Saltar para o conteúdo

Investimento público estratégico na Grécia

9 Dezembro, 2009

A Grécia está com problemas económicos. Défice superior a 12% e dificuldades em pagar a dívida pública (113% do PIB), redução do rating da dívida. O governo grego está à rasca.

Os problemas da Grécia são incompreensíveis. A Grécia foi dos países que mais apostou no investimento público estratégico como a construção de um novo aeroporto e a construção de infraestruturas desportivas para os Jogos Olímpicos de 2004. Não haverá por aí um keynesiano que queira explicar este mistério?

53 comentários leave one →
  1. 9 Dezembro, 2009 14:33

    Realmente incompreensível. Os multiplicadores devem ter sido boicotados pelos neoliberais.

    Gostar

  2. joao permalink
    9 Dezembro, 2009 14:40

    mas antes de explicarem a Grécia, ainda têm de explicar o Dubai e a Islândia?

    Gostar

  3. Marafado de Buliquei-me permalink
    9 Dezembro, 2009 14:49

    Quem eram os cientistas que diziam :
    _ Vejam a Grécia já está à nossa frente !

    O que a malta quer é vinhos e petiscos …….

    Gostar

  4. monárquico permalink
    9 Dezembro, 2009 14:50

    e…podem já fazer um post igual de Portugal! os socretinos explicam–pedro

    Gostar

  5. José permalink
    9 Dezembro, 2009 14:51

    É preciso não esquecer outro fenómeno: as revoltas populares espontâneas. Por cá, já houve um vislumbre com o bloqueio dos camionistas…e este incrível primeiro-ministro que continua a anunciar maravilhas como o carro eléctrico para amanhã, vai ser defenestrado um dia destes e corrido a pontapé merafórico pelos mesmos que o apoiam agora.

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 14:53

    Ao lado do artigo que linkas vem:

    A FRASE
    “Afinal, a banca de investimento soma lucros e segue próspera. A regulação muda vírgulas. Os mercados cavalgam uma nova bolha. E já se instala na dormência colectiva a resignação de que pouco mudará no sistema financeiro.
    Pedro Santos Guerreiro, “Jornal de Negócios

    Gostar

  7. anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 14:54

    “Por cá, já houve um vislumbre com o bloqueio dos camionistas…”

    mal organizado pelo psd, aliás um dos primeiros fiascos comerciais da velha.

    Gostar

  8. Anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 14:54

    crescimento apoiado no endividamento. não ligaram aos sábios avós lá da grecia que recomendavam fugir dos agiotas a sete pés , que consumir fiado é vergonha e que no poupar é que está o ganho. pobreza de espírito ,curto prazo , em suma.

    Gostar

  9. Golp(ada) permalink
    9 Dezembro, 2009 14:57

    Aquando do Euro 2004, PROVOU-SE que o Aeroporto da Portela suportou e muito bem um aumento inusitado de turistas.

    Querer construir outro Elefantes Brancos (vulgo aeroporto e TGV’s) só vai beneficiar alguns, e HIPOTECAR o resto.

    Os ricos países nordicos não têem TGV, não alimentam tubarões do betão e vivem.

    Por aqui pode-se viver sem o TGV? vive-se e muito melhor!!!

    Gostar

  10. Titan permalink
    9 Dezembro, 2009 14:57

    Apostaram em infraestruturas e a economia não se desenvolveu? Aonde é que já vi esse filme?
    Pois é, o keynesianismo só serve para combater as crises e mais nada.

    Gostar

  11. José permalink
    9 Dezembro, 2009 14:58

    ferreira: reforça a dose para entenderes que os camionistas não eram do PSD…

    Gostar

  12. Gundisalves permalink
    9 Dezembro, 2009 14:58

    Como se explica? Ora , ora. Esse trabalho de casa? Dom José Sokras I, O Maravilho no País dos Bulifundos, é o verdadeiro Rei da Grécia , de Naxos, de Cacilhas e de Friporto.

    Gostar

  13. José permalink
    9 Dezembro, 2009 15:01

    O TGV e aeroporto e outras obras de faraós pindéricos, servem para uma coisa simples: encher os bolsos a meia dúzia de “empresários ” tipo António Mota, emparelhados com os seus assessores de ocasião. Agora está lá o Coelho que escapou sempre por um triz. Antes estiveram outros, de outras cores e feitios.

    Isso é a parte útil. A agradável é a de se proclamar que é para o bem comum e que ´dá emprego a muita gente e que assim há “pogresso”.

    Gostar

  14. Marafado de Buliquei-me permalink
    9 Dezembro, 2009 15:12

    E, já agora podem dizer aos “munáquicos” que venderam isto a Espanha em 1580 tendo por vendedor um cardeal daqueles que batem com a mão no peito e punhalada nas costas !!!

    Querem estes, agora verde-nos a treta que a “munarquia” é que é boa !

    Já há 100 anos que não mamam na teta do orçamento e estão cheinhos de fome ……….. vão prá fila de espera seus marialvas de pacotilha !

    Gostar

  15. lucklucky permalink
    9 Dezembro, 2009 15:19

    “mas antes de explicarem a Grécia, ainda têm de explicar o Dubai e a Islândia?”

    O Dubai não é diferente da Grécia ou Portugal, a Islândia acontece em qualquer lado onde os Bancos invistam mal…quem lá depositou fica sem dinheiro…

    Gostar

  16. Anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 15:26

    Podemos começar por entregar o Estádio de Aveiro como dação em pagamento à UE, junto com o respectivo “arquitecto”.

    Gostar

  17. José permalink
    9 Dezembro, 2009 15:29

    De garantia real, podemos apresentar o magnífico crooner Lello, mai-lo Arnaut, José Luís que ajudou à missa laica. Garantias de que se tiverem dinheiro público para gastar, o fazem de bom grado e com o proveito que todos podemos agora reconhecer. São os nosso beneméritos nacionais e a quem devemos um gratidão sem fim.

    Gostar

  18. Zé Socas permalink
    9 Dezembro, 2009 15:31

    têm de construir um TGV e investir em cagalhaes, carros electricos e novas oportunidades para a Grécia retomar o caminho do crescimento

    Gostar

  19. Marafado de Buliquei-me permalink
    9 Dezembro, 2009 15:51

    Se fosse eu, rasgava tudo, parava tudo e suspendia a democracia até estamos todos ricos !

    E depois, guardava o oiro todo numa gaveta e ficava a olhar pra ele……….. AAAAAAAAAAHHHHHHHHH que delicia !

    Gostar

  20. anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 15:57

    #11 – mais um iluminado que acredita no triunfo das massas revolucionárias, enfim teorias macarrónicas do palma/gerómino.

    Gostar

  21. anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 16:03

    estes gajos não se entendem para nomear o presidente que querem eleger, quanto mais para governar o país. dá para imaginar um governo psd na próxima década, ia ser bué da nice.

    Gostar

  22. Paco permalink
    9 Dezembro, 2009 16:12

    Pois. Acabar com a democracia que os pariu é que estava bem visto.
    E, já agora, pendurar os “chucha-nisto” pelo pescoço.
    Chico

    Gostar

  23. Anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 16:22

    #19 Dois erros em quatro linhas.

    Especialista em novas oportunidades??????

    Gostar

  24. 9 Dezembro, 2009 16:30

    Não haverá por aí um keynesiano que queira explicar este mistério?

    Uma grande gargalhada a meio da tarde, num dia particularmente difícil faz muito, muito bem.
    Bem-haja JM.

    Gostar

  25. Marafado de Buliquei-me permalink
    9 Dezembro, 2009 16:30

    # 24

    Tem razão, mas isto hoje está de embutidos !!

    Eu queria era oportunidades novas !!!

    Gostar

  26. Vicente Alcatruz permalink
    9 Dezembro, 2009 16:58

    Se alguem tem duvidas sobre o que está a acontecer na Grécia com as finanças publicas, perguntem ao João Galamba, porque ele defende a mesma receita cá pro burgo. Grecia 2009, Portugal 2011-2012: a mesma luta. Falencia total. Como dizia um lá na minha terra: o dever acima de tudo. Morreu na miséria coitado.

    Gostar

  27. lucklucky permalink
    9 Dezembro, 2009 17:14

    Isto é só o começo da crise Europeia…

    Gostar

  28. Anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 17:26

    Esta crise está apenas a revelar quem são os países fantoches que à mínima rajada de vento caem logo. Claro que quem lidera esses países tenta fazer crer que foi mesmo a crise que os lixou, puxando de “forças ocultas” que escondem factos tão relevantes como a subida de desemprego em janeiro de 2008, que muito antes da tal crise existir já gerava mais de 80% da subida verificada no ano seguinte. E o oculto funciona mesmo, com grande colaboração de uns pares de senhores que vão enchendo o ecran.

    Gostar

  29. Pizarro permalink
    9 Dezembro, 2009 17:32

    Claro que há. O Carlinhos Keynesiano vai já escrever um post com imensos links, provando que o problema foi ter sido investimento público estratégico neoliberal.

    Gostar

  30. Kolchak permalink
    9 Dezembro, 2009 18:03

    «Não haverá por aí um keynesiano que queira explicar este mistério?»

    A única coisa que se devia dizer é o seguinte: desde os anos 30 do século XX o mundo mudou imenso, para se poder pensar que as doutrinas de Keynes podem funcionar agora, como nessa época. A teoria de que falo, aplicou-se, pela primeira vez, numa Grã-Bretanha imperial e praticamente «fechada» ao resto do mundo. Isto não significa, porém, que as doutrinas muito anteriores de um Adam Smith, por exemplo, também se possam aplicar sem mais. É necessário superar a antiga dicotomia Smith/Keynes para resolver a crise do momento presente. Como cantou Bob Dylan no final dos anos 60: «Times they are changing».

    PSD – Dou-me agora conta que o Dylan também foi ultrapassado pela História…

    Gostar

  31. Basico permalink
    9 Dezembro, 2009 18:19

    Mal posso esperar por um post sobre este assunto do inigualavel Carlos Santos.

    Gostar

  32. Anónimo permalink
    9 Dezembro, 2009 19:05

    #32 Então e o Galamba? Esse genio das finanças publicas, deve estar a pensar no que é que correu mal na Grecia. E na Espanha. Para depois nos explicar. Ah! se o Sócrates fosse 1º ministro desses paises, outro galo cantaria. Eles não sabem o que perdem. Fiquemos então à espera das conclusões do Galamba.

    Gostar

  33. 9 Dezembro, 2009 19:14

    A AR serve para alguma coisa? – Aeroportos e Comboios fantasma,
    ou a banca rota do Bloco Central (bem acompanhado pelos parceiros à esquerda ou direita)
    “Da Ota ao TGV”

    «Da comparação das quatro opções consideradas, conclui-se:
    Da análise global de um conjunto de aspectos objectivos, a melhor opção é Montijo B e a PIOR a Ota; No aspecto operacional a melhor opção é o Rio Frio a e a PIOR a Ota; Na perspectiva da engenharia a melhor é Montijo B e a PIOR a Ota; No aspecto ambiental a melhor é Rio Frio e a pior é Montijo A; Na perspectiva da acessibilidade* a melhor é o Montijo A e B e a pior Rio Frio; No aspecto do esforço financeiro nas infra-estruturas e da própria TAP a melhor é Montijo B e a a Ota; Na perspectiva da operação simultânea com a Portela e dos investimentos inerentes a melhor solução é o Montijo B e a PIOR a Ota.
    Conclusões da ANA de 1994, esmagadoras para a decisão do governo em 1998/99, que, com base no risco de colisão com aves, conduziu à precipitada escolha da Ota» (Engº Arménio Matias/ADFER, Ago05, DN).
    Que se passou, entre 1994 e 1998/99? – Foz Côa, Co-incineração, Rio Frio…passámos a um governo de não decisões ou decisões abortivas.
    Quanto à malha de TGV em todas as direcções, parece estarmos a querer repetir o disparate dos estádios do Euro2004.
    * Antes da ponte Vasco da Gama e futuro acesso do TGV a Madrid.

    E a Grécia ali tão perto. Who cares?
    A bem do Devorismo.

    Gostar

  34. 9 Dezembro, 2009 19:31

    Brincando às adaptações:

    Os EUA estão com problemas económicos. Défice superior a 10% para 2010 e dificuldades em pagar a dívida pública (80% do PIB, acima de USD 12 trios), possível redução do rating da dívida. O governo dos EUA está à rasca.

    Os problemas dos EUA são incompreensíveis. Os EUA foi dos países que menos apostou no investimento público estratégico (são tipicamente alérgicos ao investimento público, como se sabe). Não haverá por aí um ultra-liberal que queira explicar este mistério?

    Gostar

  35. Titan permalink
    9 Dezembro, 2009 19:35

    “Os problemas dos EUA são incompreensíveis. Os EUA foi dos países que menos apostou no investimento público estratégico (são tipicamente alérgicos ao investimento público, como se sabe).”

    Excepto quando é investimento militar.

    “Não haverá por aí um ultra-liberal que queira explicar este mistério?”

    Excesso de abertura económica ao exterior e padrões de consumos demasiado altos.

    Gostar

  36. Titan permalink
    9 Dezembro, 2009 19:39

    *consumo

    Gostar

  37. Eleutério Viegas permalink
    9 Dezembro, 2009 19:57

    #2 (Janeka) e #35 (Fv) (por exemplo, estes dois paladinos do “investimento” público:

    Vão aprender economia e depois apareçam. O chamado “investomento” público só funciona em economias pouco abertas ao exterior. Nem os Estados Unidos, hoje em dia, o são. Esta política só funcionaria no presente se todo o Mundo, mas mesmo todo a aplicasse no mesmo grau. E deixaria sequelas e vícios, como aconteceu no New Deal de Roosevelt.

    Gostar

  38. 9 Dezembro, 2009 20:16

    Isto é tudo muito engraçado mas passa ao lado do essencial. É que o João Miranda fez anos e ninguém deu os parabéns 🙂

    Gostar

  39. mussulo permalink
    9 Dezembro, 2009 20:25

    Eh pá a Grécia está no centro das atenções há duas semanas devido à explosão do seu défice público, que segundo as previsões deverá atingir os 12,7 por cento do produto interno bruto (PIB), e da sua dívida pública, esperada nos 113 por cento do PIB no final do ano. Vocês só têm 8% e a dívida vai só até 80% do PIB, felizardos.
    Gozem mais um bocadinho. A grécia ficou assim porque não teve a sorte de ter um presidente do conselho como vós, não tenham medo ele leva-vos por bom caminho e nós daqui de longe a ver. Não se preocupem, no cuando cubango alguns de vocês, os que tiverem licença e estofo para cá chegar, ainda podem comer uns mamões.
    Aqui não aceitamos os das novas oportunidades, já cá temos muitos.

    Gostar

  40. zé da burra permalink
    9 Dezembro, 2009 21:15

    # 40, ó mussulo, tu tens tempo entre dois banhos na praia para saberes disso. Toma lá mais: “Em Espanha, os juros das obrigações a dez anos sobem 8 pontos base para 3,815%. Em Portugal, avançam 10 pontos base para 3,87% e na Grécia avançam 24 pontos base para 5,575%. Na segunda-feira a “yield” das OT portuguesas a 10 anos situava-se nos 3,753%, pelo que em dois dias subiram mais de 12 pontos base”.
    Deixo uma pergunta: “Eu e a minha burra também podemos ir para o cuando cubango?”

    Gostar

  41. Pai Nóço permalink
    9 Dezembro, 2009 21:21

    Portugal foi dos primeiros países da UE a sair da crise e o primeiro a voltar a entrar.

    Gostar

  42. al harem permalink
    9 Dezembro, 2009 21:30

    #42, ó pai noço, é sem acento. Claro faltavas às aulas das NO, malandro. Foste tu que rebeste a visita do presidente do conselho que te pôs uma medalha ao peito? A tua brilhantina reluzia nos ecrans da tv1. Não deste a entrevista á eduarda maio, ou à fatinha? O que tu perdeste. Vá lá, o luià delgado ainda te acenou com o dedo lambuzado, manganão. A sorte não é para todos.

    Gostar

  43. lucklucky permalink
    9 Dezembro, 2009 22:26

    “Os problemas dos EUA são incompreensíveis. Os EUA foi dos países que menos apostou no investimento público estratégico (são tipicamente alérgicos ao investimento público, como se sabe). Não haverá por aí um ultra-liberal que queira explicar este mistério?”

    Está mal informado, não são alérgicos ao investimento publico.
    Até têm um aeroporto quase sem passageiros: http://online.wsj.com/article/SB10001424052970204409904574350801854137702.html

    Gostar

  44. Lusitânea permalink
    9 Dezembro, 2009 22:47

    Para Portugal sair da crise tinham que cortar metade dos “eleitos” e dos seus “assessores”, reduzir concelhos, freguesias,expulsar os ilegais e criminosos nacionalizados,cortar subsídios a quem nunca trabalhou,repor em funcionamento o CPPenal do antigamente(que nunca falhava…),criar um serviço secreto operacional para endireitar quem precisasse de amparo
    Acesso à função pública só com concurso geral, exames de admissão.Extinguir serviços(o das minorias era logo o 1º)e muitas coisas “culturais”.Mérito para a frente.Função pública 100% profissional desde porteiro a Director Geral.Pena de expulsão sumária para ladrões e infiéis.
    Toda a minha gentinha a cantar o hino nacional logo pela manhã…nas escolas…

    Gostar

  45. Lusitânea permalink
    9 Dezembro, 2009 22:55

    Para já acabar com as obras elefantes brancos sem utilidade futura(isso do TGV não ser para carga dá que pensar…, vender a TAP,RTP(um canal de svç público chega na RTP/RDP).Deixar os cidadão enriquecer para poderem investir, coisa impossível para cidadãos honestos…

    Gostar

  46. dups?sóosbichados permalink
    9 Dezembro, 2009 23:31

    E AS ESCUTAS VAMOS OUVIR QUANDO ? QUEREMOS OUVIR AS ESCUTAS AGORAAAA!!
    QUEREMOS O XEQUE-MATE A SOCRATES JÁÁÁÁÁÁÁÁ

    Gostar

  47. 10 Dezembro, 2009 00:07

    Lucklucky #44,

    Obrigado pelo fantástico link. Digno de Sir Humphrey Appleby(*).

    (*) – Digníssimo Secretário Permanente do Ministério dos Assuntos Administrativos chefiado(?!) por Jim Hacker em “Yes, minister”.

    Gostar

  48. Zenóbio permalink
    10 Dezembro, 2009 00:17

    “O Dubai não é diferente da Grécia ou Portugal, a Islândia acontece em qualquer lado onde os Bancos invistam mal…quem lá depositou fica sem dinheiro…”

    Os bancos podem investir mal o dinheiro alheio, mas os banqueiros nunca se enganam a investir o dinheiro próprio. Viva o capitalismo.

    Gostar

  49. dups?sóosbichadosao3 permalink
    10 Dezembro, 2009 12:04

    PARAAAAAA TUUUUDDOOOOOOOO
    PÁRA TUDO !!!! PAREM TODOS OS PAPOS !!!!

    AGORA SÓ DESCANSAMOS E SÓ ESCREVEMOS COISAS NOVAS DEPOIS DO XEQUE MATE

    AGORA SÓ HÁ UMA COISA QUE INTERESSA …É O XEQUE MATE A SOCRATES !!!

    QUEREMOS AS ESCUTAS CÁ FORA AGOOOOORRRRAAAAAAAAAAAAAA!!

    SOCRATES PRA RUAAAAAAAAAAAAAAA AGOOORRRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA !!!!

    XEQUE MATE A SOCRATESSSSSS

    AS ESCUTAAAASSSSSS QUEREMOS SABEEEEERRRRR TUUUUUUUDDDDOOOOOOOOOOO !!!! AGOOORRRAAAAAA!!!!!

    JÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ´!

    Gostar

  50. Tribunus permalink
    10 Dezembro, 2009 18:00

    E como julgam que está o governo portugues do socrtaes e do teixeira? aldrabaram até lhes dor as mãos, como vão resolver o orçamento de 2’010 em transito para o 2011?

    Gostar

  51. Platinado permalink
    10 Dezembro, 2009 21:43

    trémulo ..amarelo ..visivelmente irritado Socrates atira com um cinzeiro de cristal maciço contra Vara ..este retorque rogando-lhe zilhões de perdões ..
    cada vez mais amarelo..e tremulo ..Socrates dá mais uma cheirada antes de voltar a inquirir Vara ..
    Onde estão as escutas ? grita !! Eu quero essas escutas na minha mão ..Imbecil ..dei-te confiança ..ensinei-te todo o caminho das pedras ..mas só te dás com vadios ..cretinos ..imbecis ! e agora ? E AGORA?
    Hã ? Responde ..ou quem te vara sou eu !!
    nervoso ..dá mais uma cheirada ..e grita ..ahhh..vá tudo para o inferno dane-se as escutas ..dane-se ..eles que venhammmm

    Gostar

  52. grouchomarx permalink
    10 Dezembro, 2009 22:33

    O que está a acontecer à Grécia pode ser bom para Portugal por inviabilizar o financiamento de grandes projectos inviáveis / dementes só bancáveis à custa da t. do Estado.

    grouchomarx

    Gostar

Trackbacks

  1. O mistério grego « O Insurgente

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: