Saltar para o conteúdo

Debate com o Homer Simpson

10 Abril, 2014

Eu esforço-me, a sério. No entanto, tudo que o professor Cardoso tem a acrescentar é um post divertido com macaquinhos, assumindo-se como o Homer Simpson da blogosfera, disparando contra os empresários com a mesma voracidade com que ergue a banana aos simplórios, “mirai, este é o fruto da equidade entre bípedes de boa fé”. O meu problema nunca foi com comunistas, coitados, privados neste país da oportunidade para colocarem em prática o sistema de vassalagem ao comité central que lhes permite lugar de primazia na fila para o pão; o meu problema foi sempre com socialistas nacionalistas que julgam ser comunistas, em particular quando demonstram inabilidade para alguma retórica que mascare a miserabilíssima vontade de prepotência do lado pelo qual decidiram alinhar.

Erro meu crer que dali pudesse sair um debate interessante. Tenho demasiada fé nas capacidades das pessoas e entristece-me verificar o erro de tal generalização quando demonstrado em público. Por mim dou por terminado “o debate” – fique lá com a banana, professor.

39 comentários leave one →
  1. basto_eu permalink
    10 Abril, 2014 10:55

    O prof. Cardoso é mesmo professor? Sério? Quando li a primeira pergunta fiquei logo esclarecido quanto ao que vinha a seguir, mas não resisti à tentação ( e livrei-me do mal…) É outro maluquinho que ainda não percebeu que discernimento é coisa que não se aprende na Universidade. Ou se tem ou não se tem.
    Só para baralhar:
    A produtividade do trabalho por hora na Alemanha é 124,8.
    Na UE a 27 é 100.
    Em Portugal é 64,3.
    Só que na Alemanha não há salário mínimo.
    Lá não há decreto a impedir de se pague mais do que o merecido.
    Cá há funcionários que nem o SM merecem.
    E sim haverá empresas que vão fechar por via disso…

    Gostar

  2. joshua permalink
    10 Abril, 2014 11:00

    Nada mais inglório que contrapor argumentos ao dogma e à parede em pessoa. Uma parede em pessoa por princípio ignora-se. Se mostra não passar de um saco de instintos castradores, de fanatismo persecutório, maluqueira do pensamento único e uniformizado, mania de enviar para o gulag o que lhe escape ao controlo, deve ignorar-se. Digo mais: é preciso cagar para essa parede, que é uma forma de ignorar à altura dos actos e malefícios da parede. A tragédia do diálogo impossível, da reconciliação inviabilizada, faz-se de desperdícios como esse de uma pessoa em forma de parede preferir a ruína derrotada à gloriosa realidade: posso ter sido expelido pela parede, mas o Apocalipse comunista-revolucionarista da pessoa-parede falhou novamente as piores previsões para Portugal. Para tudo ser perfeito, já só faltaria resolver, dar esperança e futuro, a danos colaterais de 2011 como eu e muitos outros milhares.

    Quanto à parede-pessoa, irredimível. Sem perdão. Não há desculpas para o fanatismo persecutório nem desculpas para evacuação trapalhona e encomendada da Liberdade.

    Gostar

    • 10 Abril, 2014 11:05

      Eu bem te disse que ias ser saneado de lá.

      Há porcarias que nem consigo ler- eles, o jugular, 5 Dias e quejandos.

      Gostar

      • joshua permalink
        10 Abril, 2014 11:19

        Vai para muitos meses já, Zazie, que não leio merda. É salutar. Se a merda não me fizesse sofrer e me tivesse respeitado a subjectividade e a lealdade jurada, continuaria a lê-la esforçando-me por olhá-la pelo lado positivo, por ser útil como fertilizante, por exemplo. Assim, nada feito. A vida continua. Há muitíssimo mais Mundo, mais Cosmos, mais Belo e Encantamento por aí que ter um Espírito Livre de confinar-se a uma miserável caixinha hermética, mesquinha e ruim de merda.

        Acho também que isto mesmo diria Ana Drago do seu maléfico partido de merda com as catarinas e os semedos mai-los seus instintos estalinistas de merda porque de facto, quando a merda é a mesma, não há nada a fazer.

        Gostar

      • 10 Abril, 2014 12:00

        Pois podes crer. Foste ingénuo porque aquilo fede a estalinismo à distância.

        Gostar

    • j. manuel cordeiro permalink
      10 Abril, 2014 13:48

      As pessoas medem-se, e muito, pelos actos que praticam, como por exemplo saber a razão das coisas e virem a público dar a entender terem sido vítima de alguma injustiça. Como se ninguém alguma vez decidisse abrir a boca, Joaquim.

      Gostar

      • vitorcunha permalink*
        10 Abril, 2014 13:58

        Posso providenciar um post onde podem comentar esse assunto. Não sei… Sempre me pareceu interessante.

        Gostar

      • j. manuel cordeiro permalink
        10 Abril, 2014 15:38

        Pois, deve parece-lhe interessante.
        https://blasfemias.net/2014/03/25/fariseus-estatais/#comment-1563362

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        10 Abril, 2014 15:44

        Tenho uma certa dificuldade em compreender pessoas que não compreendem o que lhes é dito. Acabei de dizer que acho isso interessante e vem validar que “deve” parecer-me interessante porque disse que era interessante?

        Também se aprende essa técnica do PC de forma a funcionar com gajas?

        Gostar

      • j. manuel cordeiro permalink
        10 Abril, 2014 17:28

        Fascinam-me as pessoas que não se compreendem a si mesmas e que fazem assumpções a partir do nada, especialmente quando erram cabalmente na suposição.

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        10 Abril, 2014 17:37

        Há um blogue muito bom para isso. Olhe, vá lá fazer post.

        Gostar

      • j. manuel cordeiro permalink
        10 Abril, 2014 17:40

        Ena, está a convidar-me para o Blasfémias? Ai, que estou que nem posso.

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        10 Abril, 2014 17:42

        Estou a dizer-lhe educadamente que gosto tanto de o ter cá como você gosta de moelas.

        Gostar

    • 10 Abril, 2014 18:28

      Seria interessante se os teus novos amigos pudessem ler algumas das coisas que ias escrevendo no fórum do Aventar Joaquim. Eu, que não me sinto minimamente preso a estereótipos de esquerdas e direitas, comunistas e fascistas, e apesar de não concordar com muito do que ias escrevendo, lia, respeitava-te a tinha admiração pela tua frontalidade. Agora que dou de frente com algumas destas tuas demonstrações de falta de carácter sinto-me estúpido por te ter respeitado como respeitei.

      Tu não foste saneado: foste expulso por não teres respeito pela casa que te acolheu e que aturou as tuas faltas de respeito múltiplas por várias autores do blog, muitos dos quais te defenderam até ao último momento apesar de efectivamente não o mereceres. E a prova disso é o vires para aqui lavar roupa suja, tomando o todo pela parte e colocando tudo no mesmo saco. És repugnante. Foi pena não teres sido expulso mais cedo.

      Gostar

      • vitorcunha permalink*
        10 Abril, 2014 18:30

        Por favor, caro companheiro do rebanho, dirija-se para o seu local de residência digital onde pode expressar a repugnância que entender.

        Gostar

      • 10 Abril, 2014 18:44

        Fui inconveniente por chamar ao Joaquim aquilo que ele é?
        Quer dizer que o Vítor até propõe um post TVI para explorar o assunto mas indigna-se contra o contraditório feito ao homem sem carácter?

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        10 Abril, 2014 18:47

        “Contraditório”. Algo que não funciona num estabelecimento comercial com cartaz “reservado o direito de admissão”.

        Gostar

      • 11 Abril, 2014 01:39

        não vi a placa,desculpe! está bem escondida…

        mas deixe-me ver se percebi: então a pessoa A pode atacar X mas a pessoa B não pode contra-argumentar? repare que não estou a discutir a validade das suas regras, apenas a tentar perceber como funciona este espaço.

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        11 Abril, 2014 08:31

        A regra número um é: não há regras.
        A regra número dois é: não há explicação de regras.
        A regra número três é: as regras são para cumprir.

        Gostar

      • 11 Abril, 2014 10:16

        Se não existem regras, e se não há explicação de regras, então para que serve isto: https://blasfemias.net/sobre/ ???

        Mas, parvoíces à parte, o que realmente me intriga é o porquê do Vítor não me permitir o contraditório e, ao mesmo tempo, estar interessado em promover a polémica do Joaquim. Para além de que, para quem tanto gosta de argumentar sobre liberdade, e sobre as imposições a essa mesma liberdade impostas pelo poder socialista, é um pouco incoerente da sua parte colocar entraves ao contraditório que não viola os pressupostos presentes no link em cima. E para alguém tão eloquente, tão assertivo, ser incoerente representa a fragilidade de alguém incapaz de mais argumentação quando esgota os “conceitos” de comunista ou socialista. Então o Vítor é a favor da liberdade ou apenas mais um adorador de Estalines/Hitlers? E repare que até pode recorrer ao seu poder absoluto neste espaço para bloquear a minha resposta mas a sua incoerência não desaparece por causa disso.

        É com esta massa que faz o seu pão?

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        11 Abril, 2014 11:40

        João Mendes, vou bloquear, OK?

        (É uma pergunta retórica)

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        11 Abril, 2014 12:04

        A minha última resposta sobre o assunto:

        A utilização de termos como “poder absoluto” num blogue é fascinante pela presunção de uma reforma agrária de comentários.
        Dito de outra forma, há pessoas com quem não se argumenta e o motivo é a própria ausência de algo a argumentar.
        O João Mendes, tal como outras pessoas, procuram no Blasfémias a parasitagem de espaço para propaganda própria. Em algumas circunstâncias permito – e até incentivo – porque permite aos leitores assíduos deste espaço conhecer a pobreza argumentativa em torno de conceitos como “liberdade” de quem está em bicos de pés para a remover, caso detenha poder, usando-a como mero manifesto num sermão fanfarrão aos macaquinhos.

        Dito ainda de outra forma, não se discute o mérito da virgindade com meretrizes.

        Quanto ao conceito de liberdade, também explico: você tem a liberdade de usar a caixa de comentários, eu tenho a liberdade de apagar os seus comentários. Como compreende, a sua liberdade não se sobrepõe à minha nem eu o impeço de tentar comentar. Pode usar o seu próprio blogue, em total liberdade, para me chamar urso as vezes que entender (eu incentivo, há quem pesque).

        Se leu https://blasfemias.net/sobre/ deveria ter percebido que não são permitidos insultos, coisa que fez a outro comentador, que, enquanto cumprir as regras, as tais que não existem nem são para serem explicadas, é um convidado na minha casa.

        O Blasfémias não é a sala de aula para o sindicatozinho balofo.

        Gostar

  3. Alexandre Carvalho da Silveira permalink
    10 Abril, 2014 11:34

    O descalabro começou quando a seguir ao 25 de Abril os comunistas impuseram um salário minimo de 3500$00, que a grande maioria das empresas não estava preparada para pagar. Daí até à falência e ao encerramento foi um passo. Depois disso foram três bancarrotas em quarenta anos.
    Os portugueses nunca se questionaram como é que um partido politico que nunca valeu mais de 12-15%, tem ditado as regras das politicas laborais neste país.

    Gostar

  4. 10 Abril, 2014 11:56

    O vitor esforça-se sim, mas engana pouca gente. A resposta que dá a outra das suas obsessões (desta escapaste Daniel) é de uma arrogância tão vergonhosa que evidencia total falta de valores e ética, e sobretudo muita ignorância O vitor gosta de se por em bicos dos pés em relação a muita gente e porquê? Passará por essa cabeça que tal comportamento é próprio de gente rasteira com necessidade de afirmação? Para mim está mais que apresentado, as restantes ovelhinhas que aqui andam que aplaudam.

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      10 Abril, 2014 12:46

      Adeus, F., como em Bahnhof Zoo, de Christiane, cuja droga é o socialismo- versão hipster-comuna.

      Gostar

  5. Daniel permalink
    10 Abril, 2014 14:58

    Há “blosgosfericos” muito engraçados. Vêm comunistas em todo o lado. Vocês não são por acaso amigos do Hoover? Ele é que tinha pesadelos com comunistas. E com criancinhas. O Freud era capaz de explicar isso de algum modo, mas não é esse o caso.
    Nestes ultimos 40 anos, os maus dos comunistas (ou de quem não concorda com vocês) dominam todo o espectro politico, governamental, jornalistico, da banca, etc… etc… De tudo! Vivemos num pais comunista! É ver os primeiro ministros desde 74…
    Enfim, se não fosse tão mau era para rir à gargalhada.

    Saudações cordiais de Houston, terra da FOX ( de que voces devem ver todos os segundos), bastião anti-comunista!

    Gostar

    • Daniel permalink
      10 Abril, 2014 15:01

      Um pequeno erro. Como é óbvio, deve-se ler “vêem”.

      Gostar

    • vitorcunha permalink*
      10 Abril, 2014 15:37

      Esse “vocês” estragou logo tudo. Tente outra vez, camarada.

      Gostar

      • Daniel permalink
        10 Abril, 2014 18:20

        Vitor, longe disso! Ja me fez rir um pouco! Então acha que um camarada ia viver para a terra do grande inimigo? Ainda para mais eu gosto da minha propriedade privada! 🙂
        Pronto, já me chamaram socialista por defender por aqui que o projecto do Obama tem alguns pontos positivos no meio do caos que é o sistema de segurança médica dos EUA, mas camarada é um bocadinho forte! Mas enfim, era mais para alguns dos que aqui comentam que parece que vêem bichos-papões em todo o lado. E eu gosto de vir até aqui e rir-me com algum delírio Foxiano que por aqui grassa… Rio-me porque não estou ai, obviamente. E a Fox ficará contente se descobre que tem tantos seguidores por ai!

        Agora mais a sério, acho que o JCA expõem bem aquilo que vai na cabeça de muita gente. Eles tem razão, mas a boa parte boa não votará neles. E ainda bem… Os ditos senhores não fariam a menor ideia do que fazer se lá estivessem.

        Gostar

  6. JCA permalink
    10 Abril, 2014 16:02

    .
    Nem sei quem é o Senhor Cardoso mas do que leio por aqui será algum candidato que defende a nacionalização da Banca que presuponho ser do Partido Comunista.
    .
    Se assim fôr, o problema não é o Senhor Cardoso. É a sociedade portuguesa comum neste momento politico vai meter o papelito na urna se está marimbando se a Banca é privada ou nacionalizada. E ningém a covence do contrário. E porquê ?
    .
    E para ajudar à festança o Ilustre Secretario dos Assuntos Fiscais que segundo parece arranjou aquele saque de gente que nem sabe onde estão os carros podres de ferrugem que eram deles, saque-se-lhe o IUC com juros etc e tal … ninguém uma cartita a avisar …. com informatica são só umas linhazitas no software e ele canta as cartas que forem precisas,
    .
    surge agora com outra, gajos que não mandarem os SAFT’s nem os IVA’s, e mete tudo no mesmo saco ‘malandragem que quere fugir aos impostos’ Está errado embora numa percentagem minima os haja como haverá no proximo milenio. O que este Senhor é responsavel é por mais votos no Partido Comunista.
    .
    Não digo isto por mi, como abordo o voto é comigo. Digo-o com muita surpresa, gente que desde o 25 de Abril vota disciplinadamente PSD e CDS hoje assume ‘não sou Comunista mas que eles são os unicos que têm razão hoje têm razão em muita coisa, isso é verdade’. E dizem isto porquê ? Reler acima.
    .
    Portanto é só esperar pela volta do que a socratização dos passos pelas portas vai parir. Uso o termo socratizar mais no sentido de que a culpa do que hoje faço é dos outros de trás tal qual Socrates também dizia e assim sucessivamente para trás e para a frente.
    .
    As eleições creio que de Maio tudo indica serem um referendo nacional ao Sistema e ao Partidarismo com as direções atuais. Sugere que ao contrário que muitos dizem o abstencionismo vai ser uma surpresa com resultados surpreendentes. Quem anda na rua ouve o latejar do eleitorado tão diferente do habitual que era …..
    .

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      10 Abril, 2014 16:11

      Quem anda na rua só ouve socialistas aos gritos a dizerem “olhem que estamos todos a morrer de escorbuto porque o país pertence-nos e os outros estragam isto”. Não ouve mais nada, até porque ninguém tem mesmo nada a dizer enquanto não começa o mundial de futebol.

      Gostar

  7. 10 Abril, 2014 18:17

    Vítor Cunha tomo a liberdade de lhe dizer que muito me admira que alguém tão eloquente como você tenha estes momentos comunas. Passo a explicar: a narrativa de que os comunistas engoliram a k7 e que dizem sempre a mesma coisa, que ambos sabemos não ser verdade mas que, apesar disso, não deixa de ser um argumento eficaz, aplica-se como uma luva a si. Porque cada vez que assisto aos seus “debates”, e sempre que no âmbito dos mesmos alguém discorda de si, aos seus argumentos são tão redutores que praticamente se podem resumir a 2 “acusações”: comunista e socialista. Fui redutor? Se calhar fui. Mas não será exactamente isto que você faz todos os dias no seu blog? Anyway, o Homer estará com certeza orgulhoso: argumentos redutores é com ele. Boas Duffs!

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      10 Abril, 2014 18:20

      Já escrevi sobre isso. Acho que foi sobre si. Ou outro qualquer que atira areia ao ar a ver se a transforma em milho para os pitos. É aqui: https://blasfemias.net/2013/05/15/duas-falacias-para-alegrar-o-dia/

      Gostar

      • 10 Abril, 2014 18:38

        Vá lá que não me chamou comunista nem socialista. Alguém está a evoluir clap clap clap!!!

        Não terá sido sobre mim uma vez que o Vítor não faz nem tem que fazer a mínima ideia de quem eu sou. Sim, eu percebi que apenas tentou reduzir-me à minha insignificância de simplório mas vai ter que fazer um bocadinho melhor do que isso: o seu argumento-link não se aplica porque o considero efectivamente eloquente e porque, a menos que o eloquente Vítor queira fazer o obséquio de explicar de forma eloquente, não houve aqui nenhuma tentativa de assumir imediatamente a falsidade de qualquer argumento seu, apenas constatar que o Vítor, tal como o comuna das fábulas, engoliu uma k7.

        Estava à espera de mais na minha estreia no Vítor Cunha’s Hell, fiquei desiludido, vou regressar à minha insignificância…

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        10 Abril, 2014 18:47

        Não se faz pão sem massa.

        Gostar

  8. Pedro Paz permalink
    10 Abril, 2014 21:42

    O cardoso diz que produtividade e salário mínimo não têm nada a ver. Claro que é por isso que acha que um pode aumentar sem que aumente o outro. Está tudo dito, nas palavras do próprio (coitado).

    Gostar

  9. 12 Abril, 2014 04:52

    Nunca debater com um mentecapto que se julga iluminado.
    Se querem iluminar, corram à fogueira dos mártires – e sigam savonarola…

    Gostar

Trackbacks

  1. Reductio ad Estalinum – Aventar
  2. Ainda sobre o salário mínimo – Aventar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: