Skip to content

“E tu acreditas?”*

25 Setembro, 2009

“E tu acreditas?” – este devia ser o título do último livro de Rui Costa Pinto, “José Sócrates, o homem e o líder”. Este livro começa no preciso momento em que o actual primeiro-ministro e então ministro adjunto com as tutelas do Desporto e da Defesa do Consumidor lhe perguntou irado ao telefone: “E tu acreditas?” – a propósito das questões que Rui Costa Pinto então a trabalhar em “O Independente” lhe colocava a propósito um negócio de resíduos e lixo que ficaria conhecido como o caso Cova da Beira.
As páginas mais interessantes deste livro decorrem entre o fim de Janeiro de 1999 quando esta conversa telefónica teve lugar e a noite de 20 de Fevereiro de 2005 em que o autor se sentou na primeira fila do Altis para ouvir o discurso da vitória de José Sócrates. Passámos os últimos anos a ouvir falar do Freeport, da Cova da Beira e do seu tempo de universidade, mas teremos dificuldade em recordar quem era nesse tempo o actual primeiro-ministro. Rui Costa Pinto faz esse percurso desde 1999. Note-se que Rui Costa Pinto não é um observador neutral ou um coleccionador de factos. Rui Costa Pinto inventaria exaustivamente as situações, identifica todas as citações e em seguida interpreta e produz opinião sobre o que viu, ouviu e leu. A descrição da luta pelo poder travada por Sócrates entre este momento e aquela noite de vitória de 2005 é particularmente interessante. Sobretudo para os socialistas.
Por fim é importante referir que este livro tem uma história antes de chegar às livrarias. Num curto espaço de tempo é o segundo livro sobre José Sócrates que regista dificuldades em chegar ao mercado. O primeiro foi o “Dossier Sócrates” de António Balbino Caldeira. Em ambos os casos os autores com opções políticas notoriamente diferentes procuram que a imensidão dos dados que apresentam garantam a seriedade daquilo que escrevem. Em ambos os casos o silêncio parece abater-se sobre estas obras. Ninguem os desmente mas referi-las é quase interpretado como um gesto de mau tom. Enfim, algo que se dispensava. Por isso estes livros para lá do que revelam, confirmam ou desmentem sobre Sócrates mostram muito sobre a disponibilidade da sociedade portuguesa para viver não caladinha mas sem falar disso. O isso é que vai mudando consoante as circunstâncias e os protagonistas.

*PÚBLICO

Anúncios
62 comentários leave one →
  1. 25 Setembro, 2009 09:53

    Os interessados no livro de António Balbino Caldeira podem obtê-lo, em formato PDF, no blogue dele.

    (Se alguém tiver dificuldades no download, contacte-me, que eu tenho aqui o ficheiro e envio-o).

    Gostar

  2. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 09:56

    #1 dispenso

    Gostar

  3. julian permalink
    25 Setembro, 2009 10:02

    Sócrates é um aprendiz ao pé dos amigos da Helena Matos. Refiro-me apenas aos amigos José Manuel Fernandes e Pacheco Pereira. É que Sócrates não tem a escola Maoista. Bem sei que a Helena também tem essa escola, mas também sei que já se libertou dos métodos trapaceiros dessa escola. Já os amigos…………..

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 10:03

    So se fosse para lhe limpar o …..

    Gostar

  5. helenafmatos permalink
    25 Setembro, 2009 10:13

    2 pois o problema é mesmo esse: os anónimos dispensam muita coisa. Não esqueça também que alguém lhe dirá “dispenso”

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 10:20

    6 Eu não me ofereço a ninguém.

    Gostar

  7. 25 Setembro, 2009 10:27

    Quando li o título – e tu acreditas? – pensei que era sobre aqueles jornalistas do Público que, juntamente com um assessor e homem de mão do presidente da república, Fernando Lima, andaram 18 meses a cozinhar uma falsa notícia sobre vigilância e escutas do governo ao PR, para, em véspera de eleições a publicarem, com a nítida intenção de influenciar o resultado do próximo domingo.
    Com os dados que temos – aquele bendito email que o DN teve a coragem de publicar – e sobretudo com tudo o que disse o provedor do jornal nas suas duas últimas colunas, julgo que não restam dúvidas.

    Gostar

  8. Kafka permalink
    25 Setembro, 2009 10:54

    Alguns comentários fazem-me reflectir sobre o futuro deste país.
    Verifica-se que a educação, quer moral quer intelectual, tem-se vindo a degradar duma forma impensável há duas décadas a esta parte e de tal forma que o previsível final será uma espécie de república Sul-Americana com laivos de Chavez de Kadafi e de Bocassa.

    Gostar

  9. Paulo Nunes permalink
    25 Setembro, 2009 11:07

    O comentário #2 reflecte uma posição clubista cada vez mais comum em Portugal.
    Cada vez se emite mais opiniões sobre indivíduos e partidos políticos sem ao menos haver algum interesse ou esforço em recolher informação que sirvam de base de sustentação a essa mesma opinião.
    A ignorância grassa e isso é uma bênção para alguns partidos que dela bem se aproveitam.

    Gostar

  10. Lisboeta permalink
    25 Setembro, 2009 11:33

    Como este post confirma, não é o PS que traz casos para a campanha.

    A velha queixa-se de que houve casos que calaram as ideias, brilhantes com certeza, que queria passar, mas ela foi a primeira a aproveitar os casos que apareceram, como o das escutas que ala cavalgou de imediato, e até a lançar mais alguns, como essa coisa fantástica da Asfixia Democrática, ou da subserviência aos interesses espanhóis.

    Já agora, Helena Matos, esclareça o seguinte : a senhora é uma figura pública e tem sido profícua em criticar abertamente este governo e o seu 1º ministro. Por acaso, já recebeu algum telefonema do Sócrates ou de algum Ministro a mandá-la calar, ou pior ainda, teve a visita da policia em casa ?

    O que é certo é que eu da parte do PSD, para além dos ataques pessoais diários ao Engenheiro Sócrates, e do lançamento de algumas ideias delirantes, não ouvi uma única proposta. Por exemplo, ainda estou para saber o que a vetusta senhora pensaria fazer em relação à Reforma da Administração Pública que eles têm vindo a acusar o PS de ter ficado a meio, ou qual o modelo de avaliação dos professores que pensariam implementar, se teria consequências na carreira, ou seria uma coisa meramente cosmética, para não ofender os professores.

    Gostar

  11. Carlos de Sottomayor permalink
    25 Setembro, 2009 11:40

    Nós temos um PM, que se não fosse ter envederado pela política, seria hoje um obscuro eng. tecnico cívil que andaria pela zona Beirã a assinar uns projectos que não eram dele e a receber dinheiro por isso, estas ligeiras falcatruas que se fazem nas Câmaras e que todos sabemos que ele fazia. Mas, josé Sócrates veio para a política, trouxeram-no o Armando Vara e a Fatinha de Felgueiras, foram até sócios de uma empresa os três, mais um vigarista qualquer que foi condenado por umas falcatruas em exames de condução.
    A política mudou o destino da sua vida e ele, mérito lhe seja dado, geriu muito bem a sua carreira política e estava no sítio certo, à hora certa para lhe caír o lugar de PM ao colo.
    Mas esta, é a única “qualidade” que lhe atribuo, o jeito para a intriga política, em tudo o mais este homem não tem as mínimas qualidades de homem de estado, não tem qualificações académicas, nunca teve uma vida profissional relevante, não sabe falar uma lingua estrangeira, etc, etc. Isto para não falar de principios morais e éticos, coisa que nem ele, nem os anónimos que para aqui escrevem sabem o que são.
    Gostava de deixar uma nota sobre este blog que muito aprecio, mas em que raramente escrevo. O que se passou com o Vosso colaborador Carlos Amorim ? Que mudança de personalidade lhe aconteceu ? Foi mordido por alguma mosca socrática ? Porque se colocou ele mesmo num pedestal, em que escreve mas não admite comentários ? Porque se inverteu tanto, o teor dos seus posts ? Também tu,……… ?

    Gostar

  12. José permalink
    25 Setembro, 2009 11:41

    “Por acaso, já recebeu algum telefonema do Sócrates ou de algum Ministro a mandá-la calar, ou pior ainda, teve a visita da policia em casa ? ”

    É caso para dizer: era o que mais faltava! Mas já falta pouco…

    Gostar

  13. 25 Setembro, 2009 11:41

    “15 000 000
    O Banco Português de Negócios (BPN), que foi nacionalizado para não falir, terá feito pagamentos clandestinos próximos de 15 milhões de euros a 48 administradores e colaboradores do grupo.”

    Estas coisas também vêm no Público e sai-nos do bolso!

    Gostar

    • Gabriel Silva permalink*
      25 Setembro, 2009 11:51

      Foi o governo socialista que decidiu nacionalizar.
      Podia não o ter feito, mas foi a sua opção.
      Pagamos nós.

      Gostar

  14. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 11:42

    #5 – “Não esqueça também que alguém lhe dirá “dispenso””

    a dótoura manuela também diz/pensa bué de calinadas e nunca a vi, a si, preocupada em corrigir ou pôr o pinsamento em causa por via do manhífico português da putativa primeira ministra a 28%.

    Gostar

  15. Carlos de Sottomayor permalink
    25 Setembro, 2009 11:42

    Olha, o Lisboeta !!!! Onde nasceste, Lisboeta ? Os teus pais de onde são ? Os teus Avós sempre eram aguadeiros Galegos ?

    Gostar

  16. 25 Setembro, 2009 11:57

    Gabriel,

    Doutra forma também pagaríamos, provavelmente muito mais.

    Gostar

    • Gabriel Silva permalink*
      25 Setembro, 2009 12:07

      Longe disso

      A lei prevê indemnizações aos clientes até certo montante, verbas essas que não saem do bolso dos contribuintes, mas de um fundo existente criado com verbas dos lucros/actividades dos bancos.

      Ou seja, se se deixasse funcionar o mercado, todos estaríamos em melhores condições.

      (é um clássico eu sei, mas é apenas mais um exemplo, se necessário fosse, como o socialismo não apenas é mais penoso para a liberdade individual, como sai sempre mais caro)

      Gostar

  17. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 12:00

    “O comentário #2 reflecte uma posição clubista cada vez mais comum em Portugal.”

    Clubistica? Mas eu quero lá saber do livro sobre a licenciatura de alguém!! Se fosse sobre o próprio. Alguém escrever um livro para dizer mal de outro?! Isso é literatura para putos birrentos.

    Gostar

  18. José permalink
    25 Setembro, 2009 12:14

    O problema da licenciatura de José S. interessa a muito pouca gente por um motivo que me parece prosaico: os que se desinteressam do assunto, fazem-no por várias razões. Talvez que uma delas, a mais ponderosa, tenha a ver com a personalidade de cada um e que encaixa na personalidade daquele José S. Aldrabões, trafulhas e mentirosos que mentem mesmo quando estão ao espelho.
    É assim que se explica a atitude para com uma aldrabice que deveria impedir quem quer que fosse de ser primeiro-ministro de Portugal, um país com tradições que não merecem isto que temos.

    Em Itália, um PM dito de Direita ( é tão de direita como José S.) é atacado por um jornal ( La Repubblica, de centro-esquerda), por motivos da sua vida particular, por causa de festas privadas com raparigas de menor idade e prostitutas. Só por isso.

    Se fosse por causa de uma licenciatura manhosa, o que não seria, em Itália! Por cá, é o que se vê: os aldrabões desculpam os aldrabões, está bom de ver.

    Gostar

  19. José permalink
    25 Setembro, 2009 12:16

    Se José S. ganhar, fica provado que este país não se importa nada com trafulhas de alto coturno, desde que lhes mintam e os adeptos saibam que lhes estão a mentir.

    Um povo assim, é um povo merdoso. É o que temos.

    Gostar

  20. 25 Setembro, 2009 12:20

    Alguém que chama ao povo de merdoso, por não votar em quem acha que deve votar, além de merdoso tem défice de cultura democrática, para aceitar a derrota com fair-play.

    Gostar

  21. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 12:25

    “Um povo assim, é um povo merdoso. É o que temos.”

    o povo deveria ter feito à imagem e semelhança de josé, o anti-, que não aprendeu que não é com mentiras, factos inventados, teorias da conspiração, difamação, mediocridade e inveja que se convencem as pessoas, aliás o povo, como diz este gajo de qualidade superior, louro e de olhos azuis metalizados. porra! chega de insultos à inteligência dos outros.

    Gostar

  22. José permalink
    25 Setembro, 2009 12:28

    O povo merdoso é o que aceita de bom grado a aldracice e a intrujice de quem nos governa.

    E quem sabendo isso mesmo, aceita o líder com esse perfil inequívoco, merdoso se torna.

    Há uma percentagem de povo que não é merdoso. E nem todos votam na oposição aos merdosos.

    Gostar

  23. José permalink
    25 Setembro, 2009 12:30

    A licenciatura desse tipo é uma aldrabice. Ponto final e sem discussão´possível porque não se discute uma evidência, a não ser perante um néscio. E nesse caso, sem solução de entendimento.

    Gostar

  24. José Barros permalink
    25 Setembro, 2009 12:39

    O povo merdoso é o que aceita de bom grado a aldracice e a intrujice de quem nos governa.

    E quem sabendo isso mesmo, aceita o líder com esse perfil inequívoco, merdoso se torna. – José

    Subscrevo tudo o que o José disse. Mas acredito que Sócrates vai perder as eleições no domingo.

    Gostar

  25. 25 Setembro, 2009 12:47

    O José estará convencido a que chamando merdoso a quem não pensa como ele, fará com que aqueles passem a pensar como ele, para deixarem de ser merdosos.
    Uma pessoa que utiliza uma táctica destas, além de ingénuo, julga que os outros são parvos.
    Quando alguém por aí lhe chama “caga-sentenças”, caracteriza na perfeição o José. Julgará este que sentenciando alguém de merdoso, merdoso terá de ser.
    É uma táctica merdosa.

    Gostar

  26. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 12:56

    estes gajos não aprendem e nunca irão aprender. voltámos às receitas de caldeirada de babuínos & mártires da pátria. este assunto bem explorado na campanha autárquica pode ser que devolva umas câmaras ao ps.

    Gostar

  27. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 12:57

    caga sentensas s.f.f.

    Gostar

  28. José permalink
    25 Setembro, 2009 13:05

    Não chamo merdoso a quem não pensa como eu. Aí reside todo um equívoco dos piscoisos e cª.

    Chamo merdoso, embora pudesse substituir o adjectivo por outro ainda mais específico ( merdoso é nada; é apenas um epíteto vazio de sentido injurioso porque deslambido de intenção), a quem desconsidera o aspecto moral e ético, básico, de quem nos deve governar.

    Gostar

  29. José permalink
    25 Setembro, 2009 13:06

    Merdoso é tão injurioso como “caga sentensas”…e vem do mesmo lado.

    Gostar

  30. 25 Setembro, 2009 13:17

    OK. Chama merdoso a quem vota num Partido.
    Está o José explicado.

    Gostar

  31. José permalink
    25 Setembro, 2009 13:29

    A lógica, para este Piscoiso, é uma batata. Quente.

    Gostar

  32. 25 Setembro, 2009 13:59

    Então explique lá, por A+B quem é o povo merdoso.
    Sim, porque no seu comentário #24., (O povo merdoso é o que aceita de bom grado a aldracice e a intrujice de quem nos governa.), quem não considerar aldrabice e intrujice aquilo que vc considera como tal, é merdoso.
    Vc. decide, mais os do clube, o que é aldrabice e intrujice, está decidido.
    O resto é merda.

    Gostar

  33. José permalink
    25 Setembro, 2009 14:33

    Lógica corrente e sem grande esforço intelectual:

    Quem aceita de bom grado a aldrabice e intrujice de quem nos governa, é merdoso. O povo que isso aceita, é o povo merdoso. Mas há o povo que não aceita, como é bom de ver.

    A dedisão sobre o que é aldrabice e intrujice, depende de critérios básicos sobre moral e ética e que julgo consensuais. Não são critérios meus.

    Lógica de Piscoiso:

    Quem vota num Partido, é merdoso.

    Já nem é uma batata quente. É uma das podres e a exalar fumos pestilentos.

    Gostar

  34. 25 Setembro, 2009 14:35

    Luís Figo! Vai buscar.

    Gostar

  35. José permalink
    25 Setembro, 2009 14:37

    Lógica do ferreira:

    o que escrevi é uma sentensa defecada.

    Quanto ao Figo, só uma pergunta: quanto dinheiro tinha no BPP?

    Gostar

  36. 25 Setembro, 2009 14:44

    “A dedisão sobre o que é aldrabice e intrujice, depende de critérios básicos sobre moral e ética e que julgo consensuais” – José

    A decisão de que há aldrabice e intrujice na acção do Governo, é um julgamento do tal José, a que chamam “caga-sentenças”. E quem assim não julgar, será merdoso, na terminologia Josézita.

    Gostar

  37. José permalink
    25 Setembro, 2009 14:52

    Outra fífia piscoisa que exala lógica pestilenta:

    a aldrabice e intrujice não foram referidas à acção do governo. Sobre isso, já sabia que há demasiadas piscoisices. Antes, foram referidas como qualidades negativas de quem nos governa, o que é substancialmente diverso. E sobre os critérios de aferição, são os comuns, correntes a quem tem um senso ético e moral comum. Nem é preciso ser especialmente virtuoso.

    Gostar

  38. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 15:02

    l’emmerdeur” de édouard Molinaro, 1973, ventura vs brel

    visionamento recomendável ao cagasentensas e acólitos que interpretam o mundo de cima da burra, malveira style

    Gostar

  39. 25 Setembro, 2009 15:08

    “… quanto dinheiro tinha no BPP?”

    Não faço a mínima ideia, mas haverá alguma imoralidade ou merdosice nisso?

    Gostar

  40. José permalink
    25 Setembro, 2009 15:11

    Às vezes pressinto um ar de Abrantes nestes comentários desgarrados, nesta erudição bacoca que confunde o conhecimento com a sabedoria e a mentecaptura com a inteligência.

    Em cima da burra vê-se melhor o mundo do que através de um buraco feito de obstinação sectária.

    Gostar

  41. José permalink
    25 Setembro, 2009 15:12

    Não, Rb. Há apenas interesse. Inconfessável,no caso.

    Gostar

  42. Viscoiso permalink
    25 Setembro, 2009 15:13

    Vamos ver domingo quantos Ferreiras/Piscoisos votarão nesse inominável merdoso, e quantos, pelo contrário, darão razão ao “defecasentensas”

    Gostar

  43. Viscoiso permalink
    25 Setembro, 2009 15:16

    Novo epíteto para os abrantes pululantes:
    os cagabatatasquentes.

    Gostar

  44. José permalink
    25 Setembro, 2009 15:17

    De resto, é sempre preferível não haver obstáculos a essa obstinação sectária. É essa, aliás, a lógica do candidato a eleições destes apaniguados. Eliminar os emmerdeurs, maledicentes e relapsos na crítica. É essa também, a origem de muitos males democráticos. Por isso o problema com a TVI, já resolvido; o problema com o Público e o Sol, em vias de resolução e a tentativa de controlo total da opinião publicada.

    É isso mesmo: eliminar os emmerdeurs que só andam a chatear quem quer trabalhar. Para bem do povo, claro está. E de alguns apaniguados, também claro é.

    Gostar

  45. José permalink
    25 Setembro, 2009 15:18

    cagabatasquentes, não está nada mal; em vez de ferreira, um peixe quezilento e malcheiroso.

    Gostar

  46. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 15:23

    a lógica do cagasentensas é igual há do queque/bronco/melro/cds,
    aqui a culpa vai para os depositantes porque os gajos que administravam a coisa agiram dentro da lei. formata-se o caso à interpretação da lei mais favorável.

    Gostar

  47. José permalink
    25 Setembro, 2009 15:31

    A culpa não é dos depositantes. É de quem fecha os olhos a mais uma aldrabice, apadrinhada pelos do costume e que procuram apenas safar os apaniguados.

    Gostar

  48. José permalink
    25 Setembro, 2009 15:32

    Portanto, temos uma cagadela de cagabatatasquentes.

    Gostar

  49. 25 Setembro, 2009 15:37

    O José vê aldrabices, vigarices, interesses e segundas intenções em todos aqueles que apoiam Sócrates. Não lhe passa pela cabeça que alguém considere Sócrates um bom PM ou pelo menos o melhor que podemos arranjar. O que se há-de fazer? Viver …

    Gostar

  50. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 15:42

    #42 – “Em cima da burra vê-se melhor o mundo do que através de um buraco feito de obstinação sectária.”

    síndrome de peak yding skovhoj, leva bué de rasmussen(s) a 170 m de altura para apreciar a paisagem e sem se rirem. vê lá quanto burros tinhas de empilhar para fazer a figura de um saloio dinamarquês.

    nota: penso que querias dizer obstipação sectária, tipo bode

    Gostar

  51. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 15:57

    #42 – “…nesta erudição bacoca que confunde o conhecimento com a sabedoria e a mentecaptura com a inteligência.”

    pera lá, que o man também passa diplomas & certificados, além das sentensas de alto teor escatológico.

    Gostar

  52. Anónimo permalink
    25 Setembro, 2009 16:07

    #51 – “O José vê aldrabices, vigarices, interesses e segundas…”

    diria mesmo: o josé é aldrabices, vigarices, interesses e segundas…, porque sem isso não tem razão de existir. foi formatado no “levados, levados sim” e acabará “cagando e rindo” de loucura.

    Gostar

  53. Observatório dos Republicanos,Laicos ,Socialistas e Ladrões permalink
    25 Setembro, 2009 16:33

    FACTOS SÃO FACTOS. A LICENCIATURA É UMA FRAUDE.O HOMEM NÃO É ENGENHEIRO COISA NENHUMA.É UM SEMI ANALFABETO,UM ILITERATO QUE NÃO TEM CAPACIDADE PARA SER PRIMEIRO MINISTRO E PORTANTO SÓ FEZ E FAZ DISPARATES.SE AQUILO QUE O CALDEIRA DIZ SOBRE ELE,OU O COSTA PINTO, É VERDADE A RESPOSTA ERA MUITO SIMPLES DE DAR. REBATIA PONTO POR PONTO O QUE AÍ SE DIZ COM OUTROS FACTOS OU DEMONSTRAVA A SUA FALSIDADE.DEPOIS DEBATIA COM OS AUTORES AS QUESTÕES NUMA QUALQUER TV.OU PUNHA-LHES PROCESSOS POR DIFAMAÇÃO.O PROCESSO QUE PÔS CONTRA O CALDEIRA FOI ARQUIVADO PELO MP.SÓCRATES,AO CONTRÁRIO DO QUE FEZ AGORA COM O TAVARES DO DN,NÃO PEDIU A ABERTURA DA INSTRUÇÃO COMO PODIA.PORQUÊ?PORQUE OS FACTOS QUE O CALDEIRA APRESENTA SÃO IRREFUTÁVEIS E O HOMEM TEVE MEDO QUE O PROCESSO FOSSE MAIS LONGE E TODA A FRAUDE E FALSIFICAÇÃO FICASSE PROVADA NUM TRIBUNAL.

    Gostar

  54. Eduardo F. permalink
    25 Setembro, 2009 16:47

    Mentiroso contumaz, aldrabão feroz: deixa o meu país em paz!

    Gostar

  55. José permalink
    25 Setembro, 2009 17:06

    #54:

    E o cagabatatasquentes, até diria mesmo mais, se pudesse: “diria mesmo: o josé s. é aldrabices, vigarices, interesses e segundas…, porque sem isso não tem razão de existir. foi formatado no “levados, levados sim” e acabará “cagando e rindo” de loucura.”

    Gostar

  56. José permalink
    25 Setembro, 2009 17:09

    Quem diz cagabatatasquentes, acho que pode dizer, afinal, cagabatasquentes, como ficou para aí atrás. Batas de boticário, de troca-tintas.

    Gostar

  57. General permalink
    25 Setembro, 2009 22:26

    Acredito pois , Portugal sempre foi fértil em assassinos de personalidade . Cambada de invejosos e incompetentes que se vendem por tuta e meia .

    Gostar

  58. Joao permalink
    26 Setembro, 2009 13:34

    Amanhã mandem-me o gajo para casa s.f.f.

    Amanhã mandem-me o gajo para casa s.f.f.

    Amanhã mandem-me o gajo para casa s.f.f.

    Gostar

  59. xico permalink
    26 Setembro, 2009 18:55

    Eu era um leitor atento e interessado no blogue de ABC. Acontece que verifiquei que uma das críticas não podia estar correcta e, educadamente, sem ofender e sem usar linguagem imprópria, chamei a atenção para o facto. O meu comentário foi apagado. Isso descredibiliza o blogue. Eu que acreditava no que lá vinha penso agora que Sócrates poderá efectiamente estar a ser alvo de cabalas. Assim se dão tiros nos pés.

    Gostar

  60. Bocas permalink
    27 Setembro, 2009 00:22

    O Xico passou a acreditar em cabalas não porque encontrou imprecisões ou mentiras no livro “O Dossiê Sócrates”, mas porque lhe apagaram um comentário. Por favor!

    Anónimos e outros: qual é o facto que está por provar no mesmo “Dossiê”?
    Denunciar uma vigarice é ser maledicente?
    Fechem-se jornais (os que ainda restam) e os tribunais, porque é proibido dizer mal… do Sócrates!

    Amanhã por esta hora espero que o País se livre de tal escumalha!

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: