Saltar para o conteúdo

Compreensão lenta

25 Abril, 2009

No Câmara Corporativa (raio de nome!) João Magalhães resolveu comentar o meu post Corrupção. Os corporativos   perderam o tino com o caso Freeport. Só assim se explica que oito dias depois do meu post eles se tenham baseado nas declarações do mesmo inglês que falava no video para me responderem. O Smith que mentia  a 17 de Abril pelos vistos agora fala verdade  a 25 de Abril. Enfim acho que os corporativos já deviam conhecer o senhor Smith para não se lhe colocarem nas mãos.  Depois se  João Magalhães lesse e ouvisse em vez de procurar apagar fogos perceberia que nunca escrevi que considero Sócrates culpado no caso Freeport .  Escrevi até que provavelmente o outlet Freeport é do ponto de vista ambiental uma melhoria em relação ao que lá estava.  Tenho ainda a convicção mas posso estar enganada mas para já é o que penso que provavelmente todo o licenciamento anormalmente rápido do Freeport terá corrido dentro dos procedimentos. Porque o problema está exactamente aí: nesse nó de regulamentos que não defende os interesses do país antes servem para tornar possível a alguns o que se proíbe a todos os outros. Nesse nó de regulamentos que inferniza e esbulha qualquer um de nós mas legalmente tolera o impensável a alguns . O que melhor representa os governos de Sócrates é o conceito dos PIN versus regulamentos dos parques naturais: instituem-se condicionantes em alguns casos criminosas para os seus habitantes e autoriza-se tudo e mais alguma coisa a quem conseguir um PIN.  Não sei se Sócrates é corrupto e espero bem que não seja. E sobretudo espero que deixe de ser primeiro-ministro não por ser arguido mas sim por os portugueses se fartarem dele e da sua  concepção oligárquica do poder e da legislação.

58 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 19:33

    Que o senhor smith disse que mentiu está escrito na carta rogatória. Imaginem há quanto tempo é que toda a gente sabe isso. Está lá escrito. Até oparece que oi ontem que alguém descobriu isso. é po estas coisas que acho que a inbestigação cientidica da tvi e afins é muito estranha de entranhar. É mesmo para crentes.

    Gostar

  2. Coronel Tapioca permalink
    25 Abril, 2009 19:35

    Qual é a tua “ó minha”, desde 4 de abrir colocava este post.
    =======

    Coronel Tapioca disse
    4 Abril, 2009 às 3:41 pm
    http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=384381&visual=26&rss=0

    Ontem, o Escoces dizia que não conhecia Socrates.

    Hoje de manhã, diz que o sobornou.

    Vamos ao Par ou Impar?

    Gostar

  3. João Pereira permalink
    25 Abril, 2009 19:40

    A confissão é de 2007. Quem é desonesto, agora?
    E porque é que antes dizia a verdade e agora a confissão é mentira? É à escolha do freguês?

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 19:50

    já há gajos canonizados por menos. frite qualquer coisa, junte o artigo e mande para o saraiva, pode ser que se arranje qualquer coisa.

    Gostar

  5. Coronel Tapioca permalink
    25 Abril, 2009 19:52

    Vamos aguarda que corra até ao fim, o meu felling diz-me, que vai caír na São Caetano, isso seria a cereja em cima do bolo de de noiva.

    Espero ir ao casamento e a Lena esta convidada

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 19:54

    Por mim deviam questionar-se a razao da policia portuguesa pedir uma carta rogatória à policia inglesa com os dados que tinha e sem falar sequer com os suspeitos envolcendo o nome do primeiro ministro. Os ingleses ou qualquer país civilzado nunca faria uma coisa dessas.

    Gostar

  7. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 19:57

    Alguém imagina os estados unidos a iniciar uma investigação a obama pedindo informações fora do país ou os ingleses a investigar Brown e pedir informação para fora sem investigar o que podiam ´dentro de portas e falar com os suspeitos?!?

    Gostar

  8. 25 Abril, 2009 20:13

    Diz esse tipo normativo ideal de assessor que o problema é alguém, porventura, acreditar n’«… a palavra de um inglês que ninguém conhece de lugar algum, transcrita a partir de um vídeo de vão de escada…».

    Pois claro. Porque o Chefe (dele), esse sim, é um homem de reconhecida palavra…

    Gostar

  9. per caso permalink
    25 Abril, 2009 20:20

    E se socrates não deixa o poleiro, perdidos, endividados, f… a quem iremos queixar-nos, pedir ajuda, sem já saída e hipótese de salvação? No Público, ontem, tão acertadamente bem.

    Gostar

  10. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 20:23

    País de 3ª mundo, damos azo a isso

    Gostar

  11. Prontes permalink
    25 Abril, 2009 21:04

    País onde se acredita no mentiroso quando ele diz que mente só pode ser de 4º mundo.

    Gostar

  12. pink permalink
    25 Abril, 2009 21:05

    A verdade já não interessa para nada.
    Obviamente, o primeiro ministro de Portugal, não pode ser culpado de um crime de corrupção.
    O país perdia muito do pouco prestígio que goza no estrangeiro.
    Não há alternativa ao primeiro. Por enquanto!
    Nas Próximas eleições, os portugueses, cautelosos e escaldados, vão premiar o primeiro com uma maioria desconfortável ( 34%- 37%)

    Gostar

  13. 25 Abril, 2009 21:07

    Sócrates é um doido.

    Um doido mau.

    Gostar

  14. henrique pereira dos santos permalink
    25 Abril, 2009 21:10

    Cara Helena Matos,
    Sempre que tem oportunidade e quer venha a propósito ou não diz coisas do género: “regulamentos dos parques naturais: instituem-se condicionantes em alguns casos criminosas para os seus habitantes” mas depois raramente, ou nunca, dá exemplos concretos de normas concretas que fundamentem uma opinião tão clara.
    Acresce que no caso do Freeport o único parecer negativo que houve foi o meu e, pasme-se, não por causa dos regulamentos das ZPE (que não é uma área protegida, aliás) mas pela minha interpretação do Plano Director Municipal (quer os planos de ordenamento das áreas protegidas, quer os PDMs são sujeitos a discussão pública e chegam a ter milhares de comentários).
    Essa ideia de que os regulamentos dos planos são só tontices que dão cabo das vidas das pessoas não faz o menore sentido. Primeiro porque pode haver, e eu conheço alguns em que há, normas erradas ou pouco sensatas mas o seu impacto na vida directa das pessoas é muito limitado (sobretudo se falamos de pequenos projectos); segundo porque as únicas pessoas que fizeram uma avaliação da evolução do poder de compra dos concelhos de todos o país e relacionando-o com as áreas protegidas, com tuda as limitações que tem a análise feita, foram as pessoas que trabalharam comigo e chegaram a conclusões que não suportam o discurso dos coitadinhos (o que é lógico, basta perceber que toda a gente sabe que existe a serra de Montezinho e ninguém conhece a serra da Nogueira e isso representa, para muitas actividades económicas, uma vantagem competitiva importante para Montezinho).
    O que lhe queria pedira não era que mudasse de ideias mas simplesmente que as fundamentasse em factos concretos e verificáveis.
    henrique pereira dos santos

    Gostar

  15. Carlos Fernandes permalink
    25 Abril, 2009 21:12

    Helena,

    Gostava de lá colocar a Tia Manuela?!!
    Nem parece seu!!

    Gostar

  16. 25 Abril, 2009 21:17

    # 15

    Paleio para totós. Para idiotas.

    Sou amiga pessoal, há muitos anos, de um dos técnicos superiores (dos mais conceituados) do sector do Ambiente (…)

    O que se passa, neste sector, É O TOTAL ESCÂNDALO NACIONAL.

    Gostar

  17. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 21:18

    Isto é um País de septuagenarios o coisa parecida?

    Gostar

  18. henrique pereira dos santos permalink
    25 Abril, 2009 22:01

    Cara Senhora do comentário 17,
    Acredito que tenha inteira razão mas nestas coisas a fé não chega. Importa-se de ser um pouco mais concreta e explicar por que razão acha que é o total escândalo nacional? Não é preciso nada de muito complicado, um, dois, três factos concretos e verificáveis ajudariam imenso a elevar o nível da discussão. Repare, eu nem estou a dizer que não tem razão, estou só a dizer que se o demonstrasse a discussão poderia ter algum interesse.
    Assim…
    henrique pereira dos santos

    Gostar

  19. olen permalink
    25 Abril, 2009 22:10

    Se o Zézito,Proença e assessores conseguirem o que querem todos os crimes e mais um terão sido cometidos pelo Smith e só pelo Smith.São tantos que o homem será condenado em cúmulo jurídico a pelo menos 25 anos de cadeia e passará o resto da vida numa confortável prisão portuguesa a injectar-se e a levar no …várias vezes por dia.

    Gostar

  20. 25 Abril, 2009 22:19

    # 19

    Por onde quer começar?

    Pelos concursos “públicos”?
    Pelos «estudos de impacto ambiental»?
    Pela «fiscalização»?
    Pela legislação?

    Gostar

  21. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 22:21

    #17 também conheço esse técnico conceituado e acho que o gajo te aldrabou. há lá outros que fazem o mesmo por menos dinheiro.

    Gostar

  22. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 22:24

    #21 – podes começar com um caso de fiscalização?

    Gostar

  23. Pifas permalink
    25 Abril, 2009 22:33

    Cara #21

    Se não fosse o intenso odor que dele se desprende dir-lhe-ia para começar pelo caso referido naquela reportagem que passou ontem no telejornal da TVI. É excepcionalmente hilariante.

    Gostar

  24. Mr. Hyde permalink
    25 Abril, 2009 22:38

    Com os protestos da minha subida consideração e afecto, ouso ofertar à conhecida jornalista Helena Matos, um buquê de seis aromáticas vírgulas (,,,,,,), que fará o favor de plantar no texto, nos locais azados.

    Gostar

  25. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 22:42

    #24 – o que tu sabes deve ser mais interessante. conta lá ou tás armado em tvi?

    Gostar

  26. 25 Abril, 2009 22:44

    coitadiho do socas. A sondagem deve ter sido mal feita
    http://margensdeerro.blogspot.com/

    Gostar

  27. 25 Abril, 2009 22:52

    Um dos grandes mistérios da idiosincrassia do povo tuga é o facto de aturar o pior primeiro-ministro da História, desde os tempos da D.Urraca, e não virem para a rua protestar!

    Como dizia o Franco: os portugueses são uns cobardes!

    Habituem-se como diz um dos priveligiados do sistema sucialista, o pequenote Vitorino…

    Gostar

  28. Pifas permalink
    25 Abril, 2009 22:53

    #26

    Vocelência é intratável. Não negoceio mais. A TVI mostrou o que mostrou e quem quiser ver mais pode ver as coisas do género que se fazem por esse mundo fora no filme “Gomorra” de Matteo Garrone.

    Gostar

  29. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 22:56

    #25 buuuh…quê??? isso no brasil não se oferece a uma senhora.

    Gostar

  30. Anónimo permalink
    25 Abril, 2009 23:06

    #29 e faz muito bem, para negociar é preciso haver qualquer coisa para troca. ou a ideia é trocar nomes de filmes?

    Gostar

  31. anti-liberal permalink
    25 Abril, 2009 23:20

    #18

    Anónimo disse
    25 Abril, 2009 às 9:18 pm
    Isto é um País de septuagenarios o coisa parecida?

    Se os putos, os imbecis já de 40 a 50 anos ou mais, todos os que foram apanhados pela Educação do post 25 de Abril, tivessem a cultura e educação dos septuagenários, o nosso Portugal estaria muito melhor, pelo menos, sem as broncas vergonhosas que se passam e sem broncos como você.

    Nuno

    Gostar

  32. antónio permalink
    26 Abril, 2009 01:33

    Só não vou que o vídeo era uma farsa quem não quis – Além de ter denunciado a fraude no meu BLOGUE-NOTÍCIAS-DO-POLVO, dirigir-me aos senhores deputados da AR para fazerem uma investigação – Eis a cópia do mail:

    TVI – E O VÍDEO: – POLÍCIA DEVIA INVESTIGAR – PURO TEATRO PARA INCRIMINAR JOSÉ SÓCRATES OU A FARSA MAL REPRESENTADA DE QUEM QUER ARRANJAR UM ÁLIBI?!

    Exmos Senhores

    Presidentes dos Grupos Parlamentares

    Exmos. Senhor Procurador-geral da República

    Sou um simples cidadão que gosta de estar bem informado e que exige de um canal de televisão, uma informação rigorosa e isenta – Essa informação, porém, não é aquela que me é oferecida por um canal de televisão – Refiro-me à TVI , e, em particular, ao “jornal Nacional” de Sexta-feira. Mas, com esse tipo de exigências, estou certo, também estarão V.Exas – Pois um canal de televisão não é a mesma coisa de que ter acesso a uma mercearia ao virar de uma esquina ou editar um jornal. Porém, sobre esta questão, não vou acrescentar mais nada. Até porque parto do princípio que V.Exas também vêem os telejornais e já tem a vossa opinião formada

    Como é do conhecimento geral, o telejornal das 20 horas, daquela estação televisiva, passou uma gravação que não é considerada legal em termos de investigação, em que se produziam acusações graves contra o Sr. Primeiro Ministro – Não acredito que fosse com o objectivo de apresentar uma peça de um jornalismo de investigação, sério, aprofundado e rigoroso, porque, se assim fosse, e uma vez que o dito vídeo não é reconhecido como legal nos termos da lei e foi recusado pelos investigadores, ao invés de o transmitir, e sem que os visados pudessem pronunciar-se e defender-se, teria optado por servir-lhe de suporte ou de pista para um trabalho jornalístico mais desenvolvido: analisando a gravação (ou pedindo que peritos a analisassem), colocando questões, questionando, quer as autoridades competentes, quer as pessoas, que se diz serem ali referenciadas ou apontadas – Nada disso aconteceu.

    Todavia, se eu estivesse no lugar do chefe de redacção ou do director da informação da TVI – ao invés de usá-la, como matéria em bruto, teria exactamente começado por servir-me dessa gravação como ponto de partida para um trabalho de investigação mais amplo: questionando, partindo até do princípio de que, quem é conivente com um tal género de gravação, co-autor e depois a entrega a cassete às autoridades, talvez até não estivesse propriamente interessado em apanhar os prevaricadores, mas defender também a sua pele ou algo mais – Isto parece-me óbvio. Pois a gravação (não se trata de uma conversa informal como a TVI afirma) mais parece um questionário de perguntas e de respostas ou uma representação teatral, mas de muita má qualidade, em que se usa o mesmo tom de voz desde o principio ao fim. Ou será que, de ouro modo, os prevaricadores eram assim tão parvos?!

    Porém, como não disponho do espaço dos jornais, e muito menos das televisões, resta-me o recurso aos chamados blogues da Net – É justamente para uma atenta reflexão, sobre essa grave acusação, ue recaiu sobre o Sr. Primeiro-Ministro, Eng. José Sócrates, e sobre a qual decidi pronunciar-me num blogue de minha autoria, que tomei a liberdade de enviar a V.Exas. este meu e-mail, propondo-lhes duas coisas:

    Primeiro: uma vez que o dito vídeo é do domínio público (embora continue a considerar que o procedimento da TVI é condenável, injustificável e afrontador da lei) ponderassem também nas mesmas questões, sobre as quais eu ponderei no meu blogue, após o ver pela segunda vez – Sim, e que o mesmo fosse objecto de uma criteriosa investigação pela Polícia Judiciária.

    Em segundo lugar: – que, em circunstância alguma, as leis que V.Exas aprovam, pudessem ser letra morta Que a liberdade de expressão jamais pudesse ser aceite como o atropelo aos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos. O exercício dos direitos de informar e de ser informado não permite que se recorra ao insulto pessoal ou colectivo, seja a que pretexto for, sob pena de subversão dos valores fundamentais da vida em democracia, excedendo os limites constitucionais do direito de crítica e violarem o bem do direito dos cidadãos ao bom nome e reputação, também constitucionalmente admitidos no nosso sistema jurídico.

    De. Vossas Excelências

    Respeitosamente

    António Miguel.

    Gostar

  33. melusine permalink
    26 Abril, 2009 02:28

    António Miguel?

    Isso é nome que se apresente ao Parlamento e ao sr. PGR?

    Gostar

  34. olen permalink
    26 Abril, 2009 02:56

    António Miguel Pedro Pinto de Sousa Smith?

    Gostar

  35. anti-liberal permalink
    26 Abril, 2009 05:34

    É preciso ter uma lata descomunal para aparecer aqui ou em quelquer lado um gerúndio destes em defesa de Pinto de Sousa.
    Gaita!

    Nuno

    Gostar

  36. Anónimo permalink
    26 Abril, 2009 07:01

    é sempre um prazer vê-la e ouvi-la.
    aconteceu na sic, sempre cheia de “borra-botas”.

    Gostar

  37. henrique pereira dos santos permalink
    26 Abril, 2009 08:36

    Cara Anónimoa do comentário 21,
    Boa tentativa de sair por cima sem dizer nada mas não chega o jogo de cintura. Comece por onde quiser a dizer o que quiser (como sabe os concursos públicos são matéria geral, não dizem exclusivamente respeito ao sector da conservação, mas pode começar a fundamentar por onde quiser a sua afirmação de que se trata de um escândalo nacional o que se passa na conservação, mesmo que isso seja um bocado lateral à questão que Helena Matos levanta de vez em quando: as normas aplocáveis nas áreas protegidas são criminosas para os seus habitantes).
    Já agora, o curioso é que qualquer pessoa pode desencadear uma acção popular para realizar um referendo para retirar a classificação a uma área protegida qualquer, mas paesar do desastre que ciclicamente é referido, ninguém toma essa iniciativa para saber o que realmente pensam as pessoas.
    henrique pereira dos santos

    Gostar

  38. 26 Abril, 2009 08:40

    Já não há c* para aguentar o Smith e mais o DVD… A Helena tem razão: vamos pôr este coveiro sokas na rua ao longo deste ano. Vamos começar já em Junho por lhe dar um valente “enxerto de porrada” e em Setembro ou Outubro ou quando o Cavaco quizer (até pode ser em Agosto, que ninguém tem cheta para ir para o Algarve), damos-lhe a estocada final.

    Quanto “à fripór”, cá estaremos para lhe dar mais um “enxerto” se se concluir que o merece.

    Gostar

  39. Anónimo permalink
    26 Abril, 2009 08:47

    Mr Hyde, eu pensei o mesmo das virgulas. Deu um toque de Nobel Portugues ao texto. Ps – o meu teclado nao tem acentos.

    Gostar

  40. 26 Abril, 2009 08:56

    O caso das vírgulas é sintomático.
    O caso das vírgulas é sintomático de quem não sabe utilizar vírgulas.
    Como não sabe, não as põe.
    O que não a impede escrever sobre o que não sabe.

    Gostar

  41. 26 Abril, 2009 09:54

    José Sócrates mentiu mais uma vez: na maioria dos países europeus, a escolaridade obrigatória não vai até aos 18 anos

    Gostar

  42. olhão permalink
    26 Abril, 2009 12:02

    28,
    “Como dizia o Franco: os portugueses são uns cobardes!”
    Estava a referir-se ao botas…penso eu…

    Gostar

  43. olhão permalink
    26 Abril, 2009 12:05

    Cara Helena
    E depois quem punhamos lá?
    A D.ª Brites de Almeida? Essa já morreu!!!

    Gostar

  44. Camelo de Mira permalink
    26 Abril, 2009 14:45

    Sr HPS.
    Tecnicamente o que acha da instalação da Pescanova em Mira? Gostava de ter a sua opinião.E essa tambem ainda vai fazer correr alguma tinta se estiverem com atenção.

    Gostar

  45. henrique pereira dos santos permalink
    26 Abril, 2009 14:52

    Tecnicamene, e estritamente do ponto de vista da conservação da natureza, não tenho nenhum objecção à instalação da pescanova em Mira (partindo do pressuposto de que algumas medidas facilmente exequíveis são tomadas).
    henrique pereira dos santos

    Gostar

  46. Camelo de Mira permalink
    26 Abril, 2009 14:57

    assim sendo porque foi aquele espaço alguma vez classificado como áre Rede Natura 2000 ?
    Não entendo então porque ha calssificação do uso dos solos..se tecnicamente é sempre possível acimentar Rede Natura 2000

    Gostar

  47. Camelo de Mira permalink
    26 Abril, 2009 15:00

    O projecto em si é bastante agressivo uma vez que estamos a falar de 320 tanques enormes em cimento. Quanto à aquicultura para já não está a resultar. Tanto quanto sei o pregado tem morrido todo.Quanto ao interesse por muito que rebusque não consigo percebr porque é nacional.

    Gostar

  48. henrique pereira dos santos permalink
    26 Abril, 2009 15:14

    A rede natura não é um espaço onde não se pode fazer nada. A rede natura é uma rede europeia onde se encontram valores que é preciso manter em estado de conservação favorável. Portanto o critério não estar ou não dentro da rede natura mas sim afectar ou não os valores presentes (e para esse efeito é independente se o projecto está fora ou dentro da rede natura). Naquele caso concreto a afectação decorrente da impermeabilização com os tanques não parece afectar os valores presentes de acordo com os estudos de hdrogeologia feitos (trata-se de areias e foi avaliado o efeito da impermeabilização da área nos habitats que não estão longe). A instalação não afecta as dunas mais próximas da costa (e com habitats protegidos) mas sim outras dunas cobertas de acacial e sem habitats relevantes. Os canos de adução de água e rejeição de efluentes são instalados por escação substerrânea, pelo que também não afectam essas dunas, e são colocados suficientemente longe para não terem efeitos nos habitats costeiros.
    Neste tipo de situações há um mosaico de valores importantes e não importantes e é preciso avaliar caso a caso se há ou não afectação (por exemplo, a implantação do projecto foi alterada para não afectar habitats) o que não significa que a classificação como rede natura esteja errada.
    Quanto ao resto, se a aquacultura funciona ou não, não é coisa que eu consiga discutir.
    Se me perguntar se pessoalmente preferia ter ou não a instalação a ali, eu diria que preferia não ter mas estas coisas não se avaliam com critérios de gosto pessoal.
    Um pequeno comentário lateral para dizer que embora a aquacultura em geral tenha problemas de compatilidade ambiental, convém ter a noção de que se não há redução de consumos a alternativa é a pesca em alto mar cujos problemas ambientais são por vezes bem mais graves.
    henrique pereira dos santos

    Gostar

  49. 26 Abril, 2009 15:23

    Meus caros os espaços ditos da- rede natura- natureza são aqueles que os legisladores -e o dinheiro-quiserem..o resto são tretas…
    Pergunta : HAverá alguma câmara que até hoje cumpriu o PDM?

    Gostar

  50. henrique pereira dos santos permalink
    26 Abril, 2009 15:32

    Sim, o mesmo pode dizer-se dos monumentos nacionais, das prestações sociais, dos hospitais, das auto-estradas ou de qualquer outra política pública.
    Qual é o problema disso? Não são os legisladores os que resultam do processo democrático? Não são os limites da influência do dinheiro nas decisões públicas os que resultarem do processo político democrático?
    henrique pereira dos santos

    Gostar

  51. JJ Pereira permalink
    26 Abril, 2009 15:39

    Correr com o bípede limita-se a ser um imperativo higiénico – fazer desaparecer o lixo.
    Quanto ao J. Magalhã, calhou-lhe estar de turno – e há que garantir o lugarzinho à manjedoura…

    Gostar

  52. Camelo de Mira permalink
    26 Abril, 2009 15:41

    Cara Bolimunda

    Sendo eu de Mira não precisa de me falar em atropelos ao PDM . Não sei se conhece a Praia de Mira mas é sinónimo de caos urbanístico.O problema é que nós cá por estas bandas ja estamos habituados a atropelos diversos mas continuo a sentir-me feliz por ainda acreditar que se pode fazer qualquer coisa quanto mais nao seja a longo prazo.

    Caro HPS francamente não conhecia aquela zona da Floresta em Mira porque era de muito difícil acesso mas vendo de um ortofoto disponível no site da camara de Mira via-se nitidimanete que era a zona mais verde do concelho. Não acredito que fossem só acácias em toda a extenção. Tanto quanto sei era pinheiro bravo essencialmente.

    E depois colocam-se outras questões. os projectos de interesse nacional serão sempre de interesse municipal?
    Não consigo entender que mais-valia pode representar um projecto de uma multinacional espanhola numa área verde de um concelho que até aqui tinha séria pretensoes de se afirmar na área do turismo sustentável. Temos condições fantásticas e com decisões como esta arriscamo-nos a ter de esquecer pura e simplesmente essa ideia.
    O primeiro ministro despejou-nos para cá com o projecto porque é amigo pessoal do nosso Presidente de Câmara e em troca aprovou-lhe no mesmo mês 2 planos de urbanização na mesma semana que estavam na gaveta da secretaria de stado há quase uma década e eram fundamentais para o nosso Presidente de Câmara cumprir com algumas promessas eleitorais a amigos e familiares com direito a mais N atropelos.
    Sabe-se que o EIA foi suspenso antes que fosse chumbado e também se sabe que, como parece normal, os técnicos da ccdrc também foram obrigados digamos que ” a pensar ” de outra maneira.

    Agora vem cá s. Exª o Sr Primeiro Ministro inaugurar o projecto ja com algum atraso no calendário das inaugurações e vai ser tudo muito bonito com pompa e circunstância mas eu, honestamente, como Mirense não consigo encontrar nenhuma vantagem para o meu Concelho.

    Gostar

  53. henrique pereira dos santos permalink
    26 Abril, 2009 15:54

    Há de facto excelentes ortofotomapas da zona antes de qualquer intervenção e pode verificar que há diferenças importantes para as áreas de pinheiro. De qualquer maneira foram feitos levantamentos, e verificados no terreno, quer pelos serviços públicos, quer pelas organizações que contestam a localização do projecto, e de facto a zona estava coberta de acácias.
    Quanto ao interesse nacional do projecto e coisas que tal não discuto aqui mas se quiser pode ler o que penso sobre os Pins num texto que escrevi há muito tempo. http://ambio.blogspot.com/2006/06/interesse-nacional-e-estado-democrtico.html
    henrique pereira dos santos

    Gostar

  54. 26 Abril, 2009 16:36

    Quanto ao nono comentário, o do insigne CAA, gostaria de lhe recordar que, a respeito da Câmara Corporativa, de “tipos normativos ideais de assessor” e de “homens de reconhecida palavra”, que há 14 meses se aguarda pelos resultados da sua prometida investigação sobre a misteriosa personalidade singular ou plural de Miguel Abrantes…

    Gostar

  55. Anónimo permalink
    27 Abril, 2009 15:35

    Um dos aspectos mais relevantes desta discussão, a meu ver, e para além dos esclarecimentos do HPS, foi a participação activa da autora do post, que perante um pedido de fundamentação das suas opiniões, disse NADA.

    Gostar

  56. Tribunus permalink
    27 Abril, 2009 18:22

    Só pregunto, porque um ministro do ambiente, tem que ir a uma reunião com a parte interessada e todos os elementos estatais, que decidiam da autorização?
    Quem cabras não tem e cabritos, vende, donde lhe vem estes?
    Não basya dizer que è honesto, è preciso não passar a vida com estorias estranhas……..

    Gostar

  57. Carlos Duarte permalink
    28 Abril, 2009 08:27

    SE NÃO FOSSE A REVOLUÇÃO DE ABRIL????
    Mete muita pena, ao verificarmos quão intoxicados estão os portugueses quanto ao 25 de Abril.
    Será que ainda não acordaram para o facto de que o mesmo estava “orquestrado” para levar Portugal para o grupo de países satélites da União Soviética, e que muitos portugueses desapareceriam simplesmente “do mapa”? Porque razão Cunhal fez transferir quilos e quilos de documentos informativos para a União Soviética? e a ameaça foi feita pelos Gonçalvistas que chegaram ao cúmulo de ameaçar com o Campo Pequeno e com fuzilamentos em massa?
    Portanto quem quer que esteja a escrever no blog blasfémias, não estaria aqui a escrever não , ah isso não……….não fosse o grande herói da liberdade o Coronel Jaime Neves que a 25 de Novembro pôs os comunistas na ordem, nós passávamos “do sal para a salmoura”, pois as ditaduras comunistas são de longe piores do que foi a ditadura Salazarista.
    Penso que já é tempo dos portugueses se instruirem e informarem melhor e mais e saírem desta contínua ignorância do que foi o verdadeiro 25 de Abril………..

    Meu Deus, realmente Porgugal é um país de
    Doutores, Engenheiros e de gente que fala muito, mas muito e pouco fazem…(os povos latinos não têm remédio, já o dizem os do Norte da europa e t~em razão)

    Carlos Durate

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: