Saltar para o conteúdo

As crianças deles

13 Setembro, 2011

Esta publicação que vem encartada no PÚBLICO e não sei se mais algum jornal é um belo exemplo daquilo a quem em Portugal se chama falar das crianças, da escola e da educação. Na capa Mário Nogueira que lá dentro tem direito a entrevista em página dupla. Outra dupla para a Federação Nacional da Educação e ainda outra para o Sindicato Nacional e Democrático dos Professores. O Sindicato dos Professores da Grande Lisboa, o Sindicato dos Professores do Norte, o Sindicato dos Técnicos Administrativos e Auxiliares de Educação Sul  e Regiões Autónomas também têm a entrevista em página dupla. Mais modestos o   Sindicato Independente de Professores e Educadores,  o Sindicato dos Professores da Região dos Açores cujo modelo educativo é considerado “um modelo”  e a Associação de Professores de Ensino Particular e Cooperativo em Contrato de Associação ficam-se por entrevistas de uma página. O que falta é preenchido por uma espécie de publi reportagens a um externato  e similares donde o mais relevante ainda são os conselhos da Associação de Licenciados de Optometria sobre a miopia nas crianças. Tudo isto é devidamente acompanhado por anúncios das instituições dos entrevistados sendo que dos sindicatos  quase não se encontram anúncios mas sim estas abelhinhas com dizeres poéticos como Semear, Colher, Cultivar………….

Enfim cada um tem o direito de publicar o que quer, os sindicatos têm de preparar a opinião pública para a contestação que vão fazer (duvido que além da mim que colecciono estas publicações encartadas mais alguém leia estes pastéis mas esse é outro problema) mas chamar “Mundo da Criança”  a uma coisa com o Mário Nogueira na capa é uma coisa para qual ninguém está preparado!

Anúncios
41 comentários leave one →
  1. 13 Setembro, 2011 12:09

    Desta vez concordo consigo.
    Não tenho nada contra o Mário Nogueira, mas aquela foto, tipo bilhete de identidade numa capa, é um grafismo muito básico.
    É uma foto que apenas ficará bem pendurada na sua (dele) sala de jantar, por cima do aparador.

    Gostar

  2. 13 Setembro, 2011 12:15

    Ainda se a revista trouxesse um cheque-ensino encartado, mas assim é inadmissível.

    Gostar

  3. 13 Setembro, 2011 12:27

    Vão continuar a lutar por um modelo de avaliação que não tenha efeitos nenhuns. E isto só porque, ser contra a avaliação é não ser “politicamente correcto”.
    http://notaslivres.blogspot.com/2011/09/avaliacao-docente-e-inutil.html

    Gostar

  4. esmeralda permalink
    13 Setembro, 2011 12:29

    Ninguém está preparado mesmo. Sabem lá o que é lidar com uma escola, com crianças, com turmas enormes, com falta de autoridade!

    Gostar

  5. 13 Setembro, 2011 12:32

    NÃO E PREOCUPEM TUDO O QUE CONHECEMOS ESTÁ A ACABAR..DE VEZ…
    http://bulimunda.wordpress.com/2011/09/13/absolutely-nothing-o-que-nos-espera-nos-proximos-anos-ou-decadas/

    Gostar

  6. 13 Setembro, 2011 12:36

    O PAÍS ONDE SE OPEROU UMA REVOLUÇÃO ESCOLAR SEGUNDO A CARTILHA LIBERAL DA CONCORRÊNCIA…LEIA E SOCORRAM-SE DO GOOGLE TRASNLATOR SE NECESSÁRIO..
    Swedish-style ‘free schools won’t improve standards’

    The Conservatives’ flagship education policy was last night dealt a blow by the man who runs Sweden’s schools

    reddit this
    Comments (17)

    Jessica Shepherd
    guardian.co.uk, Tuesday 9 February 2010 11.59 GMT
    Article history

    Michael Gove
    ‘We have seen the future in Sweden and it works,’ said Michael Gove in 2008. Photograph: Sutton-Hibbert

    The Tories’ flagship education policy to create thousands of Swedish-style “free schools” will not improve standards, the man who runs Sweden’s schools said last night.

    Hundreds of parent groups have expressed interest in setting up the schools, which are funded by the state but are independent of town hall control and run by independent organisations.

    But Per Thulberg, director general of the Swedish National Agency for Education, said the schools had “not led to better results” in Sweden.

    Michael Gove, the shadow education secretary, believes that by establishing up to 2,000 of these schools, parents would have more choice and existing schools would be forced to improve.

    But Thulberg told BBC’s Newsnight programme that where these schools had improved their results, it was because the pupils they took had “better backgrounds” than those who attended the institutions the free schools had replaced.

    He said: “This competition between schools that was one of the reasons for introducing the new schools has not led to better results. The lesson is that it’s not easy to find a way to continue school improvement. The students in the new schools have, in general, better standards, but it has to do with their parents and backgrounds. They come from well-educated families.”

    http://www.guardian.co.uk/education/2010/feb/09/swedish-style-schools-wont-raise-standards

    11 de Setembro de 2011 13:17

    Gostar

  7. A. C. da Silveira permalink
    13 Setembro, 2011 12:42

    Que legitimidade tem o PCP (que teve cerca de 8% dos votos nas ultimas eleições) para atraves do seu comissario politico Mario Nogueira, querer impor as politicas de educação que defende, e que foram copiosamente derrotadas nas urnas? Quando é que acabam com este “filme” em que os dirigentes sindicais que são em grande parte funcionarios do PCP, são eleitos por meia duzia de camaradas, e não representam minimamente quem dizem representar? E ainda por cima pagos pelo erário publico.
    A vida sindical em Portugal, é mais uma das distorções da Democracia herdadas do PREC, e que ninguem tem coragem para corrigir. Não há duvidas que os sindicatos fazem parte da vida democratica de um país. Mas não é para impor à sociedade propostas que foram derrotadas nas eleições. O PCP vale menos de 10% dos votos, mas tem uma influencia na vida dos portugueses como se tivesse 30 ou 40%. Até quando?

    Gostar

  8. 13 Setembro, 2011 12:52

    Que eu saiba, o tal de Nogueira não foi eleito pelos votos do PCP,
    mas pelos associados do sindicato.

    Gostar

  9. Fredo permalink
    13 Setembro, 2011 13:09

    Desta vez discordo completamente.
    O mundo da criança é o mundo do maravilhoso, da inocência, da irresponsabilidade, da infância, da criancice.
    O senhor Mário Nogueira incorpora isto perfeitamente.

    Gostar

  10. A. C. da Silveira permalink
    13 Setembro, 2011 13:34

    Piscoiso,
    Foi eleito por quantos associados do sindicato? pelos camaradas da direcção, e pelos professores comunistas. Foi eleito por uma minoria militante.

    Gostar

  11. Dédé permalink
    13 Setembro, 2011 13:40

    Silveira, e o seu Pedro foi eleito por quantos? Olhe que não chegou sequer a 23% dos eleitores.

    Gostar

  12. 13 Setembro, 2011 13:44

    Caro Silveira, não sou professor mas tenho vários na família. Nenhum deles é comunista. O que pretendem é que a sua classe profissional seja defendida com eficácia. Se o tal de Nogueira preencher esses requisitos, o resto é a treta das lutas partidárias.

    Gostar

  13. berto permalink
    13 Setembro, 2011 13:50

    A.C. Silveira,
    Mário Nogueira foi eleito por quem nele votou. Infelizmente há cada vez menos sindicalizados, e dos poucos que resistem poucos são os que votam nos seus representantes. Além disso sabe quantas listas se apresentam às eleições nos sindicatos? Se na maioria deles apenas uma lista concorre e quase sempre é afecta ao PCP de que é que está à espera ou do que se queixa?

    Gostar

  14. 13 Setembro, 2011 14:09

    «Que eu saiba, o tal de Nogueira não foi eleito pelos votos do PCP,
    mas pelos associados do sindicato.»

    “que eu saiba o tal de Sócrates não foi eleito pelos votos do PS,
    mas pelos Portugueses”

    Só no mundo verde e azul do Piscoiso é que um associado do sindicato não vota no PCP ou tem o cartão vermelho (inclusive o da LUZ ou do Continente).

    R.

    Gostar

  15. zazie permalink
    13 Setembro, 2011 14:20

    Imbecilidade- há centenas ou milhares de pessoas que pagam quotas ao sindicato comuna sem o serem. É simples- o sindicato é mesmo do PCP- acerca disso foram os próprios que impediram que a tutela o não fosse, agora o resto nada tem a ver.

    Gostar

  16. zazie permalink
    13 Setembro, 2011 14:24

    Os sindicatos servem para defender interesses de trabalhadores. Neste caso servem mais o do partido por causas políticas mas os outros fazem o mesmo com menos força.
    .
    Quanto à treta é uma anedota. Quanto à questão da avaliação ou da entrega de tutela a directores de escolas é algo muito diferente mas o Crato deve ter maus conselheiros e copiou uma agenda liberal num país comuna.
    .
    O que se passa é que as direcções escolares têm por lá a máfia eleita pelos partidos e “forças vivas da terra”- na prática xuxas partidárias com tachos. E é a estes cromos que o Crato vai entregar a tutela da escola, aumentando-lhes ainda o poder de cunha e de controle partidário com todos os defeitos da monguice pedagógica em que se profissionalizaram.

    Gostar

  17. zazie permalink
    13 Setembro, 2011 14:27

    Sei de autênticas anedotas que se passam em terras dos arredores. No Cartaxo, a cromo da directora de uma escola meteu por lá todo o bicho careta para gastar os dinheiros da UE que estão a fundo perdido.
    .
    Na área de formação profissional a estivadores, incluiu uma bichona cantora lírica. E lá tinha de ir aquela maltosa ao S. Carlos para justificar o tacho do rabeta operático.

    Gostar

  18. zazie permalink
    13 Setembro, 2011 14:29

    Portanto, a questão dos profs que têm quotas e apenas podem ser avaliados pelos directores da escola é uma gigantesca trampa e apenas serve para dar mais poder a esta bicharada.
    .
    Claro que o sindicato não diz que é por este motivo porque vivem do mito da igualdade mas, na prática, as medidas do Crato são um gigantesco tiro no pé.

    Gostar

  19. 13 Setembro, 2011 14:51

    Portanto,
    A Zazie e o Piscoiso vivem no mundo verde e azul. Ambos vão ao Continente e ambos “não” votam no PCP, mas juntos pagam as cotas sindicais.
    É como a velha lenga-lenga do Muçulmano, que é contra a violência e não tem nada que ver com a violência, abomina a violência, mas se tiver um Judeu à frente, pelo sim pelo não, mata-o.
    Tal se pode dizer para Benfiquistas, bicholas, Comunistas, Trotkistas, trans-géneros e Brasileiros.
    Tudo a mesma seita.

    R.

    Gostar

  20. zazie permalink
    13 Setembro, 2011 14:52

    Larga o rosé, ó mongo.

    Gostar

  21. Arlindo da Costa permalink
    13 Setembro, 2011 16:06

    No princípio do ano, e aquando da campanha das presidenciais e já mesmo na última campanha para as legislativas, houve um tumulto do ensino privado e cooperativo contra o bom governo do Engº Sócrates.
    Hoje, passados poucos meses, o ensino privado e cooperativo está praticamente falido, e aqueles que queriam liberdade de optar, estão a optar pelo público.
    Ou seja, no tempo do liberal Sócrates havia LIBERDADE DE ENSINO; agora no tempo do socialzinho-socialista Passos, o povão só tem uma escolha: o ENSINO PÙBLICO e na versão armazém.
    De facto este actual governo está acabando com a classe média.
    Estamos num processo acelerado de proleterização em curso!
    E, a isto, os liberais tugas não tugem nem mugem…

    Gostar

  22. pencudo sionista permalink
    13 Setembro, 2011 16:44

    Os alunos são como os cães. Há os ponteiros, de correr , de agarre, de parar , levantadores, de cobro , de sangue, galgos e os que só servem para comer ração.
    Ser professor é como receber uma matilha de pulguentos do canil e passar a vida a escrever relatórios a explicar porque é que o basset não agarra uma lebre.
    Se fosse professor, nunca aceitaria que um tipo que não dá uma aula há 20 anos me representasse, a primeira manifestação era para correr com o gajo.

    PS
    Arlindo, se precisar de um cão de cego, escolha um labrador. São os que vêem melhor e confiam no dono, apesar de cego.

    Gostar

  23. lucklucky permalink
    13 Setembro, 2011 16:56

    Um revista bem nutrida de gente que odeia crianças. Querem que as crianças quando adultas sejam estúpidas e dependentes.

    Gostar

  24. 13 Setembro, 2011 17:24

    Eu gosto da capa.
    É muito boa para assustar as criancinhas que não querem comer a sopa.

    Gostar

  25. Beirão permalink
    13 Setembro, 2011 17:28

    Oh c’um catano! Como é possível que alguém, em seu perfeito juízo e com dois dedinhos de testa, se permita a burrice de ‘dar à luz’ uma tal coisa, essa dita publicaçãozinha chamada pomposamente Mundo da Criança e, vejam só, trazer na capa, ocupando-a de alto a baixo, a carantonha feia do comuna – ai… como é que o homem se chama…!? – desse comuna Qualquer Coisa Nogueira.
    Anda tudo doido, neste país que o Sócrates deixou no lixo e à maior parte dos tugas na trampa.

    Gostar

  26. Portela Menos 1 permalink
    13 Setembro, 2011 17:29

    as/os esmeraldas/rogérios/silveiras fariam uma boa equipa na Educação; no ministério deles não haveria baldas, sindicatos e outras modernices, provavelmente nem crianças haveria…a avaliaçaõ seria 1% excelentes, 49% suficientes, 50% péssimos; quem pretendesse ser sindicalizado teria que preencher um questionário parecido com os que se preenchem para poder viajar para os USA: o menino é comunista? o menino tem bombas na mochila? o menino pensa fazer greves no sindicato?
    f…-.. que não há paciência para tanta teia de aranha!

    Gostar

  27. 13 Setembro, 2011 17:39

    Zazie, Piscoiso e Portela Menos 1, os três estarolas que estão no pelotão da frente quando a Fenprof se manifesta na Baixa Pombalina.
    Os coitados atiram-se para o chão e clamam aos Deuses do Olimpo, pois ser sindicalista está-lhes no sangue. O resto? O resto são “teias de aranha”.
    Bom Bom era voltar ao planeamento escolar Soviético, e criar astronautas, pois foi assim que o Império Vermelho se afirmou… bons velhos tempos hein.

    R.

    Gostar

  28. Portela Menos 1 permalink
    13 Setembro, 2011 17:50

    claro, quem não pensa como os rogérios ou pertenceu à Comuna de Paris ou era amigo de Rosa Luxemburgo 🙂

    Gostar

  29. A. C. da Silveira permalink
    13 Setembro, 2011 17:58

    Berto 13:50,
    Eu não me queixo de nada, limito-me a constatar um facto. Este sindicalismo tuga é uma treta. É evidente que os que não se querem maçar e ficam em casa, sabe-lhes bem ter uns rottweillers como o Nogueira que mordam nas canelas da “reacção”, porque o que eles sabem fazer é exigir sempre mais dinheiro. Isto serve para os professores, e para todos os outros cujos sindicatos pertencem à intersindical.
    Não deixa de ser curioso, que na maior empresa portuguesa, a Autoeuropa, tenha sido o Bloco atraves do Chora, que impediu que a CGTP desse cabo daquilo tudo como fez em todo o lado. O Chora fez-lhes frente e não os deixou lá entrar, fez o acordo que salvou a empresa e os postos de trabalho, e depois os da inter à boa moda estalinista de lacaio dos alemães para baixo, chamaram-lhe tudo.
    Acho que os professores estão bem representados por gente como o Nogueira que há 20 anos não entra numa sala de aula!

    Gostar

  30. Arlindo da Costa permalink
    13 Setembro, 2011 18:15

    Estes palhaços ainda vão dizer que o Mário Nogueira «come criancinhas ao pequeno almoço», como ele fosse padre ou fosse a «Caterine Deneuve»…..

    Gostar

  31. zazie permalink
    13 Setembro, 2011 18:38

    ò suni-mongo- e se fosses chatear xitas para o jardim zoológico

    Gostar

  32. zazie permalink
    13 Setembro, 2011 18:39

    Só faltava um herege agarrado ao rosé e a roçar as ventas no blogue como se fosse o muro das lamentações.

    Gostar

  33. Leme permalink
    14 Setembro, 2011 01:29

    O que interessa é sindicatos para manter os cafés on essa gajada vai à bica – porque ganham bem…

    Gostar

  34. Ulisses permalink
    14 Setembro, 2011 01:41

    Já reparaste que se pusessem antes a tua tromba as criancinhas desatavam logo a chorar?

    Gostar

  35. nela permalink
    14 Setembro, 2011 22:32

    O Mário Nogueira tem uma cara semelhante à de milhares de pais porteguesitos parolos, por isso não vejo problema na ilustração.
    Mário Nogueira dirigente sindical dos docentes também ilustra otimamente o “Mundo da crianças” que depende, em grande parte, da escola, cujo funcionamento, por sua vez, depende, em grande parte, do trabalho de Mário Nogueira.
    Et voilà! Não precisa agradecer que tenha puxado pela sua inteligência com palas que só alberga crianças em frente à TV a verem desenhos animados.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: