Saltar para o conteúdo

Deve ser por isso que os judeus fazem atentados na Alemanha

6 Dezembro, 2009

“Se substituíssemos a palavra “muçulmano” pela palavra “judeu”, ninguém aceitaria as coisas que se dizem” –

Assim que me recorde a última vez que vi uma multidão de judeus celebrando  com a aprovação e instigação dos seus líderes religiosos e políticos  terem morrido num atentado  alemães, russos, franceses, espanhóis, ingleses, portugueses etc foi quando? Como o assunto é muito sério não dá sequer para fazer ironia mas suponha-se, por uns breves instante, que os nazis em vez das excelentes relações que tiveram com muitos líderes muçulmanos os tinham levado para os campos de concentração. Os judeus e os muçulmanos tal como os cristãos e os budistas são todos iguais. Acontece que aquilo que defendem os seus líderes é que é muito diferente.

Anúncios
117 comentários leave one →
  1. 6 Dezembro, 2009 11:19

    ~Pois..mas eles também se puseram a jeito..efaço o desafio: andem de cruz na Arábia Saudita e noutros países muçulmanos..ou digam que são cristãos e depois vejam o que acontece…Eu sei..eu sei devemos mostra-nos superiores a eles…mas no fundo somos iguais…SÓ DISFARÇAMOS MELHOR…NADA MAIS…
    http://bulimunda.wordpress.com/2009/12/06/o-presente-inexistente/

    Gostar

  2. anónimo permalink
    6 Dezembro, 2009 11:23

    “Acontece que aquilo que defendem os seus líderes é que é muito diferente.”

    vendem o mesmo peixe e a marktanga é que parece diferente.

    Gostar

  3. 6 Dezembro, 2009 11:32

    Helena os Budistas não são iguais…pelo menos não andaram de catana em mão a tentar converter toda a gente à sua religião..nem tentaram fazer um império religiosos ou económico…essa é a diferença básica…já os islâmicos, os cristãos e os judeus….bem é melhor nem falar…

    Gostar

  4. anónimo permalink
    6 Dezembro, 2009 11:38

    #3 – o catano, é que não anda.

    Gostar

  5. CARLOS permalink
    6 Dezembro, 2009 11:42

    Os principais jornais europeus fizeram a mesma pergunta aos leitores e 80% das respostas foram no mesmo sentido que os suiços. Isto quer dizer que os europeus são na sua maioria racistas ou que o islão tem um grave problema em conviver pacificamente com outras culturas ? parece-me que o islão é uma ideologia/religião que é incapaz de conviver pacificamente. Antes de me chamarem racista ( o islão não é uma raça )e islamófobo ( fobia é ter um medo irracional de alguma coisa ; neste caso o medo dos europeus é fundado : em França qdo veêm os seus carros incendiados, ou no Reino Unido qdo assistem à intolerancia dos imans desde Salmon Rushdie, a afirmarem na TV que não aceitam a lei inglesa só a sharia, na Dinamarca e Holanda à perseguição de jornalistas e morte de cineastas Vang Gogh..os exemplos são diários ). Os defensores do islão cada vez que acontece um caso de violencia correm logo a dizer ” o islão não é isto”…então digam-nos o que é o islão ? digam-nos como é que ensinam o islão nas escolas ? e nas mesquitas ?…nunca dizem…azar dos azares, o chanel 4 do reino unido fez o ano passado uma reportagem com uma camara oculta nas mesquitas de Londres ditas moderadas e o que descobriram ? ódio, intolerancia, recusa das leis europeias…percebe-se melhor pq é que os apologistas do islão só sabem dizer “o islão não é isto ” mas nunca nos chegam a dizer afinal o que é o islão…mas os europeus que vivem de perto com as comunidades muçulmanas, pelos visto sabem.

    Gostar

  6. afonso costa permalink
    6 Dezembro, 2009 11:48

    Só uma pergunta sobre o islão na europa . Qdo acontece um jornal publicar uma foto, um cartoon ou uma reportagem que “ofende” o islão, as ruas enchem-se de milhares de muçulmanos enraivecidos a jurar vingança. No entanto cada vez que um muçulmano se explode com um cinto de bombas matando dezenas de outros muçulmanos na Somália, no Paquistão, no Iraque , no Afeganistão etc…nunca se vê encher a rua muçulmana de raiva e indignação. Porque será ?

    Gostar

  7. 6 Dezembro, 2009 12:05

    Difícil é perceber o post, com aquela pontuação.
    Já a entrevista no Público, do link, está claríssima.
    Afinal a questão é a dos minaretes na Suiça, na opinião do entrevistado, Stefano Allievi, professor de Sociologia na Universidade de Pádua, com a qual concordo plenamente.
    Remata assim:
    Há outro aspecto muito importante. As nossas instituições são sólidas, as nossas maiorias políticas é que são fracas. A justiça, o controlo constitucional dos direitos existe. Na Suíça, os críticos do referendo (aos minaretes) têm de ir a tribunal e vão ganhar. A justiça é um edifício que tem sido construído e que está lá, disponível, mesmo para os estrangeiros.

    Gostar

  8. 6 Dezembro, 2009 12:09

    Realmente a cegueira colectiva que coloca tudo no mesmo saco já só pode ser motivada por má-fé.

    Gostar

  9. Critico permalink
    6 Dezembro, 2009 12:14

    O rotular um grupo como seguidor de determinada religião apenas cria divisões patéticas e perigosas entre os Homens, a importância da religião não reside em qual delas fala a verdade, se hipoteticamente alguma fala ou não, o importante são as experiências que se retiram através de cada uma delas e para tal não é preciso criticar a do “vizinho”.Há alguma duvida se instituições e e Estados ao longo da história não a tivessem tomado de assalto como um meio politico não haveriam as confusões que existem hoje?
    A propósito vi vários documentários onde catalogam a “religião” de alguns grupos secretos americanos como sendo satânicos, mostrando-o,interessante.

    Exacto, o estigma que hoje se faz dos muçulmanos, está muito a par do que era inicialmente feito pelos nazis a judeus, a imagem gradualmente vai sendo queimada de forma manipuladora,como já explanei noutro tópico, quer abrindo as fronteiras á descarada (fomentando reacções adversas pelos países, quer transmitindo mensagens de ódio e estereótipos pelos Média), com as “brincadeiras” que se andam a fazer no Médio Oriente, qualquer dia eles “chateiam-se com tanta hipocrisia” a sério e isto dá caldinho,espero realmente que não chegue a tal ponto.

    Gostar

  10. Critico permalink
    6 Dezembro, 2009 12:25

    Na Suiça, como em outros países europeus, provavelmente as pessoas estão cansadas,e com razão, de verem tantas vagas a entrarem, como não existem condições com qualidade para todos, estalam pequenas quezilias sociais, e com razão os europeus se cansam de tanta vaga, mas o bode expiatório não será quem entra, mas quem deixa entrar.Em ultima instância os Estados da U.E./Estado de países não europeus e a própria U.E. e não de quem entra porque teve uma oportunidade de entrar.

    Gostar

  11. Lusitânea permalink
    6 Dezembro, 2009 12:35

    A “jornalista” Alexandra Lucas Coelho é afinal uma moderna missionária adepta da coversão local e por nossa conta de tudo o que seja “bom selvagem”.Por troca basta “animarem-nos” e prontos…

    Gostar

  12. Lusitânea permalink
    6 Dezembro, 2009 12:39

    Portugal está ceinho de traidores ao zé povinho.Transformado em duas penadas em moderno escravo do mundo que nos escolhe.Seja donde vier e com que propósitos conseguem sempre “vender” uma longa série de “enriqueciemntos” que no fim se transformam em “pagamentos” por conta…

    Gostar

  13. Lusitânea permalink
    6 Dezembro, 2009 12:40

    Cheinho fica melhor…

    Gostar

  14. Lusitânea permalink
    6 Dezembro, 2009 12:47

    No caso específico Português ainda por cima os actuais colonizadores virtuosos são os antigos descolonizadores que com tanta pressa até conseguiram deixar que os seus concidadãos fossem roubados dos seus bens.Mas isso não os demove.Agora são islâmicos?Só virtudes podem advir desses pacíficos cidadãos que mobilizam hoje em dia os que ontem eram objecto dos gritos de nem mais um soldado para as colónias.Kosovo, Líbano,Afeganistão,locais onde aplicam as tropas e que são “habitat” de pacíficos islâmicos…

    Gostar

  15. Lusitânea permalink
    6 Dezembro, 2009 13:03

    Só mais uma coisinha.Os testas de ferro da africanização que se cuidem porque a CIA vai estudar quem é quem seguindo o “dinheiro”.Cheira-me a problemas na base de recuo…

    Gostar

  16. Critico permalink
    6 Dezembro, 2009 13:14

    Como se a CIA tivesse as mãos limpas…sinceramente não acredito em algum estudo de onde se retire algum resultado verosímil e fico-me por aqui he he.

    Gostar

  17. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 13:33

    E eles não os deixam construir mesquitas por serem terroristas mas podem permanecer todos na Suiça, sem minaretes, e já não são terroristas?

    Explique lá esta lógica da batata, ó HM.

    É que houve um referendo tão demagógico e falacioso como as suas palavras.

    Perguntaram aos suiços se estavam interessados ou não num tipo de construção arquitectónica, destinado a fins religiosos que não são para eles.

    E eles fizeram a mesmíssima associação xenófoba e terrorista que acabou por fazer a xenófoba e terrorista HM- ligaram os minaretes a práticas terroristas de gente que passou a ficar marcada na testa como mais nenhum ser humano de espécie alguma, nos nossos dias.

    Portanto repita-se a pergunta- com o mesmo nº de muçulmanos, o que é que muda na proibição de construções que são sempre coisas locais?

    E a outra- e se proibissem sinagogas, como era?

    A HM era capaz de jurar que não era a primeira a dizer que isso era caso para tribunal internacional porque era uma manifestação de anti-semitismo?

    Gostar

  18. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 13:39

    E mais- nunca isto tinha acontecido nos tempos modernos.

    Pode-se comparar à segregação no passado, aos judeus, mas com a diferença que essa segregação não lhes era exclusiva, pois os ciganos e muçulmanos, também sempre o foram.

    E, quem defende isto, pura e simplesmente está a mostrar que tem duplicidade de julgamento.

    V. só sabe defender esta trampa com demagogia, por confronto com o outro par do imaginário da guerra- os judeus.

    Acontece que a Suiça não está em guerra e nem sequer os judeus que lá vivem defenderam esta proibição.

    Antes pelo contrário, até os judeus, juntamente com cristãos tiveram manifestações públicas de desagrado contra a proibição dos templos religiosos islâmicos.

    E o motivo foi dito pelos judeus- eles também são segregados na Suiçá. Porque a única razão é apenas esta- os suíços são racistas.

    E, até aí, na maior. Estão no seu direito de serem racistas.

    No que não estão é no direito de deixarem entrar gente de raça que não gostam- darem-lhes cidadania idêntica a de qualquer pessoa e depois tornarem numa questão nacional a segregação dessas pessoas que receberam em casa.

    Gostar

  19. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 13:43

    E ainda outra- v. escreveu coisas perfeitamente descabeladas a propósito da invasão do Iraque.

    Ainda guardei alguns desses textos fanáticos porque na altura os debatemos no Pastilhas (antecessor da blogosfera).

    E, um dos descabelamentos constantes era este mesmo- achar que a Europa estava a ser ameaçada de terrorismo islâmico, caso os americanos não fossem para as terras deles, exportar-lhes a democracia à bomba.

    Portanto, deixe-se de fitas porque o atentado de Londres aconteceu como retaliação ao apoio à invasão do Iraque e tropas que também para lá foram fazer aquelas coisas lindas que depois vimos.

    Os famosos Abu Grahibs da nossa superioridade Ocidental.

    Não é assim, ó HM?

    Ou será que v. tem de escrever estas merdices para mostrar trabalho, já que inteligência é que não demonstra?

    Gostar

  20. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 13:48

    Um dos seus textos no Público era de tal modo caricato que berrava coisas que ainda sei de cor:
    “quantas bombas precisarão de cair nas nossas cidades; quantos mais atentados terá a Europa de ser vítima até que acorde e se dê conta da invasão da ameaça islâmica”?

    Era assim. E tenho-o guardado. Chegou a este ponto de descabelamento histérico e imbecil e ainda disse mais. Também garantia que o serviço dos americanos ao invadirem o Iraque era abnegado e benemérito para a Europa e para os próprios iraquianos, pois- como estupidamente garantia nesse texto- os americanos, ao contrário dos europeus, nunca tinham sido colonialistas.

    Gostar

  21. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 13:50

    Se negar boto-o online no Cocanha.

    Deu direito a muitos comentários com o maradona e com outras pessoas que continuam com blogues.

    Eu até confrontava sempre os seus textos histéricos ao bom-senso do VPV que nunca foi estúpido e sempre disse que a invasão do Iraque ia dar o que deu.

    Também os tenho guardados.

    E até a Filomena Mónica teve olhos na cara, precisamente porque só pessoas fanáticas são capazes de pensar assim- com esquentamentos ideológicos.

    Gostar

  22. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 13:53

    Só depois de v. aparecer aqui no Blasfémias e até com outros textos pertinentes a vi de forma diferente.

    Tinha a imagem de uma passionária que até poderia ser uma militante comunista.

    E ainda a tenho- sempre que entram os seus odiados muçulmanos, pela pancada da filia judaica que provoca mais imbecilidade mental que outra coisa.

    Gostar

  23. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 14:03

    O que estes idiotas andam a fazer nos media é precisamente igual à propaganda nazi que deu no que deu.

    Mais nada. Ou pior- o Hitler não tinha os altifalantes que hoje em dia o sionistas têm por toda a parte.

    E isto que a HM faz é porca chapada propaganda sionista com a finalidade de diabolizar o islão.

    Esse islão até pode ter a cara de marroquino ou de preto de carapinha, porque, ao atirar com o confronto com judeus (que não vinham ao caso, pois esses defenderam os muçulmanos suiços) só consegue associar a guerra israelo-palestiniana.

    É isto- e lobby político internacional do sionismo paga para que esta associação seja feita.

    Se a HM o faz sem gorjeta, então, a Mossad só tem de congratular-se por conseguir o mesmo sem gastar nada- coisa tão ao agrado somítico.

    Gostar

  24. 6 Dezembro, 2009 15:02

    Piscoiso

    Gostar

  25. alice goes permalink
    6 Dezembro, 2009 15:03

    Ao viver anos num país multi-cultural por excelência, ter conhecido e convivido com prisioneiros de guerra, maronitas, etc… Não acredito na submissão ao politicamente correto quando essa opção viola princípios culturais, educacionais, religiosos, morais e éticos, que fazem parte na formação de um povo, não sou a favor de proibições no geral mas, nunca admitiria por exemplo, que uma mulher trabalhasse sob minhas ordens de cara tapada, não faz parte na génese da cultura europeia, viola direitos do cidadão.
    Os muçulmanos querem impor-nos suas leis, hábitos e religião, mesmo que seja com sangue, basta terem uma maioria que os europeus estão a dar de mão beijada. Como exemplo, em 2000 estava na Inglaterra e trabalhava com pessoas de vários lugares, uma das raparigas era turca, Nezarinne, que estudava em Oxford, conheceu um inglês, era muito sociavel com todos os colegas, então casou-se com ele depois dele se converter, tinha então direitos de British Citizen, aí afastou-se de todos não muslins, afastou o marido da família luterana, e assumiu uma sobranceria pedante. Confiar como?…

    Gostar

  26. JJPereira permalink
    6 Dezembro, 2009 15:35

    O povo Suíço, atrasado, retrógado e profundamente ignorante ( tanto da sua História como da dos outros) deveria ter a humildade de se submeter a um curso intensivo de “polìticamente correcto” dado pelos modernaços,esclarecidos e “progres” lusitanos…
    Talvez assim se deixassem de reaccionarismos cavernícolas, tais como independência (de espírito, financeira etc.), soberania,sentido do dever e do trabalho,etc…

    Gostar

  27. stop permalink
    6 Dezembro, 2009 15:37

    ainda ninguem explicou como é que acabar com uma pequena torre de tijolo vai combater o terrorismo.

    Gostar

  28. Piscoiso Abrantes Ferreira permalink
    6 Dezembro, 2009 15:44

    Juicio islámico por adulterio a una mujer en Reus

    Un simulacro de juicio con las peores consecuencias para el reo: la muerte. A esta situación se enfrentó una mujer en Reus que fue acusada de adulterio y a la que pretendieron aplicar la ‘sharia’ para castigarla.

    Los Mossos d’Esquadra confirmaron ayer la detención de nueve hombres magrebíes el pasado 14 de noviembre, siete de los cuales ya han ingresado en prisión, por la presunta comisión de los delitos de detención ilegal, asociación criminal e intento de homicidio contra una mujer a la que juzgaron y condenaron a muerte por adulterio.

    Los nueve arrestados se constituyeron en tribunal bajo la doctrina de la ‘sharia’, una extremista visión de la ley islámica. La sentencia que acordaron los detenidos fue de muerte. Sin embargo, en un descuido de sus captores, la mujer logró eludir el cautiverio y llegar hasta una comisaría de los Mossos d’Esquadra donde pudo denunciar los hechos.

    http://www.elmundo.es/elmundo/2009/12/06/espana/1260084030.html

    Gostar

  29. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 16:15

    Acabar com pequena torre?

    Mas eles acaso vão deitar abaixo os minaretes suiços?

    O islão é a segunda religião na Suiça.

    Os imbecis são racistas e deixaram entrar gente a este ponto. A esta imbecilidade total.

    E agora, nem sequer se atrevem a mandar embora- agora fazem estas fitas de diabolização a pessoas a quem concederam cidadania suiça.

    Por cá, estes palermóides tinham de fazer números de Circo Chen para conseguirem diabolizar a prática de uma religião sem caírem no crime de lei chamado racismo a pretos de carapinha- moçambicanos e guineenses que são a maior comunidade islâmica que temos.

    Gostar

  30. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 16:23

    Mas que têm direito a serem racistas, claro. A imbecilidade politicamente correcta que a HM também vende- com duplicidade de carácter (ou de falta dele) é que o racismo não acaba com doutrinação.

    Podem é disfarçar melhor ou ficar absolutamente anódino se as pessoas forem educadas.

    Mas não acaba- há-de ser coisa biológica que não se esconde debaixo do tapete.

    Porque, em escondendo, quando vem ao cimo, ainda se mostra mais agressivo- por tanto estado entalado.

    E é este espectáculo que o dão todos os que deppis berram que nem umas malucas contra os perigos do neo-nazismo mas se esquecem que a mundança de personagens não altera em nada o acto.

    Antes pelo contrário- ao tornarem os actos de racismo com protegidos e diabolizados, estão a legitimá-lo.

    E a HM não está sozinha nesta palhaçada.

    Está acompanhada de outro grupelho altamente hipócrita- a esquerdalhada dos dogmas politicamente correctos.

    A esquerdalhada racista é das coisas mais caricatas que gosto de morder.

    Lá inventam os mesmos truques tribais para acharem que até há segregacionismo e diabolização de pessoas que é prova de cidadania.

    Gostar

  31. Eduardo F. permalink
    6 Dezembro, 2009 16:26

    A Zazie gosta muito dos islamicos porque fazem a excisão. A mutilação genital feminina é das melhores conquistas da civilização e dos direitos da mulher.
    Também é verdade que os países islâmicos estão cheios de catedrais, que eles não gostam mesmo nada de destruir, tanto nas terras deles como na dos outros.

    Gostar

  32. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 16:26

    O problema são sempre as famigeradas “filias”.

    Eu desconfio de todas as pessoas que coleccionam cartõezinhos de filantropia e amizade a magote com “povos” e “raças” e gente que nunca viram.

    Um “filo qualquer coisa” é um cruzado em potência. E as cruzadas matam sempre muito por serem por bem.

    Gostar

  33. zazie permalink
    6 Dezembro, 2009 16:27

    Sim filho- eu gosto muito dessas coisas mas a ti a excisão que fizeram à nascença foi na mioleira.

    Gostar

  34. 6 Dezembro, 2009 16:51

    Que parvoíce! Como se a excisão tivesse algo a ver com religião.
    A circuncisão sim. Mas cortar bocados de pila a bebés parece que é aceitável. São judeus, tem de se aceitar tudo em nome do holocausto. Ficaram com carta branca.

    Gostar

  35. DesconfiandoSempre permalink
    6 Dezembro, 2009 16:53

    “Os judeus e os muçulmanos tal como os cristãos e os budistas são todos iguais”
    Frase monumental da D.ª Helena.
    Pois, as cabeçadas no muro têm consequências!

    Gostar

  36. e já me bloquearam o nick permalink
    6 Dezembro, 2009 16:56

    Estes peluches sintéticos não dão para mais.

    Gostar

  37. DesconfiandoSempre permalink
    6 Dezembro, 2009 16:58

    Qual é a fé que ainda acredita que o Mundo se encontra dividido entre Dar al-Islam e Dar al-Harb?

    Gostar

  38. 6 Dezembro, 2009 17:05

    Há pouca solidariedade. Ninguém quer Dar nada.

    Gostar

  39. Anónimo permalink
    6 Dezembro, 2009 17:06

    (ver tb comentário 28)

    http://www.lavanguardia.es/sucesos/noticias/20091205/53838595600/nueve-detenidos-por-organizar-un-juicio-islamista-y-condenar-a-muerte-a-una-mujer.html

    Nueve detenidos por organizar un ‘juicio’ islamista y condenar a muerte a una mujer

    La mujer logró huir en un descuido de sus captores y acudió a los Mossos, a quienes relató que los detenidos preveían ejecutar la sentencia
    Disminuir fuenteAumentar fuente
    ImprimirE-mail
    05/12/2009 | Actualizada a las 16:06h | Sucesos

    TARRAGONA. (EUROPA PRESS) Los Mossos d’Esquadra detuvieron a nueve personas en Reus (Tarragona) por organizar un ‘juicio’ islamista en una masía, a la que presuntamente llevaron a una mujer en contra de su voluntad y la condenaron a muerte por adulterio, según confirmaron a Europa Press los Mossos d’Esquadra.

    Según avanzó hoy ‘El Periódico’, la mujer logró huir en un descuido de sus captores y acudió a los Mossos, a quienes relató que los detenidos preveían ejecutar la sentencia –resultado de la visión extremista de la ley islámica ‘Sharia’– “en breve”. Los hechos ocurrieron en marzo y la investigación de la policía autonómica desembocó el pasado 14 de noviembre en la detención de los nueve participantes en los hechos, siete de los cuales ingresaron en prisión acusados de detención ilegal, intento de homicidio y asociación criminal.

    Gostar

  40. Romeu permalink
    6 Dezembro, 2009 17:51

    No fundo é tudo uma questão de tempo…

    Os principais líderes católicos já defenderam tudo o que os principais líderes muçulmanos defendem hoje:

    – sexismo;
    – opressão religiosa;
    – conversão dos infiéis;
    – atentados, morte, perseguição dos infiéis;
    – etc…

    Entretanto os mesmo líderes católicos já avançaram e agora “só” defendem:

    – homofobia;
    – bifobia;
    – transfobia;
    – ateufobia;
    – não uso do preservativo;
    – proibição da procriação medicamente assistida;
    – proibição da eutanásia;
    – etc…

    O mesmo vai acontecer com os líderes muçulmanos, daqui a uns anos deixam-se daqueles discursos religiosos “medievais” para passarem para uns mais “modernos”. E nós cá continuaremos, a dizer que os muçulmanos é que são radicais, extremistas, antidemocráticos, sem termos sequer olhos na cara para ver que fizemos e fazemos exactamente o mesmo que eles, sempre de olhos vendados, como se fossemos os salvadores do mundo e tivessemos uma qualquer clarividência sobre o mundo.

    Gostar

  41. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 17:57

    Olha aqui http://www.akdn.org/videos.asp

    Os desgraçados islâmicos reaccionários que a HM se esquece de caricaturar.

    Até têm fundação cá e bem antiga mas estes fazem parte dos aliados do Eixo do Bem.

    Gostar

  42. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 18:01

    E aqui a recrutarem mão de obra para Moçambique .

    A ver se estes peluches sintéticos made in Taiwan se queixam das excisões dos “xás da pérsia”.

    Palermas.

    Gostar

  43. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 18:05

    V.s metem debaixo do tapete a pré-história que ainda existe em Timor, mais o Ruanda de tradição milenar que já era gozado pelo Godard no Bande à part.

    E, para estes maniqueísmo de diabolização islâmica nem existe sistemas de castas na ìndia.

    Há uns anos a jóia da coroa dava pretexto para se encontrarem os mais diabólicos ritos e machismos na ìndia.

    Os tempos mudam, e agora até encontram miséria e mulheres com véu no Dubai e não dão por elas- com véu e todas de negro- no banco traseiro do Opel Corsa do emigrante.

    Gostar

  44. Critico permalink
    6 Dezembro, 2009 18:21

    Então se há choques de culturas, e pessoas a mais a culpa é de quem aproveitou a boleia de Estados pouco responsáveis? Se fosse feita uma cuidada protecção de fronteiras,fosse obviamente permitida a entrada, mas com cuidados de modo a não gerar conflitos e qualidade de vida insuficiente para todos/ criminalidade adjacente a tal e a fraca resposta á mesma em prol de medidas autoritárias redutoras de liberdades isto não estaria assim (falando no geral).

    É erróneo catalogar tudo de intolerantes e afins, mas há milhões de islâmicos,países que se estendem do Norte de África á Índia e tal como cá, lá deve haver uma separação das organizações,das religiões, da politica e das pessoas.
    O certo é que após a criação do Estado de Israel por Sionistas aquela região da Euroásia deixou de ter definitivamente paz,se é que a tinha, com o 11 de Setembro e com a “teoria convencional” aquela região praticamente perdeu a legitimidade que teria,passou a ser “fácil” criar um conflito de interesses privados bastando usar a palavra mágica-“terrorismo”.

    Gostar

  45. Anti-Chulos permalink
    6 Dezembro, 2009 18:33

    Lá vem agora a Helena com os judeus e eu que não gosto nada de judeus nem com molho de tomate.

    Gostar

  46. anónimo permalink
    6 Dezembro, 2009 18:40

    “…já era gozado pelo Godard no Bande à part…”

    oh zaida em que minuto ou foi no make off. tenho má memória e vi isso há 100 anos.

    Gostar

  47. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 18:43

    Numa altura em que eles vão para o rio e o Godard põe um deles a ler as notícias do jornal.

    É quando estão a fazer os preparativos para o assalto.

    Gostar

  48. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 18:45

    Acho que ainda tenho o post na janela Indiscreta mas não me lembro se incluí essa passagem.

    Mas está lá- nos anos 60 já eram muito faladas as chacinas do Ruanda. E ninguém dizia que eram políticas ou as diabolizava como se diaboliza agora tudo o que cheira a religião islâmica.

    Gostar

  49. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 18:46

    Se não me chamares essa trampa de zaida até te digo e trato por Ignatz

    ehehe

    Gostar

  50. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 18:50

    Não, não incluí essa passagem mas é bem divertida e iconoclasta para os dias de hoje.

    Gostar

  51. Eduardo F. permalink
    6 Dezembro, 2009 19:01

    A Zazie é daquelas pessoas que nunca queria para minha mulher.

    Gostar

  52. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 19:06

    ahahahahah

    E eu nem para moço de fretes te queria, ó pacóvio.

    Aposto que és feio, tens jeito para corno manso e, se fores tão chato na cama como és na blogosfera, a armação há-de estar mais que justificada

    “:O)))))

    Gostar

  53. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 19:07

    Tu fazes bem em seguir o lema do Houdini.

    Conheces o William Houdini no merengue?

    Fazes mal porque o Houdini já dava bons conselhos a esse propósito.

    Gostar

  54. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 19:16

    Toma lá em versão do Robert Mitchum: from a logical point of view

    Gostar

  55. anónimo permalink
    6 Dezembro, 2009 19:23

    conheço o irmão que fazia desaparecer o farófias do garfilho

    Gostar

  56. MSG permalink
    6 Dezembro, 2009 20:48

    O islam é crime!
    Todo o islam é crime!
    Tudo no islam está ao serviço do crime!
    maomé não apresentou nenhum documento escrito pelo seu allah a autoriza-lo a fazer o que fez.
    maomé fez tudo á maneira dos bandidos.

    E o islam nem sequer é baseado no corão.
    No inicio nem corão havia e maomé já queria o poder todo, nomeadamente o de assassinar inocentes.

    Nas religiões há polémicas e problemas, mas têm espaço para o bem e para a procura do bem.
    O islam, não!

    E o islam nem sequer é religião. São os próprios que o dizem.

    O islam cria estruturas ditatoriais, úteis ao ditadores e aos seus lacaios, ou candidatos a isso.

    E oferece aos mesmos argumentos para justificarem toda a espécie de crimes úteis ao seu poder.
    Quando querem matar a mulher, usam o islam.
    Quando querem matar o irmão, usam o islam.
    Quando querem matar os filhos, usam o islam.

    O islam estupidificou de tal modo os enganados por maomé que estes nem reparam naquilo que dizem, fazem e argumentam.
    Desde que lhes seja útil, tudo serve, mesmo se forem coisas a insultar maomé, como é o caso do próprio símbolo do islam.

    Como já se descobriu, o islam só existe se o muçulmano aceitar e justificar aquele que foi dos maiores crimes de todos os tempos.
    O assassinio de allah por parte do próprio maomé.
    maomé disse que o seu allah maometano não mais falaria e que ficava sem espírito.
    Na verdade, nem o próprio allah maometano pode escapar com vida às mãos de maomé.

    Só fora do islam, pode haver entendimento, paz e vida.

    Gostar

  57. Eduardo F. permalink
    6 Dezembro, 2009 21:07

    Entre masturbações não consumadas, o canalha falsificador em #31 e #51, continua a poluir-nos com a sua bilís pestilenta. Fóssil que quer armar a rapazola. Vejam só de que é composto o bando dos avençados socratinos!

    Gostar

  58. anónimo permalink
    6 Dezembro, 2009 21:23

    oh garfolhos! a imitação tem muito mais piada que o original. já agora, quem é que certifica as imitações, é a cabrita?

    Gostar

  59. Eduardo F. permalink
    6 Dezembro, 2009 21:27

    O comentário #57 não é meu, pois não utilizo aquela linguagem. Alem do mais pode-e constatar pelo facto de o avatar lá representado ter uma dimensão de 1415 bytes e não os verdadeiros 1447.

    Gostar

  60. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 21:41

    ehehehe

    Olha uma coisa, isso da medição dos avatares também tem correspondência com o teu “pequeno amigo”?

    “:O))))

    Gostar

  61. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 21:42

    Mas que raio de avatar é este agora?

    Isso vermelho tem algum simbolismo erótico?

    Gostar

  62. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 21:45

    Olha, toma lá uma miss Jenny que isso há-de ser falta de merengue.

    Sabes dançar o merengue?

    hummmmm….?

    Gostar

  63. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 21:47

    E a rumba?

    “:O))))

    Gostar

  64. Eduardo F. permalink
    6 Dezembro, 2009 21:58

    O canalha falsificador, nem sequer se deu ao trabalho de “documentar” a sua falsificação pois a dimensão da imagem do avatar no comentário #59 só tem 1038 bytes e não os propalados 1447. Para mais, àquela hora, já tinha voltado a mudar de avatar.

    Obs: ao menos, é preciso dar um bocadinho de trabalho ao trafulha falsificador.

    Gostar

  65. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 22:13

    Pois… e ele é um ingrato e só te deixa os anéis e as jóias

    Gostar

  66. musaraigne permalink
    6 Dezembro, 2009 23:06

    Não me entendo nem um niquinho com esta Helena mas este , sim, é um bom texto sobre o assunto.

    O que só prova que há questões que nada têm a ver com as ideias políticas ou forma de ser das pessoas.

    Devo estar nos antípodas da Helena dos Dedos de Conversa mas, neste caso, ela disse tudo o que havia a dizer.

    Gostar

  67. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 00:45

    Que se saiba, não vemos os líderes judeus a instigar à colonização gradual da Europa, ao fim do Estado de Israel, a crimes de ódio, à submissão das mulheres e a outras barbaridades.

    Gostar

  68. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 00:50

    Para o comentador 40:

    o povo Islmâmico já foi muito menos fundamentalista na Idade Média. Conhece o Al-Andalus? Córdoba tinha dezenas de bibliotecas, e no sul da Península conviviam judeus e cristãos nas cidades islâmicas. Eram tão liberais na altura que até aceitavam a homossexualidade: há poemas da altura de poetas árabes dedicados a jovens do sexo masculino. Entretanto, hoje em pleno século XXI o Islão tornou-se fundamentalista. Pelo que se lê, a coisa agravou-se nas últimas cinco décadas, após a descolonização europeia, e o fim do reinado do Xá. Assim, o seu comentário deixa de fazer sentido.

    Gostar

  69. ATEU JACOBINO permalink
    7 Dezembro, 2009 01:03

    #3
    És um analfabeto…sem vergonha na cara.

    Vai ao sudeste asiático ver algumas habilidades de alguns budistas e dixa de fazer figura de parvo.

    Já ouviste falar de Kmer Vermelhos? e de alguns serem budistas…embora a maior parte fossem ateus comunistas???

    Gostar

  70. ATEU JACOBINO permalink
    7 Dezembro, 2009 01:08

    #68
    Outro analfabeto!

    Como é que os islâmicos “entraram” na península?

    Alguém os convidou?

    E o Maomé nunca foi assaltante de caravanas, assassino, pedófilo, polígamo, etc…?

    E os sucessores não têm gritado querer seguir as suas pisadas?

    E as matanças entre xiitas e sunitas? Não existem há 1400 anos?

    Aprenda um pouco da realidade histórica….

    E não ensinou a matar à pedrada as mulheres que tivessem relações sexuais antes ou fora do casamento?

    Gostar

  71. ATEU JACOBINO permalink
    7 Dezembro, 2009 01:10

    Desculpa, #68
    O comentário era para o #40.

    Gostar

  72. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 01:12

    Analfabeto? O senhor está cego pelo seu ateísmo. O povo islâmico durante a Idade Média teve um papel fudamental no desenvolvimento da Ciência e na manutenção dos saberes da Antiguidade Clássica. Lamento mas errou no alvo: garanto-lhe que se há alguém analfabeto nesta discussão não sou eu.

    Gostar

  73. ABDULLAAAAAH MAOMÉ permalink
    7 Dezembro, 2009 01:24

    #39

    Hoje voltamos a assistir á aliança entre a selvajaria ateísta e stalinista e islâmica.

    Os(as) betinhas-cócós-não me toquem que me desfaço- hipócritas, frustradas(os) e miseráveis mentais político-mediáticas andam a tentar denegrir a tal senhora em greve de fome por causa do Sahara…

    Em vez de denunciar a atitude criminosa do governo de Marrocos (dito moderado, como se houvesse islão moderado…).

    A TSF até se socorreu do Zapatero para dizer q ele não podia fazer nada.

    Pudera!!!

    Se o fizesse é que era estranho!

    Colocado no poder pelo terrorismo da Al qaeda, sempre a repetir q o islão é uma religião (???) de paz-apesar de todos os dias haver atentados contra civis inocentes em nome do Alah em qqer lugar do mundo-, figura nojenta, desprezível, o Zapa claro que não “ia fazer alguma coisa” por quem está a morrer contra a barbárie islâmica.

    Gostava de ver esses(as) betinhas no Irão, Paquistão, Afeganistão, mas a cumprir as normas da “religião de paz”!!!!

    Havia todos os dias matanças à pedrada!!!!

    Gostar

  74. ABDULLAAAAAH MAOMÉ permalink
    7 Dezembro, 2009 01:37

    #72
    Meu caro Luís!

    Essa do islão ter ciência na Idade Média é um flop, um marketing muito bem vendido.

    Quem conservou a ciência e inventou muitas coisas na Idade Média foi o Cristianismo: foram os monges fechados em conventos quem copiou e conservou a cultura clássica.

    Foi a ICAR quem defendeu a cultura diante das invasões bárbaras, Átila, Hunos, Gemgis Khan, etc….

    As invasões islâmicas ´destruíram tanto como os bárbaros.

    Temos o exemplo da célebre biblioteca de Alexandria, desde os Faraós símbolo de sabedoria, defendida pelo Cristianismo e destruída e incendiada pelo islão, na sua fúria selvagem de conquista da Arábia, Norte de África e Sul da Europa!

    Há um livro indispensável (claro, deitado para o lixo pelo sectarismo retrógrado e ignorante dos ateus) que comprova tudo isto:

    MAOMÉ E CARLOS MAGNO

    de HENRY PIRENNE

    q cita muita outra bibliografia

    (“queimada” pelo arcaísmo ateu jacobino)

    como viu, o meu nick é irónico e crítico da selvajaria, ignorância arcaica ateísta

    Gostar

  75. analfabeto permalink
    7 Dezembro, 2009 02:07

    Enquanto o M.E. não civilizar os conteúdos programáticos escolares…e tirar de lá o elogio de assassinos, traficante de drogas como FIDEL, CHE, CHÁVEZ e quejandos

    a ileteracia, obscurantismo, ignorância, imbecilidades dos jovens vão continuar

    Gostar

  76. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:09

    74,

    Quanto à biblioteca de Alexandria, existe também a versão de que foi destruída pelos Cristãos, mas sobre esse facto não me pronuncio pois não tenho conhecimento suficiente. Mas posso-lhe garantir que a conservação dos saberes da Antiguidade não foi apenas obra dos Cristãos, mas também dos árabes, muito via Nestorianos, que ao ser expulsos o Império Bizantino transportaram as obras da Antiguidade para Bagdad, e a partir daqui foram difundidas até ao Al-Andaluz. Está enganado no seu comentário ao menosprezar o papel dos árabes na Ciência. Não é mito´, nem fruto da pseudo-História sensacionalista à Dan Brown, mas sim um facto bem assente e fundamentado. Até que se visitar alguns museus europeus, encontrará várias obras científicas de autores árabes de renome.

    Alguns nomes:

    Geber (720-800): deu ênfase à aplicação da matemática ao estudo da natureza e descobriu vários compostos químicos, como o ácido sulfúrico, a água régia ou o ácido azótico;

    Rhazes (854-925): natural da Pérsia, autor de várias obras de carácter enciclopédico, tentou colocar a alquimia ao serviço da Medicina;

    Mesué (924-1015): destacou-se na área da fármacia e viu a sua obra traduzida para Latim e impressa em Veneza em 1471;

    Al-Biruni (973-1051): matemático e astrónomo, descreveu 1197 drogas e comentou Dioscórides, Plínio, Paulo de Egina ou Teofrasto;

    Avicena (980-1073): publicou 270 obras, entre elas o Cânone de Avicena, uma obra fundamental da cultura ocidental impressa em Milão em 1473; organizou todo o conhecimento médico da sua época e tornou-se uma referência na História da Ciência;

    Ibn Al-Nafis (1210-1288): natural de Damasco, descreveu a circulação pulmonar séculos antes de Servet, que o fez em 1546.

    Muitos mais nomes da área médica podem ser acrescentados a esta lista: Abenguefit, Avenzoar, Averroes, Maimónides, Abulcasis ou Ibn Al-Baytar. Todos tiveram as suas obras traduzidas para o latim e impressa nas cidades do Norte de Itália do período do renascimento, comentaram autores clássicos, compilaram saberes e contrubuíram com avanços científicos.

    Um nome de destaque é Constantino, o Africano (1020-1087), que contribuiu para o auge da Escola de Salerno, nos alvores da Universidade europeia. Compilou em Cartago diversos textos árabes que traduziu para latim, de introdução à medicina galénica, o Aforismos de Hipócrates, ou Alexandre de Tralles. Assim, introduziu na Europa cristã a medicina greco-árabe. Constantino converteu-se depois ao cristianismo.

    Esta lista que referi está muito incompleta. Muitos mais nomes podiam ser citados na área da astronomia, matemática, navegação, química ou poesia. É inegável que nos primeiros séculos da Idade Média a cultura árabe teve um papel fundamental no avanço da ciência e na manutenção dos saberes da Antiguidade. Nos últimos séculos da Idade Média, no entanto, esse papel de relevo passou para os cristãos, para os conventos e para as primeiras Universidades: nós temos o caso do Convento de Santa Cruz em Coimbra e da Universidade de Coimbra (fundada inicialmente em Lisboa).

    Gostar

  77. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 02:17

    Devias era fazer uma lista da tradição racista dos suiços, ó palerma e explicar onde estão os terroristas na arquitectura, já que a droga parece ser cena bué de fixe e só lhes incomodarem minaretes.

    Gostar

  78. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 02:20

    Escreveste para aí calinada que até mete dó.

    Desde quando a Pérsia era terra árabe ou os tipos semitas?

    Os persas eram arianos! e a religião deles era o zoroastismo- um dos primeiros cultos monoteístas, anterior até ao judaísmo.

    Gostar

  79. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:22

    O nível de educação de certos comentadores deste fórum é deveras elevado. Acham sempre qualquer coisa sobre algo, mesmo que não percebam nem nunca tenham estudado nada sobre o assunto. Viva a geração «Novas Oportunidades»…

    Gostar

  80. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:25

    Musaraigne, todos os autores que referi são islâmicos. Lamento mas quem está aqui a ter uma atitude estúpida é o senhor, agravada pela sua arrogância pseudo-intelectual de quem não percebe nada do assunto.

    Gostar

  81. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:26

    Já reparou que os autores que referi viveram em séculos nos quais a Pérsia já era um território islâmico? Ou não sabe ler?

    Gostar

  82. ABDULLAAAAAH MAOMÉ permalink
    7 Dezembro, 2009 02:27

    #76
    continuo a dizer q isso do islão-ciência é um embuste!

    Há factos indesmentíveis que provam isso.

    Há tb quem queira lançar a confusão e a mentira, como é caso da biblioteca de Alexandria–está na Wikipédia!!!!!!

    mesmo entre os generais islâmicos provocou discussão o incêndio.

    Aliás, consonante com o dogma de que o islão deve ser único na sociedade, não aceitando mais nada.

    Que é regra há 1400 anos.

    Gostar

  83. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:29

    Os árabes vieram de Marrocos? O senhor anda só a dizer asneiras… Houve uma migração dos povos da Península Arábica nos alvores da expansão islâmica para todos os territórios conquistados. Na Península Ibérica havia povos berberes de Marrocos e povos originários da Península arábica. Já agora, qual é a sua formação? É historiador?

    Gostar

  84. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:30

    85,

    recuso-me a procurar informação na Wikipédia. Devia fazer o mesmo.

    Gostar

  85. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 02:31

    É um facto que tiveram o Al-Andaluz, mas nada disso vem ao caso para o presente.

    Porque, se entrássemos em tribalismos culturais, então a judiaria é que bem podia limpar as mãos à parede que se ficou por cenas cabalísticas e perdeu completamente o legado helénico.

    E, se não fosse a Diáspora, andavam lá a enrabar cabras como os colegas de raça- os semitas- que aquilo é tudo farinha do mesmo saco.

    Gostar

  86. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:33

    86,

    estou a falar de ciência e o senhor vem com poesia trovadoresca. E agradeço que pare com as ofensas, não sou do seu nível. O que estou a tentar dizer, se não percebeu, é que os povos islâmicos num dado momento da História foram menos fundamentalistas e até deram contributos importantes para a cultura Ocidental, e que posteriormente não conseguiram acompanhar o Ocidente. É claro que muita da sua obra foi baseada nos saberes clássicos, mas isto também se aplica à obra cristã da Idade Média.

    Gostar

  87. Musaranho de muletas permalink
    7 Dezembro, 2009 02:37

    Estou-me nas tintas para o políticamente correcto.
    O Islão é uma ameaça para a nossa civilização.
    Os imbecis que pululam por aqui,musaranhos ou ratos deviam passar uns anos no Médio Oriente.
    Estive quase quatro anos na Arábia saudita e verifico que esta gente não tem a menor noção das asneiras que para aqui descarrega.
    Vão lá pôr em práctica as vossas anormalidades,mas entre os árabes.Aqui,longe deles,é tudo ficção.vão lá e provem as vossas teorias anormais.

    Gostar

  88. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:37

    A informação que tirei teve estas fontes:

    Lain Entralgo, Historia de la Medicina, Barcelona, Salvat Editores, 1982;

    Messadié Geral, Los grandes descubrimientos de la ciencia, Madrid, Alianza Editorial, 1995;

    Serge Hutin, A Alquimia, Livros do Brasil;

    se quiser posso dar-lhe mais títulos. Cultive-se antes de falar do que não sabe. E modere o tom, fica mal a alguém tão culto e inteligente insultar os outros. Mancha a obra-prima, percebe?

    Gostar

  89. ABDULLAAAAAH MAOMÉ permalink
    7 Dezembro, 2009 02:40

    #76
    REPARE NESTAS “MARAVILHAS DA CIÊNCIA” QUE NÃO CONSTAM DA MONA DO PEDANTISMO, SNOBISMO ARCAICO E NEANDERTHAL QUE DOMINA A “CULTURA”:

    O Islão em acção
    Thomas Stahler

    – A partir de 622: banditismo organizado por Maomé desde Medina (Arábia Saudita). Batalha de Badr onde Maomé e o seu bando assassinaram 70 homens, apoderando-se de um valiosos espólio. Múltiplos assassinatos políticos contra os adversários do profeta, numerosos ataques a judeus da região;

    – 627: extermínio pelo exército de Maomé da tribo judaica Bann Qurayza (600 a 900 pessoas);

    – Na mesma época: expulsão dos Nadir e o seu subsequente massacre;

    – 634: invasão da Síria por Abu Bakr, morte de 4.000 pessoas na defesa das suas terras entre Gaza e a Cesareia. Campanha da Mesopotâmia: 600 mosteiros destruídos, monges assassinados, árabes monofisitas convertidos ou mortos, extermínio da população de Elam e execução de notáveis em Susa;

    – 634-638: invasão de Jerusalém e destruição de igrejas seguido de pilhagens, provocando um surto de fome em 639, o qual se traduziu em milhares de mortos;

    – Na Arménia, massacre da população de Euchaita;

    – Assíria devastada, grandes destruições na região de Daron, no sudoeste do lago Van (Turquia). Novas expedições em 642 com massacres e escravatura;

    – 643: conquista de Tripoli por Amr, pilhagem, escravatura de mulheres, assim como de crianças, em proveito do exército árabe;

    – 652 a 1276: envio anual de escravos da Núbia para o Cairo;

    – Cartago arrasada e os seus habitantes executados, acontecendo o mesmo na Anatólia (Turquia), Mesopotâmia, Síria, Irão e Iraque;

    – Fim do século VII: conquista do Egipto por Amr b. al As, massacre de todos os habitantes de Behnesa, após o de Rayum, assim como o de Fayoum, Aboit, Nikin.

    700

    – 704-705: Os nobres arménios são reunidos nas Igrejas de São Gregório em Naxcawan e Xram no Azaxis e incendiadas;

    – 712: conquista de Sind na Índia por Muhammad b. Qasim, massacres no porto de Debal (foz do Indus), durante três dias, entre 6.000 e 16.000 pessoas mortas em Brahminabad;

    – 722: destruição de conventos e de igrejas no Egipto;

    – 781: saque de Efeso (Turquia), 7.000 gregos deportados;

    – Século VIII: mosteiros hindus de Kizil destruídos.

    800

    – 832: massacre de Coptas no Baixo Egipto após a sua revolta contra um imposto discriminatório;

    – 838: tomada de Amorion e escravatura dos vencidos;

    – 852-855: perseguições na Arménia;

    – 884: convento de Kalilshn em Bagdade pilhado e destruído;

    – Século IX: conversões forçadas em Harran;

    – Século IX: massacre de cristãos em Sevilha.

    900

    – 903: 22.000 cristãos tornados escravos em Tessalónica;

    – 924: Igreja e convento de Maria em Damas destruídos, assim como milhares de igrejas no Egipto e na Síria;

    – No dobrar do ano mil: pilhagens e destruições na Índia por Mahmud de Ghazni, 50.000 homens mortos após a batalha de Sommath;

    1000

    – 1004: Mahmud invade Multan (Paquistão). Conversões forçadas na região de Ghor;

    – 1010: Mahmud invade o reino de Dawud de Multan;

    – 1010 a 1013: centenas de judeus assassinados no sul de Espanha;

    – 1016: judeus chacinados em Kairouan (Tunísia);

    – 1033: massacre de 6.000 judeus em Fez (Marrocos);

    – 1064: conquista da Geórgia e da Arménia por Arp Arslan, massacres e escravatura;

    – 1066: 4.000 judeus mortos em Granada (Espanha);

    – Século XI: massacre de judeus em Fez e em Granada.

    1100

    – 1126: cristãos espanhóis deportados para Marrocos pelos Almorávidas;

    – Por volta de 1150: perseguições em Tunes;

    – 1165 e 1178: conversões forçadas de judeus no Iémen;

    – 1192: no estado de Bihar (este da Índia), Muhammad Khiji massacra os monges budistas e arrasa uma grande biblioteca, destruição de templos em sarnath perto de Bénarès;

    – 1198: conversões forçadas de judeus em Aden;

    – Século XII: massacres de judeus na África do norte pelos Almóadas.

    1200

    – Por volta de 1200: perseguições de budistas;

    – 1232: massacre de judeus em Marraquexe;

    – 1268: massacre aquando da conquista de Antióquia (Turquia) por Baybars;

    – 1291 e 1318: conversões forçadas de judeus em Tabriz (noroeste do Irão);

    – Século XII: perto de Damas (Síria), a população de Safad é decapitada pelo sultão Baybars.

    1300

    – 1333 e 1334: conversões forçadas de judeus em Bagdade (Iraque);

    – 1351: Firuz Chah dirige o norte da Índia: 180.000 escravos na sua cidade e destrói os templos hindus;

    – Do século XIV ao século XVII: recolha de mais de 1/5 dos filhos das famílias da aristocracia cristã na Grécia, Sérvia, Bulgária, Arménia e Albânia, o que equivale a 8.000 a 12.000 pessoas por ano.

    1400

    – 1400: Tamerlão devasta Tbilissi (Georgia);

    – 1403: nova expedição de Tamerlão à Georgia, massacres, destruição de aldeias e cidades;

    – Início do século XV: na Mesopotâmia, massacre de 4000 pessoas em Sivas (Turquia), 10.000 em Tus, 100.000 em Saray (Turquia), 90.000 em Bagdade (Iraque) e 70.000 em Ispahan (Irão).

    1600

    – 1622: perseguições contra os judeus na Pérsia;

    – A meio do século XVII: conversões forçadas de judeus na Pérsia;

    – 1679-1680: destruição de templos em Udaipur, Chitor, Jaipur por Aurangzeb (norte da Índia);

    – Século XVII: conversões forçadas na Anatólia (Turquia).

    1700

    – 1770 a 1786: judeus expulsos de Jeddah (Arábia Saudita), refugiando-se no Iémen;

    – 1790: massacre de judeus em Tétuan (Marrocos).

    1800

    – 1828: massacre de judeus em Bagdade;

    – 1834: pilhagem em Safed;

    – 1839: conversões forçadas e massacre de judeus em Meshed (Irão);

    – 1840: massacre de judeus em Damas;

    – 1867: massacre de judeus em Barfurush;

    – 1894, 1895 e 1896: massacre de 250.000 arménios pelos turcos;

    – Século XIX: explosão de violência em Marrocos, na Argélia, Tunísia, Líbia e nos países árabes do Médio Oriente.

    1900

    – 1904 e 1909: 30.000 arménios chacinados em Adana;

    – 1915: fim do genocídio de arménios pelos turcos, mais de um milhão de mortos.

    (Nota do tradutor: muitas mais façanhas desta “religião do amor e tolerância” poderiam ser descritas, basta lembrar a invasão da Península Ibérica no ano 711, ou os mais de milhão e meio de europeus feitos escravos pelos muçulmanos entre os séculos XVI e XVIII. Porém, não é necessário revisitar muito mais a história quando nos deparamos com uma Jihad na Europa em pleno século XXI. Os atentados de Madrid (191 mortos), o massacre das crianças de Beslan (331 mortos) ou mais recentemente os ataques suicidas em Londres (52 mortos), são a prova viva de que o Islão, essa religião agressiva e estranha à Europa, quer voltar a impor-se no nosso continente, resultado de uma frustração secular, já que os muçulmanos nunca aceitaram bem a derrota em Covadonga, ou a de Lepanto, ou mesmo a de Viena, só para citar algumas.)

    ——————————————————————————–
    Fonte: http://www.causaidentitaria.org/islaoaccao.html

    Gostar

  90. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:42

    E se quer saber a minha opinião sobre os minaretes, sim sou contra. É um sinal simbólico que se está a dar ao Islão de que se querem estar no Ocidente têm de se integrar e seguir as nossas regras e valores. Estive recentemente no Norte de Itália, falei com alguns italianos sobre o assunto e consigo perceber a votação dos suiços. Os islâmicos querem aplicar a sharia no ocidente e recusam-se a seguir as nossas leis, para além de incitarem à migração para a Europa e à nossa «colonização». Há uns anos estive num evento científico em Londres e chocou-me quando ouvi os representantes da Jordânia afirmarem que se recusam a «acreditar» no evolucionismo.

    Gostar

  91. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:47

    96,

    não se esqueça que a cultura Ocidental também está manchada por muitos crimes. Basta pensarmos dos genocídios castelhanos nas Canárias e na actual América Latina, na Inquisição, no massacre dos judeus de Lisboa no início do século XVI, nas guerras sangrentas que assolaram a Europa ao longo de séculos, isto para não falar nos crimes do Holocausto e do comunismo na Europa de Leste.

    Gostar

  92. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 02:49

    Cá nem a trampa do casório gay e da família alternativa que vai dar direito a clonagem, barrigas de aluguer, e PMAs para fufas, acham que é motivo para a população se pronunciar.

    E as taveiradas são livres assim como os mamarrachos. E agora acham normal um país levar a referendo exclusivamente a construção de mais edifícios religiosos apenas e exclusivamente de uma comunidade das milhentas comunidades de imigrantes que têm.

    Até os judeus se juntaram e foram contra esta merda!

    Querem melhor exemplo que assistir-se à união de judeus e cristãos em defesa dos muçulmanos imigrados na Suiça?

    Gostar

  93. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:50

    100,

    os suiços ao votarem contra os minaretes estavam a dar um sinal simbólico de que é preciso impor um travão à expansão islâmica na Europa, e não necessariamente a votar contra as torres propriamente ditas.

    Gostar

  94. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 02:53

    99,

    eu não quero defender o Islão. Como já referi, apenas quis argumentar que o Islão já foi uma cultura mais liberal e menos fundamentalista, e que entretanto nos últimos cinco séculos caminhou para o fundamentalismo e para o obscurantismo. Há quem diga, por exemplo, que há 50 anos no Cairo quase não se viam mulheres de burka. O caminho para o fundamentalismo acentuou-se nas últimas 5 décadas, o que coincide com a descolonização europeia de vários países islâmicos e com o fim do reinado do Xá.

    Gostar

  95. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 02:54

    Estavam a dar o sinal simbólico que são racistas e esse sinal foi demagogicamente feito por políticos que nem respeitaram os votos do bairro.

    Foi isso- reagiram como v.s – pavlovianamente à cenoura que lhes puseram à frente das fuças.

    Gostar

  96. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 02:58

    Quem é que os obrigou a deixar entrar até à saturação todos estes muçulmanos?

    Acaso entraram com pistola apontada e os obrigaram a darem-lhes cidadania igual?

    Ou foram os bimbos dos suiços iguais aos bimbos todos da Europa que anda a toque de caixa dessa dupla utopia neoliberal das mãos dadas planetárias mais a da esquerdalhada do multiculturalismo?

    Isto é pura e simplesmente o começo da globalização que vai dar bode.

    E essa é do interesse dos novos traficantes de carne no porão.

    Gostar

  97. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 03:01

    É bem-feita.

    Há anos que andava a prever isto e tenho-o escrito por todo lado.

    Esta imbecilidade da globalização que faz reizinhos dentre de casa aos mesmos que depois vai matar em exportações de democracia à bomba, tinha de dar nisto e em pior.

    Um dia, quando vierem dessas campanhas napoleónicas de “exportação da superioridade ocidental em terra de bárbaros- mantando-os por eles terem dificuldade de compreensão- já não entram em casa.

    Gostar

  98. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 03:05

    Têm as bombas relógio dentro de casa. São estúpidos e continuam a deixar entrar mais e mais e mais.

    Depois provocam-nos no que eles mais sentem- na religião. A par disso dizem que andam a educá-los na democracia ocidental mantando-os à bomba.

    E depois admiram-se de os terroristas aparecerem ou nascerem dos trapos, como os ratos, já que os imbecis nem vêem que são os próprios que os fabricam.

    Hão-de deitar-se na cama que têm vindo a fazer .E essa cama interessa, hipocritamente, aos mesmos que depois fazem estas rábulas de vitimização.

    Gostar

  99. Musaranho de muletas permalink
    7 Dezembro, 2009 03:06

    musaraigne disse
    7 Dezembro, 2009 às 2:58 am
    Quem é que os obrigou a deixar entrar até à saturação todos estes muçulmanos?

    Pois,e agora são obrigados a deixarem-se enrabar.
    Vai lá viver no meio deles e depois vem palrar essas tretas.isso é tudo paleio da treta de gente que vive nas núvens.Intelectualidade dessa só dá para rir.se os conhecesses essas tretas iam todas pelo cano.
    Isto é um festival onírico!

    Gostar

  100. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 03:12

    A mesma esquerda «socialista» que apoia agora o multicultaralismo é a mesma que apoiou aqui da Europa a teocracia do Irão. Deu no que deu. Por outro lado, a mesma que apoia os minaretes é aquela que defende a saída dos crucifixos do´espaço público.

    Gostar

  101. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 03:14

    Essa esquerda, que agora anda por aí a defender muito os gays e as lésbicas, devia mandá-los para os países árabes e logo veria o que lhes sucedia.

    Gostar

  102. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 03:18

    Um italiano disse-me em Milão que os líderes islâmicos no Norte de Itália estão a instigar a colonização da Europa. A estratégia é esta: cada casal islâmico tem vários filhos, estes são educados de forma a não absorverem os valores ocidentais e dentro de algumas décadas constituirão uma percentagem considerável da população europeia. Aí, terão condições para reinvindicarem a imposição dos seus valores. A verdade é que isto já está a acontecer: na França, nos subúrbios das cidades, aglomera-se uma população de jovens islâmicos que desdenham da cultura ocidental, e em Inglaterra os islâmicos defendem o direito a aplicarem a sharia.

    Gostar

  103. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 03:21

    É esta a gentalha a quem deram voz com esta mentira da igualdade da pseudo urbanidade laica.

    Foi isto que a Revolução Francesa andou a preparar e as vossas utopias marxistas e neoliberais são o mesmíssimo duplo criado pelo mito da Razão das luzes.

    Este é o vosso projecto kantiano a mostrar que a humanidade tende mais a regredir se não tiver trela curta.

    Gostar

  104. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 03:23

    Claro que colonizam!

    Bruxo! os judeus fazem o mesmo e têm o mesmíssimo projecto.

    Todos os grupos identitários tendem a preencher vazios.

    E o que mais há e é oferecido são vazios.

    A ver se o mundo às avessas não é tomado por todos os proselitismos.

    A família, que é o principal núcleo já o foi pela gayzada. O resto é mesmo assim, só não vai mais porque também degeneram com o excesso de contacto

    “:O)))))

    Gostar

  105. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 03:26

    É mesmo o único travão que a famosa superioridade da dita Civilização Ocidental tem.

    Travar avanços por copiarem a degenerescência que lhes oferecemos.

    “:O))))

    Ocientalizam-se e lá ficam um bocado mais frouxos e trocam as tradições pelos centros comerciais e pela novela.

    È esta a alternativa aos minaretes que o dito sábio Ocidente consegue preservar- catedrais de consumo e novelas.

    Gostar

  106. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 03:28

    «A família, que é o principal núcleo já o foi pela gayzada». Não necessariamente em todo o Ocidente. Há resistência interessantes nos EUA, em Itália e na Europa de Leste.

    Gostar

  107. Luís permalink
    7 Dezembro, 2009 03:29

    «È esta a alternativa aos minaretes que o dito sábio Ocidente consegue preservar- catedrais de consumo e novelas.»

    Em Portugal, agradeça isso às nossas novas «elites» incultas saídas do dinheiro do betão e das obras públicas.

    Gostar

  108. Musaranho de muletas permalink
    7 Dezembro, 2009 03:37

    Isto é de loucos!
    Nem fazes a menor idéia.
    Só te queria ver a viver entre eles.
    Por isso a nossa civilização anda de gatas.
    Só falas de cor.
    Falta-te a experiência,a vivência.
    Gente com socializações de fancaria,vidas livrescas e de gabinete só podem produzir asneira.
    Pobre Ocidente,entregue a ratos de gabinete,cultos em ciências da idiotia.
    Enquanto os decadentes são prácticos e manhosos,nós andamos aqui a dar ouvidos a gente que fala de cátedra do que não sabe.
    Quando se lê estes disparates,que sabemos por experiência nada terem a ver com a realidade,até causa náuseas.

    Gostar

  109. ABDULLAAAAAH MAOMÉ permalink
    7 Dezembro, 2009 04:29

    #101; 115.

    NÃO PODE FAZER COMPARAÇÕES DESSAS!

    A Inquisição em Portugal matou pouco mais de duas mil pessoas em 350 anos.

    São estudos credíveis que o dizem, com base em quase 20 mil processos da Torre do Tombo.

    E foram episódios raros amplificados por jacobinos admiradores da selvajaria stalinista.

    Não venha com a treta de genocídio

    Toda a História do Islão é chacinas de “infiéis”: é por isso que os ateus ocidentais que tanto defendem o islão (à mínima coisa é logo islamofobia…) ou são uma cambada de mentes podres, execráveis, que o mínimo que merecem são uns valentes escarros na cara.

    Ou então-principalmente as mulheres-betinhas…que vão viver para o Irão, Paquistão, afeganistão, etc…para ver a triste figura de atrasadas mentais que fazem.

    Gostar

  110. ABDULLAAAAAH MAOMÉ permalink
    7 Dezembro, 2009 04:37

    Quanto à conquista da UE, isso é um dado adquirido pelos media do Irão, Palestina, etc… com base no crescimento demográfico.

    Não falam noutra coisa!!!

    Depois,vamo-nos rir com os betinhos e cócós, mais as dandys cabeças ocas, proibidos de beber uns copitos, andar de calças, decotes, bikinis…

    Isto é tão evidente que chega a ser prova de alta deficiência mental ver aqueles(as) que fazem vida oposta ao islão a defender o islão!!!!!!!!!!!!

    Só rindo à gargalhada de tão “inteligência” suicida.

    Ainda hj a ALucas Coelho mostrava essa hilariante deficiência mental no “Público”

    Claro: nunca vestiu calças, nem decotes, nem mini-saias, nem usou anticoncepcionais, nem bikinis…..

    O atraso mental é tão visível que só rindo…rindo…rindo….

    Gostar

  111. Outside permalink
    7 Dezembro, 2009 12:44

    Um dos seus textos no Público era de tal modo caricato que berrava coisas que ainda sei de cor:
    “quantas bombas precisarão de cair nas nossas cidades; quantos mais atentados terá a Europa de ser vítima até que acorde e se dê conta da invasão da ameaça islâmica”?

    Obrigado cara Zazie, fui remescer, já me tinha esquecido destes textos (não da mais que formada opinião de HM sobre quem são as vitimas e os culpados no seu mundo a preto e branco … mas das frases exatas escritas com uma convicção verdadeiramente perigosa e incendiadora).

    Historiadora ??? Não, nada disso não é HM…Estoriadora concerteza!

    Shame

    Gostar

  112. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 13:37

    Por acaso nem sabia na altura que ela é licenciada em História. Nem nunca me interessou nada mais próximo.

    Apenas aqueles panfletos descabelados que depois eram levados para o Pastilhas e que, na altura, me parecia autêntica propaganda maoista fora de prazo.

    E, um dia disse isto em conversa com o maradona e ele ficou parvo e perguntou-me se eu a conhecia porque, de facto, tinha sido maoísta.

    Foi pura pontaria apenas por leitura porque eu desconhecia até esse detalhe.

    Gostar

  113. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 13:41

    O JM foi o que teve aquela ideia brilhante de medir a liberdade em kms

    ahahahaha

    E ainda estou para saber se ele contou os kms em altura, porque os alpes suiços são mais altos

    “:O))))))

    Gostar

  114. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 14:18

    Políticas de imigração,claro. Porque aí é que está o centro de tudo isto. Mas essas sei eu que não vão controlar porque são um mal necessário de que se alimenta este neoliberalismo global.

    O problema é este e o John Gray analisou-o de forma brilhante no Falso Amanhecer.

    Gostar

  115. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 14:21

    Quem é que estes imbecis julgam que compram os grandes bancos da city?

    Se calhar são os tugas disfarçados de turbante das arábias.

    Meus imbecis- os tipos compravam Portugal em 3 tempos, se lhes apetecesse, Porque a economia europeia já está há muito, dependente de chinocas e orientais.

    E v.s é que ainda hão-de estar com estas querelas bizantinas de minaretes como aquando da tomada de Constantinopla pelos bárbaros.

    Gostar

  116. musaraigne permalink
    7 Dezembro, 2009 14:25

    Por cá bastavam os angolanos darem-lhes na veneta e já era.

    Por lá, já eles importam mão de obra escrava chinoca que até vive em barco ao largo da baía de Luanda e apenas têm um dia de descanso.

    É esta a maravilha da humanidade e progresso da globalização- escravatura e castas de mega-ricos como nunca o mundo conheceu. Uma Idade Média à americana rica com pobres que nem na Idade Média existiam, porque nessa altura não havia burgueses nem o mito se idolatrava o carcanhol no lugar de Deus.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: