Skip to content

O Homem Está a Tornar-se Perigoso

3 Março, 2008
by

Ríamos ou chorávamos. O riso brotava das figuras grotescas, os lamentos do caminho da tragédia Venezuelana e da propagação do Cretinismo como política de estado em alguns países vizinhos. Agora, em directo na sua televisão privada a que chama pública, Chavez ordenou ao seu ministro da defesa o envio de 10 batalhões para a fronteira da Colômbia. O ministro balbuciou um assentimento imperceptível perante as câmaras e aí vamos nós. O imitador do Equador, onde um líder terrorista que se movia em liberdade foi abatido pelas tropas colombianas, já foi atrás. Já não dá tanta vontade de rir. O Cretinismo está em processo de internacionalização.


Anúncios
83 comentários leave one →
  1. Paulo J. Vilela permalink
    3 Março, 2008 10:09

    Sr Ministro e já agora traga-me um pratinho de tremoços… Este gajo faz com que a expressão poder ao povo assuma outras proporções…

    O que dirão Mr. Danger (El Diablo) e su chica….?

    Gostar

  2. Luís Lavoura permalink
    3 Março, 2008 10:35

    “onde um líder terrorista que se movia em liberdade foi abatido pelas tropas colombianas”

    O JCD, pelo mesmo critério, deve admitir que a Rússia nada fez de mal ao (alegadamente) mandar abater o antigo agente dos seus serviços secretos que se movia em liberdade em Londres.

    De facto, é evidente que um inimigo do Estado russo não pode deixar de ser um “terrorista”, que a Rússia tem toda a legitimidade para abater, onde quer que ele se mova em liberdade.

    Gostar

  3. 3 Março, 2008 10:42

    Luís, esse russo também era líder de uma organização que mantinha 600 pessoas em cativeiro?

    Gostar

  4. 3 Março, 2008 10:45

    As fábricas de armamento também precisam de vender e de dar emprego…..

    Gostar

  5. balde-de-cal permalink
    3 Março, 2008 10:49

    «agarram-me ou faço uma desgraça!»
    da europa latrina nasceu a américa latrina.
    ditadores de todas as cores a matar em nome do homem.
    “és siempre la misma mierda” y yo me cago en los politicos. “porque non te callas?”
    neste caso é o negócio do petróleo e da coca que estão em jogo

    Gostar

  6. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 10:55

    As FARC têm acampamentos na Venezuela e no Equador. Atacam na Colômbia e retiram-se, quando necessário, para acampamentos nestes países cujos governos têm públicas simpatias pelas FARC. Aliás é difícil entender neste moemnto as fARC sem o narcotráfico e o alto patrocínio da Venezuela.
    Se se consultarem os mapas que mostram a localização do acampamento das FARC no Equador percebe-se que ficam mesmo junto da linha de fronteira. Nada mais prático: faz-se um atentado, rapta-se alguém e depois fica-se do outro lado, com a conivência desse governo a apreciar a paisagem.
    O próprio líder das FARC, Manuel Marulanda, terá usado a Venezuela como base segura. Por algo que nem de longe se assemelha a isto, o governo de Espanha exige e tem a colaboração dos givernos português e francês no combate à ETA. E as fomas de pressão a que o governo espanhol recorreu para pressionar os franceses a colaborarem na perseguição aos etarras, sobretudo durante o governo de Felipe González, mostram como ao pé dos seus congéneres europeus o governo colombiano tem uma assombrosa paciência.

    Gostar

  7. 3 Março, 2008 12:06

    Longe de mim defender o Chavez, mas quando uma administração (USA) que já pode ser considerada uma das maiores assassinas da história, mora mesmo um pouco acima, é estranho que o JCD já não ande há largos meses lavado em lágrimas.

    Lembremos que Bush, com a mentira admitida na televisão das armas de destruição maciça, invadiu o Iraque e já matou mais de 1 milhão de pessoas, a maior parte mulheres e crianças.

    Gostar

  8. J.Pereira permalink
    3 Março, 2008 12:17

    Ah grandes israelitas !(principalmente antes dos acordos de Oslo…).
    Quanto ao palhaço venezuelano , é simples : “the show must go on” , ou lá se vai a cadeira do poder.
    Se a coisa chegar a vias de facto , talvez o desfecho da questão das Falkland seja um bom termo de comparação.
    Ver-se-à…

    Gostar

  9. 3 Março, 2008 12:18

    TODO MUNDO SABE que a CIA e as FARC são parceiras de longa data, o que ficou comprovado no ESCÂNDALO MONTESINOS-FARC-CIA há anos atrás, o que inclusive acelerou a queda do governo Fujimori no Peru. Braço direito do então presidente Fujimori, Vladimir Montesinos foi preso, processado e finalmente condenado em 2006 por VENDER ARMAS ÀS FARC POR INTERMÉDIO DA CIA.

    BBCBrasil.com | Notícias | Montesinos é condenado por venda de …

    22 Set 2006 … Justiça pode convocar CIA no caso Montesinos. 21 de janeiro, 2004 | Notícias. Montesinos será julgado por venda de armas às Farc …

    Link

    Blasfemos Tenrinhos!

    Gostar

  10. Filipe permalink
    3 Março, 2008 12:27

    Não sei para que servem as fronteiras se se puder entrar no país vizinho sem autorização. O jcd acha muito bem que tropas de um país entrem impunemente noutro. Fica o registo.

    Gostar

  11. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 12:45

    Também me parece que a Venezuela e o Equador não podem permitir que as suas fronteiras sejam violadas pelas FARC. Caso POrtugal albergasse e apoiasse um grupo terrorista que tivesse acampamentos em Elvas e daí saísse para atacar Badajoz seria estranho que numa perseguição aos mesmos terroristas os espanhóis não violassem a fronteita portuguesa?

    Gostar

  12. 3 Março, 2008 13:58

    chega de atacar chávez…. ou melhor de atacar aquilo que ele representa.
    o combatente à “ordem” estabelecida! e ao regime fantoche da columbia…

    Gostar

  13. 3 Março, 2008 14:14

    Começo a ter algumas dúvidas sobre a noção que a Comissária Helena tem sobre inviolabilidade de fronteiras.
    Ela admite a violação da fronteira até Elvas. E se fosse em Peniche ?
    Diga lá quantos quilómetros são admissíveis.

    Gostar

  14. anónimo permalink
    3 Março, 2008 14:14

    Oi, Helena !

    Fale por boca de vc mesma e dos seus modelos “amaricanos” da -guerra -preventiva etc…ok?

    Esta Heleninha é demais. Desde que començou a ler os manuais das guerras preventivas ja nem parou ainda que os seus mentores paresce como que ficaram últimamente com melhores modos e do mais controladinhos.

    E que estes que nascem para “papistas” sao verdaderamente tipos bem perigossos!

    Gostar

  15. Zenóbio permalink
    3 Março, 2008 14:17

    Helena Matos e JCD,

    Não vale tudo! Há tratados e acordos. Há regras de convivência internacional. Acha que pode colocar no mesmo patamar uma agressão do exército Colombiano, e a actuação clandestina de guerrilheiros? Acha que Espanha deveria ter invadido França por causa da ETA? Fico banzado com a elasticidade do conceito de soberania nacional e inviolabilidade de fronteiras, segundo a cartilha ideológica blasfema.

    Gostar

  16. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 14:30

    Ora então suponhamos que uma guerrilha de extrema-direita ou extrema-esquerda ataca o Brasil e tem alguns acampamentos num país vizinho. Um desses acampamentos fica a menos de 2km do território brasileiro e o governo desse país não só apoia esses guerrilheiros como os tenta legitimar internacionalmente. O que deveria fazer Lula da Silva? A solidariedade internacional com os terroristas seria similiar àquela que é reservada às FARC?

    Na verdade não me parece salutar que a Colômbia persiga terroristas no território doutros países. Mas é suposto que os outros países não acolham esses movimentos nos seus territórios.

    Os governos europeus certamente com condições de exercício da democracia muito superiores às da COlômbia nunca toleraram algo de parecido nos seus territórios. Se escreverm bascos e GAL no Google perceberão um bocadinho melhor aquilo a que me estou a referir.
    Alíás neste momento um país que tem um tatado de adesão à UE – a Turquia – está perseguir noutro país, o Iraque, guerrilheiros que pertencem a um povo – os curdos – cujo direito à independência e capacidade de construir um estado viável não é certamente menor que o dos palestinianos e não vejo por aí qualquer indignação com o assunto.

    Gostar

  17. All-facinha permalink
    3 Março, 2008 14:53

    Ora então suponhamos que uma guerrilha de extrema-direita ou extrema-esquerda ataca …
    Ora então suponhamos que uma guerrilha de centro-direita ou de centro-esquerda ataca…
    Ora então suponhamos que uma guerrilha de extremo centro ataca…
    Ora então suponhamos que uma guerrilha de centro-centro ataca…
    Ora então suponhamos que uma guerrilha ataca…
    ora então suponhamos que…
    Ora então suponhamos…
    Ora então suponhamos…
    Suponhamos…
    Suponh…
    Supo…
    Sup…
    Su…
    S…

    ó-ó
    zzzzzzzzzzz..zzz.z

    Gostar

  18. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 14:55

    Pois.

    Gostar

  19. Zenóbio permalink
    3 Março, 2008 15:02

    Helena Matos,

    Qualquer Estado tem à sua disposição um leque de opções diplomáticas para dirimir estes casos. A colaboração interfronteiriça também é bem-vinda nestes casos bicudos. Devo ainda informar a Helena Matos que as condições de acesso, topografia e clima na região onde se cometeu a agressão colombiana, não é exactamente das melhores, e as patrulhas de fronteira tem muita dificuldade de ver o que se passa dentro da selva equatorial em época de chuvas.

    Tente ver em Google Earth

    0º 13’14,16″
    76º 18’51,97″

    Gostar

  20. Luís Lavoura permalink
    3 Março, 2008 15:05

    “neste momento a Turquia está perseguir noutro país, o Iraque, guerrilheiros curdos e não vejo por aí qualquer indignação com o assunto”

    Pelo contrário, Helena, Você vê bastante preocupação e indignação com o assunto. Até os EUA fizeram repetidas pressões sobre a Turquia para que ela acabasse rapidamente com os ataques ao território iraquiano. O Iraque também se mostrou fortemente desagradado, como é evidente.

    Digamos que este tipo de ações (ataques a países vizinhos para atacar movimentos guerrilheiros), embora sejam compreensíveis e sejam também, por vezes, toleradas, não são propriamente nada bem vistos pela comunidade internacional. E só são tolerados, mesmo assim, em casos muito especiais.

    Gostar

  21. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 15:17

    Ora assim sendo é essencial que a Venezuela deixe de apoiar as FARC. E o mesmo se aplica ao Equador.

    Noto que até agora ninguém negou que as FARC tivessem um acamapamento no Equador mas isso que já é um dado adquirido não quer dizer que seja aceitável.

    Gostar

  22. Zenóbio permalink
    3 Março, 2008 15:35

    Helena Matos,

    Se já esteve na selva amazónica, entende que é impossível impedir que haja passagem de pessoas. Passar dum facto ( a existência de homens da FARC no Equador) para a afirmação de conivência do governo Equatoriano é uma coisa que brada aos céus.

    Gostar

  23. lucklucky permalink
    3 Março, 2008 15:58

    Espanha apoia Chavez:

    http://www.antiwar.com/ips/marquez.php?articleid=3594

    Gostar

  24. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 16:09

    Mas nesse caso Zenóbio o contrário também seria válido: o exército colombiano também não saberia se está no território do Equador.

    Gostar

  25. Beirão, o Velho do Restelo permalink
    3 Março, 2008 16:30

    E se o Bush reeditar um 2º Noriega case?A maior parte da droga sai pela venezuela, quem manda é o Chavez…
    As fronteiras de israel também não são sagradas?Olha os mísseis que o Hamas para lá manda… com a devida retribuição em espécie.
    O ditador cubano está a morrer mas já infectou meio continente.O melhoir desinfectante é aquele que cura a doença.Como por exemplo umas bombas de 200kg…

    Gostar

  26. revoltado permalink
    3 Março, 2008 16:30

    Quem conhece as fronteiras desta parte da América do Sul, sabe o quanto elas são porosas. A presença do estado é mínima e todo o tipo de mercadorias, incluindo armas e drogas, circula impunemente. A Colômbia tem feito o seu melhor para garantir uma soberania de fato sobre o seu território, mas Chavez e Rafael Correa sabotam os esforços da Colômbia. Se estes fossem presidentes dos seus países ao invés de revolucionários, não deixariam que uma facção armada estrangeira usasse os seus territórios para atacar impunemente o país vizinho. Isto sim é um acto de guerra.
    A Colômbia merece aplausos. Um país que há poucos anos era considerado uma nação falida, à beira da anomia completa, conseguiu renascer das cinzas com uma pujança sem igual no continente e uma resolução ímpar no mundo ocidental. Ao invés disso, tem sido feita de pária pela elite bem pensante do continente vegetariano, incluindo aí o que ousam chamar de direita.

    Gostar

  27. 3 Março, 2008 16:39

    Caro jcd,
    Para ler alguns dos links com atenção. Isto casa queira ter uma visão multilateral da situação na Colômbia.
    http://www.pacocol.org/es/Inicio/Archivo_de_noticias/Febrero08/index.htm

    Cara Helena Matos,
    O exército, ou melhor, a Força Áerea Colombiana bombardeou com precisão milimétrica. Os seus comentários revelam um enorme desconhecimento sobre a origem e evolução da situação actual na Colômbia. Para já não falar na história. Ainda não havia guerrilha, nem comunistas, nem narcotráfico, já 200 mil colombianos eram mortos em poucos anos de quase (???) guerra civil. Goste-se ou não, concorde-se ou não, estamos perante duas forças beligerantes há mais de 44 anos. Se quiser ler algumas notas despretensiosas sobre a Colômbia pode, por exemplo, ir ao meu blog http://ocastendo.blogs.sapo.pt/ e clicar na tag respectiva.
    Mas se não gosta de comunistas pode(m) ir ao blog duma ampla coligação que, significativamente, vai do nosso PSD aos comunistas (que representam 10% dentro da coligação)e que se chama Polo Democrático Alternativo http://www.polodemocratico.net

    Gostar

  28. revoltado permalink
    3 Março, 2008 16:41

    A conivência do governo equatoriano está mais do que comprovada. Há documentos apreendidos no acampamento atacado que descrevem os contactos das FARC com o governo Rafael Correa. Alguns dos guerrilheiros estavam de pijama, situação pouco comum para uma força militar em território estrangeiro hostil, e num acampamento bem visível. Para além disso, o senhor Correa está ligado às FARC através do Foro de São Paulo, que também junta o Chavez, o PT do Brasil e outros. Até a socialista Bachelet do Chile já condenou a Colômbia, o que ainda pode ter sérias repercussões neste último país. O governo colombiano já pediu desculpas por ter entrado em território equatoriano, o que demonstra a vontade do último em não causar um conflito, como o acusam de pretender os Chavez e Correas da vida. Quem deslocou tropas para a fronteira com a Colômbia foram os dois últimos. E dez batalhões de cavalaria mecanizada da parte da Venezuela! Isso sim é uma “acção desproporcional”.

    Gostar

  29. Luís Lavoura permalink
    3 Março, 2008 16:48

    “é essencial que a Venezuela deixe de apoiar as FARC. E o mesmo se aplica ao Equador”

    A Helena Matos não está a ver bem as coisas. O Equador não apoia as FARC. Limita-se a não as combater. Mas, pergunto eu, por que é que o Equador haveria de combater as FARC? As FARC têm acampamentos em regiões de selva e montanha, de acesso e clima extremamente complicados. Ir lá combatê-las seria extremamente caro, em dinheiro e em vidas, para o Equador. E as FARC não fazem mal aos equatorianos, presumo. Portanto, o Equador limita-se a tolerá-las.

    O mesmo fazia, aliás, a França em tempos recuados, com a ETA. Como a ETA não fazia atentados em França, as autoridades francesas abstinham-se de gastar dinheiro e vidas humanas a tentar combatê-las.

    Com uma diferença importante: a França é um país plano, sem selvas e com bom clima. O Equador é um país rugoso, com chuvas tropicais e selvas densas.

    Gostar

  30. Luís Lavoura permalink
    3 Março, 2008 16:54

    Já agora, por comparação, durante dezenas de anos os Khmers Vermelhos mantiveram grandes bases e acampamentos no norte da Tailândia, a partir dos quais atacavam o Cambodja dominado pelos vietnamitas. Nunca a Tailândia se deu à despesa e trabalho de procurar desalojar os Khmers Vermelhos. E nunca os vietnamitas atacaram os Khmers Vermelhos em território tailandês.

    Gostar

  31. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 16:55

    Se o Equador não controla aquela parte das suas fronteiras admite que não só as FARC ali se instalem mas também que o exército da Colômbia ali intervenha. Aliás o exército equatoriamo chegou rapidamente ao local do bombardeamento logo não é certamente naquel local que tem maior dificuldade de deslocação.

    Sobre a ETA e França o Lúis Lavoura sabe o resultado, não sabe?

    Gostar

  32. frei de jesus permalink
    3 Março, 2008 16:55

    «Caso Portugal albergasse e apoiasse um grupo terrorista que tivesse acampamentos em Elvas …».

    Esses, coitados, ficaram definitivamente presos em Olivença.

    Gostar

  33. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 17:01

    Pretende o António Vilarigues que as FARC são um força beligerante e o governo democraticamente eleito da Colômbia outra?

    Gostar

  34. revoltado permalink
    3 Março, 2008 17:22

    O Lúis Lavoura é um génio. Vivesse numa zona em conflicto, viraria logo um ente metafísico. Seria um verdadeiro símbolo da inteligência pós-moderna contra a primitiva violência.
    Prestem atenção no que escreve:
    O Equador não apoia as FARC. Limita-se a não as combater…por que é que o Equador haveria de combater as FARC?…E as FARC não fazem mal aos equatorianos, presumo. Portanto, o Equador limita-se a tolerá-las.
    O mesmo fazia, aliás, a França em tempos recuados, com a ETA.

    Vamos por partes:

    1 – O Equador não apoia as FARC. Limita-se a não as combater.
    Em primeiro lugar, o Equador apoia sim as FARC. Para além do partido no poder estar articulado com as FARC no Foro de São Paulo, havia apoio logístico e coordenação política. Vai aqui um link: http://www.noticias24.com/actualidad/?p=12486

    2 – por que é que o Equador haveria de combater as FARC?…E as FARC não fazem mal aos equatorianos, presumo. Portanto, o Equador limita-se a tolerá-las.
    Que raio de raciocínio é este? Um grupo utiliza o território do Equador para atacar um país vizinho! Isso não é também um ataque à soberania do Equador? Ou o Equador combate este grupo, ou abdica da sua soberania sobre aquele território. O que não pode fazer é reclamar soberania sobre o território somente quando um dos lados do conflito ataca. A Colômbia está farta deste conflicto, que hoje se prolonga graças aos santuários que as FARC e ELN encontram no Equador e na Venezuela.

    3 – O mesmo fazia, aliás, a França em tempos recuados, com a ETA. Como a ETA não fazia atentados em França, as autoridades francesas abstinham-se de gastar dinheiro e vidas humanas a tentar combatê-las.
    Em primeiro lugar: O que faz a França está sempre correcto? É uma teoria estranha.
    De resto, é uma afirmação idiota. Acções contra terroristas são bem diferentes de acções contra uma guerrilha armada, se assemelhando mais a acções policiais, com um perfil discreto. Colunas armadas são bem visíveis.

    O que posso dizer é que uma uma criança de cinco anos pode ser mais racional que o tal Luís Lavoura.

    Gostar

  35. revoltado permalink
    3 Março, 2008 17:34

    O Luís Lavoura é surpreendente. Nunca me esquecerei do nome. Lendo todos os comentários com maior atenção, fiquei fascinado com este:

    “O JCD, pelo mesmo critério, deve admitir que a Rússia nada fez de mal ao (alegadamente) mandar abater o antigo agente dos seus serviços secretos que se movia em liberdade em Londres.

    De facto, é evidente que um inimigo do Estado russo não pode deixar de ser um “terrorista”, que a Rússia tem toda a legitimidade para abater, onde quer que ele se mova em liberdade.”

    Que campeão! Compara o assassinato de um ex-agente russo ao abrigo de asilo diplomático e com cidadania britânica, um homem cujo único acto foi fazer acusações contra Putin, cuja arma era a palavra, com um bando armado que se dedica à subversão da ordem na Colômbia e ao comércio de uma droga que é o flagelo de muita gente em todo o mundo.
    O sujeito é um mentecapto ou um criminoso intelectual. Nada mais a dizer.

    Gostar

  36. mafu permalink
    3 Março, 2008 17:44

    Há gostos para tudo.
    As farc apoiadas pela Cia foram más e são boas se forem apoiadas pelo Equador e pela Venezuela. Que pelo caminho tenham feito um percurso apoiando-se quase 40 anos no maior imperio da droga deste mundo é apenas um promenor até porque como no primeiro caso a propria ideologia justifica os meios pelos fins.
    É claro que o Chavez pode insultar diariamente o presidente da Colombia.Não tem importancia nenhuma.È uma atitude revolucionária e benfazeja isto de interromper discursos dos outros e insultar terceiros.Uma boa educaçao revolucionária e morte aos fascistas que é como quem diz a todos que não pensem como nós.
    E todo O MUNDO SABE DISSO. Mas que mundo? o dos revolucionários anti-fassitas claro. Esse é o único que existe.
    Dos sessenta milhoes de mortos procovados pelo Hitler em guerra passando pelos mesmos sessenta em paz do estalinismo e proximo dos cem milhoes do maioismo passamos ao Bush que já matou mais de um milhao e logo mulheres e crianças. aquelas bombas postas pela al-quaeda nos mercados matando as centenas de cada vez foi o bush que em conversa telefonica encomendou, mentindo claro.
    Tal como nos ultimos bombardeamentos de israel na faixa de Gaza. Identificado o alvo como quartel do Hamas e reconhecido pelo proprio Hamas com tal, se olha para a a tv e se vê sair criancinhas feridas e mortas e ninguem pergunta que estariam lá a fazer crianças de idade tão tenra num quartel.
    Assassinos!!! E assassinos de informaçao e mentira tb os há e muitos.O BUsh não esta sozinho não.

    Gostar

  37. 3 Março, 2008 17:51

    Cara Helena Matos,
    São os colombianos (de vários quadrantes políticos e de um amplissimo e variegado espectro ideológico) que o dizem…
    Já foi «visitar» o PDA?
    Já agora, a Helena sabia que o democraticamente leito governo da Colômbia é o governo que mais sindicalistas mata em todo o mundo http://dn.sapo.pt/2007/09/19/internacional/estudo_denuncia_morte_144_sindicalis.html?
    E sabia que em Fevereiro de 2001 Manuel Marulanda, líder das FARC, recebeu um «medalhão de paz»? De um lado tinha imagens religiosas e do outro uma inscrição em latim: «Na Verdade está a Paz». Quem entregou o medalhão ao chefe guerrilheiro foi Andrés Pastrana, presidente colombiano. Interessante, mas não é tudo. Pastrana fê-lo a pedido de… João Paulo II!!! O Papa a enviar presentes a «terroristas» de esquerda? O perigosissimo subversivo Papa João Paulo II solidário com a guerrilha narcotraficante?

    Gostar

  38. 3 Março, 2008 17:54

    “A Helena Matos não está a ver bem as coisas. O Equador não apoia as FARC. Limita-se a não as combater. Mas, pergunto eu, por que é que o Equador haveria de combater as FARC? As FARC têm acampamentos em regiões de selva e montanha, de acesso e clima extremamente complicados.”

    George Orwell escreveu sobre isto na década de 50….do Século passado!

    Ou um comportamento parecido com Pétain na II grande Guerra….o chamado colaboracionismo Nazi…..de que fez parte François Miterrand!

    Gostar

  39. revoltado permalink
    3 Março, 2008 18:24

    O António Vilarigues também me impressiona pela sua erudição de tasca, a sua politologia de taxi e seus conhecimentos de história wikipediana. Quase que eclipsa o Miguel Sousa Tavares. A sua última contribuição para o debate deveria ser inscrita, essa sim, numa medalha de ouro. É de uma estupidez olimpica. Vamos a isso(Hoje tenho muito tempo livre e nenhum trabalho, vou me divertir com os cromos qu aparecem por aqui):

    “E sabia que em Fevereiro de 2001 Manuel Marulanda, líder das FARC, recebeu um «medalhão de paz»? De um lado tinha imagens religiosas e do outro uma inscrição em latim: «Na Verdade está a Paz». Quem entregou o medalhão ao chefe guerrilheiro foi Andrés Pastrana, presidente colombiano. Interessante, mas não é tudo. Pastrana fê-lo a pedido de… João Paulo II!!! O Papa a enviar presentes a «terroristas» de esquerda? O perigosissimo subversivo Papa João Paulo II solidário com a guerrilha narcotraficante?”

    Segundo Vilarigues, João Paulo II é solidário com as FARC por ter enviado uma medalha ao “Tirofijo” com a inscripção “Na Verdade está a Paz” e imagens religiosas. Parece uma provocação construtiva, ainda mais sendo um presente de um católico para um assassino marxista. A verdade para um cristão não é a mesma coisa que para um materialista que quer construir o paraíso na terra ao custo de muitos cadáveres. E na altura havia uma farsa que enganou muita gente, que foi a entrega de uma “zona desmilitarizada” às FARC e ao ELN. O papa, coitado… era boa pessoa, e acreditou até o fim que era possível uma paz sem vitória com as FARC. O Pastrana também caiu no conto, e o Clinton foi o promotor. Alguém lembra que o Plano Colômbia impedia o governo da Colômbia de usar os armamentos adquiridos contra as FARC? O resultado foi que todos os cartéis da Colômbia foram destruídos, as FARC passaram a ter o monopólio da cocaína colombiana e um território sob a sua soberania, aumentando as suas reivindicações.
    Essa gente inverte tudo, e quando não inverte, inventa. E se alguém quer saber o que pensam os colombianos acerca das FARC, vai aqui um número: 87% estão contra as FARC e querem a sua destruição.

    Gostar

  40. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 18:57

    Nunca entendi que o facto de se ter uma audiência com o papa transformasse terroristas em pacíficos cidadãos. Os papas são chefes dum estado e duma igreja que tem sobrevivido a muito. E como todos os mortais fazem política. E não excluem necessariamente a benção ou mesmo o apoio a movimentos terroristas. A ETA nasceu numa igreja, sempre contou com o apoio de sectores do catolicismo, particularmente dos jesuítas. Alguns dos esconderijos da ETA eram e são em igrejas. Padres deram informações para raptos. Isto em Espanha, na democracia. Pode o António Vilarigues procuara condenações dos bispos bascos à ETA e logo verá o que encontra.

    Gostar

  41. 3 Março, 2008 19:35

    Importante – petição pelo cessar fogo em Gaza:

    http://www.avaaz.org/en/gaza_ceasefire_now/4.php?cl=58283944

    Gostar

  42. Beirão, o Velho do Restelo permalink
    3 Março, 2008 19:55

    Em gaza? Porra… olha minha enquanto os gajos “deitarem” mísseis para o outro lado do muro os judeus devem is despejando sem problemas…

    Gostar

  43. revoltado permalink
    3 Março, 2008 20:02

    A coisa está a ficar muito feia. Agora acharam documentos provando o envio de US$300 milhões da Venezuela para as FARC e acerca de uma negociação em torno de 50Kg de Urânio. E ainda há mais dois computadores apreendidos para se verificar.
    http://www.noticias24.com/actualidad/?p=12503

    P.S: O acampamento das FARC não era temporário. Era um acampamento permanente e estava sob vigilância das autoridades equatorianas.

    Gostar

  44. Mafu permalink
    3 Março, 2008 20:17

    Assino já a petiçao contra os misseis que partem todos os dias de gaza.
    Esta como outra me faz lembrar a petiçao contra os misseis de cruzeiro instalados na europa.
    Corria a petiçao e alguem disse assino já!! mas me expliquem para onde estao apontados.Disseram-lhe…. e ele disse:
    Primeiro assino os que estao apontados para cá depois os para lá.

    Gostar

  45. 3 Março, 2008 20:20

    António Vilarigues:

    Apaguei por acidente um comentário seu que foi automaticamente enviado para moderação por ter mais de 3 links. As minhas desculpas. Era um comentário longo que deu trabalho a escrever. Será possível para si recuperá-lo?

    Gostar

  46. 3 Março, 2008 20:20

    «This is not just a war but a growing humanitarian crisis.»

    Nem todos os palestinianos são terroristas; nem todos os israelitas subscrevem a política do seu governo.

    Gostar

  47. 3 Março, 2008 20:25

    «Assino já a petiçao contra os misseis que partem todos os dias de gaza.»

    E uma petição contra a retenção nas fronteiras de produtos perecíveis de palestinianos (porque fazem concorrência aos produtos israelitas)?; e uma petição contra o traçado unilateral de fronteiras que impede muculmanos, mas cristãos também de ter acesso aos seus locais de culto?; e uma petição contra a ocupação de terras com o pressuposto de não estarem a ser cultivadas, quando são os próprios israelitas que impedem o cultivo, sob pena de detenção dos palestinianos que tentam através da exploração da terra obter meio de subsistência? Também assina todas estas? E uma outra ainda, para Israel desbloquear verbas destinadas aos palestiniasnos – aprovadas pelo congresso americano – sob o pretexto de serem afectas ao desenvolvimento de culturas e criações competitivas com a israelitas, também assina?

    Percebe agora que a realidade não é monocrómica e de onde é que vêm os terroristas?

    Gostar

  48. 3 Março, 2008 21:02

    Caro JCD,
    Fica a dever-me uma, mas vou tentar recuperar o comentário. Então cá vai, (mais ou menos igual…)
    Caro Revoltado,
    Lamento informá-lo mas a Wikipedia não faz parte das minhas leituras. Utilizo-a apenas para algumas (poucas) notas biográficas. E como forma expedita de procurar alguns links que me interessam. Em segundo lugar constato que sofre de uma grave iliteracia. Não viu os pontos de interrogação? Não percebeu a ironia? Em terceiro lugar, fala do que não sabe e sai asneira. Os meus primeiros contactos com a complexa situação da Colômbia datam de 1968 (tinha eu 15 anos). A minha mãe tinha acabado de sair de quase dez anos seguidos de prisão em Caxias. Ainda faltava um ano e nove meses (19/9/1970)para eu aderir ao PCP. Numa visita a uma livraria de Campo de Ourique que vendia livros proibidos de Jorge Amado, caiu-me nas mãos um livro, também proibido em Portugal e no Brasil, de Miguel Urbano Rodrigues intitulado «Opções da Revolução da América Latina». Daí em diante, e durante 40 anos, foram milhares de páginas. Creio que mereço pelo menos o beneficio da dúvida de alguma coisa ter apreendido. Esclareça-se, e quem me conhece e lê o que vou dando à estampa na comunicação social sabe que é assim, recorro sempre a várias fontes. Não dispenso as comunistas. Mas quase sempre são mais as não comunistas. E no que à Colômbia diz respeito não fujo a essa regra.
    Talvez devesse ler, para além do já referido nos comentários anteriores, o que aqui escrevi http://ocastendo.blogs.sapo.pt/47839.html , particularmente os 2º, 6º e 8ºlinks (a ver se assim o JCD não me «elimina»…).
    Quase 50 comentários passados constato com alguma preocupação que ninguém parece ter reflectido no que para mim é o mais óbvio neste exacto momento: estando a decorrer negociações diplomáticas (com a oposição declarada da Administração Bush refira-se)que envolviam vários presidentes da república da região – Brasil, Venezuela, Colômbia, Equador, Bolívia – e pelo menos da França, para resolver a questão dos reféns, em que medida esta acção de Álvaro Uribe contribuiu para a resolução (agravamento) do problema?
    Para terminar, e como a pergunta é recorrente aqui me cito pela enésima vez «Informo com todo o prazer alguns bloguers mais cínicos e mais cépticos que eu, António Nogueira de Matos Vilarigues defendo, obviamente, a libertação de Ingrid Bettancourt e todos os outros raptados pelas FARC. Mas também dos presos políticos às ordens do Governo.»
    Está bem assim?

    Gostar

  49. 3 Março, 2008 21:25

    António, é só assim?

    Defende a libertação dos presos e está tudo bem? Par si não há responsáveis pelas 600 vítimas inocentes do terrorismo das FARC? Acha mesmo que é equivalente a situação de eventuais presos políticos nas prisões colombianas e a de inocentes às mãos das FARC?

    E o que acha da sistemática linguagem de provocação de Chavez? Acha que pode haver diálogo quando um presidente chama a outro ‘cachorro’, em público?

    Um abraço

    jcd

    Gostar

  50. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 21:41

    Os reféns são isso mesmo: reféns. As pessoas às quais António Vilarigues chama presos políticos estão detidas num país democrático e têm direito a um julgamento. Podemos discutir as condições das prisões, o acesso à defesa, a imparcialidade dos juízes, se foram ou não maltratados nos interrogatórios… mas isso não os equipara aos reféns. Integravam um movimento terrorista. São criminosos como os narcotraficantes. E tal como acontece com estes últimos podem negociar-se rendições, novas identidades… o que se quiser. Mas não estão moralmente ao nível dos reféns.

    Gostar

  51. Zenóbio permalink
    3 Março, 2008 22:08

    Helena Matos,

    “Mas nesse caso Zenóbio o contrário também seria válido: o exército colombiano também não saberia se está no território do Equador”

    Claro que sabiam onde estava, assim como sabiam onde estava Reys. Os satélites americanos não dormem. Claro que a CIA que tanto protege o regime colombiano, está a fabricar argumentos para limpar a face ao Uribe. Não se admire sobre o surgimento de provas “irrefutáveis” sobre o envolvimento da Venezuela e do Equador.

    Gostar

  52. rxc permalink
    3 Março, 2008 22:24

    Para alguns iluminados, a história apresenta-se-lhes a preto e branco: dum lado os bons, a quem tudo se lhe perdoa e justifica, e do outro os maus, que são a fonte de todas as iniquidades no mundo. Até parece que o mundo começou ontem, e não há dezenas ou centenas de anos de história, de inúmeros conflitos, ingerências externas, corrupções e morte, muita morte (vários milhões no Sudoeste Asiático à custo dos bravos “US of A”), que alimentam muitos dos ódios que hoje vemos à solta pelo mundo. O melhor era passar um pano sobre isso tudo e fingir que nada aconteceu, não é? No fundo, chego à triste conclusão que, de um lado e do outro, é tudo areia do mesmo saco…Seja por uma razão ou outra, quem sofre são sempre os mesmos.

    Gostar

  53. 3 Março, 2008 22:30

    “Não se admire sobre o surgimento de provas “irrefutáveis” sobre o envolvimento da Venezuela e do Equador.”

    Claro, os americanos também plantaram armas de destruição massiva no Iraque.

    Gostar

  54. rxc permalink
    3 Março, 2008 22:31

    E por falar em provas irrefutáveis que inevitavelmente serão apresentadas, uma palavra (acrónimo para ser mais preciso): WMD.
    É que depois desses episódios, como vamos acreditar na próxima “prova”? “Never cry wolf…”

    Gostar

  55. Zenóbio permalink
    3 Março, 2008 22:35

    JCD,

    “os americanos também plantaram armas de destruição massiva no Iraque”

    Plantar, não plantaram. Limitaram-se provocar uma chacina de perto de 1 000 0000 de civis, à custa duma mentira hedionda e da paranóia belicista.

    Gostar

  56. 3 Março, 2008 22:44

    E não plantaram as armas? Tolos. Agora é que vão plantar provas no Equador.

    Gostar

  57. Helena Matos permalink
    3 Março, 2008 22:46

    Ah Zenóbio os colomboianos têm a obrigação de saber onde estão. Os equatorianos e as FARC perdem-se na floresta! É uma espécie história do capuchinho vermelho.

    RCD não quer experimentar ser detido pelas FARC e depois de seis anos nas mãos deles falamos sobre os sacos, as farinhas e os mesmos.

    Gostar

  58. 3 Março, 2008 23:06

    Caros Helena Matos e JCD,
    Pelos vistos não foram ler o meu blog, tag Colômbia. Estão no vosso direito. Um esclarecimento prévio antes de citar um post com 6 meses. Se há situação onde não há preto e branco é a da Colômbia. Ainda mais, se isso é possível, que a do conflito Israelo-Palestiniano. Tem muitas tonalidades…
    País democrático, Helena? Aí vai a citação:
    «Registe-se o SILÊNCIO ENSURDECEDOR da esmagadora maioria dos blogues defensores da democracia voluntariamente apanhados pelo fenómeno do “El Niño colombiano”.
    1. Nem uma palavra sobre as dezenas de milhar de colombianos assassinados às mãos dos grupos para-militares de direita e de extrema-direita.
    2. Nem uma palavra sobre os candidatos presidenciais assassinados de uma forma bárbara.
    3. Nem uma palavra sobre os senadores eleitos mortos.
    4. Nem uma palavra sobre os deputados eleitos assassinados.
    5. Nem uma palavra sobre os presidentes de câmara eleitos mortos.
    6. Nem uma palavra sobre os autarcas eleitos assassinados.
    7. Nem uma palavra sobre os dirigentes sindicais mortos.
    8. Nem uma palavra sobre os sindicalistas assassinados.
    9. Nem uma palavra sobre os dirigentes camponeses mortos.
    10. Nem uma palavra sobre os dirigentes de associações e movimentos de cidadãos assassinados.
    11. Nem uma palavra sobre os activistas do Partido Comunista Colombiano, de outros partidos e movimentos de esquerda e democráticos mortos.
    12. OBJECTIVAMENTE, e sublinho OBJECTIVAMENTE, estamos perante a concepção proto fascista de que «todo o comunista (ou democrata) morto é um bom comunista (ou democrata)».
    13. Estamos todos mais esclarecidos…» (6 de Setembro de 2007)
    ou
    «Em 1985 o PCC integrou a “União Patriótica” (UP), movimento político amplo e democrático ao qual pertenciam também as FARC (na altura num processo de cessação de hostilidades e de pacificação). Na UP participavam igualmente diferentes grupos políticos de esquerda. Contra a UP foi desencadeada una operação de extermínio por parte de grupos narcotraficantes, militares e paramilitares de direita e extrema-direita. Só para o PCC isto representou um saldo de cerca de 3.000 militantes assassinados. Para as forças democráticas da Colômbia significou candidatos presidenciais, presidentes de câmaras, autarcas, sindicalistas, dirigentes associativos assassinados aos milhares. De forma selectiva nuns casos. Indiscriminadamente noutros.
    8. Nos últimos 10 anos (1997-2007) o total de assassinatos eleva-se a mais de 6 mil. São homens e mulheres, novos e velhos, com nome. Mas a comunicação social dominante cala-se, ou refere friamente os números. Não são mediáticos. Sobre isto os nossos bloguistas dizem nada. Desconhecimento? Indiferença?» (1 de Setembro de 2007)
    Cara Helena,
    Tudo isto foi feito, e continua a sê-lo, com o contributo e o conhecimento dos governos democráticos, quando não pelos próprios. Está provado por tribunais internacionais.

    Gostar

  59. 3 Março, 2008 23:14

    O fascista Uribe está a preparar uma guerra na América Latina, agora se percebe porque há um mês lá foi o Chefe de estado maior das forças armadas americanas e logo a seguir a Condolez Rice.

    Gostar

  60. 3 Março, 2008 23:16

    Cara Helena Matos,
    Peço desculpa do exagero de espaço que estou a ocupar, mas constato que a sua opinião sobre reféns e presos políticos, aqui em Portugal, a milhares de quilómetros de distancia, é significativamente diferente daqueles muitos milhões, que na Colômbia se situam no seu espaço ideológico. E que diariamente lá arriscam a liberdade e a vida exactamente por pensarem diferentemente da Helena. Já sei que não ganho nada com isso, mas deixe de repetir quase mecânicamente o que diz a comunicação social dominante e vá às origens, vá às fontes… http://www.polodemocratico.net/

    Gostar

  61. All-facinha permalink
    3 Março, 2008 23:28

    Só os meus inimigos são terroristas. Mais ninguém. Os inimigos dos meus inimigos são meus amigos.

    Gostar

  62. Zenóbio permalink
    3 Março, 2008 23:38

    HM e JCD,

    Podem fazer a rábula habitual até à exaustão, que não mudam a realidade:
    a) O exército colombiano invadiu um país soberano sob o pretexto de atacar guerrilheiros de esquerda (por serem de esquerda não podem ser designados combatentes da liberdade, não é?)
    b) O exército colombiano, enquadrado por instrutores americanos e munido de informações da inteligência americana sabia exactamente onde estava, e que regras infringiam. Se tiverem interesse, podem ver no Google Earth: há um rio que define a fronteira.
    c) O combate a opositores do regime colombiano não confere imunidade às acções colombianas.
    d) Face ao direito internacional, houve uma clara violação da soberania Equatoriana.

    Gostar

  63. ourição permalink
    4 Março, 2008 00:42

    O gajo mandou o ministro da guerra enviar os 10 batalhões e prontos. Eh pá, manda já os gajos que para verem como é!
    É destes homens que a história precisa para que tudo faça mais sentido!Se o grunho cubano pudesse também dava lá um saltinho só para aparecer na fotografia. É pena!

    Gostar

  64. revoltado permalink
    4 Março, 2008 00:57

    A escalada continua. Se houver bronca, o continente todo será envolvido. Vejam;

    Da “world check”,

    Yet another high-risk indicator for Venezuela surfaces 2 March 2008
    If you remember the chaos that surrounded the Lebanese Civil War (1975-1990), you know that financial institutions simply cannot operate under conditions of street violence. The tenuous situation in Venezuela could soon reach that state, in light of disturbing new developments that have come to light. Read the details below, and decide for yourself whether a civil war is on the horizon in Caracas.

    Here is what we know so far:

    Four secret flights are scheduled into Venezuela, on TAM Brazilian Airlines, transporting 31.5 tonnes of firearms made in Brazil. The first flight has already arrived, carrying 1.5 tonnes of weapons; each additional flight is scheduled to bring in ten tonnes each.

    Whilst the exact types of weapons are unknown, one can safely estimate that between 50,000 and 70,000 weapons will be contained in these shipments, which are not consigned for the Ministry of Defence, but are to be quietly delivered directly to the Miraflores Presidential Palace, on the orders of Venezuela’s President Hugo Chavez Frias. Why all the secrecy?

    In a country where the armed forces and the police are already well-equipped, these weapons can only have one intended use; to arm civilian supporters of the current regime, who will use it upon the opposition in an expected violent confrontation that could degenerate into a civil war.

    A civil disturbance would result in the complete shutdown of the financial system in the capital. Watch for any preliminary signs of organised violence, closure of shoppes and businesses, and attacks upon civilians.

    Gostar

  65. 4 Março, 2008 02:16

    This post is very hoting, and this blog is high ranked in
    the top blogs report
    . You can
    earn some money with a good blog
    like this.

    Gostar

  66. 4 Março, 2008 08:15

    Eu acho que é só uma demonstração de força. O homem é completamente desmiolado, mandassem lá a Naomi que ele acalmava logo.

    Gostar

  67. anónimo permalink
    4 Março, 2008 10:35

    Um,um, um

    nao va ser que os “amigos” dos amigos blasfemos nao lhe chegar com o petróleo barato do Iraque e andao desperados por ter também a precos de “rebaixa” o petroleo da Venezuela?

    Gostar

  68. 4 Março, 2008 11:32

    Percebo sim Sofia.
    Por ele não ser monocromatico é que eu lhe estava a pedir a outra petição.Assim assinava as duas cores, coisa que pelos vistos não está interessada.
    Inclusivé aquela resolução primeira da ONU que reconhecendo o estado de Israel defenia fronteiras deveria ser sujeita a petição.

    Gostar

  69. 4 Março, 2008 13:46

    RR Diz:
    4 Março, 2008 às 11:32 am

    Venha a segunda petição e mostre-me onde é que assino.

    Mas quanto a isto:
    «Inclusivé aquela resolução primeira da ONU que reconhecendo o estado de Israel defenia fronteiras deveria ser sujeita a petição.»

    Não está em causa a existência de um Estado de Israel, o que se quer – precisamente – é que Israel RESPEITE as fronteiras estabelecidas pela ONU. O problema é convencê-los.

    Gostar

  70. 4 Março, 2008 15:25

    Quem promove a primeira deveria promover a segunda.
    E quem promove a primeira deveria assinar a segunda e não fugir á questão dizendo que não está em causa.
    Promover a segunda, o respeito pelas fronteiras, como diz, só é possivel quando os visados na petiçao em causa o reconhecerem.
    Nunca o fizeram e ainda tem esperanças de acabar com eles empurrando os ultimos para que se afoguem na praia.
    A primeira petição é exactamente para esses.

    Gostar

  71. JP Ribeiro permalink
    4 Março, 2008 17:08

    Tsk, tsk, é isto ao que a esquerda chegou. Qualquer palhaço que vista uma camisa de cor vermelha, que diga defender os interesses dos oprimidos e que levante a bandeira da esquerda é logo acéfalamente defendido por toda a esquerda como se tratasse de um libertador, um messias, um salvador. E se for latino americano tanto melhor. Não interessa que seja corrupto, rodeado de ministros corruptos, todos com jacto privado em Miami, como é o caso dos artistas que compõe o elenco chavista. Não interessa que tenha feito disparar a desigualdade social para níveis nunca vistos, e que o povo que diz defender esteja a sofrer como nunca. O que é preciso é que o circo continue e que a chama sagrada dos amanhãs que cantam seja mantida acesa. Vil tristeza.

    Gostar

  72. Zenóbio permalink
    4 Março, 2008 18:42

    JP Ribeiro,

    Não é de bom-tom o que escreveu, mas fique descansado que já me bastam os filhos para educar. O que lhe queria dizer é que o mau da fita (tenho que por as coisas duma maneira que o Bush pudesse entender) não é o Chavez. Não invadiu ninguém, não interfere nos assuntos internos de terceiros, não envia conselheiros militares para coordenar o exército de países vizinhos. Se algum mal pode ter, é o de ser desbocado, mas chatice das chatices, foi eleito por uma larga maioria, e está a distribuir pelos pobres os lucros do petróleo. Agora, quanto a si, haverá sempre uns irredutíveis que não admitem a opinião alheia, que vamos fazer? – 48 Anos de ditadura deixam sempre metástases.

    Gostar

  73. 4 Março, 2008 18:55

    “não interfere nos assuntos internos de terceiros”

    Esta é para rir, não? Bolívia, Brasil, Equador, Argentina, México… não faz ele outra coisa. Suporta campanhas eleitorais dos chavistas de todo o lado… e ainda falta confirmar se é verdade que suporta terroristas.

    Gostar

  74. Zenóbio permalink
    4 Março, 2008 19:10

    Jcd,

    Acha que devemos qualificar de interferência, umas bocas avulsas lançadas no “Alô Presidente”?

    Gostar

  75. JP Ribeiro permalink
    4 Março, 2008 22:01

    Zenóbio, obrigado mas fique-se com o educar os seus filhos, porque não entendo que o que escrevi seja de mau tom. Cansei de educadores. Cada um come do que gosta, e você parece gostar de comer já mastigado. Que lhe faça bom proveito. Pela minha parte prefiro pensar pela minha cabeça. Às vezes custa, e quase sempre é desconfortável, mas sinto-me melhor assim. Feitios.

    Gostar

  76. 4 Março, 2008 22:05

    “Qualquer palhaço que vista uma camisa de cor vermelha, que diga defender os interesses dos oprimidos e que levante a bandeira da esquerda..”

    JP Ribeiro, o mais importante de tudo é que seja anti-americano. Então aí pode ter cometido as maiores atrocidades possíveis, tal como Fidel Castro, que isso não importa. A cassete anti-americana para estes autómatos de esquerda funciona sempre.

    Gostar

  77. Zenóbio permalink
    4 Março, 2008 22:08

    JP Ribeiro,

    Já vi que não entendeu que os termos usados não são os mais felizes. Quanto a cartilhas e pensamentos individualistas: confirmo que o seu pensamento é deveras original. Confirmo eu e todos os leitores.

    Gostar

  78. Zenóbio permalink
    4 Março, 2008 22:16

    Tina,

    A ideologia de direita tem que usar fraseado rasqueiro? Por muito que não se goste de alguém contrário ao nosso ideário político, temos o direito de insultar?

    Gostar

  79. 4 Março, 2008 22:58

    Zenóbio,
    Você diz a JP Ribeiro que já tem os seus filhos para educar. Eu intervenho e digo que as pessoas de esquerda são autómatos. Depois acusa-me de usar fraseado rasqueiro. Tenho muita pena é dos seus filhos que têm um hipócrita como você para os educar. Muita, muita, muita, muita pena. Estão, inevitavelmente, condenados.

    Gostar

  80. 4 Março, 2008 23:14

    “Já vi que não entendeu que os termos usados não são os mais felizes. Quanto a cartilhas e pensamentos individualistas: confirmo que o seu pensamento é deveras original. Confirmo eu e todos os leitores”.- Zenóbio

    Confirma todos os leitores o quê seu Zenóbio? Você sabe lá alguma coisa para estar a falar em nome dos outros. Além de hipócrita, é um grande petulante.

    Gostar

  81. Zenóbio permalink
    5 Março, 2008 01:41

    Tina,

    Se lhe fui útil para descarregar a bílis, já fiz a minha boa acção do ano.
    Agora a sério: quando disse ao JP Ribeiro “mas fique descansado que já me bastam os filhos para educar” significava que não o pretendia educar, nem repreender. Era apenas uma nota, não uma reprimenda.
    Quanto à minha petulância: quando disse “confirmo que o seu pensamento é deveras original. Confirmo eu e todos os leitores” significava que QUALQUER UM que lesse poderia avaliar da originalidade do pensamento do JP Ribeiro.
    Última nota: não lhe vou dar o gosto de lhe responder à letra os impropérios recebidos. O chá deve-se beber logo em pequeno.

    Gostar

  82. 5 Março, 2008 08:58

    Então deixe-me repetir os meus impropérios que me dão tanto gosto por serem tão verdade:

    “JP Ribeiro, o mais importante de tudo é que seja anti-americano. Então aí pode ter cometido as maiores atrocidades possíveis, tal como Fidel Castro, que isso não importa. A cassete anti-americana para estes autómatos de esquerda funciona sempre.”

    Gostar

Trackbacks

  1. Arrastão:

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: