel Mendes.
    Esta foi uma das divergências implícitas entre a PJ e o Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do MP de Lisboa, liderado pela procuradora Maria José Morgado. Outra foi a circunstância de, no despacho final do processo, datado de 6 de Setembro, o MP apenas ter apreciado o eventual crime de participação económica em negócio enquanto a PJ catalogou a investigação em redor também do ilícito de peculato e eventual fraude fiscal. De acordo com informações recolhidas pelo JN, a PJ estava a averiguar todos os fluxos financeiros decorrentes dos direitos sobre o passe do jogador angolano – sobre o qual, recorde-se, houve a suspeita de que Vieira se teria apropriado de parte das verbas, por ter sido dono de 60% do passe e ter tido intervenção no negócio enquanto líder do Alverca e gestor do Benfica – e deparou-se com uma declaração falsa por parte de Jorge Manuel Mendes, que seria descoberta após o levantamento do sigilo bancário de uma conta das ilhas Caimão da “off-shore” “Almond”. Por 50% do passe de Mantorras, este empresário recebeu 1,6 milhões de euros e desse dinheiro transferiu 750 mil euros para a referida Almond. De seguida, fez constar na contabilidade da PGD, a sua empresa portuguesa localizada em Coimbra, que essa verba seria para pagar a um empresário do Paraguai de nome Francisco Ocampo, com vista à aquisição de parte dos direitos de dois jogadores paraguaios. Acontece que, depois destas declarações de Mendes no processo, o sigilo bancário da conta da Almond nas ilhas Caimão foi levantado e a PJ descobriu que os titulares da conta eram o próprio empresário e a mulher e não qualquer emissário do Paraguai. Confrontado pela PJ com esta descoberta da investigação, Jorge Manuel Mendes remeteu-se ao silêncio. No mesmo procedimento de quebra de sigilo, os investigadores detectaram que os 750 mil euros foram desdobrados em duas tranches de 324 mil euros que seriam transferidas para contas de duas outras sociedades de paraísos fiscais a Minshall Management Inc. e a Hervey Management Ltd. As contas destas duas entidades estavam sedeadas em Caimão e na Zona Franca da Madeira. Razão pela qual a PJ sugeriu nova quebra de sigilo, a fim de conhecer os verdadeiros beneficiários do dinheiro e eventualmente confirmar se seriam Jorge Manuel Mendes e um sócio, que entretanto foi viver para o Brasil e nunca foi encontrado pela investigação. Só que o MP acabou por ignorar esta proposta e optou por arquivar o caso. Conforme o JN ontem noticiou, um dos principais argumentos foi o facto de não terem sido encontrados sinais de fluxos financeiros indiciadores de que Vieira possa ter ganho dinheiro ilicitamente com os negócios de Mantorras. Isto apesar de DIAP de Lisboa ter classificado como sem qualquer credibilidade a versão de Vieira no que toca à data de um contrato de cedência, ao Alverca, de 60% dos direitos sobre o passe de Mantorras de que era detentor em nome pessoal.”

    Nuno Miguel Maia, JN

    Gostar

  33. 19 Fevereiro, 2008 00:40

    Estado do Sítio
    Chamem os polícias

    PS e PSD chamaram os polícias para esconder a porcaria da Câmara debaixo do tapete. Rapidamente e em força.

    As candidaturas do PS e PSD à Câmara Municipal de Lisboa são bem reveladoras do estado a que chegou a falta de vergonha dos dois partidos responsáveis por tudo o que se passa neste sítio cada vez mais mal frequentado.

    A capital, obviamente, não podia fugir às regras do jogo impostas há anos pelo centrão que se vai governando à conta de tudo e de todos. A corrupção, o clientelismo e o aparelhismo são as palavras-chave de socialistas e sociais-democratas, com a ajuda esporádica de centristas e comunistas quando tal se torna necessário para construir maiorias aqui e acolá, no Governo e nas autarquias.

    Agora, com o escândalo a rebentar as costuras democráticas, os dois partidos saltaram para a praça pública com candidaturas ditas de peso, credíveis e, acima de tudo, formadas por prestigiados cidadãos há muito ligados à segurança pública e ao combate ao crime, nomeadamente o económico.

    O PS empurrou o ministro das polícias, antigo responsável pela Justiça com a tutela da Polícia Judiciária, para a frente de combate. Mas não contente com isso arranjou uma nova figura, o mandatário financeiro, para mostrar aos lisboetas que o financiamento da campanha eleitoral ia ser totalmente limpo, sem dinheiro sujo pelo meio. O eleito foi o fiscalista Saldanha Sanches, homem conhecido por denunciar a corrupção e principalmente a falta de vontade política para a combater séria e eficazmente, casado com Maria José Morgado, responsável pelo processo do ‘Apito Dourado’, agora à frente do Departamento de Investigação e Acção Penal, uma mulher que conhece melhor do que ninguém os meandros do crime económico.

    O PSD não lhe ficou atrás e empurrou Fernando Negrão para a capital. Magistrado judicial e ex-director da Polícia Judiciário nos tempos dos governos de Guterres, este setubalense vem mesmo a calhar para os sociais-democratas tentarem apagar os muitos milhões que andaram a saltar de mão em mão em Lisboa nos mandatos de Santana Lopes e Carmona Rodrigues.

    As promessas de grandes debates sobre a corrupção, o clientelismo e o aparelhismo foram rapidamente atiradas para o canto. Agora interessa discutir a data das eleições, a abstenção previsível num domingo de Julho e tentar, de todas as formas possíveis e impossíveis, enganar mais uma vez os cidadãos de uma Lisboa esburacada, suja, a cair aos bocados, sem eira nem beira. PS e PSD não chamaram os polícias para limpar a Câmara Municipal da corrupção e do clientelismo. Chamaram os polícias para esconder a porcaria debaixo do tapete. Rapidamente e em força.
    Correio da Manhã António Ribeiro Ferreira; Jornalista

    Gostar

  34. 19 Fevereiro, 2008 00:47

    irector municipal de planeamento ligado a Vieira
    Luís Filipe Vieira beneficiado com alterações ao PDM de Lisboa

    A viabilização de um loteamento de grandes dimensões em terrenos adquiridos por Luís Filipe Vieira à Petrogal, nas imediações da Expo, teve por base um projecto elaborado por um “atelier” de arquitectura com o qual o director municipal de Planeamento Urbano da Câmara de Lisboa, Fernando Pinto Coelho, colaborou durante muitos anos.

    Pinto Coelho foi um dos principais responsáveis pela alteração do Plano Director Municipal de Lisboa que, em 2004, tornou possível a aprovação de projectos como os que o presidente do Benfica tem para aquele e outros terrenos industriais da zona oriental da cidade.

    O director municipal nega que as alterações ao PDM tenham algo que ver com interesses de Vieira, mas confirma que trabalhou para ele no Algarve e confirma que mantém estreitas relações com o arq.º José Vaz Pires, que define como o seu “melhor amigo”, com o qual assinou muitos projectos em co-autoria, sendo coproprietário, com ele e um colega, da vivenda do Restelo onde funciona o seu atelier. Em todo o caso, garante, não teve qualquer intervenção no deferimento, em Novembro passado, do pedido de informação prévia subscrito por Vaz Pires.

    Em consequência da proposta então aprovada pela maioria camarária, vai ser possível construir nas antigas instalações da Petrogal na Rua da Centieira um total de 674 fogos, além de 3243 m2 de lojas. O pedido de informação prévia do loteamento foi apresentado em Junho de 2005, salientando a memória descritiva que “corresponde a um trabalho iniciado há ano e meio e vem no seguimento da publicação das alterações em regime simplificado [ao PDM] levadas a cabo pela autarquia e que permitiram as condições técnico-legais para desenvolvimento desta proposta”.

    Graças a essas alterações, o artigo 64 do regulamento do PDM passou a permitir que as “áreas consolidadas industriais” – como é o caso – sejam ocupadas por “superfícies comerciais, serviços, habitação e equipamentos colectivos”, embora tenham que continuar a ser “predominantemente” ocupadas com indústria. Até aí era possível fazer alguma habitação e comércio, mas essas construções não podiam ultrapassar os 30 por cento da superfície construída.

    Segundo Fernando Pinto Coelho – que trabalhava nos Espaços Verdes até ser convidado por Carmona Rodrigues para director do planeamento –, as alterações aprovadas em Setembro de 2003 (com o voto contra do PCP e a abstenção do PS) e publicadas em Março de 2004 foram decididas para “reconverter certas áreas obsoletas e trazer novos habitantes” a Lisboa.

    O próprio Governo, acrescentou, deu instruções para que essas alterações fossem feitas, de forma a adequar o PDM ao plano regional de ordenamento do território. Publicadas as alterações, os proprietários das diversas parcelas industriais ficaram com os seus terrenos valorizados. Mas nem todos passaram a poder beneficiar por igual com elas.

    Embora o novo texto do regulamento nada diga nesse sentido, os serviços camarários passaram a interpretá-lo como se a predominância dos usos industriais – ou seja, a obrigação de os manter em 50,1 por cento dessas áreas – se se medisse em relação à totalidade da zona oriental e não em relação a cada uma das parcelas, ou até das diferentes manchas industriais. Quer isto dizer que das alterações efectuadas beneficiam, antes de mais, os primeiros a chegar. Quando estes estiverem servidos pode acontecer que estejam esgotados os 49,1 por cento, para além dos quais não pode haver transformação de usos – e quem vier a seguir já nada poderá construir.

    A decisão de interpretar o regulamento desta maneira, diz Pinto Coelho, foi ditada por razões técnicas e “determinada superiormente”. Como boa parte destas áreas está há muito ocupada com usos terciários que não vão ser abandonados, e como Vieira comprou e está a comprar outras parcelas na zona, tudo indica que será ele – que o PÚBLICO não conseguiu contactar – o grande beneficiário da polémica alteração do PDM de Lisboa.
    Público 28.03.2007 – 09h07 José António Cerejo PÚBLICO

    Gostar

  35. 19 Fevereiro, 2008 00:50

    J,

    sobre as eleições recentemente ocorridas em Lisboa, se fosse só isso que V. colocou… Mas houve pior. E a seu tempo talvez alguém consiga destapar.
    Certo é, que quem estiver atento, encontrou já sinais de conivências, oportunismos…

    Gostar

  36. 19 Fevereiro, 2008 00:51

    Surpreendentemente, o presidente do Sporting apareceu esta semana a dizer que se iria embora se a Câmara Municipal de Lisboa não viabilizasse a pretensão do clube de poder vender como urbanizáveis uns terrenos que estão afectos à prática desportiva ou outros fins. Em causa estará um encaixe previsível de 35 milhões de euros, se a CML aceitar alterar o PDM da cidade e rever a utilização consentida para os terrenos.

    Surpreendentemente também, Carmona Rodrigues apressou-se a responder que tudo irá fazer nesse sentido. E surpreendentemente ainda, ficámos a saber que esta negociação confidencial já teria sido objecto de um acordo particular entre Carmona e Soares Franco. Queria apenas recordar que não passou ainda nem meia dúzia de anos desde que a CML, pela mão de Santana Lopes, assinou com Benfica e Sporting acordos que viabilizaram financeiramente a construção dos novos Estádios de Alvalade e da Luz, em termos tão generosos que uma das cláusulas previa até a construção de uma urbanização, integralmente a expensas da CML, cujos lucros, após venda, seriam repartidos em partes iguais pela Câmara e pelos clubes (e sucedeu até que, nunca tendo sido construída a tal urbanização, a CML antecipou a ambos os clubes 15 milhões de euros pela sua parte nos «lucros» de tão leonino negócio»). Esta e outras cláusulas dos ditos acordos tornaram-nos de tal maneira generosos, que a última cláusula estabeleceu que nunca mais, no futuro, Benfica e Sporting voltariam a pedir qualquer coisa à Câmara.

    Esqueceram-se foi de acrescentar que se tratava do futuro muito próximo… Agora é o Sporting, a seguir virá o Benfica. Entretanto, quem, como de costume e aqui como no resto, continua com a má fama é o FC Porto. Apenas porque Rui Rio, ao invés dos seus colegas de Lisboa, resolveu estabelecer uma guerra-modelo contra o FC Porto e porque um inspector das Finanças não conseguiu perceber nada do Plano de Pormenor das Antas (iniciado pela Câmara, e não pelo clube). E, entre outras coisas, não atentou nesta diferença fundamental: é que o FC Porto, ao contrário dos clubes de Lisboa, era, à época, proprietário de um vasto património imobiliário: 17 hectares de terreno, livres e disponíveis, que viriam a reverter em grande parte, para o Município, no âmbito do Plano Geral de Urbanização das Antas, que, conforme está à vista de todos, foi muito mais e muito melhor para a cidade do que a simples substituição de um estádio velho por um novo. Mas quem, neste país, é que se dá ao trabalho de estudar a fundo as questões complexas, de ler os dossiers, de ver os contratos e compará-los, em lugar de adoptar logo como verdade conveniente a primeira atordoada que alguém se lembra de lançar para o ar?
    Miguel Sousa Tavares A Bola

    Gostar

  37. 19 Fevereiro, 2008 00:56

    O vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal de Lisboa (CML), José Sá Fernandes, acusou esta quinta-feira a Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL) de ter pago indevidamente cerca de oito milhões de euros ao Benfica para a construção dos ramais de ligação às infra-estruturas do novo estádio.

    Numa conferência de imprensa, onde apresentou os dados relativos ao pagamento, o vereador bloquista afirmou tratar-se de uma “situação de gravidade extrema”. Sá Fernandes adiantou que os órgãos autárquicos tinham decidido que a “construção dos ramais de ligação às infra-estruturas de subsolo do novo estádio, bem como a fiscalização e a consultaria” do projecto benfiquista seria assegurado pela autarquia, através da EPUL, e através de uma empresa sua participada, mas o custo nunca seria superior a um milhão de euros.

    O vereador bloquista questiona porque é que Carmona Rodrigues, na altura vice-presidente do executivo camarário, “decidiu por sua iniciativa que a EPUL viesse a pagar uma verba superior a seis milhões de euros”, que devido ao IVA acabou por ser de 8,1 milhões.

    Para Sá Fernandes, o actual presidente da autarquia não podia ter dado instruções à empresa para pagar ao Benfica e muito menos dar “instruções para celebrar um contrato de execução com um texto diferente do contrato-programa”. O vereador adianta ainda que a autarquia também não devia ter aceite “o pagamento de facturas cujos justificativos foram emitidos em datas anteriores ao próprio contacto”.

    Em reacção às acusações que lhe foram feitas, Carmona Rodrigues informou que o projecto com o Sport Lisboa Benfica (SLB) foi “transparente” e afirmou ter ficado “surpreso” com as críticas de Sá Fernandes.
    Correio da Manhã

    Gostar

  38. 19 Fevereiro, 2008 01:01

    Uma das tácticas preferidas dos beligerantes é desviar a atenção do adversário com manobras de diversão de molde a entretê-lo em permanentes guerrilhas acessórias e, simultaneamente, procurar cercá-lo para o derrubar em definitivo com o golpe decisivo e letal.

    Temos que convir que a escumalha benfiquista, beneficiando do apoio declarado ou encoberto de quase toda uma comunicação social miserável, facciosa e desonesta tem aproveitado bem o tempo e, à boa maneira do Polvo mafioso, vai estendendo os seus tentáculos para poder dominar a seu bel-prazer o panorama desportivo português.

    O seu “angelical” presidente que, apesar de burgesso, não dá ponto sem nó (ainda estou para saber se não é um pau-mandado de outros interesses ou de outros interessados estrategicamente na sombra!), lá vai urdindo a sua trama para atingir os objectivos, contando sempre com a presença de sequazes para quem maquiavelicamente todos os meios servem para atingir os fins. Reporto-me evidentemente a toda aquela horda que gravita em torno do chefe e aparece nas revistas, nos eventos sociais, nas fofocas e nos meandros da pelintrice, do basbaque e do piroso.Que até escreve livros, vejam lá. E não estou a referir-me só à pindérica que está quase a tornar best-seller o pasquim que uma douta(?) magistrada, prenhe de isenção(!!!) e de coragem(!!!), decidiu, sob os estrondosos aplausos da pandilha costumeira, considerar como elemento fundamental para apreciação do processo em que ela se assume como a “justiceira”-mor.

    Pois, como ia dizendo, o Polvo tem vindo a estender os seus tentáculos. Já não lhe bastava a forma vergonhosa como nas épocas anteriores manipulava a Liga e a Federação! Todas as pessoas isentas e de boa-fé se recordam e sabem bem da forma persecutória como os órgãos ligueiros e federativos actuaram ao longo dos últimos anos, mas, por incrível que pareça, o corruptor é para os “fazedores de opinião” quem nem sequer tinha assento em qualquer deles. O que afirmo não é invenção minha pois, para lá de serem sobejamente conhecidas as intervenções do sr Cunha Leal, isso foi confirmado pelo senhor presidente lampião, quando em conversa telefónica com o Major, lhe disse que, para determinado desafio, ele trataria do árbitro por outro lado. Se tivesse sido PdC a proclamar isto, caía o Carmo e a Trindade, mas assim, a srª magistrada, aliás, a exemplo da celebrada comunicação social, não consideram tal facto relevante. É muito mais notícia se se tratar de outra pessoa. Com detalhes fornecidos por uma prostituta ressabiada.

    Há dias afirmava António Tavares-Teles e passo a transcrever «para além de eu estar convicto de que há gente no futebol que tem fora do futebol negócios bem mais escuros e lucrativos do que dentro dele. Mas desses não se fala, ou fala-se pouco,é claro…». Também eu entendo que se se quisesse investigar a sério, o “arauto cruzado” da transparência no futebol e os seus acólitos há muito que tinham sido “engavetados”. Digo eu. A não ser que a fortuna lhes tenha caído do céu.

    Este meu post, porém, prende-se com os tentáculos do Sr Polvo que, no caso vertente, pede meças à Mafia siciliana: Li há dias numa breve de um jornal desportivo que o Sr Paulo Gonçalves, ex-director geral da SAD boavisteira, já faz parte dos quadros benfiquistas. Há tempos foi o Sr Eládio Paramés a instalar-se no Sporting de Braga, agora é o Sr Gonçalves quem vai para a Luz. E se calhar este estranho fenómeno está a passar-se noutros clubes, só que ainda não sabemos.
    Ai que tão axadrezado me saiu o Sr Paulinho Gonçalves ( este Boavista, este Boavista, como é que saiu tão gato escondido com rabo de fora!). E não é espantoso que de um momento para o outro o Sr Eladiozinho tenha virado arsenalista?! «(Ai Braga, Braga, é assim que queres ser grande?Valha-te Deus!).
    Estou como diria o saudoso Fernando Pessa: “E esta,hem?”.

    Mas o que é verdadeiramente importante e patriótico é que, para deitar poeira nos olhos dos incautos, se faça o périplo dos partidos (os líderes dos mesmos são todos da mesma corja lampiónica) , acenando com o caso do Nuno Assis e se procure fazer crer que se não tem sido o intrépido “orelhas” a denunciar o “apito doirado”…!
    O Polvo estende os tentáculos.
    Quando abrirmos os olhos, estamos no antigamente.

    Gostar

  39. 19 Fevereiro, 2008 01:07

    1. Que os cidadãos amantes da verdade, rectidão, verticalidade, ética, seriedade, honradez e justiça exijam o combate da fraude, batota, farsa, mentira, falsificação, suborno e corrupção – eis algo natural que releva da sua conduta moral e da sua aguda consciência de responsabilidades e obrigações cívicas e nelas encontra causa e justificação.

    Agora que clamem por esse combate ou se colem a ele os que têm a vida cheia de rabos-de-palha ou, no mínimo, têm descida sobre ela uma densa cortina que não permite a entrada da luz e ver o que se passa nos seus escuros contornos – eis algo que revela uma farsa iniludível e uma refinada hipocrisia e indicia propósitos inconfessos.

    “Quando perdem claramente no terreno do jogo, são precisamente estes últimos os que mais se esfalfam a tentar construir uma imagem de paladinos da luta contra a corrupção. E são também eles os que mais se calam, quando não ganham de modo limpo e convincente no tocante à lisura de processos. São ainda eles que tomam os outros por cegos e desmiolados, incapazes de ver e perceber as artimanhas de que são capazes (Ah, como foi limpo o campeonato de 2004!2005!).”

    Enquanto uns de corrupção só sabem o nome por ouvirem falar dela ou sofrerem os seus efeitos, eles conhecem-na de cabo a rabo, de alto a baixo, por dentro e por fora, dominam os seus caminhos, métodos e alvos. São doutores na matéria e estão nela como o peixe na água !

    Por isso, falam de cátedra e à vontade, de modo sabido e prolixo. E, para cúmulo da desfaçatez, travestem-se de frades mendicantes a fazer a via-sacra da provocação em todas as capelas do oportunismo político.

    A figura não tem vergonha, mas deviam tê-la os partidos que a acolhem !

    2. Se uma arbitragem viciou ou, mesmo sem o conseguir, tentou viciar de maneira visível e escandalosa o resultado de um jogo, é forçoso investigar a actuação dos juizes. Essa investigação deve ser de pronto assumida pelas autoridades desportivas (FPF, Liga, etc.) e, se for caso disso, entregue à PJ.

    E, na procura da verdade, deve-se ir a todas as fontes de prova, inclusive a serviços sexuais prestados aos árbitros. Mas a inversa não é aceitável. Repito, não é aceitável que se pegue nas prendas sexuais para incriminar os seus ofertantes e beneficiários, quando o jogo em causa não levanta questões de arbitragem.

    Com isto não estou a defender essas ofertas; pelo contrário, rejeito liminarmente o costume – no todo e na parte – e afirmo taxativamente que desqualifica cívica e socialmente quem o pratica. Estou, sim, a dizer que o exercício da justiça não pode ir por essas águas, por maior que seja a tentação de concitar o agrado, apoio e aplauso resultantes da natural reprovação pública de prática tão abominável.
    .
    3. Uma entidade respeitável toma posição sobre um tema importante do panorama desportivo, honrando assim a função em que está investida. Por causa disso é brindada com tiradas aleivosas, proferidas pelo líder de um clube grande. De seguida passa a se alvo de insultos e ameaças de morte e, por via disso, vê-se obrigada tomar cuidados especiais em relação à sua segurança e vida quotidiana.

    E tudo isto é silenciado, não gera a adopção de medidas condizente com a gravidade da situação, como se nada tivesse acontecido! Não há neste caso nenhum nexo de causalidade? Não há atribuição de culpas e responsabilidades ? Há uma lista oculta de beneficiários da impunidade e imputabilidade ? Já se tornou normal que as pessoas de bem, idóneas e impolutas sejam insultadas e ameaçadas, contando com a passividade e indiferença estado de direito ? Resta-nos fica perplexos ?

    Perante isto impõe-se perguntar às autoridades competentes quais são os nexos de causalidade que levam a agir nuns casos e a manter-se quedas noutros. Das duas uma: ou há coisas que estão no segredo dos deuses (porque o da justiça, ao que tudo indica, não é fiável) e a seu tempo virão a lume; ou então há causalidades, cumplicidades e razões que a razão desconhece e não pode nem deve aceitar.

    PS. São árbitros como Lucílio Batista, Elmano Santos e afins que a Liga quer profissionalizar ? Deus nos acuda!”
    Prof. Jorge Olímpio Bento A Bola

    Gostar

  40. 19 Fevereiro, 2008 01:11

    Assim de repente, até parecem sérios!!

    Ao que parece, um grupo de sócios do SLB, escreveu ao FPF e à Liga a solicitar que se investigue o caso “apito Dourado”.

    Tenho pena que este grupo não tenha tomado a decisão de ao menos parecer sério…

    Perderam uma excelente oportunidade de solicitar que se investigue na FPF o que levou ao arquivamento do caso Nuno Assis. Era curioso perceber se terá havido alguma relação no facto de um dos Juizes que arquivou o processo Nuno Assis, ter sido convidado para se deslocar com o SLB nos jogos da Liga dos Campeões da época passada. Será que estes podem tomar café, viajar, ficar em hotéis e ver jogos “à pala”, e continuar ser sérios?? Sem merecer sequer uma “menção honrosa”??

    Era bom investigar o porquê de um jogador que estava prestes a ser vendido pelo SLB, ter sido outra das poucas excepções que não foi devidamente castigado pela FPF, em casos de “doping”.
    Palavras do ex-Presidente do IDP: “Em 2001, a FPF emitiu um certificado internacional de transferência do jogador Ronaldo Guiaro, do Benfica para um clube turco, 15 dias após ter conhecimento do resultado de uma segunda análise positiva com nandrolona, sem o ter suspendido nem instaurado um processo disciplinar”.
    Os jogadores do SLB terão direito a tratamento preferencial por parte da FPF?? Porque razão não merecem estes casos ser investigados?? Porque lá em baixo só há gente séria?? (Só se for quando não se estão a rir!!)

    Porque não solicitar à Liga que se investigue o facto de o director desportivo do SLB ser accionista maioritário do Estoril, à data em que ambos estavam na 1ª Liga?? Porque não se investiga o facto de, esse mesmo director, ter ameaçado de despedimento o treinador do Estoril?? Porque não se investiga a mudança de local do jogo entre o Estoril e o SLB, e sobretudo a aceitação da Liga (ou melhor, do amigo Cunha)!! Porque não se investiga os selectivos e criteriosos sumaríssimo que só existiam para um clube?? Porque não investigar almoços entre dirigentes do SLB e árbitro e juízes de linha?? Porque não investigar aquilo que o presidente do SLB anda a “tratar por outro lado”??

    Porque não pedem ao PGR que se investigue o apoio declarado ao PSD aquando das eleições para a AR, que acabaram por culminar na famosa aceitação de acções não cotadas em bolsa como garantia de pagamento de dívidas fiscais?? E uma investigação à passagem do documento falso das finanças que comprovava a regularidade fiscal do clube vermelha, impedindo assim que fosse despromovido??

    Porque não pedem eles que se investigue tudo?? Porque ficam a meio do caminho?? Porque se ficam eles pelo “apito dourado”??

    Quem andar distraído, até pensa que são sérios!!

    Gostar

  41. 19 Fevereiro, 2008 01:36

    J,

    Pois.
    Boa noite também para si.

    Gostar

  42. 19 Fevereiro, 2008 01:43

    Boa noite também para si.

    “Reinado portista com 38 títulos e sem concorrência

    O F.C. Porto, que se prepara para reentrar em competição na UEFA Champions League com um regresso a Gelsenkirschen, onde em 2004 arrebatou o título europeu pela segunda vez, é a equipa mais galardoada dos últimos 20 anos entre as 32 que alinharam na fase de grupos da presente temporada.

    Desde 1987, ano em que Viena e o mundo assistiram à vitória azul e branca sobre o Bayern de Munique, o F.C. Porto conquistou 38 títulos, contabilidade sem paralelo entre a concorrência na mais reputada prova mundial de clubes, que contempla troféus nacionais (campeonatos, taças, supertaças) e internacionais (UEFA Champions League, Taça UEFA, Taça das Taças, Supertaça Europeia e Taça Intercontinental).

    A clara hegemonia europeia dos Dragões suplanta adversários com a fama e a reputação do Manchester United, que soma menos 12 títulos, do Milan e do Barcelona, com menos 13, do Real Madrid, com menos 14, ou do Arsenal, que acumula menos 25 troféus do que o campeão português.

    Além do F.C. Porto, só os escoceses do Rangers conquistaram mais de três dezenas de títulos (32) nas duas últimas décadas, com a agravante de não ter arrebatado qualquer troféu internacional, contra os seis erguidos pelos Dragões, marca que partilha com Barcelona e Real Madrid e só superada pelos 12 obtidos pelo Milan.

    Recordista de participações na UEFA Champions League, condição que reparte com o Manchester United, totalizando 13 presenças, o F.C. Porto contribui com todos os títulos internacionais que colocam Portugal na quarta posição de uma tabela ordenada pela origem dos clubes e que mantém Itália e Espanha no topo, com 17 troféus.”
    http://www.fcporto.pt

    Gostar

  43. 19 Fevereiro, 2008 01:51

    J,

    eu, quando estava quase a desligar o computador, fui a este post mas queria ir a outro. E deparo-me com esta crua e dura realidade para qualquer Benfiquista.
    Não preciso de tomar algo para a azia, porque a azia que nos atinge, um dia se tratará nas assembleias e eleições do SLBenfica. No entanto, pressinto mais uma pequena insónia.
    (V. é sádico…gaita !)

    Gostar

  44. 19 Fevereiro, 2008 01:55

    Fui, sem quaisquer constrangimentos ao site do FCP, e deparo-me com o meu amigo Jesualdo ! Que foi um propositadamente imcompreendido, injustiçado e “queimado” no SLBenfica !
    (Agora é que vem aí azia….)

    Gostar

  45. Chefe permalink
    19 Fevereiro, 2008 17:31

    Tudo o que o Fcp ganhou foi baseado na corrupção. Agora recebe os frutos…

    Gostar

  46. 19 Fevereiro, 2008 23:35

    Chefe,

    das conversas que mais me preocupam, são as que desejam no SLBenfica “um presidente mafioso, igual ao Pinto da Costa”.
    Ora, a partir daqui, parece-me –parece-me, porque os Benfiquistas deixaram-se embalar com Vale e Azevedo “opositor” a PC–, que esses mesmos meus consócios começam a perder razão quando atacam PC e os seus métodos. Ou não ?
    Note, muitas, mesmos muitas dezenas de Benfiquistas têm-me dito o mesmo…

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: