Saltar para o conteúdo

A crise está a chegar a Portugal

4 Outubro, 2008

Taxas de crescimento do PIB desde 2001:

2001 — 2%
2002 — 0.8%
2003 — -0.8%
2004 — 1.5%
2005 — 0.9%
2006 — 1.3%
2007 — 1.9%
2008 — 0.5% (previsão)
2009 — 0% (previsão)

Nota: países no mesmo estádio de desenvolvimento de Portugal andaram a crescer a 4%, 6% ou 8% nos últimos 7 anos.

Nota2: O pleno emprego só é atingido com taxas de crescimento de 3%.

Nota3: Nos últimos 7 anos Portugal esteve a divergir da União Europeia.

Nota4: A média aritmética do crescimento entre 2001 e 2007 é de 1.1%.

Anúncios
35 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 13:29

    Taxa de crescimento de 0% em 2009 só com a habitual ginástica contabilística.

    Gostar

  2. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 13:29

    É um espectáculo é ouvir o presidente da républica a dizer que a crise vai atingir Portugal.. blá blá e nada dizer sobre o que fazer. Nada. É um economista silencioso.

    Gostar

  3. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 13:30

    Mais valia não dizer nada.

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 13:30

    “É um espectáculo é ouvir o presidente da républica a dizer que a crise vai atingir Portugal”

    É o país do Noddy.

    Gostar

  5. anti-comuna permalink
    4 Outubro, 2008 13:31

    O JM ainda vai ser acusado de profeta da desgraça, tal como eu o fui, durante longos meses. Já agora. Eu era profeta da desgraça mas pelos vistos, mesmo com o meu pessimismo, a realidade que agora se vê é ainda pior que eu previa.

    Mas eu não confio no FMI, na CE, OCDE, etc. Só confio no maior palhaço que eu vi num governo:

    “”Ponto de viragem” na economia

    Ministro da Economia anuncia fim da crise em Portugal

    13.10.2006 – 13h28 Lusa

    O ministro da Economia, Manuel Pinho, anunciou hoje o fim da crise em Portugal e disse que a questão agora é a de saber “quanto é que a economia portuguesa vai crescer”.

    Em Aveiro, onde se deslocou para presidir à assinatura de vários protocolos de investimento, Manuel Pinho disse que “a crise acabou” e que se vive “um ponto de viragem” na economia, porque “já não se fala em recessão e em investimento zero”.”

    In http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1273257&idCanal=

    Portanto, enquanto tivermos palhaços destes a animar a malta, eu acho que devemos cantar e rir. 🙂

    Gostar

  6. anti-comuna permalink
    4 Outubro, 2008 13:41

    Mas a palhaçada não se fica pelo Pinho. Que coitado, deve ter apanhado a mesma doença do Pinócrates e tem o cérebro avariado.

    A palhaçada continua com alta figura da Nação que nos disseram que eram capazes de enfrentar a crise, e até melhor que no exterior.

    Outro palhaço:

    “Mas estou firmemente convencido de que Portugal está preparado – hoje melhor do que há 3 anos atrás – para enfrentar as incertezas suscitadas, tendo nomeadamente em conta as reformas estruturais implementadas no nosso país nos últimos anos e que, indiscutivelmente, tornaram Portugal mais capaz e preparado para resistir e reagir a situações de instabilidade internacional.”

    In http://www.portugal.gov.pt/Portal/PT/Governos/Governos_Constitucionais/GC17/Ministerios/MF/Comunicacao/Intervencoes/20080311_MEF_Int_Crise_Subprime.htm

    Vamos ver se este palhaço vai ter dinheiro para salvar bancos portugueses, caso seja necessário. Ou se não vai andar de mão-estendida, junto dos parceiros europeus, para conseguir que lhe salve o país do estoiro. Este palhaço que vá vendo o que se está a passar na Grécia, Islândia, Irlanda, etc.

    Outro palhaço, mas que acha que o, pasme-se, “choque tecnológico” iria salvar o país:

    “O coordenador do Plano Tecnológico, Carlos Zorinho, considera que Portugal está hoje melhor preparado para enfrentar
    os desafios da conjuntura económica global do que há três anos, embora não deixe de sofrer os impactos da crise
    internacional.”

    In http://64.233.183.104/search?q=cache:O8ZM4OYHbD4J:www.ps.pt/index2.php%3Foption%3Dcom_content%26do_pdf%3D1%26id%3D653+portugal+preparado+para+a+crise&hl=pt-PT&ct=clnk&cd=19&client=firefox-a

    Este palhaço vai dar computadores Magalhães aos depositantes da nossa quase falida banca.

    Outro palhaço que andou a vender ilusões foi este:

    “Basílio Horta diz que Portugal está preparado para enfrentar a actual crise económica

    Portugal já passou por crises piores e está agora mais bem preparado para enfrentar a crise”

    In http://pt.euronewspages.com/jornal-de-negocios/2008-4-4_baslio-horta-diz-que-portugal-est-preparado-para-enfrentar-a-actual-crise-econmica

    Este palhaço podia ir, de porta em porta, pelo mundo fora, pedir dinheiro emprestado para as empresas portuguesas que não conseguem sequer garantir investimentos anunciados e planeados.

    Enfim, é uma amostra dos palhaços que animam os portugueses.

    Só mais uma coisinha. Veremos mesmo que estas previsões do FMI, antes gozadas pelos palhaços do desgoverno, que diziam que não conheciam a realidade portuguesa e daí pessimistas, não serão… Optimistas em demasia.

    Portugal ainda não sabe o que lhe está preparado para contecer. Repito. Portugal ainda não tem consciência da martelada na carola que vai levar. E alguns, como o paspalho do calimento Pinócrates, vai ser o último a saber.

    Salve-se quem puder!

    Gostar

  7. Ruben permalink
    4 Outubro, 2008 13:44

    O Poder Legislativo Americano no Congresso com registos representativos diferentes do Senadao e Camara dos Representantes, aprovou 4.000 folhas que emendaram após intenso debate Eleitos/Bases as 3 da proposta do Poder Executivo (Governo).
    ..
    Substancialmente diferente do inicial, autorizou apenas 250 biliões de dolares ficando os restantes 350 biliões sujeitos a novas intervenções do Congresso. Apontou também para o inicio de reformas fiscais na Economia e para o replaneamento das hipotecas das habitações.
    .
    O Poder Judicial, inependente e com grau elevado de isenção dos Poderes Legislativo e Executivo, intervem a juzante quando a Lei aprovada pelo Congresso fôr mal executada pelo Poder Executivo, Politicos, Cidadãos, Banqueiros ou Empresas. Por exemplo o “impeachement” de Nixon ou o caso Enrom.

    De grande relevância Politica, os Sistemas Dirigistas (Democratas ou Diataduras) viram e autocompararam como são a Democracia e o papel da Informação que veicularam através de todos os meios em papel, imagem e infomática.
    .

    A Liberdade de Expressão, não aceita no Congresso dos EUA as disciplinas partidárias de voto. Nem ser representante no Congresso dos interesses do Poder Executivo (Governo). Cada Senador ou Representante (Deputado) representa os interesses dos seus Eleitores directamente ou organizados em lóbis. São as razões fundamentais dalgumas correntes “anti-americanas” receosas de perderem o cobertor do Dirigismo que protege substancialemente os seus Privilégios, Corrupções e Poderes pessoais anti-democratas.
    .
    Isto quere dizer o quê para os Portugueses ? Simplesmente já está em curso em Portugal. A corrida “quem ganhará a IV Republica” prefigurado na “Frente Popular” em organização. Além do resultados Económico, Financeiro do Centrão, apresenta-se agora o resultado Politico.
    .
    Dum lado a aliança estratégica da Esquerda Dirigista com a Direita Dirigista. A “sagrada familia” Socialismo/ Capitalismo Selvagem que enterrou a actual III Republicau, uns chico-espertos ganânciosos outros ideologia. Depurado o oportunismo aventureiro e sem quaisquer bases da ganância, naturalmente liderará a a ideologia.
    .
    Do outro o Liberalismo espalhado aleatóriamente pelas áreas anti-marxistas e anti-dirigistas do espectro partidário, e fundamentalmente residindo na Abstençao, que não está organizada em Partido por falta de meios financeiros que apostaram no Capitalismo Selvagem.
    .
    E é tudo por hoje.

    Gostar

  8. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 13:46

    ó anti-comuna, mas ninguém espera a inquisiçao espanhola.
    e na verdade de idiotas a gritar vamos afundar é de que ninguém precisa. Desses idiotas está o mundo cheio. Só berram e nada fazem.

    Gostar

  9. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 13:57

    Esta é gira:

    A falta de autonomia revelada por alguns dos nossos empresários e a sua tendência para o encosto ao Estado têm sido muito nocivas para a economia”, afirmou o Presidente da República numa cerimónia na Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), no Porto.

    O chefe de Estado manifestou-se convicto de que a nova geração de empresários vai ter outro comportamento, ajudando Portugal a afirmar-se nos mercados internacionais, sobretudo em áreas tecnológicas.

    “A minha confiança está acima de tudo nos jovens empresários. E por isso não faço visitas de Estado sem levar alguns deles”, disse.
    JN

    Quer dizer Cavaco critica os empresários por se encostarem ao estado, mas leva-os com ele desde pequenino nas viagens. É para os amparar.. os jovens empresários prcisam de viajar com o estado para aprenderem logo. lolol

    Gostar

  10. anti-comuna permalink
    4 Outubro, 2008 14:08

    Obrigado, caro Anónimo. Sou um idiota mas não bato palmas a palhaços.

    Mas olhe, cá este idiota pode-lhe dizer a si e outros como Vc. Está preparado para ver a taxa de desemprego em Portugal na casa dos 20%? Ou mais?

    Se Vc. estiver preparado, vamos ver quem se safa.

    Dexando de lado os lambe-botas dos palhacitos portugas, vamos a coisas trágicas.

    O calimero do Pinócrates sonhou com um país como a Finlândia. Até desenhou um “aborto tecnológico”, perdão, choque tecnológico. Depois, como não se muda a realidade económica prometendo meter um computador em cada lar, este palhaço decidiu apostar tudo nas famosas energias renováveis.

    Pois bem. Afinal o pitroil não vai acabar amanhã e, pelos vistos, parece que o pitroil em vez dos 200 dólares é bem mais provável chegar aos 50 dólares.

    Agora pergunta-se. Quem vai pagar a azelhice das energias renováveis, num mundo em que as temperaturas estão a descer (logo, não há nenhum aquecimento global), e o pitroil mais abundante do que se dizia há uns meses atrás? Vão ser os portugueses e o tecido económico português.

    Os países que não se atiraram logo de cabeça vão ter uma vantagem competitiva crucial face a Portugal. Tendo custos energéticos menores, baseados nas novas tecnologias do carvão e da queima de derivados de pitroil, estes países poderão atrair e manter a sua industria. Que será competitiva.

    E Portugal? Portugal, afogado em energia caríssima, terá o privilégio de consumir energia “limpa” mas que não sustenta sequer os empregos actuais. Moral da história, os portugueses vão ser uma espécie de índios em reservas naturais. Pobres mas com um consumo de energia “limpa”. lololololololol

    Mais ainda. Neste país liderado pelo palhaço Pinócrates, vamos ter a malta no desemprego, mas olhando alguns viajando em carros eléctricos e passeando pelas serras cobertas de torres eólicas. lolololololol

    Portugal, hoje, veja-se bem a estupidez deste Primeiro-Ministro, prepara-se para ultrapassar a Dinamarca em termos de produção de energia “renovável”. Mas os dinamarqueses vendem a tecnologia aos parolos portugueses. Tal como a Microsoft enterra o Estado português com o seu software, quando existem alternativas grátis. Mas, enfim, com parolos como o Pinócrates no poder, era fácil de ver que isto ia dar, desculpem a expressão, cagada!

    Neste país de trampolineiros, como o nosso Pinócrates, vamos ter mais pobreza, mais desemprego, mais emigração e uma desertificação igual ao do Mezzogiorno italiano.

    Lisboa é, hoje, a capital da Sicilia da Península Ibérica. Lisboa está para a meseta como Palermo para a ilha italiana. Lisboa é o símbolo da corrupção, do deslumbramento novo-rico e do parasitismo moderno.

    Mas, repito. Estão os portugueses preparados para terem uma taxa de desemprego acima dos 20%? Para o anónimo que me chamou idiota, eu pergunto-lhe se ele próprio está.

    Gostar

  11. 4 Outubro, 2008 14:14

    O que fazer no meio do «baratotontismo» ? Isto é, no que acreditar, no que se deve apostar, quando há sinais evidentes de «baratas tontas» a moverem-se em todas as direcções ?

    Há sinais evidentes de dificuldades no sector de Bens e Serviços Não Transaccionáveis, baseados em crédito fácil e barato, no mundo ocidental e também nos equivalentes lisboetas:

    * Governo irlandês implementa plano de salvação dos seus bancos; Essa Irlanda, ainda recentemente um paradigma do crescimento económico na Europa… e de Pedro Arroja…
    * Macquarie Infrastructure Group vende participação na Lusoponte para «further enhance the strength of MIG’s balance sheet and its capital flexibility»; Jorge Coelho com mais poder negocial, mas com mais restrições de capital…
    * A maior parte dos bancos ocidentais estão ainda mais alavancados/endividados em 2008 do que em 2007;
    * Banca nacional solicita 23 vezes mais empréstimos ao BCE em 2008 face a 2007;
    * BCP altamente alavancado;
    * BCP restringe entrega de acções do banco como garantia dos empréstimos concedidos; Nem eles confiam nas suas próprias acções…
    * O BPN, 1º banco nacional candidato a falência já prepara uma fusão;
    * Em 2007, a CGD andou a financiar especuladores (Berardo) que hoje se renega ridiculamente; Agora encapotadamente o Estado Central mete lá dinheiro para tapar os buracos …
    * Adiamento da barragem do Tua por parte da EDP; As cotações descem, o crédito escasseia, Mexia adia …
    * Adiamentos nos prazos para candidaturas a novas SCUTS…
    * Prejuizos na TAP; Alcochete cada vez mais longe do horizonte…
    * Governo entre espada e parede no que respeita aos investimentos públicos.

    Quem se deve evitar:

    * Vendedores de banha da cobra, propagandistas ao serviço do governo, baratas tontas, António P. Metelo, MST, foruns TSFs e afins, TV generalista;
    * Neo-liberais de meia tigela:
    o O abominável Cesar das Neves, que incoerentemente agora defende o keynesianismo;
    o João Miranda com a sua habitual postura de recém-chegado às ciencias sociais, que perde sempre o essencial e que apenas sabe articular a mecânica deterministica das suas ciencias exactas;
    o Restantes Blasfemos que vão adptando a ideologia aos acontecimentos; Agora dizem que os EUA são socialistas ou agora arrependem-se de ter apoiado Rui Rio…

    Quem se deve prestar atenção:

    * Vitor Bento, Medina Carreira, Daniel Deusdado;
    * Pedro Arroja, quando escreve sobre economia e se expurga as patetices sobre católicos e protestantes;
    * O blogger portuense radicado em Lisboa, CN, o único liberal português com consistência. Tenho que reconhecer que a abordagem austriaca é aquela que está a explicar melhor os acontecimentos económicos actuais.
    * O comentador portuense «anti-comuna», que comenta acertadamente sobre a economia Portuguesa no Blasfemias e no PortugalContemporâneo;
    * O comentador «Euroliberal», que comenta acertadamente sobre geopolítica nos mesmos blogues;
    * Obviamente António Maria;
    * Jim Rogers
    * Marc Faber;
    * Peter Schiff.

    Gostar

  12. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 14:18

    o anti-comuna só disse que ia tudo afundar. Não adivinhou nada sobre a crise do subprime, nem wall street, nem nada do que aconteceu. Ou seja é também um idiota. Não viu nada de nada. Só acertou que havia crise, mas até era capaz de sugerir o subprime… lol

    Gostar

  13. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 14:22

    Estes também ainda não descobriram que se a terra arrefecer mesmo a sério não conseguem extrair o petroleo… lol
    Santo Cristo.

    Gostar

  14. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 14:26

    E também não deduzem que se a terra arrefecer mesmo gasta muito mais energia. É o que digo só berram, nunca pensam.

    Gostar

  15. JP Ribeiro permalink
    4 Outubro, 2008 14:41

    Caro Anónimo,
    Em defesa do anti-comuna deixe-me dizer-lhe que ele previu a crise e muitas coisas mais quando acabava os comentários com o” …é Portugal a afundar-se…”, etc.

    Não é que ele seja clarividente, porque qualquer pessoa MEDIANAMENTE informada sabia que a crise do sub-prime estava a chegar, porque como sabe é impossível soprar num balão eternamente sem que ele rebente. Como qualquer pessoa medianamente informada sabe que o governo Sócrates é tão oco quanto o personagem que o encarna, e que portanto não pode levar o país a lado nenhum senão a jogos de espelhos e fumo.

    No que o anti-comuna se engana, é quando chama palhaços aos nossos governantes (e eu acrescento estes e os que os antecederam) e esquece de mencionar que verdadeiramente palhaços são todos aqueles que os sustentam pelo voto, e que acham que crescer 1% é bom porque a Europa cresce 2%, que a Segurança Social como está é sustentável, que os impostos são justos e equitativos, que a AR faz leis, que os Tribunais e as Polícias funcionam fazendo-as cumprir, que o país Portugal não se está a tornar, numa geração, num estado falhado.

    Gostar

  16. 4 Outubro, 2008 14:41

    JM,
    .
    Afinal a crise em que vegetamos nos últimos oito anos… afinal foi o tempo bom das vacas gordas (a prosperidade pinhiana) e nós nem reparámos… se nós soubéssemos…

    Gostar

  17. Joaquim Amado Lopes permalink
    4 Outubro, 2008 14:42

    Só por curiosidade, quantos aqui é que sabem como se traduz o termo “billion” (inglês) para português?

    Gostar

  18. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 14:48

    Tábem JP Ribeiro. Olhe para mim: “É Portugal a afundar-se. Os governantes não percebem nada de nada. Só Santana Lopes esse escapa. O Pinho é pior de todos. Os portugueses nem sabe o que lhes vai acontecer.. lololololololl… É Portugal a afundar”

    Agora diga que sou o maior e de-me uma medalha. Sou um espectáculo!

    Gostar

  19. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 14:51

    Também posso dizer JP Ribeiro que a crise das aves vai matar toda a gente e o governo portugues não faz nada de nada? Que vão morrer milhares e milhares e o governo nada faz? O anti-comuna era especialista disso nessa altura. Grnade medo que ele tinha da gripe das aves e do governo que nada fazia.

    Gostar

  20. 4 Outubro, 2008 14:58

    billion=10^9

    Gostar

  21. JP Ribeiro permalink
    4 Outubro, 2008 15:04

    Não me referi à crise das aves nem às aparições de Fátima. Referi simplesmente que não era preciso ser nenhuma águia para prever a crise do sub-prime, e que não é preciso ser especialmente informado para prever o futuro do governo Sócrates e de todos os governos deste mesmo sistema.

    Gostar

  22. Rex Noster Liber Est permalink
    4 Outubro, 2008 15:07

    Certa vez li a seguinte frase de um autor espanhol de que me não recordo o nome: «Portugal: um país que não sei se existe, ou se é uma invenção dos portugueses».

    Gostar

  23. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 15:34

    Entretanto os internacionalistas esquerdistas continuam a inundar e a nacionalizar toda a pobreza que cá aparece.Só em 2006 foram aumentados á carga mais 60000 “portugueses” relativos a reuniões familiares.Que na sua maioria ficam á espera do governo(dos nossos impostos) para se “integrarem”
    E quem refilar disso vai dentro com pesadíssimas penas que é para não tornar a perturbar a africanização em marcha…
    Mas como a carneirada vota acho bem que pague…

    Gostar

  24. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 15:37

    Eu até covido os pobres portugueses a deixar de pagar os empréstimos.Alguém lhes irá arranjar casa, que até pode ser a que estão agora a pagar…

    Gostar

  25. Leandro permalink
    4 Outubro, 2008 15:37

    Caro JM,

    Falas tanto e tão mal que acabas por dizeres asneiras…

    O chamado pleno emprego existe teoricamente mas nunca nenhum país o atingiu. Aliás, o único país próximo de o atingir foi a Alemanha e apenas durante um pequeno período de tempo os tempos de Hitler.

    Outra coisa, quando escreves “países no mesmo estádio de desenvolvimento de Portugal andaram a crescer a 4%, 6% ou 8% nos últimos 7 anos.” estás a mentir. Se mo provares com exemplos e não palavreado ainda acredito…

    Gostar

  26. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 15:39

    Acho que foi miguel de unamuno

    Gostar

  27. Nuspirit permalink
    4 Outubro, 2008 16:11

    “Quem se deve evitar:

    o João Miranda com a sua habitual postura de recém-chegado às ciencias sociais, que perde sempre o essencial e que apenas sabe articular a mecânica deterministica das suas ciencias exactas;”
    José Silva

    Confesso que gostei especialmente desta. Primeiro porque começa a ficar claro para toda a gente que o João Miranda é já hoje uma figura de proa da vida pública portuguesa. Depois, dar um conselho para que se evite uma pessoa que é seguramente do mais inteligente que Portugal tem, é de uma estupidez jamais vista.

    Gostar

  28. Anonimo permalink
    4 Outubro, 2008 16:16

    .
    A #13,
    sem ofensa a minha opinião: o Bilião ‘á portugesa é que está intectualmente certo, por isso o
    “billion” dos outros está errado’. Tem só um problemazito, os Portugueses correntes fazem uma grande confusão de ‘Biliões; os intectuais andam sempre a fazer contas de cabeça. Resumindo a definição portuguesa de Bilião é o supra da comodidade e da facilidade comunicacional mundial. Acertem lá isso.
    .
    A #18, eu aposto mais na previsão só de alguns “desmontagem e além do momento, talvez clarividência, reproduzida na capacidade pessoal da palavra certa no momento” e muito menos nos oportunistas que “desvalorizam no depois quando o previsto já não é negàvel”. Já começou a fuga do barco para tentar abichanar mais qualquer coisita ? Só pergunto.

    Gostar

  29. anti-comuna permalink
    4 Outubro, 2008 16:49

    “o anti-comuna só disse que ia tudo afundar. Não adivinhou nada sobre a crise do subprime, nem wall street, nem nada do que aconteceu.”

    Por acaso é mentira. Ainda em Portugal andavam os nossos jornalistas à procura do que queria dizer credit crunch e já eu aqui o falava, sobretudo no que toca à parte que influencia Portugal.

    Mas mesmo que não o tivesse previsto, pelo menos critiquei a forma acéfala como se desgovernou Portugal, com uma política económica e orçamental no limiar da estupidez.

    Se estes palhaços que nos desgovernam tivessem mesmo tido uma política a sério, hoje não tinhamos o país à beira da implosão.

    Enfim, há-de haver sempre quem lamba as botas ao poder.

    Só espero que esteja seguro porque o que aí vem não é nada daquilo que estamos a passar. Portugal vai estoirar. Ou melhor, está a estoirar. Mas se alguém o está a ver não são as nossas luminárias no poder, nos jornais e na televisão.

    Comprem uns bons pára-quedas. Bem vão precisar.

    Gostar

  30. Anónimo permalink
    4 Outubro, 2008 17:14

    10^9 = 10^12

    Gostar

  31. 4 Outubro, 2008 17:44

    Que é feito da parte II ?

    Gostar

  32. Gabriel Silva permalink*
    4 Outubro, 2008 17:45

    ccz,

    já outra vez online, mais acima.
    tivemos um problema de formatação do blog provocado por outra posta, pelo que se retiraram temporariamente algumas postas, mas já está resolvido.

    Gostar

  33. Tribunus permalink
    4 Outubro, 2008 19:04

    È curioso ouvir, na semana passada, o ministro que se diz das finanças, que o governo est´
    a preparado para nacionalizar a banca se fôr caso disso!
    Não è capaz de relançar a aeconomia, mas engrossa a voz com nacionalização……que pinóquios nos governam!

    Gostar

  34. 4 Outubro, 2008 19:09

    “A billion” = Mil milhões
    Um bilião = Um milhão de milhões

    Onde se recebe e qual é o prémio?

    Gostar

Trackbacks

  1. Portugal » Sobre o Portugal da Outra Senhora...

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: