Skip to content

Duas patas, quatro patas, montes de patas

12 Junho, 2016

Artur Pedro Silva Baptista. Laura Manuela Rodrigues Figueiredo. Samuel Jorge Cunha e Santos Lima. Jorge Ricardo Fagundes Fernandes…

Não, não é a lista de jornalistas que o Expresso ficou de publicar que recebem de políticos por compensação por serem patriotas de esquerda. São só nomes de pessoas que retirei duma lista de pessoas que não são jornalistas patriotas de esquerda. Infelizmente, sabemos imediatamente que são Pessoas Humanas e nenhuma é Pessoa Canina. Em Portugal, um cão não é merecedor de respeito para ser baptizado com dois nomes próprios e apelidos de família. Bóbi, Faísca, Sport, Fáni…. Um só nome. Onde está o respeito pela linhagem do cachorro? Não está, não há.

Como hoje é Domingo, proponho esta causa. Os cães passam a ter quatro nomes, pelo menos. No mínimo, dois nomes derivados dos progenitores. Bóbi Faísca Sócrates Infante, Fáni Cher Galambino Cãocio, Bob Bóbi Ildefonso Ferro y Gutierrez Júnior…

O mesmo para gatos. E, para vacas também, que animal de estimação é o que o homem, a mulher e o ser sem designação de género binário quiser. Orcas. Viúvas negras e leões marinhos. Orangotangos, minhocas e éguas. Larvas, cabras e até este indivíduo que designaremos por “coiso” (ou “coisa”, o que já binário).

É por não colocarem os verdadeiros problemas da humanidade humana e animal que as pessoas deixaram de ir à missa ouvir sermões. Até porque, convenhamos, durante esse intervalo de tempo perderíamos duas ou mais intervenções do nosso Presidente da República.

Adenda: Eu não disse? Não dá mesmo para ir à missa, perde-se o Presidente. 

Anúncios
25 comentários leave one →
  1. Artista Português permalink
    12 Junho, 2016 10:01

    Mesmo tendo em conta a dificuldade na identificação do género, pelo menos o apelido do “coiso” já indicia uma tendência, aliás muito cara ao BE:
    Jamie Shupe of Oregon is now legally recognized as having nonbinary gender.

    Gostar

  2. 12 Junho, 2016 10:24

    Ele há coisas cada vez mais anormaizinhas. E publicitam isto como se fosse uma coisa muito moral para educar a população.

    De resto, @ Fani Côncio Galambita é muito alternativ@

    Gostar

    • lucklucky permalink
      12 Junho, 2016 15:38

      zazie.

      Não tem nada de anormal zazie.

      É uma estratégia de poder por via da destruição da cultura. Depois da cultura?

      Sobra o Governo. O Estado.

      O objectivo é mudar a cultura e as referências para outra coisa qualquer de modo a não existir resistência ao Estado que passa a ser a única referência.

      Arbitrário e descricionário como qualquer Marxista que se preze deseja o seu poder.

      Note-se que não interessa a cultura que vai substituir a existente, a confusão lançada, o acto da mudança, destruição é suficente.

      Por isso nada do que o Marxista faz tem de ser coerente, eles apoiam islamistas como apoiam gays que são mortos por islamistas. Eles querem muitos muçulmanos e dizem que querem proteger a mulher.

      Imagina os Marxistas como trolls com um objectivo de poder.

      Gostar

      • lucklucky permalink
        12 Junho, 2016 15:52

        50 mortos num bar gay da Florida por um Afegão…

        Liked by 1 person

      • lucklucky permalink
        12 Junho, 2016 16:16

        Americano com pais Afegãos.

        Gostar

      • Expatriado permalink
        12 Junho, 2016 17:27

        Muçulmano… O rotulo da nacionalidade não os afecta.

        Gostar

      • 12 Junho, 2016 20:44

        Eu sei que os teóricos fazem com essa intenção. Mas é coisa anormalzinha porque depois há anormaizinhos que a tomam a peito- como uma grande coisa

        ehehehe

        A sério- já tentou falar com quem tem mesmo fezada nestas imbecilidades e sem ser para tomar poder algum?

        É pior que tentar diálogo com apanhados por bruxaria e assim.

        Gostar

      • 12 Junho, 2016 20:50

        Ainda me lembro da primeira pessoa apanhada por politicamente correcto que conheci na vida.

        Parecia coisa de ET. A despropósito, em qualquer conversa banal, mandava uns gritinhos e lá saída uma indignação com qualquer treta que eu não entendia. Por tudo e por nada. Não havia assunto que não tivesse logo de ser politizado para encontrar as vítimas e os culpados da mais pequena merda idiota e banal.

        E era ainda nova; inteligente e muito divertida. Não sei como a coisa entrou e imagino que só pode ter sido lavagem cerebral na escola.

        A partir daí já nem tem conta os casos porque o que agora se pode contar é quem resiste e não ficou retardado mental.

        Gostar

      • 12 Junho, 2016 20:58

        Lembro-me que até em conversas de viagens de férias ela conseguia fazer aparecer a indignação a propósito de nada. Da comida, do avião, do guia, da mais impensável questão- havia sempre uma pouca-vergonha de discriminação que ela tornava o centro de tudo.

        Na altura não era doença como é agora e nem familiarmente alguém mais novo falava assim.

        Não sei como foi. Sei que pensei no caso e passei a dar mais atenção às teses de doutoramento e prateleiras de “estudos de género” nas livrarias inglesas.

        Isto veio por via académica. Tenho a certeza. Passado uns tempos um amigo meu até lá teve de orientar uma tese feminista, prof universitária- uma neo-feminista via “chutos-e-pontapés”.
        Numa sessão pública de um artigo dela numa revista, lembro-me que ainda houve amigo de infância que mandou umas bocas fortes lá da assistência.

        O valente, hoje em dia ia de cana. E até o meu amigo que se divertiu com as bocas do outro, hoje em dia amochava e imagino que a por força da instituição era obrigado a mandar calá-lo.

        Gostar

      • 12 Junho, 2016 21:05

        Mas é um tipo de ditadura das mais tramadas porque é como um vírus silencioso. Daí a pouco tempo estamos cercados e não se pode falar porque até quem nem era assim, ficou e tornou-se logo censor.

        O que acho ainda mais incrível é esta anormalidade ganhar alento em quem é menos certinho na vida. Ataca os que parecem mais iconoclastas e trocistas. E depois são estes que parecem todos contra as manadas que ficam manada e se passam a policiar meio mundo.

        Tudo muito moral- mete nojo o tom moralistazinho de sacristia de toda esta merda politicamente correcta.

        Gostar

  3. Prova Indirecta permalink
    12 Junho, 2016 10:36

    O selvagem matou-se , no livro de Huxley , ” Admirável mundo novo” .
    Isto vai acabar mal .

    Gostar

  4. Prova Indirecta permalink
    12 Junho, 2016 10:40

    Mais uma neotontice :

    http://observador.pt/especiais/uma-destas-mulheres-poderia-ser-bond-jane-bond/

    ( Um preto e uma mulher no lugar do Bond . E porque não um tranny , um pastor alemão , ou o anão koksal Baba ?

    Liked by 1 person

  5. licas permalink
    12 Junho, 2016 11:38

    . . . e assim vai o mundo

    Mandatos para parolos
    Chefiando outros tais,
    Dá dinastias de tolos
    Noutros distintos locais:
    Em Cuba e na Coreia
    Para fazermos ideia.

    O Evo queria o quarto
    E ficou nos três então
    O povo já anda farto
    Do notável aldrabão:
    De sornice tão tamanha
    Qu´autoriza toda a manha.

    A “peixeira” exaltada:
    A Cristina, essa tal,
    Que de Nestor foi casada,
    Vai parar a Tribunal:
    Vai dizer agora em público
    Como enriqueceu de súbito.

    Os tais esquerdas “isentos”
    Em processos “sumarentos”. . .

    licas fecit

    Gostar

  6. Manuel permalink
    12 Junho, 2016 12:50

    VC: olhe que é marxismo cultural segundo Gramsci, os tais cadernos escritos na prisão. Em todo o mundo democrático se passa o mesmo, acredito que deve haver uma internacional para coordenar a agenda.

    Gostar

    • 12 Junho, 2016 13:10

      Pode ser marxismo cultural, só não parece por ser orientado por parolos.

      Gostar

    • Tiradentes permalink
      12 Junho, 2016 16:20

      Não é preciso nenhuma internacional para orientar a imbecilidade…é só dar-lhe corda que ela desenvolve-se livremente. Sim, só nos países democráticos isso se passa. Caso os países fossem marxistas a eles eram-lhes reservado um paredon revolucionário
      A intenção é exactamente essa….destruir a democracia

      Gostar

    • lucklucky permalink
      12 Junho, 2016 16:58

      Manuel quando há cultura não é preciso conspirações. As tácticas do Marxismo são naturais.

      Gostar

  7. 12 Junho, 2016 16:24

    A escumalha não merece tanta delicadeza no trato. São cãozoada mas vadia.

    Gostar

  8. 12 Junho, 2016 18:31

    Uma perspectiva completamente nova (porque não é divulgada pelos me(r)dia) sobre o assunto, vindo de uma pessoa que passou por isso e também com a opinião de médicos especializados e seus estudos clínicos:

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/ciencia/16552-2016-06-07-19-50-41.html

    Gostar

  9. Doublet permalink
    12 Junho, 2016 18:45

    Da Alemanha: https://www.youtube.com/watch?v=SAHvLAJ-5aQ

    Gostar

  10. 13 Junho, 2016 01:06

    The LGBTQ activists are not tolerant liberals who respect other people’s rights. They are pushing a ‘political correctness’ which a manifestation of a totalitarian, Marxist-influenced ideology. Theodore Dalrymple, an expert on totalitarian societies explains how activists triumph:

    “In my study of communist societies, I came to the conclusion that the purpose of communist propaganda was not to persuade or convince, nor to inform, but to humiliate; and therefore, the less it corresponded to reality the better. When people are forced to remain silent when they are being told the most obvious lies, or even worse when they are forced to repeat the lies themselves, they lose once and for all their sense of probity. To assent to obvious lies is to co-operate with evil, and in some small way to become evil oneself. One’s standing to resist anything is thus eroded, and even destroyed.”

    Gostar

  11. Arlindo da Costa permalink
    14 Junho, 2016 01:23

    Depois de ler estas bizarras elucubrações, cheguei a uma simples conclusão: só mesmo à patada …

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: