Skip to content

As Ditaduras de Esquerda São Boas e Recomendam-se

28 Novembro, 2016

E não é que precisamente no dia em que celebrávamos o golpe falhado de uma tentativa de ditadura comunista em Portugal, somos surpreendidos pela morte de Fidel Castro? Não tivesse o homem escolhido o 25 de Novembro para ir ao encontro daqueles que matou, e a data, por cá, teria passado em branco. Felizmente, Fidel, esse grande e ilustre ditador sanguinário capitalista, tornou esta data memorável.

Fidel,  lutou ao lado de Che Guevarra contra a ditadura de Batista e venceu. Há maior feito do que resgatar um povo de uma ditadura castradora das liberdades? Há. Desde que seja imediatamente substituída por outra mais “soft e cool”, cheia de paz e liberdades, a dele, que ele soube manter “democraticamente” imposta  por meio século. Um grande homem!

À data da revolução, em 1959, Cuba com a ditadura “má” do Batista tinha um rendimento anual médio per capita de 1200 dolares, o segundo mais elevado da América latina. Hoje é de somente 70 dólares.  E feliz de quem tem filhas para prostituir. Tinha 15 telefones por cada 100 pessoas. Hoje só tem 3,5/habitante.  O consumo de carne era de 35 kg/ano por habitante. Hoje é de 5,5 kg. Havia  um autocarro por cada 300 habitantes. Hoje só tem um para 25000.

Ah! e tal porque deixou um sistema de saúde extraordinário. Pois. Só que esse sistema já existia.  Quando Fidel tomou o poder, Cuba tinha um sistema de saúde com:  uma taxa de mortalidade infantil mais baixa de toda a América Latina; a taxa de mortalidade geral  melhor que nos EUA e a terceira mais baixa do Mundo; havia um médico por cada 950 habitantes; não havia falhas de medicamentos.

Com a chegada da revolução socialista, a ditadura idílica e justa de Fidel trouxe uma melhoria de apenas um médico por 750 habitantes, mas falhas graves de medicamentos que obrigam a improvisar alho para combater a hipertensão ou mamão para problemas digestivos e como anti-inflamatório. Ah! Mas só à venda no mercado negro. E os médicos? Grande parte a complementarem os ordenados como recepcionistas no turismo onde as gorjetas são mais generosas que o salário de um cirurgião. Consultas? Quase nulas. O colapso dos transportes impede que os doentes tenham meios para se deslocarem… E os hospitais? Esses, pararam no tempo… a desfazerem-se literalmente, sem higiène, sem condições mínimas para tirar sequer uma radiografia.

Fidel transformou Cuba numa paradisíaca “Guatánamo” da América Latina onde a pena de morte era garantida a quem de lá quisesse sair. Mas quem é que quer sair do paraíso? Certo? Uma ilha onde nunca faltou nada a quem tivesse dólares, inclusive produtos americanos que chegavam através dos 115 países com quem tinham relações comerciais, mas faltou tudo a quem só tinha pesos: sabão,  café,  papel higiénico, electricidade, comida… dinheiro…

Com a morte deste generoso líder ficará sem dúvida um legado surpreendente de fome, de miséria, de execuções, de degradação humana, de perseguição, de violação de direitos, de homofobia, mas sobretudo de hipocrisia monumental onde, por trás de um discurso anti-capitalista, jaz agora, um bilionário com fortuna avaliada em mais de 900 milhões dólares. Uma acumulação de dinheiro que certamente será doada ao povo… digo eu… Talvez a Mariana Mortágua possa ajudar Raúl Castro… 

Deve ser por isso, que não lhe faltam homenagens sentidas e de profunda dor, não pelo seu povo a quem tiranizou e que celebraram a sua partida euforicamente, mas pelos  políticos, jornalistas e admiradores. Um homem que lhes deixa saudades pelo romantismo com que governou, mantendo Cuba imaculadamente estática, digno de um belo postal dos anos 50, a cair de podre, mas sem dúvida inspirador para quem não vive lá.

Com tanta bajulação a este tirano sanguinário ficamos com a certeza que, se Fidel é um herói, por cá Salazar foi um menino que nem uma ditadura soube fazer de jeito, de onde partiu  teso como um carapau.

Porque afinal, as ditaduras de esquerda são todas muito boas e recomendam-se. As outras é que não.

 

Advertisements
45 comentários leave one →
  1. António permalink
    28 Novembro, 2016 11:06

    O artigo contém um erro: “Não tivesse o homem escolhido o 25 de Novembro para ir ao encontro daqueles que matou…”

    Aqueles que matou estão no Céu.

    O homem foi para o Inferno.

    Liked by 4 people

  2. luis moreira permalink
    28 Novembro, 2016 12:11

    Um país pobre não consegue ter um serviço nacional de saúde capaz Isso é uma treta. Tem, quando muito, bolsas de excepção.

    Gostar

  3. licas permalink
    28 Novembro, 2016 12:46

    Gostei, Cristina, com números, que esses são ainda
    os menos “infiéis” da realidade.
    As “opiniões”, essas, declamação pura . . .
    Pasmo da obstinada estupidez do Povo Cubano de
    manter-se impassível e não se revoltar. . .

    Liked by 1 person

    • 28 Novembro, 2016 20:43

      Veja quantas pessoas estavam na noite em que o Fidel morreu nas ruas de Havana. Umas duas centenas.

      Só no dia seguinte (quando as baionetas se tinham preparado, digo eu) é que apareceram as manifestações de apoio. E entretanto lá foram mais umas centenas de contestatários para o oblívio (desapareceram sem deixar rasto).

      Liked by 2 people

  4. 28 Novembro, 2016 12:59

    Brilhante post, Cristina Miranda.
    Nem acrescento nada para não estragar.
    Já o partilhei no Forum do Liberalismo no Facebook.
    Parabéns.

    Liked by 3 people

    • Cristina Miranda permalink
      28 Novembro, 2016 13:14

      Muito lisonjeada com seu comentário. Obrigada 🙂

      Gostar

  5. 28 Novembro, 2016 13:16

    uma sorte Fidel ter morrido ao mesmo tempo que Trump eleito . os americanos agora podem fugir para Cuba.

    Liked by 2 people

  6. basto_eu permalink
    28 Novembro, 2016 13:25

    Parabéns pelo post Cristina, gostei.

    Liked by 2 people

  7. jjmalmeida permalink
    28 Novembro, 2016 14:10

    Reblogged this on Stuff and commented:
    Revolución o muerte !
    http://www.revolucionomuerte.org/

    Liked by 1 person

  8. Paulo Dias Dias permalink
    28 Novembro, 2016 16:43

    Cristina, Brilhante post: corajoso, politicamente incorrecto e bem sustentado. A endereçar à “Soeiro pereira Gomes” (para quando a proposta de um minuto de silêncio na Assembleia e/ou uma condecoraçãonzita póstuma?) e à malta do BE, os verdadeiros herdeiros do grande libertador e do camarada Che.
    Parabéns pelo Post uma vez mais.
    Paulo

    Liked by 2 people

  9. Filipe Costa permalink
    28 Novembro, 2016 19:11

    A população cubana ive em diadura há muitos anos, sairam de uma e levaram logo com outra, não sei se querem mudar, não me parece.

    Gostar

  10. Tony permalink
    28 Novembro, 2016 19:16

    Acredito em tudo, mas gostaria de saber quais as fontes destes dados. Obrigado

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      28 Novembro, 2016 20:25

      O Livro Negro de Cuba – Repórteres Sem Fronteiras

      Gostar

  11. Manuel permalink
    28 Novembro, 2016 19:22

    Bom artigo. Quem tiver dúvidas do que está aqui escrito, recomendo que faça uma férias em Cuba.

    Liked by 2 people

  12. Pescador permalink
    28 Novembro, 2016 19:37

    As ditaduras de esquerda matam que se fartam.
    Prendem até dizer chega.
    Mas os nossos (deles) comunas exaltam-nas até à exaustão, tanto faz se na ex-união soviética, como na Coreia do Norte, como em Cuba.
    Sem qualquer despudor exaltam o ditador pior que o anterior.
    Nem sei se vão propor ao papa xico para que seja já elevado à categoria de beato, ou ao nível de santo, tantos são os elogios que por cá se debitam.

    Liked by 2 people

  13. 28 Novembro, 2016 19:40

    Liked by 1 person

  14. José Domingos permalink
    28 Novembro, 2016 21:16

    Excelente artigo, os números dizem tudo.
    O camarada fidel, matou ou mandou matar mais pessoas, que os mortos na guerra do ultramar, somando ainda os mortos por essa tenebrosa organização que era a dgs.
    A esquerdalha no seu melhor e o jornalixo nacional a bater palmas.

    Liked by 3 people

  15. Buiça permalink
    28 Novembro, 2016 23:09

    Aquando da independência dos EUA, a Jamaica sozinha representava maior receita para a coroa britânica do que todas as colónias juntas do novo país. O fim da escravatura e revoltas várias foi uma maçada para o PIB e as estatísticas idiotas em geral.

    A estatística da queda do consumo de carne no país sujeito ao mais longo, feroz e criminoso embargo económico a que qualquer país foi sujeito nos últimos séculos, logo ao terceiro parágrafo, poupa imenso tempo, obrigado. Percebe-se logo que o post não é sobre Cuba, Fidel, Democracia ou Ditadura. O post é sobre o sporting e a Cristina é do benfica.

    Cuba antes de 1959 era um país ou uma colónia Norte-Americana?
    No seu país morre-se de fome (ao contrário de Cuba), qual é o político do “arco da governação” dos últimos 40 anos que alguma vez passou dificuldades?
    Tenhamos alguma perspectiva: leio em blogues cubanos sobre os 5 a 6 mil de fuzilados em 50 anos, mais outros tantos que morreram nesse período por maus tratos nas prisões ou perseguidos por uma razão ou outra. Tudo terrível. Mas se começamos nos numeros, o que é isso perante as centenas de milhares de mortos nos Estados Unidos que cometeram o crime de ser comunistas, sindicalistas, serem negros ou indios e quererem ter direitos, etc?
    Omessa, quantos milhões de seres humanos foram mortos pela gloriosa democracia Americana nesses 50 anos por toda a América Latina, Asia, Medio Oriente…? Quantos chefes de Estado foram assassinados (inclusive próprios!) e regimes mudados à força por quem condenou o povo Cubano à pobreza com o terrivel embargo?
    Eu sou tudo menos comunista, mas qualquer pessoa razoável reconhece que nos anos 50 a gelataria política tinha 2 sabores: baunilha e chocolate. E se a independência tinha que ser conquistada ao chocolate, só sobrava a baunilha.

    Cumps,
    Buiça

    Liked by 1 person

    • 28 Novembro, 2016 23:30

      vai cumprimentar o caralho oh pá

      Liked by 1 person

      • Buiça permalink
        29 Novembro, 2016 01:12

        como diria o outro, i just did, mesmo sem intenção

        Gostar

    • 28 Novembro, 2016 23:37

      Fuzilados: 5.621. Assassinados extrajudicialmente: 1.163. Presos políticos mortos no cárcere por maus tratos, falta de assistência médica ou causas naturais: 1.081. Guerrilheiros anticastristas mortos em combate: 1.258. Soldados cubanos mortos em missões no exterior: 14.160. Mortos ou desaparecidos em tentativas de fuga do país: 77.824. Civis mortos em ataques químicos em Mavinga, Angola: 5.000. Guerrilheiros da Unita mortos em combate contra tropas cubanas: 9.380. Total: 115.127 (não inclui mortes causadas por atividades subversivas no exterior).

      http://www.olavodecarvalho.org/semana/040807globo.htm

      Liked by 2 people

      • Buiça permalink
        29 Novembro, 2016 01:23

        Interessante. Excluindo os mortos em guerras, esta “ditadura sanguinária” matou injustamente 7865 pessoas em 50 e tal anos?
        Nesse caso nem precisa de comparar com outras nações que tenham conquistado a independência pelas armas no século XX, pode comparar com qualquer democracia do planeta que tenha ou tenha tido pena de morte nesse período.

        Gostar

      • lucklucky permalink
        29 Novembro, 2016 03:55

        A imbecilidade é espantosa 77000 pessoas morreram afogadas ou atacadas ao tentar fugir do país e este canalha fala em 7000.

        https://en.wikipedia.org/wiki/Chemical_warfare

        During the Cuban intervention in Angola, United Nations toxicologists certified that residue from both VX and sarin nerve agents had been discovered in plants, water, and soil where Cuban units were conducting operations against National Union for the Total Independence of Angola (UNITA) insurgents.[66] In 1985, UNITA made the first of several claims that their forces were the target of chemical weapons, specifically organophosphates. The following year guerrillas reported being bombarded with an unidentified greenish-yellow agent on three separate occasions. Depending on the length and intensity of exposure, victims suffered blindness or death. The toxin was also observed to have killed plant life.[67] Shortly afterwards, UNITA also sighted strikes carried out with a brown agent which it claimed resembled mustard gas.[68] As early as 1984 a research team dispatched by the University of Ghent had examined patients in UNITA field hospitals showing signs of exposure to nerve agents, although it found no evidence of mustard gas.[69]

        Isto claro que não foi referido por nenhum Jornalista ou Comentador Português de “Referência”.

        Liked by 4 people

    • 29 Novembro, 2016 08:51

      Buiça, como está preocupado com os mortos dos EUA, recomendo que não sofra um enfarte do miocárdio por saber que o comunismo matou de mais de 100 milhões de pessoas ao longo do tempo e pelo Mundo fora.
      Leia o Livro Negro do Comunismo: http://www.mises.org.br/files/literature/O%20LIVRO%20NEGRO%20DO%20COMUNISMO%20-%20Crimes%20Terror%20E%20Repress%C3%A3o.pdf

      Liked by 1 person

    • 30 Novembro, 2016 14:42

      buiça, isso é que foi inventar. Daqui a pouco fidel a santo. Será que buiça é diminutivo de boaventurasousasantos.

      Liked by 1 person

  16. lucklucky permalink
    29 Novembro, 2016 03:57

    Os barcos dos que tentam fugir do paraíso Comunista, milhares de pessoas ficaram no mar para não mais voltarem.

    Colocar no Google pesquisa com estas palavras:

    Dry Tortugas, Cuban boats.

    Liked by 4 people

    • 29 Novembro, 2016 10:59

      enho uma para troca , muito mais actual e pertinho : colocar no google search “mediterranêo mar de sangue” .

      Gostar

      • lucklucky permalink
        29 Novembro, 2016 21:26

        Só o seu aparece nos jornais.

        Responda porque nunca uma criança Cubana afogada fez primeiras páginas.

        Gostar

      • 30 Novembro, 2016 10:28

        isso tem de perguntar aos jornalistas republicanos americanos e a todos na américa que não gostavam do regime castrista , não é ?

        Liked by 1 person

      • 30 Novembro, 2016 14:46

        e a todos os merdia nacionais e europeus, e todos os políticos politicamente correctos (de esquerda) que se curvam perante assassinos como fidel. Já estao habituados a assassinos.

        Liked by 1 person

  17. Bloodflood permalink
    29 Novembro, 2016 18:19

    Cristina, onde posso encontrar os números que referiu?

    Liked by 1 person

  18. 30 Novembro, 2016 14:47

    Muito bom. Já tinha lido alguns números desses! soube deles lá para os lados da Guatemala 🙂

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: