Saltar para o conteúdo

Sexo em democracia é muito melhor

14 Abril, 2014

Em nome das mulheres e homens portugueses, quero agradecer a Otelo e Vasco Lourenço pela notícia que diz que “Mulheres descobrem prazer do sexo nos 40 anos do pós–25 de Abril”. Eu, como alguém concebido antes de 25 de Abril de 1974, lamento que os meus pais tenham tido o frete de me conceberem. Mais uns tempos e teria sido muito agradável, talvez tão agradável como quando o meu tetravó concebeu a minha trisavó, antes do obscurantismo salazarista.

Também de acordo com a reportagem do JN, desde o 25 de Abril que as mulheres já não têm que ir virgens para o casamento. Não dizem mas acrescento: desde 2010 que também já não é preciso ir virgem para o casamento gay.

O 25 de Abril também acabou com os nascimentos ilegítimos e, acrescento, a actual lei do aborto também permite a continuidade do trabalho revolucionário, permitindo que a concepção de bebés seja efectuada por qualquer pessoa, em liberdade e sem “espartilho sexual”, seja qual for a sua preferência sexual, isto apesar da ditadura da biologia.

Porém, ainda há coisas más que ficaram da ditadura, como, segundo a socióloga Verónica Policarpo, a persistência nos jovens da “a desvalorização de uma rapariga que tenha tido muitos parceiros sexuais”. Neste país não se valoriza a experiência e os jovens são os primeiros a rejeitarem o progresso.

35 comentários leave one →
  1. Ana Maria Gomes permalink
    14 Abril, 2014 21:57

    C’um carago, ligar o 25 de Abril ao prazer sexual!

    Gostar

  2. ztfcad permalink
    14 Abril, 2014 22:03

    Eles ligam o sexo a tudo; até às reformas.

    Gostar

  3. JorgeGabinete permalink
    14 Abril, 2014 22:06

    “a desvalorização de uma rapariga que tenha tido muitos parceiros sexuais”
    é estratégia, desvalorizar para pagar menos…

    Gostar

  4. Jean Marie Le Pen permalink
    14 Abril, 2014 22:09

    Dizem as más linguas que durante o periodo caotico que se seguiu ao 25 de Abril, houve de facto muitas mulheres (mas muitas mesmo) agradecidas a Otelo por lhes ter proporcionado a oportunidade da descoberta de novas e revolucionárias sensações sexuais…enfim, foi a costela Fidel Castrista do comandante operacional do 25 de Abril a vir ao de cima! Penso no entanto que não terá chegado a bater o record do Fidel.

    http://timesofindia.indiatimes.com/world/us/Fidel-Castro-has-slept-with-35000-women/articleshow/3500538.cms?referral=PM

    http://www.omgfacts.com/Celebs/Fidel-Castro-has-slept-with-over-35-000/39813?&redirectfrom=www.omg-facts.com

    Gostar

  5. FGCosta permalink
    14 Abril, 2014 22:23

    Esperemos que esteja para breve o fim da virgindade de inteligência e bom senso

    Gostar

  6. A. R permalink
    14 Abril, 2014 22:49

    Bem que nos f****a*: a nós e ao país inteiro os capitães…

    Gostar

  7. 14 Abril, 2014 23:08

    ahaahhahahaha

    Ficou tão engraçado assim

    «Não dizem mas acrescento: desde 2010 que também já não é preciso ir virgem para o casamento gay.»

    Gostar

  8. 14 Abril, 2014 23:20

    “a desvalorização de uma rapariga que tenha tido muitos parceiros sexuais”

    A coletivização não chegou ao sexo.

    Gostar

  9. Joaquim Amado Lopes permalink
    14 Abril, 2014 23:40

    “Nos discursos dos mais jovens continua a persistir a desvalorização de uma rapariga que tenha tido muitos parceiros sexuais”, afirmou Verónica Policarpo.
    Fica-se com a impressão de que a Verónica Policarpo está a ter dificuldade em arranjar parceiros sexuais. Ou é realmente porque neste país “não se valoriza a experiência” ou é por a Verónica Policarpo já não conseguir encontrar quem ainda não a conheça “no sentido biblico” (referência à expressão popular “quem não te conhecer que te compre”).

    Gostar

  10. A. R permalink
    15 Abril, 2014 00:33

    Falta colocar no OLX

    Gostar

  11. 15 Abril, 2014 00:50

    O 25 do 4 até permite que escreva a sua opinião sem problemas!!!!
    Enfim, nada é perfeito … e ainda bem!

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      15 Abril, 2014 09:25

      Está enganado. O 25/4 permitiu que você pudesse escrever isso em Portugal. Eu estou fora do rectângulo, o que me permite até criticar o sistema de ensino sem mais que rugidos de gatinhos. Não foi o 25/4 que me deu liberdade, foram as 3 bancarrotas que a removeram.

      Gostar

      • 15 Abril, 2014 13:42

        vcunha.

        Voçê esta cada vez mais na mesma – corta um post que brincava com o tema…melhor que este tema foi o pos&contas de ontem.
        A fomeca é mais que muita ma o tema em discussaõ foi a mente.

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        15 Abril, 2014 13:50

        Bolota, você está cada vez mais na mesma. Confunde comentários com posts e unicórnios com tricórnios.

        Gostar

      • 15 Abril, 2014 22:16

        Até posso confundir mas olhe que a discussão….tambem com os corriligionarios que arranjou…

        Gostar

  12. jonas river permalink
    15 Abril, 2014 01:28

    Então???,e as equivalências e competências e …

    Gostar

  13. Chico permalink
    15 Abril, 2014 04:14

    Esta Policarpa já devia andar com teias de aranha. Só não digo onde.

    Gostar

  14. JDGF permalink
    15 Abril, 2014 08:38

    Não é inteligível o alcance do titulo deste post.
    É a vida – e não só o sexo – que em democracia que tem de ser melhor. Qual o espanto?
    O que falta inferir é que quando se degradam condições de vida, seja em ditadura, seja em democracia (onde estou a ver este filme?), tudo – incluindo o sexo – deverá piorar.
    E aí os ‘ajustamentos’ revelam-se mais difíceis. Será difícil distinguir entre ‘cortes’ e ‘mutilações’ (o que confere uma conotação muito cruenta).

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      15 Abril, 2014 08:46

      Lamento, JDGF. Talvez umas revistas com gajas numa marcha para a liberdade o possam ajudar a lidar com esse problema. Não é vergonha nenhuma aceitar ajuda de estímulos visuais de manifestantes voluntárias com mais de 18 anos.

      Gostar

      • JDGF permalink
        15 Abril, 2014 15:09

        Oh VC!
        O comentário mais parece um anúncio para tratar a disfunção eréctil…
        Não tenho vergonha de considerar ‘estímulos’ de qualquer matriz. Mas há quem os condene, principalmente, os económicos porque chocam com a ‘liberdade dos mercados’…

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        15 Abril, 2014 15:11

        Mas conhece mercado mais liberal do que o sexual? Quer nacionalizar alguma actriz ou modelo?

        Gostar

      • JDGF permalink
        15 Abril, 2014 15:51

        Não quero nacionalizar nada e muito menos pessoas.
        Mas gostaria que não se metessem a destruir ou bloquear a libido. Porque o resto fica por conta de cada um e o ‘mercado’ será perfeitamente dispensável.
        Será que aqui a distribuição está regulada pela concepção [marxista] de ‘a cada um segundo as suas capacidades e necessidades’?

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        15 Abril, 2014 16:18

        Oferta e procura. Não há outra lei no mundo que seja tão relevante.

        Gostar

  15. YHWH permalink
    15 Abril, 2014 10:13

    É necessário suceder obtuso q.b. para não relacionar o advento da democracia com a maior liberalidade nos costumes sexuais, sobremaneira quando estes estavam espartilhados e vigiados por uma censura moral vigente que carrilhava pelo canône da estreita associação entre a ideologia autoritária instalada e o beneplácito a esta conferido pela igreja católica.

    Gostar

  16. colono permalink
    15 Abril, 2014 12:04

    Por isso é que o Otelo tem duas mulheres em casa!

    Gostar

  17. Manuel P. permalink
    15 Abril, 2014 14:48

    Não consigo entender esta malta da esquerda intelectual! Nasci em 1937 (façam as contas). A primeira queca foi em 1953 (façam outra vez as contas) e a parceira tinha a minha idade. Não foi grande coisa mas gostámos. Daí até ao 25/4 (façam contas) houve várias namoradas/parceiras de cama (ou chão…) e garanto que “curtiam” tanto ou mais que as liberadas pós revolução. Umas eram mais virgens que outras mas ninguém se preocupava muito com isso (e o Salazar então nem era para aí chamado). As mães (e pais…) é que atrapalhavam um bocado. E havia aquela promessa do “depois tens de casar comigo” mas não se levava muito a sério.
    Este pessoal canhoto deve ter traumas: não consegue aviar-se como deve ser e depois diz que a culpa é do fascismo e tal e da religião e coiso…
    Tenham juízo!

    Gostar

    • 16 Abril, 2014 09:42

      Nada melhor para aprazer a coisa que a ameaça do fogo do inferno. A religião sempre foi o sal e a pimenta do sexo. Isto de nada ser proibido é insosso e um pouco vegan!

      Gostar

  18. Bento 2014 permalink
    15 Abril, 2014 15:07

    Quem nunca experimentou uma boa queca num palheiro á antiga não sabe o que é prazer.

    Gostar

    • Alexandre Carvalho da Silveira permalink
      15 Abril, 2014 15:17

      Nã!, melhor que num palheiro, é numa seara no “dia da espiga” ? Para quem não saiba, o “dia da espiga” é 5ª feira da Ascensão.

      Gostar

    • 16 Abril, 2014 09:35

      com um palhinha ou duas enfiada?!…

      Gostar

  19. 15 Abril, 2014 17:00

    ora , andei praí a investigar e parece que tem a ver com o novo uso que encontraram para a manteiga depois de poderem finalmente ver o brando no ultimo tango 🙂

    Gostar

  20. Incauto permalink
    15 Abril, 2014 17:27

    Não estou a entender… “uma rapariga com muitos parceiros sexuais”, ANTES do 25/4? Mesmo sabendo-se perfeitamente que não poderia sentir qualquer prazer? Estaria a pagar alguma promessa?

    Gostar

  21. 15 Abril, 2014 20:28

    BENTO: fica cá com uma coceira…

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: