Skip to content

Não, não é à Correio da Manhã

25 Abril, 2016

Concordo com esta observação de Nuno Garoupa excepto na referência ao Correio da Manhã. Se fosse o Correio da Manhã ou havia nomes ou não havia notícia. Os leitores do Correio da Manhã não dariam dinheiro por um jornal que fizesse várias vezes essa esperteza.

Anúncios
13 comentários leave one →
  1. 25 Abril, 2016 10:11

    Não sei o que o Expresso edita, porque não o compro há anos. Mas por outras vias (incluindo esta, hoje), constato que trata-se dum jornal com reduzido interesse e falso. Um panfleto para amigos.

    E não se pode pedir a intervenção da DECO quando quem o compra sente-se defraudado, enganado ?

    Liked by 2 people

  2. PSC permalink
    25 Abril, 2016 10:56

    Será que a lista não é publicada porque dela poderã constar uma certa Fundação e respectivo patrono muito conhecido e constantemente louvado pelos “merdia”?

    Liked by 2 people

  3. Arlindo da Costa permalink
    25 Abril, 2016 11:11

    O pudor na divulgação é positivo e justificável. É para não provocar alarme social.

    Gostar

  4. Manuel permalink
    25 Abril, 2016 16:06

    É evidente que estamos face a um Lava Jato à portuguesa, duvido que a lista venha cá para fora. Não me admiro que a cúpula do poder seja toda atingida como foi no Brasil. Somos mais hipócritas que os nossos irmãos Brasileiros( varre-se tudo para debaixo do tapete) e depois criticamos os parlamentares Brasileiros!

    Liked by 1 person

  5. Carlos Alberto Ilharco permalink
    25 Abril, 2016 17:23

    O que vocês queriam, não quer o Expresso.
    Não são burros.
    Já se percebeu que os ziliões de papéis do Panamá valem zero, uns são legais, outros tem as mais completas desculpas e na maioria só conseguem liga-los a alguém importante depois de cinquenta conexões de tal maneira que não se percebe nada.
    Portanto há que fazer render o peixe.
    Vai durar até à edição especial de Natal.

    Gostar

  6. Alexandre Carvalho da Silveira permalink
    25 Abril, 2016 18:34

    Como todos se lembram no tempo do Sócrates vivemos em Portugal uma época de “asfixia informativa”. Agora voltàmos ao mesmo: a bajulice com que os media tratam este governo e o 1º ministro em particular, faz lembrar os tenebrosos tempos do “Diário da Manhã”, orgão oficioso do salazarismo, de que tivemos há dias um belo exemplo, o inenarrável editorial do Publico/Izvestia a mandar calar o Sócrates só porque deu uma alfinetada em sucelência o 1º m. Costa.
    Apesar desta “informação de manada”, nem a mais desenfreada bajulação por parte principalmente das tvs, fazem o PS descolar nas sondagens.
    Quanto ao assunto em apreço levantam-se-me duas questões: 1ª preocupam-me muito mais os nomes que o Expresso e a TVI não publicam do que os nomes que a conta-gotas vão pondo cá fora; 2ª quem controla os critérios usados pelos jornalistas do Expresso e da TVI para publicarem os nomes da famosa lista?

    Liked by 1 person

    • Carlos Alberto Ilharco permalink
      25 Abril, 2016 18:40

      Quem controla?
      Os directores dos jornais, obviamente.
      E quem controla os directores?
      Os donos dos jornais, obviamente.
      E quem controla os donos dos jornais?
      O poder político.
      E quem controla o poder político?
      O poder económico.

      Gostar

    • lucklucky permalink
      25 Abril, 2016 20:08

      Nunca um Presidente foi tão acarinhado pelos jornalistas por não ser Presidente de todos os Portugueses.

      Nunca se viu um Presidente apoiar um Governo tão descaradamente sem criticas de que não é Presidente de todos os Portugueses.

      Liked by 1 person

  7. JCardoso permalink
    25 Abril, 2016 21:48

    O CM é que paga as favas. Só que os ditos sérios e de referência, os paladinos da liberdade de imprensa depois fazem destas.

    https://www.publico.pt/politica/noticia/calate-socrates-1729793

    Já todos temos opinião sobre o animal feroz e só os mais socratinos ainda são capazes de porem as mãos no lume por ele.

    Este pulicozinho foi um jornal que muito ajudou o animal feroz em diversos processos em que esteve envolvido. E tem ajudado.

    Só que, o animal feroz sentiu necessidade de dar uma ferroada no actual primeiro ministro não eleito, por talvez não lhe dedicar mais atenção e de o tentar salvar do cerco que cada vez se aperta mais, na operação Marquês.

    Este editorial da BR do pulicozinho, próprio de um país do terceiro mundo, só tem uma razão de existir: foi sair em defesa da geringonça mais até da Bloca do que do próprio primeiro ministro não eleito.

    A ferroada do animal feroz doeu, agora que este governo não eleito com a ajuda do sempre em pé – sempre em festa da presidência da República já tinha ajudado a tentar apagar esta questão – não ganhou as eleições, daí o jornal mais Bloca da praça, ter chegado ao ponto de fazer um editorial destes em que manda calar a opinião do sem vergonha animal feroz.

    BR prestou-se a isto em nome de um serviço prestado às amigas Blocas das bandeiras multicolores.

    A ERC não tem nada a dizer sobre este editorial do dito jornal de referência, do jornal sério, culto, das causas, das elites e dos valores democráticos?

    Gostar

  8. Lucas Galuxo permalink
    26 Abril, 2016 00:21

    O Expresso e a TVI praticam crimes à frente de toda a gente.

    http://www.ft.com/intl/cms/s/0/07ae6336-08a7-11e6-b6d3-746f8e9cdd33.html#axzz46spGpqJw

    Gostar

  9. manuel branco permalink
    27 Abril, 2016 09:17

    Nem assim me convenceram a comprar a coisa. E, no entanto, o jeito que dá aquele maná de papel para o mijo do cão.

    É caso para dizer que o que o jornal fez foi o oposto do jornalismo, de referência ou tabloide (exceptuando naturalmente os porta-estandarte): entregou ao MP e abafou a coisa. Fez censura. Isto numa das hipóteses. Na outra vendeu gato por lebre. Mas com tanta venda de gato naquele restaurante só um incauto é que julga que vai comer arroz de lebre.

    Lembra-me uma notícia do falecido jornal O Dia: “Muro de Berlim em Lisboa”, com foto e tudo. Tão espantado fiquei que dei logo o tostão para perceber que notícia tão grave era aquela. Bom, a embaixada da defunta RDA tinha feito um muro a ocupar metro e meio do passeio público. Digamos que havia uma diferença quantitativa e qualitativa em relação ao dito cujo. A partir daí pensei duas vezes antes de dar a gorjeta ao Dia – ainda por cima não tinha cão. Que o deus da imprensa tenha em paz o grande Dia.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: