Saltar para o conteúdo

Isto será a ética republicana?

17 Novembro, 2010

«Um jovem de 26 anos, sem currículo profissional nem formação de nível superior, foi contratado, em Dezembro, como assessor técnico e político do gabinete da vereadora Graça Fonseca na Câmara de Lisboa (CML). Remuneração mensal: 3950 euros ilíquidos a recibo verde. Desde então, o assessor – que estava desempregado, fora funcionário do PS e candidato derrotado à Junta de Freguesia de Belém – acumulou esse vencimento com cerca de 41.100 euros de subsídios relacionados com a criação do seu próprio posto de trabalho. Filho de um funcionário do PS que residiu até 2008 numa casa da CML com uma renda de 48 euros/mês, Pedro Silva Gomes frequentou o ensino secundário e entrou muito novo para os quadros do partido. Em 2006 foi colocado na Federação Distrital de Setúbal, onde se manteve até meados de 2008, ano em que foi reeleito coordenador do secretariado da secção de Santa Maria de Belém, em Lisboa. Entre os membros deste órgão conta-se a vereadora da Modernização Administrativa da CML, Graça Fonseca.»

Anúncios
59 comentários leave one →
  1. 17 Novembro, 2010 09:19

    living the dream…

    Gostar

  2. 123 permalink
    17 Novembro, 2010 09:41

    Mas … é melhor tratá-lo bem que pode vir a ser o novo socrates. Mais vale acrescentarem aos cursos das novas oportunidades as disciplinas de comissário político, gestão de carteiras de interesses.
    Depois a culpa do buraco é dos funcionários públicos …

    Gostar

  3. campos de minas permalink
    17 Novembro, 2010 09:47

    achamos toidos muito justo!
    a inveja também é predicado liberal?!

    Gostar

  4. Por outra permalink
    17 Novembro, 2010 09:51

    Isso é que é nascer e medrar de cu pra cima na máquina predadora do partido.
    E os contribuintes todos serão poucos, pensionistas e desempregados incluídos, para prover à engorda de uma tal famelga assim tão bem construída.
    Mas não há deus, não não pode haver, como é provado.
    Quanto mais justiça, agora!

    Gostar

  5. Antonio Maria permalink
    17 Novembro, 2010 10:05

    É por estas que “eles” não querem cá o FMI

    Gostar

  6. Sebastião Coelho permalink
    17 Novembro, 2010 10:21

    Quantas situações semelhantes estarão espalhados pelo país?

    Gostar

  7. 17 Novembro, 2010 10:38

    Casos como esse há às resmas, pelos diferentes partidos no poder, pelos mais diversos países.
    É legal ou não?
    Se calhar é só mesmo inveja.

    Gostar

  8. Imbejoso permalink
    17 Novembro, 2010 10:40

    É um predicado humano. O sentido das proporções também o devia ser.

    Verde de inveja e vermelho de raiva.

    Gostar

  9. será permalink
    17 Novembro, 2010 10:41

    Irlanda está mais perto de uma ajuda europeia, Portugal mais longe
    zuruck zu zé mario branco!

    Gostar

  10. Pedro Frederico permalink
    17 Novembro, 2010 10:45

    Bom dia, o primeiro comentário é revelador…inveja deveria ter o senhor de não ter a consciência tranquila, aliás quando defende um comportamento, que é claramente criminoso, só posso estar diante duma pessoa baixa, reles, anormal, no fundo a caracterização dos defensores acérimos deste PS…o senhor gosta de votar e viver na merda…faça bom proveito e limpe os cantos da boca sff…

    Gostar

  11. balde-de-cal permalink
    17 Novembro, 2010 10:50

    ‘novas oportunidades’ á zé sapatilhas, o pedinte-mor deste fascismo.
    o exemplo incentiva qualquer estudante do gulag socialista em que os ainda contribuintes foram colocados.

    Gostar

  12. campos de minas permalink
    17 Novembro, 2010 10:55

    defensor mouro ‘acérimo’ como disse?;antes de fazer desenhos vá para a escola aprender português…

    Gostar

  13. Jose Domingos permalink
    17 Novembro, 2010 11:00

    Existem povos, que nascem para ser tapetes, os povos miseráveis, também, podem vender a mãe, várias vezes, se isso der lucro.
    Depois, dizem que é inveja.

    Gostar

  14. 17 Novembro, 2010 11:10

    Será que daqui a alguns meses, se a cor governativa mudar, vamos continuar a ter aqui a apresentação de casos semelhantes?
    Porque estes, de certeza que vão continuar!

    Gostar

  15. Tiradentes permalink
    17 Novembro, 2010 11:19

    Deve ser inveja que uns acrescentam “i” e outros faltam com “r”.
    A velhas oportunidades e a moral do filho de muitos pais a todo o vapor .
    Agora até querem legalizar a moral.

    Gostar

  16. lucklucky permalink
    17 Novembro, 2010 11:38

    Quando se tira livremente, sem limites o dinheiro dos outros tudo é possível.

    Gostar

  17. J CASTILHO permalink
    17 Novembro, 2010 11:52

    O Cerejo, que andava calado há já muito tempo, para justificar o que o que o Público lhe paga como caçador de PS’s encontrou uma nova vítima , um assessor de uma vereadora! Falta agora descobrir quer ele é primo de uma afilhada do Sócrates e que tem no seu PC o mail do PM, o que poderá certamente significar uma ligação ao processo “Face Oculta ” e talvez mesmo ao “Freeport”!
    Claro que a D. Helena, o Sr. Caá e o criador do Cerejo o despedido jmf , assim como toda a matilha , vão espumar de raiva e de gozo e terão orgasmos virtuais lendo, transcrevendo e comentando as novas aventuras do cerejal! Aguardam-se as novas e sensacionais descobertas deste brilhante jornalista de investigação, glória das letras portuguesas!

    Gostar

  18. 17 Novembro, 2010 11:55

    Juízos de moral sobre os proventos (abstraindo a legalidade),
    depende do mural da igreja.

    Gostar

  19. 17 Novembro, 2010 12:03

    Mais uma vez comentar para quê? quando nós vemos coisas destas que nos atiraram para o buraco em que estamos metidos e ainda aparecem “senhores” a querer defender a situação com argumentos do género como inveja,se lá estivessem outros faziam o mesmo,até revolta ouvir ou ler esta gente.Não é inveja,é denunciar situações que nos deprimem,e o facto de outros fazerem o mesmo não desculpa estes,portanto,sejam uns ou outros,há só um caminho para ver se nos juntamos aos melhores e esse caminho só pode ser um:correr com todos aqueles que não respeitem o bom funcionamento da administração dos nossos impostos,por isso,eu sou daqueles que defendem a responsabilização criminal.

    Gostar

  20. campos de minas permalink
    17 Novembro, 2010 12:03

    ao lado do que o sr jardim faz na madeira essa vulgo gratia é risível

    Gostar

  21. será permalink
    17 Novembro, 2010 12:11

    revolta muita gente(como o MSTavares no expresso último) ver a falta de reacção de gente como a aqui indignada, ao exemplo feio do jardim joão da madeira. Enfin…

    Gostar

  22. será permalink
    17 Novembro, 2010 12:11

    é o caso do PR, do PM, da helena matos….

    Gostar

  23. 17 Novembro, 2010 12:20

    O simples facto de haver aqui mais pessoas a justificarem esta descrição factual, como “perseguições” ou “procedimentos de qualquer partido”, do que as manifestações de repúdio que a existência destes parasitas no aparelho do Estado merece, só prova que, muito mais cedo do que tarde, termos a guerra civil que temos vindo a adiar. E logo se verá o que renascerá das cinzas.

    Gostar

  24. Fredo permalink
    17 Novembro, 2010 12:23

    Esses comentários revelam uma mentalidade.
    Quando, pelos vistos, uma maioria tem inveja de comportamentos criminosos, que pode o que resta de são fazer?

    Gostar

  25. ricardo permalink
    17 Novembro, 2010 12:31

    O que nos resta fazer é dizer aos nossos filhos para emigrarem.
    Depois de expulsarem todos os que pagam impostos e produzem riqueza, os vígaros ficam cá a roubar uns aos outros. É o Haiti da UE.
    Façam bom proveito e divirtam-se.

    Gostar

  26. Zundy permalink
    17 Novembro, 2010 13:07

    J CASTILHO, já vi o Cerejo a escrever sobre muitos do Isaltino, do Loureiro ou à Fátima Felgueiras. Mas claro, o grupo de pulhas do qual você parece fazer parte não apreciam que ainda haja jornalistas em Portugal.

    Gostar

  27. JJ Pereira permalink
    17 Novembro, 2010 13:51

    Num regime de quadrilhas ( eufemìsticamente apodadas de “partidos”) nada disto é de estranhar.
    Basta olhar para o reles charlatão que aqui passa por, sem ninguém se rir, “primeiro-ministro”…
    Como povo – e com breves intermitências – sempre nivelámos por baixo , com os brilhantes resultados que estão à vista de todos.

    Gostar

  28. Por outra permalink
    17 Novembro, 2010 14:49

    É inveja, diz um e o outro. Inveja e raiva. E bem diz a escória que governa, dos partidos que governam, em maçonaria e opus. Trafulhas, ladrões, sanguessugas, mafiosos. Que não falta disto noutros países iguais e noutros partidos da mesma cepa. A dizer que nãó rouba é quem é parvo. E é mentira. Países e povos existem, ao que consta, por essa Europa acima, onde a gente é por natureza honesta. Natureza e cultura.
    Enquanto nós, cá, diz outra, temos é inveja. Não devíamos.
    Como desgraçado a quem roubam a loja, os velhotes a quem larápios socialistas e social-democratas, engaam com a do vigário, ficam fulos de raiva e de inveja. E não deviam.
    Pois que até devíamos louvar. Maioria de nós é ladrão, é tachista, votante PS ou PSD, e logo devia alegrar-se com o roubo dos pulhas.
    E enquanto sem parar a pocilga dos porcos engorda, é Portugal que se afunda na gamela de tachistas. Da famelga que a mesma Itália persegue e prende, farta que já está dela, enquanto cá se apela à entrada na confraria.
    E feitos estamos, f… que baste de varas, de sókas, felgueiras, mais tais jovens boys, além dos hortas e loreiros.

    Gostar

  29. José Martins permalink
    17 Novembro, 2010 15:02

    se duvidas houvesse bastava ler estes comentários para perceber que somos um povo ingovernável.
    venha alguém de fora, e rápido, por favor, para fazer esse serviço.
    Que tristes somos.

    Gostar

  30. Simão permalink
    17 Novembro, 2010 15:21

    “É por estas que “eles” não querem cá o FMI”

    Como se o FEEF/FMI fosse resolver questões destas.
    Vê-se. Na Grécia.

    Gostar

  31. lucklucky permalink
    17 Novembro, 2010 15:38

    “somos um povo ingovernável.”
    Não percebo porque diz semelhante coisa. O caminho para a bancarrota foi seguido sem sobressaltos com apoio de um povo obediente e corrompido.

    Gostar

  32. quim-da-loja permalink
    17 Novembro, 2010 15:39

    Há que marcá-los para, mais tarde, acertá-los. Contas são contas!

    Gostar

  33. Lionheart permalink
    17 Novembro, 2010 16:01

    É a ascensão social em Portugal. O pior é quando estes “mocinhos” chegam ao governo e depois pagamos todos pela sua “sapiência” e “ética republicana”. Mas também queixamo-nos do quê? Qualquer pessoa com três dedos de testa percebe que o Sócrates comprou um diploma de ensino superior e mesmo assim o eleitorado reelegeu-o. Aliás, seria interessante saber qual é o juízo dos portugueses perante esta atitude. Quantos fariam o mesmo se pudessem ter um “curso” superior e usar o “título” sem ter tido de estudar, aprender e prestar provas? Suspeito, até pela “vox populi” que ouvi, que não traz grande desaprovação social…

    Gostar

  34. Farto deles todos permalink
    17 Novembro, 2010 16:11

    Pior do que o facto relatado de mais uma malfeitoria deste PS, são os comentários daqueles que ainda defendem os responsáveis que criam estas Situações e aqui englobo os que nomeiam e os que são nomeados pois estão bem uns para os outros. Assim como estão ao mesmo nível deles os comentadores que não têm pejo nem vergonha de defender estas aberrações, onde indivíduos que mais não são que comissários políticos, sem preparação para a função, auferem vencimentos muito superiores aos de técnicos altamente qualificados e sem passarem pelo crivo dos concursos públicos.

    Gostar

  35. 17 Novembro, 2010 17:21

    Engraçado … se fizerem uma analisezinha … A Inês Medeiros tem um CV semelhante … Contudo sempre a ocupar cargos de chefia aqui Y ali! Qualquer dia è Ministra da Cultura! F-Se!
    Muitos actores à neste PT a representarem papéis de Funcionários Públicos.

    Gostar

  36. 17 Novembro, 2010 17:21

    Engraçado … se fizerem uma analisezinha … A Inês Medeiros tem um CV semelhante … Contudo sempre a ocupar cargos de chefia aqui Y ali! Qualquer dia è Ministra da Cultura! F-Se!
    Muitos actores há neste PT a representarem papéis de Funcionários Públicos.

    Gostar

  37. 17 Novembro, 2010 17:33

    E ninguém se demite????
    Colados aos tachos…a roubar descaradamente o povo que paga impostos

    Gostar

  38. Minhoto permalink
    17 Novembro, 2010 18:20

    Lionheart,

    Na moiuche! No outro dia estava eu a dissertar, num almoço bem regado com Vinhão, sobre o estado da arte em Portugal e apontei para algumas coisas que pensava eu poderiam melhorar a situação.Estava na mesa uma pessoa mais experimentada da vida do que eu, que rematou logo a dizer que por muito que isto mudasse as pessoas eram as mesmas…Daqui a algum tempo espero emigrar para outro país por um tempo indeterminado.

    Gostar

  39. AZI(A)TICO permalink
    17 Novembro, 2010 18:49

    Já dizia o turista embevecido com as coisas bonitas que via em Portugal quando questionado no seu país.
    “Portugal é um bonito país mas tem um inconveniente: vivem lá portugueses !!!

    Gostar

  40. Anti Socialista permalink
    17 Novembro, 2010 19:22

    Não senti qualquer admiração, no estado de miséria moral em que a nossa população se encontra só uma ditadura poderia pôr um termo ao regabofe que anda pelo poder local. Uma parte preocupante dos portugueses está-se nas tintas para investir no sector privado, mas ansiosa pelo cargo na Função Pública: basta constatar como temos os nossos melhores terrenos agrícolas abandonados, enquanto espanhóis e outros europeus investem com muito sucesso no Sul do país, no azeite ou no vinho, e isto é só um exemplo. A mão caridosa do Estado é um cancro que gerou preguiça, comodismo, ócio, só um tratamento de choque poderá agora debelar a doença. Que venha o FMI!

    Gostar

  41. Euroliberal permalink
    17 Novembro, 2010 19:25

    Quando um bardamerdas inginheiro-de-fax-aos-domingos-numa-universidade-pimba chega a primeiro ministro, é natural que todos os bardamerdas sem currículo que andam a roçar o cu pelas esquinas, se julguem com direito a tais “novas oportunidades”…

    Gostar

  42. Anti Socialista permalink
    17 Novembro, 2010 19:29

    Minhoto, Portugal precisa de um revolução cultural, infelizmente algumas das boas coisas herdadas do Estado Novo, como o espírito de sacrifício, a frugalidade, a capacidade de poupança ou a exigência na Instrução foram varridas pela Esquerda após o 25 de Abril. É mister que essa revolução parta de cima, ou seja, do poder político a nível central, pois nunca terá início no cidadão comum, não temos sociedade civil para algo como o movimento Tea Party. Mas para isso seria necessário que os três principais partidos democráticos- o PS, o PPD/PSD e o CDS/PP- sofressem uma renovação radical, que implicasse cortes com o poder local, com interesses de algumas classes profissionais e acima de tudo com a agenda de alguns grupos económicos.

    Gostar

  43. Anti Socialista permalink
    17 Novembro, 2010 19:34

    O socialismo e a social-democracia não funcionam muito em particular nas sociedades da Europa do Sul, como Portugal, Espanha ou Itália, precisamos de um modelo político, social e económico que se adapta às nossas particularidades culturais, para que assim possamos atingir os níveis de desenvolvimento económico, científico e cultural dos restantes países do Ocidente. Dadas as particularidades do nosso modo de estar, quando o Estado aumenta é certo e sabido que a corrupção é inevitável, mais ainda que numa Suécia, Noruega ou Alemanha: gera-se a «economia dos afectos», muita típica de países meridionais que enveredam pelo socialismo. A melhor solução para o nosso país é algo entre o liberalismo anglo-saxónico e a social-democracia cristã.

    Gostar

  44. L M D permalink
    17 Novembro, 2010 20:20

    Se casos destes não acontecessem, é que eu me admirava, sempre houve, e sempre há-de haver tachos para os amigos, seja qual for o partido do poder.

    Gostar

  45. campos de minas permalink
    17 Novembro, 2010 20:53

    isto é como nas partilhas pós divórcio: quem mais roubou,mais ganhou!

    «O deputado requereu à ministra, através do presidente Assembleia da República, que o informe também sobre as “medidas que já providenciou para averiguar da legalidade” desta situação. Por último, Mota Soares pergunta se, “a ser verdade” aquilo que o PÚBLICO noticiou, a ministra entende tratar-se de “uma boa aplicação dos dinheiros públicos”.

    Conforme o PÚBLICO referiu, o Conselho Directivo do Instituto do Emprego e Formação Profissional já determinou aos seus serviços de auditoria a realização de uma averiguação sobre o caso. O assessor de imprensa da ministra informou também, por escrito, que o Centro de Emprego do Montijo, cidade em que está sediada a empresa criada pelo assessor Pedro Gomes com os 41.100 euros de subsídios que recebeu até agora, já propôs “a notificação do promotor, face ao eventual incumprimento e consequente necessidade de restituição dos valores recebidos”.

    A proposta do Centro de Emprego foi feita na sequência de uma visita à sede da empresa Construway, que está localizada na residência de Pedro Gomes, no passado dia 9, um dia depois de o PÚBLICO ter questionado o assessor da ministra sobre a acumulação ilegal de subsídios e sobre o facto de a empresa apoiada pelo IEFP não ter qualquer actividade. Na resposta enviada esta semana, o gabinete da ministra diz que na visita realizada no dia 9 “não foi possível aferir da situação da empresa nem da manutenção dos postos de trabalho” cuja criação foi também objecto do subsídio estatal.

    Já em 15 de Abril deste ano, segundo a mesma fonte, o Centro de Emprego do Montijo tinha visitado a sede da Construway, “onde não foi possível averiguar a manutenção dos postos de trabalho nem se as instalações se encontravam abertas”. Doze dias depois, especifica a nota preparada pelo presidente do IEFP, Francisco Mandelino, e remetida pelo assessor de imprensa de Helena André, Pedro Gomes “justificou-se no Centro de Emprego, afirmando que pelas características da empresa (no domínio das instalações eléctricas) o trabalho se situava fora das instalações”.

    A mesma nota não refere se foi feita alguma acção de fiscalização no local onde o alegado trabalho se situava, nem se houve alguma confirmação documental de pagamentos por ela recebidos ou efectuados, mas informa que em 18 de Junho de 2010 foi efectuado o pagamento de mais uma parcela dos subsídios concedidos para investimento na Construway, no valor de 12.593 euros.»
    in público

    Gostar

  46. beirão permalink
    17 Novembro, 2010 21:37

    E ainda há quem defenda estes ladrões? Pobre Portugal, pobre povo, lamentavelmente, temos o que merecemos…

    Gostar

  47. beirão permalink
    17 Novembro, 2010 21:40

    A Justiça é independente dos partidos e do governo. Onde está o PGR? Já foi levantado algum inquérito? Se não foi, demita-se o PGR.

    Gostar

  48. Simão permalink
    17 Novembro, 2010 21:44

    “…boas coisas herdadas do Estado Novo, como o espírito de sacrifício, a frugalidade, a capacidade de poupança ou a exigência na Instrução foram varridas pela Esquerda após o 25 de Abril. ”

    Xiiiiuuuu!
    Nada de dizer isso!
    É faxxxismo!
    🙂

    Gostar

  49. Xico das Nêsperas permalink
    17 Novembro, 2010 22:00

    «…(no domínio das instalações eléctricas) o trabalho se situava fora das instalações”».
    Tudo gente com maldade, então não está a vista que o homem anda a instalar cabos por fora!

    Gostar

  50. Xico das Nêsperas permalink
    17 Novembro, 2010 22:01

    Não tarda muito e está a aprender artes marciais no cu de judas.

    Gostar

  51. Licas permalink
    17 Novembro, 2010 22:25

    Piscoiso
    Posted 17 Novembro, 2010 at 10:38 | Permalink
    Casos como esse há às resmas, pelos diferentes partidos no poder, pelos mais diversos países.
    É legal ou não?
    Se calhar é só mesmo inveja.

    _________________-

    Segundo este Piscoiso CRÁPULA o mérito para ocupar um lugar (até bem pago . . .)
    de nada vale : com aquele *curriculo* , BEM !!!
    ELE, COMO RATO DO LARGO, tem de primar por defender o TREPA-TRAPALHADORES
    (misto de trepador e de trapalhão).

    Gostar

  52. Nuno permalink
    18 Novembro, 2010 02:29

    Quando leio FP não sei de de trata de “funcionário público” se de “filho da puta”. Para simplificar, para mim, ambos são filhos da puta.
    A propósito, o presidente da república é funcionário público?

    Gostar

  53. Tiradentes permalink
    18 Novembro, 2010 09:26

    O mural das capelinhas legais está podre e fétido independentemente de qualquer juízo.
    É aliás essa horda de vermes que decreta (legaliza) que uma fossa asséptica passe a ser uma piscina olímpica de águas límpidas em contraponto com o fedor moralista sobre a moral dos outros.
    É deste betume de bosta que os crentes legais se alimentam.
    A dívida soberana, a externa , a produtividade, a falência etc e tal são apenas pormenores dos vapores da legalidade dessa massa informe de vermes.

    Gostar

  54. Quim da Vila permalink
    18 Novembro, 2010 09:55

    Ora aqui está um belíssimo exemplo de um país democrático, evoluído e primeiro-mundista!!! As oportunidades são para todos onde o talento e a aptência técnica se sobrepõe ao berço… Já agora, eu tenho uma prima que por sua vez é vizinha de um tio afastado do Senhor ‘Ingenheiro’…. Será que posso reinvindicar um cargo de acessoria para mim também…? É que isto de estudar, trabalhar e ser pai ao mesmo tempo sem direito a qualquer subsídio é muito giro mas é….pouco gratificante!

    Gostar

  55. António Lemos Soares permalink
    18 Novembro, 2010 12:17

    Isto não será a «ética republicana», coisa que, em abono da verdade, ninguém faz ideia do que seja.
    O que parece ser, é antes a «ética dos nossos republicanos».
    Atitude habitual, que começou a 5 de Outubro de 1910, a qual, permanece inabalável, ao fim de 100 anos.
    Como explicou António Silva no filme «Leão da Estrela», ao seu comparsa do Porto, que o hospedava gratuitamente: – «O que é teu, é nosso; o que é meu, é meu».

    Gostar

  56. 18 Novembro, 2010 15:03

    Oh Nuno cada um sabe da mãe que tem, não queiras fazer da tua exemplo para a nação.
    Neste post tratasse de um prestador de serviços nenhum fp ganha 3950€.
    No entanto o problema não é só de uma cor, senão informem-se acerca dos prestadores de serviço na CML dos partidos da oposição, exemplo a ex-vereadora social-democrata condenada em tribunal e a prestar serviço no gabinete Santana, ou os existentes no do CDS ou ainda os do PCP.
    Quanto ao gabinete de onde é oriundo o contrato tão falado, digamos que estamos a falar de uma árvore na floresta, o José António Cerejo que escave um bocadinho mais e vai descobrir os outros ratos do largo.

    Gostar

  57. 18 Novembro, 2010 16:10

    Brasil, Estado laico? Crucifixos proibidos no Corpo de Bombeiros de Tatuí/SP: http://t.co/bD9FA08

    Gostar

Trackbacks

  1. Palavrinha | Os Cafeínicos

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: