Saltar para o conteúdo

Alteração à TSU versus alternativa

19 Setembro, 2012

202 comentários leave one →
  1. aliazs permalink
    19 Setembro, 2012 00:28

    spinn…faz um ppt que tem mais impacto!

    Gostar

  2. aliazs permalink
    19 Setembro, 2012 00:31

    já agora…quais são os problemas causados por um salário mínimo? o do catroga? PINTELHOS!!!

    Gostar

  3. aliazs permalink
    19 Setembro, 2012 00:31

    vai-te catar!

    Gostar

  4. aliazs permalink
    19 Setembro, 2012 00:32

    publica uma fotografia tua na internet

    Gostar

  5. A C da Silveira permalink
    19 Setembro, 2012 00:56

    Se o que aqui está escrito é verdade, então confirma-se que este país vive um momento de histeria colectiva em que todos falam do que não sabem, incluindo alguns que deviam saber como os empresários.
    Portugal não está a atravessar um túnel, em que a luz já se devia ver lá ao fundo. Portugal caíu dentro de um poço de onde vai demorar pelo menos de cinco a dez anos a sair. Dizer o contrário disto é enganar as pessoas, e quem saíu à rua no ultimo sabado a mandar lixar a troika, e a pedir que lhe devolvam a vida que tinha antes, cometeu dois erros: 1º a troika é quem passa o cheque que permite as instituições publicas deste país continuarem a funcionar, como as escolas e os hospitais; 2º dificilmente a vida dos cidadãos comuns deste país voltará a ser o que foi nos ultimos dez anos.
    O que se está a passar desde há dez dias para cá, é acabar de vez com a hipotese de, apesar de todos os erros do governo e dos sacrificios que estão a sofrer, a generalidade dos portugueses continuarem a ter uma vida decente, embora mais modesta.

    Gostar

  6. 19 Setembro, 2012 01:23

    AC Silveira: o problema é qe: os resultados financeiros do governo são maus, tanto a desemprego como em défice.Se voce é de direita deixe-me lhe perguntar uma coisa: porque é que aumentaram impostos , em vez de cortar drasticamente na despesa? E não é apenas isso: o governo com estas medidas destruiu de uma assentada só a paciencia que os portugueses tinham depositado nele

    Gostar

  7. Golp(ada) permalink
    19 Setembro, 2012 01:29

    recebido por mail:
    .

    O que a Troika queria Aprovar e Não conseguiu!

    NENHUM GOVERNANTE, FALA NISTO… PUDERA…

    O que a Troika queria aprovar e não conseguiu!!!!!!—-

    1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores,
    suportes burocráticos respectivos, carros atestados, motoristas, etc.) dos
    ex-Presidentes da República.

    2. Redução do número de deputados da Assembleia da República para 80,
    profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na
    Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras
    libações, tudo à custa do pagode.

    3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não
    servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º emprego.

    4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir
    milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam funções
    nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo.

    5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas porquê? E
    os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se uns têm de
    cumprir porque não cumprem os outros? e se não são verificados como podem
    ser auditados*?

    6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa
    reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em 1821.

    7. Redução drástica das Juntas de Freguesia. Acabar com o pagamento de 200
    euros por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75 euros nas
    Juntas de Freguesia.

    8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da quotização
    dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem, para conseguirem
    verbas para as suas actividades.

    9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das
    Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo
    País;.

    10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento das
    horas extraordinárias… para servir suas excelências, filhos e famílias e
    até, os filhos das amantes…

    11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e
    entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos.

    12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não
    permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal
    como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado a
    compras, etc.

    13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e
    respectivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos
    contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis.

    14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos por
    nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o regabofe
    total. HÁ QUADROS (directores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE ESTAREM NO
    SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS A CUIDAR
    DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO NOS DÁ COISA PÚBLICA.

    15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que
    servem para garantir tachos aos apaniguados do poder – há hospitais de
    província com mais administradores que pessoal administrativo. Só o de
    PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES PRINCIPESCAMENTE PAGOS… pertencentes ás
    oligarquias locais do partido no poder.

    16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos sempre
    aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo,
    no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar,
    julgar e condenar.

    17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do Estado
    e> entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.

    18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN
    e BPP.

    19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e Quejandos,
    onde quer que estejam e por aí fora.

    20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma
    recebe todos os anos.

    21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam milhões
    ao erário público.

    22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de
    funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem a
    quadros do Partido Único (PS + PSD).

    23. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP (Parcerias Público Privado),
    que mais não são do que formas habilidosas de uns poucos patifes se
    locupletarem com fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo
    ao controle seja de que organismo independente for e fazendo a “obra” pelo
    preço que “entendem”.

    24. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito, perseguindo,
    confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e adquiriram
    patrimónios de forma indevida e à custa do País, manipulando e aumentando
    preços de empreitadas públicas, desviando dinheiros segundo esquemas
    pretensamente “legais”, sem controlo, e vivendo à tripa forra à custa dos
    dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a assistência
    aos que efectivamente dela precisam;

    25. Controlar rigorosamente toda a actividade bancária por forma a que,
    daqui a mais uns anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar “outra
    crise”.

    26. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo com
    que paguem efectivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso sistema de
    justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os crimes não
    prescrevem com leis à pressa, feitas à medida.

    27. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas que
    tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas pelos
    ditos.

    28. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam cargos
    políticos, central e local, de forma a saber qual o seu património antes e
    depois.

    29. Pôr os Bancos a pagar impostos.

    Assim e desta forma, Sr. Ministro das Finanças, recuperaremos depressa
    a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela corrupção que
    grassa e pelo desvario dos dinheiros o Estado.

    Ao “povo”, pede-se o reencaminhamento deste e-mail, até percorrer todo o País.

    POR TODOS NÓS, NOSSOS FILHOS E NETOS.

    Gostar

  8. 19 Setembro, 2012 01:29

    o consenso social

    Gostar

  9. Nuno permalink
    19 Setembro, 2012 02:34

    Caro Joao Miranda, para poder-mos falar de alternativa às mexidas na TSU anúnciadas pelo Governo, temos que saber qual o efeito/objectivo do governo ao avançar com as medidas. O efeito no défice é praticamente nulo, no desemprego tem um efeito negativo, no consumo também e no crescimento também. Acho que ao fazer esse post esta a assumir que esta medida é como as outras que têm como objectivo reduzir o defice. A verdade é que esta medida não tem esse objectivo e isso revoltou muita gente ( de todas as cores politicas).
    É dificil desenhar uma alternativa a uma medida que não tem efeitos no defice e tem efeitos negativos no desemprego e crescimento economico. Uma alternativa boa que tem os mesmo efeitos das medidas anunciadas pelo governo é não fazer nada. Se não se fizer nada o defice é superior a 4.5 e o desemprego tenderá a aumentar. Por isso a melhor medida é não fazer nada. Para fazer por fazer só para mostrar trabalho não vale a pena, despedimos o Vitor Gaspar e e já se poupa um salário.

    Gostar

  10. JoaoMiranda permalink*
    19 Setembro, 2012 07:33

    Nuno,
    .
    O governo pretende alcançar os objectivos que estão no lado esquerdo da tabela e evitar os do lado direito.

    Gostar

  11. JFP permalink
    19 Setembro, 2012 07:42

    Faça o mesmo exercício, decuplicando, por exemplo, as reduções e ainda ficará mais satisfeito com os resultados.

    Gostar

  12. A. R permalink
    19 Setembro, 2012 07:55

    “O governo pretende alcançar os objectivos que estão no lado esquerdo da tabela e evitar os do lado direito.” Ah, Ah, Ah, Ah …..

    Nada como uma boa risota antes de começar a trabalhar coisa que muitos que por aqui comentam parece não fazerem.

    Gostar

  13. p D s permalink
    19 Setembro, 2012 08:09

    JMiranda,

    já agora, podia-mos por uma “Terceira Coluna” !!!
    O titulo da 3ª Coluna seria – “Escravatura”.
    Essa sim, seria a solução ideal para acabar de vez com os custos do trabalho.

    até estranho que não lhe tenha ainda ocorrido esta hipotese – sim, porque no “modelo economico” que usei na minha analise, este é o cenario onde a recuperação economica se verifica mais rapidamente.

    ES-CRA-VA-TU-RA … vá JMiranda …agora todos em unissuno: ESSS…CRAAA….VAAAA….TUUU….RA!!!

    Gostar

  14. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 08:20

    Excelente quadro, caro JM.
    .
    .
    Isto é tão evidente que é vergonhoso como os liberais de pacotilha são incapazes de compreender coisas tão simples.
    .
    .
    Faz parte do Memorando da troika o corte da TSU, porque nas condições do FMI é certeza deles que os custos de trabalho portugueses estão demasiado elevados. Eles querem reduzir o custo de trabalho e aumentar a carga fiscal sobre o consumo (para aumentar as exportações e baixar as importações), ou seja, trocar a TSU pelo IVA. E isto é uma das condições do Memorando.
    .
    .
    Este governo consegue cumprir as condições impostas pelos credores mas de uma forma o mais liberal possível, e dizem que é socialismo? Mas esta gente é tola ou faz-se?
    .
    .
    E quando alguém diz que se pode cortar na despesa por contra-partida da subida da TSU, o que esta gente acéfala não explica, é como Portugal irá reduzir o défice de cerca de 13 500 mil milhões de euros, pois este sobe com a baixa da TSU. Mas estão loucos? Está tudo louco? O Reagan baixou a cxarga fiscal e o défice subiu. O Bush baixou a carga fiscal e o défice subiu. Mas está tudo louco?
    .
    .
    Se para descer 11 mil milhões de euros na despesa pública é complicado com esta Constituição, como o iriam fazer somando mais quase 2500 milhões de euros ao buraco orçamental? Estão loucos? Está tudo louco, neste país.
    .
    .
    Excelente quadro-síntese, caro JM. Tudo o resto são delirios de gente que vive no mundo da lua.

    Gostar

  15. 19 Setembro, 2012 08:23

    Dizem governo e o blasfemias que tem de ser assim, que temos de ser bem comportados e essencialmente desmantelar a saúde, a educação e a segurança social públicas, descer os salários e aceitar altas taxas de desemprego. Só assim é que teremos alguma competitividade empresarial internacional.

    O governo adoptou o modelo do Brasil dos anos 80 do século passado ou de outros países subdesenvolvidos que conseguiam ou conseguem apresentar números médios de riqueza por habitante altos mas quando desfeita a média tem-se meia dúzia de milionários e a maioria da população na pobreza.

    Algumas empresas exportadoras não conseguem dar a volta à economia, em grande parte dependente do mercado interno. A redução de salários afecta a distribuição de rendimentos que para a maioria da população só pode feita através do salário. O desmantelamento da saúde, educação e segurança social públicas vai deixar um país de pobres sem acesso aos bens sociais básicos.

    Também por ser este o caminho im posto pelos credores e por dizerem que é inaceitável outra alternativa, estamos num beco sem saída. Porque mais inaceitável é ficarmos com um país pobre e destroçado. E se assim for, o contágio aos mercados ou o desespero das pessoas lançará um caos destruidor sobre o país e a Europa.

    Gostar

  16. Marão permalink
    19 Setembro, 2012 08:31

    Não vale copiar as propostas de Seguro.

    Gostar

  17. Francisco Colaço permalink
    19 Setembro, 2012 08:37

    p D s,
    .
    Os países com escravos sempre foram muito menos produtivos per capita que os países formados por homens livres. O único país onde não havia classes aristocráticas (os Estados Unidos), começou 1800 como um país naturalmente irrelevante. Em 1899, quarenta anos depois de abolir de vez a escravatura, era um potentado industrial. O crescimento maior dos Estados Unidos foi depois de abolir a escravatura. Entre as duas guerras, no século XX, ultrapassou o império britânico em poder e produção industrial per capita, abrindo o Século Americano.
    .
    O escravo não pensa, ou antes, não lhe é permitido pensar. Executa apenas o que outros pensaram. O dinheiro não aparece por se cavar a terra, mas por se cavar, semear, colher, condicuinar e vender o produto da terra, trocando-a por outros bens ou serviços. O escravo é um desperdício de cérebro, a verdadeira riqueza da humanidade.
    .
    O socialismo é a escravatura da maioria às pretensões e direitos supostamente adquiridos de uma minoria. No socialismo os direitos adquirem-se mas não se faz contas a quem os paga. Ou mesmo se podem ser pagos. Muito cedo me disseram que cada direito económico que eu pretenda ter é uma canga lançada nos ombros de outros.
    .
    Dois países saíram da II Guerra como verdadeiros vencedores: os Estados Unidos e a União Soviética. Nos Estados Unidos há liberdade económica e sempre se viveu melhor que na União Soviética. Um país era de livre mercado até há cerca de duas décadas atrás, governado pelas escolhas dos cidadãos. O outro era cientificamente planeado, socialissimamente governado pelas escolhas dos decisores. Ambos tinham recursos naturais em abundância. Ambos tinham uma população educada e inteligente. Ambos tinham sobejos cientistas e técnicos, e um programa espacial.
    .
    Num vivia-se melhor do que no outro. Num produziram-se ícones do cinema, da música e da animação. No outro produziram-se chouriços para encher o olho e dar um ar de intelectual ao Vasco Granja enquanto a malta que o via só o fazia porque espumava pelo Pernalonga ou pelo Bip-Bip.

    Gostar

  18. piscoiso permalink
    19 Setembro, 2012 08:41

    O graphismo é um bom graphismo.
    Falta-lhe talvez um pouco de cor.
    Sugeria a coluna da esquerda a verde e a da direita a vermelho.
    No meio ficaria bem um ovo estrelado.

    Gostar

  19. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 08:44

    Boa resposta, caro Colaço.
    .
    .
    Os ingleses tentaram manter um sistema semi-esclavagista (que se foi perpetuando quase até aos nossos dias, como o era o caso do Apartheid) nas suas colónias para fazer face a este novo competidor americano e ao competidor prussiano. E mesmos esmagando a liberdade nas suas colónias de nada lhes valeu e perderam o Império e a capacidade de competir economicamente.
    .
    .
    Os marxistas adoptaram o modelo mental colonialista inglês.

    Gostar

  20. JEM permalink
    19 Setembro, 2012 09:03

    João Miranda

    O quadro está certíssimo.
    Quem vê o mundo num enquadramento marxista, trabalho vs capital, nunca o conseguirá perceber.

    O que me espanta é que os liberais e as pessoas com alguma educação em economia não o percebam de forma clara.

    Valia a pena também demonstrar que, face à versão original do MoU da troika, descida de TSU com subida de IVA, esta solução é bem mais favorável:
    – protege os mais pobres (pois gastam proporcionalmente mais em consumo)
    – diminui a incerteza no lado das receitas da Seg Social
    – tem menos efeitos adicionais de desincentivo ao consumo (curva de laffer para um iva que teria de ser elevadíssimo)
    – não incentiva a economia paralela (ao contrário do que sucederia com um ainda iva mais elevado)
    – não aumenta a carga fiscal sobre a economia
    – permite recuperar o rendimento em profissões com escassez de oferta, pois permite renegociar salários

    Gostar

  21. fredo permalink
    19 Setembro, 2012 09:04

    É com folhinhas de excel como esta que o JM aqui nos propõe que o governo nos está a enterrar cada vez mais.

    Gostar

  22. PiErre permalink
    19 Setembro, 2012 09:08

    Hocus Pocus.
    .
    .

    Gostar

  23. Amadeu permalink
    19 Setembro, 2012 09:15

    Caro João Miranda
    Foi foi colega do Relvas na direção do grupo folclórico, certo ?
    Continue por este caminho que no seu radiante futuro poderá aparacer um coelhinho que o leve ao circo.

    Gostar

  24. Francisco Colaço permalink
    19 Setembro, 2012 09:18

    SM,
    .
    Dizem governo e o blasfemias que tem de ser assim, que temos de ser bem comportados e essencialmente desmantelar a saúde, a educação e a segurança social públicas, descer os salários e aceitar altas taxas de desemprego. Só assim é que teremos alguma competitividade empresarial internacional.
    .
    Não me preocupo em excesso com a competividade internacional. A nossa competividade está muito dependente de factores externos que de todo não conseguimos controlar; decorre do facto de ser internacional. Mas se me permite, estou mais preocupado com a capacidade de o país chegar a 2050 incólome. De certeza não chegará a 2143, pelo menos o Portugal que conhecemos.
    .
    A crise demográfica vai alterar todo o mercado e toda a sociedade. No futuro próximo (dez, vinte anos) a metade das casas portuguesas estarão devolutas. Logo, uma casa valerá quase nada, por excesso de oferta. Portugal já está em contracção populacional (não, não é a emigração) desde há pelo menos vinte anos. A população crescia essencialmente pelo influxo de emigrantes (e por alguma subida da esperança média de vida, a qual não irá crescer tanto mais no futuro).
    .
    Deixem-me ser claro: à vista dos cálculos actuários, A TSU DE 36%, ou mesmo se fosse 50% daria o mesmo: NÃO RESOLVE NADA. Não há taxa que resolva o problema da segurança social, dada a esperança de vida e a idade da reforma actuais. Apenas adia o inefável colapso enquanto os senadores do regime que tanto falam possam bater a bota e ir morar com as minhocas. A minha geração é que apanhará com o pedregulho nas trombas. Não a deles.
    .
    Portugal e a Europa estão a começar o que já é a praga social do Japão e da Rússia: a população decrescente. Com o envelhecimento e a falta de talento.
    .
    Em 2050 seremos 8 milhões. 8 milhões de essencialmente velhos, com uma idade média de 50 anos. A nossa idade média situa-se nos 43 anos, já acima dos 38 anos que é o nível de máxima produção (momentânea, já que as pessoas tendem a envelhecer). A China está nos 38 anos. Mas a sua população jovem está em declínio acentuado (mantém-se a total por maior esperança de vida).

    Gostar

  25. Francisco Colaço permalink
    19 Setembro, 2012 09:21

    … a população portuguesa crescia essencialmente pelo influxo de antigos emigrantes portugueses em outros países, já reformados, e de imigrantes…
    .
    Correcção feita.

    Gostar

  26. Tim permalink
    19 Setembro, 2012 09:23

    JM ou o cómico de serviço?!…
    Mas quem definiu essa curiosa alternativa à TSU?!… O JM? O seu «anjo da guarda»?! Algum manual amarelado de ilusionismo económico para crentes?!…
    E que tal uma alternativa com subidas significativas das taxas de IRS para os 2 últimos escalões, taxação extraordinária (e progressiva!…) em sede de IRC para empresas com lucros superiores a 1M de euros, devendo tal taxação suceder ordinariamente instituída para macro-empresas em situação de monopólio ou em regimes sem concorrência real? E que tal a taxação séria dos rendimentos não laborais? A lista de medidas alternativas para começar a austeridade «por cima» é vasta e em estado quase virginal… Por isso, não se acanhe ou intimide: tem muito por onde obrar.

    Gostar

  27. Fernando S permalink
    19 Setembro, 2012 09:28

    Nuno : “… uma medida que não tem efeitos no defice e tem efeitos negativos no desemprego e crescimento economico. ”
    .
    Tem efeitos positivos no emprego. Pelo menos atenuando e estancando o respectivo aumento. Muitas empresas em situação mais dificil e que, sem a baixa da TSU, teriam de fechar ou despedir pessoal, não o fazem. Algumas empresas com situações de mercado mais favoraveis, em particular as que podem exportar e/ou substituir importações, teem um incentivo para recrutar pessoal. Por isso é que a previsão da taxa de desemprego para 2013 é praticamente invariavel (16%). Sem a baixa da TSU o desemprego tenderia a crescer ainda mais.
    .
    Tem efeitos positivos no consumo. Pelo menos atenuando e estancando a respectiva queda e continuando a reorientar o padrão de consumo dos bens não transaccionaveis para os bens transaccionaveis. O emprego tem um efeito mais favoravel sobre o nivel geral de consumo do que teriam os rendimentos dos trabalhadores do privado transferidos para as empresas (um desempregado afecta mais o consumo do que a redução de salario de um empregado). Com um custo laboral mais baixo as empresas teem a possibilidade de baixar alguns preços e sustentar as respectivas procuras. A redução dos rendimentos liquidos dos trabalhadores privados faz com que estes reduzam o consumo de bens menos essenciais (em boa medida não transaccionaveis) e concentrem mais os respectivos orçamentos em gastos com bens essenciais (em boa medida transaccionaveis). Com mais meios, as empresas tendem a investir mais em factores de produção (transaccionaveis).
    .
    Tem efeitos positivos no que diz respeito ao déficit. Evita o agravamento do déficit que resultaria de uma redução de impostos que não fosse financiada por uma baixa equivalente na contribuição dos trabalhadores para a TSU. O objectivo da medida é precisamente baixar a carga fiscal das empresas sem ser à custa de receitas fiscais.

    Gostar

  28. Tim permalink
    19 Setembro, 2012 09:30

    Golp(ada),
    excelente carta de intenções.
    Mas estamos em Portugal, uma país viciado e vicioso, onde nem no final dos tempos estaremos próximos da metade mais fácil e benévola das suas exigências, que são somente as exigências para um país decente.
    Na Noruega não há carros para políticos: quem não quiser ir a pé, que vá de taxi, e que não se esqueça da factura. Mas isso é nesse país «miserável»; por cá, como somos ricos, é o regabofe que se vê.

    Gostar

  29. 19 Setembro, 2012 09:34

    Francisco, um ligeiro reparo: «Em 1899, quarenta anos depois de abolir de vez a escravatura, era um potentado industrial.»
    A escravatura nos EUA não foi abolida em 1899.
    Tal como a nossa, foi abolida Constitucionalmente mas na prática existiu muitos anos depois. Passando depois para o trabalho obrigatório. Não sendo “escravatura” negociada por negreiros, mas imposição de trabalho. O mesmo sucedeu nos EUA.
    Lei JIM CROW.
    Cumprimentos,
    R.

    Gostar

  30. 19 Setembro, 2012 09:36

    É assim como o Piscoiso e o Portela.
    Em 1990 (quando o muro caiu) juraram desfazer a barba e deixar de ir vender o corpo para o Parque Eduardo 7º com o cartão do Benfica no bolso.
    Entretanto hoje fazem-no a céu descoberto mas sem barba.
    R.

    Gostar

  31. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 09:39

    “Este governo consegue cumprir as condições impostas pelos credores mas de uma forma o mais liberal possível, e dizem que é socialismo? Mas esta gente é tola ou faz-se?”
    Qual é o seu desse liberalismo, ou os limites no seu caso?º

    “Mas estão loucos? Está tudo louco? O Reagan baixou a cxarga fiscal e o défice subiu. O Bush baixou a carga fiscal e o défice subiu. Mas está tudo louco?”
    Porque não baixaram a despesa no mesmo nivel que aumentaram impostos, qualquer pessoa que saiba somar ou subtrair percebe isso.

    Gostar

  32. Ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 09:43

    Em suma, a economia privada com esta medida vai ver a carga fiscal aumentada em 1,5%. O resto é conversa.
    .
    Como o governo tem vindo a controlar bem o defice, devido às suas inestimaveis qualidades na área da fezada, lembrou-se de juntar mais uma fezada às outras que levaram o defice a DERRAPAR mais de DOIS porcento. DOIS.
    .
    Desta vez o governo acredita muito que, reduzindo salários aos consumidores, os empregadores vão contratar mais gente do que aquela que precisam. E acredita que reduzindo a carga fiscal sobre o trabalho os exportadores vão vender mais. Mas acabei de ler que, afinal, o custo do trabalho nas exportadoras, representa 10% do valor total de custos. E acabei de ler tambem que, afinal, a MODELÇÂO da medida vai excluir rendimentos abaixo de 700 euros. Ou seja, quase todos os empregados fabris.
    .
    Bem, eu acredito mesmo que reduções fiscal são importantes para as empresas. Mas reduções mesmo. A sério. E nem é para vender mais aos estrangeiro. É mesmo para dar margem às empresas de poder investir em cenas que venham a melhorar a competitividade. Cenas como desenvolvimentpo de produto, design, markting etc. Esta conversa dos custos salarios elevados mete-me NOJO. Os empresário que exportam JÁ não qurem saber disso. Estão noutra, felizmente.
    .
    Eles sabem que, com esta medida do giverno, vão ter que PAGAR mais aos seus trabalhadores. Tem o efeito CONTRARIO do pretendido., porque o governo nao tem noção da realidade empresarial e vive num mundo virtual. Os empresarios nao querem correr o risco de deixar sair uma costureira ou um tecnico de sapatos. Existe falta de peesoal qualificado e o governo toma medida destas?
    .
    Epá, ajudava mais os empresários se fechasse cursos de filofoa e economia e história da arte e abrisse escolas de sapateiros, cozedores, costureiras etc.
    .
    Mas tambem acho que a economia e politica não se pode cingir a tomar partido por exportadores. É importante, mas um país não se governa atirando os não exportadores para o cano de esgoto. Até porque seriam os não exportadores, nomeadamente, aqueles que substituem importacoes que se devia estar a ajudar.
    .
    Rb

    Gostar

  33. Paulo permalink
    19 Setembro, 2012 09:46

    Miranda
    Até lhe dou de barato a esperança macroeconomica da coisa, mas em termos micro quero lá saber disso.
    O que me importa é perder menos um salário, pois este ano perdi 3 (2 subsídios mais a redução Teixeira dos Santos) e os concidadãos do privado zero.
    Acho engraçado uns labregos como o Golpada aí de cima que querem acabar com tudo (o presidente da camara que ande a pé ou no carro dele, e já agora que pague para trabalhar!), mas quando chegam às gorduras só olham para as dos outros. Então e os subsídios que o Estado dá às empresas, que começar por aí, só a Autoeuropa custa centenas de milhões em isenções. E os agricultores que vivem pendurados na mama, ou é porque chove ou porque faz sol, mas lá deixar o jipe e o Mercedes do fim de semana é que não. E os milhares de chulos do rendimento mínimo que o Portas ia colocar a trabalhar, já trabalham? E os reformados do privado antecipados? E os bancários que descontam 3% para a segurança social e depois vão receber o mesmo que os que descontam 11%? E a lista podia continuar.
    É que ver só um lado do problema é fácil, todos apontamos para os outros e ficamos com muita pena dos sacrifícios, mas até agora o privado teve zero e os públicos mais de 20% de corte salarial, e por mais tabelas que o Miranda faça eu não vejo em nenhum campo qual é a minha dose de culpa.
    .
    Já agora, e mais uma vez, os salários são sempre despesa, é publica se o patrão for o Estado e privada se for um particular. Mas em casos regulares é a compensação pelo trabalho que uma pessoa faz. Se ela nao o faz despeçam-na, não estejam é constantemente a condenar os inocentes.

    Gostar

  34. Ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 09:50

    É digamos, um especie de planeamente central da econimia. Planficada. Preverter a liberdade dos agentes atraves de medidas de coação. Abduz-se salario aos consumidores compulsivamente para o colocar do lado da oferta. Com a agravante de que à oferta não é dada liberdade de fazer o que muito bem entender com esse dinheiro. Não o governo quer obrigar os empresários a usar esse dinheiro segundo o que o Comité Central determinou. O que é isto se não o socialismo sovietico em progressão?
    .
    Rb

    Gostar

  35. Francisco Colaço permalink
    19 Setembro, 2012 09:53

    Rogério,
    .
    Tem razão plena em relação à iniquidade das diversas leis Jim Crow. No entanto, a população negra teve oportunidade de levantar a cabeça e de fazer muita coisa útil nesse tempo. E mais fez depois do corajoso Martin Luther King. E, dando-lhe inteira razão, mais acrescento: quando finalmente o talento de 20% da população pôde ser em plenitude adicionado à sociedade americana, esta cresceu ainda mais (anos 60).
    .
    Espero que concorde que o escravo é um desperdício de talento. A escravatura pode beneficiar nesta vida o dono do escravo, mas não beneficia nem o escravo nem a sociedade como um todo. Homens livres, livremente perseguindo oportunidades que lhe aparecem e metendo trabalho, talento e emoção na prossecução dos seus sonhos, fazem mais pelo bem comum que cem mil iluminadíssimos e socialíssimos dirigistas, seja em versão vermelha, calhau, rosa, laranja ou azul.

    Gostar

  36. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 09:54

    “Tem efeitos positivos no consumo. Pelo menos atenuando e estancando a respectiva queda e continuando a reorientar o padrão de consumo dos bens não transaccionaveis para os bens transaccionaveis. O emprego tem um efeito mais favoravel sobre o nivel geral de consumo do que teriam os rendimentos dos trabalhadores do privado transferidos para as empresas (um desempregado afecta mais o consumo do que a redução de salario de um empregado). Com um custo laboral mais baixo as empresas teem a possibilidade de baixar alguns preços e sustentar as respectivas procuras. A redução dos rendimentos liquidos dos trabalhadores privados faz com que estes reduzam o consumo de bens menos essenciais (em boa medida não transaccionaveis) e concentrem mais os respectivos orçamentos em gastos com bens essenciais (em boa medida transaccionaveis). Com mais meios, as empresas tendem a investir mais em factores de produção (transaccionaveis).”
    Fernando s
    O seu comenário gera mais perguntas do que respostas: mas quem é o estado para se achar no direito de orientar os consumos das pessoas entre transacionaveis e nao transacionáveis, quando isso é uma decisão do mercado? Pior ainda:que direito é esse do estado interferir no livre mercado, em regular os preços dessa forma, mandando palpites aos empresários para baixarem os preços e reduzirem a sua margem de lucro.´Que eu me recorde,isso só foi implementado no bloco do leste e na URSS.O pcp tem inveja…

    Gostar

  37. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 09:57

    ” Esta conversa dos custos salarios elevados mete-me NOJO. Os empresário que exportam JÁ não qurem saber disso. Estão noutra, felizmente.”
    .
    .
    Eu sou do tempo em que o amigo defendia quedas salariais, fiscais e cambiais. Eu sou do tempo em que o amigo se queixava que era impossível exportar dentro do euro. Eu sou do tempo em que o amigo até defendia a “elevada civilização europeia”, com o seu famoso Estado Social.
    .
    .
    O amigo está atrasado sempre à realidade. Mas vai-se aprochegando. eheheheheh
    .
    .
    Neste caso também lá chegará mas não pelos bons motivos.
    .
    .
    Quem anuiu em cortar a TSU e nos custos de trabalho foi o Governo português. E que faz parte das condições gerais que o FMI impõe, sempre que empresta dinheiro aos falidos. É a forma como o FMI e o mundo anglo-saxónico vê a competitividade dos países. É assim que o Krugman vê o mundo (e especializou-se nisto mesmo e aplicou na prática quando esteve em Portugal na anterior missão do FMI, através do famoso currency peg e, por isso, voltou a bater na mesma forma de ver o mundo, quando disse que Portugal precisava de baixar os salários em pelo menos 20%) e é assim que os credores vêm o mundo. E eles exigem que Portugal cumpra estas condições. Porque, nos modelos mentais deles, os custos de trabalho estão a impedir o crescimento económico português. E por isso exigem a queda da TSU, não apenas a Portugal como até à Itália.
    .
    .
    Quem anda sempre atrasado nestas questões é o amigo. Em tudo. Desde a capacidade dos portugueses em exportarem, que o amigo dizia ser impossível, até a esta questão. Apanhe lá um taxi, que o seu autocarro perde-se nas curvas. eheheheheheheh

    Gostar

  38. 19 Setembro, 2012 10:01

    Francisco, numa perspectiva abstracta há razão no que escreve. Mas vou deixar uma analogia. Quando a escravatura foi “abolida” na teoria e na prática por exemplo em Angola, deu-se um problema. As populações maioritariamente Khoisan (nómadas) vagueavam e davam-se ao ócio. Foi aí que surgiu legislação para o trabalho obrigatório, a caderneta etc. Angola tinha um mercado muito incipiente e uma circunstância muito específica. O que obrigou ao trabalho forçado, à data havia necessidade de mão de obra.
    Para lhe dar um exemplo, hoje, a minha prof. faltou e não me avisaram.
    Faça a analogia.
    Cumprimentos,
    R.

    Gostar

  39. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 10:01

    Anti-Comuna: desculpe-me a pergunta, mas voce concorda com os modelos do fmi por acaso?

    Gostar

  40. pedro permalink
    19 Setembro, 2012 10:04

    DR João: o problema está para além da TSU ,eu votei neste governo,mas as medidas que ele tem de tomar, mais ou menos ,como bem diz o golpada são as que ele refere e fundamentalmente do lado da despesa inutil e desavergonhada (tipoRTP) ,para mim o governo ou faz algo radical ,ou deve ser apeado pelo PR ,caso contrário,não vão ter tempo de entrar nos helis,olhe,não é nos mercedes. Esta porcaria não é áfrica em que a população vive favelada e as ajudas contra a fome tipo dinheiro da troika vão para a elite corrupta.Por mim já não tem o benefício da dúvida e não se gaste, a culpa é toda do passos .Encobriu o sócrates o homem da bancarrota ,agora nem vai ser capaz de cortas nas “fundições de dinheiro” da família soares .

    Gostar

  41. 19 Setembro, 2012 10:04

    Portugal passou repentinamente de uma sociedade rural e agrícola para uma sociedade assente em serviços e informação.
    Não temos base industrial. Portugal tem 10 milhões de artistas.
    Como é possível um jovem (até à casa dos 35 ou 40 anos) não ter uma mentalidade focada no lucro? No desenvolvimento? No crescimento?
    Essa base industrial, a base de escala, a base da construção e do crescimento, não há.
    Esta geração está perdida.
    R.

    Gostar

  42. Francisco Colaço permalink
    19 Setembro, 2012 10:06

    A Transferência da TSU é neutra em termos de consumo global
    .
    O dinheiro reverterá para a economia via pensões e subsídios diversos e pagamentos aos funcionários da Segurança Social. A menos que o dinheiro seja para pagar pensões de quem está no estrangeiro, o que não é costume em Portugal, não irá sair das fronteiras do país e continua a ter capacidade de pagar bens e serviços.
    .
    Se transfere líquido entre dois tanques, a quantidade de líquido permanece perfeitamente inalterada.
    .
    O problema com que nos debatemos é que até agora havia uma rotura num dos tanques (o do Estado) e o líquido andava-se a perder ano após ano. E em vez de taparem a fuga, o que seria normal, limitaram-se a pedir líquido emprestado. O peso do líquido e a movimentação apenas alargavam a fenda, e esta fazia sair mais líquido. Mais líquido foi emprestado. E a fenda alargava-se.
    .
    Pois o credor não quer emprestar mais e deseja o favor de lhe devolverem o líquido, que também lhe faz falta. A fuga, essa ainda lá está, bem incólome porque ninguém quer mexer as mãos, arranjar uns bocados de chapa a dar-se ao trabalho de a arranjar. Discutem qual o eléctrodo a utilizar e se o soldador deve ou não ser certificado. Discutem a técnica e o pormenor.
    .
    E o líquido continua a sair. Desta vez talvez não haja mais líquido novo a entrar.

    Gostar

  43. 19 Setembro, 2012 10:08

    Francisco, aquilo que lhe quero dizer é que, de uma forma menos igual… existe pouca pressão para de uma forma global as pessoas trabalharem. E aqui digo, trabalhar. Existem pessoas que trabalham efetivamente neste país. E acredito que existe uma grande parte da população que está fora (e vai estar fora) deste “liberalismo” dos outsourcing. Mas numa forma geral, a pressão é pouca. Os problemas são muitos. Desde a mentalidade das nossas Universidades, até à vida profissional e à educação na família.
    Tenho dito.
    R.

    Gostar

  44. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 10:08

    “Anti-Comuna: desculpe-me a pergunta, mas voce concorda com os modelos do fmi por acaso?”
    .
    .
    Sobre a competitividade das ecxonomias, não. Um rotundo não. Não. Não. E não.
    .
    .
    Mas se eu estiver falido e for pedir ajuda ao banco, os gajos impõem as condições deles. Se eu aceito em troca do financiamento, que remédio tenho que aceitar as condições. Foi isso que o Governo português fez quando assinou o Memorando da Troika. Se Portugal não cumprir as condições, porque não concorda, temos o caldo entornado.
    .
    .
    É assim tão difícil entender estas coisas? Eu acho que não. Mas há sempre os líricos, falidos, que acham que podem impôr condições a quem lhes empresta dinheiro. lolololol
    .
    .
    Mas isto é um bom sinal. Sinal de nunca estiveram falidos e agachados perante os credores. Fico contente com este facto. Os liricos não conhecem a dureza de estar falido e isso é bom. Podem sonhar com utopias porque nunca levaram com o cobrador do fraque à porta. Se o tivessem experimentado, nunca mais seriam liricos. ahahhahhhahh
    .
    .
    O truque é aprender com as azelhices dos outros. 😉

    Gostar

  45. neotonto permalink
    19 Setembro, 2012 10:16

    Anti-Comuna: desculpe-me a pergunta, mas voce concorda com os modelos do fmi por acaso?. Anónimo


    O amigo está atrasado sempre à realidade. Por onde andivo na última temporada?
    Que pergunta tao insipida e irrelevante. Simplemente é casualidade de que o FMI concorda com os modelos do AC…hehehe

    Gostar

  46. Francisco Colaço permalink
    19 Setembro, 2012 10:17

    Rogério,
    .
    O mesmo problema teve o Rogério nos Estados Unidos. E no Brasil. Os ex-escravos não primaram pela inteligência, pois nunca lhes haviam dado oportunidade de as desenvolver. Além disso, tinha-se a impressão, por parte da maioria branca, de que os ex-escravos libertados vinham roubar empregos (ah! os malditos libertos!, clamava-se nesse tempo).
    .
    E vieram? Digo-lhe que não. As necessidades do homem mudam consoante o seu nível de produção. Quem muito produz passa a ter mais necessidades materiais. O amor e uma cabana não servem à maioria das pessoas cultas. Infelizmente, foi necessário uma ou duas gerações (por causa das perniciosas Jim Crow, que têm tudo a ver com o assunto) para que os negros deixassem de se interessar em «bebida e sexo unicamente» (estereotipo vigente, infelizmente com alguma razão) para começarem a ter empregos técnico-científicos.
    .
    O que tem em Angola neste momento é a reconformação de uma sociedade. Deixe-me dizer-lhe que trabalhei com centenas, milhares até, de africanos, e que a história do negro inferior não é coisa que me consigam fazer engolir. Bem tratados (como pessoas, não com paternalismo nem superioridade) a maioria dos africanos que foram meus colegas são inteligentes, trabalhadores e esforçados. Aprendem depressa e são ávidos de conhecimento. Querem respeito, e quem o dá verá a centelha de divindade nessas pessoas.
    .
    Muitos brancos há que lá foram e os acharam preguiçosos e burros. Eu digo que esse problema é do branco.
    .

    Gostar

  47. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 10:18

    “Mas se eu estiver falido e for pedir ajuda ao banco, os gajos impõem as condições deles. Se eu aceito em troca do financiamento, que remédio tenho que aceitar as condições. Foi isso que o Governo português fez quando assinou o Memorando da Troika. Se Portugal não cumprir as condições, porque não concorda, temos o caldo entornado.”
    Memso que as deias deles pressuponham o o aprofundamento da crise económica? Se eles mandasse voce atirar-se de um precipicio abaixo voce atirava-se?

    Gostar

  48. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 10:23

    ” Se eles mandasse voce atirar-se de um precipicio abaixo voce atirava-se?”
    .
    .
    Foi isso que Portugal fez. Aceitou as condições deles. E obteve crédito em troca. Agora há que cumprir.
    .
    .
    Eu para não me mandarem atirar abaixo de uma ponte. não gasto mais do que posso. Nem me endivido. É simples. Se Portugal tivesse feito isto antes de ir de joelhos pedir ajuda externa, não teria estas condições e poderia reformar o país da melhor forma que entendesse.
    .
    .
    Houve para aí uns liberais de pacotilha que suspiravam pelo FMI, no sentido de endireitar aquilo que em Portugal eram incapazes. Agora queixam-se dos cobradores do fraque? Porquê? Que não pedissem ajuda aos tipos. ahahahahahha

    Gostar

  49. 19 Setembro, 2012 10:28

    Francisco, confirmo que sim, em relação à questão da população em Angola. E é aí que bate o ponto. Um dos meus primeiros trabalhos fiz parceria com uma Angolana que me disse; Em Portugal há muita oportunidade perdida.
    E é isso que sinto. A geração pós-25 de Abril (e é uma generalização) foi educada com um desfasamento da realidade abissal.
    Os jovens estão com formação que está a milhas do nosso mercado de trabalho e o nosso mercado de trabalho está a milhas da “globalização” e da Europa.
    Acho legítimo que uma pessoa licenciada queira férias, um carro, um emprego fixo e seguro e uma condição de vida que (alguns) dos nossos pais tiveram.
    Mas será que Portugal tem capacidade para isso? Construímos isso?
    Enquanto as cabeças mais novas não ficarem focadas no trabalho e não existir um caldo (vá, com ética protestante) não acho que nenhuma medida (TSU) vá criar o quer que seja.
    R.

    Gostar

  50. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 10:29

    “Eu para não me mandarem atirar abaixo de uma ponte. não gasto mais do que posso. Nem me endivido. É simples. Se Portugal tivesse feito isto antes de ir de joelhos pedir ajuda externa, não teria estas condições e poderia reformar o país da melhor forma que entendesse.”
    A culpa disso sabe bem quem é não sabe? O psd tinha fome de ir ao pote meu caro
    Mas ó anti-comuna o fmi impõs metas, não impõs medidas.Não foi o sector privado que fez porcaria, foram os governantes.Os aumentos de impostos e a tsu foram decididos pelo governo

    Gostar

  51. 19 Setembro, 2012 10:31

    Francisco, longe de mim querer dizer que os “Angolanos” são calões ou foram calões. Referi-me à escravatura. À data existiam assimilados e pessoas educadas na estrutura do Estado em Angola. Referi-me à população nómada.
    R.

    Gostar

  52. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 10:33

    “Mas ó anti-comuna o fmi impõs metas, não impõs medidas.Não foi o sector privado que fez porcaria, foram os governantes.”
    .
    .
    Vc. já leu o Memorando? Quem é que mais burro? Eu ou quem não sabe ler um Memorando?

    Gostar

  53. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 10:35

    Já li o memorando sim, e muitas das medidas que o governo implementou não estão lá

    Gostar

  54. Mário Cruz permalink
    19 Setembro, 2012 10:36

    O que mais me choca e fica provado por este “post” é a ignorância e impreparação da classe empresarial deste país. Já se suspeitava mas agora ficou evidente. São desconfiados, burros, ignorantes, convencidos, incapazes, tolos, manipuláveis, cobardes. Só não sei se são melhores ou piores do que as restantes classes.

    Gostar

  55. neotonto permalink
    19 Setembro, 2012 10:39

    Mas se eu estiver falido e for pedir ajuda ao banco, os gajos impõem as condições deles. Se eu aceito em troca do financiamento, que remédio tenho que aceitar as condições. Foi isso que o Governo português fez quando assinou o Memorando da Troika. Se Portugal não cumprir as condições, porque não concorda, temos o caldo entornado.
    .
    .
    É assim tão difícil entender estas coisas? Eu acho que não. Mas há sempre os líricos, falidos, que acham que podem impôr condições a quem lhes empresta dinheiro. lolololol

    Insista Ricciardi, insista. Estes tem a teoria-utopia da parte deles mais vc tem a realidade pratica. A realidade práctica de que uma economia de um pais enfermo com a doctrina do choque do FMI tem (ja sabemos quais possiveis consequencias).
    E só dar uma voltinha por estas latitudes tao perto, e observar. Ver. Mirar ..Concluir

    ….
    “Um ano depois, em maio de 2010 “, disse-nos a aceitar as condições impostas pelo memorando (o plano de ajuste: baixos salários, pensões reduzidas, cortes nos gastos públicos, etc) Porque senão iríamos sair do negócio . Agora, um ano depois, os spreads das obrigações gregas dobraram, fixando as agências de classificação são muito piores e todas as disposições do memorando sobre, entre outras coisas, as taxas de crescimento têm provado ser falsa . E o pior é que a Grécia não pode ir aos mercados para pedir dinheiro emprestado, em 2012, e afirmou que o memorando. Neste contexto, o Governo não aparece para pedir desculpas pelas mentiras que ele contou o povo grego, mas nos novos sacrifícios ameaçando chamadas com os mesmos argumentos. ”

    “Os políticos assaltos pessoas quando vê-los”

    O clima político nas últimas semanas gregos, foi, assim, muito tenso. De um lado estavam as dissensões entre os socialistas no poder e os conservadores Antonis Samaras, que se recusou a apoiar o plano de austeridade novo exigido pela UE. Em outra, o povo grego tinha sitiado seus representantes no Parlamento, contra aqueles que sentiu uma animosidade incomum. “Foi uma coisa sem precedentes! Nos últimos dias, o povo grego a políticos agredidas quando foram encontrados. Nem todos eles, mas os 155 deputados que votaram a favor desta lei que coloca toda a Grécia para venda, das empresas públicas (água, energia, portos, etc) para as praias, montanhas e ilhas. Nenhum destes 155 político teve a coragem de ir para uma caminhada ou um café sem ser escoltado por policiais armados. ” Para Vatikiotis, o ódio do povo grego é compreensível se você entender essa situação “como um regime de ocupação econômica começou esta semana com a nomeação, em cada ministério de funcionários da UE. Somente durante a ocupação nazista algo semelhante tinha acontecido “.

    http://www.elconfidencial.com/mundo/2011/inside-job-grecia-medidas-europa-20110706-81039.html

    Gostar

  56. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 10:45

    “Já li o memorando sim, e muitas das medidas que o governo implementou não estão lá”
    .
    .
    Nunca os credores se opõem a medidas adicionais. Eles impuseram as suas condições. Mas nunca impedem que se tomem mais medidas, que melhorem ainda mais o país a atingir os objectivos.
    .
    .
    Da mesma forma, as medidas que eles sugerem podem ser trocadas por outras que permitam atingir o mesmo objectivo, pois as metas são os objectivos, as políticas e medidas a implementar não dependem apenas do Governo, mas não são impedidas pelos credores, se julgarem que complementam ou até melhoram as que sugerem ou impõem.
    .
    .
    Nisso eles são fléxiveis, excepto nos objectivos e metas a atingir.
    .
    .
    Os gregos não cumprem o que aceitaram implementar. E agora pagam arduamente, tanto a nível interno como externo. Não conseguem gerar confiança e deprime ainda mais a actividade económica.
    .
    .
    Quem quer ser grego, vai-se ver grego. eehehehehehh

    Gostar

  57. Portela Menos 1 permalink
    19 Setembro, 2012 10:54

    Rogério, Posted 19 Setembro, 2012 at 09:36
    .
    continuas a acreditar nas mentiras que te contam lá em tua casa acerca da orientação clubistica e sexual do Portela.

    Gostar

  58. tric permalink
    19 Setembro, 2012 10:55

    Gostar

  59. tric permalink
    19 Setembro, 2012 10:57

    e o milagre das exportações ?

    Gostar

  60. semis permalink
    19 Setembro, 2012 10:58

    Tão e agora, anti-comuna como é que vai ser aqui a politica orçamental em portugal? More taxes?

    Gostar

  61. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:00

    “Os gregos não cumprem o que aceitaram implementar. E agora pagam arduamente, tanto a nível interno como externo. Não conseguem gerar confiança e deprime ainda mais a actividade económica.”
    .
    os portugueses conseguem gerar uma confiança que é uma coisa doida…as PME´s essas estão a cair que nem tordos de tanta confiança !!!

    Gostar

  62. Fernando S permalink
    19 Setembro, 2012 11:02

    anonimo : “mas quem é o estado para se achar no direito de orientar os consumos das pessoas entre transacionaveis e nao transacionáveis, quando isso é uma decisão do mercado? Pior ainda:que direito é esse do estado interferir no livre mercado, em regular os preços dessa forma, mandando palpites aos empresários para baixarem os preços e reduzirem a sua margem de lucro.”
    .
    Ja respondi varias vezes a este seu argumento …
    O Estado não interfere mais nos mercados do que já fazia. Antes pelo contrário, no final até diminui o seu grau de intervenção.
    O governo limita-se a alterar os padrões de fiscalidade. A fiscalidade é por definição uma intervenção do Estado na economia. Já existia, não desaparece. Nem sequer aumenta por causa desta medida sobre a TSU. A carga fiscal total sobre a economia privada não aumenta. Apenas é repartida de modo diverso.
    Como o JM referiu varias vezes aqui no Blasfémias, a medida sobre a TSU traduz-se numa flexibilização adicional do mercado de trabalho. Os trabalhadores e os empresarios podem agora negociar niveis de remuneração mais ajustados às condições dos mercados. Neste sentido, o mercado de trabalho é mais livre, o Estado, através da legislação laboral, condiciona-o menos.
    Através da fiscalidade o Estado altera os niveis de rendimento das pessoas. Sempre o fez, sempre o fará. Mas não interfere directamente nas decisões das pessoas quanto aos seus gastos e consumos. As pessoas continuam a decidir livremente como utilizar os seus rendimentos. O que se sabe é que, sendo as pessoas razoavelmente racionais, é natural que com diferentes niveis de rendimentos decidam (livremente) alterar os seus padrões de consumo.
    O mesmo raciocionio se aplica às empresas. O Estado não obriga os empresarios a baixar preços. Baixam se quizerem, se acharem que é do interesse das empresas. O que é natural é que, tendo as empresas menores custos de produção, decidam (livremente) baixar os seus preços de venda, nomeadamente para fazer face aos efeitos da recessão e das politicas de austeridade sobre as respectivas procuras. Cada empresa pode decidir livremente o que fazer com a margem financeira ganha : baixar preços de venda, melhorar as margens, aumentar as remunerações nominais dos trabalhadores, recrutar mais trabalhadores, etc.
    A natural evolução do padrão global de consumo, em resultado dos efeitos da recessão e das politicas do governo, vai no bom sentido : diminuição da procura de bens não transaccionáveis e aumento da de bens transaccináveis, tanto a externa (exportações) como a interna (substituição de importações e bens supérfluos). Este ajustamento é acentuado por medidas do governo tendentes a reduzir as despesas do Estado artificialmente dirigidas para actividades do sector de bens não transaccionáveis e tendentes a diminuir as vantagens e privilégios descriminantes a favor destas actividades, ou seja, a favorecer a livre de concorrência nos mercados.

    Gostar

  63. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:05

    Portugal vai ter que ter que perdão da divida, vai ter que renegociar a sua divida, etc, etc…e o resto é paisagem !! só de pensar que o Governo apresenta uma taxa de desemprego de 16% …e não cai no dia a seguir !!??

    Gostar

  64. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:09

    “Ja respondi varias vezes a este seu argumento …
    O Estado não interfere mais nos mercados do que já fazia. Antes pelo contrário, no final até diminui o seu grau de intervenção.
    O governo limita-se a alterar os padrões de fiscalidade. A fiscalidade é por definição uma intervenção do Estado na economia. Já existia, não desaparece. Nem sequer aumenta por causa desta medida sobre a TSU. A carga fiscal total sobre a economia privada não aumenta. Apenas é repartida de modo diverso.”
    .
    é só liricos…o Estado acabou de nacionalizar praticamente a totalidade da Banca Nacional…com um poder destes e não negoceia as parcerias publico privadas !!??? realmente o Governo não está ao serviço dos portugueses…

    Gostar

  65. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 11:13

    O problema em Portugal resume-se a isto. Vivem de utopias e das sebentas e raramente pensam nos problemas a sério e formas de os resolver. E quase sempre propõem soluções de curto prazo e para apagar fogos. E, portanto, têm enormes dificuldades em pensar para além do dia seguinte e dos problemas que podem criar ao tentar resolver os mais urgentes. Portanto, andam aos zigue-zagues. Mudam de opinião como quem muda de camisa, porque, como vivem de sebentas e ligam pouco ao passado (e todas as experiências alheias que nos podem ajudar a evitar erros e a criar mais problemas do que os que resolvemos), eles têm um determinado martelo e todos os problemas lhe parecem pregos. E vai tudo a eito a martelas pensando que tudo são pregos e que resolvem os problemas assim.
    .
    .
    Vejam bem. Das primeiras pessoas a dizer que Portugal tinha que se safar a exportar fui eu. Aos poucos esta malta pouco pensadora, foi descobrindo, não apenas que Portugal exportava, como até era crucial para sairmos da crise. Chegaram tarde e a más horas.
    .
    .
    Entretanto, esta gente defendia de tudo um pouco: desvalorizações cambiais, fiscais, salariais, etc. Um a um, estas abéculas foram aprendendo com a realidade que a mais das vezes, isso são paliativos e criam ainda mais problemas do que os resolvem.
    .
    .
    Para correrem com o anterior governo suspiravam pelo FMI. Uns acreditavam piamente que, como os políticos portugueses são maus, só com cobradores do fraque estrangeiros é que Portugal conseguia-se safar. E lá andava eu aqui a dizer: fazer tudo por tudo para não chamar o FMI, mesmo que as taxas de juro nos custassem os olhos da cara. Era uma voz minoritária. Mas eu sabia porque o defendia. Sei como funcionam estas coisas e sei como é que foi no passado.
    .
    .
    Agora andam os murcões abatidos porque o FMI é duro e muito chato. Pois claro. Pensavam que cumprir as condições impostas pelo FMI era pêra doce. Só liricos e gente que não aprende, tanto com os erros do passado como alheios. As receitas do FMI funcionam quase sempre mas custa imenso e há alternativas. Mas quem pede dinheiro ao FMI já sabe quais são, regra geral as normas com que se regem. Quem não quer se sujeitar a essas condições, não pede pela sua vinda. Ponto final, parágrafo.
    .
    .
    Havia umas abéculas que defendiam o default. Nem eles sabiam as reais consequências de um default como até as consequências dos custos de um default. Pensavam que basta dar o calote e já temos o caminho resolvido. Não é assim e nunca o foi. O calote é a última arma a utilizar, porque os custos a médio e longo prazo são de tal forma elevados, que quem o faz só o deve fazer em último caso e quando todas as outras soluções não conseguem resolver os problemas. Os gregos deram um default e não cumpriram. Estão ainda piores do que estavam antes de dar o calote.
    .
    .
    Mas esta gente, lirica, defendia o default como se fosse fácil, simples e barato. Não estudaram o calote de 1890/1 e quanto custou a Portugal e aos portugueses. O Botas, sabendo do que tinha acontecido antes, nunca deu default nenhum e mostrou que estava correcto. O Botas podia ser simplório mas não era burro nenhum, ao contrários dos “cosmopolitas” de hoje.
    .
    .
    Agora querem em Portugal dar em gregos e não assumir os custos e as dores de medidas propostas por Portugal, para baixar os custos de trabalho. Foram os portugueses que indicaram as medidas aos credores, já que estes anseiam por um corte nos custos de trabalho. Portugal aceitou estas condições e até foi Portugal que sugeriu o corte da TSU pelo IVA. Agora não querem cortar na TSU ou se o fizerem a troco de um corte maior na despesa. Mas como é possível aumentar ainda mais o esforço no corte da despesa, desta grandeza e em tão pouco tempo? São malucos? São adiantados mentais? Devem ser adiantados mentais.
    .
    .
    Esta gente, para resolver um problema, cria sempre um outro maior. Porquê? Tótós e liricos. Pensam que o mundo é fácil e que seria fácil a Portugal cumprir as condições do FMI.
    .
    .
    Andam sempre em zigue-zague e atrasados. Nunca pensam nos problemas a sério e são sempre soluções de curto prazo, em que acabam por empurra os problemas com a barriga. E porquê? Porque lêm e copiam os que lêm noutros blogues anglo-saxónicos. Esta gente não tem células cinzentas. Seguem modas, papas, biblias e ideias alheias. Mas pior que seguirem as ideias alheias, é não compreenderem que também seguem os interesses alheios.
    .
    .
    Que desgraça de gente que quer ser elite em Portugal. lolololol
    .
    .
    É por isso que o país chegou onde está e continua na cepa torta. Se as lideranças são um nojo e elas nunca pensam pela sua cabeça e limitam-se a copiar o que lêm no exterior. O Eça é que tirou bem a pinta a estas elites fraquitas. Como Portugal mudou mas a piolheira continua igual. ehheeheheheh

    Gostar

  66. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:14

    é como a RTP…o Passos diz que não vai entregar a RTP a empresas estrangeiras…quando acaba de entregar a RTP a um dos “testas de ferro” da Sinagoga Portuguesa na Holanda em Portugal…inacreditável !! inacreditavel foi também a campanha publicitaria da Sagres, que apareceu num timming interessante, em todas as televisões portuguesas…estes gajos nunca mais caem !!!

    Gostar

  67. piscoiso permalink
    19 Setembro, 2012 11:15

    Se Portugal não cumprir as condições …, temos o caldo entornado.
    Os gregos não cumprem o que aceitaram implementar.” – anti-comuna
    Estive há dias na Grécia e não vi nenhum caldo entornado.

    Gostar

  68. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:16

    “O problema em Portugal resume-se a isto. Vivem de utopias e das sebentas e raramente pensam nos problemas a sério e formas de os resolver. ”
    .
    anti-comuna, você e o seu milagre das exportações não vive na utopia…vive na ficção !!!

    Gostar

  69. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:21

    anti-comuna, então o “milagre” português das exportações foi a saida de ouro de Portugal…impressionante!!

    Gostar

  70. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:24

    “Mas como é possível aumentar ainda mais o esforço no corte da despesa, desta grandeza e em tão pouco tempo?”
    .
    ohh anti-comuna, sinceramente, este Governo está em funções ha quase um ano e meio…vir com choradeiras destas, só quer dizer que a piolheira continua no Governo!

    Gostar

  71. Eduardo permalink
    19 Setembro, 2012 11:31

    O tric acha que se o governo “apresentasse” uma taxa de desemprego de 0%…

    Gostar

  72. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 11:32

    Lá vem o Tric e as suas maluquices. Outro grego que se vê grego para perceber o mundo em que vive. ehheeheheh

    Gostar

  73. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:36

    “O Botas, sabendo do que tinha acontecido antes, nunca deu default nenhum e mostrou que estava correcto. O Botas podia ser simplório mas não era burro nenhum, ao contrários dos “cosmopolitas” de hoje.”
    .
    o Botas, defendia o protecionismo, moeda própria, etc, etc… e jamais permitia que o FMI/BCE conduzissem a politica económica de Portugal, por um caminho que não leva a lado nenhum…tal como sucedeu, quando o FMI/BCE defenderam a venda de 300 toneladas de ouro de Portugal, com o objectivo de apoiar a estratégia de embriaguez do credito promovida pelo sector financeiro…o Botas já tinha dado um murro na mesa !!

    Gostar

  74. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:43

    “Lá vem o Tric e as suas maluquices. Outro grego que se vê grego para perceber o mundo em que vive. ehheeheheh”
    .
    sim, sou maluco…ando para aqui a falar milagres das exportações…

    Gostar

  75. Não Interessa permalink
    19 Setembro, 2012 11:46

    “Nunca os credores se opõem a medidas adicionais. Eles impuseram as suas condições. Mas nunca impedem que se tomem mais medidas, que melhorem ainda mais o país a atingir os objectivos.”

    É muito bom a ler memorandos e péssimo a ouvir as notícias, só pode. “Melhorar”? Desligou o cérebro para fazer esse comentário? Tem noção de como anda a execução?

    Gostar

  76. A C da Silveira permalink
    19 Setembro, 2012 11:47

    “Portugal emitiu hoje divida e os juros cairam a pique”!

    “Acontracção da economia diminuiu em Julho”!
    Importante é isto, o resto são soundbites, e estados de espirito!

    Gostar

  77. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:50

    “O tric acha que se o governo “apresentasse” uma taxa de desemprego de 0%…”
    .
    apresentar uma taxa de desemprego para de 2013 de 16%, o que é absolutamente I-NA-CRE-DI-TÁ-VEL, é afirmar que o desemprego vai crescer 0% face a 2012 !!! enfim…

    Gostar

  78. tric permalink
    19 Setembro, 2012 11:54

    “Portugal emitiu hoje divida e os juros cairam a pique”!
    “Acontracção da economia diminuiu em Julho”!
    Importante é isto, o resto são soundbites, e estados de espirito!
    .
    mas desde quando é que Portugal foi aos mercados e a operação não foi um sucesso!!!???a contracção diminui em Julho, porque é Julho !! as pessoas sempre gastaram um pouco mais…soundbites e estados de espirito lol

    Gostar

  79. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 11:56

    Silveira, estes liricos não pescam nada disto. É só gente a brincar com a vida alheia.
    .
    .
    “O Estado português voltou esta manhã a testar o apetite dos investidores e o mercado reagiu até melhor do que o esperado. Portugal vendeu mais dívida do que previa e nos títulos a 18 meses a taxa de juro implícita ficou aquém de 3%, abaixo do preço pago ontem por Espanha.”
    .
    “Na dívida a 18 meses, a taxa de juro implícita ficou abaixo da fasquia de 3%, em 2,967%. Este valor fica bem aquém dos 4,537% suportados pelo Estado em Abril, na primeira vez que se financiou através de Bilhetes de Tesouro a 18 meses desde que o país pediu assistência externa. Esta taxa fica inclusive abaixo das expectativas dos analistas que, tendo por base a taxa no mercado secundário das Obrigações do Tesouro com maturidade próxima, antecipavam que a emissão resultasse num “custo” entre 3,5% e 3,8%.
    .
    Refira-se ainda que esta taxa de juro implícita de 2,967% é também inferior, ainda que ligeiramente, à ontem paga por Espanha (3,072%) para colocar títulos de igual maturidade.”
    .
    .
    in http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=579457
    .
    .
    Antigamente os murcões diziam que os mercados estavam correctos em penalizar Portugal e a sua má governação. Agora já fazem de conta que os mercados estão a premiar a estratégia portuguesa e a começarem a acreditar em Portugal e nos portugueses.
    .
    .
    Então estes murcões estão a chegar à praia e desistem e querem dar meia-volta? Bolas para os murcões que pululam por aí. São ceguetas? Não compreendem que o pior pode já ter passado?

    Gostar

  80. semis permalink
    19 Setembro, 2012 11:58

    Através da fiscalidade o Estado altera os niveis de rendimento das pessoas. Sempre o fez, sempre o fará. Mas não interfere directamente nas decisões das pessoas quanto aos seus gastos e consumos. As pessoas continuam a decidir livremente como utilizar os seus rendimentos. O que se sabe é que, sendo as pessoas razoavelmente racionais, é natural que com diferentes niveis de rendimentos decidam (livremente) alterar os seus padrões de consumo””
    É e.rdade, mas o problema é que o aumento da contribuição da parte dos trabalhadores é um agravamento dessa interferência .Dantes as pessoas tinham mais margem de manobra para que gastar em que produto fosse, fosse qual fosse a natureza.Ora, voce diz que continuam a ter, mas a verdade (e que voce nao pode negar,as pessoas nao sao estupidas) tem o objctivo de decidir os tipos de consumo, o que para mim é inadmissivel e inenarrável.É que nao existe transacionaveis e nao transacionaveis, existem simplesmente bens.Se as pessoas teem menos dinheiro, logo mesmo os bens de primeira necessidade e os transacionáveis serão menos vendidos.Além de que as exportações nunca serão suficientes para sustentar a nossa economia.

    “O mesmo raciocionio se aplica às empresas. O Estado não obriga os empresarios a baixar preços. Baixam se quizerem, se acharem que é do interesse das empresas. O que é natural é que, tendo as empresas menores custos de produção, decidam (livremente) baixar os seus preços de venda, nomeadamente para fazer face aos efeitos da recessão e das politicas de austeridade sobre as respectivas procuras. Cada empresa pode decidir livremente o que fazer com a margem financeira ganha : baixar preços de venda, melhorar as margens, aumentar as remunerações nominais dos trabalhadores, recrutar mais trabalhadores, etc”
    Lá está.Não “obriga” directamente, mas organiza as coisas de modo a que isso aconteça.Isso obrigaria as mpresas a reduzirem ainda mais a sua margem de lucro.Mas voce contradiz-se: se baixando os preços, o consumo de nao transacionáveis se mantiver, logo qual é a necessidade de aumentar a contribuicao dos trabalhadores?
    Mas adianto-lhe já uma coisa: o frederico fortunato mais outros empresário de transacionáveis, como texteis e calçado, ja vieram a publico desmentir as supostas vantagens dessa medida, dizendo que nao teria efeitos positivos no emprego.
    E digo mais: o governo ate ao final da semana vai alterar esse ponto.

    Gostar

  81. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 11:58

    já agora, o semis sou eu!

    Gostar

  82. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 12:01

    Ah! E os murcões do costume que ponham os olhos neste facto que é de importância capital:
    .
    .
    “Na dívida a 18 meses, a taxa de juro implícita ficou abaixo da fasquia de 3%, em 2,967%”
    .
    .
    Em teoria, já fora do “guarda-chuva” da Troika. Para além de Setembro de 2013.
    .
    .
    Eu disse-o aqui algumas vezes. Por esta altura e por alturas do fim-do.-ano, os investidores internacionais iriam fazer filinha para emprestarem a Portugal. Olhem eles “desesperados” por emprestar dinheiro ao Estado português, às empresas portuguesas (a EDP foi a primeira) e que irá fazer com que os efeitos do credit crunch em Portugal se esfumem quase instantaneamente.
    .
    .
    Esta gente é murcãozola e não pesca nada disto. Lêm umas coisicas aqui e acolá, crentes que já sabem tudo e mais alguma coisa. Felizmente os mercados costumam depenar as coroas a esta gente lirica e ingénua. ehheeheheheh
    .
    .
    Deus escreve direito por linhas tortas. 🙂

    Gostar

  83. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 12:06

    “Então estes murcões estão a chegar à praia e desistem e querem dar meia-volta? Bolas para os murcões que pululam por aí. São ceguetas? Não compreendem que o pior pode já ter passado”
    Eu diria que já chegamos a praia: á praia da vitória nos açores ehehehe que fica longe do continente
    AC: eu sei que me vai dier que com o fmi é dificil.É verdade meu querido e amoroso amigo: Mas é preciso reformar a saúde, no sentido de um estado mais pequenos e mais eficaz no seu serviço, reformas o sector bancário, reformar a justiça, o arrendamento,.Fechar organismos e fundações que não servem para nada
    Os grandeshomens não são aqueles que ficam de braços cruzados! Lembre-se de churchill meu caro.De De thatcher.Lembre-se de Aznar.

    Gostar

  84. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 12:18

    “Os grandeshomens não são aqueles que ficam de braços cruzados! Lembre-se de churchill meu caro.De De thatcher.Lembre-se de Aznar.”
    .
    .
    Um borrachola, um vendi aos petro-dólares e a única que tentou fazer alguma coisa (semelhante a este governo português mas que o governo inglês nem sequer imita) foi corrida pelo seu próprio partido. O mesmo que pode estar para acontecer em Portugal.
    .
    .
    Grandes homens fazem coisas mesmo contra a maioria da opinião pública e elites de nojo. Vc. acaba de me dizer que o Passos Coelho é… Um grande homem! lol

    Gostar

  85. tric permalink
    19 Setembro, 2012 12:24

    “Grandes homens fazem coisas mesmo contra a maioria da opinião pública e elites de nojo. Vc. acaba de me dizer que o Passos Coelho é… Um grande homem! ”
    .
    é um Grande Homem!! é um homem que lê as projecções para Portugal do FMI como de factos se tratassem…aquela afirmação no Pontal…e depois ainda vem o Gasparzinho, tambem, depois de em 2012 o FMI ter errado as projecções para Portugal, continuar a credibilidade às previsões do FMI como se nada tivesse acontecido em 2012…este gajos deviam era ser corridos a pontapé!!! 16% de desemprego em 2013 !!!??? PQP, fora a mãe deles que não tem culpa nehuma!

    Gostar

  86. tric permalink
    19 Setembro, 2012 12:32

    ” Grandes homens fazem coisas mesmo contra a maioria da opinião pública e elites de nojo. ”
    .
    Passos é um Grande Homem…a maioria da opinião publica a pedir a renegociação imediata e sem condições das PPP´s …e o Grande Homem, Passos Coelho, contra a maioria da opinião publica e das elites nojentas, recusa-se em absoluto no abrir de tais negociações, o GRANDE Homem diz que tais acordos estão blindados !!! Grande Homem…

    Gostar

  87. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 12:36

    Grande parte dos murcãozolas diziam que Portugal nunca iria corrigir o seu défice externo, dentro do euro. Estes murcãozolas replicavam o que esgazeado Faragel (neo-nazi, claro está) dizia e continua a dizer.
    .
    .
    Contra tudo e contra todos (havia aqui alguns que todos os meses me dizia e desenganava: as exportações vão colapsar, as exportações vão colapsar) Portugal, dentro do euro e sob forte pressão cambial por parte do dólar, que está a ser empurrado para baixo pela Reserva Federal americana, lá continuou a exportar. Dentro do euro e com uma moeda forte. Nada que me espante, porque sempre foi isso que eu acreditei e defendi ser possível.
    .
    .
    “xportações nacionais aumentam 8,3% em Julho”
    .
    in http://economico.sapo.pt/noticias/exportacoes-nacionais-aumentam-83-em-julho_152114.html
    .
    .
    Não apenas Portugal continua a aumentar as suas exportações, sobretudo crescem para fora da Área Euro, como não foi preciso desvalorizações salariais, fiscais ou cambiais. Mas esta gente que defendia as desvalorizações cambiais agora estão contra medidas que pretendem atingir os mesmos objectivos sem as mesmas externalidades negativas. (O JEM já nomeou aí algumas, mas poderia nomear outra crucial: uma penalização da actual situação liquida global da economia portuguesa, que é de primoridal imprortância não agravar.)
    .
    .
    Esta gente não pensa nos problemas. Têm os seus martelinhos e toca a martelar em tudo que lhe pareça um prego, taxas ou parafusos. ahahhahahah Maltditos marceneiros e carpinteiros que andam a dormir.
    .
    .
    O credit crunch português, que está deprimir ainda mais a procura interna, está em vias de se esfumar. Não apenas já afluem capitais a Portugal (claro que erradicar o défice comercial foi deveras importante e necessário para que tal fosse possível) vindos do exterior, como a poupança interna começa a financiar o investimento em vez do consumo, que poderá estimular o investimento e servir como contra-partida de uma queda eventual no consumo privado. Claro que este facto não entram nas cabecinhas desta gente. Acham que conseguem manipular umas variáveis e explicar mecanismos económicos mais alargados e até complexos, que meras fórmulas matemáticas.
    .
    .
    O fim do credit crunch e poucos estão a apanhar o facto:
    .
    “Procura por obrigações da REN duplica oferta”
    .
    in http://economico.sapo.pt/noticias/procura-por-obrigacoes-da-ren-duplica-oferta_152115.html
    .
    .
    Esta procura por dívida empresarial mostra o fim do credit crunch e que a economia portuguesa começa a revelar sinais de melhoria espectaculares. Estes murcãozolas não entendem estes fenómenos e limitam-se a copiar o que lêm algures por aí.
    .
    .
    O pior pode já ter passado, a economia portuguesa pode estar a começar a revelar sinais de normalidade, o credit crunch em vias de acabar, o investimento produtivo a começar a obter mais e melhores fontes de financiamento, etc. O papel da credibilidade do Estado e deste através do governo é importante. Crucial até. E quando tudo aponta que a praia começa a estar perto, que já se vêm gaivotas a esvoaçar de volta dos portugueses e das suas empresas, o que decide este país, em delirio colectivo? Deitar tudo a perder, fazer manifes tolas e a deitar fora todo o esforço que fizeram nos últimos anos. Querem sofrer mais. Querem ser gregos para se verem ainda mais gregos.
    .
    .
    Palavra de honra. Nunca vi coisa igual. Então o pior pode já ter passado e demonstraram ao mundo que serão capazes de ultrapassar esta crise grave que Portugal atravessa, e dão em gregos? Querem deitar tudo fora? Só porque não gostam do Primeiro-Ministro ou dos seus ministros? Vcs. são malucos? Vcs. têm consciência do que estãoa deitar fora? Do quão inglório vai ser o vosso esforço no futuro?
    .
    .
    Bolas. Deixem-se de tolices e pensem que o pior pode já ter passado e o mais dificil foi conseguido: trazer de volta a confiança aos portugueses e a Portugal. Isto foi o mais importante e dificil. Não sejam tolinhos e meditem bem em cada passo que dão, porque, ao quererem deitar a água do banho, também deitam fora o bébé.
    .
    .
    Quereis vos ver gregos?

    Gostar

  88. tric permalink
    19 Setembro, 2012 12:38

    “Esta gente é murcãozola e não pesca nada disto. Lêm umas coisicas aqui e acolá, crentes que já sabem tudo e mais alguma coisa. ”
    .
    sim…as exportações…é a Espanha que não cai…é só milagres…é os mercados a roubarem…

    Gostar

  89. Carmen permalink
    19 Setembro, 2012 12:43

    Em 2008 a União Europeia achava que para contrariar a crise o que era bom era o investimento público. Tomaram-se então as medidas da “iniciativa para o investimento e o emprego” pela Europa toda, Portugal incluído (Fevereiro de 2009). Escolas, painéis solares, sei lá. http://www.dgap.gov.pt/upload/Legis/2009_dl_34_06_02.pdf
    Pouco depois, a União Europeia já começou a achar que o que contraria a crise é a “austeridade”. Acabou-se o regabofe do investimento, das energias renováveis, da reabilitação urbana.
    Agora, e depois de se verificar, não só que os bancos ainda não estão totalmente salvos, como que o desemprego e a recessão aumentam (disto é que, pelos vistos, não estavam nada á espera, que contrariedade!), a Europa já acha que o que é bom mesmo é os trabalhadores financiarem as empresas. Agora é que vai ser, agora é que vamos exportar.
    Vemos que as luminárias que nos governam andam na verdade completamente à toa. Antes e agora. Defendem-se medidas, os contribuintes pagamos essas medidas. Depois defendem-se outras medidas contrárias, os contribuintes voltamos a pagar.
    O que é assustador é que é sempre a mesma gente a ter estas ideias. Não funcionam, não faz mal, temos mais nas nossas lindas cabecitas. Quem nos levou à crise não nos pode salvar. Pela simples razão de que nem na Europa, nem em Portugal, há um único político (ou funcionário do BCE, ou Comissão) que sonhe sequer ter estado errado. Nunca ninguém erra. Como se tem dito ultimamente, a realidade é que erra. Assim, o erro de base continua intocado.
    A medida da TSU é mais uma das que são tomadas em desespero de causa para ver se é desta que acertamos.
    A vida real ensina que uma empresa só contrata se vai vender mais produtos ou serviços, e não porque os ordenados baixam. E que uma empresa só despede quando realmente não precisa dos trabalhadores porque não vende bastante. O sonho de qualquer empresário é ter necessidade de pessoal. O custo da mão de obra não é o problema. Ninguém no Governo fala em fazer descer seriamente o custo dos outros factores de produção, esses sim realmente caros (energia, p. ex., mas aí já estamos no mercado livre…). Ou o custo incomportável de todas as taxas, obrigações de todo tipo e “portagens” em geral que o Estado hoje exige para se poder trabalhar. Ou para qualquer coisa.
    A chamada “desvalorização fiscal”, apenas salarial, já se vê, não tem em conta que vivemos num país com salários muito baixos e preços muito altos.
    Em todo o caso, creio que é fatal a maneira em como este governo transmitiu a ideia de que está perdido, desesperado, não sabe o que fazer. Se eles não sabem, e são “especialistas”, não há realmente esperança.
    Carmen

    Gostar

  90. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 12:50

    “Grandes homens fazem coisas mesmo contra a maioria da opinião pública e elites de nojo. Vc. acaba de me dizer que o Passos Coelho é… Um grande homem! lol
    AHAHAHAHAH, anti-comuna, mas que medidas significantes é que o governo tomou? Zero! Batatoides!Vai me desculpa anti-comuna, mas está-lhe a oferecer um titulo que não é deles.Grandes são os nossos empresários, e se não fossem eles isso das exportacoes nao tinha acontecido.Os empresarios é que teem feito alguma coisa para governar o pais
    Lamento desiludi-lo, mas o governo tem sido completamente a todos os outros: a durmir nos gabinetes,e em festanças.E ainda vem criticar os de lisboa! Se a hipocrisia matasse.Mas enfim.Voce tem de defender os seus favores com o psd ! Voce é um laranjinha

    Gostar

  91. Observador permalink
    19 Setembro, 2012 12:58

    Esta rapaziada já não tem remédio. Rua!…

    Não é pelo facto de se tentar maquilhar, modelar, ou calibrar uma decisão estúpida, que a mesma deixa de ser estúpida. Não há meia-estupidez.
    O que estes cretinos (coverno) andam a anunciar, é mais uma ideia comunista sem nexo.
    Já hoje, quem ganha mais, paga obviamente mais. 11% de 700€ é menhos dinheiro que o obtido de 11% de 2.000€. Outra qualquer regra é para acentuar desigualdades.

    Gostar

  92. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 13:05

    AC, nao se importa de repetir tudo sff. Vc é uma especie de Gaspar ao contrario. Nao sei aonde está a parra e se a uva é boa, mas de uma coisa tenho a certeza, vc nao vive em Portugal. De certeza.
    .
    Note bem. A contrario do q vc dizia a recessao é pior do que o estimado. O defice é pior do que o estimado. O endividamento maior do qno esperado. E quer saber porque é que o defiçe externo é melhor? Porque as importacoes desceram mais do que o estimado. Nao foi porque as exportacoes estao acima, ao contrario do que vc diz. As exportacoes vao andando com inversao do crescimento, mas andando. Para fora da UE a coisa faz-se em USD. And guess what, o dolar subiu face ao euro. Sabe quanto, nao sabe? Desconta lá isso nas exportacoes para fora da ue sff, porque mais 15 % é mesmoo efeito cambial, quer vc goste o nao.
    .
    Entao vc admira-se q m pais ntervencionado tenha taxas mas reduzidas. Ainda por cima depois das declaacoes do BCE? Até a grecia foi aos mercados, veja bem, até a grecia.
    .
    Rb

    Gostar

  93. Cáustico permalink
    19 Setembro, 2012 13:07

    O quadro supra do João Miranda é apenas o reflexo das suas (dele) convicções. Nada mais.
    Está sustentado apenas naquilo em que ele acredita. Não tem nada de ciência económica e tem tudo de preconceito ideológico.
    Acreditar nas virtudes da medida apresentada (relativa à TSU) é como querer aplicar a ciência da navegação ao pato na banheira lá de casa.

    Gostar

  94. JCA permalink
    19 Setembro, 2012 13:08

    .
    Esta é para ‘copy and past para ler fóra de ‘linguados’ para consumismo informativo ‘do mais do mesmo’ ou ‘fundamentalismos cientificos do agarrem-me senão eu matos-os’ ou ‘talibanismos académicos manhosos deixa-os os pousar que depois eu mato-os’.

    Interessa um Ponto da situação frio e anti-emoções porque gestão de emoções só são sucesso quando não há tantas e tantas carteiras vazias.
    .
    Simplesmente estamos a falar de VIDA, REALIZAÇÔES PESSOAIS participativas no TODO DE PESSOAS que são Portuguesas porque paridas dentro de Portugal (o essencial).
    .
    Enquadrando além de ideologias, teorias de Keynes ou Chicago ou Marxismo ou Sovietismo ou Trotskismos ou Excels analfabetos de quem não sabe pôr um softwares a antar o que se quere fundamentalismos de clubes partidários (lobies) ou sebentismos de gajos que para se impressionarem entre eles o que vale é um doutoramente de ‘copy and past’ (cola e cuspo) dumas mil folhas (ai tanto trabalho e esforço …… mas para embasbacar ainda faltam mais 2000 ou 50000 folhas) ou seja lá o se for. .
    .
    Resumindo à Leonordo da Vinci,
    .
    a simplicidade é máximo da sofistificação (das tais 3’0000 folhas de mestrados e doutoramentos, esforços vãos prejudiciais ao Pensamento de certa ‘seita academico-inteletual’que se auto-hipnotisa vivendo-se virtualmente como se fosse ‘must’, o ‘top’):
    .
    1) As Governanças com a embalagem de Fés não mais fizeram a ignorancia teorica e o obscurantismo do ‘COMPLEXO LEGO NO CONHECIMENTO’ (tira daqui e põe ali ou não põe em lado nenhum etc codificado na infância e adolescência) meteu-se numa CAMISA DE SETE VARAS (um Lego com centenas de peças à disposição das fantasias teóricas que se queira),
    .
    2) esssa camisa de sete varas provocada pelo que chamo e bem o codigo mental derivado do ‘COMPLEXO LEGO NO CONHECIMENTO’ que na infancia e adolescencia escravizaram as respetivas meninges cerebrais para sempre desencadearam
    .
    a reação da VIDA contra as coisas dos Legos desencadeando o furacão que começou a rolar a 15.SET dos que estiveram presentes e não estiveram, sem importância porque o essencial é o espirito, a ‘alma’ que preside por cima.
    .
    Na sequência do Furacão que começou a acelerar pelas forças do acaso (o tal INORGANICO do 15.SET que eventualemente até escapa a algum ‘modelo’ de alguns dos promotores; aquilo que a quase totalidade da ‘elite’ academico-cientifica dos ‘modelos’ não percebe e para não ficar mal vista na incapacidade de Conhecimento refugia-se no que chama ‘acaso’),
    .
    a rapaziada do ‘COMPLEXO LEGO DO CONHECIMENTO’ desatou a desencadear novas ‘camisas de sete varas’ do afinal não era tirar daqui para por ali mas tirar dali para para pôr aqui ou outras fantasias e modelos intelectuais semelhantes aos putos que fantasiam no quarto com 1.000 peças de lego …
    .
    o tal ‘codigo mental’ a garrafa arrolhada dentro da qual esvoaçam hiperativamente …… mas no fim nunca saem da mesma garrafa apesar de terem feito intelectualmente tantos ‘bonitos’ de 4.000 folhas de ‘mestrados, doutoramentos’ (atenção nesta analise não estamos no plano dos basicos mas no acima ‘grandeza)
    .
    ora se à camisa de sete varas que provocou o furacão, a tal comunidade académico elixir-academico-inteletual tenta controlar ‘climáticamente elite das elites’ lhe manda para cima uma nova infinidade de camisas de sete varas certo e sabido
    .
    que o furacão acelera muitíssimo mais e da DEVASTAÇÃO passar à fase seguinte da DEVASTAÇÃO DA POLIS, do REGIME e do SISTEMA a curttissimo prazo.
    .
    É no experimentalismo que o TEMPO continua a estar por parte dos ventos a favor e dos ventos contra, ou seja SITUAÇÃO e OPOSIÇÃO.
    .
    Entrelinhando as dividas de facto não são liquidar. Quem investe em empréstimos interessa-lhe é que lhe paguem os juros. Exatamente como quem investe em comprar prédios lhe interessa é ter rendas.
    .
    Portanto essa de que temos de pagar o que devemos à escala hiperbolica dos montantes emprestados não passa doutra boca ‘em cima do joelho’ da comunidade afetada pelo ‘COMPLEXO LEGO DO CONHECIMENTO’
    .
    Apenas temos de nos organizar para pagar os JUROS SEM O EMPOBRECIMENTO e a DESTRUIÇÃO em curso.
    .
    Portanto proibir a comunidade do ‘COMPLEXO LEGO DO CONHECIMENTO’ de comtinuar a fantasia acaedmico-cientifico que se permitida a fantasiar mais com EMPOBRECIMENTOS, DESTRUIÇÃO e aquela ideia do SOFRIMENTO mimetisada de gajos a bater-se nas costas com correntes até sangrar ou doutros que por aí dizem que usariam cilicios por baixo das calças para se catigarem. Tudo para se ‘salvarem’ num ‘governo’ de ‘salvação nacional’ ……
    .
    O Governo tem de ser de RECONSTRUÇÃO NACIONAL com cortes cegos e transversais para já de 4%. Acabar com a DESTRUIÇÃO e EMPOBRECIMENTO consciente em curso embora ninguém saiba a titulo de quê nem ninguém seja capaz de garantir o então depois de acabado seguir-se-ia o quê. O absurdo e o nada.
    .
    E depois há muito tempo para aplicar o que continua a ser fantasia do ‘corte de gorduras’ que quando se corta na gordura da anca desata a berrar porque é que não cortam aquela ali das coxas ou das nádegas. Ao que estas respondem então querem-nos cortar a nós e então porque não cortam as da anca ….
    .
    a menos que afinal também adorem estas trapalhadas que duram ‘dialeticamente’ há anos e são a razão e a fonte da DESTRUIÇÃO e EMPOBRECIMENTO GERAL EM CURSO,
    .
    só há uma saída JUSTA, SUSTENTADA E ACEITE pelo Furacão imparável em curso:
    .
    CORTE CEGO SALOMONICO e TRANSVERSAL de 4% EM TODAS AS RUBRICAS DE DESPESAS DO ESTADO. Continuar a brincar aos LEGOS já se sabe o que vai dar já a seguir
    .
    Não são desabafos de qualquer dos lados da moeda. É ser positivo e construtivo para o bem comum mesmo dos que não gostam dele ou suponham que é propriedade pessoal deles.
    .

    Gostar

  95. Pedro M permalink
    19 Setembro, 2012 13:14

    Depois destas medidas (se forem para afrente), quando o desemprego para o ano ultrapassar os 20%, a recessão for superior a -5% e o déficit resvalar e não fôr cumprido como não vai ser, o que é que os imbecis deste governo vão arranjar como desculpa? E que propostas vão ter? Ainda mais impostos, mais desvalorizações salariais, mais escravatura?
    Este governo fez exactamente o contrário do que prometeu, falhou redondamente, e aqui neste blog, depois do que andaram anos a dizer do vígaro do Sócrates, vêem miseravelmente branquear estes gajos que estão agora lá?
    Santa paciência, este governo deve cair e quanto mais depressa melhor, aliás até já vai tarde.

    Gostar

  96. Cáustico permalink
    19 Setembro, 2012 13:15

    No seguimento do comentário anterior do “Observador”, importa dizer que já enoja o politicamente correcto da modulação da medida (mais e menos de 700€). São anos seguidos, primeiro de aumentos salariais diferenciados; depois de cortes diferenciados nos salários, agora (a ser verdade) de taxas diferenciadas.
    Tudo a contribuir para a extinção dos remediados (classe média portuguesa), os tais que andam com o arado às costas.

    Gostar

  97. Pedro M permalink
    19 Setembro, 2012 13:19

    E votei nos gajos, porra, fui mesmo um imbecil otário.
    Este gajo que lá está ainda mente mais descaradamente que o vígaro do Sócrates.

    Gostar

  98. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 13:21

    Ricciradi, Vc. pesca tanto disto como eu de cebolas.
    .
    .
    Eu até gostei disto aqui:
    .
    ” Para fora da UE a coisa faz-se em USD. And guess what, o dolar subiu face ao euro. Sabe quanto, nao sabe?”
    .
    .
    Nem o dólar subiu face ao euro (Vc. deve aprender estas coisas a ler o Faragel, não? ehehheeh) como os custos de produção são na sua maioria em euros. Salários, impostos, juros, etc.
    .
    .
    Mas ainda mais gostei disto aqui:
    .
    .
    ” Nao foi porque as exportacoes estao acima, ao contrario do que vc diz”
    .
    .
    Vc. também deve ter problemas de números. No meu tempo havia umas “Cinco Olhinhos” para aprendermos os números, a somar e a multiplicar, fividir e até sabermos de cor e salteado a tábuada. Vc. não deve ter passado por esse tipo de “inducação” ou comeu queijo.
    .
    .
    Quanto ao crescimento e ao défice, no final do ano cá estarei para saber se me enganei e se me enganei por muito. ehehheehehh
    .
    .
    Uma coisa lhe digo. O seu auto-carro é inglês, de dois pisos e muito fraquinho. É preferível um taxi, se possível de marca alemã, pois assim Vc. nunca chega tarde aos acontecimentos. eheheheheh
    .
    .
    PM http://www.xe.com/currencycharts/?from=EUR&to=USD

    Gostar

  99. fredo permalink
    19 Setembro, 2012 13:21

    Estive há dias na Grécia e não vi nenhum caldo entornado.
    piscoiso Posted 19 Setembro, 2012 at 11:15

    Na Grécia, como em Portugal, não se vê nenhum caldo entornado.
    É que o caldo no prato é tão pouco, que já não chega para entornar.

    Gostar

  100. Pedro M permalink
    19 Setembro, 2012 13:22

    A intenção destes gajos não é resolver o déficit e fazer crescer o país.
    A intenção destes gajos é tornar-nos pobres e miseráveis para depois poderem dizer aos patrões do estrangeiro a quem lambem as botas: “estão a ver ali Portugal? Já não precisam de ir para a China, agora na Europa já fica mais barato”.
    Vão-se mas é catar.

    Gostar

  101. Pedro M permalink
    19 Setembro, 2012 13:29

    Passaram o ano todo a dizer, agora é que é, está tudo controlado, não são precisas mais medidas, vai-se cumprir o déficit.
    Afinal não cumpriram nada, o déficit está tão mal como nos tempos do Sócrates, o governo foi um fiasco monumental, e aida há a lata de o branquear.
    O PSD e o CDS que se cuidem, se todos fizerem como eu e como os otários como eu que eu conheço e que também cometeram a asneira de pôr lá estes gajos, desaparecem como aconteceu na Grécia ao Pasok.
    E o imbecil do Seguro é outra nódoa como o Passos.

    Gostar

  102. Pedro M permalink
    19 Setembro, 2012 13:31

    Este quadro deste post é um enorme insulto a quem trabalha.

    Gostar

  103. Nuno permalink
    19 Setembro, 2012 13:32

    Onde é que se mantém o corte na despesa?? Alterar a TSU é para si corte na despesa??
    Onde é que se preserva sector privado de uma carga fiscal maior se as medidas do governo não têm impacto no defice?
    Quais são os problemas do salário minimo que são eliminados?

    Gostar

  104. Francisco Colaço permalink
    19 Setembro, 2012 13:33

    Carmen,
    .
    Reveja as suas fontes. A União Europeia nunca disse que a saída da crise era a austeridade. O que aconteceu foi que os credores querem juros tão altos para emprestar a Portugal, porque sabem que, sôfregos como estamos, aceitamos tudo.
    .
    Se não tivessemos a necessidade de pedir emprestado para financiar despesa corrente do Estado, os juros seriam normalmente muito mais baixos. Se estivessemos a reduzir dívida, teríamos juro muito próximo do zero.
    .
    É para pagar essencialmente salários e pensões e prestações sociais que pedimos emprestado. Salários e pensões e prestações sociais são 3/4 do que o Estado gasta. As PPP têm que ser renegociadas, já que o risco passou para o Estado aquando do Governo Sócrates, via Almerindo Marques. Contudo, qualquer pessoa sabe que a armadilha jurídica contida nesses contratos irá fazer reembolsar muito dinheiro. Como recentemente 170 M€ para uma concessão de auto-estrada que não foi avante. Quem fez os contratos foram simplesmente os melhores abutr… advogados da nossa praça.
    .
    No fundo, as PPP valem 2,5 G€ por ano. Os funcionários públicos valem c. 20 G€ por ano. Mesmo que conseguisse tirar 14% às PPP, reduzindo-lhes a rendibilidade para zero (e duvido que o consiga sem ter depois de o pagar duplicado, obrugado pela UE), reduzindo 14% os funcionários públicos consegue poupanças 8 vezes maiores. Deixando de contratar subempereiteiros e consultores de gestão para trabalhos que o Estado pode fazer (porque tem pessoal, espacialistas e máquinas) pode-lhe poupar quando muito 1 G€ a 2 G€ (e eu estaria realista a mandar o número para baixo, para perto do 1).
    .
    No fundo todos queremos muita coisa, e todos achamos que nerecemos ao menos tanto quanto tiveram os nossos pais. Mas o bom senso diz que podemos gastar mais do que o que produzimos. Os nossos senadores do poder, já com as suas cãs avançadas e a ver os bilhetes para o Estige, estão mais interessado em manterem isto pelo seu próprio período de vida do que sofrer um bocado agora e arranjar isto de vez para as gerações futuras. Por isso é que falam cobras e lagastos da «destruição do estado social». O mesmo estado social que já nos anos 80 se dizia que teria um fim, pois não era sustentável. Lembro-me bem.
    .
    O socialismo que tivemos, temos e glosamos lixou-se pela sua própria barriga. Quer sair da crise? Retire da lista de apoiados do Estado aqueles que podem trabalhar e não querem. Como? Faça-os trabalhar pelo que ganham. Como? Se eu dissesse iam-me acusar de «roubar a dignidade do trabalho», mas prende-se com o facto de que dez ou vinte milhões de árvores plantadas nos matos ardidos não nos faziam nada mal.

    Gostar

  105. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 13:38

    Eheeh

    Caro AC,
    .
    A verdade incomoda-o, pelos vistos.
    .
    Mas olhe que lhe fica mal.
    .
    “Nem o dólar subiu face ao euro (Vc. deve aprender estas coisas a ler o Faragel, não? ehehheeh) como os custos de produção são na sua maioria em euros. Salários, impostos, juros, etc” ac
    .
    Bem, dqesculpe lá, retiro o que disse. Vc nao está em portugal, nem neste mundo e duvido que se encontre na galaxia mais proxima. Entao nao sabe que o usd, mesmo depois de nao sei quantos QE, contina a bmba face ao euro? Olhe que nisto eu nao brinco porque recebo rendmentos em usd . Mas vc é bricalhao. A serio, brinca e eu aprecio isso. Entao os custos de producao sao euros. Qe grande novidade. Pois sao. Entao se as fabricas estao aqui em territorio nacional queria que s custos fossem quê! Ahh? Precisamene porque os custos sao em euros e o dolar valorizou é que abriu espaco para a subida das exportacoes para fora a UE. Cum catano, vc esta a precisa de ir ao Bataclam dar umas quecas a ver se se concenta.
    .
    Rb

    Gostar

  106. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 13:41

    O Ricciardi tem razão quanto às exportações. Elas não estão a subir. É o dólar.
    .
    .
    Portugal exportou em Julho, 4 034 milhões de euros. Não foi o melhor mês de sempre. Tem razão, o Ricciradi. Foi “apenas” o segundo melhor mês de sempre, porque o melhor foi em Março do ano passado. Aqui o Riccirardi tem razão. Não foi o melhor mês de sempre. Foi em Março passado. Mas foi o segundo melhor mês de sempre, excluindo os Serviços. Com estes, foi quase de certeza o melhor de sempre. É uma questão de esperar pelos dados publicados pelo Banco de Portugal.
    .
    .
    Mas o que foi o melhor mês de sempre, foram as exportações para fora da Europa e contra os exportadores em dólares. Aqui sim, o mês de Julho foi o melhor ano de sempre nas exportações. Deve ser por causa da queda do dólar. Cof! Cof! Cof!
    .
    .
    É interessante até por isto. A Europa (não apenas Portugal) está agora com um elevado excedente comercial devido à força das suas exportações. A passo que os USA, o Japão e até a China estão com dificuldades em competir nos mercados internacionais. E ainda mais curioso é que as exportações europeias estão acima das importações, com o maldito euro abominado pelos Garangistas portugueses, mesmo esta mesma Europa estar a pagar as matérias-primas energéticas aos valores mais altos de sempre. O que é ainda mais curiosos e abona bem a favor da Europa. Que se diz que é incapaz de competir nos mercados internacionais.
    .
    .
    E ainda mais espectacular no caso português, Portugal está a exportar muito mais precisamente numa altura em que o comércio internacional está fraco e está a ganhar importantes quotas de mercado, nos seus clientes-chave.
    .
    .
    Mas ainda mais engraçado, e porquê que o Ricciardi pesca tanto disto como eu de cebolas, é que ele atribui a esta elevada capacidade portuguesa a menores custos de… produção em dólares! lololol Mas depois, apesar de acreditar nesta pia má desculpa, já é contra a redução salarial, em euros, porque isso não fará as exportações subir.
    .
    .
    Alguém compreende os meandros ideológicos do Ricciradi? Eu não. É muito Farange para as minhas parcas limitações mentais. Eu sou mais terra-a-terra e para o bagacinho. ahhahahahahhh

    Gostar

  107. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 13:43

    ” Entao nao sabe que o usd, mesmo depois de nao sei quantos QE, contina a bmba face ao euro? ”
    .
    .
    Ó Meu caro amigo, o dólar está fraco em termos históricos. O euro foi lançado quase na paridade e está hoje a 1,30 contra este, mais pip menos pip. Vc. deve perceber tanto disto como eu de cebolas.
    .
    .
    Acho bem. Alguém tem que alimentar a máquina, não é?
    .
    .
    Olhe, os meus rendimentos não são em dólares, graças a deus. ehehheeheheheh

    Gostar

  108. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 13:47

    Entao a ideia do AC é esperar pelo final de ano para depois falarmos. Admita, homem, errou. NADA do qe previu foi alcançado. Subiram-se impostos à toa que foram absorvidos pela recessao ainda pior do que se imaginava. Nao ha dinheiro que chegue para si e para os libertarios partidarios do aumento de impostos. O JM andava até a defender que impostos mais altos era bom para desalavancar o país. No excel é tudo bom e maavilhoso. Olhe, quand comecei a minha vida profissional, ha uns 25 anos, fazia projectos de investimento. Nao havia um que desse prejuizo. Um toque de midas aqui outra acolá e acabava tdo por dar matematicamente certo.
    .
    A realidade, porem, é outra.
    .
    Rb

    Gostar

  109. 19 Setembro, 2012 13:51

    O “debate” acerca da TSU colhe frutos… Muitos comentários! — Sobre o colossal desvio aos objectivos do défice nem se fala… Afinal a “jogada” da TSU, como manobra de diversão, caiu na altura certa… Qual irá ser a invenção nas próximas avaliações?!
    Uma nota acerca da “escravatura”… Uma das razões que a tornou obsoleta resultou do facto de recair no proprietário o ónus de cuidar do “bem”… Soltá-lo na economia aberta é muito mais barato e dá menos chatices…

    Gostar

  110. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 13:51

    ” Admita, homem, errou. NADA do qe previu foi alcançado. ”
    .
    .
    O ano já acabou? ehehehehh
    .
    .
    Olhe, isto é que lhe custa a admitir:
    .
    .
    “The first estimate for the euro area
    1
    (EA17) trade in goods balance with the rest of the world in July 2012 gave a 15.6 bn euro surplus, compared with +2.1 bn in July 2011. The June 2012 balance was +13.6 bn, compared with +0.2 bn in June 2011. In July 2012 compared with June 2012, seasonally adjusted exports fell by 2.0% and imports by 1.2%. ”
    .
    in http://epp.eurostat.ec.europa.eu/cache/ITY_PUBLIC/6-17092012-AP/EN/6-17092012-AP-EN.PDF
    .
    .
    O UKIP não consegue explicar isto. É o dólar que está a subir contra o euro. lololol

    Gostar

  111. Pedro M permalink
    19 Setembro, 2012 13:54

    Ainda vamos descobrir que afinal quem anda atrás do Gaspar e do Coelho a mandar bitaites sobre medidas em cima do joelho à última da hora para agradar aos credores não é o Borges mas é o João Miranda :O

    Gostar

  112. 19 Setembro, 2012 13:58

    A TSU é uma taxa. E taxa o quê? Os rendimentos do trabalho. E destina-se a quê? a Pagar os serviços prestados pelo Estado enquanto garante de segurança social nos moldes que ele próprio definiu, na forma de prestações sociais em geral e no pagamento de pensões de reforma aqueles que para elas descontaram… e também aos outros, por desvirtuamento do princípio que faz que saiam verbas da segurança social que deviam sair do Orçamento Geral do Estado.
    .
    Como se desconta? A TSU, não é progressiva. Todos pagam o mesmo e recebem não só de acordo com aquilo que descontaram mas, sobretudo, de acordo com aquilo que receberam.
    .
    Ao contrário do IRS a TSU não visa uma função distributiva, mas pressupõe uma retribuição, normalmente em forma de subsídios e pensões, quase sempre de acordo com aquilo que se ganha e que se paga.
    .
    Por isso paga TSU na mesma percentagem o salário mínimo e o salário mais elevado. E, na parte que cabe às empresas, acontece o mesmo.
    .
    Agora as luminárias aflitas, porque estão à rasca e não sabem como é que hão-de sair do buraco em que se meteram, querem alterar todo este edifício e isentar alguns (muitos) do aumento que inventaram.
    .
    E depois falam em “sustentabilidade” da Segurança Social!
    .
    E aposto que querem dar as pensões inteiras aqueles que pagam menos, enquanto as cortam aqueles que pagam mais.
    .
    Isto tem defesa?

    Gostar

  113. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 14:00

    Vc devia ser mais humilde e aprender alguma coisa com quem lida com estas coisadas todos os dias. Mas nao quer. Quer esta no seu pequeno mundo. É lá consigo.
    .
    Eu disse-lhe ha ns tempos que estava a ser perigoso para s exportadores portugueses o euro estar demasiado caro. Ja nao cmprava praticamene nada na europa, portugal includo, porque o euro nao parava de galgar. As coisas estavam demasiado caras. Grandes moviments de parceiros alternativos foram construidos para evitar comprar em euros. A perca de negocios das empresas portuguesas estava a ser tao grande que, muitas, com quem falava e negociava, nem margem estavam a ter. Por isso é que o Volme de Negocios na industria diminui mesmo com as exportacoes a crescer. Ms vc percebe de cebolas. Esta certo. Desde q rebentou a crise na europa, o dolar manteve-se firme e hirto e recuperou mas de 15% face ao euro. As empresas poruguesasque exportavam para angola tiveram um alivio enorme. Eu proprio deixei de ir a Africa do Sul comprar vinhos e retomei a compra de vinhos a Portugal.
    .
    Esta depreciacao no euro foi fundamenal para as nossa exportacoes paa fora da Euroap, evidenmente.
    .
    Rb

    Gostar

  114. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:04

    “Eu proprio deixei de ir a Africa do Sul comprar vinhos e retomei a compra de vinhos a Portugal.”
    .
    .
    De vinhos Vc. deve perceber. E de cebolas. Mas bagaço não é para si.
    .
    .
    O seu UKIP está a falhar largo. Tem que perguntar aos gajos isto. O euro, o tal marado, está agora com um elevado excedente comercial (e bastava o euro cair para os valores com foi iniciado para pôr os seus competidores em pânico, como aconteceu com o Bernanke, que vendo o euro a cair e a dar cabo das exportações americanas, perdidas para os europeus) ao passo que a Libra continua com um défice gigantesco e sempre a crescer, e os americanos com as suas exportações a serem roubados pelos europeus.
    .
    .
    Mas de vinhos Vc. deve perceber. E de cebolas. De resto, Vc. copia o que diz o UKIP e escreve em portuguê,s o que eles escrevem em língua inglesa. Coitado de si e do seu UKIP. lolololol

    Gostar

  115. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:07

    E mais caro, Ricciardi. O “seu” líder também deve perceber de vinhos. Mas beber-los, porque de resto, percebe tanto disto como eu de cebolas.
    .
    Se o gajo não gosta de vinhos, disfarça bem:
    .

    .
    .
    ahahhahahahahhah

    Gostar

  116. politologo permalink
    19 Setembro, 2012 14:09

    Um INTERVALO na T ‘ Su :
    o CA’Amorim vai hoje fazer “amor…” com a nossa querida MARTA …
    Que surpresa , ele está fazendo progressos sensuais (na razão inversa do PPC)
    Assim , para mostrar a sua gratidão , o CAA devia dar uma mãozinha ao seu desventurado Amigo dr. Relvas .
    Ou o CAA não passa de um Ingrato ! Mas que grande marafado …

    Gostar

  117. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 14:12

    No percebo é de palermas. Isso nao percebo.
    .
    Entao o que vc me está a querer dizer é que é absolutamene Indifrente para o comercio europeu o facto do cambio com os parceiros ser mais ou menos 15%.
    .
    Isso é, antes de bebedeira mental, uma palermice tipica de quem nao faz a minima ideia do que é vender o que quer que seja com outra moeda.
    .
    Alias, nem percebo porque é que existem opcoes cambiais. Nem percebo até porque se publica uma cotacao de moeda. Para que? O AC diz qe é a mesma coisa vender um bem por 100 ou por 85 usd. A mesma coisa.
    .
    Rb

    Gostar

  118. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 14:18

    Que puta de diarreia mental que vc me saiu, caracas. Nao pare de beber o bagaço nao e vai ver aonde vai parar.
    .
    Repita comigo, se o euro subir em relacao ao usd as minhas vendas vao ressentir-se. Escreva isto 500 vezes. Para as vendas nao se ressentirem tenho de baixar as mrgens na mesma proporcao que oscila o cambio. Agora repia em voz alta durante uma hora.
    .
    Beba uma bagaco e… vá ver o degelozinho na gronolanda a ver se refresca a cabaeca.
    .
    Rb

    Gostar

  119. JCA permalink
    19 Setembro, 2012 14:19

    .
    Esta é para ‘copy and past para ler fóra de ‘linguados’ para consumismo informativo ‘do mais do mesmo’ ou ‘fundamentalismos cientificos do agarrem-me senão eu matos-os’ ou ‘talibanismos académicos manhosos deixa-os os pousar que depois eu caço-os’.

    Interessa um Ponto da situação frio e anti-emoções porque gestão de emoções só são sucesso quando não há tantas e tantas carteiras vazias. Dizimadas, empobrecidas à força.
    .
    Simplesmente estamos a falar de VIDA, REALIZAÇÔES PESSOAIS participativas no TODO DE PESSOAS que são Portuguesas porque paridas dentro de Portugal (o essencial).
    .
    Enquadrando além de ideologias, teorias de Keynes ou Chicago ou Marxismo ou Sovietismo ou Trotskismos ou Excels analfabetos de não sabem como se põe um software a cantar o que se quer, ou fundamentalismos de clubes partidários (lobies) ou sebentismos de micro comunidades que se auto hipnotizam entre eles produzindo doutoramentos ‘copy and past’ (cola e cuspo) dumas mil folhas tão longe da VIDA (tanto trabalho e esforço …… mas para embasbacar ainda faltam mais 2000 ou 50000 folhas) ou seja lá o se for. .
    .
    Resumindo à Leonordo da Vinci,
    .
    a simplicidade é o máximo da sofisticação (das tais 3’0000 folhas de mestrados e doutoramentos, modelos, esforços vãos prejudiciais ao Pensamento vivendo-se virtualmente como se fosse o ‘must’, o ‘top’.
    .
    1) As Governanças tanta vezes embrulhadas em Fés porém reduzem-se a ignorância teórica e ao obscurantismo do ‘COMPLEXO LEGO NO CONHECIMENTO’ codificado na infância e na adolescência (tira daqui e põe ali ou daqui para acolá ou parece que põe mas não põe em lado nenhum etc) meteram-se numa CAMISA DE SETE VARAS (um Lego com centenas de peças à disposição para as fantasias teóricas e construções irreais que se sonhe,
    .
    2) esssa Camisa de Sete Varas provocada pelo que chamo e código mental (software) com o ‘COMPLEXO LEGO NO CONHECIMENTO’ que escraviza as meninges cerebrais permaneentemente.
    .
    3) A reação da VIDA contra as coisas dos Legos desencadearam o Furacão que começou a rolar a 15.SET dos que estiveram presentes e não estiveram, sem importância porque o essencial é o espirito, a ‘alma’ que preside por cima.
    .
    4) Na sequência deste Furacão que começou a acelerar pelas forças do acaso. O tal INORGANICO do 15.SET que eventualmente até escapa a algum ‘modelo’ de alguns dos promotores. Aquilo que a quase totalidade da ‘elite’ academico-cientifica dos ‘modelos’ não percebe e para não ficar mal vista na ‘fotografiia do Conhecimento de Vida se refugia no que chama ‘acaso’ (o que não se percebe nem compreende)
    .
    5) A micro comunidade do ‘COMPLEXO LEGO DO CONHECIMENTO’ respondeu desatando confundida a propor novas Camisas de Sete Varas do afinal não era tirar daqui para por ali mas tirar dali para pôr acolá ou outras construções de legos semelhantes aos que fantasiam no quarto com 1.000 peças construções de lego como lhes apetece pois inconsequentes porque como se construíram também de destroem sem qualquer problema ou consequência …
    .
    o tal ‘codigo mental’ a garrafa arrolhada dentro da qual esvoaçam hiperativamente …… mas no fim nunca saem da mesma garrafa apesar de terem feito intelectualmente tantos esforços e ‘bonitos’ de 4.000 folhas de ‘mestrados, doutoramentos’ (atenção nesta analise não estamos no plano dos ‘básicos’ mas no acima a ‘grandeza’)
    .
    6) Ora se à Camisa de Sete Varas iniciadora que provocou o furacão, a tal micro comunidade ‘elite das elites acima de tudo e todos’ tenta controlar ‘climáticamente’ com uma infinidade de inventadas novas Camisas de Sete Varas é certo e sabido
    .
    que o furacão acelera muitíssimo mais e da DEVASTAÇÃO passar à fase imediatamente seguinte da DESTRUIÇÃO DA POLIS, do REGIME e do SISTEMA.
    .
    Mais experimentalismo por parte dos ventos a favor e dos ventos contra, ou seja CERTA SITUAÇÃO e CERTA OPOSIÇÃO.
    .
    7) Entrelinhando, as dividas de facto não são para pagar. Quem investe em empréstimos interessa-lhe é que lhe paguem os juros. Exactamente como quem investe na compra dum prédio lhe interessa é ter as rendas asseguradas ou quem monta uma empresa lhe interessa a renda anual (lucro) ou quem investe trabalho quere a renda (salário).
    .
    Portanto essa de que temos de pagar o que devemos à escala hiperbólica dos montantes emprestados não passa doutra boca ‘em cima do joelho’ da comunidade afectada pelo ‘COMPLEXO LEGO DO CONHECIMENTO’
    .
    8) Apenas temos de nos organizar para pagar os JUROS SEM O EMPOBRECIMENTO e a DESTRUIÇÃO em curso.
    .
    Portanto proibir a comunidade do ‘COMPLEXO LEGO DO CONHECIMENTO’ de continuar com fantasias embrulhadas em embalagens supostamente académico cientificas que se permitidas são mais EMPOBRECIMENTOS, SOFRIMENTO, SACRIFICIO e DESTRUIÇÃO,
    .
    quiçá mimetizados do SOFRIMENTO de cortejos a auto mutilarem-se nas costas com correntes até sangrar ou doutros que dizem por aí que usariam cilícios por baixo das calças para o SACRIFICIO. Tudo para se ‘salvarem’ num ‘governo’ de ‘salvação nacional’ ……
    .
    9) O Governo tem de ser de RECONSTRUÇÃO NACIONAL com cortes cegos e transversais para já de 4%. Ponto final com a DESTRUIÇÃO e EMPOBRECIMENTO em curso embora ninguém saiba a titulo de quê nem ninguém seja capaz de garantir o então depois de acabado seguir-se-ia o quê. O absurdo e o nada.
    .
    10) A seguir há Tempo sustentado para resolver o que hoje ´e a fantasia do ‘Corte das Gorduras’ que quando se corta na gordura da anca desata a berrar porque é que não cortam aquela ali das coxas ou acolá das nádegas. Ao que estas respondem então querem-nos cortar a nós e então porque não cortam as da anca …. E segue o cortejo da demagogia, juntam-se as três porque é que não se corta naquela acolá nas beiças E assim sucessiva e eternamente ao dia de Hoje.
    .
    A menos que afinal também adorem estas trapalhadas que duram dialetica e oratoriamente há anos e são umas razões causa da DESTRUIÇÃO e EMPOBRECIMENTO GERAL EM CURSO,
    .
    11) Resumindo só há uma saída JUSTA, SUSTENTADA E ACEITE pelo Furacão imparável em curso:
    .
    CORTE CEGO SALOMONICO e TRANSVERSAL de 4% EM TODAS AS RUBRICAS DE DESPESAS DO ESTADO. Continuar a brincar aos LEGOS já se sabe o que vai dar já a seguir
    .
    Não são desabafos de qualquer dos lados da moeda. É ser positivo e construtivo para o bem comum mesmo dos que não gostam dele ou suponham que é propriedade pessoal deles.
    .

    Gostar

  120. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:22

    “Entao o que vc me está a querer dizer é que é absolutamene Indifrente para o comercio europeu o facto do cambio com os parceiros ser mais ou menos 15%.”
    .
    .
    Não, não é indiferente. No curto prazo. No médio e longo prazo, quanto mais Vc. desvaloriza uma moeda (era capaz de jurar que Vc. era contra a descida da TSU mas agora já defende desvalorizações alariais na mesma. Eu bem digo que o meu amigo pesca tanto disto como eu de cebolas. É como o bêbado do Farangel que não diz coisa com coisa.), como dizia, quanto mais desvaloriza uma moeda, menos competitivo se torna o país. E se há país exemplar desta mania suicida é a Índia, que quanto mais desvaloriza a sua moeda, menos consegue competir nos mercados internacionais, como contra os chineses.)
    .
    .
    Mas para quem apenas tem um martelo, desvalorizações (salariais, fiscais ou cambiais) são a única arma ao seu alcance. Pensam que ganham a competição, no curto prazo. Mas perdem-na a longo prazo. Uns preferem vender vinhos ao garrafão e louvar as ideias do UKIP, outros preferem fazer vinhos mais caros e vender aos gajos do UKIP. ehehhehhe
    .
    .
    Por aqui se vê que o amigo continua na mesma ideologia errada. O dólar caiu imenso contra o euro. E mesmo assim, a Europa continua a ter um excedente comercial contra os americanos. E na altura em que o euro desata a cair, devido ao medo da sua implosão (mas empurrado pelo BCE quando os preços do crude cairam também), o Bernanke em pânico e face à forte queda nas exportações e nas encomendas aos americanos, entra em pânico e toda a lançar mais uma guerrinha contra os europeus. E puxou o euro para cima, que se valorizou mais quase 10% no espaço de poucos dias. Vc., tal como o Farangel (sim, anjo mas longe e se possível entretido de volta da vinhaça, que é aquilo que ele entende mais, de o beber) e tal como os americanos, acham que desvalorizando a moeda e tentando exportar a crise para fora, vai salvar os exportadores. lolololol
    .
    .
    No fundo, no fundo, eu não entendo, do ponto de vista económico, porquê que Vc. é contra a descida da TSU para as empresas e uma subida para os trabalhadores. Os objectivos são os mesmos de desvalorizar uma moeda. Está a ver como eu de si já não espero muito? Vc. pesca tanto disto como eu de cebolas. E pesca de vinhos e eu de bagaço. eheheheheheh

    Gostar

  121. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:29

    A razão porque o Bernanke desatou a imprimir à tolo:
    .
    .
    “U.S. exports fell in July after rising earlier in the summer, adding to concerns that troubles in Europe and elsewhere are slowing the U.S. economy.
    .
    The value of American goods and services sold overseas dropped by $1.9 billion from June to a seasonally adjusted $183.3 billion, the Commerce Department said Tuesday. Exports to the European Union, where recession has spread amid the continent’s sovereign-debt crisis, fell significantly.”
    .
    in http://online.wsj.com/article/SB10000872396390443884104577645291247816130.html
    .
    .
    Esta queda espectacular pôs o Bernanke em pânico. Se o euro caindo para os 1,20, pôs as exportações americanas a colapsar, imagine-se se ele vinha para a paridade, contra o dólar, com que foi lançado. A Europa não precisa de desvalorizações cambiais para competir. Está noutro campeonato e é uma supermáquina industrial, que os Farangeis deste mundo não entendem. Deviam perceber menos de vinhos e mais de indústria. ehehehehehehe
    .
    .
    Com a nova máquina de impressão americana, ao serviço da Reserva Federal, o euro subiu quase 10%, em poucos dias. Pudera. Eles não conseguem competir contra a europa com armas iguais. Se a Europa desvalorizasse a sua moeda, como fazem os americanos, os americanos e os ingleses implodiam. Ah pois claro. O UKIP não entende destas coisas. Nem os seus seguidores em Portugal e na blogosfera portuguesa. Eles seguem o UKIP porque é chique. E porque o outro gosta imenso de vinhos. Mas o resto é mais complicado e muito quente para eles. Não gostam de bagacinho, mas que eu adoro. E quanto mais forte, melhor. lolololol

    Gostar

  122. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 14:35

    Anti-Comuna: Isso da oposição á tsu vai ter de perguntar ao filipe de botton,ao frederico fortunato, á cip, ao antonio pires de lima.Tudo de empresas de não-transacionáveris é claro!

    Gostar

  123. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 14:38

    Nao acho nada disso. E vc sabe. Esa a ser desonesto. Eu nunca defendi desvalorizacoes cambiais. Eu acho que vc nao quer perceber. mas vc defende valoriacoes cambiais. Esse é q é essa.
    .
    Uma coisa é imprmir dinheiro, outra coisa é deixar que a cotacao da moeda flua de acordo com a sua economia propria e nao de acordo com outras economias.
    .
    Uma coisa é cortar salarios, outra coisa é desvalorizar todos os factores de producao. Nao compreende a diferenca?
    .
    Mais, nem admito como boas, medidas como esta da subida da TSU paa trabalhadores, para portugal. Mas admitia que essa medida pudesse ser boa para a Iralanda, para a alemanha. Nao esta em causa a medida em si. Esta em causa a aplicabilidade da mesma. Nao é possivel a um pais com um nivel de salarios ja miseravel achar que o remedio de todos s problemas esta nos salarios. Muito menos se os outros custos de producao se mantem iguais e até sobem.
    .
    A vantagem da desvalorizacao cambial assenta no facto de nao fazer colapsar o mercado interno. Até motiva o empreendedorsmo. Principalmene aquele que subsitui importacoes. Quando se cortam salarios as fabricas que produzem para o mercado interno colapsam. Com esse colaspso advem desemprego e com desemprego acelera-se a degradacao economica. Quando desvaloriza a moeda nada disso acontece.
    .
    Rb

    Gostar

  124. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 14:40

    Ja agora, gostava que me respondesse caro AC, porque é que o Volme de Negocios na industria está a baixar com as exportacoes a subir?
    .
    Rb

    Gostar

  125. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:40

    ” Isso da oposição á tsu vai ter de perguntar ao filipe de botton,ao frederico fortunato, á cip, ao antonio pires de lima.Tudo de empresas de não-transacionáveris é claro!”
    .
    .
    Eles que subam os salários aos trabalhadores. Alguns já disseram que o iam fazer. E eu não espero outra coisa, já que estão com falta de trabalhadores nas suas áreas respectivas. Eu escrevi isso mesmo desde o inicio aqui. A malta é que está desatenta. 😉
    .
    .
    Eu já disse aqui, neste mesmo rol de comentários, que não acredito em desvalorizações, tanto fiscais, como salariais ou cambiais para tornar uma economia competitiva. Não é assim que se vai lá. Mas quem está sob a pata dos seus credores e até aceitou essa condição, não pode fazer de conta que esta questão é para esquecer. Nem sequer o problema criado pelo Tribunal Constitucional.

    Gostar

  126. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:41

    “porque é que o Volme de Negocios na industria está a baixar com as exportacoes a subir?”
    .
    .
    Porque as exportações ainda não chegam (mas está quase) para colmatar a queda na procura interna. É preciso ler o Farangel para perceber isto? 😉

    Gostar

  127. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 14:42

    Eu ainda nao li acerca dos motivos que outros encontram, mas a minha opiniao, assente naquilo que vejo e negoceio, é que as margens estão a reduzir-se drasticamente.
    .
    E portanto, eu comecei a dar mais atencao ao indicador VOLUME de Negocios na industria do que ao valor das exportacoes em si.
    .
    Rb

    Gostar

  128. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:44

    E até me admira que Vc. Ricciardi, nem se espante com a força da indústria portuguesa. Uma queda de 3,8% face à forte queda, tanto no consumo privado, como no público e até no investimento, é um resultado espectacular. Bem melhor do que está a acontecer noutros países, em situação semelhante à portuguesa.
    .
    .
    E graças à capacidade exportadora portuguesa. A tal que Vc. não a vê e desdenha. ehehheeheheh

    Gostar

  129. jose silva permalink
    19 Setembro, 2012 14:44

    caro AC,

    Se a inteligência media do povo e elites levou o país quase à bancarrota nos últimos 25 anos, nunca poderiamos esperar que essa inteleigência média passasse de «burra» a «esperta» num espaço de 1 ano. É totalmente contra a lógica.

    Gostar

  130. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 14:46

    E graças à capacidade exportadora portuguesa. A tal que Vc. não a vê e desdenha. ehehheeheheh” ac
    .
    Perdoai-lhe Senhor, que ele nao sabe o que diz.
    .
    Rb

    Gostar

  131. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:46

    ” assente naquilo que vejo e negoceio, é que as margens estão a reduzir-se drasticamente.”
    .
    .
    E o governo quer aumentar as margens com a descida da TSU para as empresas por contra-partida do trabalho. Se Vc. acredita no que diz, então tem que estar a favor destas medidas. Não contra.
    .
    .
    Aparentemente os empresários que Vc. invocou não devem estar apertados de margens. Alguns dizem que o seu problema maior é o credit crunch. Que está agora a desaparecer.
    .
    .
    Eu bem digo que Vc. anda aos zigue-zagues e sem perceber bem aquilo que defende. Porque, ora defende umas coisas e o seu contrário logo a seguir. É do vinho, caro Ricciradi? Faça como eu: bagacinho. 😉

    Gostar

  132. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 14:48

    “Se a inteligência media do povo e elites levou o país quase à bancarrota nos últimos 25 anos, nunca poderiamos esperar que essa inteleigência média passasse de «burra» a «esperta» num espaço de 1 ano. É totalmente contra a lógica.”
    .
    .
    aahahahhhahahha
    .
    .
    Aí dou a razão toda ao José Silva. eheheheheheh

    Gostar

  133. ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 14:56

    Foda-se, oh AC, m gajo estar sempre a repetir a mesma coisa só porque vc nao quer ler, torna-se enfadonho. Qem lhe disse que eu nao sou a favor da baixa de impostos sobra as empresas. Claro que sou. Vc é que nao.
    .
    Mais do que a favor. Mas isso nao pode ser feito atraves do corte salarios, nem de outros impostos. Percebe, ou quer que lhe faca um desenho?
    .
    Isto tem de ser efectuado por cortes massivos na despesa do estado. Bastava, alias cortar 15% na despesa do estado que nao é salrios e pensoes para obter um defice equlibrao. É a tese do ricardo arroja que eu partilho em absoluto. Se aplicar 15% de cortes à outra despesa, obtem poupancas de 4,5 mil milhoes. Facasse isso.
    .
    Agora finaciar reducoes de impostos miseraveis (tsu) atraves do colaspso da economia interna é, alem de lunatico, algo absolutamente desumano porque é evidente que vai atirar para a falencia os investimentos que as pessoas fizeram e que nao encontram procura. Eu até acho que é uma medida criminosa.
    .
    Rb

    Gostar

  134. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 14:57

    “Eles que subam os salários aos trabalhadores. Alguns já disseram que o iam fazer. E eu não espero outra coisa, já que estão com falta de trabalhadores nas suas áreas respectivas. Eu escrevi isso mesmo desde o inicio aqui. A malta é que está desatenta.”
    Sobem se a situação financeira permitir e se a produtividade de cada trabalhador assim permitir também.Então mas se subirem o salário, a situação fica igual á de hoje.
    Quem define a politica salarial e de preços não é o estado,são as empresas que definem os salários e é o mercado por si mesmo que define os preços.Isso não é ser-se liberal de pacotilha, é ser-se adepto de uma economia de mercado Mas suponhamos que se sobem os saláriosPara que é que se vai subir a contribuição do trabalhador, para depois serem aumentados os salários para depois consumir como agora han? Assim mais vale manter tudo na mesma ehehe

    Gostar

  135. Pedro M permalink
    19 Setembro, 2012 14:59

    Os exportadores que eu conheço (são poucos, é certo, mas são exportadores), o que dizem do Gaspar é: “vai-ta f*der meu ganda c*brão”. E a sorte deles é não exportarem para Espanha, senão já tinham ido…

    Gostar

  136. Pedro M permalink
    19 Setembro, 2012 15:02

    “ido” = “falido”

    Gostar

  137. PiErre permalink
    19 Setembro, 2012 15:06

    Abracadabra!…
    .
    .

    Gostar

  138. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 15:11

    “Quem define a politica salarial e de preços não é o estado,são as empresas que definem os salários e é o mercado por si mesmo que define os preços.Isso não é ser-se liberal de pacotilha, é ser-se adepto de uma economia de mercado”
    .
    .
    Então para que pedem menos impostos? A carga fiscal não mexe na economia?
    .
    .
    E andamos no mesmo. Aos zigue-zagues.
    .
    .
    As empresas se acham que podem pagar aos trabalhadores, que paguem. Não são obrigadas mas ninguém lhes impede. O que o Estado faz é dar uma pequeno balão de ar às que estão com problemas de margens. É isso que diz e pensa o FMI.
    .
    .
    Nada impede o mercado de funcionar, pelo contrário, aumenta a margem de manobra das empresas. Só nâo vê isto quem anda a viver nas sebentas do Hayek. Mas eu prefiro as mamas da Hayek. Isso e o meu bagacinho do costume. (Mais uma golada para me rir dos nosso inteligentes da praça. eeheheheheh)

    Gostar

  139. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 15:15

    ” Qem lhe disse que eu nao sou a favor da baixa de impostos sobra as empresas. Claro que sou. Vc é que nao.”
    .
    .
    Sou sempre contra baixas de impostos para resolver problemas estruturais do tecido empresarial e com défices orçamentais. Sempre contra. Odeio défices orçamentais. Porque são impostos futuros.
    .
    .
    O Bush baixou a carga fiscal. Resolveu alguma coisa? Não.
    .
    .
    O Reagan baixou a carga fiscal. Resolveu alguma coisa? Não.
    .
    .
    Porquê? Porque descer a carga fiscal para aumentar a dívida pública em vez de melhorar a economia, ainda trás mais problemas associados. A começar pelo aumento do peso do Estado na economia do país.
    .
    .
    Esta gente não aprende com os erros, tanto do passado como alheios. O Sócrates baixou o IVA e foi pior a menda que o sonerto. Não vos chegou para aprender alguma coisa? ehehehehehh

    Gostar

  140. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 15:16

    .”Então para que pedem menos impostos? A carga fiscal não mexe na economia?”
    Voce não percebe pois não? O problema não é a redução do imposto, mas sim a forma que o governo encontrou para compensar essa redução
    Impede sim, quando se penaliza o consumo e diz-se ás empresas para baixarem os preços e a margem de lucro.Isso é dirigismo

    Gostar

  141. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 15:20

    “Impede sim, quando se penaliza o consumo e diz-se ás empresas para baixarem os preços e a margem de lucro.Isso é dirigismo”
    .
    .
    Dirigismo? Então o amigo é contra a existência de bancos centrais. É? Eu apanho-lhe já a sua incapacidade de entender o mundo em que vive.
    .
    .
    É contra a existência de bancos centrais?

    Gostar

  142. Filipe Pereira permalink
    19 Setembro, 2012 15:21

    Infelizmente o quadro tem um problema, nada do que ai está, terá definitivamente os resultados esperados. Até podem ser contraditórios. Sigam o Link: http://www3.eeg.uminho.pt/economia/nipe/docs/Policy%20Papers/2012/NIPE_PP_01_2012.pdf
    Ou então para quem quer praticar o Inglês: http://voxeu.org/article/fiscal-devaluation-cure-eurozone-ills-could-it-work

    Uma boa tarde a todos!

    Gostar

  143. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 15:24

    “Porquê? Porque descer a carga fiscal para aumentar a dívida pública em vez de melhorar a economia, ainda trás mais problemas associados. A começar pelo aumento do peso do Estado na economia do país.”
    Mas quem lhe disse a si que descer a carga fiscal serve para aumentar aumentar a divida publica e o défice? Então serve para que as reduções de impostos diga lá?
    Acha que quando o mitterand auemntou o estado no inicio do seu eleitorado , mais os impostos, isso resultou? Acha que o aumento da fiscalidade que o hollande implementou agora resulta?

    Gostar

  144. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 15:30

    Logo vi que o calava.
    .
    .
    As mamas Hayek são do melhor que há. Não haja dúvidas nenhumas.
    .
    .
    Há é para aí uma quantidade de malucos que são contra tudo o que sejam leis, Estados, bolhas financeiras e monetárias, etc. Em suma, são contra a dita Civilização. E acham que o Estado e os cidadãos não podem interferir no “mundo livre” das empresas. São os comunas ao contrário. Uns querem regular tudo e todos. Outros, não querem regular nada e sonham viver como na Libéria ou na Serra Leoa. lolololol
    .
    .
    Aliás, esta nova classe de aderentes a Hayek (infelizmente não é por causa das mamas) acreditam que a ausência de leis tudo resolve. Acreditam na pureza dos tais mercados livres, em qualquer intervenção. Mas acreditam porque, nem sabem que os mercados criam naturalmente bolhas financeiras e especulativas (e por isso pedem taxas de juro mais alttas, manipuladas por alguém, normalmente um deus divino chamado ouro) como até, pela própria natureza económica das coisas, as empresas mais eficientes gerariam monopólios naturais ou impostos. Ou seja, no fundo, aquilo que eles julgavam proteger, os mercados livres, acabava por ser destruído, precisamente pela falta de regras. Pelo tal dirigismo do cidadão.
    .
    .
    Eu bem digo que gosto mais das mamas Hayek. Não sei porquê, mas são mais agradáveis e, se for com bagacinho…

    Gostar

  145. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 15:32

    “O que o Estado faz é dar uma pequeno balão de ar às que estão com problemas de margens. É isso que diz e pensa o FMI.”
    .
    lol FMI pensa muito, mas depois temos que pagar bem caro as porcarias de tais pensamentos !! pensou que Portugal devia vender o ouro e vendemos o o ouro !!…FMI quando pensa só sai porcaria…16% para o desemprego em Portugal em 2013…

    Gostar

  146. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 15:33

    “Mas quem lhe disse a si que descer a carga fiscal serve para aumentar aumentar a divida publica e o défice?”
    .
    .
    Vc. não sabe ler também? Leia a frase e a conjugação:
    .
    .
    “Sou sempre contra baixas de impostos para resolver problemas estruturais do tecido empresarial e com défices orçamentais. ”
    .
    .
    A carga fiscal deve descer sempre que o Estado tem excedentes orçamentais e uma dívida pequena e, sobretudo, durante as fases baixas do cicclo. Nunca se deve baixar a carga fiscal quando existem um défice orçamental e com uma dívida pública por pagar. Porque, os seus efeitos de curto prazo não são compensados pelos seus custos a médio e longo prazo. O erro de Reagan e do Bush. Há dúvidas?

    Gostar

  147. Fernando S permalink
    19 Setembro, 2012 15:34

    tric (Posted 19 Setembro, 2012 at 11:09): “é só liricos…o Estado acabou de nacionalizar praticamente a totalidade da Banca Nacional…com um poder destes e não negoceia as parcerias publico privadas !!??? …
    .
    Referia-me à medida sobre a TSU … O tric fala noutro assunto … mas tudo bem !!
    .
    Quanto à Banca, claro que o Estado não “nacionalizou” coisa nenhuma, nem sequer “praticamente”. É verdade que a utilização de dinheiros da Troika para reforçar a capitalização dos Bancos pode dar ao governo algum poder adicional, em particular através de condições de condicionalidade, nomeadamente ao nivel da politica de crédito. Mas esse acréscimo de poder é muito limitado, esta por sua vez condicionado pela tutela da propria Troika, hostil a qualquer intervencionismo, e ja se percebeu que não esta sequer na logica do governo actual utiliza-lo para limitar a liberdade de acção dos Bancos. A prova é que os Bancos continuam a seguir uma politica de crédito extremamente prudencial apesar do governo ter todo o interesse em que fossem mais ousados.
    .
    Quanto às PPPs, o facto do governo não ter ainda ido mais longe é a prova de que o governo actual não usa o pretexto da politica de austeridade em situação de emergencia nacional para quebrar contratos anteriormente livremente assinados com entidades privadas por representantes do Estado. Muita gente, vinda até de quadrantes ideologicos e politicos insuspeitos, acha que não deveria ser assim. Mas é e ainda bem que é porque um governo minimimamente liberal não pode agir de outro modo e porque se não fosse assim a seriedade e credibilidade do Estado portugues seria posta em causa, com consequencias muito graves.

    Gostar

  148. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 15:38

    “Dirigismo? Então o amigo é contra a existência de bancos centrais. É? Eu apanho-lhe já a sua incapacidade de entender o mundo em que vive.”AC
    Então voce deve ser a favor, da nacionalização de bancos, a intervenção nos preços da gasolina e dos telefones.É ou não?

    Gostar

  149. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 15:39

    AC(não me calou não, voce nao me conhece..)
    Não sou contra os banco centraiss, mas não sou adepto da esquerda nem do socialismo.Meu caro, voce confunde liberalismo com anarquismo.Voce parece o valupi, com a teoria da ideologia única.Eu nao sou anarquista, mas sei quais as diferenças entre a esquerda e a direita, e qual a diferença entre a austrália, canadá, e a venezuela e a cuba.Sou por uma intervenção minima percebe? MININA!.Mas já agora responda-me o seguinte!

    Gostar

  150. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 15:43

    ” Quanto à Banca, claro que o Estado não “nacionalizou” coisa nenhuma, nem sequer “praticamente”. ”
    .
    vendo bem as coisas…foi o contrário, a Banca é que se apoderou do Estado…então aquele negócio da transferência do fundo de pensões…
    .
    “Quanto às PPPs, o facto do governo não ter ainda ido mais longe é a prova de que o governo actual não usa o pretexto da politica de austeridade em situação de emergencia nacional para quebrar contratos anteriormente livremente assinados com entidades privadas por representantes do Estado. ”
    .
    o facto de não ter ido mais longe, só mostra que este governo não está ao serviço dos portugueses…sim, contratos baseados em “realidade” fantasiosas…este governo, só usa o pretexto da politica de austeridade para sacar dinheiro ao zé povinho…

    Gostar

  151. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 15:43

    “Então voce deve ser a favor, da nacionalização de bancos, a intervenção nos preços da gasolina e dos telefones.É ou não?”
    .
    .
    O que é que isso tem a ver com os bancos centrais?
    .
    .
    Eu vou-lhe dizer o que um verdadeiro Liberal acredita: mercados livres, abertos, e regulados mas com o minimo de regulação possível. Regulação essa que deve sempre promover a entrada de novos competidores, baixar os custos da saída competidores e impedir a formação de monopólios ou oligopólios, mesmo que fruto dessa mesma competição e eficiência. Compreendeu agora? Quem defende o contrário disto, vive, ou no mundo da utopia comuna ou no mundo da utopia anarca.
    .
    .
    Mas pela sua resposta e questão, Vc. também ainda está ainda nas sebentas e ainda na espuma dos problemas. Tem que começar a apreciar mais as mamas hayek. Olhe que aquilo, aliado ao bagacinho (uma afrodisiaco natural hehehhe ), dá cá uma sensação de liberdade, que nem faz ideia. 😉

    Gostar

  152. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 15:48

    “A carga fiscal deve descer sempre que o Estado tem excedentes orçamentais e uma dívida pequena e, sobretudo, durante as fases baixas do cicclo. Nunca se deve baixar a carga fiscal quando existem um défice orçamental e com uma dívida pública por pagar. Porque, os seus efeitos de curto prazo não são compensados pelos seus custos a médio e longo prazo. O erro de Reagan e do Bush. Há dúvidas?”
    Há.O reagan e o bush diminuiram impostos, no meio de duas guerras que ambs estavam a enfrentar.O reagan enfrentava a guerra da libia, e o bush as do iraque e do afeganistão.O estado não tem dinheiro, mas as pessoas já não teem dinheiro para financiar os gastos do estado, ou seja, os gastos teem que se adaptar ás receitas.Isto é pura matemática

    Gostar

  153. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 15:48

    “Eu vou-lhe dizer o que um verdadeiro Liberal acredita: mercados livres, abertos, e regulados mas com o minimo de regulação possível. ”
    .
    acredita em tretas…

    Gostar

  154. piscoiso permalink
    19 Setembro, 2012 15:49

    Económico TV
    É o titulo do post seguinte da autoria de CAA.
    O JPLN , como pessoa honesta que será, quando não quer que os seus posts sejam comentados, assinala:
    Comentários Desligados.
    O CAA, como parlamentar em representação do atual governo, assinala nos seus posts:
    Deixe um Comentário… com os comentários desligados.
    É apenas um pormenor de quem nos governa.

    Gostar

  155. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 15:54

    “O que é que isso tem a ver com os bancos centrais?”
    Não estávamos a falar de dirigismo? Foi isso que fiz.Mas não me respondeu á pergunta.Se o estado pode tomar a decisão que tomou, então pode também intervir no resto.
    .
    .
    ” Eu vou-lhe dizer o que um verdadeiro Liberal acredita: mercados livres, abertos, e regulados mas com o minimo de regulação possível. Regulação essa que deve sempre promover a entrada de novos competidores, baixar os custos da saída competidores e impedir a formação de monopólios ou oligopólios, mesmo que fruto dessa mesma competição e eficiência. Compreendeu agora? Quem defende o contrário disto, vive, ou no mundo da utopia comuna ou no mundo da utopia anarca.”
    Compreendi e concordo.Mas a julgar por aquilo que voce escreve, voce defende um papel para o estado maior do que esse, que voce disse.O estado deve ser árbitro, não jogador, e garantir não mais regulação, mas uma eficaz regulação
    Eu defendo um bocado menos e voce defende um bocado mais.É isso que nos separa

    Gostar

  156. Fernando S permalink
    19 Setembro, 2012 16:06

    tric : “aquele negócio da transferência do fundo de pensões…”
    .
    Ao Estado deu jeito receber aquele dinheiro numa situação de aflição … Claro que, em contrapartida, a Banca passou para o Estado um encargo escalonado no tempo.
    Foi bom negocio para uns ou para os outros ? Não faço ideia, não conheço os termos exactos do “negocio”, e mesmo que os conhecesse duvido que hoje alguém esteja em condições de dizer com certeza quem é que vai ganhar ou perder com ele.
    .
    .
    tric : “contratos [PPPs] baseados em “realidade” fantasiosas…”
    .
    Foram “contratos” !!!
    Um contrato respeita-se, não se rasga. Mesmo que uma das partes, que anteriormente o assinou, o considere depois como mau. Se não fosse assim seria a porta aberta para a arbitrariedade e o regresso à lei do mais forte.
    Hoje sabemos que foram maus contratos para o Estado, para o pais (que paga). Até porque hoje se percebe melhor que as previsões em que se baseavam eram irrealistas. A verdade é que muitos dos que agora querem denunciar unilateralmente as PPPs ou se calaram ou as aplaudiram na altura…
    De qualquer modo, os erros e as negociatas foram dos governos anteriores e não deste governo, que tem agora a dura tarefa de tentar corrigir o que é possivel e legitimo corrigir. Fala-se muito nas “rendas”. Mas muita gente esquece hoje que uma parte significativa dos custos com as PPPs destinam-se a pagar obras, estão feitas, teem de ser pagas.
    .
    .
    tric : “este governo, só usa o pretexto da politica de austeridade para sacar dinheiro ao zé povinho…”
    .
    Pis é … Podia-se resolver tudo sem a malfadada “austeridade”, não é ??!!

    Gostar

  157. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 16:21

    pagar roubos !!!?? pagar os roubos da PPP´s !!?? só um Estado Ladrão é que não renegoceia as PPP´s baseadas em pressupostos completamente fora da realidade…

    Gostar

  158. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 16:26

    “tric : “este governo, só usa o pretexto da politica de austeridade para sacar dinheiro ao zé povinho…”
    .
    Pis é … Podia-se resolver tudo sem a malfadada “austeridade”, não é ??!!”
    .
    é mais do que evidente que Portugal vai ter um perdão da divida como vai ter que a renegocia-la…deixem-se de ficções!! quanto mais cedo, melhor…

    Gostar

  159. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 16:33

    muitas familias já andam a optar e correctamente por não pagar as rendas/eletrecidade/… para alimentar as suas crianças !!! deixem-se de histórias e de ilusões…que os tempos não estão para isso !! toda a gente já vê que muita gente vai regressar para os campos…toda a gente vê que portugal deve implementar politicas protecionistas …etc etc…

    Gostar

  160. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 16:55

    toda gente vê que as previsões do FMI são uma autentica porcaria!! aquilo não tem contacto nenhum com a realidade!!! basta olhar à nossa volta, com qualquer zoom…a espanha tá de rastos…a França idem idem aspas aspas ( até já andam para lá a criar fogo de artificio para distrair a tragédia económica em que se encontra ) , a Alemanha, a sua economia está a desacelara a olhos vistos…como é que é possivel o FMI apresentar ao Governo português aquelas previsões e este aceita-las como crediveis!!!?? como é que é possivel!!?? e depois ainda vão construir o orçamento com base naquelas “projecções”…é inacreditavel ! simplesmente inacreditavel !

    Gostar

  161. PiErre permalink
    19 Setembro, 2012 16:57

    Como o governo resolve o problema:

    Espinhela caída,/ portas para o mar;/ Arcas, espinhelas,/ em teu lugar.// Assim como Cristo/ Senhor Nosso andou/ pelo mundo arcas,/ espinhelas levantou.//
    .
    .

    Gostar

  162. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 17:06

    foda-se 16% para o desemprego em 2013…ou seja, o desemprego em Portugal em 2013 vai crescer 0% face a 2012!!!??? como é possivel, quando a economia portuguesa está em queda livre!!?? não circula dinheiro em Portugal…aliás, e o pouco que ainda circula a Banca tenta o absorver que nem uma esponja ou então o Estado encarrega-se de o suga-lo para pagar o roubo das PPP´s ! 16%…

    Gostar

  163. PiErre permalink
    19 Setembro, 2012 17:15

    REZA CONTRA TROIKA
    Agua benta na igreja
    Jesus Cristo no altar
    Troika baixe a cabeça
    Que eu quero passar
    .
    Milagre, milagre! (À atenção do Pe. Anti-Comuna…)

    Gostar

  164. 19 Setembro, 2012 17:21

    Ricciardi,
    .
    “Isto tem de ser efectuado por cortes massivos na despesa do estado. Bastava, alias cortar 15% na despesa do estado que nao é salrios e pensoes para obter um defice equlibrao. É a tese do ricardo arroja que eu partilho em absoluto. Se aplicar 15% de cortes à outra despesa, obtem poupancas de 4,5 mil milhoes.”
    .
    Todos defendem o corte na despesa, mas quando se começa a cortar, “aqui d’el-rei, que estão a fazer cortes cegos!”. Não sei onde vai você buscar esses números, mas fora salários e prestações sociais que representam quase 70% da despesa corrente (pode ver a estrutura da despesa nesta posta), o resto da despesa corrente é constituída pelos consumos intermédios, outras despesas e subsídios. A outra rubrica relevante são os juros, sobre a qual você não tem qualquer controlo no curto prazo. Em 2011, aquelas 3 rubricas somaram 13,4 bi. Aplicando-lhe o corte de 15% que você sugere, poupará 2 bi. Lembro-lhe porém que tem um défice de 13 bi para anular. Lembro-lhe ainda que o grosso dos consumos intermédios e das outras despesas correntes (a chamada aquisição de bens e serviços) são despesas com o SNS. Corta-se aqui à maluca?
    De qualquer forma, pela 1ª vez em muitos anos a rubrica “aquisição de bens e serviços” tem apresentado reduções significativas, como pode verificar no site da DGO. Mérito fundamentalmente do Paulo Macedo que já cortou de forma significativa e conseguiu baixar o preço dos medicamentos, o que constitui um benefício relevante para os cidadãos.
    Analise cuidadosamente os números meu Caro, antes de se pôr a mandar “bitaites” sem grande fundamento.

    Gostar

  165. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 17:30

    “Há.O reagan e o bush diminuiram impostos, no meio de duas guerras que ambs estavam a enfrentar.O reagan enfrentava a guerra da libia, e o bush as do iraque e do afeganistão.O estado não tem dinheiro, mas as pessoas já não teem dinheiro para financiar os gastos do estado, ou seja, os gastos teem que se adaptar ás receitas.Isto é pura matemática”
    .
    .
    Desculpe, mas a sua matemática não bate certo.
    .
    .
    Então eles fazem guerras (que são expansionistas para a economia, desde que não sejam o local onde se gastam as munições ehehheehhe) e baixam a carga fiscal para baixar o défice? É isso? Não percebo a sua matemática e lógica. Eu sou curto destas coisas, como saberá.
    .
    .
    Mas o mais impressionante é até isto. Os americanos estão sempre em guerra. Desde que me conheço, os gajos estão sempre em guerra. Sempre. Pudera. O seu sistema político e económico depende das guerras. O Ike bem avisou o mundo e o próprio povo americano, mas eles são socos como muitos na Europa. ehehheheh
    .
    .
    Se não querem guerras que nãos a fomentem e provoquem. Nesta nova ronda de impressão monetária, para lixar o resto do mundo, é certo e sabido que irão provocar revoltas políticas e militares, devido à inflação exportada pelos americanos. E depois eles queixam-se que precisam de pagar impostos no que gastam pelo mundo fora, a matar e a assassinar? Vou ali e já venho. ehehhehehh

    Gostar

  166. tric0001 permalink
    19 Setembro, 2012 17:32

    este governo nunca mais cai!!?? agora vão dar formação 100 agentes dos impostos para irem caçar às empregadas domesticas…este país está mesmo demente !!! nesta altura do campeonato …

    Gostar

  167. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 17:50

    então anti-comuna , vou lhe explicar uma coisa: pode voce até nem concordar, mas o reagan baixou impostos para incentivar a economia.O problema é que houveram as tais guerras, o que significou manutenção da despesa.
    Porque é que houve défice? Porque o reagan reduziu o financiamento, mas não reduziu o gasto.Há duas coisas que se pode fazer: ou aumenta-se as receitas, ou diminui-se o gasto.Ele não só não reduziu como aumentou.Idem para o bush.
    Ambas são dolorosas para um determinado sector.Mas como em recessão as receitas caem e tem-se um défice, logo só há uma solução, que é baixar mais a despesa

    Gostar

  168. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 17:52

    LR, se voce fosse ministro das finanças, que faria ao pais? Não chego a perceber qual a sua posição em relação ao governo

    Gostar

  169. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 18:13

    “então anti-comuna , vou lhe explicar uma coisa: pode voce até nem concordar, mas o reagan baixou impostos para incentivar a economia.O problema é que houveram as tais guerras, o que significou manutenção da despesa.”
    .
    .
    Os ditos keynesianos têm as mesmas teorias. Há sempre uma desculpa para evitar cortar na despesa e taxar os agentes económicos. Os ingénuos é que acham que o Estado cortará na despesa por livre vontade, sem ser obrigado.
    .
    .
    A melhor forma de obrigar a cortar na despesa é obrigar a aumentar os impostos para pagar essa mesma despesa. Este “credo liberal” é tão velho como o vinho do Porto. Desde que os liberais de pacotilha começaram a usar os mesmos truques dos keynesianos, nunca mais o Estado parou de crescer. Bush, Reagan, Cameron, etc. E isto a falar dos herois destes liberais de pacotilha.
    .
    .
    No dia em que a esquerda tem que pagar, através dos impostos, a despesa que está sempre a apregoar aos quatros ventos, eles tornam-se os mais acérrimos defensores dos cortes na despesa. ehehheeheh
    .
    .
    Esta gente não percebe nada de política. lololol

    Gostar

  170. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 18:18

    Política prática versus teórica.
    .
    .
    Como obrigar o Anacleto a pedir cortes na despesa pública? Simples. Obrigando-os a taxar a despesa que eles próprias defendiam antes. Os socialistas também se renderam a esta coisa simples. Quanto mais despesa, mais impostos. O comuna Anacleto é a última berração a acordar para a realidade da vida:
    .
    “Louçã: “buraco colossal de explicação” no corte da despesa
    .
    O líder do Bloco de Esquerda considerou hoje existir “um buraco colossal de explicação” do Governo relativamente ao contributo do corte na despesa pública para o saneamento das contas do Estado.”
    .
    in http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1936221
    .
    .
    No dia em que os despesistas começam a ter que explicar aos cidadãos, que as suas utopias custam dinheiro e que elas são pagas através de impostos, hoje ou no futuro, eles tornam-se os mais acérrimos defensores dos cortes no Estado e na despesa pública. Os nossos liberais de pacotilha vivem no mundo das sebentas e não percebem nada disto. Olhem o Anacleto a abandonar o partido, porque tem vergonha de apregoar cortes na despesa, que antes defendia com unhas e dentes.
    .
    .
    Ainda estais muito verdes nestas coisas da política. ehehehheheh

    Gostar

  171. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 18:25

    A melhor forma de obrigar a cortar na despesa é obrigar a aumentar os impostos para pagar essa mesma despesa. Este “credo liberal” é tão velho como o vinho do Porto. Desde que os liberais de pacotilha começaram a usar os mesmos truques dos keynesianos, nunca mais o Estado parou de crescer. Bush, Reagan, Cameron, etc. E isto a falar dos herois destes liberais de pacotilha.
    Permita-me discordar da sua opiniao em relação a bush e a reagan: podiam ser tudo e mais alguma coisa, mas estão muito longe de serem liberais.Houve presidentes do Partido Democrata mais liberais que eles..7
    O que eles fizeram não tem nada de liberal.

    Gostar

  172. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 18:27

    A melhor forma de obrigar a cortar na despesa é obrigar a aumentar os impostos para pagar essa mesma despesa. Este “credo liberal” é tão velho como o vinho do Porto. Desde que os liberais de pacotilha começaram a usar os mesmos truques dos keynesianos, nunca mais o Estado parou de crescer. Bush, Reagan, Cameron, etc. E isto a falar dos herois destes liberais de pacotilha.
    Permita discordar da sua opiniao em relação a bush e a reagan: podiam ser tudo e mais alguma coisa, mas estão muito longe de serem liberais.Houve presidentes do Partido Democrata mais liberais que eles..7
    O que eles fizeram não tem nada de liberal.

    Gostar

  173. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 18:29

    Aqui há uns tempos atrás, o nosso vendedor de vinhos defendia o Estado Social na Europa, porque era um sinal superior da civilização europeia. (Talvez porque ele vê as palhotas em que vivem os africanos:)
    .
    .
    Ele defendia que era melhor desvalorizar o escudo, ter inflação a ter que cortar no tal Estado Social.
    .
    .
    Mas agora que ele sabe que este Estado Social tem bastante despesa e tem que ser paga com impostos, vejam ele a defender cortes na despesa e já não quer saber do Estado Social para nada. Pudera! O Estado Social custa uma pipa de massa e os alemães não vão pagar esta despesa com os impostos deles. São os portugueses que vão pagar esta despesa com os seus impostos.
    .
    .
    Ora vejam como ele mudou de opinião, para que não pague mais impostos. Prefere cortes na despesa a que haja aumentos de impostos. É assim que funciona na prática as coisas. Quando os outros pagam as nossas utopias, somos todos defensores do Estado Social. Quando somos nós a pagar este socialismo e esta elevada despesa estatal, são logo os primeiros a pedir cortes na despesa do Estado.
    .
    .
    Aprendam que eu não duro sempre. ehehheheheh

    Gostar

  174. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 18:30

    “O que eles fizeram não tem nada de liberal.”
    .
    .
    Concordo em absoluto consigo. Pena que haja liberais que acreditam o contrário. Chuif!

    Gostar

  175. Portela Menos 1 permalink
    19 Setembro, 2012 18:30

    uma sondagem ccontra a troika:
    http://www.dn.pt/politica/interior.aspx?content_id=2779585

    Gostar

  176. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 18:33

    AC: agora é adepto do BE é?

    Gostar

  177. vivendipt permalink
    19 Setembro, 2012 18:33

    Portugal só vira se:

    – alteração tsu » medida com atraso de um ano (devia ter sido com um aumento no IVA e não nos descontos dos trabalhadores)
    – PPPs » reestruturar dívidas (a justiça para ser credível deve atuar nos casos graves de corrupção )
    – função pública » diminuir os encargos (impossível baixar a despesa total do estado sem mexer aqui, ou corta-se funcionários ou salários em definitivo)
    – exterminar autarquias e freguesias » medida atrasada
    – diminuição de deputados e regalias (acordado em debate eleitoral entre o Coelho e PP)
    – cortar gastos na presidência da república (ainda gasta + que a monarquia espanhola)
    – encerrar fundações e institutos
    – voto nominal (acabar com a partidocracia)
    – encerrar e privatizar as empresas estatais
    – cumprir o memorando da troika (no final pedir a reestruturação de 1/3 da dívida)
    – facilitar o aparecimento de novos negócios e empreendedores (taxas baixas e simplificação burocrática até em negócios com receita até 50.ooo € anuais).
    – fixar teto máximo de pensões suportado pelo estado (seguir modelo suíço)
    – regular os custos de energia

    Nota:
    – € forte » positivo

    Gostar

  178. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 18:35

    Anti-Comuna: não estou assim tão certo disso.E a prova disso foi o aparecimento dos tea party.Já agora, voce torce por obama ou por romney?

    Gostar

  179. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 18:39

    “AC: agora é adepto do BE é?”
    .
    .
    Desde que eles passaram a defender cortes na despesa, por causa da fiscalidade, comecei a simpatizar com eles. lolololol
    .
    .
    “Já agora, voce torce por obama ou por romney?”
    .
    .
    Meu amigo, eu sou português. Não me meto na vida alheia. Só quando se metem na minha. Eu não me meto na vida alheia e não sou como os escravos romanos, que eram adeptos dos seus amos imperiais.

    Gostar

  180. 19 Setembro, 2012 18:45

    “LR, se voce fosse ministro das finanças, que faria ao pais? Não chego a perceber qual a sua posição em relação ao governo”
    .
    Começava por cortar nas grandes rubricas – salários e prestações sociais – como o governo aliás está a fazer. Mas você é que tem de fundamentar como chega aos 4,5 bi que anunciou acima.

    Gostar

  181. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 18:49

    Anti-Comuna: voce está a ser verdadeiro, ou está a ser irónico, como de costume?
    LR: eu nao sou o ricciardi, portanto tem que lhe perguntar a ele.Mas há de concordar que aumentar os impostos neste momento é desaconselhável, comon há um ano atrás tambem ja foi

    Gostar

  182. vivendipt permalink
    19 Setembro, 2012 18:57

    Portugal só vira se:
    – alteração tsu » medida com atraso de um ano (devia ter sido com um aumento no IVA e não nos descontos dos trabalhadores)
    – PPPs » reestruturar dívidas (a justiça para ser credível deve atuar nos casos graves de corrupção )
    – função pública » diminuir os encargos (impossível baixar a despesa total do estado sem mexer aqui, ou corta-se funcionários ou salários em definitivo)
    – exterminar autarquias e freguesias » medida atrasada
    – diminuição de deputados e regalias (acordado em debate eleitoral entre o Coelho e PP)
    – cortar gastos na presidência da república (ainda gasta + que a monarquia espanhola)
    – encerrar fundações e institutos
    – voto nominal (acabar com a partidocracia)
    – encerrar e privatizar as empresas estatais
    – cumprir o memorando da troika (no final pedir a reestruturação de 1/3 da dívida)
    – facilitar o aparecimento de novos negócios e empreendedores (taxas baixas e simplificação burocrática em negócios com receita até 50.ooo € anuais).
    – fixar teto máximo de pensões suportado pelo estado (seguir modelo suíço)
    – regular os custos de energia
    Nota:
    – € forte » positivo

    Gostar

  183. 19 Setembro, 2012 19:14

    “LR: eu nao sou o ricciardi, portanto tem que lhe perguntar a ele.Mas há de concordar que aumentar os impostos neste momento é desaconselhável, comon há um ano atrás tambem ja foi”
    .
    Peço desculpa pela confusão, causada por um anónimo que anda por aqui a trocar mimos com o Anti-comuna que me parecia ser o Ricciardi.
    De resto, você dificilmente encontrará alguém mais avesso à subida de impostos do que eu. Mas das medidas anunciadas recentemente pelo governo, o único aumento de impostos é a alteração nas taxas de retenção de 25% para 26,5% nos rendimentos de capitais que pessoalmente considero uma medida estúpida, penalizadora da poupança e tomada fundamentalmente para “parecer bem”, mostrar que tb se penalizam os “ricos”. As alterações na TSU, como já tem sido reafirmado várias vezes por aqui, designadamente pelo João Miranda, é uma medida neutra em termos fiscais e não pretende combater directamente o défice.

    Gostar

  184. pedro permalink
    19 Setembro, 2012 19:23

    LR :conhecendo o sr bem os números do défice e dos juros como já me apercebi e do andamento da economia, pensa que existe espaço no euro para nós? Com todas estas oposições completamente ignorantes de uma simples economia doméstica ,penso que o sr não se deve desgastar tanto, o nosso caminho está traçado ,quer pagemos ou não a dívida,temos quase 9000milhões de juros por ano,assim não vamos lá. Pessoalmente vou-me preparando para a nova moeda e desejo boa sorte a todos.

    Gostar

  185. 19 Setembro, 2012 19:37

    Pedro,
    .
    Não sei obviamente se nos iremos manter no euro. Mas acho preferível andarmos quase uma década a apertar o cinto, a cumprir rigorosamente o programa de estabilização, conseguirmos recuperar a confiança dos mercados e mantê-la com políticas públicas rigorosas visando a redução da dívida depois de se equilibrar o orçamento, conseguirmos retomar o crescimento em bases sustentáveis (mais baseado na procura externa do que na interna) ou a alternativa (saída do euro) representará uma pauperização absoluta.

    Gostar

  186. pedro permalink
    19 Setembro, 2012 19:59

    pois LR: mas a população não se apercebe da real situação e a elite que vai mamando dos empréstimos da troika ,tem este comportamento como nós assistimos, é preferível confrontar toda essa gente com a parede .Veja que eles sugerem um governo de salvação nacional sem passos para continuar a mamar dos empréstimos ,fazendo lembrar alguns regimes de áfrica em que as ajudas vão para os bolsos dos mesmos.Como tal,Passos não fez os cortes na despesa e agora já não tem margem, deve demitir-se e confrontar todas essas viúvas do sócrates com a depauperização que o senhor se referia.

    Gostar

  187. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 20:01

    LR, quando me refiro a aumentos, refiro-me a esse e aos do ano passado.Mas no geral, até nem acho passivel de ser discutivel.A unica coisa que me desvio, é que a contribuição dos trabalhadores não servindo para o défice, é efectivamente uma machadada nas remuneracoes dos trabalhadores.Dito isto,não me oponho nada a diminuição da tsu, mas tem que ser achada outra compensação alternativa.Já vi boas proposta na blogosfera, como as do comentador Tiro ao Alvo, ou as do Tavares Moreira do Quarta Republica

    Gostar

  188. Francisco Colaço permalink
    19 Setembro, 2012 20:04

    Há uma frase de Alexis de Tocqueville que sempre me foi deliciosa:
    .
    A República nos Estados Unidos durará até que os políticos descubram que podem subornar os eleitores com o seu próprio dinheiro.

    Gostar

  189. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 20:04

    “Anti-Comuna: voce está a ser verdadeiro, ou está a ser irónico, como de costume?”
    .
    .
    Olhe, eu vou-lhe ser sincero. Depois do que se passou nos últimos dias e depois de ver as sondagens alemãs, eu acho que um apertão fiscal é a melhor forma de eliminar de vez com os defensores do socialismo.
    .
    .
    Antigamente eu opunha-me ao aumento dos impostos e defendia sempre o corte da despesa. Poucos defendiam essa solução. Fugiam sempre que podiam das medidas duras, como corte salariais, reformas, etc. Encontravam sempre uma forma de fugir ao inevitável. Desvalorizações, saidas do euro, impressão monetária, mutualização das dívidas, etc. E por isso, não dava resultado. A malta encontrava sempre uma justificação para cortar nas despesas do Estado.
    .
    .
    Hoje, após ver o que se passou nos últimos dias, com os comunas do BE e até do PCP a queixarem-se da fiscalidade e que o governo não cortava suficientemente na despesa, estou convencido que os velhinhos liberais tinham razão. A cada despesa o seu imposto ou receita fiscal. E isso impedia o aumento da despesa pública. (Esta ideia nasce precisamente com o imperaador romano, o Vespasiano.) Quando se começou a pedir baixas de impostos sem o corte da despesa ou aumentos da despesa sem o correspondente aumento de impostos, a coisa descontrolou-se e atingiu-se no mundo um pelo do Estado que é o que está a matar o crescimento económico e a sua subida do nível de vida das populações. (E outros erros mais.) O fim do padrão-ouro veio revolucionar a forma como os scoialistas enganaram as populações.
    .
    .
    Hoje a Merkel é muito popular na Alemanha. Porquê? Podem ser várias razões mas a principal é mesmo esta. Para pagar os custos da Reunificação, a fiscalidade alemã subiu cerca de 68%. Como os alemães foram obrigados a pagar com impostos a despesa do Estado, hoje eles aplaudem quem não aumenta a carga fiscal nem a… Despesa.
    .
    .
    O mesmo se passa na Suécia. Outros tempos, os tipos eram também despesistas como o caraças. Mas quando sofreram na pela os aumentos dos impostos para pagar a despesa pública, desde então os gajos deixaram de ser socialistas e utópicos com os dinheiros alheios.
    .
    .
    Hoje, face à situação portuguesa e à reviravolta operada nos partidos políticos e ao fim da ilusão da despesa pública com o dinheiro alheio, tenho para mim que o Vespasiano tinha razão. Ele ensinou-nos duas ou três coisas importantes. A primeira: a despesa do Estado paga-se com impostos e não a roubar os outros. (O gajo teve que suar as estopinhas para ganhar a guerra civil e desarmar as hordas de militares ao serviço de adversários políticos.) A segunda, os funcionários públicos não podem ganhar mais que quem paga os impostos e não podem ser corruptos, sob pena de lhe cortarem as mãos ou mesmo cortar-lhes o pescoço. O terceiro ensinamento, é que enquanto se é imperador não interessa a popularidade mas apenas quando deixasse de ser Imperador. (A História deveria avaliar o mérito ou demérito dele. Embora ele tivesse empurrado um bocado, ao premiar quem lhe tecesse elogios nos escritos, como o Flávio Josefo, etc. Mais tarde o famoso Maquiavel retomou a defender que importa é ser temido e não amado.)
    .
    .
    Ora, eu penso que a solução do Vespasiano está correcta. A cada despesa o seu imposto. E deixar que a população escolha o que quer: despesas do Estado ou pagar impostos. Desde que em Portugal, pagar altos impostos para pagar dívidas e despesa tem mudado a opinião pública e até publicada, penso que mais um arrastão fiscal não faz mal nenhum. Só irá transformar jovens utópicos socialistas em radicais anti-socialistas e gastadores dos dinheiros públicos. eheheheheheh

    Gostar

  190. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 20:12

    Tantos erros. Mil desculpas. Os mais importantes que importa corrigir.
    .
    “A malta encontrava sempre uma justificação para cortar nas despesas do Estado.”
    .
    Deve-se ler:
    .
    A malta encontrava sempre uma justificação para NÃO cortar nas despesas do Estado.
    .
    .
    Onde se lê:
    .
    ” Quando se começou a pedir baixas de impostos sem o corte da despesa ou aumentos da despesa sem o correspondente aumento de impostos, a coisa descontrolou-se e atingiu-se no mundo um pelo do Estado que é o que está a matar o crescimento económico e a sua subida do nível de vida das populações.”
    .
    Deve-se ler:
    .
    Quando se começou a pedir baixas de impostos sem o corte da despesa ou aumentos da despesa sem o correspondente aumento de impostos, a coisa descontrolou-se e atingiu-se no mundo um PESO descomunal do Estado que é o que está a matar o crescimento económico e a sua subida do nível de vida das populações.
    .
    .
    E onde se lê:
    .
    ” Só irá transformar jovens utópicos socialistas em radicais anti-socialistas e gastadores dos dinheiros públicos.”
    .
    Deve ler-se:
    .
    Só irá transformar jovens utópicos socialistas em radicais anti-socialistas e anti-gastadores dos dinheiros públicos.
    .
    .
    Pronto. Assim está melhor. E agora vou descansar, que teclar e dar à língua é bastante mais cansativo que aturar a mulher. ehehheheh

    Gostar

  191. Ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 20:19

    Pois, enfim, caro LR como lhe disse as contas são do Ricardo Arroja, não são minhas. Assim por alto, se o OE representa uns 80 mil milhoes, 30% seriam 24 mil milhoes de despesa que não é salarios e pensoes. Sendo assim um desbaste de 15% nesses 24 mil milhoes dariam uns 3,6 mil milhoes. Não chega, eu sei, mas teria sido muitissimo melhor ter feito isto do que promover a recessão atraves de cortes salariais. Pelo menos nao teriamos certamente as supresas no lado das receitas fiscais que tivemos que, só elas, são quase tanto como a medida que eu anunciei.
    .
    Vc está a ver bem a gravidade da coisa. O governo consegui deprimir tanto a economia que as receitas colapsaram. Nao se governa assim.
    .
    Eu sempre defendi a ideia de que não é possivel pagar a divida. Atingiu um tal nivel que os juros inviabilizam um crescimento que compense as medidas de austeridade. è um ciclo vicioso cujo sucesso se pode medir por pequnissimas vitórias, mas a guerra está perdida à partida. Daí eu estar relativamente confiante de que a ultima decisão do BCE possa levar Portugal a bom porto. Mas receio que entretanto se mude de opinião.
    .
    É bom de ver. o Saldo Primario orçamental é SUPERAVITARIO. Não é, pois, verdade que nao exista dinheiro para financiar a saude, os salarios, as pensoes, a educacao etc. Existe dinheiro e o saldp orçamental só se torna deficitário se lhe acrescentarmos os juros. Ora, os juros tem de ser pagos, mas mais importante do que pagar os juros é tomar medidas que os diminuam. Diminuir o endividamento junto dos mercados e ter a ajuda do banco central que pressione os juros para baixo, como está já a acontecer , só pelo anuncio. Os investifdores absrveram uma coisa importante. Não vai valer a pena especular muito com Portugal, Pode ser mau negócio se o BCE intevier ILIMITADAMENTE. Mais a mais, enquanto durar o programa com a troika os testes que vamos fazendo não valem grande coisa.

    .
    Mas eu gostava de colocar à sua apreciação o seguinte:
    – E se o governo de Portugal em vez de cortar ou roubar 2 salarios promovesse a compra, ainda que compulsiva, de titulos do tesouro?
    Quer dizer, se inves de cortar esses salarios aos Portugueses os obrigasse a comprar 2/14 dos seus salarios em Titulos do tesouro. Pelas minhas contas isso daria cerca de 8 mil milhoes de euros por ano. Em cinco anos daria mais 40 mil milhoes de divida colocada junto dos portugueses. Eu sei que endividamento do estado nao diminuia com isto, mas seguranmente seria uma forma de deixar a dependencia aos mercados. Em cinco anos obtinha metade do que a troika nos emprestou.
    .
    E essa massa compulsivamente aplicada em Titulos do tesouro podia ser reembolsada atraves da fiscalidade em beneficoos fiscais aio longo dos anos.
    .
    Penso que seria uma forma de os portugueses contribuirem sem sentirem que estavam a ser roubados.
    .
    Rb

    Gostar

  192. anti-comuna permalink
    19 Setembro, 2012 20:23

    “Quer dizer, se inves de cortar esses salarios aos Portugueses os obrigasse a comprar 2/14 dos seus salarios em Titulos do tesouro. ”
    .
    .
    Para depois lhes dar um default:
    .
    .
    “Eu sempre defendi a ideia de que não é possivel pagar a divida.”
    .
    .
    Eu bem digo que o amigo não diz coisa com coisa. Beba um bagacinho que isso passa-lhe. heheheheheeheh

    Gostar

  193. Ricciardi permalink
    19 Setembro, 2012 20:35

    Sabe uma coisa AC, quando um tipo não é capaz de ver no que errou nunca fará melhor no futuro. Vc errou. Ou melhor o governo em que vc idolatrava errou.
    .
    Eu pergunto-lhe, e responda como quiser:
    -Atendendo ao facto do governo ter aumentado impostos e imposto uma austeridade intensa, e em resultado disso verificamos que a economia dá sinais de colapso, o que é que o meu amigo aconselhava que se tivesse feito de diferente?
    .
    Isto é, se a realidade das contas é bem pior do que o impacto que se estimava que as mediadas iam ter, então, sabendo o que sabe hoje, o que é que o caro AC fazia de diferente, ou propunha fazer, para evitar uma derapagem tao acentuada?
    .
    Rb

    Gostar

  194. anonimo permalink
    19 Setembro, 2012 20:36

    ´pela primeiran vez Anti-Comuna, estou a concordar consigo.Foi dificil chegar até esse ponto mas cheou-se

    Gostar

  195. FilipeBS permalink
    19 Setembro, 2012 21:03

    Mais cego é aquele que não quer ver. As pessoas não querem mesmo ver a realidade…

    Gostar

  196. 19 Setembro, 2012 21:21

    Ricciardi,
    .
    Eu não sei qual é a fonte do Ricardo Arroja. Mas siga o link que acima lhe indiquei e através dele chegará a um mapa do INE muito interessante com dados desde 1995. Olhe para ele e diga-me onde chega a 24 bi de despesa adicional. Nem considerando juros e despesa de capital lá chega. E faça umas contas no dito mapa (trata-se de uma folha Excel) e diga-me onde tem um saldo primário positivo…

    Gostar

  197. JCA permalink
    19 Setembro, 2012 22:11

    (cont 14.19H)~
    .
    Acresce, anti-Comuna sem pretensão de perturbar o esclarecedor debate que está a ter, remeto-me apenas a essa questão da MOEDA. Resumo padrão ouro-dollar-nixon-padrão petroleo-petrodolar-sadam euro para pagar petroleo-o ‘civilizado’ kadafi a inventar o dinar de ouro para pagar petroleo-irão só vende petroleo pago com ouro etc.
    .
    Talvez não goste muito de ouvir mas a verdade é que sem Dollar e sem EUA o resto do Mundo divagaria a pensar que a Civilização acabava nas fronteiras de cada ‘quintalzinho’ …….
    .
    Sobre a tematica MOEDA e na parte que nos toca o Euro para Portugal (medido pelo poder de compra interno que a desvalorizaçao acarretaria se tivessemos ESCUDO) desvalorizou cerca de 30% relativamente à zona Euro usando a tool ‘Fiscal-moeda Euro’ com aumentos de Impostos em vez da ‘tool inflação-moeda nacional’ impondo ‘camisa de forças’ ao poder de compra interno (=desvalorização se houvesse moeda nacional) ficando morto o potencial que 30% de desvalorização disparariam nas exportações portuguesas ….
    .
    No outro lado da moeda nesta novas Finanças Europeus que nada têm a ver com as sepultadas Finanças Nacionais com moeda Nacional,
    .
    para aumentar o poder de compra interno de cada Cidadão, Familia ou Empresa só se consegue também com a tool “Fiscal-moeda Euro’ com redução de Impostos.
    .
    É por isso que de imediato para acabar com a confusão e o atabalhoamento devemos fazer “CORTE CEGO SALOMONICO e TRANSVERSAL de 4% EM TODAS AS RUBRICAS DE DESPESAS DO ESTADO. Continuar a brincar aos LEGOS já se sabe o que vai dar já a seguir” e no momento imediatamente a seguir.
    .
    “há Tempo sustentado para resolver o que hoje ´e a fantasia do ‘Corte das Gorduras’ que quando se corta na gordura da anca desata a berrar porque é que não cortam aquela ali das coxas ou acolá das nádegas. Ao que estas respondem então querem-nos cortar a nós e então porque não cortam as da anca …. E segue o cortejo da demagogia, juntam-se as três porque é que não se corta naquela acolá nas beiças E assim sucessiva e eternamente ao dia de Hoje.”,
    .
    para aplicar integralmente na redução radical de impostos que na nova ‘ciência’ Finanças em Euro são a unica via para aumentar ‘por dentro’ o poder de compra geral com os mesmos salários, lucros e rendas.
    .
    Se andam confusos ninguém tem obrigação de estar à espera que se resolvam (ou aprendam) para onde agora aponta a agulha magnética da bussola.
    .
    O resto são peanuts e cortejos académicos sem consonância completa com a Vida no Tempo do agora EURO que despoletou uma ‘ciência’ as Novas Finanças. Que só podem ser abordadas e entendidas por aquilo que nas vanguardas historicas se chama ‘LIVRES PENSADORES’ não na vanguarda mas à frente do seu Tempo. Vá-se lá saber porquê, aparecem os LIVRES PENSADORES muito à frente das ‘saudades’ cientico académicas do Passado que morreu
    .
    Apenas- Be happy
    .

    Gostar

  198. 19 Setembro, 2012 22:17

    sei lá , por mim já tanto faz aspirina ou benuron , nenhum destes paliativos vai poder curar o moribundo. aquele rapaz do insurgente que o Rui a recomendou é capaz de ter razão .

    Gostar

  199. neotonto permalink
    21 Setembro, 2012 10:14

    Hoje a Merkel é muito popular na Alemanha. Porquê? Podem ser várias razões mas a principal é mesmo esta. , a fiscalidade alemã subiu cerca de 68%. Como os alemães foram obrigados a pagar com impostos a despesa do Estado, hoje eles aplaudem quem não aumenta a carga fiscal nem a… Despesa.
    (Para pagar os custos da Reunificação)

    “Para pagar os custos da Reunificação”. Hehehe. Muito interessante este assunto que tocou o AC, que mui pouca gente conheçe a pesar de estar bastante asequivel a documentaçao tanto em video como mais a serio produzida por organismos académicos…
    Por certo esto modelo alemao da Treuhand foi o modelo a imitar nas privatizaçoes que començaram pouco tempo há na Grécia
    .
    – Privatização de empresas públicas: a Treuhand
    Um pré-requisito para o novo Oriente Länder pôder comparecer em
    mercados internacionais foi livrar das antigas estruturas e pesado
    legado burocrática do regime comunista, e alcançar a modernização de seus equipamentos
    produtiva. Com esse objetivo começou um intenso processo de privatização
    que no regime anterior foram de propriedade pública.
    Para este propósito, um organismo público criado privatização, o Treuhandanstalt –
    Treuhand abreviado. Foi criada em 01 de março de 1990 e iniciou suas operações em 15 de
    De março do mesmo ano.
    A Treuhand exercia provisoriamente a propriedade de empresas públicas, assim
    enviá-lo para os compradores interessados. Isto foi destinado a prevenir,
    como em outros países ex-comunistas, as empresas acabam nas mãos de seu
    ex-diretores ou dado de graça para os investidores estrangeiros para um ridículo3 preço.
    O objetivo que tínhamos era dupla: primeiro, a venda o mais rápido possível da
    empresas envolvidas, e em segundo lugar, para obter o maior número de interessados, a fim
    impor determinadas condições, como, por exemplo, as que envolvem a utilização. Ele
    estabelecido que seria negociado processo de venda padrão e, em caso
    não houve propostas aceitáveis, iria proceder à liquidação da empresa. Nestes
    as negociações da Treuhand poderia conceder benefícios fiscais, fornecer subsídios ou
    tomar quaisquer outras medidas necessárias para assegurar a viabilidade
    futuro da empresa.
    Esta organização foi responsável por 23.500 empresas, das quais: 15.000 foram privatizadas,
    4.500 foram reprivatizadas aos seus antigos proprietários, 500 foram absorvidas e 3500
    fechada. Entre essas empresas eram grandes conglomerados 14.000
    representado na base da antiga economia

    .

    Click to access 05.pdf

    Gostar

Trackbacks

  1. Agora escolha | Cócó à beira-mar plantado
  2. A TSU posta em versos – Aventar
  3. A TSU posta em versos | Máquina Semiótica

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: